Você está na página 1de 5

UNIVERSIDADE ZAMBEZE

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANIDADES


CURSOS DE CONTABILIDADE E FINANÇAS, GESTÃO E ECONOMIA

1. Fase da Encomenda
Nota de encomenda

A nota de encomenda é o documento escrito no qual o vendedor e o consumidor


registam o seu acordo sobre o objecto e o preço da venda, quando o consumidor não pode
levar imediatamente o bem comprado.

A nota de encomenda pode ou não ser assinada pelo consumidor, mas em ambos os
casos pode constituir um contrato. Logo que haja acordo as partes estão, em princípio,
obrigadas a concretizar a compra e venda, no sentido jurídico deste termo. O facto do
pagamento e da entrega ocorrerem mais tarde não (...)

O que deve conter na nota de encomenda?

Nota de encomenda deve ser estabelecida por escrito e incluir os aspectos seguintes: A
identificação do profissional: o nome e/ou a denominação social, a morada, o número de
identificação fiscal e eventualmente o número de registro comercial; A data e o nº de
ordem da nota de encomenda; A descrição do produto ou do serviço (modelo, cor,
material, acessórios, dimensões,); O preço unitário, a quantidade e o preço total.

Esse processo empresarial permite processar e monitorizar manualmente as requisições


de compra.

Requisição é um documento idêntico a nota de encomenda e normalmente utilizado no


comércio a retalho e serve para o comprador levantar artigos, de imediato do
estabelecimento do vendedor.

A requisição deve conter os mesmos elementos referidos para a nota de encomenda


UNIVERSIDADE ZAMBEZE
FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANIDADES
CURSOS DE CONTABILIDADE E FINANÇAS, GESTÃO E ECONOMIA

2. Fase da entrega

Guia de remessa é o documento que acompanha a documentação da carga a ser enviado


para o destinatário.

Ao criar uma guia de remessa (entrega), também é lançada a saída de mercadorias


correspondente. As mercadorias saem do armazém e são lançadas as alterações de stock
relevantes. Quando o stock se altera, também se alteram os valores no sistema
contabilístico (apenas quando se trabalha com inventário permanente)

3. Fase de Liquidação

Factura é um documento emitido pelo vendedor que contém a relação de mercadoria


vendida ou dos serviços prestados de determinado cliente. Deve ser emitida numa venda
a crédito (quando o pagamento não é imediato), quando a mercadoria ou serviços
prestados são relacionados com a actividade principal ou secundária do Trabalhador
Independente, ou da Empresa. A factura deve ser emitida a um Cliente, que está
identificado com a morada, n.º de contribuinte, etc..

Deve ser prechido em duplicado, destinando-se a original ao comprador e a original ao


comprador e o duplicado fica na posse do vendedor

Na factura deve conter

• Elementos referidos para a nota de encomenda e guia de remessa


• A taxa de IVA aplicável e o montante de impostos devido
• O motivo justificativo de não aplicação do IVA se for o caso disso

Nota de crédito (NC): as notas de crédito estão sempre relacionadas ao [contas a pagar]
do sistema
UNIVERSIDADE ZAMBEZE
FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANIDADES
CURSOS DE CONTABILIDADE E FINANÇAS, GESTÃO E ECONOMIA

Nota de crédito: Um documento comercial emitido por um vendedor a um comprador.


Criado com base em uma reclamação de cliente. Constitui uma redução do valor dos
créditos na Contabilidade Financeira.

Deve-se emitido em duplicado pelo vendedor e destina-se a corrigir o valor da factura


para menos

Deve-se emitir-se uma nora de crédito nos seguintes casos

• Erros de cálculos, para mais no valor da factura


• Descontos não incluídas na factura
• Devolução de mercadoria pelo comprador (neste caso a nota de credito e
denominada a nota de devolução)
• Por causa de mercadorias com defeito
• Quando o cliente foi cobrado em excesso).

Atenção: a nota de crédito (NC) poderá ser emitida tanto para saldo Positivo (Crédito)
quanto para saldo negativo (Débito).

Nota de Débito (ND): as notas de débito estão sempre relacionadas ao [Contas a


Receber]

Nota de débito: Um documento de vendas criado com base em uma reclamação.


Ocasiona um aumento no valor dos créditos na Contabilidade Financeira.

• Deve ser emitido em duplicado pelo vendedor e destina-se a corrigir o valor da


factura para mais

Deve emitir-se uma nota de débito nos seguintes casos

• Erros de cálculos, para menos, no valor da factura


• Despesas por conta do comprador que não foram incluídas na factura
• Quando o cliente tiver sido cobrado aquém do valor correto.
UNIVERSIDADE ZAMBEZE
FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANIDADES
CURSOS DE CONTABILIDADE E FINANÇAS, GESTÃO E ECONOMIA

A nota de débito (ND) poderá ser emitida tanto para saldo positivo (Débito) quanto para
saldo negativo (Crédito).

Nota B

Todos os documentos relativo ao contrato de contra e venda deve ser devidamente


arquivados mas apenas só documentos inerente a fase de liquidação e do pagamento,
servem de suporte contabilístico são sujeito a registro contabilístico os seguintes
documentos

• Factura
• Nota de Débito
• Nota de Crédito
• Recibos
• Factura recibos
• Venda a dinheiro

4. Fase de Pagamento

Recibo: significa o documento em que se confessa ou se declara o recebimento de algo.


Normalmente, é um escrito particular.

Alguns tipos de recibo:


recibo de pagamento (indica a quitação do pagamento de uma dívida, em sua totalidade
ou parcialmente);
Recibo por conta (sempre parcial);
Recibo por saldo (indica uma quitação referente a todas as transações até sua data).

Factura recibo
Este documento são utilizado quando a fase de liquidação coincide com a fase de
pagamento isto e quando a Venda e efetuada a pronto.
UNIVERSIDADE ZAMBEZE
FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANIDADES
CURSOS DE CONTABILIDADE E FINANÇAS, GESTÃO E ECONOMIA

A venda a dinheiro é apenas utilizado pelo retalhista. Este documento é equivalente à


factura e deve conter todos seus elementos

Cheque é uma ordem de pagamento de certa quantia à pessoa em favor da qual se emite
esse documento ou a qualquer portador dele. É um título de crédito literal e abstrato,
constituindo-se em uma ordem de pagamento à vista, relativa a um contrato bancário,
pelo qual se movimentam fundos disponíveis junto ao banco sacado.
O cheque deve ser apresentado para pagamento, a contar do dia da emissão, no prazo de
30 dias, quando emitido no lugar onde houver de ser pago; e de 60 dias, quando emitido
em outro lugar do país ou no exterior. Prescreve em 6 meses, contados da expiração do
prazo de apresentação, a ação de execução que a lei assegura ao portador.
O cheque é um meio de pagamento. Na prática, entretanto, é também instrumento de
crédito na acepção de troca de valores no tempo, especialmente no caso de cheque "pré-
datado". O cheque é pagável à vista. Considera-se não-escrita qualquer menção em
contrário. Legalmente o cheque é uma ordem de pagamento à vista. Há, entretanto,
jurisprudências que fazem o cheque perder a característica essencial de ordem de