Você está na página 1de 6

16

semana Festa da Europa

TEXTO BÍBLICO
PARA O TÉCNICO
Isaías 5.18-21; 1 Timóteo 3.14-16

ABC DO AQUECIMENTO
Atividades de Recepção
Prepare cartazes com o nome de todos os países europeus, suas respectivas capitais e o gentílico de cada
um. (Gentílico é como se chama quem é natural de um país ou região.) Se possível, faça um cartaz de cada
país, incluindo uma imagem de lá e a sua bandeira.

Brincadeira
Que tal ensinar algumas saudações aos juniores? Inglês, francês, italiano... Se os atletas foram avisados
para virem vestidos a caráter, eles podem se apresentar com a saudação do país que representam.
Se no local da festa houver acesso à internet, acesse o Google tradutor, escreva uma saudação em
português e dê o comando para traduzir em alguma idioma europeu. Clique no microfone e ouvirão uma voz
dizendo a frase no idioma escolhido. Peça que as crianças tentem dizer o qual o idioma falado e/ou o que foi
dito.
Outra opção é ver se eles conseguem adivinhar qual hino pertence a qual país. (Esses hinos podem ser
encontrados via Wikipedia, na página dedicada a cada país. É até possível fazer o download dos hinos, visto que
são de domínio público.) Ao ouvir um hino, os juniores podem correr e enfileirar-se à frente do cartaz do país ao
qual acham que o hino pertence.

Cânticos
Escolha cânticos que falem sobre evangelismo, ser missionário e o amor de Deus para com todo o mundo.
• Vou contar aos outros...
• Cristo ama as criancinhas...
Pode-se também buscar canções conhecidas em espanhol, inglês, francês ou alemão por exemplo.

Desfile
Hoje é dia de festa! Vamos ver quem veio vestido à caráter, quem trouxe algo que nos lembre algum país
europeu (roupa, objeto, camisa de time de futebol, bandeira nacional, etc.).
Faça um desfile com eles e pergunte a cada um do que está vestido, o que trouxe, por quê, etc.

Gravar no coração
“Meu filho, obedeça aos mandamentos de seu pai e não abandone o ensino de sua mãe.” Provérbios 6:20

INSTRUÇÕES DO TÉCNICO
Recursos
Materiais
Mapa mundi; mapa político da Europa, (pode ser utilizado o recurso do Google maps e Google Earth para
dinamizar a apresentação dos mapas, bandeiras de países europeus, traje de monge para alguém que faça o
papel de Martinho Lutero.
Técnicos
• Artigo “O Cristianismo numa época pós-cristã” da Agência Pés Formosos:
http://www.pesformosos.org.br/?pg=ver_artigo&id=389&t=o-cristianismo-numa-poca-pos-crista
• Trecho do artigo acima citado: “A filosofia do sistema do anticristo colide com os princípios cristãos.
Assim, todos nós com nossa maneira de ser e de pensar nos constituímos resistências à implantação
dessa nova ordem mundial que se prepara para ser implantada. Por consequência, para o mundo,
necessário se torna eliminar toda forma de pensamento cristão para que as pessoa recebam essa nova
forma de pensar numa nova sociedade global, sem “preconceitos” ou “discriminações”.”
• De maneira sintética o pós-cristianismo significa secularização e relativização da perspectiva cristã.
Segue a livre interpretação das Escrituras, não considerando a Palavra de Deus como fundamento e
autoridade. Em contrapartida considera ideologias diversas, cosmovisão individual, e qualquer outra
coisa para a formação do pensamento.
• Artigo “O inventor do pós-cristianismo”: http://www.ultimato.com.br/revista/artigos/326/o-inventor-do-
pos-cristianismo

Conquistar
(Líder: enquanto fala sobre vá mostrando o mapa e/ou as imagens do Google).
Um continente é uma grande massa de terra cercada por oceanos.
(Mostre o mama mundi e identifique os continentes.)
Mas continente também pode significar um conjunto de países de uma região, dentro de um bloco de terra
maior com outros países. Nessa divisão temos no mundo 6 continentes: Europa, Ásia, África, Oceania, América
e Antártida. (Para tornar mais visual, faça cartazes ou slides com os nomes do continentes.)
Quem mora na Europa é europeu. Em geral, a qualidade de vida dos europeus é muito boa. Nos países mais
desenvolvidos da Europa (região centro-oeste), o analfabetismo é baixo, a expectativa de vida é alta e a
criminalidade é pequena.
Ao longo dos tempos, aconteceram muitos eventos importantes nos países europeus que mexeram na
história da humanidade em todo o mundo. A Europa é o continente que mais espalhou suas formas de pensar e
agir por outros continentes, e há muita história registrada sobre o que aconteceu lá. Hoje, vamos apresentar
um contraste muito importante entre uma revolução religiosa de 500 anos atrás e a situação religiosa agora, e
como isso afeta as famílias. Primeiro, vou chamar alguém que pode nos contar sobre essa revolução, chamada
Reforma Protestante. Com vocês, Martinho Lutero.

Comunicar
Olá queridos irmãos, vocês não sabem como fico feliz em estar entre pessoas que buscam a Deus e à Sua
Palavra! Foi na Europa, quando grande parte era comandada pelo Império Romano, que a Igreja de Jesus
começou a se espalhar pelo mundo, é onde também os cristãos foram perseguidos e mortos por pregarem o
evangelho. Nos séculos seguintes, especialmente depois que o cristianismo se tornou a religião oficial do
Império Romano, houve uma onda missionária que começou a levar o evangelho às partes mais distantes e
remotas da Europa, alcançando até os povos bárbaros além das fronteiras do império.
Porém, oficialização do cristianismo teve seu lado negativo: elementos de outras crenças pagãs acabaram
se misturando ao ensinamento da Bíblia e chegavam aos homens mais influentes da liderança da igreja. Com
maus ensinamentos, esses homens influentes transformaram a Igreja Cristã na Igreja Católica Apostólica
Romana. O papa passou a ser o representante “oficial” de Cristo na terra, e o único que podia ler e ensinar a
Bíblia. Aos poucos, a fé em Cristo deixou de ser suficiente para a salvação.
(A palavra católica significa ‘universal’. Naquela época, a Igreja Católica Apostólica significava todas as
pessoas que criam no evangelho para a salvação e seguiam os ensinamentos dos apóstolos. Foi nessa época
que o domingo se tornou o dia oficial de culto e que se começou a celebrar o Natal em dezembro.)
Nessa mesma vontade de se fortalecer, a Igreja Romana lutava para acabar com as “heresias”,
ensinamentos contrários aos do papa. Qualquer pessoa que falasse ou agisse de forma contrária aos
ensinamentos do papa (ou fosse acusada disso) era julgada pela Inquisição, um tipo de tribunal da Igreja.
Muitas pessoas que começaram a falar que os ensinamentos da Igreja não eram bíblicos e que o papa estava
abusando do seu poder acabaram sendo mortas, geralmente queimadas, enforcadas ou afogadas. Além de tudo
isso, surgiu um falso ensinamento por volta do século VII que dizia que o cristão precisava fazer penitência
(rezar um certo número de orações, dar esmolas, ou comprar da igreja um “documento de perdão”, isto é, uma
indulgência) para obter perdão por seus pecados. Chegou um ponto na história em que vender indulgência até
para defuntos, isto é, ofereciam à família de alguém que tinha morrido a possibilidade de comprar perdão para
o falecido.
Com tanta corrupção, tantos maus ensinamentos e tantos abusos de poder, já no século XII começaram a
despontar as primeiras faíscas de uma grande reforma. Homens estudavam a Bíblia e viam quão longe a Igreja
estava dos ensinamentos de Deus. Eles começaram a denunciar esses desvios e traduzir a Bíblia para a língua
do seu povo. Tais homens foram acusados de heresia (ensinamentos contrários ao da igreja), e vários foram
mortos por pregarem a verdade. Mesmo assim, ainda havia alguns que seguiam o verdadeiro Evangelho
firmemente e o pregavam.
Eu mesmo era um monge muito dedicado ao estudo das Escrituras. Lendo a Bíblia, vi que os ensinamentos
da igreja católica romana quanto à salvação estavam errados. Escrevi um documento denunciando esses erros.
Passei a pregar que a salvação vinha pela fé pessoal em Jesus Cristo. Contei a todos que pude que a Bíblia é a
autoridade máxima que deveria reger a vida dos cristãos, e não o papa ou a igreja católica. Tentaram me
silenciar, mas graças a Deus muitas pessoas estavam acordando para essas verdades e me ajudaram. Com isso
começou a Reforma Protestante, que foi nosso protesto contra os ensinamentos errados da igreja católica
romana e volta para o ensinamentos bíblicos.
Em 1521, um imperador convocou uma assembleia geral para discutir minhas denúncias e julgar o meu
caso. Defendi minha posição a partir da Bíblia. Meus amigos, sabendo que minha vida corria perigo, me
“sequestraram” antes do fim da assembleia (que durou quase 5 meses) e me esconderam por um tempo. Isso
foi muito bom, pois nesse tempo me dediquei à tradução da Bíblia para a língua germânica. Finalmente, a
região da Alemanha onde eu e muitos outros protestantes moravam se separou do império da igreja católica, e
tive liberdade para pregar e ensinar.
Em outros países da Europa também houve movimentos de reforma, e os ensinamentos bíblicos também se
espalharam por toda a Escandinávia (Dinamarca, Noruega, Suécia e Finlândia).
Uma das melhores coisas que aconteceram nessa época, porém, foi o meu casamento com Catarina von
Bora. Apesar de eu ter medo de morrer como herege e deixar uma viúva e órfãos, foi importante para mostrar
que os líderes da igreja podiam, sim, se casar e ter família (enquanto a igreja católica proibia isso para padres e
monges). Além disso, eu precisava muito de alguém que me auxiliasse. Eu e Catarina buscamos dar um
exemplo de família dedicada a Deus. Ela administrava a casa de forma admirável – tínhamos recebido do
prefeito um mosteiro para morar, e Catarina o transformou numa pensão. Não éramos ricos, e às vezes faltava
dinheiro, mas minha esposa era tão prestativa e agradável para mim e nossos filhos, que eu não trocaria nossa
pobreza por todos os tesouros do mundo.

Presente
Depois da reforma missionários e imigrantes europeus levaram o evangelho por todo o mundo, e a
verdadeira Igreja cresceu muito. Porém, ao mesmo tempo em que o evangelho alcançava o mundo, novas
filosofias e ideologias começavam a surgir e a enganar pessoas, inclusive os cristãos.
Houve tantas lutas e dificuldades para tornar a Palavra de Deus disponível a todos, mas com o tempo as
pessoas deixaram de querer saber o que Ele diz. Especialmente a partir do séc. XIX, com o grande
desenvolvimento industrial e científico na Inglaterra, cada vez menos pessoas estavam dispostas a pensar nas
coisas de Deus, preferindo pensar nas coisas do mundo.
Então, uma série de pensadores deram a essas pessoas uma boa desculpa para não pensar em Deus. E
mais e mais filósofos estavam dispostos a dizer que Deus não existe, que a verdade não existe, que certo e
errado são conceitos culturais que podem variar de uma parte do mundo para outra.
Hoje, quase quinhentos anos depois da Reforma, a Igreja Cristã europeia está enfraquecida e com
pouquíssima influência sobre a sociedade. Por incrível que pareça, há pessoas na Europa que nunca ouviram e
nem querem ouvir falar de Jesus. O pior é que mesmo dentro de igrejas tem se proibida falar de Jesus. Não que
não haja igrejas que pregam o verdadeiro evangelho—ainda há tais comunidades. Mas são poucas as que
pregam a verdade da Bíblia. Para muitos, as Escrituras não são referência e não têm autoridade para ensinar as
pessoas como viver.
Por estarem distantes de Deus a maioria das pessoas só querem saber de si mesmas, enriquecer a si
mesmas, agradar a si mesmas, viver para si mesmas. Egoísmo, ganância, vaidade, indiferença, falta de amor ao
próximo têm crescido.
Sabem que o maior reflexo disso tudo é mostrado nas famílias europeias. O conceito de família como Deus
instituiu de forma perfeita e bela já não existe. Sem conhecer a vontade de Deus, muitas pessoas fazem tudo
errado e desenvolvem relacionamentos errados, fora do plano de Deus, e chamam isso de família. Para Deus
família é: HOMEM + MULHER = FILHOS. Mas para os europeus, esse é um modelo antigo, ultrapassado. O que
vale hoje é amar e ser feliz, não importa com quem ou de que forma.
E não é só isso, na Suécia por exemplo, é permitido aos filhos denunciarem seus pais à polícia se não
gostarem de ser disciplinados. Os pais também podem entrar em contato com o serviço social e entregar seu
filhos se não quiser mais cuidar deles. Que absurdo!
Infelizmente esta é a realidade que o mundo cada vez mais distante de Deus aprova. A igreja de Jesus está
cada vez mais parecida com o mundo, ensinando aprovando e ensinando tudo que desagrada a Deus. Mas Deus
não aprova essas coisas. Veja o que a Bíblia diz.
Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem
do amargo doce, e do doce amargo.
(Isaías 5.20)
Precisamos orar para que os cristãos da Europa e os missionários que estão lá sejam capazes de mostrar
que confiar em Deus e O seguir é o melhor caminho – o único caminho para a salvação e para uma vida feliz.
Precisamos orar para que os europeus percebam que há, sim, bem e mal, céu e inferno, verdade e mentira,
para que escolham a verdade, o céu e o bem por meio de Jesus.

CONSELHOS DO TREINADOR
Na hora silenciosa dessa semana vocês aprenderam bastante sobre a família, sobre como os filhos devem
se comportar em relação aos seus pais, os pais aos filhos, marido à esposa e esposa ao marido. Vamos repetir
o versículo que guardamos no coração: “Meu filho, obedeça aos mandamentos de seu pai e não
abandone o ensino de sua mãe.” Provérbios 6:20
(Leia Isaías 5.20 com os juniores de novo.)
A maioria das pessoas na Europa está convencida de que a Palavra de Deus, que é boa, é algo ruim; de que
o cristianismo e os cristãos, que são a luz do mundo, são atrasados e estúpidos; de que a família conforme os
planos de Deus é uma prisão, e seguir o pecado é liberdade. Por isso, obedecer e honrar os pais para eles é
besteira, disciplinar os filhos (em alguns lugares) é um risco e ser fiel ao esposo ou à esposa não é tão
importante assim. O problema é que, quando as famílias não seguem mais o padrão de Deus, a sociedade toda
sofre e corre o risco de se destruir.
Vamos orar pelos cristãos e pelas famílias europeias pedindo a Deus que revele as Verdades da Bíblia para
eles e para que os pastores, missionários e evangelistas que estão naqueles países preguem fielmente a
Palavra de Deus.

GRANDE JOGO
Opção A
Futebol de duplas
Divida o grupo em duas equipes com o mesmo número de participantes. Forme pares unidos com mãos
dadas.
Cada equipe disputa uma partida de futebol sendo as duplas os jogadores. As mãos não podem ser soltas.
Vence a equipe que marcar mais gol no tempo estipulado.

Opção B
“Brincadeiras musicadas”
Encontre os vídeos no youtube, aprenda e faça com os juniores:
- Gato no beco: https://www.youtube.com/watch?v=mDeJMTgA1IU
- Papai maluco: https://www.youtube.com/watch?v=X_UFFzwt470
- Vai, mas não vai: https://www.youtube.com/watch?v=96rkmSvARk0

LANCHE
Que tal servir alimentos típicos europeus. Cuidado para não desagradar o paladar das crianças. Uma boa
macarronada, mini pizzas, chá, pastel de Belém, etc., são iguarias mais conhecidas e aceitas pelas crianças.
Use a criatividade.