Você está na página 1de 4

Igreja Evangélica: Tipos de Governo Eclesiástico

Postado em 9 de março de 2017

Qual o melhor tipo de Governo Eclesiástico?


As Igrejas Evangélicas possuem diversos tipos Governo Eclesiástico. Por isso, o Governo
Eclesiástico de uma Igreja Evangélica deve se adequar a denominação evangélica, pois cada
denominação possui suas particularidades e formas de governo e administração.
Sendo assim, o Estatuto de uma Igreja Evangélica, deve seguir o modelo de administração
eclesiástica utilizada pela denominação da Igreja. Dentre as formas de governo, citamos as
seguintes:
Governo Eclesiástico Episcopal
O modelo de governo Episcopal centraliza as decisões na pessoa do presidente da Igreja. Esse
modelo de governo é muito comum, principalmente em Igrejas pequenas, onde o pastor responsável
por tomar a decisões, já que não possui líderes capacitados para tomar as decisões.

Além disso, em pequenas Igrejas, muitos pastores utilizam recursos próprios para aplicar na
Igreja. Nesse tipo de governo, tudo é resolvido de forma ágil.

Porém, pelo fato de o governo Episcopal dar ao presidente total poder de decisão, o mesmo deve
sempre manter todas as suas decisões esclarecidas, a fim de evitar qualquer tipo de questionamento
por parte dos membros.

Governo Eclesiástico Congregacional


O governo da Igreja é atribuído aos membros da mesma, que tomam as decisões através de uma
assembléia geral. Nesse modelo, todos os membros em comunhão possuem direito de voto sobre
questões que vão desde a reforma da Igreja até a eleição da Diretoria.

O ponto negativo desse regime de governo é exatamente o poder que é dado aos membros,
permitindo a criação de grupos políticos, dando aos mesmos o poder de até mesmo retirar o pastor
da sua função.
Em casos mais simples, como a aprovação de uma reforma por exemplo, a vontade da maioria
prevalece, impedindo que o planejamento estabelecido pelo pastor da Igreja seja concretizado.

A demora na tomada de decisão também é um fator negativo, pois qualquer decisão depende da
quantidade de membros presentes e da votação da maioria para que a mesma seja tomada.

Por conta disso, muitas igrejas que utilizam o regime de governo congregacional, estão criando uma
espécie de conselho, onde os líderes tratam de alguns assuntos e, só após essa reunião, levam
à assembléia dos membros.

Governo Eclesiástico Presbiterial


A administração é exercida por um conselho, que é eleito pelos membros, para em conjunto governar
a igreja. Nesse regime de governo, um grupo de líderes eleitos pela Igreja toma as decisões,
impedindo a participação de membros que talvez não estejam preparados para tratar de alguns
assuntos.

Vale ressaltar que a disponibilidade dos membros do conselho é de extrema importância, pois isso a
falta da mesma pode atrapalhar a tomada de decisão, deixando o pastor de mãos atadas.

[wp_bannerize group=”igrejas centro” categories=”53″]

Mas em que o tipo de Governo Eclesiástico influencia?


O tipo de Governo Eclesiástico influencia diretamente na elaboração do Estatuto da Igreja, pois é
no Estatuto que deve estar discriminado a forma de governo e administração da Igreja.
Antes de abrir uma Igreja Evangélica, é importante que os responsáveis pela abertura decidam
todos os detalhes importantes. Pois é muito comum recebermos em nosso escritório Igrejas que não
elaboraram um estatuto de forma adequada, obrigando a Igreja a elaborar uma Reforma Estatutária,
gerando custos desnecessários.
Para isso, é de extrema importância contar com a ajuda de um escritório de contabilidade, para que
se evite multas e problemas para a instituição e seus dirigentes.

Se você precisa regularizar a situação de uma Igreja Evangélica, ou possui qualquer dúvida, entre
em contato conosco através dos seguintes telefones: [21] 2667-1431 / 2161-4272 / 98556-6260. Ou
acesse – Fale conosco.