Você está na página 1de 37

Professor André L. N.

Campos

Introdução à Gestão de Projetos


gestão de
projetos
André L. N. Campos
Mestre em Sistemas de Informação pela UFRJ
Especialista em Gestão Industrial pela UFRJ
Especialista em Gestão Estratégica de TI pela UFRJ
Especialista em Segurança da Informação pela UNESA
ITIL Foundation Certificado
Auditor Líder Certificado DNV
1
Security Officer Certificado Módulo Security
Professor André L. N. Campos

O que é um
projeto?

2
Professor André L. N. Campos

“Um projeto é um esforço empreendido para


criar um produto, serviço ou resultado
exclusivo. A sua natureza temporária indica
um início e um término definidos. O término é
alcançado quando os objetivos tiverem sido
atingidos, ou quando se concluir que esses
objetivos não serão ou não poderão ser
atingidos e o projeto for encerrado, ou quando o
mesmo não for mais necessário” (Guia PMBOK,
4ª Edição).

3
Professor André L. N. Campos

Destacando alguns aspectos

4
Professor André L. N. Campos

O fato de ser temporário não indica que


deva ser de curta duração. Temporário
significa que tem prazo para terminar,
mesmo que seja de anos.

5
Professor André L. N. Campos

Um projeto sempre tem um resultado


exclusivo. Mesmo que o projeto seja
similar a outros anteriores, ele é
executado em contextos diferentes,
por pessoas diferentes, por
processos diferentes, e
consequentemente, com resultados
diferentes.

Se o objetivo é repetir resultados,


então é uma operação e não um
projeto.

6
Professor André L. N. Campos

Alguns exemplos

7
Professor André L. N. Campos

O que não é
um projeto?

8
Professor André L. N. Campos

“As operações são uma função organizacional


que realiza a execução contínua de atividades
que produzem o mesmo produto ou fornecem
um serviço repetitivo. Diferente da natureza
contínua das operações, os projetos são
esforços temporários.” (Guia PMBOK, 4ª
Edição).

9
Professor André L. N. Campos

Alguns exemplos

10
Professor André L. N. Campos

Principais diferenças

As operações são contínuas e os


projetos são temporários.

As operações geram o mesmo produto,


e os projetos geram produtos
exclusivos.

As operações mantém o que existe, e


os projetos agregam algo novo ao que
já existe, como por exemplo, produtos,
serviços, e processos.

11
Professor André L. N. Campos

Gerenciando
projetos

12
Professor André L. N. Campos

“O gerenciamento de projetos é a aplicação de


conhecimentos, habilidades, ferramentas e
técnicas às atividades de projeto a fim de
cumprir seus requisitos. Esta aplicação requer o
gerenciamento eficaz de processos apropriados.
Um processo é um conjunto de ações e
atividades inter-relacionadas, que são
executadas para alcançar um produto, resultado
ou serviço predefinido.” (Guia PMBOK, 4ª
Edição).

13
Professor André L. N. Campos

Fases de um projeto

14
Professor André L. N. Campos

Áreas de conhecimento

15
Professor André L. N. Campos

Conflito de escolha

Aumentar a Aumentar o
qualidade reduz o escopo, aumenta
escopo ou o custo ou reduz
aumenta o custo. qualidade.

Diminuir o custo
reduz qualidade
ou escopo.

16
Professor André L. N. Campos

Elementos essenciais de um projeto

Apesar de haver diversos artefatos e definições


ligadas a um projeto, esses elementos são os
fundamentais, e sem os quais, não é possível
classificar como projeto.
17
Professor André L. N. Campos

Termo de abertura

“Desenvolver o termo de abertura


do projeto é o processo de
desenvolvimento de um
documento que formalmente
autoriza um projeto ou uma fase e
a documentação dos requisitos
iniciais que satisfaçam as
necessidades e expectativas das
partes interessadas.” (Guia
PMBOK, 4ª Edição).

18
Professor André L. N. Campos

Partes interessadas

“Identificar as partes interessadas é


o processo de identificação de
todas as pessoas ou organizações
que podem ser afetadas pelo
projeto e de documentação das
informações relevantes
relacionadas aos seus interesses,
envolvimento e impacto no sucesso
do projeto.” (Guia PMBOK, 4ª
Edição).

19
Professor André L. N. Campos

Patrocinador

“A pessoa ou grupo que fornece


os recursos financeiros, em
dinheiro ou em espécie, para o
projeto. Quando um projeto é
concebido pela primeira vez, o
patrocinador o defende. Nas
questões que estão além do
controle do gerente do projeto, o
patrocinador pode encaminhá-
las para níveis hierárquicos
superiores.” (Guia PMBOK, 4ª
Edição).
20
Professor André L. N. Campos

Escopo

“Definir o escopo é o
processo de
desenvolvimento de uma
descrição detalhada do
projeto e do produto.”
(Guia PMBOK, 4ª Edição).

O escopo é mais bem


definido quando são
criadas a estrutura
analítica e as atividades
do projeto.

21
Professor André L. N. Campos

Escopo – Estrutura analítica

“Criar a estrutura
analítica do projeto
(EAP) é o processo
de subdivisão das
entregas e do trabalho
do projeto em
componentes
menores e de
gerenciamento mais
fácil (Guia PMBOK, 4ª
Edição).

22
Professor André L. N. Campos

Escopo – Exemplo de um EAP

23
Professor André L. N. Campos

Escopo – Atividades

“Definir atividades é o processo de identificação


das ações específicas a serem realizadas para
produzir as entregas do projeto (Guia PMBOK,
4ª Edição).

24
Professor André L. N. Campos

Escopo – Exemplo de atividades

25
Professor André L. N. Campos

Tempo

“O gerenciamento do tempo do projeto inclui os


processos necessários para gerenciar o término
pontual do projeto (Guia PMBOK, 4ª Edição).

26
Professor André L. N. Campos

Custo

“O gerenciamento dos custos


do projeto inclui os processos
envolvidos em estimativas,
orçamentos e controle dos
custos, de modo que o projeto
possa ser terminado dentro do
orçamento aprovado (Guia
PMBOK, 4ª Edição).

27
Professor André L. N. Campos

Gerente do projeto

“O gerente do projeto é designado


pela organização executora para
atingir os objetivos do projeto. Este é
um papel conspícuo com grandes
desafios, de grande responsabilidade
e com prioridades mutáveis. Requer
flexibilidade, bom senso, liderança
forte e habilidades de negociação,
além de um conhecimento sólido das
práticas de gerenciamento de projetos
(Guia PMBOK, 4ª Edição).

28
Professor André L. N. Campos

Gerente do projeto

“O gerente do projeto é, minimamente, responsável por:


1. Desenvolvimento do plano de gerenciamento do
projeto e todos os planos componentes relacionados;
2. Manter o projeto na direção correta em relação ao
cronograma e orçamento;
3. Identificação, monitoramento e resposta aos riscos e;
4. Fornecimento de relatórios precisos e oportunos das
métricas dos projetos”.

(Guia PMBOK, 4ª Edição).


29
Professor André L. N. Campos

Esforço e custo ao longo do projeto

30
Professor André L. N. Campos

Influência e custo de mudança ao longo do projeto

31
Professor André L. N. Campos

Programa e
Portfolio

32
Professor André L. N. Campos

Programa

“Um programa é definido como um grupo


de projetos relacionados, gerenciados de
modo coordenado para a obtenção de
benefícios e controle que não estariam
disponíveis se eles fossem gerenciados
individualmente.” (Guia PMBOK, 4ª
Edição).

33
Professor André L. N. Campos

Exemplo de programa

34
Professor André L. N. Campos

Portfólio

“Um portfólio refere-se a um conjunto


de projetos ou programas e outros
trabalhos, agrupados para facilitar o
gerenciamento eficaz desse trabalho
a fim de atingir os objetivos
estratégicos de negócios. Os projetos
ou programas do portfólio podem não
ser necessariamente
interdependentes ou relacionados.”
(Guia PMBOK, 4ª Edição).

35
Professor André L. N. Campos

Exemplo de portfólio

Um portfólio pode
conter, inclusive,
programas

36
Professor André L. N. Campos

Introdução à Gestão de Projetos


gestão de
projetos
André L. N. Campos
Mestre em Sistemas de Informação pela UFRJ
Especialista em Gestão Industrial pela UFRJ
Especialista em Gestão Estratégica de TI pela UFRJ

Obrigado.
Especialista em Segurança da Informação pela UNESA
ITIL Foundation Certificado
Auditor Líder Certificado DNV
Security Officer Certificado Módulo 37Security