Você está na página 1de 12

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ

KESYLIN ALICE DAMAZIO DA CRUZ

METALURGIA E SIDERURGIA

CURITIBA
2020
KESYLIN ALICE DAMAZIO DA CRUZ

METALURGIA E SIDERURGIA

Trabalho apresentado ao Curso de Engenharia


Mecânica, da Universidade Tuiuti do Paraná,
como requisito avaliativo do 2º Bimestre da
disciplina de Tecnologia dos Materiais.

Professor: Tiago José Antoszczyszyn

CURITIBA
2020
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO À METALURGIA E SIDERURGIA .............................................. 4


2 MINÉRIO DE FERRO .......................................................................................... 4
3 FABRICAÇÃO DO AÇO ...................................................................................... 6
3.1 REDUÇÃO DO MINERIO .................................................................................. 7
3.2 REFINO ............................................................................................................. 7
3.3 LAMINAÇÃO E FORJAMENTO ........................................................................ 7
3.4 TRANSFORMAÇÃO DO AÇO .......................................................................... 7
4 EXPORTAÇÃO E CONSUMO INTERNO DO AÇO ............................................. 8
4.1 CONSUMO INTERNO....................................................................................... 9
4.2 PRODUÇÃO...................................................................................................... 9
4.3 VENDAS............................................................................................................ 9
5 CONCLUSÃO .................................................................................................... 10
REFERÊNCIAS ..................................................................................................... 12
4

1 INTRODUÇÃO À METALURGIA E SIDERURGIA

Metalurgia é o ramo da engenharia dos materiais que estuda os fenômenos


físico-químicos particularmente do ferro associado com o beneficiamento e o
processamento dos materiais metálicos, bem como os aspectos fundamentais
envolvidos nos diferentes ciclos de processamento destes materiais. É o ramo mais
antigo do conhecimento na área da ciência e engenharia dos materiais.
Siderurgia é o ramo que estuda particularmente os processos físico-químico
e as técnicas de manipulação do aço, é considerado o principal segmento da
metalurgia, é um mercado que movimenta milhões e eleva o PIB dos países.

2 MINÉRIO DE FERRO

O território brasileiro é rico em minérios, sendo um dos maiores


exploradores do mundo, junto com a Rússia, Estados Unidos, Canadá, China e
Austrália.
Grande parte das empresas mineradoras não é genuinamente brasileira,
tendo em vista que muitas são associadas a outras empresas estrangeiras, oriundas
principalmente dos Estados Unidos, Canadá, Japão e Europa.
Atualmente, os principais minérios extraídos no Brasil são: ferro, bauxita
(alumínio), manganês e nióbio. O Brasil é o segundo maior produtor de ferro do
mundo, com cerca de 235 milhões de toneladas. Ele é extraído em jazidas
localizadas no Quadrilátero Ferrífero, em Minas Gerais; na Serra dos Carajás, no
Pará; e no Maciço do Urucum, no Mato Grosso do Sul. O ferro é o principal
componente na fabricação do aço. Já na produção de Bauxita, o Brasil é o terceiro
em nível mundial, com uma produção de aproximadamente 17,4 milhões de
toneladas, sendo extraído na Serra do Oriximiná, no estado do Pará. Esse minério
é usado na fabricação do alumínio, importante matéria-prima na produção de
eletrodomésticos, material elétrico, entre vários outros.
Em 2019 exportação do minério de ferro no Brasil caiu para o terceiro no
ranking dos produtos mais exportados, como mostra na figura 1. Esse produto é
referência para a economia do pais e fechou o ano de 2019 com 9,9% de
participações nas exportações totais do Brasil.
5

FIGURA 1 – EXPORTAÇÃO DO MINÉRIO DE FERRO EM 2019

Fonte: Fazcomex, 2020.


Como pode-se observar nos dados da figura 1, o Brasil teve um pequeno
aumento nos preços que passou de 0,052 em 2018 para 0,065 em 2019 o que gerou
uma pequena queda na quantidade em toneladas exportadas. Em 2019 a
Exportação de Minério de Ferro totalizou o valor FOB de US$ 22.181,78 milhões.
Sendo a maior exportação nos estados de Pará, Minas Gerais e Espirito Santo.
O país é o terceiro produtor mundial de manganês, com uma produção
aproximada de 1,3 milhão de toneladas ao ano extraído nas jazidas situadas na
Serra dos Carajás, Quadrilátero Ferrífero e Maciço do Urucum. Grande parte dessa
produção tem como destino o mercado externo, sendo absorvida principalmente
pelos Estados Unidos, Europa e Japão. O manganês tem seu uso vinculado à
fabricação do aço e de diversos produtos químicos.
Na extração do minério de nióbio o Brasil se encontra em primeiro lugar,
com uma produção anual de 38 mil toneladas. As reservas desse minério
encontram-se em Minas Gerais e Goiás, sendo usado na fabricação de turbinas de
aviões, aparelhos de ressonância magnética e supercomputadores.
A exportação desses minérios de ferro vai para os seguintes países
mostrado na figura 2, no ano de 2019.
6

FIGURA 2 – EXPORTAÇÃO PARA OS PAÍSES EM 2019

Fonte: Fazcomex, 2020.


Veja que a China é o principal comprador de minério de ferro do Brasil, 59%
do minério foi exportado para China em 2019. O segundo colocado fica a Malásia
com 8% da exportação, totalizando o valor FOB US$ em 1,78 bilhões.

3 FABRICAÇÃO DO AÇO

A fronteira entre o ferro e o aço foi definida na Revolução Industrial, com a


invenção de fornos que permitiam não só corrigir as impurezas do ferro, como
adicionar-lhes propriedades como resistência ao desgaste, ao impacto, à corrosão,
etc. Por causa dessas propriedades e do seu baixo custo o aço passou a
representar cerca de 90% de todos os metais consumidos pela civilização industrial.
Basicamente, o aço é uma liga de ferro e carbono. O ferro é encontrado em toda
crosta terrestre, fortemente associado ao oxigênio e à sílica. O minério de ferro é
um óxido de ferro, misturado com areia fina. (Ministério da Economia – comércio
exterior).
O aço possui propriedades como forte resistência à altas temperaturas e
longa durabilidade, é um dos materiais mais reciclados do mundo. Alguns produtos,
7

ao final de sua vida útil, são empregados na fabricação de novos produtos na


siderurgia.
A siderurgia, portanto, no papel de fabricação tem como objetivo principal a
transformação do minério de ferro em aço, após passar por três importantes passos
que será apresentado a seguir.

3.1 REDUÇÃO DO MINERIO


Nesta etapa da siderurgia, o carvão mineral é usado em forma de coque,
onde adiciona-se cal com o objetivo de captar as impurezas do minério e a formação
de escória (que neste momento é rejeito, porém utilizado em industrias de cimento).
O minério de ferro é utilizado em forma de sínter ou pelota e então submetidos ao
forno de tratamento térmico para conferir ligação metalúrgica entre as partículas.
(Infasul,2019).

3.2 REFINO
Nesta etapa da siderurgia o ferro gusa é então transformado em aço. O
carbono e as impurezas que restam no gusa são removidos, e o uso de
equipamentos como forno e convertedor são indispensáveis. No lingotamento
contínuo o aço é então solidificado e cortado em suas formas, sendo enviados ao
processo final de siderurgia, o processo de laminação ou forjamento. (Infasul,2019).

3.3 LAMINAÇÃO E FORJAMENTO


Os semi-acabados, lingotes e blocos são processados por equipamentos
chamados laminadores e transformados em uma grande variedade de produtos
siderúrgicos, cuja nomenclatura depende de sua forma e/ou composição química.
(Instituto Aço Brasil).

3.4 TRANSFORMAÇÃO DO AÇO


A transformação do aço pode ser feita direto da fonte, ou seja, a extração
do minério de ferro, que ao passar pelo processo de siderurgia é transformado no
aço, propriamente dito. Na figura a seguir representa as etapas do processo.
8

FIGURA 3 – ETAPAS DE TRANSFORMAÇÃO DO AÇO

Fonte: Infasul, 2019.


O aço então, após a sua formação, é cortado na siderurgia em chapas ou
perfis, pode ser em corte a quente ou a frio, no corte quente normalmente a peça é
cortada em uma temperatura de 600ºC à 900ºC.Já no corte a frio, a temperatura
do aço laminado é inferior à 600ºC.

4 EXPORTAÇÃO E CONSUMO INTERNO DO AÇO

As exportações de julho foram de 1,0 milhão de toneladas, ou US$ 584


milhões, o que resultou em aumento de 1,9% e redução de 6,9%, respectivamente,
na comparação com o ocorrido no mesmo mês de 2018, conforme a figura 4 a
seguir. (Instituto Aço Brasil, 2019).
FIGURA 4 – EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS

Fonte: (Instituto Aço Brasil).


9

Facilmente nota-se a variação do total de produtos transformados


exportados de janeiro a julho o qual varia de 274 em 2018 para 145 em 2019,
totalizando 47,1% dos produtos transformados.

4.1 CONSUMO INTERNO


O consumo interno aparente de produtos siderúrgicos foi de 1,8 milhão de
toneladas, 7,1% inferior ao apurado no mesmo período de 2018. Já em 2019 o
consumo foi de 12,1 milhoes de toneladas até julho, representando uma queda
considerável ao ano de 2018 que foi 1,5%. (Instituto Aço Brasil).

4.2 PRODUÇÃO
A produção do aço bruto em em julho de 2019 foi de 2,4 milhões de
toneladas, uma redução de 20,6% frente ao apurado mesmo mês de 2018. Já a
produção de laminados foi de 1,9 milhão de toneladas, 2,2% inferior do que a
registrada em julho de 2018. A produção de semiacabados para vendas foi de 710
mil toneladas, uma redução de 22,9% em relação ao ocorrido no mesmo mês de
2018, como mostra a figura a seguir. (Instituto Aço Brasil).
FIGURA 5 – PRODUÇÃO SIDERURGICA BRASILEIRA

Fonte: (Instituto Aço Brasil).


Nota-se que os produtos semiacabados para vendas sofreram uma redução
de 22,9 em relação ao mesmo mês de 2018. (Instituto Aço Brasil).

4.3 VENDAS

As vendas internas foram de 10,7 milhões de toneladas de janeiro a julho


de 2019, o que representa uma retração de 0,5% quando comparada com o apurado
10

em igual período do ano anterior, representadas na figura a seguir. Frente a julho


de 2018 a vendas recuaram 6,9% e atingiram 1,6 milhões de toneladas. (Instituto
Aço Brasil).
FIGURA 6 – VENDAS NO MERCADO EXTERIOR

Fonte: (Instituto Aço Brasil).


Em relação a julho de 2019 o valor US$ FOB teve uma redução de 3,8% no
ano anterior.
De modo geral o Produto Interno Bruto (PIB), que atualmente está em 7,3
trilhões, registrou queda de 0,2% no primeiro trimestre de 2019, em relação ao
quarto trimestre de 2018, que está atualmente em 1,9 trilhões, livre de efeitos
sazonais. O resultado confirma a piora recente do cenário macroeconômico. Essa
foi a primeira variação negativa desde o quarto trimestre de 2016. A indústria
extrativa mineral apresentou desempenho negativo, com queda de 3% no primeiro
trimestre de 2019, influenciada principalmente pela tragédia em Brumadinho (MG).
(Ipea, 2019 e IBGE).

5 CONCLUSÃO
Pode-se concluir ao tema descrito que o minério de ferro e o aço são o que
resulta em milhões e eleva o PIB do país, totalizando 68% da exportação.
É um dos principais países exportadores deste produto no mundo ficando
em 9º lugar na produção mundial.
Com análise econômica em relação aos anos anteriores de 2019 e 2018
pode-se concluir que o Brasil sofre e está sofrendo uma queda considerável no
11

mercado de vendas destes minérios, sendo consideradas as influências e


transtornos mundiais que está acontecendo atualmente, prejudicando vários
setores da siderurgia e metalurgia, quais são responsáveis pela fabricação do
mesmo.
12

REFERÊNCIAS

Arcelor Mittal. Disponível em: <https://brasil.arcelormittal.com.br/>. Acesso em: 10


maio de 2020.

Fazcomex, Exportação de Minérios de Ferro. Disponível em: <


https://www.fazcomex.com.br/blog/exportacao-de-minerio-de-ferro/>. Acesso em:
10 maio de 2020.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em:


<https://www.ibge.gov.br/explica/pib.php>. Acesso em: 10 maio de 2020.

Informe Mineral, 2018. Disponível em: <


http://www.anm.gov.br/dnpm/publicacoes/serie-estatisticas-e-economia-
mineral/informe-mineral/publicacoes-nacionais/informe-mineral-2018-2o-semestre-
1>. Acesso em: 10 maio de 2020.

Infasul. 2019. Disponível em: <https://www.infasul.com.br/siderurgia/>. Acesso em:


10 maio de 2020.

Instituto Do Aço Brasil. Disponível em:


<https://institutoacobrasil.net.br/site/publicacoes/>. Acesso em: 10 maio de 2020.

IPEA, Instituto de Pesquisa e Economia Aplicada, 2019. Disponível em:


<https://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=3
4778>. Acesso em: 9 maio de 2020.

Ministério da Economia, indústria, comercio exterior e serviços. Disponível em:


<http://www.mdic.gov.br/index.php/legislacao/9-assuntos/categ-comercio-
exterior/478-metarlurgia-e-siderurgia-2>. Acesso em: 10 maio de 2020.

Notícias de Mineração Brasil, 2019. Disponível em: <


https://www.noticiasdemineracao.com/minerio-de-ferro/news/1352107/queda-no-
pre%C3%A7o-do-minerio-de-ferro-foi-corre%C3%A7%C3%A3o-do-mercado>.
Acesso em: 9 maio de 2020.