Você está na página 1de 3

The text that follows is a REPRINT

O texto que segue é um REPRINT.

Please cite as:


Favor citar como:

Fearnside, P.M. 2014. As barragens e


as inundações no rio Madeira.
Ciência Hoje 53(314): 56-57.

ISSN 0101-8515

Copyright: Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC)

The original publication is available from:


A publicação original está disponível de:

http://cienciahoje.uol.com.br/revista-ch/
opinião

As barragens e as
inundações no rio Madeira
Philip M. Fearnside
Instituto Nacional
de Pesquisas da Amazônia
A inundação ocorrida recente­-
mente no leito do rio Madeira
foi provocada por um evento me­
aquecimento glo­bal, a previsão é que
inevitavelmente tenhamos um nú-
mero cada vez maior de eventos cli-
teoro­lógi­c o extremo, com uma va­- máticos extre­mos pelo mundo afora.
zão que se estimava que acontecesse Alguns dos impactos da inunda­
apenas uma vez a cada 100 anos. ção do rio Madeira foram agravados
Nos últi­mos tempos, aliás, eventos pelas usinas hidrelétricas instaladas
climáticos extremos, dos mais va­ ao longo de seu curso, embora, é evi­
riados tipos, têm ocorrido em dife- dente, essas barragens não possam
rentes partes do mundo, sugerindo ser responsabilizadas sozinhas por
indícios eviden­t es de mudanças todos os estragos.
climáticas – embora não se possa No caso da usina hidrelétrica de
demonstrar que qualquer evento es- Santo Antônio, é provável que ela
pecífico seja uma decorrência de tais tenha agravado a erosão da orla de
mudanças. Com o agravamento do Porto Velho, cujo centro está a apenas

As enchentes do rio Madeira


foto Odair Leal /REUTERS

praticamente cobriram a estrada


BR 364 em Rondônia, próximo
à fronteira com a Bolívia,
em fevereiro deste ano

56 | ciÊnciahoje | 314 | vol. 53


O rio Madeira tem uma das maiores cargas de sedimentos do mundo,
e o ‘reservatório’ oficial de Jirau termina exatamente
na divisa do Brasil com a Bolívia, fornecendo, assim,
todos os elementos necessários para um impacto internacional

7 km abaixo da barragem. A canali- Porta-vozes da empresa alega­- Impacto internacional No caso


zação da água pelo vertedouro alterou ram que tudo não passava de um fe­ da usina de Jirau, situada a cerca de
a correnteza a jusante da barragem, nômeno natural de “terras caídas”. 120 km de Porto Velho, poderia ha­-
lançando mais água contra as áreas Mas, levando-se em conta a coin­ ver uma contribuição à atual inun­
da cidade que ficam próximas do rio. cidência do fenômeno com a im­ dação na Bolívia no trecho do rio
Isso se evidenciou na estação chu- plantação da barragem, muito possi- Madeira acima do distrito de Abunã,
vosa de 2011-2012, a primeira após velmente essas alegações não devem em Rondônia. As afirmações de que
o fechamento da barragem, quando ter convencido muita gente além dos a barragem de Jirau não teria qual­-
a capital de Rondônia foi surpreen- próprios funcionários da empresa. quer efeito sobre as inundações no
dida por uma erosão súbita. Cerca A força dessa água na supe­re­n­ país vizinho, repetidas diversas ve­-
de 300 casas localizadas à beira do chente que castigou a região em 2014 zes pelos proponentes das barragens
rio foram destruídas ou ficaram con- seria aumentada por concen­trar no Estudo e no Relatório de Impacto
denadas, e até o monumento finca­- justa­mente na queda da barragem Ambiental (EIA/Rima), e em docu-
do no local pelo Marechal Rondon toda a força da vazão recorde. O re- mentos elaborados posteriormen­-
um século atrás foi por água abaixo. servatório de Santo Antônio, com te, foram contestadas em detalhe
117 km de comprimento, inunda não por mim em trabalho publicado em
só a cachoeira de Santo Antônio, 2013 na revista Water Alternatives
mas também a cachoeira maior, de (uma versão desse texto em portu­-
Teotônio, e várias outras, menores, guês está disponível no endereço
no percurso do Madeira. http://philip.inpa.gov.br).
No rio natural, a energia cinética O problema é que os sedimentos
da queda da água era liberada aos mais grossos, como areia, tendem a
poucos, ao longo de todo o trajeto. migrar para o fundo do reservatório
Mas, com a barragem, ela se con- logo no seu início, onde a água entra
centra em uma única queda, de no lago rio acima. Os sedimentos
grande dimensão, logo acima de acumulados funcionam como uma
Porto Velho. Portanto, a velocidade espécie de segunda barragem, re-
da água e o seu poder erosivo são presando a água no trecho do rio
maiores justamente ali. que está acima do que é oficialmen-
A inundação de vários trechos te considerado ‘reservatório’. Isso
da rodovia BR-364 que beiram os forma o chamado ‘remanso supe­-
lagos formados pelas usinas de San- rior’, onde o nível da água é mais
to Antônio e Jirau também deve ter alto do que no rio natural.
sido agravada por causa das barra- Por ocasião de uma enchente,
gens. A cheia recorde teria causado como a que acaba de acontecer, isso
enchente também recorde mesmo se traduz em mais inundação e es-
na ausência das barragens. Mas, com tragos, inclusive em uma área pro-
elas, a cheia é ainda maior na mar- tegida na margem boliviana desse
gem dos reservatórios, uma vez que trecho. O rio Madeira tem uma das
o aumento tem início a partir de um maiores cargas de sedimentos do
nível mais alto. Se os níveis dos re- mundo, e o ‘reservatório’ oficial de
servatórios tivessem sido rebaixados Jirau termina exatamente na divisa
ao máximo para aproximar o rio de do Brasil com a Bolívia, fornecendo,
seu leito natural, a inundação lateral assim, todos os elementos necessários
teria sido menor. para um impacto internacional.

ciÊnciahoje | 314 | maio 2014 | 57