Você está na página 1de 30

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS

FACULDADE DE LETRAS
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS

GENOMA

MANAUS/AM

2017
FABIO ISHIYAMA DE RICCIO

GENOMA

Trabalho apresentado para


obtenção de nota na
disciplina ‘Estudos
Foucaultianos’ do Mestrado
em Letras ministrado pelo
Prof. Dr. Leonard Christy
Souza Costa.

MANAUS

2017
GENOMA

Fabio Ishiyama de Riccio1


RESUMO

Este artigo se preocupa em discutir a sexualidade humana, principalmente


quanto a homossexualidade e relativamente a bissexualidade.

Traz dados do quanto se erra e de quantas vidas se perdem devido serem


seguidos discursos disparatados, porém muito bem articulados de ordens familiares,
religiosas e sociais, que buscam manter na sociedade uma ilusão de bons costumes e
moralidade.

Evidencia algumas considerações espíritas quanto a sexualidade, e finalmente


comprova através de fundamentação científica a existência hereditária e genética da
diversidade sexual humana, não sem questionar quais seriam as possíveis atitudes a
serem tomadas por um grupo dominante perante tais comprovações.

Palavras-chave: Sexualidade humana, Diversidade, Genética, Discurso.

ABSTRACT

This article concerns on discussing human sexuality, considering mainly


homosexuality and relatively bisexuality.
It brings data on how many mistakes and how many liveshave been lost due to
follow nonsensical, therefore very well-articulated discourses on family, religion and
society, which are searching for keeping and maintaining an illusion of good habits and
morality.
It evidences some spiritualist considerations on sexuality, and finally,it proves
through scientific substantiation the heritage and genetic existence of human sexual
diversity, not without questioning which would be the possible attitudes to be taken by a
dominant group beyond such proof.

Key words: Sexuality, Diversity, Genetic, Discourse.

1
Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Letras (Teoria e Análise Linguística) da Universidade
Federal do Amazonas. Especialista em Metodologia do Ensino da Língua Inglesa pela Escola Superior
Batista do Amazonas. Licenciado em Letras - Língua e Literatura Inglesa e Portuguesa pela Escola
Superior Batista do Amazonas. E-mail: fabriccio68@hotmail.com.
Pessoalmente e principalmente motivado por uma fatalidade ocorrida a um
grande colega de trabalho, que tive a honra de conhecer, quando fomos professores no
projeto Pró Jovem, Jason de Oliviera Ferreira, que foi brutalmente assassinado, resolvi
escrever este artigo.

O assassino de Jason, como foi noticiado nas manchetes dos jornais, ria
enquanto confessava seu crime à polícia.

Sua risada, de forma alguma demonstrava nervosismo, muito pelo contrário, era
satisfação, dever cumprido, arrogância e superioridade.

Jason enquanto professor no Pró Jovem, sempre estava vendo o melhor de todos,
tendo esperança que o bom afloraria mesmo daqueles alunos que todos os outros
professores consideravam como ‘casos perdidos’, ele, no entanto, não os via assim, ele
se tornava amigo deles, os aconselhava, os ajudava e consequentemente recebia críticas
de todos seus colegas.

Mas, Jason não mudava sua atitude em coisa alguma, ele tinha a certeza que
poderia realizar uma mudança nas pessoas.

Quando soube de seu assassinato, tive a certeza de que ele havia se apaixonado
por alguém que como era de seu costume, acreditava ter algo muito bom à aflorar da
alma.

Porém, como esperar que algo bom venha da alma de alguém com tantas
informações descabidas rodando por sua mente como padrões e certezas a serem
cumpridas?
INTRODUÇÃO

A teoria da relativa de Albert Einstein, considera que o universo está em plena


expansão (LANDAU e RUMER,1979), o que significa que o infinito constantemente
mais se estende, no entanto, há um período para alguns jovens principalmente quando
estão passando pela adolescência, que mesmo perante a tanta grandeza e magnitude
cósmica, eles acreditam não se enquadrarem em lugar algum. A solidão, a rejeição, a
falta de adequação ou a aceitação tanto pela família quanto pelos colegas, remete-os a
um quadro de depressão e ansiedade que muito frequentemente os conduzem ao
suicídio.

É a comunicação realizada por vários seguimentos existentes na sociedade,


políticos, sociais e religiosos que estabelecem uma moral social na qual a maioria das
famílias se articulam para estarem dentro dos padrões exigidos e aceitáveis, assim não
pertencer a nenhum grupo minoritário e nem de risco realizam a felicidade da unidade
familiar e social em si (BRANDÃO, 2002), mantendo seus participantes em
conformidade e homogêneos através de gerações.

Há três noções pontuais que constituem o indivíduo e sua participação em


sociedade: o poder, o saber e o cuidado de si (FOUCAULT, 2003), constituindo assim
como a tecnologia do ‘eu’, sujeito a responder, trabalhar, entender e obedecer as
relações de poder em toda e qualquer unidade social.

[...] as relações de poder existem entre um homem e uma mulher,


entre aquele que sabe e aquele que não sabe, entre os pai s e as
crianças, na família. Na sociedade, há milhares e milhares de
relações de poder e, por conseguinte, relações de forças de
pequenos enfrentamentos, micro lutas de algum modo. Se é
verdade que estas pequenas relações de poder são com
frequência comandadas, induzidas do alto pelos grandes poderes
de Estado ou pelas grandes dominações de classe, é preciso ainda
dizer que, em sentido inverso, uma dominação de classe ou uma
estrutura de Estado só podem bem funcionar se há, na base, essas
pequenas relações de poder. O que seria o poder de Estado,
aquele que impõe, por exemplo, o serviço militar, senão
houvesse em torno de cada indivíduo todo um feixe de relações
de poder que o liga a seus pais, a seu patrão, a seu professor –
àquele que sabe, àquele que lhe enfiou na cabeça tal e tal ideia?
(FOUCAULT, 2003, p. 231).
Desta forma, o indivíduo realiza somente o que e pelo que dele é esperado, sua
vontade própria, ‘livre arbítrio’, na realidade está disfarçada em escolhas já há muito
tempo feitas para ele, pelos sujeitos que aguardam dele uma normalização
comportamental, uma vivência social padronizada e a realização de atividades
temporais aceitáveis, como: namorar com alguém do sexo oposto, noivar, casar, ter
filhos e repetir todo o padrão consecutivamente com seus filhos.
Com o modelo estabelecido e formado, qualquer indivíduo estaria apto a viver e
existir sem atritos dentro da sociedade (HINDE, 1976), tornando-se consequentemente
unidade produtiva, culturalmente aceitável e funcional por períodos de tempo
relativamente longos.

Porém, as mudanças ocasionalmente ocorrem, uma vez que há os indivíduos que


não se enquadram em uma ordem pré-estabelecida (MIRANDA, 2004). Há quem não
seja heterossexual, que nem se realize trabalhando em um escritório e jamais pretenda
ser funcionário público, a eles, sua assimilação e a aceitação perante os ditames da
sociedade, são mais complexos, eles necessitam que profissionais das áreas da saúde e
principalmente da educação os entendam, e os auxiliem a enfrentar os desafios porvir.
Muitos não estão verdadeiramente preparados a suportar as pressões, para que eles
sigam o modelo pré-estabelecido, e em momentos de desespero, eles tendem se
conduzir à ‘saídas’ e ‘fugas’ aparentemente fáceis e consoladoras, por acreditarem na
maioria das vezes, ser esta a única solução.

Além dos assassinatos motivados pela homofobia, práticas de ódio explícitas,


que se expressam e se justificam por estarem retirando máculas e engrenagens sociais
não conformes as padronizadas e aceitáveis (MOTT e CERQUEIRA, 2001 e LEONY,
2006), realizadas através de atos de violência física extrema com requintes de crueldade
e tortura, caracterizadas por serem realizadas com armas brancas e elevados números de
golpes físicos articulados a prolongar o sofrimento da vítima.
TENDÊNCIAS SUICÍDAS

Revista GALILEU, editora Globo (05/2013), foi editada uma pesquisa realizada
pela Universidade de Columbia - EUA, com 32.000 jovens com idades entre 13 e 17
anos que frequentam escolas públicas, na qual comprova que jovens homossexuais têm
propensão cinco vezes maior a cometerem suicídio do que os heterossexuais,
principalmente se o ambiente for hostil e opressor.

Instituto de Ciências Médicas da Unicamp - Universidade Estadual de Campinas


(2012), realizou uma pesquisa na qual demonstrou que 67% dos entrevistados sentiam
vergonha quanto sua orientação sexual e destes 35% apresentavam sintomas de
depressão e 10% tinham tendências suicidas.

UFAL - Universidade Federal de Alagoas inspirada pela pesquisa realizada pela


Unicamp, sob a responsabilidade da professora Wilzacler Rosa, realizou outra pesquisa
de janeiro a outubro de 2013 com a mesma temática na cidade de Maceió, contando
com a colaboração dos estudantes do curso de Serviço Social, em parceria com o Centro
de Amor à Vida (Cavida) de Maceió e o HGE - Hospital Geral do Estado, coletaram
dados de aproximadamente 400 casos de tentativas de suicídio e o IML - Instituto
Médico Legal, chegou a registrar 61 casos de óbitos em apenas 10 meses.

De todos os entrevistados, 63% que relataram ter coragem de cometerem


suicídio eram do sexo masculino, as mulheres eram 37%, quanto a sexualidade destes
74% eram homossexuais e 26% bissexuais. Os fatores que os motivariam a amputar a
própria vida seria a falta de apoio espiritual, a indiferença e o preconceito, além das
dificuldades nos relacionamentos pessoais ou familiares, a depressão, a falta de amor
próprio, a perda do sentido de viver, a dificuldade financeira, o desequilíbrio mental e a
dificuldade para resolução de problemas.
SUICÍDIOS NO AMAZONAS

No Amazonas, na capital Manaus, de acordo com o IDB - Indicadores e Dados


Básicos do DATASUS, o número de suicídios entre 2002 a 2012 cresceu em 89,6%,
passando de 48 óbitos em sua população total, sendo 23 destes de jovens, em 2002 para
91 óbitos (população total), 44 (jovens), em 2012.

No entanto, não é descrito se tais casos de suicídios foram de homossexuais ou


heterossexuais. Os relatos possíveis só chegam ao conhecimento do público através de
algumas poucas ocorrências que vazam através da imprensa, um deles é o do professor
de inglês Miro Martins, que após ter saído de uma sessão de terapia, na terça-feira
(10/12/2003), por volta de 11h30, se jogou do estacionamento do cinema do
Millennium Shopping, na queda ele bateu com a cabeça na ponta de um vaso e o
impacto fez seu crânio partir ao meio (Pragmatismo Político, 2013). Comentários nas
redes sociais diziam que Miro não era aceito por sua família, que é evangélica e seu pai
é pastor.

HOMICÍDIOS

Enquanto os óbitos por suicídio não serem abertamente comentados nem


esclarecidos, as informações quanto aos homicídios praticados pelo preconceito,
intolerância e a falta de informação pululam pelos meios de comunicação.

De acordo com o ‘Relatório 2015 - Assassinato de LGBT no Brasil’, editado


pelo GGB – Grupo gay da Bahia, fundado pelo professor e antropólogo da
Universidade Federal da Bahia, Luiz Mott em seu blog:
‘homofobiamata.wordpress.com’, postou embasado em dados obtidos através da
imprensa que no período de seis meses, de janeiro a junho de 2016, Manaus já era
considerada a capital mais homofóbica do Brasil, com23 assassinatos, número este que
superava até mesmo os da cidade de São Paulo que até então contava com 13
assassinatos.

Em 2015, segundo o GGB no Brasil ocorreram 318 homicídios de LGBT,


sendo deste total, 52% de gays, 37% de travestis, 16% de lésbicas, 10% de bissexuais,
7% de heterossexuais confundidos com gays e 1% de amantes de travestis, o que
totaliza um crime de ódio ocorrendo a cada 27 horas.

HOMICÍDIOS NO AMAZONAS

A capital mais homofóbica do norte do país é Manaus, com 23 assassinatos, 11,3


mortes para cada milhão de habitantes, seguida de Porto Velho, com 5 mortes, 10,1 por
um milhão (GGB), Acre e Roraima não apresentaram nenhum assassinato em 2015.

De acordo com o prof. Luiz Mott, não há previsão alguma nos crimes
homofóbicos, uma vez que a variação entre eles de ano para ano são inexplicáveis, Em
2013 foram assassinados 312 LGBT no Brasil, em 2014 aumentou para326 em 2014,
em 2015 baixou para318. O professor também afirma que há estados que em um ano
mais gays são mortos e no ano seguinte mais transgêneros, e atualmente as lésbicas
também estão atingindo porcentagens alarmantes de óbitos, 20% em média dos totais
por cada ano.

Mas, o mais chocante para o prof. Mott está relacionado ao estado do Amazonas,
que em 2014 apresentou 7 homicídios e no ano seguinte em 2015 saltou para 25, sendo
que deste total, 23 ocorreram em Manaus, cidade com aproximadamente dois milhões e
seiscentos mil habitantes, contra os 15 assassinatos que ocorreram no mesmo ano na
cidade de São Paulo, com uma população aproximada de 12 milhões de habitantes.

VÍTIMAS DO ÓDIO

O direito não é a justiça. O direito é o elemento do cálculo, é justo


que haja um direito, mas a justiça é incalculável, ela exige que se
calcule o incalculável; e as experiências aporéticas são
experiências tão improváveis quanto necessárias da justiça, isto é,
momentos em que a decisão entre o justo e o injusto nunca é
garantida por uma regra. (DERRIDA, 2010)

As vítimas do ódio vêm crescendo a cada ano no Brasil e no Amazonas,


principalmente em sua capital, Manaus, os seus inquisidores, os que se permitem o
direito de lhes infligir penalizações, se fundamentam em discursos de normativas
reguladoras, principalmente de ordem bíblica, justificados pelo direito de liberdade de
expressão garantidos pela ‘Declaração Universal dos Direitos Humanos’ de 1948, torna-
se um mecanismo do discurso político, ostentado conceitos sociais a serem mantidos e
preservados como, os bons costumes e a moral da família brasileira. A
heterossexualidade é garantida pelo Estado moderno (FOUCAULT, 1988), em
contrapartida, qualquer outra possibilidade de sexualidade ou gênero é considerada
desregulada e indevida, marcando uma característica racista do Estado (FOUCAULT,
2005), que é afirmado e confirmado pela política e pela religião justificando seus crimes
como o ‘castigo’ ou a ‘justiça’ de Deus.

ALGUNS RELATOS DOS ASSASSINATOS ‘AS VÍTIMAS DO ÓDIO’

PORTAL DO HOLANDA – 29/01/2014

Dupla matava homossexuais em Manaus por prazer

(...) presos nesta quarta (...) os assassinos confessos do estudante universitário Steve
Hosth, encontrado morto no dia 29 de novembro de 2013. (...) os irmãos Jucenildo
Soares Damacena (o Dunga), 18 e Ricardo Damacena Cunha, 19, foram identificados e
presos pela autoria do crime. (...)confessaram ter matado e roubado Steve Hosth, além
de pelo menos mais três pessoas. Todas elas homossexuais. (...) dia 18 de novembro de
2013, em um hotel na Rua Floriano Peixoto, Centro foi encontrada a primeira vítima
conhecida, Henrique Júnior Rabelo Maio, de 31 anos. No dia 11 de novembro, Carlos
Macambira da Silva, 41, foi encontrado morto em um local denominado "Sítio da
Engeco", no Santa Etelvina. No dia 16 de dezembro, mataram Jucinei José Araújo
Barbosa, 46, um industriário que trabalhava há muitos anos no Distrito Industrial e
havia acabado de receber seu 13º. Além do dinheiro, teve um notebook roubado que
estava em posse da dupla e foi reconhecido pela família.

PORTAL DO HOLANDA – 24/02/2015

Mototaxista ri enquanto confessa que foi dormir com professor e o estrangulou

O mototaxista Washington Paulino Cruz do Nascimento Júnior, 27, foi preso por
policiais civis da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), na
tarde de segunda-feira (22), por volta das 17h, na residência da mãe dele, localizada
na rua Jacaré, bairro Jorge Teixeira, Zona Leste de Manaus. (...) é o principal suspeito
pelo assassinato do professor de uma escola da rede municipal, Jason de Oliveira
Ferreira, 36, morto por estrangulamento na própria casa. O corpo do professor foi
encontrado por amigos, na última quinta-feira (19), na rua Guaramiranga, bairro
Gilberto Mestrinho, também na Zona Leste. (...)a vítima e o suspeito mantinham um
relacionamento amoroso há um mês. Washington foi preso em cumprimento a mandado
de prisão expedido no dia 22 de fevereiro, pela juíza do Plantão Criminal, Andrea
Jeane Silva de Medeiros. O suspeito confessou o crime durante os questionamentos
iniciais realizado pelo investigador Geraldo Filho (Geraldinho).
PORTAL DO HOLANDA – 09/04/2015

Um dos jovens que teriam assassinado professor homossexual é preso em Manaus

Victor Nascimento de Souza, de 20 anos, foi preso e apresentado nesta quinta-feira,


pela DEHS, como um dos suspeitos do assassinato do professor Wladimir Uchoa Lima,
de 34 anos, encontrado morto em seu próprio carro no dia 26 de janeiro no bairro
Mauazinho, Zona Leste de Manaus. (...) No percurso, o professor teria tentado fazer
sexo com os homens, que reagiram da pior forma possível, enforcando a vítima até a
morte. (...) Victor negou que tenha participado do crime, mas falou que os dois colegas,
um jovem de 17 anos, e o outro conhecido por 'Julianderson", mataram o docente; "Eu
não participei disso. O professor deu carona para nós e no caminho teria passado a
mão no nosso colega, que não gostou e o matou. Estávamos na parada, ele parou e
ofereceu carona, aceitamos e dentro do veículo ele queria praticar sexo com a gente.
Não aceitamos e ele insistiu muito, por isso meus amigos o mataram”.

EM TEMPO – 07/05/2015

Homossexual é encontrado morto com pés amarrados na Zona leste

Raí Victor da Silva Alves, 22, foi encontrado morto com perfurações de faca,
amordaçado e o pescoço envolvido por um cinto, além dos pés amarrados, por volta
das 11h, desta quinta-feira (7), dentro de um apartamento pequeno, onde morava, na
rua J, bairro São José 2, Etapa B, Zona Leste de Manaus. Familiares da vítima
confirmaram que o jovem era homossexual e morava sozinho (...) Conforme a prima da
vítima, a universitária Kamila Amorim, 23, comerciantes da área viram três homens
desconhecidos, que provavelmente residem no bairro, chegarem em um veículo modelo
Gol, cor preta, placa não identificada.

PORTAL DO HOLANDA – 07/09/2015

Homossexual é estrangulado dentro de apartamento no Planalto

Paollo Bruno Florêncio de Sousa, 26, foi encontrado morto com sinais de
estrangulamento na manhã desta segunda-feira (7) dentro de um apartamento,
localizado na rua Penetração D, conjunto Ajuricaba, bairro Alvorada, Zona Centro-
Oeste de Manaus. A vítima, natural do município de Capanema, no Estado do Pará, era
homossexual e trabalhava no setor administrativo do Hospital Hapvida. De acordo com
informações, dois homens foram vistos saindo do apartamento. Um homem conhecido
como 'Diego' era ex-namorado e é apontado como principal suspeito.

EM TEMPO – 23/12/2015
Homossexual se recusa a fazer sexo e acaba morto com cinco facadas

Um homem identificado como Mário da Silva Lopes, 30, foi assassinado com cinco
facadas, ao se recusar a manter relações sexuais com o suspeito. (...) O crime ocorreu
na quitinete nº 7, onde a vítima morava, na rua 4, bairro Alfredo Nascimento, Zona
Norte, por volta das 11h de ontem. (...)Um homem (o suspeito) abriu a porta e já saiu
correndo. Ela (vizinha) encontrou Mário jogado no chão da casa ensanguentado e com
vários golpes de faca no pescoço. Ela saiu pedindo ajuda, mas ele morreu em minutos”,
disse.

HOMOFOBIA MATA – 03/07/2016

Emerson Rios Carvalho Sena / Médico/ 56 anos/ Facadas / AM, Manaus

O corpo de Emerson foi encontrado pelo irmão dentro do lavabo em seu apartamento
tríplex e estava com marcas de violência com bastante sangue, causadas por facadas
no pescoço, braço, corpo e agressões físicas.
Assassino confesso, para variar, coloca a culpa na vítima e alega legitima defesa.

HOMOFOBIA MATA – 27/06/2016

Cleber Barbosa da Silva / 35 anos / Esganadura / DEHS / AM, Manaus

O homem foi encontrado morto, em estado de decomposição, foi esganado com um


pano, estava com as mãos e pés amarrados com lençóis e tinha um preservativo no
pênis.

HOMOFOBIA MATA – 09/07/2016

Cleber Santos de Oliveira / Cabeleireiro / 43 anos / Tiros / DEHS / AM, Manaus

Amigos contam que o assassino entrou no salão, onde a vítima era proprietário e disse
‘perdeu’ e já foi atirando. Um comparsa dele estava na esquina o esperando e fugiram
numa motocicleta.A polícia descarta o crime de latrocínio (roubo seguido de morte),
uma vez que nada do espaço foi levado.

GLOBO – AMAZONAS – 28/06/2016

Em seis meses, Manaus registra 15 assassinatos de homossexuais

Quinze homicídios de homossexuais foram registrados de janeiro a junho de 2016 em


Manaus, segundo dados da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania
(Sejusc). Entre eles, há mortes motivadas por questões passionais ou relacionadas ao
tráfico de drogas. Os casos relacionados com a homofobia nem sempre são
confirmados pela ausência de legislação específica. Mudar as leis sobre o assunto é um
dos "desafios", de acordo com a secretária de Justiça e Cidadania, Graça Prola. A
titular da pasta explica que não há registros de morte por crime homofóbico, pois o
crime não é previsto em lei. "Ainda não é tipificado no Código Penal Brasileiro o crime
de homofobia, assim como não é, ainda, tipificado o crime de intolerância religiosa.
Então, termina que o sistema oficial nem registra. Essa é uma das lutas e um dos
desafios", afirma a secretária.

HUFFPOST BRASIL – 15/07/2016

'Não estou arrependido': Jovem confessa ter matado homem gay. O motivo?
Suposto assédio

(...) este caso comprova que ahomofobia mata. Desta vez, um jovem de Manaus
confessou ter atacado com violência outro homem até a morte. O motivo? Um suposto
assédio. A vítima era gay.De acordo com o G1, os irmãos Daniel da Silva Brandão, de
18 anos, e Valdo da Silva Brandão, 24 anos, são os suspeitos de agredir até a morte
João Isac Ismael da Silva, de 26 anos. Os dois foram indiciados por homicídio
qualificado. (...) Questionado sobre o crime, Daniel confessou a violência."Fui eu que
matei. Só eu dei paulada. Não estou arrependido e dei várias pauladas mesmo."

JUSTIFICA-SE?

Em Gênesis (1:26-30), a característica heterossexual é bastante clara, sendo o


mandamento único e correto idealizado por ‘Deus’, que é o ‘Ser’ responsável pela
criação de todo o universo infinito, assim, em toda essa imensidão sem fim, se houver
seres em outros mundos, como Deus é o Criador de tudo, todos os seres tanto terrestres
quanto extraterrestres serão então unicamente machos e fêmeas reprodutores e
reprodutivos de Sua máxima ordem e desejo.

O desvio está em ser a parte da criação de Deus e não participar da premissa


binária (homem-mulher). Desta forma Deus teria cometido um erro, para as pessoas do
mundo cristão, Ele jamais se enganaria, porém no Irã essa consideração é aceita, assim,
os homossexuais têm absoluto direito de passarem pela cirurgia da adequação de gênero
e todos seus documentos são reajustados imediatamente (REPÓRTERMT – 2013),
oficializando assim que não haja homossexualidade alguma no Irã, como disse o
presidente do país Mahmoud Ahmadinejad em 2007 à uma plateia de estudantes nos
Estados Unidos da América. ‘No Irã considera-se que os homossexuais são
heterossexuais com uma doença curável através de processo cirúrgico’, afirma.
E como também se justifica por considerações de religiosos, como o clérigo
Mohammad Mehdi Kariminia, ‘Não se está mudando o atributo na natureza criada por
Deus, porque o humano continua humano, tratando-se apenas de sintonizar o corpo e a
mente’.

O discurso religioso é consagrado, o país é heterossexual, as premissas da


criação divina são mantidas, apesar que o frutificar e povoar a Terra não serão
cumpridas, mas para uma dominância de gênero estará tudo dentro da conformidade
exigida pela religiosidade e pela política.

E no Brasil?

De acordo com a página do ‘FANTÁSTICO’ (G1.GLOBO – 2016), em 2015, o


Disque 100 recebeu quase 2 mil denúncias de agressões contra gays e 132
homossexuais já foram assassinados no Brasil, assim, estima-se que a cada 28 horas, um
homossexual morre de forma violenta no país. No Brasil a homofobia ainda não é
considerada como crime pela legislação, o que faz os casos de agressões não terem
muita importância pela polícia.

Apesar da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 em seu artigo


5º dizer: Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza,
garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do
direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade (...).

E em seus parágrafos continuar a assegurar que:

¶ I – homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta


Constituição ;

¶ II – ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude
de lei;

¶ III – ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante;

¶XXXV – a lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário lesão ou ameaça a


direito.

Há muitas pessoas que desconsideram a constituição e acreditam apenas na


palavra bíblica. Em We Gather Together: The Religious Right and the Problem of
Interfaith Politics, o escritor detalha as ações do fundamentalista Jerry Falweel (Young,
2015), relatando taxativamente, que a bíblia é a palavra verdadeira do Deus ‘vivo’, que
ela é infalível e sem qualquer erro, seja na fé ou na prática, e nem em geografia, ciência,
história, etc.

Para outros muitos é perceptível que a puerilidade advinda de muitas passagens


denotam as condições culturais, sociais e educacionais do momento quando seus
profetas escreveram os evangelhos que compõem o livro sagrado (McWILLIAMS,
1993), além das notas de autoafirmação, preocupadas em transmitir indubitavelmente a
as relações de puder supremo do homem sobre sua prole, terra e posses, garantindo que
tudo ao seu redor,nada mais é do que seu ‘mantimento’.

E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a


nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as
aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o
réptil que se move sobre a terra.

E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou;


homem e mulher os criou.

E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-


vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar
e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre
a terra.

E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente,
que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há
fruto que dê semente, ser-vos-á para mantimento.

E a todo o animal da terra, e a toda a ave dos céus, e a todo o réptil


da terra, em que há alma vivente, toda a erva verde será para
mantimento; e assim foi.

Gênesis 1:26-30

Desta maneira o sujeito mais simples, que se move pela sociedade como homem
de ‘bem’, tem garantido biblicamente que é supremo e senhor de tudo que coexiste no
planeta (McWILLIAMS, 1993), se ele também frutifica e povoa a Terra, então sua
benção biblicamente está garantida.

INSPIRAÇÃO DIVINA?
A religião espírita considera que os apóstolos eram médiuns (XAVIER E
VIEIRA, 1960), que receberam através da inspiração de espíritos elevados as máximas
para redigirem os evangelhos. No entanto, é considerado por pesquisadores e estudiosos
espíritas várias nuances sobre a mediunidade.

Todo aquele que sente, num grau qualquer, a influência dos


Espíritos é, por esse fato, médium.
Essa faculdade é inerente ao homem; não constitui, portanto, um
privilégio exclusivo. Por isso mesmo, raras são as pessoas que dela
não possuam alguns rudimentos. Pode, pois, dizer-se que todos
são, mais ou menos, médiuns. Todavia, usualmente, assim só se
qualificam aqueles em quem a faculdade mediúnica se mostra bem
caracterizada e se traduz por efeitos patentes, de certa intensidade,
o que então depende de uma organização mais ou menos sensitiva.
É de notar-se, além disso, que essa faculdade não se revela, da
mesma maneira, em todos. Geralmente, os médiuns têm uma
aptidão especial para os fenômenos desta ou daquela ordem, donde
resulta que formam tantas variedades, quantas são as espécies de
manifestações. As principais são: a dos médiuns de efeitos físicos;
a dos médiuns sensitivos ou impressionáveis; a dos audientes; a
dos videntes; a dos sonambúlicos; a dos curadores; a dos
pneumatógrafos; a dos escreventes ou psicógrafos.

O Livro dos Médiuns (2004)

Historicamente há manifestações consideradas pelos espíritas como


representações mediúnicas a enriquecerem e ilustrarem a inquestionável existência de
um mundo etéreo e atuante acerca de todos os seres vivos no mundo terrestre. Eles
seriam os espíritos, tão plurais e tão complexos quanto qualquer ser físico. Os espíritos
poderiam ser amigos e companheiros de luz e esclarecimento, como os que
acompanhavam o filósofo Sócrates, tanto quanto inimigos revoltados e cobertos por
sombras inspirados pela cobiça e a vingança, a mãe e esposa assassinadas por Nero,
Agripi e Otávia, a lhe pressagiarem nos últimos dias de sua existência, a queda que ele
sofreria (XAVIER e VIEIRA, 1960).
Desta forma é perceptível que os espíritos se ligam as pessoas por afinidades, há
possibilidades elevadas e também há as inferiores, os médiuns são de certa maneira
todos os seres vivos e consequentemente também eram os apóstolos quando estavam
respirando em seus corpos físicos.
No entanto, os espíritas consideram que a perfeição não pertença ao mundo
material, que os médiuns por mais bem assistidos e acompanhados que sejam, são
colocados a prova, para assim, sempre estarem atentos quanto suas imperfeições
(KARDEC, 2004), como a criança aprendendo a caminhar sozinha, que em dado
momento caí ao chão, os médiuns devem estar atentos as verdadeiras ou falsas intenções
das comunicações. Sendo possível haver influência dos espíritos elevados, dos
inferiores e até mesmo do próprio médium quando as comunicações são realizadas.
Mas, a preocupação neste momento está na veracidade dos textos bíblicos, sobre
toda a condenação e danação prometidas para aqueles que não cumprem a vontade de
Deus, os homossexuais, pessoas que vivem uma vida na maioria dos casos sofrendo
retaliações, preconceito, agressões, donos de um ‘amor que não ousa dizer seu nome’
(WILDE, 1854 - 1900), frase imortalizada por ele em seu julgamento em 1854 por alta
depravação e sodomia (AMBROSE e NAZARIAN, 2011), estariam também
condenados a além do sofrimento e das intempéries da vida física, a terem que
purgarem seus “pecados” na eternidade do inferno?
Que destino fatal e lancinante, o Deus apresentado por tais segmentos religiosos
compara-se a um carrasco, que cobra a punição pelo não cumprimento da lei.
Em Levíticos (18:22), Lê-se:“Com homem não te deitarás, como se fosse
mulher; abominação é.” E em Deuteronômio (23:17) “Não haverá prostituta dentre as
filhas de Israel; nem haverá sodomita dentre os filhos de Israel.”Desta forma, levando-
se ao pé da letra, a abominação é se deitar como se fosse mulher, isto é, sendo o passivo
da relação, se for o ativo estará liberado. A Israel da bíblia está muito longe da realidade
na qual vive este país atualmente, uma terra multicultural, moderna e com uma vida
noturna que não deixa a desejar coisa alguma a quem dela deseje desfrutá-la, como
poderia alguém imaginar que em Israel não há prostitutas e nem ‘sodomitas’?

Considerando-se as passagens bíblicas, torna-se cada vez mais claro que as


relações de domínio e poder são tentativas de enquadrar as sociedades em mecanismos
funcionais da época, escritos influenciados por pessoas que provavelmente tenham tido
inspirações divinas, mas muitas delas incompatíveis e ingênuas, em Isaías (1:13): “Não
continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação, e as luas novas, e os
sábados, e a convocação das assembleias; não posso suportar iniquidade, nem mesmo
a reunião solene.” Fica claro que Deus não gosta de incenso então, talvez Ele seja
alérgico, ou simplesmente não goste mesmo.

Portanto, fica cada vez mais claro e óbvio que as interpretações bíblicas
precisam ser revistas e reconstruídas, todas as “verdades” das escrituras não são mais
compatíveis com a realidade atual, além de suas passagens estarem repletas de
contradições.
A BATALHA

“É necessário lutar para dar espaço aos estilos de vida


homossexual, às escolhas de vida em que as relações sexuais com
pessoas do mesmo sexo sejam importantes. Não basta tolerar
dentro de um modo de vida mais geral a possibilidade de fazer
amor com alguém do mesmo sexo, a título de componente ou de
suplemento. (...) O fato de fazer amor com alguém do mesmo sexo
pode muito naturalmente acarretar toda uma série de escolhas, toda
uma série de outros valores e opções para os quais ainda não há
possibilidades reais. “
(FOUCAULT, 2004, p. 119)

Considerar que há um estilo de vida homossexual, que as relações sexuais entre


as pessoas do mesmo sexo são importantes e que elas produziriam toda uma série de
outros valores e opções que possibilitariam que as produções humanas a se
enriquecerem culturalmente e que as sociedades teriam muito a ganhar, está muito longe
de pertencer a vários seguimentos religiosos, que infortunadamente direcionam e
conduzem pensamentos e atitudes individuais e sociais que impedem atitudes políticas
verdadeiramente efetivas.

O discurso religioso espírita opera e se articula diferentemente, tendo seu marco


histórico e não menos controverso, quando em 1971, no programa de televisão chamado
‘Pinga Fogo’, da extinta TV Tupi, realizou uma entrevista que deveria durar uma hora,
mas acabou por se prolongar por mais de três, com o médium Chico Xavier (1910-
2002), o programa era apresentado por Almyr Guimarães (1924-1991), consistia em
uma série de perguntas realizadas pelos participantes convidados a compor uma mesa, a
maioria deles era de jornalistas e repórteres, também de membros de vários segmentos
religiosos, da educação e da saúde, além dos espectadores que faziam suas perguntas da
plateia ou pelo telefone.

Chico Xavier foi questionado sobre qual é a visão espírita sobre a


homossexualidade: "Aqueles que são portadores de sentimentos de homossexualidade
ou bissexualidade são dignos do nosso maior respeito" (GOMES,2009). E continua:
“Temos tido alguns entendimentos com Espíritos amigos e notadamente com Emmanuel
a esse respeito. O homossexualismo, tanto quanto a bissexualidade ou bissexualismo
como a assexualidade são condições da alma humana. Não devem ser interpretados
como fenômenos espantosos, como fenômenos atacáveis pelo ridículo da humanidade.
Tanto quanto acontece com a maioria que desfruta de uma sexualidade dita normal,
aqueles que são portadores de sentimentos de homossexualidade ou bissexualidade são
dignos do nosso maior respeito. E acreditamos que o comportamento sexual na
humanidade sofrerá no futuro revisões muito grandes, porque nós vamos catalogar, do
ponto de vista de ciência, todos aqueles que podem cooperar na procriação e todos
aqueles que estão numa condição de esterilidade.
A criatura humana não é só chamada à fecundidade física, mas também à
fecundidade espiritual. Quando geramos filhos, através da sexualidade dita normal,
somos chamados também à fecundidade espiritual, transmitindo aos nossos filhos os
valores do espírito de que sejamos portadores.
Não nos referimos aqui aos problemas do desequilíbrio nem aos problemas da
chamada viciação nas relações humanas. Estamos nos referindo a condições da
personalidade humana reencarnada, muitas vezes portadora de conflitos que dizem
respeito seja à sua condição de alma em prova ou à sua condição de criatura em tarefa
específica.
De modo que o assunto merecerá muito estudo e poderemos voltar a ele em
qualquer tempo que formos convidados Porque nós temos um problema em matéria de
sexo na humanidade, que precisaríamos considerar com bastante segurança e respeito
recíproco.
Se as potências do homem na visão, na audição, nos recursos imensos do
cérebro nos recursos gustativos, nas mãos, na tatilidade com que as mãos executam
trabalhos manuais, nos pés; se todas essas potências foram dadas ao homem para a
educação, para o rendimento no bem, isto é, potências consagradas ao bem e à luz em
nome de Deus, seria o sexo, em suas várias manifestações, sentenciado às trevas?”

As manifestações do sexo são várias e as práticas que geram prazer são quase
inumeráveis, aqui apenas três delas são consideradas: a heterossexualidade, a
homossexualidade e a bissexualidade, de outra forma não se escreveria um artigo, mas
sim uma enciclopédia.

Um biólogo canadense, Bruce Bagemihl, publicou um livro em 2000, chamado:


Biological Exuberance – Animal Homosexuality and Natural Diversity,no qual ele
comprova cientificamente que as três manifestações sexuais citadas, ocorrem
naturalmente em mais de 450 espécies do reino animal, entre mamíferos, aves, répteis e
insetos, desta forma todas as máximas contra a homossexualidade e a bissexualidade
desmoronam e os discursos que modulam os homens a utilizarem o modelo
heterossexual e para reprodução como a única forma aceitável de manifestação sexual
teria que dar lugar ou se reformular rapidamente para não perder espaço à ciência, uma
vez que:‘A facto ad jus non da tur consequentia’ (não há argumentos contra fatos
comprovados).

GENOMA

A sequência completa de DNA (ácido desoxirribonucleico), traz no núcleo de


todas as células do organismo uma carga genética em fita dupla representadas por
quatro letras – A, T, C e G, sendo A (adenina), T (timina), C (citosina) e G (guanina).

Todo indivíduo é o resultado da união genética de 46 cromossomos (2n), 23 do


óvulo (n) e 23 do espermatozoide (n), que são representados pela sequência x
(feminino) e y (masculino). A união homóloga entre os n de cada doador, quando da
união somática de seu último par ocorre, o vigésimo terceiro, há a determinação do sexo
do bebê, sendo x:x, uma menina e x:y, um menino (BUTLER, 2001).

Os segmentos de DNA são denominados por genes, neles se encontram toda a


informação genética. A leitura destas sequências de aminoácidos das proteínas (genes),
permite que se entenda todo o código genético, sendo a genômica o estudo que se
preocupa com as propriedades únicas dos genes e de seus grupos (DAVIES, 2001). O
DNA genômico se localiza no núcleo celular das eucariontes e parcialmente nas
mitocôndrias e nos cloroplastos, o que resulta em um gene, a unidade básica de
hereditariedade.

O RNA (ácido ribonucleico) interage com os segmentos de DNA separando-os e


unindo-os em pares homólogos correspondentes (crossover), as hélices cromossômicas
se rompem, fazem intercâmbio e se unem aos seus pares novamente (BERG,
TYMOCZKO e STRYER, 2002), o RNA funciona como catalisador e parte central da
metabolização primordial na união dos cromossomos que formam os pares da fita
genética de DNA, sendo o RNA comparável a um armazenador de informações
genéticas que através das ribozimas, transmitem os códigos genéticos precisamente por
replicação formando bases, calcula-se que há aproximadamente três milhões e
quatrocentos mil pares base dispostos nos 46 cromossomos que constituem o genoma
humano.

A busca e reconhecimento das informações hereditárias do genoma humano é


realizado através de programas de computadores que mapeiam toda a sequência de
DNA e seus pares base.

Bioinformática é a ciência que busca encontrar algoritmos coincidentes,


sequenciais e específicos, sendo cada ocorrência representada por uma letra,
desenvolvendo assim palavras, frases e textos, como uma ‘carta genética’,
(ATTWOOD, GISEL, ERIKSSON e BONGCAM-RUDLOFF, 2011), no entanto, ainda
faltam caracteres para corresponderem a cada sequência descoberta perante a
complexidade genética.

Mas, o Projeto Genoma Humano – PGH, da NIH – National Human Genome


Research Institute, iniciado em 1990, sob a direção do doutor James D. Watson,
responsável por supervisionar o trabalho de cinco mil cientistas em duzentos e
cinquenta laboratórios, com um orçamento de cinquenta e três bilhões de dólares
investidos por dezessete países, Alemanha, Austrália, Brasil, Canadá, China, Coréia do
Sul, Dinamarca, Estados Unidos, França, Inglaterra, Israel, Itália, Japão, México, Países
Baixos, Rússia e Suécia, e atualmente sob a responsabilidade do doutor Francis Collins,
vem realizando descobertas ininterruptas, decodificando as sequências pares base, suas
relações filogenéticas e a função de cada uma de suas proteínas específicas (FAPESP,
2003).

No final de 2001 e ao longo de 2002, os pesquisadores que lideravam as ações e


pesquisas do PGH, tiveram vários encontros para discutirem os direcionamentos a
serem dados em relação as políticas, a educação e a ética, resultando em um livro
‘Beyond the Beginning: The Future of Genomics I and II’ (COLLINS, 2001), do qual
especifica ideias e faz recomendações que os descobrimentos através das contínuas
pesquisas e o entendimento cada vez maior do genoma humano devem cumprir seu
papel em encontrar a cura de doenças e a manutenção da saúde. Como ele mesmo
declara em uma entrevista realizada em abril de 2003 a CNN News:
Critical understanding of gene expression, the connection between
sequence variations and phenotype, large-scale protein-protein
interactions, and a host of other global analyses of human biology
can now get seriously underway. For me, as a physician, the true
payoff from the HGP will be the ability to better diagnose, treat
and prevent disease, and most of those benefits to humanity still lie
ahead. With these immense data sets of sequence and variation
now in hand, we are now empowered to pursue those goals in
ways of a few years ago.

Collins (2003)

Tradução pessoal - O entendimento crítico da expressão do gene,


as conexões entre as variações sequênciais e o fenótipo, em larga
escala as interações de proteína-proteína, e uma tropa de outras
análises globais da biologia humana, podem agora seriamente
estarem a caminho. Para mim, como médico, o verdadeiro
desfecho do PGH, será a habilidade de diagnosticar melhor,
tratar e evitar doenças, e a maioria destes benefícios para a
humanidade ainda está à frente. Com estes vastos conjuntos de
informações, de sequências e variações à mão, nós estamos com
poderes de prosseguir com metas nem sonhadas há poucos anos
atrás.

MAPEAMENTO GENÉTICO

Segundo o National Center for Biotechnology Information e o Genome Brower


of University of California, o PGH tem entre suas metas, desenvolver ferramentas novas
e acessíveis para auxiliar na identificação e entendimento das funções dos genes.
Uma dessas ferramentas é o mapeamento genético (genetic mapping), ou
acoplamento genético (genetic linkage), que oferece evidências das doenças e
síndromes passadas de pais para filhos, qual é o cromossomo, e em qual gene ele está.
Já identificaram os genes responsáveis por desordens como: fibrose cística,
distrofia muscular de Duchenne, asma, doenças cardíacas, diabetes, câncer e condições
psiquiátricas.
Para se produzir um mapa genético, coleta-se amostras de sangue ou de tecidos
de membros de uma mesma família que tenha alguma condição médica prevalecente,
assim, através de várias técnicas laboratoriais, o DNA é isolado e depois analisado,
buscando-se encontrar peculiaridades que indiquem padrões base a identificação da
doença ou síndrome hereditária, referindo-se a eles como marcadores.
Os marcadores não são exatamente a identificação do gene responsável pela
condição médica, mas eles direcionam os pesquisadores aonde o gene está e em qual
cromossomo.
Desta maneira, nas células haploides (óvulos e espermatozoides), quando elas se
recombinam e emparelham seus cromossomos dando origem ao DNA de um indivíduo,
os marcadores tendem a se recombinar exatamente como os de suas linhagens.
Quanto mais marcadores identificados, mais possibilidades dos pesquisadores
zerarem tais genes convalescentes.

GENOMA DA HOMOSSEXUALIDADE

Em estudos realizados pelo dr. Dean Hamer e sua equipe em 1993, sobre
genética e orientação sexual, foram analisadas 114 famílias de homossexuais
masculinos, os resultados foram que no total 99% de todos os sujeitos da pesquisa
tinham marcadores genéticos quanto sua orientação sexual, as maiores relações foram
encontradas em comparações entre tios e primos maternais, mas não entre os paternais,
e entre irmãos gays pertencentes de uma mesma família (HAMER et al, 1993).

O cromossomo no qual foram encontrados 22 marcadores genéticos alelos, foi o


Xq28, levado ao conhecimento público como ‘o gene gay’. Em 2014, uma pesquisa
semelhante foi realizada por outra equipe de pesquisadores e comprovou que havia uma
incidência maior à homossexualidade pelo lado maternal, 13% dos tios, primos e
irmãos, em oposição aos 6% do lado paternal (WHITAM et al, 1993).

Em uma pesquisa mais recente, demonstra que o Xq28 indica uma ligação
interessante quanto a determinação da homossexualidade em um indivíduo, no entanto,
outros cromossomos também fazem parte da predisposição, o 7q36, o 8p12 e o 10q26,
sendo que o cromossomo 10q26 mostrou mais significância do que o Xq28 como foi
divulgado anteriormente (NGUN e VILAIN, 2014).

Foi também encontrado uma diferença quanto o tipo sanguíneo, em uma


pesquisa realizada com 7000 participantes, notaram que os homossexuais tanto
masculinos quanto femininos apresentavam o fator de Rh sanguíneo negativo (ELLIS,
FICEK, BURKE e DAS, 2008), em comparação com os heterossexuais.
GENOMA DA HOMOSSEXUALIDADE NO MUNDO ANIMAL

Em 2000, o documentário e a coleta de informações realizada pelo biólogo


Bruce Bagemihl, em seu livro ‘Biological Exuberance – Animal Homosexuality and
Natural Diversity’, no qual comprova que nas 450 espécies de animais estudadas por ele
apresentam a homossexualidade tanto masculina como feminina é comum. Os estudos
de Bagemihl são ricas fontes para se comprovar práticas comportamentais.

Em um outro estudo realizado por um grupo de geneticistas coreanos do Korea


Advanced Institute of Science and Technology, com vários insetos e animais
comprovaram que os comportamentos são alterados quando o gene responsável pela
procriação é retirado, como por exemplo em camundongos fêmeas que passavam a
demonstrar um comportamento masculino e atração a urina de outras fêmeas(PARK,
CHOI, LEE, LIM, PARK, C, 2010).

A homossexualidade se apresenta perante a evolução como um paradoxo, não


como uma doença a ser curada (POIANI, 2010). Nos agrupamentos de animais, a
bissexualidade e mais incidente do que a homossexualidade, mas o que deve ser
considerado aqui é que não é exclusividade dos seres humanos.
CONSIDERAÇÕES FINAIS

Perante toda a hostilidade apresentada pelo mundo, ser homossexual, seria sem
dúvida, uma ‘escolha’ masoquista.

Há pessoas que não suportam a pressão familiar, elas podem vir a negar a si
mesmas seus desejos por não desejarem decepcionar seus pais. Há os que resolvem se
assumir, ‘sair do armário’, darem um grito de liberdade, quando isso acontece,
geralmente é a mãe que chora e incessantemente pergunta ao filho ou filha, como é que
você pode ter ‘optado’ por isso? O pai que se culpa e diz que deveria ter obrigado seu
filho a jogar mais futebol, como se não houvessem homossexuais que também
pratiquem esse esporte, ou que deveria ter obrigado a filha a brincar de bonecas.

Em sociedade, as incessantes piadas, as marcações de austeridade e poder


realizadas pelos heterossexuais marcando seu domínio e território (FOUCAULT, 1988),
os que riem quando um homossexual é brutalmente assassinado, os que acreditam ser a
punição ‘divina’ operando sobre seus atos. De certa forma é até compreensível, uma vez
que pessoas assim, jamais se predispuseram a ler, apenas escutam, ouvem dizer que a
bíblia condena os homossexuais, os desviados de Deus, que Ele os considera
abominações.

E as religiões continuam com tais discursos, principalmente as dos seguimentos


evangélicos, e jamais questionam e nem questionarão se os evangelhos procedem como
as diretrizes corretas de um viver cristão.

Como então? Para quê? Por que se optar em ser homossexual?

Porque não é uma escolha, não se opta por ser homossexual, assim como
tampouco se opta por ser heterossexual e nem bissexual.

Não se pergunta a alguém quando ele ou ela optou pela heterossexualidade, mas
se faz em larga escala a pergunta a um homossexual, além de ser também adicionada a
pergunta um mas por quê?

Se saber hoje que a homossexualidade e a bissexualidade são originalmente


definidas por traços genéticos, compreenderia assumir que o livro sagrado, as escrituras
sagradas e toda uma série de fundamentações estão escandalosamente erradas ou que
foram sem sombra de dúvida, adulteradas por pessoas que necessitavam legitimar seu
poder ao longo da história do mundo.

Porém, se ser homo, bi ou heterossexual é definido geneticamente nas ligações


das células germinativas (óvulo e espermatozoide), no momento da fecundação e seu
genoma pode ser mapeado e se encontrado lá os genes cromossômicos Xq28, 7q36,
8p12 e 10q26, o que não impediria que os pais tementes a Deus, não vendem-se até a
própria casa para geneticamente modificarem a predisposição sexual genética de seu
futuro bebê?

O próprio dr. Collins, atual responsável pelo PGH, é extremamente evasivo


todas as vezes que lhe perguntam sobre o gene da homossexualidade, ele sempre
procura retornar a conversa para a preocupação maior que é encontrar a cura de
doenças.

A quem considere tal evasiva, alarmante. Seria melhor se fosse dito, uma vez
que essa lacuna deixa a mente de muitos divagar pelo pior, considerando-se o domínio
do mundo pelos heterossexuais e suas vãs filosofias, como não acreditar que seja
divulgado e comercializado um ‘polivitamínico’ milagroso qualquer, que na realidade
esteja extirpando do genoma humano qualquer marca ou traço possível de um ‘desvio’
sexual?
REFERÊNCIAS

AMBROSE, T e NAZARIAN, E. Heróis e exílios - Ícones gays através dos


tempos.RJ: Gutemberg, 2011.

ATTWOOD, T. K., GISEL, A., ERIKSSON, N. E. e BONGCAM-RUDOLF, E.


Concepts, Historical Milestones and the Central Place of Bioinformatics in Modern
Biology: A European Perspective. England: InTech, 2011.

BAGEMIHL, B. Biological Exuberance: Animal Homosexuality and Natural


Diversity. Canada: Stonewall Inn Editions: 2000.

BERG, J., TYMOCZKO, J. e STRYER, L. Biochemistry. EUA: Freeman and


Company, 2002.

BRANDÃO, C. R. A educação escolar na escola cidadã. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.


BUTLER, J. M. Forensic DNA Typing. EUA: Elsevier, 2001.

COOLINS, F. S. Contemplating the end of the beginning. Maryland: National Human


Genome Research Institute, 2001.

DAVIES, K. Decifrando o Genoma: a corrida para desvendar o DNA Humano. São


Paulo: Cia das Letras, 2001.
DERRIDA, J. Força de lei: O fundamento místico da autoridade. São Paulo: M.
Fontes, 2010.
ELLIS, L., FICEK, C., BURKE, D., DAS, S. Eye Color, Hair Color, Blood Type, and
the Rhesus Factor: Exploring Possible Genetic Links to Sexual Orientation. Arch
Sex Behav. EUA, 2008.
FOUCAULT, M. História da sexualidade: o cuidado de si. 10. ed. Trad. de Maria
Thereza da Costa Albuquerque e José Augusto Guilhon Albuquerque. RJ: Ed. Graal,
1988.
FOUCAULT, M. Poder e Saber. In: Estratégia, poder e saber. Organização e seleção
de textos de Manoel Barros da Motta. Trad. Vera Lúcia Avellar Ribeiro. RJ: Forense
Universitária, 2003.
FOUCAULT, M. O cuidado com a verdade. In: M. B. Motta (Ed.), Ética, sexualidade,
política (pp. 240-251). RJ: Forense Universitária, 2004.
FOUCAULT, M. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. 30. ed. Petrópolis: Vozes,
2005.
GOMES, S. (Org.) Pinga-Fogo com Chico Xavier. São Paulo: Intervidas, 2009.

HINDE, R. A. Describing relationships. Journal of Child Psychology, NY, 1976.


KARDEC, A. (1804-1869). O livro dos médiuns: guia dos médiuns e dos
evocadores. Trad. Renata Barboza da Silva, Simone T. Nakamura Bele da Silva. São
Paulo : Petit, 2004.
LANDAU, L. e RUMER, Y. O Que é a Teoria da Relatividade. São Paulo: Hemus,
1979.
McWILLIAMS, S. e HOWARD, J. A. Solidarity and Hierarchy in Cross-Sex
Friendships. Seattle, WA: Sociology Department, University of Washington, 1993.
MIRANDA, F. Educação intercultural e formação de professores. Porto, PT: Ed.
Porto, 2004.
MOTT, L. e CERQUEIRA, M. Causa mortis: homofobia (Violação dos Direitos
Humanos e assassinato de homossexuais no Brasil em 2000). Bahia: Grupo Gay da
Bahia, 2001.

NGUN, T.C. e VILAIN, E. The Biological Basis of Human Sexual Orientation: Is


There a Role for Epigenetics? (PDF). Advances in Genetics. Elsevier Inc, 2014.
PARK, D., CHOI, D., LEE, J., LIM, D. S. e ; PARK, C. Male-like sexual behavior of
female mouse lacking fucose mutarotase. Coréia: BMC genetics, 2010.
POIANI, A. Animal Homosexuality - A Biosocial Perspective. Victoria: Monash
University, 2010.
SANDERS, A.R., MARTIN, E.R., BEECHAM, G. W., GUO, S., DAWOOD, K.,
RIEGER, G., BADNER, J. A., GERSHON, E. S., KRISHNAPPA, R.S.,
KOLUNDZIJA, A. B., DUAN, J., GEJMAN, P. V. e BAILEY, J. M.Genome-wide
scan demonstrates significant linkage for male sexual orientation. England: Psychol
Med. Cambridge University Press, 2014.
WHITAM, F.L., et al. Homosexual orientation in twins: a report on 61 pairs and
three triplet sets. EUA: Arch Sex Behav, 1993.
XAVIER, F. C. e VIEIRA, W. Mecanismos da Mediunidade. RJ: Federação Espírita
Brasileira Departamento Editorial, 1960.

YOUNG, N. J. We Gather Together: The Religious Right and the Problem of


Interfaith Politics. Oxford University Press, 2015.

Sites Consultados
A TARDE. 318 homossexuais foram mortos no Brasil em 2015. Em:
http://atarde.uol.com.br/brasil/noticias/1742381-318-homossexuais-foram-mortos-no-
brasil-em-2015
BÍBLIA ONLINE. Em: https://www.bibliaonline.com.br/
BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm
CNN Breaking News. President Clinton, British Prime Minister Tony Blair Deliver
Remarks on Human Genome Milestone, 2003. Em:
http://edition.cnn.com/TRANSCRIPTS/0006/26/bn.01.html

COLLINS, F.S. Contemplating the End of the Beginning, 2001. Em:


ncbi.nlm.nih.gov

DATASUS. Indicadores e Dados Básicos - Brasil – 2012 - IDB-2012. Em:


http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/idb2012/matriz.htm
EM TEMPO. Homossexual é encontrado morto com pés amarrados na Zona leste,
07/05/2015. Em: http://www.emtempo.com.br/homossexual-e-encontrado-morto-com-
pes-amarrados-na-zona-leste/

EM TEMPO. Homossexual se recusa a fazer sexo e acaba morto com cinco facadas.
23/12/2015. Em: http://www.emtempo.com.br/homossexual-se-recusa-a-fazer-sexo-e-
acaba-morto-com-cinco-facadas/

FANTÁSTICO. A cada 28 horas, um homossexual morre de forma violenta no Brasil.


19/06/2016. Em: http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2016/06/cada-28-horas-um-
homossexual-morre-de-forma-violenta-no-brasil.html

FAPESP.Política Científica e Tecnológica. Em: http://revistapesquisa.fapesp.br/wp-


content/uploads/2003/05/12_estrat%C3%A9gias4.pdf?f46fde

GLOBO AMAZONAS. Em seis meses, Manaus registra 15 assassinatos de


homossexuais. 28/06/2016. Em: http://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2016/06/em-
seis-meses-manaus-registra-15-assassinatos-de-homossexuais.html

HAMER, D. H., HU, S., MAGNUSON, V. L., HU, N. e PATTATUCCI, A. M. A


linkage between DNA markers on the X chromosome and male sexual orientation.
Bethesda: Laboratory of Biochemistry, National Cancer Institute, National Institutes of
Health, 1993. Em: http://science.sciencemag.org/content/261/5119/321.long

HOMOFOBIA MATA. Emerson Rios Carvalho Sena / Médico – 56 anos / Facadas /


AM, Manaus. 03/07/2016. Em:
https://homofobiamata.wordpress.com/2016/07/03/emerson-rios-carvalho-sena-
medico-56-anos-facadas-am-manaus/
HOMOFOBIA MATA. Cleber Barbosa da Silva / 35 anos / Esganadura / DEHS /
AM, Manaus. 27/06/2016. Em:
https://homofobiamata.wordpress.com/2016/06/27/cleber-barbosa-da-silva-35-anos-
esganadura-dehs-am-manaus/
HOMOFOBIA MATA. HOMOFOBIA MATA. Cleber Santos de Oliveira /
Cabeleireiro / 43 anos / Tiros / DEHS / AM, Manaus. 09/07/2016. Em:
https://homofobiamata.wordpress.com/category/2-estados/amazonas/page/2/
HUFFPOST BRASIL. Não estou arrependido: Jovem confessa ter matado homem
gay. O motivo? Suposto assédio. 15/07/2016. Em:
http://www.brasilpost.com.br/2016/07/15/homofobia-manaus_n_11018930.html

LEONY, M. C. Homofobia, controle social e políticas públicas de atendimento.


Pernambuco, 2006.
Em: http://www.adepol-se.org.br/Download/Artigo_homofobia_Publica.doc

PORTAL DO HOLANDA. Dupla matava homossexuais em Manaus por prazer.


29/01/2014. Em: https://www.portaldoholanda.com.br/.../dupla-matava-homossexuais-
em-manaus-por-prazer/

PORTAL DO HOLANDA. Mototaxista ri enquanto confessa que foi dormir com


professor e o estrangulou. 24/02/2015. Em:
https://www.portaldoholanda.com.br/.../mototaxista-ri-enquanto-confessa-que-foi-
dormir-com-professor-e-o-estrangulou/

PORTAL DO HOLANDA. Um dos jovens que teria assassinado professor


homossexual é preso em Manaus. 09/04/2015. Em:
https://www.portaldoholanda.com.br/.../um-dos-jovens-que-teria-assassinado-
professor-homossexual-e-preso-em-manaus/
PORTAL DO HOLANDA. PORTAL DO HOLANDA. Homossexual é estrangulado
dentro do apartamento no Planalto. 07/09/2015. Em:
https://www.portaldoholanda.com.br/cenas-fortes/cenas-fortes-homossexual-e-
encontrado-estrangulado-dentro-de-apartamento-no-planalto

REPÓRTER MT. Irã incentiva troca de sexo para 'livrar país' da


homossexualidade. 13/01/2013. Em:http://www.reportermt.com.br/nacional/ira-
incentiva-troca-de-sexo-para-livrar-pais-da-homossexualidade/20995

REVISTA GALILEU nº 262. Suicídio entre jovens. RS: Ed. Globo, 05/2013. Em:
https://www.revistagalileu,globo.com/revista-galileu-n-262--maio-2013.html