Você está na página 1de 8

MÓDULO 2 – CADEIA DE SUPRIMENTOS

1. Conceito
Cadeia de Suprimentos, ou Supply Chain, é o conjunto de processos necessários
para a obtenção de materiais e envolve todos os níveis de fornecimento do
produto, desde a matéria-prima bruta até a entrega ao consumidor final. A gestão
da cadeia de suprimentos abrange todo o movimento e armazenamento de
matéria-prima, trabalho em processo de inventário e produtos acabados do ponto
de origem até o ponto de consumo.
A gestão adequada dessa rede permite otimizar a produção e cumprir a missão
logística que é entregar o produto certo, no tempo certo e na quantidade certa ao
cliente.
As empresas empenham-se em desenvolver uma rede integrada que funcione de
forma eficiente no fluxo de materiais, garantindo o atendimento das necessidades
do cliente.
A Cadeia de Suprimentos é formada por várias cadeias produtivas envolvendo a
Empresa, seus fornecedores e também seus clientes. São várias cadeias de
suprimentos integradas entre si.

Todo o material desta disciplina foi produzido pela Fatej e é protegido pela Lei 9.610/98, sendo proibida a
reprodução total e parcial ou divulgação comercial sem a autorização prévia desta Instituição de Ensino.
2. Fluxo da Cadeia de Suprimentos

Transporte Armazenagem Transporte Cliente

Fluxo de Informações

Fábrica

Transporte

Armazenagem Transporte Fornecedor

2
Todo o material desta disciplina foi produzido pela Fatej e é protegido pela Lei 9.610/98, sendo proibida a
reprodução total e parcial ou divulgação comercial sem a autorização prévia desta Instituição de Ensino.
3. Relacionamentos da Cadeia de Suprimentos

A Cadeia de Suprimentos é um conjunto de processos de negócios


integrados que compartilham informações e gerenciam de forma integrada todas
as ações dos membros da cadeia.
A configuração da Cadeia de Suprimentos, portando, está fundamentada em
Organizações com processos de negócios interligados, que administram de
modo integrado os processos. A princípio, todas as Organizações participam de
uma cadeia de suprimentos, mas a gestão das cadeias depende do tipo de
relacionamento existente entre fornecedores e clientes.
A inclusão de todos os fornecedores e clientes, diretos ou indiretos, na gestão
da cadeia de suprimentos pode dificultar a gestão. Os membros da cadeia devem
ser definidos de acordo com a importância dos produtos ou serviço oferecidos.
A Cadeia de Suprimentos é formada por:
a) Cadeia interna, composta pelos fluxos de materiais e de informação da
própria Organização;
b) Cadeia imediata, composta pelos fornecedores e clientes diretos;
c) Cadeia total, composta por todos os fornecedores e clientes, inclusive
aqueles que não fazem parte da cadeia imediata.

3
Todo o material desta disciplina foi produzido pela Fatej e é protegido pela Lei 9.610/98, sendo proibida a
reprodução total e parcial ou divulgação comercial sem a autorização prévia desta Instituição de Ensino.
4. Gestão de Fornecedores

A Cadeia de Suprimentos estrutura e organiza a base de fornecedores através


da definição daqueles com os quais a Organização quer estabelecer
relacionamento, levando-se em consideração competências que façam diferença
perante a concorrência e os clientes. É o momento, também, da Organização
definir se atuará com vários fornecedores ou apenas com um. Esta escolha deve
estar fundamentada no volume de compras, na existência de produtos
substitutos e, principalmente, na disponibilidade do produto ou serviço a ser
adquirido.

4
Todo o material desta disciplina foi produzido pela Fatej e é protegido pela Lei 9.610/98, sendo proibida a
reprodução total e parcial ou divulgação comercial sem a autorização prévia desta Instituição de Ensino.
Fornecedor Único Vários Fornecedores

Relações mais fortes e Várias fontes de conhecimento e


duradouras especialização disponíveis
Possibilidade de mudança de
Maior comprometimento e
fornecedor sempre que
esforço
necessário
Maior integração no Comprador pode negociar
Vantagens desenvolvimento de novos melhores preços através da
produtos e serviços competição entre fornecedores
Maior confidencialidade
Mais economia de escala
Melhor comunicação

Maior vulnerabilidade na Dificuldade para obter o


ocorrência de falhas de comprometimento do
fornecimento fornecedor
Fornecedor pode forçar a alta de
Comunicação pode ficar
preços caso não existam
comprometida
Desvantagens alternativas de fornecimento
Flutuações no volume de
Fornecedores tendem a investir
demanda afetam mais o
menos em novos processos
fornecedor individual
Maior dificuldade para obter
economia de escala

5
Todo o material desta disciplina foi produzido pela Fatej e é protegido pela Lei 9.610/98, sendo proibida a
reprodução total e parcial ou divulgação comercial sem a autorização prévia desta Instituição de Ensino.
5. Gestão de Clientes

A Gestão de Cliente, efetivada através da gestão de relacionamento,


possibilita maior lucratividade e vantagem competitiva para a Organização. Na
maioria das vezes, o relacionamento com o cliente é gerenciado através do
Customer Relationship Management (CRM), ou gestão do relacionamento com o
cliente, com a adoção de tecnologias de informação e ações que permitam a
interação e integração de pessoas e processos.
A filosofia do CRM é o atendimento ao cliente em todas as suas etapas, desde
o primeiro contato até o pós-venda, criando canais de comunicação que
permitam a otimização e geração de novos negócios.
A criação e o aprimoramento das ações capazes de atender integralmente as
necessidades dos clientes são a base para a sua fidelização e o caminho para a
conquista de novos clientes. O investimento em canais de comunicação que
permitam identificar em tempo real as mudanças nas necessidades permitirão a
rápida adaptação dos processos de atendimento, intensificando a interação e
integração com o cliente.

6
Todo o material desta disciplina foi produzido pela Fatej e é protegido pela Lei 9.610/98, sendo proibida a
reprodução total e parcial ou divulgação comercial sem a autorização prévia desta Instituição de Ensino.
6. Gestão da Informação

A função do sistema de informações logísticas é coletar, manter e processar


informações que sustentem os processos decisórios, a formulação de estratégias
e a gestão de relacionamento com fornecedores e clientes. A informação deve
estar disponível, e com rapidez, para que as respostas às necessidades dos
clientes sejam efetivas.

7
Todo o material desta disciplina foi produzido pela Fatej e é protegido pela Lei 9.610/98, sendo proibida a
reprodução total e parcial ou divulgação comercial sem a autorização prévia desta Instituição de Ensino.
Referências Bibliográficas

BALLOU, R. H. Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos / Logística


Empresarial. 5. Edição. Porto Alegre: Bookman, 2010.

BALLOU, R. H. Logística Empresarial. São Paulo: Editora Atlas, 2012.

DIAS, Marco Aurélio P. Administração de Materiais uma Abordagem Logística.


São Paulo: Atlas, 1997.

GRANT, David B. Gestão de Logística e Cadeia de Suprimentos. São Paulo:


Editora Saraiva, 2012.

8
Todo o material desta disciplina foi produzido pela Fatej e é protegido pela Lei 9.610/98, sendo proibida a
reprodução total e parcial ou divulgação comercial sem a autorização prévia desta Instituição de Ensino.