Você está na página 1de 20

Números naturais

O conjunto dos números naturais é formado por todos os números que são simultaneamente
inteiros e positivos e também pelo zero.



O conjunto dos números naturais é formado por todos os números inteiros não
negativos. Em outras palavras, todo número que é inteiro e positivo é natural, além
disso, como o zero é inteiro, mas não é negativo, ele também é um número natural.
Assim, a lista dos números naturais é a seguinte:
0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, …

E assim por diante, seguindo esse mesmo padrão de formação.

Note que essa sequência numérica é a que usamos para contar. Cada um desses
símbolos representa uma quantidade, portanto, partindo do nada, uma unidade, duas
unidades etc. Uma outra maneira de representar esse conjunto é usando a notação
específica para conjuntos, na qual as reticências significam que a sequência continua
nessa mesma ordem e padrão de formação:
N = {0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, …}

Nessa notação, N é o símbolo que representa o conjunto dos números naturais.


A ideia de sucessor
O conjunto dos números naturais é formado apenas por números inteiros e não contém
números repetidos, por isso, é possível escolher, entre dois números naturais distintos,
aquele que é maior e aquele que é menor. Quando um número natural x é maior do que
um número natural y em uma unidade, dizemos que x é sucessor de y. Assim:
x é sucessor de y se x + 1 = y

Se olharmos na lista dos números naturais, colocada em ordem crescente,


o sucessor de um número natural n é sempre o próximo número à sua direita. Logo:
O sucessor de 7 = 8

O sucessor de 20 = 21

etc.

Perceba também que todo número natural possui sucessor, assim, o sucessor do zero é
1, o sucessor de 1 é 2 …
Essa característica garante que, independentemente do número natural escolhido, e por
maior que ele seja, sempre existirá um número natural uma unidade maior que ele.
Portanto, o conjunto dos números naturais é infinito.
Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
A ideia de antecessor
Quando um número natural x é menor que um número natural y em uma unidade,
dizemos que x é o antecessor de y. Assim:
x é antecessor de y se x – 1 = y

Olhando a lista de números naturais em ordem crescente, verificamos que


o antecessor de um número natural n é o número à sua esquerda. Logo:
O antecessor de 7 = 6

O antecessor de 20 = 19

etc.

Nem todo número natural possui antecessor. Na realidade, apenas o zero não possui,
pois ele é o primeiro número natural e também porque 0 – 1 = – 1, que não é um número
natural. Assim sendo, concluímos que o conjunto dos números naturais é limitado.
Sim, é possível que um conjunto seja limitado e infinito ao mesmo tempo. O conjunto
dos números naturais é limitado inferiormente pelo zero, mas ilimitado superiormente e,
por isso, é infinito.
Subconjuntos dos números naturais
O conjunto dos números naturais possui alguns subconjuntos muito conhecidos:
1 – Conjunto dos números primos (P): é formado por todos os números que são
divisíveis apenas por 1 e por si mesmo.
P = {2, 3, 5, 7, 11, 13, …}

2 – Conjunto dos números compostos (C): é formado por todos os números que não são
primos.
C = {4, 6, 8, 10, 12, 14, 15, 16, …}

3 – Conjunto dos quadrados perfeitos (Q): é formado por todos os números que são
resultados de uma potência em que o expoente é 2.
Q = (1, 4, 9, 16, 25, 36, …)

Número é associado a quantidade, numeral é sua representação gráfica


(palavra ou símbolo); e algarismo é um símbolo de numeração decimal. Por
exemplo, o número quinze é representado pelo numeral 15 e formado pelos
algarismos 1 e 5.

Quando você quer visitar um amigo, você procura pelo número ou pelo numeral
do prédio dele? Sua senha do e-mail contém quatro números ou quatro
algarismos? Você realmente sabe a diferença entre número, numeral e algarismo
na Língua Portuguesa?

Essas noções são muito importantes para a qualidade dos seus conteúdos. Afinal,
adequação gramatical é sempre um critério de avaliação, e todo
bom redator precisa se garantir nesse quesito!

Para te ajudar a tirar suas dúvidas, vamos passar por cada um desses conceitos
neste artigo.
O que é um número?
Um número, por definição, é uma expressão de quantidade. Nós pensamos em
números sempre que contamos ou medimos alguma coisa, por exemplo:

 quantos dias faltam para o nosso aniversário;


 em que posição estamos em um ranking;
 qual a nossa altura;
 etc.

Os números não são tratados nem como classificação gramatical e nem como
símbolos, mas sim a própria noção de unidades!

Nesse sentido, o número vinte e três pode representar a sua idade, a quantidade
de blog posts que você já produziu para um cliente ou o número de páginas em
um ebook.

Se você quer saber como classificar gramaticalmente o número vinte e três, você
está pensando no conceito de numeral.
O que é um numeral?
O numeral é a classe gramatical que nos dá a representação de um número, de
uma quantidade. Essa representação pode ser escrita ou falada. Os numerais são
divididos em 5 tipos conforme sua função:
1. Cardinais
São a forma mais básica de representação que nós conhecemos, utilizados para
indicar quantidades simples. Os numerais cardinais flexionam em gênero
(masculino e feminino) e em número (singular e plural).

 Exemplo: um, duas, dez, quatrocentas, mil, bilhões.


Temos quarenta e dois funcionários na empresa, dos quais vinte e duas são mulheres.

2. Ordinais
Os numerais ordinais representam alguma forma de ordem, hierarquia ou
sequência. Eles flexionam em gênero e em número.

 Exemplo: primeiro, terceiros, quinquagésima sexta.


Sejam bem-vindos à quadragésima terceira edição dos Jogos Empresariais!

Eles foram os primeiros a chegar na festa, e os últimos a sair.

3. Multiplicativos
Como o próprio nome diz, esses numerais são os que indicam multiplicação de
unidades, e em geral são inflexíveis em gênero ou número.

 Exemplo: dobro/duplo, triplo, quádruplo.


Pedimos uma pizza com recheio duplo na borda.
Os numerais multiplicativos sofrem flexão quando utilizados em função de
adjetivos. Veja no exemplo, em que ocorre flexão de gênero e número
simultaneamente:
O bar oferecia bebidas em doses triplas para quem chegasse antes das 23h.
Nesse exemplo, o numeral dá uma qualidade às doses, elas são triplas.
4. Coletivos
Os numerais coletivos são utilizados para expressar conjuntos de unidades. Eles
flexionam em número, nunca em gênero, e costumam vir acompanhados de
numerais cardinais indicando sua quantidade.

Exemplo: dezenas (vários conjuntos de dez unidades), centena (um conjunto de


cem unidades), dúzia (um conjunto de doze unidades), séculos (vários conjuntos
de cem unidades de anos), milênio (um conjunto mil unidades de anos).
Minha mãe me pediu que comprasse duas dúzias de ovos no supermercado.

Há um século seria loucura imaginar que poderíamos transmitir nossas vidas em tempo real para todo o
mundo.

5. Fracionários
Por fim, os fracionários representam partes de um todo. Assim como os
coletivos, são precedidos por numerais cardinais, e as flexões vão ocorrer de
acordo com eles.

 Exemplo: um quarto, três quintos, quatro vinte avos.


Para essa receita, vamos utilizar três quartos de xícara de leite.

Pedimos que cada metade da turma defendesse um ponto de vista no debate.


O que é um algarismo?
Se você é um bom observador, percebeu que até agora todos os numerais foram
escritos por extenso nos exemplos. Embora em textos dissertativos a preferência
seja pela escrita por extenso, em textos para a web as técnicas de copywriting nos
dizem que os algarismos podem ser muito mais efetivos!

Um algarismo é um símbolo numérico empregado para representar os numerais


de forma escrita, e também pode ser chamado de dígito.

Existem diversos tipos de algarismos diferentes, mas para tornar esse texto mais
explicativo nós vamos trabalhar com os dois mais utilizados na nossa língua:
1. Algarismos indo-arábicos
Os algarismos indo-arábicos são os que utilizamos em nosso cotidiano. Estão
presentes em toda a parte, desde nossos teclados até na numeração de ruas e nas
placas de veículos.

O sistema de numeração indo-arábico compreende os seguintes algarismos: 0, 1,


2, 3, 4, 5, 6, 7, 8 e 9. É possível representar qualquer numeral com esses
algarismos, basta posicioná-los da maneira necessária.

Veja alguns exemplos:

 O numeral treze é representado pelos algarismos 1 e 3 juntos, 13;


 O algarismo que representa a quantidade contida em uma centena é o 100.
2. Algarismos romanos
Todo mundo estudou algarismos romanos em algum momento do ensino básico
escolar. Você se lembra deles?

Eles representam numerais utilizando sete letras do alfabeto latino: I, V, X, L, C,


D e M, que equivalem aos algarismos indo-arábicos 1, 5, 10, 50, 100, 500 e
1000. Os numerais são formados posicionando os algarismos de forma bastante
única, seguindo três regrinhas principais:

 Algarismos de menor ou igual valor à direita serão somados ao algarismo


de maior valor;
 Algarismos de menor valor à direita serão subtraídos do algarismo de maior
valor;
 Para representar um algarismo multiplicado por 1000, é só colocar um
travessão em cima da letra.

Na prática, é assim:
 O numeral 340 em algarismos romanos é CCXL;
 Chamar o papa de João Paulo II significa que ele foi o segundo papa que
escolheu para si o nome João Paulo;
 Atualmente, vivemos no século XXI.

Uma última observação pertinente sobre os algarismos romanos: eles devem ser
lidos como numerais ordinais de um a dez, e como cardinais a partir de onze. É
por isso que o nosso atual século é vinte e um, mas o papa era João Paulo
segundo.
Para não errar mais, qual a diferença entre número, numeral e algarismo?
Número é associado a quantidade, numeral é sua representação gráfica (palavra
ou símbolo); e algarismo é um símbolo de numeração decimal. Por exemplo, o
número quinze é representado pelo numeral 15 e formado pelos algarismos 1 e 5.

Agora ficou fácil, não é? Utilize esse exemplo sempre que surgir dúvida!

Dominar as diferenças entre número, numeral e algarismo é fundamental para


não cometer erros nos seus conteúdos.

CONHECENDO A ORDEM DOS NÚMEROS


Classes e ordens numéricas.
Ao ler um jornal Paulinho ficou surpreso com o número de habitantes do Brasil. O
jornal informava que a população brasileira ultrapassa 180 milhões de habitantes.
Surpreso, perguntou ao seu pai como seria possível escrever este número.

Seu pai explicou que os números são organizados em classes e ordens. Os números
representativos do milhão pertencem à 3ª classe. Veja:

Vamos através de exemplos organizar os números em suas classes e ordens.

1ª classe

a) 725 = 7 centenas + 2 dezenas + 5 unidades = 700 + 20 + 5


b) 223 = 2 centenas + 2 dezenas + 3 unidades = 200 + 20 + 3
c) 52 = 5 dezenas + 2 unidades
d) 12 = 1 dezena + 2 unidade

2ª classe

a) 1 256
1 unidade de milhar + 2 centenas + 5 dezenas + 6 unidades
1000 + 200 + 50 + 6

b) 61 567
6 dezenas de milhar + 1 unidade de milhar + 5 centenas + 6 dezenas + 7 unidades
60 000 + 1 000 + 500 + 60 + 7

c) 127 569
1 centena de milhar + 2 dezenas de milhar + 7 unidades de milhar + 5 centena + 6
dezenas + 9 unidades
100 000 + 20 000 + 7 000 + 500 + 60 + 9

3º classe

a) 1 234 896
1 unidade de milhão + 2 centenas de milhar + 3 dezenas de milhar + 4 unidades de
milhar + 8 centenas + 9 dezenas + 6 unidades
1 000 000 + 200 000 + 30 000 + 4 000 + 800 + 90 + 6

b) 24 568 742
2 dezenas de milhão + 4 unidades de milhão + 5 centenas de milhar + 6 dezenas de
milhar + 8 unidades de milhar + 7 centenas + 4 dezenas + 2 unidades

c) 123 456 789


1 centena de milhão + 2 dezenas de milhão + 3 unidades de milhão + 4 centenas de
milhar + 5 dezenas de milhar + 6 unidades de milhar + 7 centenas + 8 dezenas + 9
unidades

Por Marcos Noé


Matemático
Equipe Escola Kids

QUAL O VALOR DE UM ALGARISMO?


Valor absoluto e relativo.
Os números são formados por algarismos. Eles possuem valor absoluto e valor
relativo.

O valor absoluto de um número não depende da posição em que o número se encontra,


representa um valor sozinho. Por exemplo:
O valor absoluto do algarismo 9 no número 986 é 9.

O valor relativo de um número depende da ordem em que o algarismo se encontra. Por


exemplo, o algarismo 9 no número 986 ocupa a 3º ordem, isto é, a casa das centenas.
Assim, seu valor relativo é 900.

Observe alguns números e os valores relativos e absolutos de seus algarismos.

526
Valor absoluto
5: 5
2: 2
6: 6
Valor relativo
5: 500
2: 20
6: 6

253
Valor absoluto
2: 2
5: 5
3: 3
Valor relativo
2: 200
5: 50
3: 3

1236
Valor absoluto
1: 1
2: 2
3: 3
6: 6
Valor relativo
1: 1 000
2: 200
3: 30
6: 6

3257
Valor absoluto
3: 3
2: 2
5: 5
7: 7
Valor relativo
3: 3000
2: 200
5: 50
7: 7

Ao somar os valores relativos de um número obtemos o próprio número.

210 = 200 + 10 + 0
752 = 700 + 50 + 2
964 = 900 + 60 + 4
859 = 800 + 50 + 9
1 234 = 1 000 + 200 + 30 + 4
2 367 = 2 000 + 300 + 60 + 7
453 = 400 + 50 + 3
261 = 200 + 60 + 1
1556 = 1 000 + 500 + 50 + 6
126 = 100 + 20 + 6

Por Marcos Noé


Matemático
Equipe Escola Kids

Matemática: operações com números naturais e


fracionários
Reveja alguns conceitos básicos da Matemática, como as operações com
números naturais e números fracionários.
Publicado em 18/04/2018 - 08h46 • Atualizado em 10/09/2019 - 13h51 • Comunicar erro

Reveja alguns conceitos básicos da Matemática, como as operações


com números naturais e números fracionários.
Números Naturais
Os números naturais são aqueles que usamos diariamente para
contar objetos, números. Por exemplo: 1, 2, 55, 325 e assim por
diante. Com os números naturais e possível realizar diversas
operações matemáticas: adição, subtração, multiplicação e divisão.
Veja:
 24 + 50 = 74
Você iguala as casas das dezenas e faz a conta, adicionando
números. A ordem dos números na adição não influencia no
resultado.
 89 – 70 = 19
Na subtração, é preciso retirar de um número para o outro. Pode ser
que dê negativo também, entretanto, na maioria das vezes é preciso
verificar se deve “emprestar” do número esquerdo para realizar a
operação corretamente. A ordem dos números influencia o resultado
em uma expressão maior.
 5 x 100 = 500
A multiplicação dos números naturais envolve adicionar novos
números, dobrando, triplicando o valor. Logo, 5 vezes o número 100
é a mesma coisa que 100 + 100 + 100 + 100 + 100. A ordem não
influencia o resultado. O número um é um elemento neutro, não
alterando o resultado.
 30 / 2 = 15
Percebe-se que na divisão é possível descobrir qual o valor
multiplicado leva ao primeiro número. Veja: 15 x 2 = 30. Essa divisão
é exata. Há divisões que sobram o “resto” e há vírgulas, com
números decimais também.
Números fracionários
Os números fracionários são aqueles representados por frações. No
momento de realizar as operações, é preciso rever algumas dicas
práticas.

Adição e Subtração
Se as frações tiverem o mesmo denominador, basta somar os
numeradores. Exemplo: 2/5 + 10/5 = 12/5. O mesmo vale para a
subtração de denominadores iguais. Porém, se tiver o denominador
diferente, é necessário descobrir o denominador comum. Veja:
2/5+ 5/10 + 9/2
 Faça o MMC (mínimo múltiplo comum) com os denominadores e
veja com quantos números é possível chegar a um denominador
comum.
2, 5, 10 | 2
1, 5, 5 | 5
1, 1, 1 – 2 x 5 = 10 é o denominador comum.
 Em seguida divida o denominador comum pelos denominadores
10/5 = 2; 10/10 = 1; 10/2 = 5
 Agora basta multiplicar o quociente em cada divisão pelo numerador
e encontrar o resultado (vale também para subtração):
2x2/10 + 1x5/10 + 5x9/10 = 54/10

Multiplicação
Na multiplicação dos números fracionários, basta multiplicar
denominador com denominador e numerador com numerador.
Exemplo:
5/8 x 9/15 = 45/120

Divisão
Na divisão é preciso multiplicar a primeira fração pela inversão da
outra. Por exemplo:
8/9 : 3/24 = 8/9 x 24/3 = 72/27
Com os números fracionários, você pode reduzi-los até uma fração
mais simples, se ambos numerador e denominador conseguirem ser
divididos pelo mesmo número. A fração 72/18 pode ser dividida por
2: 36/9. Agora pode ser dividida por 3, ambos os números: 12/3 e
então o número pode ficar inteiro, dando o resultado de 4 (continuar
dividindo).

OPERAÇÕES COM FRAÇÕES


Clique para aprender como deve ser realizado o cálculo de cada uma das quatro operações básicas
matemáticas envolvendo frações.
As quatro operações matemáticas básicas – adição, subtração, multiplicação
e divisão – são definidas para o conjunto dos números reais. Sabendo que as frações
são números racionais, que, por sua vez, é um subconjunto dos números reais, então
essas quatro operações podem ser definidas para as frações. Vamos aprender a realizá-
las?
Adição e subtração de frações

As regras para somar frações são exatamente as mesmas para subtraí-las. Portanto,
quando escrevermos uma regra para adição, ela também será válida para subtração.

A adição e a subtração de frações são divididas em dois casos. O primeiro envolve


apenas frações com denominadores iguais e o segundo envolve frações com
denominadores diferentes. Os cálculos no primeiro caso são fáceis, bastando somar os
numeradores e repetir o numerador no resultado.

3–2=1
7 7 7

Entretanto, o caso em que os denominadores são diferentes é um pouco mais


trabalhoso. Na realidade, antes de somar esse tipo de fração, é necessário encontrar
frações equivalentes a elas que possuam o mesmo denominador. O exemplo abaixo é
de uma soma de frações feita dessa maneira:

3 + 5 = 27 + 20 = 47
4 9 36 36 36

Para encontrar essas frações equivalentes, existe um método prático no qual o primeiro
passo é encontrar o mínimo múltiplo comum entre os denominadores. Observe que 36
é o MMC de 4 e 9.

O segundo passo é encontrar frações equivalentes que possuem o MMC encontrado


como denominador. Para tanto, divida o MMC pelo denominador da primeira fração e
multiplique o resultado dessa divisão pelo numerador dela. Repita o processo para a
segunda fração, terceira, enfim, quantas houver. Observe o exemplo abaixo:

7+3
15 9

O MMC entre 15 e 9 é 45. Acompanhe:

7+3= +
15 9 45 45

Agora, divida 45 por 15 e multiplique o resultado por 7. Isso resultará no numerador


da primeira fração equivalente, que será:

7 + 3 = 21 +
15 9 45 45
Repita o procedimento para a segunda e obtenha:

7 + 3 = 21 + 15
15 9 45 45

Para finalizar, some as frações equivalentes.

7 + 3 = 21 + 15 = 36
15 9 45 45 45
Multiplicação de frações

A multiplicação de frações é bem mais simples que a adição. Basta multiplicar


numerador por numerador e denominador por denominador.

Por exemplo:

4·7 = 4·7 = 28
9 8 9·8 72
Divisão de frações

Para dividir duas frações, basta multiplicar a primeira pelo inverso da segunda.
Observe o exemplo:

5:2 = 5·5 = 25
6 5 6·2 12

Números racionais
O que é um número racional?

Denominamos número racional o quociente de dois números inteiros (divisor


diferente de zero), ou seja, todo número que pode ser colocado na forma
fracionária, em que o numerador e denominador sao números inteiros.

O quociente de muitas divisões entre números naturais é um número racional


absoluto.

Números racionais positivos

Esses números são quocientes de dois números inteiros com sinais iguais.

(+8) : (+5)
(-3) : (-5)

Números racionais negativos

São quocientes de dois números inteiros com sinais diferentes.

(-8) : (+5)

(-3) : (+5)

Escrita fracionária

têm valor igual a e representam o número racional .

Obs.: Todo número inteiro é um número racional, pois pode ser escrito na
forma fracionária:

Conjunto dos números racionais


O conjunto dos números racionais é uma ampliação do conjunto dos números
inteiros. O conjunto formado pelos números racionais positivos, os números
racionais negativos e o zero são um novo conjunto que chamamos
de conjunto dos números racionais, representado por Q.

Exemplos:

Observe a figura:
O conjunto de Q é uma ampliação do conjunto Z.

Outros subconjuntos de Q:

 Q* é o conjunto dos números racionais diferentes de zero;


 Q+ é o conjunto dos números racionais positivos e o zero;
 Q- é o conjunto dos números racionais negativos e o zero;
 Q+* é o conjunto dos números racionais e positivos;
 Q-* é o conjunto dos números racionais negativos.

Operações com números racionais


Adição e Subtração

Para simplificar a escrita, transformamos a adição e subtração em somas


algébricas. Eliminamos os parenteses e escrevemos os números um ao lado
do outro, da mesma forma como fazemos com os números inteiros.

Exemplo 1: Qual é a soma:

Exemplo 2: Calcule o valor da expressão


Multiplicação e divisão

Na multiplicação de números racionais, devemos multiplicar numerador por


numerador, e denominador por denominador, assim como é mostrado nos
exemplos abaixo:

Na divisão de números racionais, devemos multiplicar a primeira fração pelo


inverso da segunda, como é mostrado no exemplo abaixo:

Potenciação e radiciação

Na potenciação, quando elevamos um número racional a um determinado


expoente, estamos elevando o numerador e o denominador a esse expoente,
conforme os exemplos abaixo:

Na radiciação, quando aplicamos a raiz quadrada a um número racional,


estamos aplicando essa raiz ao numerador e ao denominador, conforme o
exemplo abaixo:

O que é número primo?


O QUE É MATEMÁTICA?
Um número primo é aquele que é dividido apenas por um e por ele mesmo. Entre 0 e 100
existem apenas 25 números primos.



http://brasil


 0
PUBLICIDADE

Um número é classificado como primo se ele é maior do que um e é divisível apenas


por um e por ele mesmo. Apenas números naturais são classificados como primos.
Antes de saber mais sobre o número primo, é importante relembrar algumas regras de
divisibilidade, que ajudam na identificação de quais números não são primos.
Divisibilidade por 2: todo número par é divisível por 2. Os números pares são aqueles
terminados em 0, 2, 4, 6 e 8.
Divisibilidade por 3: um número é divisível por 3 se a soma dos seus algarismos der
um número divisível por 3.
Divisibilidade por 4: um número é divisível por 4 se ele for divisível duas vezes por 2
ou, então, se seus dois últimos algarismos forem divisíveis por 4.
Divisibilidade por 5: todo número terminado em 0 ou 5 é divisível por cinco.
Divisibilidade por 6: se um número for par e também divisível por 3, será divisível
por 6.
Divisibilidade por 7: um número é divisível por 7 se a diferença entre o dobro do
último algarismo e o restante do número resultar em um número múltiplo de 7.
Essas são as principais regras de divisibilidade. Para encontrar cada número primo
menor do que 100, utilizamos o “Crivo de Eratóstenes”. Na tabela a seguir, iremos
cancelar os números que não são primos seguindo esta ordem:
 O número 1 estará fora, pois, pela condição inicial, os números primos são maiores
que um (será destacado de preto);
Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

 Os números terminados em 0, 2, 4, 6 e 8 estarão fora porque são divisíveis por dois


(serão destacados vermelho);
 Os números terminados em 5 estarão fora porque são divisíveis por 5 (serão
destacados de azul). Os números terminados em zero já foram cortados;
 Os números cuja soma dos algarismos for 3 estarão fora por serem divisíveis por três
(serão destacados de laranja);
 Os números que são divisíveis por 7 serão retirados também (serão destacados
de verde)

Os números destacados em amarelo são aqueles que só são divisíveis por 1 e por eles
mesmos, isto é, não obedecem a nenhum dos critérios de divisibilidade que
comentamos acima. Portanto, pelo “Crivo de Eratóstenes”, os números 2, 3, 5, 7, 11,
13, 17, 19, 23, 29, 31, 37, 41, 43, 47,53, 59, 61, 67, 71, 73, 79, 83, 89 e 97 são os
únicos números primos menores que 100.
Na imagem inicial do texto, há vários números primos entre 100 e 1000. Hoje já se
conhece uma grande quantidade de números primos, mas não se sabe qual é o maior
número primo existente. Esse é um dos grandes enigmas matemáticos que farão rico o
seu desvendador. Há um prêmio milionário para aquele que descobrir o maior dos
números primos.

Decomposição em fatores primos


Todo número natural, maior que 1, pode ser decomposto em um produto de
dois ou mais fatores.

Decomposição do número 24 em um produto:


24 = 4 x 6
24 = 2 x 2 x 6
24 = 2 x 2 x 2 x 3 = 23 x 3

No produto 2 x 2 x 2 x 3, todos os fatores são primos.

Chamamos de fatoração de 24 a decomposição de 24 em um produto de


fatores primos. Então a fatoração de 24 é 23 x 3.
De um modo geral, chamamos de fatoração de um número natural, maior
que 1, a sua decomposição em um produto de fatores primos.

Regra prática para a fatoração

Existe um dispositivo prático para fatorar um número. Acompanhe, no


exemplo, os passos para montar esse dispositivo:

1º) Dividimos o número pelo seu menor divisor primo;

2º) a seguir, dividimos o quociente obtido pelo menor divisor primo desse
quociente e assim sucessivamente até obter o quociente 1.

A figura mostra a fatoração do número 630.

Então 630 = 2 x 3 x 3 x 5 x 7.
630 = 2 x 32 x 5 x 7.