Você está na página 1de 8

Revista Científica da FHO|UNIARARAS v. 5, n.

2/ 2017

APLICAÇÃO DO LASER E LED NA ALOPECIA


ANDROGENÉTICA FEMININA (AAG): ESTUDO
DE CASO
APPLICATION OF LASER AND LED IN FEMININE ANDROGENETIC ALOPECIA (AAG): AN
CASE STUDY

Orientando: Cleber Rodrigues Ferreira1


Email: clebercrf6@gmail.com
Orientadora: Ms Juliana Aparecida Ramiro Moreira2
Email: juliana.rm@uniararas.br
Aluna colaboradora do Grupo de estudos de Laser e Led – GELL: Naiara Alves1
alves.naa@hotmail.com
Colaboradores do Grupo LIGA: Esp. Ana Claudia Calazans da Silva 3
Email: anacalazans@uniararas.br

Graduandos do Curso de Bacharelado em Estética- Fundação Hermínio Ometto – FHO.


1

2
Graduada em Fisioterapia pela Fundação Hermínio Ometto - FHO. Especialista em Fisioterapia Dermato-
Funcional e Estética pela Fundação Hermínio Ometto - FHO. Mestranda em Ciências Biomédicas (stricto
sensu), na linha de pesquisa em Mecanismos biológicos envolvidos na gênese de alterações fisiológicas
pela Fundação Hermínio Ometto - FHO. Docente do Curso de Bacharelado em Estética da Fundação
Hermínio Ometto - FHO. Docente do curso de bacharelado em estética na Faculdade Claretiano. Docente
convidada do curso de Especialização em Dermatofuncional e Estética. Docente convidada do curso de
Especialização em Estética Facial e Corporal da Fundação Hermínio Ometto - FHO e Docente convidada
do curso de Especialização em Farmacologia Clínica e Atenção Farmacêutica da Fundação Hermínio
Ometto - FHO. Docente responsável pelo grupo de estudos de Laser e Led.
3
Mestranda no curso de Ciências Biomédicas pela Fundação Hermínio Ometto - FHO, Pós-Graduada
(especialista) em Cosmetologia Clínica pelo Centro de Ensino Superior de Valença-RJ, realizado
presencialmente no IPUPO-Instituto Maurício Pupo de Cosmetologia e Pesquisa - 2014. Graduada em
Tecnologia em Estética pela Fundação Hermínio Ometto - FHO - 2012. Experiência em Estética Corporal,
Facial e Cosmetologia. Atualmente é docente da Fundação Hermínio Ometto - FHO com ênfase em saúde.

Resumo diagnosticada e avaliada por meio da anamnese


capilar, dermatoscópio e fotografia. Logo após foi
Introdução: A fotobiomodulação vem sendo
realizado as sessões de fototerapia, com o aparelho da
amplamente aplicada na área da saúde, principalmente
marca MMO, uma vez na semana, com total de 10
na área da estética, utilizada em tratamentos de
sessões. As aplicações foram realizadas no Laboratório
diversas disfunções, dentre elas, a alopecia
de Estética Corporal da Instituição de Ensino
androgenética feminina. O folículo piloso quando
Fundação Hermínio Ometto-FHO. Diante do exposto
estimulado através da fototerapia promove nutrição
pela literatura dos benefícios do Laser e LED e do
desse bulbo e, por consequência, ocorre a melhora no
Minoxidil, este estudo associou as duas técnicas para
quadro de alopecia. Objetivo: O objetivo deste estudo
potencializar o tratamento. Após observarmos os
é verificar o efeito do laser e led na alopecia
resultados e á-los com estudos já publicados, conclui-
androgenética feminina. Metodologia: O estudo
se que a aplicação do Laser e Led e a aplicação do
contará com uma voluntária do gênero feminino, com
Minoxidil home care na alopecia androgenética
idade de 57 anos, apresentando alopecia androgenética,

46

http://www.uniararas.br/revistacientifica
Revista Científica da FHO|UNIARARAS v. 5, n. 2/ 2017

feminina (AAG) neste estudo de caso foi eficiente para INTRODUÇÃO


o tratamento da disfunção, uma vez que os resultados
obtidos foram satisfatórios e não houve nenhum efeito A alopecia está entre as mais frequentes
indesejado para o indivíduo que se submeteu às queixas dermatológicas em indivíduos de 15 a 39
aplicações. Porém, propõe-se novas pesquisas práticas anos. Ela é caracterizada pela miniaturização do
específicas sobre o tema para obter maiores evidências fio, que é progressiva e transforma os fios em
científicas. velos que são finos, menos pigmentados e mais
curtos. Pode ser classificada como cicatricial ou
Palavras chaves: Alopecia; Fototerapia; Tratamento. não cicatricial, sendo a primeira quando não há
mais o crescimento do folículo devido ao dano no
Abstract bulbo e a segunda quando há preservação do
Introduction: Photobiomodulation has been widely bulbo. As alopecias são subdivididas
applied in the health area, mainly in the area of principalmente em alopecia areata, eflúvio
aesthetics, used in treatments of various dysfunctions telógeno, por agente químico e androgenética
among them female androgenetic alopecia, the hair (KEDE;SABATOVICH, 2004; MULINARI-
follicle when stimulated through phototherapy BRENNER; SEIDEL; HEPP, 2011).
promotes nutrition of this bulb and consequently had Em relação ao ciclo de vida do fio, o
the improvement in the alopecia. Objective: The estágio de crescimento do folículo piloso é
objective of this study is to verify the effect of laser dividido em três principais fases: a fase anágena,
and led in female androgenetic alopecia. (que se caracteriza pela proliferação dos fios), fase
Methodology: The study will include a female catágena (involução do fio) e fase telógena (fase
volunteer aged 57 years old, presenting with em que o fio se encontra em repouso). Este ciclo
androgenetic alopecia, diagnosed and evaluated está em constante renovação. A fase anágena, em
through capillary anamnesis, dermatoscope and um folículo saudável, dura de dois a sete anos, a
photography, soon after the phototherapy sessions was catágena duas semanas, e a telógena três meses.
performed, with the device brand of the MMO used Observa-se um crescimento do folículo de
once a week, with total of 10 sessions. The aproximadamente 0,4 mm por dia, porém existe
applications was held at Laboratory of Body uma diferença de crescimento dependendo da
Aesthetics of the Institution of Teaching Foundation região do couro cabeludo. Entretanto, na alopecia
Hermínio Ometto-FHO, . In light of the literature on androgenética (AAG) há uma rarefação destes
the benefits of Laser and LED and Minoxidil, this folículos (MULINARI-BRENNER; SEIDEL;
study associated the two techniques to potentiate the HEPP, 2011; MACHADO FILHO, 2011).
treatment. After observing the results and comparing Um dos hormônios que atua como um
them with previously published studies, it was estimulador da AAG é a testosterona, que está
concluded that the application of Laser and Led and mais presente no gênero masculino. Caracteriza-se
the application of Minoxidil home care in female como um andrógeno que gera a conversão da
androgenetic alopecia (AAG) in this case study was testosterona em di-hidrotestosterona (DHT),
efficient for the treatment of dysfunction, a since the substância que é responsável pela miniaturização
results obtained were satisfactory and there was no dos folículos pilosos. Quanto a contribuição
undesirable effect for the individual who underwent hereditária na AAG, ainda há poucos estudos,
the applications. However, it is proposed new specific porém acredita-se que a explicação mais aceita é a
practical research on the subject to obtain more teoria da herança poligênica (MULINARI-
scientific evidence. BRENNER; SEIDEL; HEPP, 2011).
A AAG pode acometer mulheres em
qualquer momento após a puberdade, porém sua
Key words: Alopecia; Phototherapy; Treatment. incidência maior acontece entre os 20 e 40 anos
como ilustra a Figura 1,segundo a classificação
de Savin.. Os androgénos determinam a

47

http://www.uniararas.br/revistacientifica
Revista Científica da FHO|UNIARARAS v. 5, n. 2/ 2017

transformação dos folículos terminais em folículos Outras medidas que podem melhorar o
miniaturizados (velus). Esse processo de quadro da AAG são a dieta balanceada (ingestão
miniaturização acontece, pois ocorrem ciclos adequada de proteínas e ferro) e o tratamento de
consecutivos da anagênese cada vez mais curtos e outras disfunções capilares que podem influenciar
o aumento da telogênese, isto significa que a na queda, como a dermatite seborreica. O controle
diminuição da cobertura capilar não se deve à do peso em pacientes obesas também influencia,
destruição de folículos e sim ao processo de pois reduz a transformação periférica dos
miniaturização (LOBO; MACHADO; SELORES, andrógenos, diminui a intolerância à glicose,
2008). aumenta SHBG e reduz testosterona livre,
Figura 1: Classificação de Savin melhorando o perfil hormonal da doença
(MULINARI-BRENNER; SEIDEL; HEPP,
2011).
A Finasterida® é um antiandrógeno
também utilizado para o tratamento da AAG, que
inibe a conversão da testosterona em di-
hidrotestosterona pela 5-alfa-redutase, o que
influencia na porção hormonal da AAG. Já o
Minoxidil® é um vasodilatador que atua
aumentando a vida dos ceratinócitos, ajudando
assim no agrupamento de glicinas e cisteínas no
folículo e aumentando os fios na zona de
ceratogênese nas papilas dérmicas. (WEIDE;
MILÃO, 2009; MACHADO FILHO, 2011).
Outro tratamento utilizado e bem discutido
na tricologia é a fototerapia, que é uma técnica
utilizada na estética para tratamentos corporais,
faciais e capilares. Com a evolução da tecnologia,
a partir da década de 80 foi possível compreender
como a luz interage com a matéria e também
estudar o mecanismo de ação realizado pela
radiação luminosa sobre as células (MANOEL;
PAOLILLO; BAGNATO, 2014; BUENO;
CRISTOFOLINII, 2014).
Fonte: O Laser deriva da expressão inglesa Light
http://www.surgicalcosmetic.org.br/detalhe- Amplification by Stimolated Emission of
artigo/160/Entendendo-a-alopecia-androgenetica Radiation. Seus feixes de luz incidem de forma
coerente e possui alta concentração de energia.
Quando a luz do Laser incide nas células provoca
A proposta dos tratamentos para AAG é três tipos de efeitos: fotoquímicos, devido à
aumentar a espessura dos fios e a cobertura do fotosensibilidade dos cromóforos; fototérmicas
couro cabeludo, além de retardar a queda dos fios devido ao calor emitido; e fotomecânicos (ondas
que acontece devido a sua fraqueza. Tratamentos de choque e pressão) (BAGNATO; PAOLILLO,
com medicamentos farmacológicos mostraram 2014; XAVIER, 2010).
bons resultados, entre eles podemos citar a Já o Led vem da expressão Light Emitter
Finasterida® (uso oral) e o Minoxidil® (uso Diode. É uma luz não coerente, mas seu espectro
tópico); porém, para garantir estes bons resultados eletromagnético é aproximado ao do laser. Os
é necessário o uso prolongado destes fármacos LEDs são diodos semicondutores que quando são
(MULINARI-BRENNER; SOARES, 2009). submetidos a uma corrente elétrica emitem luz.
48

http://www.uniararas.br/revistacientifica
Revista Científica da FHO|UNIARARAS v. 5, n. 2/ 2017

Possui comprimentos de onda de 405nm (azul) a As aplicações foram realizadas no


940nm (infravermelho). Os LEDs possuem um Laboratório de Estética Corporal da Fundação
papel diferente do tratamento ablativo, pois não Herminio Ometto – FHO. O protocolo iniciou-se
causam danos teciduais baseado na fototermólise com higienização e esfoliação do couro cabeludo;
(BAGNATO; PAOLILLO, 2014; MEYER, 2010). logo após ocorreu a aplicação do LED azul; Laser
A absorção das luzes acontece através dos vermelho e LED âmbar e Laser infravermelho.
cromóforos e, dependendo do comprimento Após a fototerapia, foi aplicado o tônico capilar
emitido, ocorrem variações no metabolismo com Minoxidil® a 5%, composto com extrato
celular e reações fotoquímicas que podem glicólico a 2% e loção200 ml, através da
estimular ou inibir alguns processos provocando massagem capilar para melhor absorção do tônico,
diversos efeitos fisiológicos terapêuticos como o finalizando assim o protocolo.
aumento do fluxo sanguíneo, tendo assim o Foram registradas imagens fotográficas na
aumento de oxigênio, nutrição tecidual, aceleração primeira e na última sessão, utilizando a câmera
no transporte de elétrons para as mitocôndrias e fotográfica Samsung A5 modelo 2016, de 13
uma amplificação na síntese de ATP; diminuição megapixels com resolução de 4128x3096 pixels
de enzimas que controlam a liberação de radicais full HD, para posterior reavaliação. Não foi
livres e normalização de PH (BUENO; utilizado o zoom e também o flash da máquina.
CRISTOFOLINII, 2014; MANOEL; PAOLILLO; A participante foi informada sobre o
BAGNATO, 2014). objetivo deste estudo e concordou em participar,
A proposta deste estudo foi investigar os assinando o termo de consentimento livre e
efeitos do Laser e do LED no tratamento de um esclarecido (TCLE).
caso de alopecia androgenética feminina.

MATERIAIS E MÉTODOS
Este estudo investigou uma voluntária do
gênero feminino com idade de 57 anos, com RESULTADOS E DISCUSSÃO
alopecia androgenética feminina, diagnosticada e Após o tratamento foi possível observar na
avaliada por meio da anamnese capilar e imagens comparação das imagens da Imagem 1 (antes do
fotográficas. Após anamnese iniciaram-se as tratamento) e da Imagem 2 (após o tratamento)
sessões de fototerapia. que houve o aumento do preenchimento capilar na
O aparelho utilizado nas sessões foi da área que recebeu a terapia.
marca da MMOptics®, apresentando como A paciente relatou melhora no aspecto
características técnicas Blue/ Red – LEDS azuis capilar, tanto em quantidade como qualidade dos
de alta potência com comprimento de onda 460nm fios e do couro cabeludo, isto é, melhora na
+/-10nm e meio ativo semicondutor: InGaN. Blue textura dos fios, aumento da espessura dos fios,
/ Red - LASER terapêutico vermelho: 100mW melhora na aparência das falhas causadas pela
com comprimento de onda: 660nm +/-10nm alopecia e melhora na qualidade do couro
(vermelho) e meio ativo semicondutor: InGaA1P. cabeludo, pois antes da terapia o couro cabeludo
Amber / IR - LED branco e LED UV com se encontrava com características oleosas e
comprimento de onda: 590nm +/-10nm e meio folículos obstruídos.
ativo semicondutor: InGaN. Amber / IR - LASER Comparando os dados da literatura,
terapêutico infravermelho: 100mW com analisando as imagens e o relato da voluntária,
comprimento de onda: 808nm +/-10nm pode- se notar uma atenuação evidente das regiões
(infravermelho) e meio ativo semicondutor: acometidas pela alopecia androgenética através da
GaA1As. Foi utilizado uma vez por semana, com associação de tratamentos: aplicação de Laser e
o total de 10 sessões. LED juntamente com utilização do Tônico capilar
aplicado home care.
49

http://www.uniararas.br/revistacientifica
Revista Científica da FHO|UNIARARAS v. 5, n. 2/ 2017

poligênica. O hormônio mais discutido e


envolvido é a testosterona, o andrógeno circulante
mais potente, apresenta concentrações altas em
homens na região da papila dérmica folicular,
assim a enzima 5-alfaredutase promove a
conversão da testosterona em di-hidrotestosterona
Imagem 1: Antes do tratamento. (DHT), promovendo o encurtamento da fase
anágena e o aumento da porcentagem de
telógenos, miniaturização dos folículos e
desenvolvimento da AAG. Sua afinidade por
receptores androgênicos é cinco vezes maior do
que a da testosterona. Esta enzima está presente
em maiores níveis e com atividade aumentada nos
folículos no couro cabeludo de indivíduos
acometidos e em níveis mais elevados nos
folículos frontais em comparação aos folículos
occipitais de mulheres e homens com AAG. Na
AAG feminina, existe uma complexidade muito
maior na etiopatogenia, pois nem sempre se
consegue uma resposta clara aos antiandrogênios
e as características clínicas da alopecia
androgenética masculina e feminina são diferentes
entre elas (VASCONCELOS et al., 2015).
Fonte: Arquivo pessoal da pesquisa, 2017. Os andrógenos na AAG feminina não são
tão autores relatam até em ter relação à
hiperandrogenemia em 40% dos casos. Na maioria
Imagem 2: Depois do tratamento. dos indivíduos femininos com alopecia não há
aumento nos níveis sanguíneos de andrógenos,
porém os receptores e os níveis de 5α-redutase
estão elevados na região frontal (menor que na
AAG masculina) e os níveis de enzimas do
citocromo P450, como a aromatase (responsável
pela conversão de testosterona em estrógenos)
estão mais aumentados na área occipital e linha
frontal feminina (mais do que na AAG masculina)
(MULINARI-BRENNER; SEIDEL; HEPP,
2011).
A alteração folicular em homens e
mulheres parece ser a mesma, independente da
etiologia, pois ocorre em ambos os casos a
miniaturização folicular. Apesar de que a
alteração histopatológica seja irreconhecível entre
os sexos, além da região de acometimento ser
diferente, há indícios de que mais fios sejam
Fonte: Arquivo pessoal da pesquisa, 2017.
miniaturizados em homens do que em mulheres
(MULINARI-BRENNER; SEIDEL; HEPP,
Na AAG a etiopatogenia é multifatorial,
2011).
apresenta predisposição genética de herança

50

http://www.uniararas.br/revistacientifica
Revista Científica da FHO|UNIARARAS v. 5, n. 2/ 2017

Estudos mostram que utilizar luzes na oleosidade e hidratação dos mesmos. Tais
faixa entre 655nm a 780 nm aumenta a procedimentos resultam na prevenção da queda de
vasodilatação na região capilar, reduz a cabelo e tratamento da alopecia (MANOEL;
inflamação local e aumenta a concentração de PAOLILLO; BAGNATO, 2014).
trifosfato de adenosina, o que resulta num Em relação ao tônico Minoxidil, um estudo
aumento da densidade capilar e um aumento na realizado por Machado Filho e Gama (2011)
relação das fases anágena/telógena e também considerou este como sendo um dos principais
aumento de espessura dos fios (KEDE; tratamentos eficazes para AAG, além da Finaste
SABATOVICH, 2009). rida, implante capilar, células tronco,
O uso da fototerapia pode ser muito eficaz fitoterápicos, carboxiterapia e plasma rico em
no tratamento da perda capilar, utilizando os plaquetasO Minoxidil é um modificador biológico
Lasers vermelho e infravermelho. Um estudo que age revertendo o processo de miniaturização
avaliou a eficácia do LED (630, 650 e 660 do pêlo na AAG ao normalizar o ciclo do folículo,
nanômetros) domiciliar na AAG, por 18 minutos prolongando a fase anágena ou de crescimento.
diários e observou-se que após 24 semanas de Seu agente ativo estimulante é o sulfato de
tratamento ocorreu aumento da densidade capilar Minoxidil, que estimula a vascularização do
e do diâmetro dos fios . Os comprimentos de couro cabeludo, permitindo uma melhor
onda entre 635 a 650 nanômetros modulam os oxigenação da região e estimulando a
processos inflamatórios e as respostas multiplicação das células da matriz (KARAM,
imunológicas que influencia no crescimento do 1993).
cabelo (KALIL; CAMPOS, 2016). Esta substância é derivada da
A terapia com luz nas alopecias capilares piperidinopirimidina que promove o aumento da
está bem fundamentada na literatura e a luz vida dos queratinócitos, através do agrupamento
vermelha é considerada responsável por estimular de cisteína e glicina no folículo e na papila
o bulbo capilar, aumentando o metabolismo dérmica (CAVALCANTI, 2015). A literatura
celular e a nutrição do bulbo e, relata que seu uso promove aumento do
consequentemente, fortalecendo os fios crescimento capilar dos pacientes (DEVINE;
(LANZAFAME et al., 2013; AVCI et al., 2014). FIFE; TRUST, 1977). Quando utilizada a
A luz azul atua ativando a queratina presente na formulação tópica a 5%, aumenta o tempo de
haste do fio, levando ao alinhamento das cutículas evolução da AAG e promove um crescimento leve
e ao aumento da hidratação (NIELSEN et al., de cabelos em 40% dos homens, porém em apenas
2008; PALIOLO; MENEZES, 2014). 4% dos indivíduos este crescimento varia de
As luzes vermelha e azul possuem ação moderado a intenso (SAVIN, 1987).
fungicida e bactericida, auxiliando no controle da O Minoxidil aumenta a fase anágena por
caspa e dermatite, alterações que interferem na meio de um mecanismo ainda desconhecido,
qualidade tecidual e seu equilíbrio favorece os levando a uma redução na queda capilar, porém
resultados dos tratamentos capilares. Já a luz não inibe o processo biológico. Se a terapia for
âmbar, aumenta espessura e adesão do fio de interrompida, entre quatro a seis semanas a queda
cabelo, evitando sua queda, pois estimula a se reinicia e dentro de seis meses o paciente
produção de colágeno e elastina (MANOEL; retorna ao estado inicial (OLSEN; WEINER,
PAOLILLO; BAGNATO, 2014). 1987).
A aplicação da luz vermelha e No entanto, os tratamentos farmacológicos
infravermelha auxilia na regeneração tecidual por que são utilizados atualmente são supressores e
meio do aumento da síntese de ATP e a liberação não curativos e apresentam sucesso variável
de óxido nítrico. Desta forma, a fototerapia ativa (MULINARI-BRENNER; SOARES, 2009).
as células do folículo pilossebáceo, induzindo o Uzel e Costa (2013) relataram que a AAG
processo de crescimento capilar, aumento do feminina é a principal causa de alopecia entre as
tônus e resistência dos fios, além de melhorar a mulheres e pode ser desencadeada por estresse ,
51

http://www.uniararas.br/revistacientifica
Revista Científica da FHO|UNIARARAS v. 5, n. 2/ 2017

gerando grande impacto negativo na qualidade de e no tratamento da AAG (DELOCHE, 2004). Sua
vida. O Minoxidil em solução tópica 2% ou 5%no ação com tretinoina tem elevado
tratamento é insatisfatória para os pacientes, pois significativamente a sua absorção pela pele,
ao cessar o tratamento ocorre a evolução da aumentando a absorção do ativo e proporcionando
patologia novamente. Neste estudo, os autores um melhor resultado. Apesar dos efeitos
utilizaram como terapia a infiltração intralesional indesejáveis como reações alérgicas, dermatite de
como uma alternativa de tratamento eficaz, que contato irritativa e efeitos cardiovasculares que
oferece resultados rápidos e aumenta a adesão ao podem ocorrer, o uso da solução tópica de
tratamento. O estudo de intervenção, paralelo, Minoxidil é o tratamento atualmente mais
randomizado, cego, contou com 58 pacientes do indicado para AAG em homens e mulheres
sexo feminino entre 18 e 65 anos diagnosticadas (RIVA; FERRARI, 2010).
com AAG feminina através de critérios clínicos,
dermatoscópicos e histopatológicos. Estes foram CONCLUSÃO
submetidos a sessões semanais de infiltração
intralesional com Minoxidil ou placebo, durante Os benefícios do Laser e LED e do
10 semanas. Um grupo recebeu aplicações de Minoxidil demonstraram que a associação destas
Minoxidil 0,5%/02ml e o outro recebeu aplicações terapias podem auxiliar no tratamento da
de placebo (soro fisiológico 0,9%/02ml). alopecia androgenética feminina, uma vez que os
Observaram que no grupo tratado o índice resultados obtidos foram satisfatórios e não houve
terminal/vellus aumentou em uma média de 2,6 nenhum efeito indesejado para o indivíduo que se
para 3,8 e o percentual de anágenos em uma submeteu às aplicações. Todavia, são necessárias
média de 69,9% para 78,5%. Já o percentual de novas investigações práticas da AAG para
telógenos decresceu de 21,1% para 16,1%, melhores esclarecimentos, a fim de proporcionar
enquanto que no grupo que recebeu placebo um tratamento seguro com maiores evidências
aumentou de 18,4% para 21,0%. Entre as científicas.
pacientes tratadas, 69,7% consideraram que houve
diminuição na queda capilar e 50% consideraram REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
que houve algum grau de melhora no volume,
enquanto no grupo placebo 25% consideraram que BAGNATO, V. S. (Org.); PAOLILLO, F. R.
houve piora no volume. Os autores concluíram Novos enfoques da fototerapia para
que a infiltração intralesional com Minoxidil a condicionamento físico e reabilitação. São
0,5% mostrou-se superior ao placebo no Carlos, SP, 2014.
tratamento da AAG feminina.
Inúmeros mecanismos moleculares de ação BUENO, J.; CRISTOFOLINII, G. M. A. F.;
do Minoxidil são relatados no crescimento capilar Ledterapia na faixa do vermelho ao
e e sugerem que este promove a abertura de infravermelho: uma nova abordagem sob a visão
canais de potássio por seu metabólito sulfatado, quântica para a saúde. Revista Saúde Quântica,
estimulação da proliferação dos queratinócitos, Maringá, v. 3, n. 3, p.102-110, jan- dez. 2014.
inibição da produção da síntese de colágeno,
estimulo do fator de crescimento endotelial DEVINE, B.L.; FIFE, R.; TRUST, P.M.
vascular (VEGF) e a síntese das prostaglandinas Minoxidil for severe hypertension after failure of
(WANG; LU; AU, 2006). other hypotensive drugs. Br Med J. v.2(6088),
O tratamento tópico com Minoxidil pode p.667-9, 1977.
aumentar significativamente a densidade do
cabelo, pelo aumento significativo capilar KALIL, C.; CAMPOS, V. B. Manual Prático do
(PEYTAVI et al., 2007). Por ser conhecido por Laser e Outras Fontes de Energia
sua propriedade vasodilatadora, o mesmo Eletromagnética na Dermatologia. ELSEVIER
apresenta efeito na melhora do crescimento capilar EDITORA, 2016, 208p.

52

http://www.uniararas.br/revistacientifica
Revista Científica da FHO|UNIARARAS v. 5, n. 2/ 2017

alopecia androgenética. UNINGÁ Review.


KEDE, M. P. V.; SABATOVICH, O. Maringá, v.4, n.2. p. 15-24, 2010.
Dermatologia Estética. São Paulo: Atheneu,
2004. SAVIN, R. C. Use of topical minoxidil in the
treatment of male pattern baldness. J Am Acad
KEDE, M. P. V.; SABATOVICH, O. Dermatol. v.16 (3 Pt 2), p.:696-704, 1987.
Dermatologia estética. 2. ed. São Paulo:
Atheneu, 2009. UZEL, B.P.C.; COSTA, I. M.C. Comparativo
randomizado cego para avaliar a eficácia e
LOBO, I.; MACHADO, S.; SELORES, M. A segurança da infiltração intralesional com
alopecia androgenética na consulta de minoxidil 0,5% versus placebo no tratamento
tricologia do Hospital Geral de Santo António da alopecia androgenetica feminina. 173f..
(cidade do Porto, Portugal) entre 2004 e 2006: Dissertação de Mestrado (Mestre em Ciências da
estudo descritivo com componente analítico. 5 Saúde pelo Programa de Pós-Graduação em
f. TCC (Graduação) - Curso de Dermatologia, Ciências da Saúde), Universidade de Brasília.
Anais Brasileiros de Dermatologia, Porto, 2008. 2013.
VASCONCELOS, R. C. F. et al. A aplicação do
MACHADO FILHO, C. B.; GAMA, R. Alopecia plasma rico em plaquetas no tratamento da
androgenética masculina: revisão e atualização alopecia androgenética. Surg Cosmet Dermatol,
em tratamento. 6f. TCC (Trabalho de Pós- v.7, n..2, p. 130-137, 2015.
Graduação de Medicina Estética) Universidade
Tuiuti do Paraná, 2011. WEIDE, A.C; MILÃO, C. A utilização da
Finasterida no Tratamento da Alopécia
MANOEL, C. A; PAOLILLO, F. R; BAGNATO, Androgenética, Revista da Graduação, Rio
V. S. Diagnóstico óptico e tratamento Grande do Sul, v. 2, n. 1, p. 1-8, 2009.
fotoestético de alopecia: estudo de caso,
Instituto de Física de São Carlos (IFSC), XAVIER, J. B. Estudo comparativo das
Universidade de São Paulo (USP) São Carlos, SP, respostas terapêuticas do laser diodo visível e
2014. do led no tratamento do fotoenvelhecimento
induzido em camundongos. 87 f. Dissertação
MEYER, P. F. et al. Avaliação dos efeitos do (Mestrado) - Curso de Ciências da Reabilitação,
LED na cicatrização de feridas cutâneas em ratos Centro Universitário de Caratinga, Caratinga,
Wistar. Fisioterapia Brasil, Natal, v. 6, n. 11, 2010.
p.428-432, nov. 2010.

MULINARI-BRENNER, F; SEIDEL, G; HEPP,


T. Entendendo a alopecia androgenética, Surg
Cosmet Dermatol, Curitiba, v. 3, n. 4, p. 329 –
337, 2011.

MULINARI-BRENNER, F; SOARES, I. F.
Alopecia androgenética masculina: uma
atualização. Rev. Ciênc. Méd., Campinas, v.18,
n.3, p.153-161, maio/jun., 2009.

RIVA, D. D.; FERRARI, G. F. O uso do


minoxidil associado à tretinoína no tratamento da

53

http://www.uniararas.br/revistacientifica