Você está na página 1de 6

“Obstáculos e dificuldades fazem parte da vida. E a vida é a arte de superá-los.

"
Bom trabalho e Sucesso!
AVALIAÇÃO FINAL DE LÍNGUA PORTUGUESA – III TRIMESTRE DE 2011
ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL CORONEL CHANANECO
PROFESSORA CLEANA EROTILDE CORREA BRUM
Aluno:________________________ ______________________________________________
Data:______________ 5º ano/ Valor: 23 Nº acertos:_______Nota final:_________

Realize esse trabalho com caneta azul ou preta. Evite rasuras! SUCESSO!!!
TEXTO I
“O SAPO E A COBRA” – LENDA AFRICANA

Era uma vez um sapinho que encontrou um


bicho comprido, fino, brilhante e colorido deitado no
caminho.
- Alô! O que você está fazendo estirada na estrada?
- Estou me esquentando aqui no sol. Sou uma cobrinha e você?
- Um sapo. Vamos brincar?
E eles brincaram a manhã toda no mato.
- Vou ensinar você a subir na árvore se enroscando
e deslizando sobre o tronco - disse a cobra..
E eles subiram.
Ficaram com fome e foram embora, cada um para a
sua casa, prometendo se encontrar no dia seguinte.
- Obrigada por me ensinar a pular.
- Obrigado por me ensinar a subir na árvore.
Em casa o sapinho mostrou para a sua mãe que
sabia rastejar.
- Quem ensinou isso a você?
- A cobra minha amiga.
- Você não sabe que a família da Cobra não é gente boa? Eles têm veneno. Você está
proibido de brincar com cobras. E também de rastejar por aí. Não fica bem.
Em casa a cobrinha mostrou a mãe que sabia pular.
- Quem ensinou isso a você?
- O sapo meu amigo.
- Que besteira! Você não sabe que a gente nunca se deu com a família do Sapo? Da
próxima vez, agarre o sapo e… bom apetite! E para de pular. Nós, cobras, não fazemos isso.
No dia seguinte cada um ficou no seu canto.
- Acho que não posso rastejar com você hoje – pensou o sapo.
A cobrinha olhou, lembrou do conselho da mãe e pensou: “Se chegar perto, eu pulo e
devoro ele”.
Mas lembrou-se da alegria da véspera e dos pulos que aprendeu com o sapinho. Suspi-
rou e deslizou para o mato.
Daquele dia em diante, o sapinho e a cobrinha não brincaram mais juntos. Mas ficaram
sempre no sol, pensando no único dia em que foram amigos…
(William J. Bennett. O livro das virtudes. Nova Fronteira).

 Assinale a resposta adequada ao que se propõe:


01. O texto I é uma lenda. Ela explica por que sapos e cobras não são amigos. Então por que
eles não são amigos?
A( ) Porque as cobras costumam-se alimentar de sapos.
B( ) Porque as cobras não sabem pular.
C( ) Porque os sapos pulam.
Professora Cleana Erotilde Corrêa Brum – PORTUGUÊS – São Sepé -2011 Página 1
D( ) Porque os sapos não conseguem se enroscar. E( ) NRC.

02. É possível concluir que, até o momento em que se encontraram na estrada, a cobrinha não
conhecia um sapo porque...
A( ) A mãe da cobrinha detestava sapos.
B( ) Os sapos são inimigos naturais das cobras.
C( ) Ela se apresentou ao sapo e perguntou quem é ele.
D( ) O sapo estava se aquecendo na estrada. E( ) NRC.

03. O texto possui um narrador:


A( ) observador. B( ) personagem. C( ) NRC.

04. Qual das frases abaixo pode justificar a resposta que você escolheu no nº 03:
A( ) Ficaram com fome e foram embora, cada um para sua casa, [...]
B( ) – Um sapo. Vamos brincar? D( ) [...] eu pulo e devoro ele.
C( ) – O sapo meu amigo. E( ) NRC.

05. As mães da lenda foram:


A( ) amigas. C( ) generosas. E( ) NRC.
B( ) preconceituosas. D( ) sábias.

06. Leia: A cobrinha olhou, lembrou do conselho da mãe e pensou: “Se chegar perto, eu pulo e
devoro ele”. Por que a cobrinha não devorou o sapinho?
A( ) Porque estava de dieta alimentar.
B( ) Porque o sapinho não quis brincar com ela.
C( ) Porque deslizou para o mato.
D( ) Porque ficou pensando no único dia em que foram amigos…
E( ) NRC.

07. São características da cobrinha...


A( ) venenosa, comprida, colorida, grossa. D( ) colorida, brilhante, comprida e fina.
B( ) fina, brilhante, venenosa, escura. E( ) NRC.
C( ) brilhante, grossa, rastejante, colorida.

08. A história se passa:


A( ) na calçada da praça. D( ) no mato.
B( ) em frente à escola. E( ) NRC.
C( ) numa rua deserta.

09. Esta lenda do folclore africano faz-nos refletir sobre:


A( ) que criaturas diferentes não podem ser amigas e conviver.
B( ) como o mundo seria melhor sem os preconceitos que afastam as pessoas.
C( ) que as cobras são perigosas.
D( ) que a família da Cobra não é gente boa.
E( ) NRC.

10. Leia: - Obrigada por me ensinar [...] Essa frase foi dita:
A( ) pelo sapinho. D( ) pela cobrinha.
B( ) pela mãe da cobrinha. E( ) NRC.
C( ) pela mãe do sapinho.

11. A alternativa em que todas as palavras têm dígrafo:


A( ) cobrinha, sapinho, isso, posso. B( ) cobra, perto, bicho, casa.

Professora Cleana Erotilde Corrêa Brum – PORTUGUÊS – São Sepé -2011 Página 2
C( ) caminho, sapinho, veneno, mãe. E( ) NRC.
D( ) amigos, isso, agarre, cobrinha.

Texto II

Querida Sofia!
Li sua carta com grande ___________, mas também com algu-
ma preocupação. Isto porque sinto decepcioná-la quanto ao seu convi- O Mundo de Sofia
te para uma _________, um café, etc. Um dia nós ainda vamos nos Sofia, adolescente de
encontrar, mas por um tempo ainda não vou poder aparecer na “curva 14 anos, mora numa
casa distante da esco-
do capitão”1. la, perto de uma curva
Devo ____________, também, que de agora em diante não conhecia como “curva
1
vou mais entregar minhas cartas pessoalmente. Com o passar do do capitão” . No gran-
tempo isto ficou arriscado. As ___________ cartas serão entregues de jardim da casa, há
pelo meu mensageiro. Em______________, elas serão entregues di- uma caverna que So-
fia transformou em seu
retamente no seu esconderijo do jardim. lugar secreto, espécie
Caso haja necessidade, pode entrar em contato comigo. Você de esconderijo. É para
só _________ colocar sua carta num envelope cor-de-rosa, junto com lá que vai quando está
um ___________ de doce ou um torrão de açúcar. muito triste, muito
P.S. Não acho nada agradável ter de recusar o convite de uma alegre, muito brava.
Ou muito confusa,
dama. Mas às vezes não há outra saída. como naquele dia em
P.P.S. Caso você encontre uma _______ vermelha, peço-lhe que começaram a
que a guarde com cuidado. Às vezes acontece de a gente trocar obje- chegar para ela cartas
tos. Principalmente na escola ou em lugares parecidos. E isto aqui é de um remetente mis-
uma escola de filosofia. terioso. Nessas cartas,
o remetente fazia mui-
Um grande abraço. tas perguntas e, em
seguida, enviava a
Alberto Knox Sofia um verdadeiro
curso de filosofia. Leia
a) Assinale a alternativa que adequada ao que se propõe: uma das cartas, em
que o remetente res-
12. A alternativa onde todas as palavras, para preencher as lacunas do ponde a um convite de
texto, estão escritas corretamente. Sofia.
A ( ) Interece / visita / acrescentar / proximas / compensassão /
preçisa / pedaçinho / exarpe.
B ( ) Interese / vizita / acressentar / próchimas / compensação / presisa / Pedacinho /
echarpe
C ( ) Interesse / visita / acrescentar / próximas / compensação / precisa / pedacinho /
echarpe.
D ( ) Interesce / visita / acrecentar / procimas / compensação / presiza / pedasinho / echarpe.
E ( ) NRC.

13. Na carta predomina um pedido de desculpas. O remetente lamenta não poder aceitar o
convite da menina e desculpa-se por isso. Essa afirmativa é comprovada pela passagem...
A ( ) Caso haja necessidade, pode entrar em contato comigo.
B ( ) Com o passar do tempo isso ficou arriscado.
C ( ) Elas serão entregues diretamente no seu esconderijo do jardim
D ( ) ...sinto decepcioná-la quanto ao seu convite.
E ( ) NRC.

14. A leitura da segunda linha permite concluir que o remetente está respondendo a uma carta
que recebeu de Sofia. O assunto principal da carta dessa carta era...
A ( ) a escola de filosofia. B ( ) o esconderijo do jardim.
C ( ) um convite para visitá-la e tomar um café D ( ) a troca de objetos E ( ) NRC.
Professora Cleana Erotilde Corrêa Brum – PORTUGUÊS – São Sepé -2011 Página 3
15. O segundo parágrafo do texto, mostra...
A ( ) a necessidade de Sofia de encontrar o amigo.
B ( ) a preocupação do destinatário em não se identificar.
C ( ) como é uma escola de filosofia.
D ( ) a rua em que mora Sofia.
E ( ) NRC.

16. O fato de o remetente saber que Sofia tem um esconderijo permite afirmar que ele...
A ( ) não sabe onde é o Correio. D ( ) não sabe onde Sofia mora.
B ( ) conhece bem os hábitos de Sofia. E ( ) NRC.
C ( ) gosta de escrever cartas.

17. O remetente não queria fornecer seu endereço nem ser descoberto. A passagem do texto
que justifica essa afirmação é:
A ( ) Caso você encontre uma echarpe vermelha, peço-lhe que a guarde com cuidado.
B ( ) Às vezes acontece de a gente trocar objetos.
C ( ) Li sua carta com grande interesse.
D ( ) As próximas cartas serão entregues pelo meu mensageiro.
E ( ) NRC.

18. P.S. é a abreviatura da expressão latina post scriptum (pós-escrito) e é um recurso


que serve para acrescentar alguma informação que o emissor esqueceu de colocar no corpo
da carta. O P.S. reforça um sentimento já expresso pelo remetente. No penúltimo parágrafo, o
remetente usa esse recurso para...
A ( ) dizer onde vai colocar a correspondência para Sofia.
B ( ) reforçar o pedido de desculpas por não aceitar o convite da menina.
C ( ) aceitar o convite de Sofia.
D ( ) apresentar o mensageiro.
E ( ) NRC.

19. Toda carta deve ter um remetente e um destinatário. Identifique-os na carta lida.

Destinatário _________________________ Remetente_______________________________

20. Está incorreta a classificação da sílaba tônica em:


A( ) você – oxítona D( ) nós – oxítona.
B( ) apetite – paroxítona. E( ) NRC.
C( ) único – proparoxítona.

21. O numeral destacado na tira classifica-se como:

A( ) cardinal.
B( ) fracionário.
C( ) multiplicativo.
D( ) ordinal.
E( ) NRC

Professora Cleana Erotilde Corrêa Brum – PORTUGUÊS – São Sepé -2011 Página 4
 Subscreva o envelope da carta que SOFIA AMUNDSEN recebeu. O endereço dela
é Rua Curva do Capitão, nº 03, Berlim, Alemanha. CEP 97 000 000. O remetente
você pode ver no texto, e o endereço dele é: Rua Hamra, nº 33, Beirute, Líbano,
CEP 79.000.010

22/23/

24/25

Muito obrigada!
Boas férias e Bom Natal, Próspero Ano Novo muito próspero... todo novo pra ti!
Beijo no coração.

Professora Cleana Erotilde Corrêa Brum – PORTUGUÊS – São Sepé -2011 Página 5