Você está na página 1de 5

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS

INTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E LETRAS


DEPARTAMENTO DE LÍNGUA E LITERATURA PORTUGUESA
LETRAS – LÍNGUA E LITERATURA PORTUGUESA

LARISSA GIOVANNA DA SILVA LEITE

QUESTIONÁRIO

MANAUS
2013
Larissa Giovanna da Silva Leite

1) O que se entende pela afirmativa “o português do Brasil é mais arcaico do que o


português europeu”?
Entende-se que o português do Brasil é mais antiquado do que o português de Portugal.
Essa afirmação é uma das hipóteses que surgiram para explicar a especificidade do
português brasileiro diante de outras variedades regionais. Sendo assim o português do
Brasil pode ser considerado mais arcaico que o de Portugal tendo em vista que
conservou em sua gramática – ao menos na teoria – grandes arcaísmos que na fala não
são utilizados.

2) Quais são as modalidades do latim especificadas no texto e quais seus respectivos usos?
No texto são apresentadas duas principais modalidades de latim, a primeira denominada
latim clássico – ou erudito – engloba o latim eclesiástico e o literário. A segunda
modalidade de latim é o latim vernáculo ou simplesmente latim “vulgar”, o latim que
não era ensinado nas escolas, aprendido de forma natural e pautado na oralidade.

3) No que consiste o termo vernáculo?


Vernáculo diz respeito ao tipo de latim que não era ensinado nas escolas, era aprendido
de forma natural através do uso corriqueiro do latim pelos comerciantes, pautado,
portanto na oralidade e não na escrita como o latim clássico.

4) As variedades linguísticas do Brasil possuem relações ou influências da origem da


Língua Portuguesa?
Há influência, pois esta é a origem de nossa língua, no entanto acredito que outros
fatores culturais e econômicos tenham influenciado de forma mais relevante. Se
observarmos a influência das línguas que já eram faladas aqui antes dos portugueses
chegarem, bem como as línguas africanas e línguas europeias que vieram juntamente
com os imigrantes – italianos, franceses – que mais tarde tiveram grande participação na
formação do português que se tem hoje.

5) De que forma ocorreram os efeitos linguísticos dos movimentos de Reconquista?


Os movimentos de Reconquista consistiram em um processo de ampliação territorial,
resultando assim conquista e ao mesmo tempo criação de Reinos, a exemplo o Reino de
Portugal. Esses movimentos tiveram consequências linguísticas, pois devido à expansão
do território as línguas antes faladas ao norte passaram a ser faladas aos arredores e ao
sul, acabando assim por suplantar as línguas naturais do sul.

6) Como surgiu o termo galego português?


O termo galego português surgiu devido à língua que era falada por volta de 1100 no
estado português ser muito parecida com o galego. Tinha grande prestígio, sendo usado
como língua da poesia.

7) Qual a situação linguística do século XVIII?


Durante o século XVIII a situação linguística resumia-se em algumas particularidades
que hoje não observamos mais em nossa língua. Algumas dessas particularidades estão
na ortografia, o uso de letras maiúsculas eram mais frequentes, algumas letras
desempenhavam dupla função podendo indicar assim dois sons, algumas palavras
tinham a nasalidade indicada pelo til nas vogais nasais ao invés de m ou n como temos
hoje. Além disso, algumas palavras – em sua maioria verbos – possuíam duplo sentido
ou possuem hoje um sentido diferenciado do que possuíam nessa época.

8) No que consiste o Português arcaico?


O português arcaico que compreende desde a formação do Estado português até as
grandes navegações, seria o meio-termo entre o latim vulgar e o português atual. Este
português carregava características do latim vulgar ao mesmo passo que possuía
características hoje contidas no nosso português, no entanto os seus traços ainda não
estavam bem definidos.

9) Como se organiza a Periodização do Português?


Partindo do uso da periodização da língua portuguesa, pode-se reconhecer três fases:
arcaica, clássica e moderna. A fase arcaica corresponde ao período que vai desde a
formação do Estado de Portugal até ao auge das grandes navegações. O português
arcaico seria o meio-termo entre o latim vulgar e o português atual. Nesta fase o
português ainda não possuía traços fonéticos bem definidos, a ortografia por sua vez,
teve um grande avanço com a separação das palavras, pois até então se tinha dificuldade
de fazer essa segmentação. Nesse período um dos grandes desafios foi a representação
na escrita de sons que não existiam no latim, como exemplo disto tem-se os ditongos.
10) Quais os acontecimentos históricos, geográficos, religiosos e culturais que
influenciaram na evolução da língua portuguesa?
A evolução da Língua Portuguesa foi influenciada por diversos fatores, dentre eles
fatores históricos, geográficos, culturais e principalmente religiosos. O português deriva
do latim vernáculo, que por sua vez é a criação popular de um modo de falar mais
acessível aos comerciantes e se opõe ao latim literário e eclesiástico. Isso ocorreu
devido no século X o território que hoje é a România ter sido palco de diversos falares
locais, alguns deles até deram origens às chamadas línguas românicas – uma delas é o
português.
Alguns elementos geográficos tem grande influência na formação de nossa língua, entre
eles está a Reconquista que visavam à expansão territorial, fazendo assim com que
diversas línguas morressem para dar lugar às línguas faladas ao norte – línguas mais
prestigiadas, entre elas está o galego, primeiro berço do português. Mais tarde no século
XVI o português foi ganhando uma série de palavras vindas dos continentes que iam
sendo explorados. Aos poucos com as conquistas ultramarinas o português foi
difundindo-se pela Europa.
Ao trazer essa língua para o Brasil começam a aparecer os fatores religiosos que
influenciaram diretamente na “evolução” – se é que posso assim chamar, acredito que
seja mais apropriado o termo “não-evolução” – do português. Ao chegar ao Brasil e se
deparar com indígenas falando as chamadas línguas nativas, os lusitanos perceberam
que deveria impor uma língua para que pudessem ter controle sobre esses habitantes.
Assim os lusitanos – em especial os jesuítas – impuseram através da catequização o
português como língua de ensino e administração. No entanto boa parte da população
continuou falando as línguas nativas, criando assim situações de bilinguismo e
multilinguismo.
Essas situações nos remetem também a fatores culturais que influenciaram na formação
do que hoje se tem como língua portuguesa. Ocorre ainda que naquela época da
colonização surgiu o que os linguistas chamam hoje de crioulização, é o resultado de
fares que nasceram do contato entre línguas europeias e línguas nativas de regiões
colonizadas.
Podemos assim observar que os mais diversos fatores desde históricos até religiosos
influenciaram na formação do que hoje temos como língua portuguesa – em especial a
brasileira. Fica a critério de cada um após esse conhecimento, acreditar se a língua
evoluiu ou se ela se restringiu a uma formação que nos foi imposta.

11) Considerando as leituras dos capítulos 3 e 4, faça uma abordagem quanto às


contribuições dos diferentes teóricos no que consiste ao léxico:
O principal teórico contribuinte para o léxico português foi Rafael Bluteau, sua
principal contribuição foi a publicação da obra considerada o marco inicial da evolução
da lexicografia portuguesa, o Vocabulário português e latino. Defendeu a pretensão das
palavras de outras línguas que pretendiam ser aceitas no léxico português. Outro teórico
de grande importância foi Verney, este defendeu a adoção de palavras estrangeiras, pois
estas poderiam expressar melhor o que queremos dizer.
Após Bluteau e Verney, Cândido Lusitano escreveu Reflexões sobre a língua
portuguesa, dentre essas reflexões sete delas eram destinadas ao léxico. Dentre essas
sete reflexões esta a questão dos arcaísmos presentes na língua portuguesa, palavra de
uso frequente que não são admitidas pelos gramáticos e palavras latinas
“aportuguesadas” que não são bem aceitas pelos escritores. Este teórico destacou ainda
a questão dos plebeísmos que estavam se fazendo presente na língua portuguesa.
Por fim, Jacinto do Prado contribuiu com a obra O vocabulário e a frase de Matias
Aires. Nesta obra ressaltou os aspectos inovadores que passaram a fazer parte do léxico
de nossa língua em razão da sua atualização.