Você está na página 1de 14

Diretrizes do Programa

Mãos que Ajudam


para Diretores de
Assuntos Públicos
Sumário
Sumário

Visão Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1

O Que É o Programa Mãos que Ajudam? . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1


Objetivos do Programa Mãos que Ajudam . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1

Como Começar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2

Passo 1: Organização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2
Passo 2: Proposta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2
Passo 3: Planejamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2
Passo 4: Implementação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3
Passo 5: Avaliação e Acompanhamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3

Como Identificar Oportunidades . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4

Idéias de Projetos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4

Princípios para o Planejamento de Projetos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5

Perguntas Freqüentes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6

Apêndice A: Logotipo do Mãos que Ajudam . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8

Apêndice B: Exemplos de Projetos Mãos que Ajudam Bem-Sucedidos . . . . . . . . . . . 10

Publicado por © 2007 Intellectual Reserve, Inc. Impresso no Brasil


A Igreja de Jesus Cristo dos Santos Trabalho inédito (exemplares não distribuídos aos Aprovação do inglês: 11/07
dos Últimos Dias membros da Igreja em geral nem ao público) Aprovação da tradução: 11/07
Salt Lake City, Utah Todos os direitos reservados Tradução de Mormon Helping Hands
Guidelines for Public Affairs Directors
Português
Visão Geral
1

Visão Geral

O Que É o Programa Mãos que Ajudam?


Mãos que Ajudam é um programa da Igreja dirigido pelo sacerdócio para prestar serviço comunitário e oferecer
auxílio para os necessitados nas calamidades. O programa proporciona aos líderes do sacerdócio oportunida-
des de serviço para os membros da Igreja e ajuda a estabelecer o nome e a reputação da Igreja. É uma maneira
comprovada de ajudar a desfazer estereótipos que muitas vezes
existem sobre a Igreja, mostrando que os santos dos últimos dias
são cristãos que contribuem para o bem da comunidade.
O nome “Mãos que Ajudam” ajuda a identificar o papel da
Igreja na atividade: prover a mão-de-obra para a prestação
de serviços e não artigos ou bens materiais. Foram realizados
projetos Mãos que Ajudam bem-sucedidos em toda a América
Latina, África, Ásia, Europa, Oceania e Estados Unidos.
A coordenação, implementação e avaliação dos projetos
Mãos que Ajudam podem ser delegadas aos conselhos locais
de assuntos públicos.

Objetivos do Programa Mãos que Ajudam


Ajudar os Necessitados e Melhorar a Comunidade
O serviço ao próximo é uma característica importante dos seguidores de Jesus Cristo. O programa Mãos que
Ajudam proporciona oportunidades organizadas para os membros da Igreja doarem seu tempo e talentos para
abençoar os necessitados. Dá também aos membros a oportunidade de embelezar ruas, parques, escolas e
áreas recreativas da cidade e a servirem de outras maneiras, mostrando que a Igreja é amiga da comunidade.

Fortalecer os Membros da Igreja


Por meio do programa Mãos que Ajudam, jovens e adultos podem tornar-se mais cientes dos problemas
sociais que os cercam e fortalecer seu testemunho como membros da Igreja, seguindo o exemplo do Sal-
vador e servindo ao próximo. Os projetos Mãos que Ajudam também são oportunidades valiosas de os
membros da Igreja estenderem a mão para integrar seus amigos menos ativos.

Compartilhar o Evangelho Indiretamente


Por meio do Mãos que Ajudam, os membros da Igreja têm oportunidades de demonstrar os frutos de sua
fé e a desfazer críticas infundadas e preconceitos em relação à Igreja. Ao mesmo tempo em que este pro-
grama não deve ser usado para o proselitismo, essas atividades podem ajudar a criar condições favoráveis
para conversas sobre o evangelho e podem, às vezes, proporcionar a oportunidade de envolver os missio-
nários no ensino daqueles que desejam saber mais.

Criar um Bom Relacionamento com Formadores de Opinião


Os Assuntos Públicos da Igreja existem para “criar contatos estratégicos com formadores de opinião capazes
de influenciar a imagem da Igreja”. O serviço é uma grande ferramenta para influenciar as crenças e opiniões
de pessoas preeminentes. O programa Mãos que Ajudam é um meio particularmente eficaz para desenvolver
um relacionamento positivo entre os líderes do sacerdócio e as autoridades governamentais ou outros formado-
res de opinião.

Melhorar a Imagem da Igreja


O programa Mãos que Ajudam ajuda a tirar a Igreja da obscuridade e pode melhorar imensamente a sua
imagem. O interesse da mídia local pelo programa Mãos que Ajudam ajuda a divulgar as boas obras reali-
zadas pela Igreja para muitos que, de outra forma, nem saberiam de sua existência.
Início
2

Como Começar

Os líderes de assuntos públicos, juntamente com os líderes locais do sacerdócio, devem usar a seguinte lista de
verificação ao organizar um projeto local do programa Mãos que Ajudam.

Passo 1: Organização
• Organize um comitê de atividades do Mãos que Ajudam.
Este comitê pode ser o próprio conselho de assuntos
públicos existente ou pode incluir outros participantes.
• Estude minuciosamente as informações contidas neste
livreto e providencie exemplares para os membros do
comitê conforme seja adequado.
• Como comitê, tendo em mente os objetivos e as prio-
ridades locais do sacerdócio, identifique oportunidades
adequadas de serviço na comunidade. Discuta os méritos
de cada projeto dando especial atenção ao seguinte:
q Identificar oportunidades de serviço adequadas na
comunidade.
q Discutir como os diversos projetos ajudarão a edificar
um bom relacionamento com formadores de opinião.
q Identificar de que modo a fé e a confiança dos membros da Igreja pode ser fortalecida e edificar a con-
fiança e o respeito dos vizinhos.
• Conforme seja apropriado ou necessário, tome as providências para que o líder do sacerdócio e o diretor de
assuntos públicos se encontrem com os formadores de opinião da comunidade para identificar as necessi-
dades específicas da comunidade.
• Identificar as melhores datas para os projetos.
• Identificar possíveis parcerias com outras organizações.

Passo 2: Proposta
• Preparar uma breve lista de projetos Mãos que Ajudam recomendados (dois ou três). Inclua em sua reco-
mendação uma descrição detalhada de cada projeto em potencial, juntamente com as datas sugeridas, as
dificuldades e objetivos previstos, e o orçamento necessário. Envie essa proposta para ser avaliada e apro-
vada pelo sacerdócio.

Passo 3: Planejamento
• Depois que os líderes do sacerdócio escolherem um
projeto, reúna-se com o comitê do Mãos que Ajudam para
planejar os detalhes desse projeto. (Pode ser conveniente
envolver as organizações parceiras em parte desse planeja-
mento.) Inclua o seguinte em seu planejamento:
q Objetivos
q Datas
q Formadores de opinião a serem contatados
3

q Suprimentos necessários
q Recursos disponíveis
q Necessidades previstas de orçamento
q Participantes (grupos SUD e não SUD)
q Especialistas necessários
q Supervisores ou chefes de equipe
q Coletes ou camisetas (distribuição e recolhimento)
q Permissões e aprovações
q Local de estacionamento para os trabalhadores
q Acomodações para os trabalhadores (banheiros,
alimentação, água, etc.)
q Primeiros socorros e segurança
q Publicidade prévia para os membros da Igreja
q Publicidade para a comunidade e a mídia
q Fotografias
q Treinamento dos trabalhadores
q Radiocomunicadores ou outros dispositivos de comunicação necessários
• Envie o plano para os líderes do sacerdócio para a aprovação final.

Passo 4: Implementação
• Confeccione os coletes ou camisetas e todo o material gráfico necessário, usando as diretrizes fornecidas
nas páginas 8 e 9. (Observação: este passo pode levar algum tempo para ser concluído.)
• Treine um porta-voz aprovado pelo sacerdócio local para responder às perguntas da mídia sobre o projeto
e sobre a Igreja.
• Conduza o projeto, tendo sempre em mente os costumes, normas e desejos das autoridades locais.
• Conforme seja adequado, documente o projeto por meio de vídeos, fotos e relatos por escrito.

Passo 5: Avaliação e Acompanhamento


• Faça uma reunião de avaliação após o evento.
• Prepare um relatório a respeito do sucesso do projeto para os líderes do sacerdócio, fornecendo detalhes sobre o
número de participantes (membros e amigos da Igreja), o total de homens-horas, o valor aproximado dos gastos
e outras informações pertinentes. Providencie um resumo do serviço prestado para a organização beneficiada.
• Nas áreas internacionais, considere a possibilidade de publicar um artigo sobre o projeto na seção de mídia
do website da Igreja no país.
• Converse com os líderes da organização beneficiada e apresente um relatório do trabalho realizado.
• Pense em como usar os registros visuais e escritos do projeto em reuniões e em outras circunstâncias para
agradecer aos participantes e incentivar a participação em futuras atividades do Mãos que Ajudam.
Identificar
4

Como Identificar Oportunidades

As oportunidades para os projetos Mãos que Ajudam surgem de muitas formas. Projetos que atendam a uma
necessidade reconhecida da comunidade geralmente são mais bem recebidos do que aqueles que são simples-
mente convenientes ou fáceis de realizar. Pondere bem os benefícios em potencial (para as pessoas e para a
Igreja) antes de recomendar projetos para os líderes do sacerdócio. De modo geral, escolha os projetos que
proporcionarão maiores benefícios para os necessitados ou para a comunidade.
Os organizadores dos projetos Mãos que Ajudam sempre devem considerar a criação de bons relacionamentos
como um objetivo importante. Os projetos realizados em parceria com as autoridades governamentais e cívicas
geralmente produzem os melhores resultados e são os que geram os relacionamentos mais fortes. Os represen-
tantes dos Serviços Humanitários da Igreja podem ser uma boa fonte de idéias para projetos e oportunidades de
serviço.
O envolvimento de terceiros como patrocinadores, como grandes empresas e organizações humanitárias, pode
ajudar a aumentar o potencial de benefícios e a visibilidade do projeto. Lembre-se que alguns projetos se prestam
melhor para fotografias e filmagens do que outros.
Exemplos de projetos Mãos que Ajudam realizados no mundo inteiro podem ser encontrados no “Apêndice B:
Exemplos de Projetos Mãos que Ajudam Bem-Sucedidos”. Outras idéias para projetos estão relacionadas abaixo.
Observe que o papel da Igreja na maioria dos casos é prover apenas a mão-de-obra. Como regra geral, artigos
ou bens materiais devem ser fornecidos pela organização que está recebendo a ajuda ou pelos patrocinadores do
projeto; porém, os líderes do sacerdócio têm a opção de usar os recursos da Igreja sob circunstâncias adequadas.

Idéias de Projetos
• Retirada de lixo de praias, margens de rios e estradas.
• Pintura ou limpeza de escolas ou hospitais.
• Embelezamento de parques da cidade, por meio da
remoção de ervas daninhas, retirada de lixo e plantio
de novas árvores e arbustos.
• Coleta ou distribuição de alimentos nutritivos para os
necessitados.
• Entrega de suprimentos e outros artigos para os neces-
sitados.
• Remoção de sucatas que enfeiam a vizinhança.
• Confecção ou embalagem de cobertores, bem como
sua entrega para pessoas idosas.
• Preparação de kits para recém-nascidos carentes e seus pais.
• Entrega de brinquedos e material escolar para orfanatos e brincar com as crianças.
• Conserto, separação e limpeza de livros em escolas e bibliotecas.
• Amparo a deficientes físicos e mentais por meio da doação de colchas ou bichinhos de pelúcia e de visitas
em que os membros lhes façam companhia, leiam ou brinquem com eles.
• Dar treinamento e materiais de preparação para emergências para idosos e incapacitados, ou ajudar a
patrocinar uma feira de preparação para emergências.
Princípios
5

Princípios para o Planejamento de Projetos

Os seguintes princípios devem orientar seus projetos Mãos que Ajudam:

Os Projetos Mãos que Ajudam são Implementados sob a Liderança do Sacerdócio


Todos os projetos Mãos que Ajudam são organizados e implementados sob a direção dos líderes do sacer-
dócio. Conselhos de assuntos públicos e outros especialistas são chamados para implementar o plano do
projeto.

Os Organizadores dos Projetos Mãos que Ajudam Não Devem Assumir o Compromisso de Repetir os
Serviços Prestados ou de Oferecer Recursos Financeiros
Como utilizam o trabalho voluntário dos membros da Igreja, os projetos Mãos que Ajudam geralmente
são eventos únicos. Projetos semelhantes podem ser realizados em anos subseqüentes, mas as pessoas e
organizações que recebem o serviço devem estar cientes, antes que o projeto tenha início, de que os líderes
da Igreja não podem empenhar o tempo dos membros para serviços a longo prazo. Da mesma forma, é
importante lembrar que não se deve assumir, em nome da Igreja, o compromisso de fazer contribuições
financeiras. Em vez disso, os projetos Mãos que Ajudam devem ser financiados por doadores particulares,
entidades governamentais ou a organização que está sendo ajudada. (Por exemplo, os materiais podem ser
fornecidos pela organização e a mão-de-obra é fornecida pelos membros da Igreja.)

Os Projetos Mãos que Ajudam Não São Atividades de Proselitismo


A reputação da Igreja no proselitismo é bem conhecida e, às
vezes, desestimula a participação das pessoas nas atividades
patrocinadas pela Igreja. Os projetos Mãos que Ajudam devem
manter-se fiéis ao propósito de prestar serviço cristão e não
devem ser usados para o proselitismo. Agir de outra forma pode
violar a confiança de pessoas que não sejam de nossa religião
e prejudicar futuras oportunidades de serviço e o desenvolvi-
mento de boas relações. (Conversas sobre o evangelho e a res-
posta a perguntas sobre a Igreja são adequadas quando iniciadas
por aqueles que não são de nossa fé.)

Escolha Dias Adequados para os Projetos Mãos que Ajudam


Feriados nacionais e comemorações públicas são ocasiões em que os membros da Igreja geralmente estão
livres para servir. Os líderes não devem realizar projetos no domingo ou na noite de segunda-feira, exceto
quando projetos de auxílio de emergência assim o exijam.

Resguarde o Uso dos Coletes ou Camisetas Mãos que Ajudam


Quando estiverem vestindo o colete ou a camiseta Mãos que Ajudam, as pessoas estarão representando A
Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e terão que tomar cuidado para resguardar a reputação
da Igreja. O colete ou a camiseta só pode ser usado durante o projeto Mãos que Ajudam propriamente dito.
Qualquer outro uso é impróprio e desaconselhado. Quando ficar sujo ou gasto, o colete ou a camiseta deve
ser destruído.

Os Relacionamentos Estabelecidos por Meio das Atividades Mãos que Ajudam Devem Ser Cultivados Depois
do Projeto Inicial
Os projetos Mãos que Ajudam se mostraram eficazes no estabelecimento de boas relações com líderes
comunitários. Os diretores de assuntos públicos devem procurar maneiras de fortalecer esse relaciona-
mento depois que o projeto estiver concluído.
6

Perguntas Comuns
Perguntas Freqüentes

Pergunta Por que a Igreja patrocina o programa Mãos que Ajudam?


Resposta Esse programa dá a um grande número de membros da Igreja a oportunidade de participar de
atividades de serviço bem organizadas que beneficiam outras pessoas. Os projetos bem organiza-
dos também podem promover um bom relacionamento com os líderes governamentais, cívicos
e comunitários. Os membros da Igreja se beneficiam ao sentirem a alegria de prestar serviço ao
próximo.
Pergunta Quem deve organizar os projetos Mãos que Ajudam?
Resposta Os projetos são aprovados e implementados sob a direção dos líderes locais do sacerdócio, apesar
de se encarregarem pessoas que servem nos conselhos de assuntos públicos locais para organizar,
supervisionar e avaliar os projetos.
Pergunta Que unidades da Igreja o programa Mãos que Ajudam deve servir?
Resposta As unidades da Igreja do mundo inteiro podem ser beneficiadas. Podem ser realizados projetos
grandes ou pequenos. Projetos de grande porte são mais adequados para estacas ou distritos e gru-
pos de estacas nos quais um número suficiente de membros possa contribuir significativamente
para um trabalho comunitário ou de auxílio nas emergências.
Pergunta Quem pode participar dos projetos Mãos que Ajudam?
Resposta Todos os membros da Igreja e amigos interes-
sados de outras crenças podem participar. A
família inteira é incentivada a participar junta,
se possível. O programa tem sido particular-
mente bem aceito pelos jovens e jovens adultos
da Igreja, que aprendem a bênção que é servir
ao próximo. Todos os participantes devem ser
lembrados de manter os padrões da Igreja.
Pergunta Quanto tempo deve durar um projeto Mãos
que Ajudam?
Resposta Os projetos não devem comprometer os
voluntários por longos períodos de tempo.
Com um número suficiente de voluntários e
um planejamento adequado, uma atividade que
dure metade de um dia ou menos pode ser uma
imensa contribuição positiva.
Pergunta O que os participantes do Mãos que Ajudam devem vestir?
Resposta Os participantes devem vestir uma camiseta ou um colete amarelo com o logotipo Mãos que
Ajudam, sempre que possível, e roupas que sejam adequadas ao tipo de serviço que será realizado.
Pergunta Por que usar coletes ou camisetas?
Resposta O colete ou a camiseta é um elemento importante do programa Mãos que Ajudam. A roupa iden-
tifica a Igreja como a organização que provê o serviço, instila nos que estão sendo servidos a con-
fiança de que o trabalho será bem organizado e de alta qualidade, e também dá aos participantes a
satisfação de serem identificados como membros da Igreja. Nos casos de calamidades, a camiseta
ou o colete também pode ajudar os responsáveis pelo socorro a identificar rapidamente aqueles
que podem ser convocados para ajudar.
7

Pergunta É mais adequado usar um colete ou uma camiseta?


Resposta Dá-se preferência ao colete na maioria dos casos, porque é menos provável que ele seja con-
fundido com roupas do dia-a-dia e sejam levados embora ou usados em atividades que não
estejam associadas ao programa Mãos que Ajudam. O colete também costuma ser mais barato
do que a camiseta e pode ser vestido sobre outras roupas, se estiver fazendo frio ou se o tempo
estiver ruim. Nas situações em que o uso de um colete folgado possa ser considerado arriscado
(como, por exemplo, ao usar uma serra elétrica ou outro equipamento motorizado), uma cami-
seta geralmente será a melhor opção.
Pergunta Que diretrizes devem reger o uso do colete ou da camiseta Mãos que Ajudam?
Resposta Os membros da Igreja que estiverem vestindo o colete ou a camiseta Mãos que Ajudam repre-
sentam a Igreja ao servir e devem estar cientes de que sua conduta refletirá na Igreja como um
todo. Os coletes ou as camisetas devem ser usados apenas nos projetos Mãos que Ajudam.
Pergunta Quem paga pelos coletes ou pelas camisetas Mãos que Ajudam?
Resposta O orçamento das unidades locais ou os membros locais devem pagar pelos coletes ou pelas
camisetas nos projetos não relacionados a auxílio a calamidades. Quando o Auxílio Humani-
tário da Igreja para Emergências participar de um trabalho de socorro a vítimas de calamida-
des, um suprimento de coletes e camisetas geralmente estará incluído como parte do envio do
material de socorro.
Pergunta Há mais informações disponíveis sobre como confeccionar camisetas e coletes Mãos que
Ajudam?
Resposta As instruções, especificações de cor e o logotipo eletrônico para camisetas ou coletes confec-
cionados localmente estão disponíveis nesta publicação e nos escritórios de Assuntos Públicos
do mundo inteiro.
Logotipo
8

Apêndice A:
Logotipo do Mãos que Ajudam

O logotipo Mãos que Ajudam (mostrado nesta página) foi aprovado pela Primeira Presidência e deve substituir
todos os logotipos anteriores.* Se for usado adequada e constantemente, ele se tornará um símbolo reconhecido
das boas obras da Igreja.

Utilização Adequada do Logotipo


O logotipo Mãos que Ajudam representa a Igreja e
seus membros, e é preciso tomar todas as precau-
ções possíveis para garantir sua integridade. Toda
utilização do logotipo deve estar estritamente
condizente com as seguintes diretrizes:
• Somente utilize o logotipo oficial Mãos que
Ajudam fornecido pelos escritórios de Assuntos
Públicos da Igreja. Não tente recriar o logotipo.
• Imprima o logotipo numa camiseta ou num
colete inteiramente amarelo que combine ao
máximo com o campo amarelo atrás das mãos
do logotipo. Se não houver camisetas e cole-
tes amarelos disponíveis, uma camiseta ou
um colete branco pode ser usado.
• Na parte de trás da camiseta, use o logotipo forne-
cido no tamanho original de modo a enquadrar-se
perfeitamente a um colete ou uma camiseta de
adulto. As palavras “Mãos que Ajudam” e o logo-
tipo oficial da Igreja devem ser facilmente visíveis
a vários metros de distância. Na frente da camiseta, o logotipo pode ser usado no tamanho original ou reduzido
para aproximadamente 40% do tamanho original, para caber no espaço em que normalmente haveria um bolso
(ver exemplos abaixo). Para os tamanhos infantis, reduza o logotipo, conforme for adequado.
• Não misture o logotipo com quaisquer outros padrões, símbolos, logotipos ou outros elementos, inclusive
os logotipos ou marcas das organizações parceiras (se houver).
• O logotipo pode ser aplicado a qualquer outro item, inclusive cartazes ou folhetos, ou em apresentações
destinadas a promover o projeto de serviço ou recrutar voluntários.

MORMON HELPING HANDS

Camiseta (frente) Camiseta (parte de trás) Colete (frente) Colete (parte de trás)
Logotipo com aprox. Logotipo com aprox. Logotipo com aprox. Logotipo com aprox.
11 cm de largura 27 cm de largura 11 cm de largura 27 cm de largura
(40% do tamanho original) (100% do tamanho original) (40% do tamanho original) (100% do tamanho original)
MORMON HELPING HANDS

*
Pode haver exceções nas áreas em que o logotipo seja considerado impróprio ou ofensivo à cultura local.
9

Especificações Técnicas
O esquema de cores aqui mostrado foi aprovado para ser usado em camisetas ou coletes amarelos e não
exige uma cor impressa atrás do desenho das mãos. Ao imprimir em camisetas ou coletes amarelos, instrua
quem for fazer a impressão a não imprimir nenhuma cor nos quadrados que aparecem atrás das mãos,
permitindo que a cor da camiseta sirva de fundo para elas.
Se forem usadas camisetas ou coletes brancos, imprima os quadrados que aparecem atrás das mãos em
amarelo, como mostrado abaixo.

Camiseta (frente) Camiseta (parte de trás) Colete (frente) Colete (parte de trás)
Logotipo com aprox. Logotipo com aprox. Logotipo com aprox. Logotipo com aprox.
11 cm de largura 27 cm de largura 11 cm de largura 27 cm de largura
(40% do tamanho original) (100% do tamanho original) (40% do tamanho original) (100% do tamanho original)

Imagens separadas em cores para impressão estão disponíveis nos escritórios de Assuntos Públicos da Igreja.
As especificações precisas de cor são as seguintes:
Azul: Pantone 301 Amarelo: Pantone 123 Verde: Pantone 341

Uso Inaceitável do Logotipo Mãos que Ajudam


O logotipo Mãos que Ajudam é ou será protegido pelas leis de direitos autorais de todos os países em que for
usado. Os membros da Igreja devem resguardar essa marca registrada, usando o logotipo somente da forma
especificada acima e relatando aos líderes do sacerdócio qualquer uso impróprio do logotipo.
O uso indevido do logotipo inclui qualquer utilização de natureza pessoal, comercial ou promocional. Usar
o logotipo dessa forma pode distorcer a imagem da Igreja e colocar essa marca registrada em risco.

Idiomas
O logotipo Mãos que Ajudam está disponível em muitos idiomas nos escritórios de Assuntos Públicos da Igreja.
Exemplos
10

Apêndice B:
Exemplos de Projetos Mãos que Ajudam Bem-Sucedidos

Os seguintes exemplos ilustram como os projetos Mãos que Ajudam podem abençoar a vida das pessoas
e ajudar a estabelecer a Igreja:

São Paulo, Brasil


“Aproximadamente 50.000 membros da Igreja e amigos se reuniram em 21 de abril, feriado nacional brasileiro,
para melhorar a condição de 200 escolas espalhadas por todo o país, que atendem a 350.000 alunos.
O projeto ‘Mãos que Ajudam a Reformar Escolas Públicas’ é o quinto projeto anual da Igreja no país para
ajudar as escolas, um trabalho que está sendo cada vez mais reconhecido a cada ano.
O projeto foi desenvolvido por meio da parceria entre a Igreja e os líderes educacionais do governo,
diretores de escolas, associações de pais e alunos, ex-alunos, a mídia e empresas particulares que fizeram
doações. Os voluntários que vestiam o hoje conhecido colete Mãos que Ajudam utilizaram milhares de
litros de tinta, pincéis, cal, cimento e metal. Eles melhoraram as condições das salas de aula, substituíram
pias e portas, pintaram paredes e janelas e limparam jardins, além de pequenas reformas nas instalações
hidráulicas e elétricas das escolas.
O projeto como um todo serviu para fortalecer a imagem pública da Igreja no Brasil. Neste ano, 17 con-
selhos de assuntos públicos multi-estacas trabalharam com o público, a mídia e a comunidade para come-
morar o aniversário de 175 anos da Igreja e o aniversário de 200 anos do nascimento do Profeta Joseph
Smith” (“50.000 in Project to Refurbish Schools”, Church News, 14 de maio de 2005, p. 14).

Setúbal, Portugal
“No feriado nacional do país, os membros da Igreja, em Portugal, organizaram o Mãos que Ajudam, um
projeto de serviço de âmbito nacional nas principais cidades do país e nas ilhas da Madeira e dos Açores.
No Dia de Portugal, 10 de junho, 1.300 voluntários limparam parques, ruas e praças. Em Setúbal, recons-
truíram três áreas de piqueniques de um parque da cidade, que muitas pessoas haviam deixado de freqüen-
tar devido às más condições do local.
Observando o projeto em Setúbal, um residente das vizinhanças forneceu o cimento para rematar o trabalho,
salientando que seu exemplo devia ser seguido por outros, particularmente aqueles que viriam a usar o parque.
Um grande número de crianças, acompanhadas dos pais, participaram da atividade, que destacou a importân-
cia de ações da comunidade para criar fortes laços de amizade” (“Helping Hands Begins”, Church News, 7 de
agosto de 2004, p. 15).

Brisbane, Austrália
“Centenas de irmãs do estado australiano de Queensland e arredores passaram muitas semanas fazendo
crochê, comprando, coletando e embalando, como parte de seu projeto Mãos que Ajudam, que teve impor-
tante papel na recente Conferência Anual das Mulheres de 2005, realizada neste país, em setembro.
Foi pedido que cada ala e ramo do estado concluísse três projetos até a data da conferência, confeccionando
tapetes para casas de repouso australianas, e kits maternidade e escolares para os necessitados da nação
vizinha de Papua Nova Guiné.
Foi pedido a cada unidade da Igreja que contribuísse com quadradinhos suficientes para confeccionar 25
tapetes, com 35 quadradinhos de tricô ou crochê cada um. Os 804 tapetes confeccionados foram doados
para a Associação de Casas de Repouso, no dia da conferência, e foram distribuídos posteriormente para
pessoas e casas de repouso espalhadas por toda a Austrália” (“Helping Hands in Queensland”, Church
News, 5 de novembro de 2005, p. 15).
11

Mobile, Alabama, EUA


“O jornal Mobile Register publicou um artigo em 23 de setembro descrevendo detalhadamente a contribui-
ção feita pela Igreja de alimentos doados para pessoas que foram evacuadas por causa de um furacão e que
estavam abrigadas no Centro Cívico Daphne. Quando os membros ficaram sabendo que o centro necessi-
tava de comida, os líderes locais fizeram um pedido oficial à sede da Igreja, e os alimentos foram enviados
do armazém do bispo de Tucker, Geórgia.
‘Quando vi os representantes da Igreja chegando e começando a descarregar, não acreditei na quantidade
de alimentos que eles estavam doando’, disse Bill Meese, supervisor de voluntários do centro, ao jornal
Register. ‘Caixas de legumes enlatados, frutas, defumados, produtos frescos, carne, seja o que for, eles
tinham. E doaram tudo que precisávamos.’
Um pastor voluntário citado no artigo chamou a doação dos santos dos últimos dias de resposta às orações.
A Igreja de [Jesus] Cristo dos Santos dos Últimos Dias, com sede em Salt Lake City, Utah, inundou a costa
do Golfo de voluntários vestindo camisetas brancas ‘Mãos que Ajudam’”, concluiu o artigo. “Apelidados
de ‘mórmons furacão’, eles vêm auxiliando as comunidades no trabalho de limpeza desde a passagem do
furacão” (“ ‘Helping Hands’ Reach Out to Victims”, Church News, 1º de outubro de 2005, p. 10).

Toyooka, Japão
“O Japão foi assolado por um número incomum de tufões este ano: 24. Um deles, o Tokage, inundou a capela
do ramo e a casa de 32 membros, bem como o alojamento dos missionários, segundo o presidente do ramo,
Yoshihiro Furutani. Alguns membros e missionários tiveram de mudar-se para os abrigos de emergência.
Dois dias depois, quatro carros cheios de voluntários da Igreja da área de Osaka-Kobe viajaram por quatro
horas por estradas inundadas e danificadas, quase impossíveis de transitar, para chegar a Toyooka. Eles
ajudaram a contatar todos os membros do ramo para confirmar sua segurança, prestando todo auxílio
necessário a membros, amigos e vizinhos.
No domingo, o ramo realizou a reunião sacramental no andar de cima da capela inundada. O presidente
Furutani disse: ‘Estávamos realmente sentindo o corpo cansado e desgastado, mas durante aquela reu-
nião, todos os membros foram nutridos espiritualmente’. A freqüência aumentou drasticamente e continua
subindo desde aquele momento.
Para facilitar o trabalho de ajuda, os voluntários da Igreja vestiram coletes ‘Mãos que Ajudam’. (“Japanese
Typhoon Victims Benefit from Helping Hands”, Church News, 13 de novembro de 2004, p. 4.)

Bristol, Inglaterra
No dia 23 de setembro de 2006, os membros da Igreja da estaca Bristol Inglaterra trabalharam o dia todo na
transformação de uma fazenda-parque comunitária. A fazenda estava enfrentando dificuldades nos últimos
anos, e teve que vender suas vacas para angariar fundos suficientes para alimentar os outros animais.
Cem portadores do sacerdócio chegaram às 8h para iniciar o trabalho em um acesso para cadeiras de rodas.
Às 10h, outros 300 começaram a pintar, cavar e limpar a fazenda. Na sede da estaca próxima, outros 150 mem-
bros fizeram brinquedos educacionais, ninhos e comedouros para pássaros, destinados ao celeiro de recursos.
No fim do dia, o prefeito e sua esposa chegaram, e o presidente da estaca mostrou a eles o que haviam
feito. O prefeito disse: “Estou profundamente impressionado e não consigo acreditar em quanto foi reali-
zado em apenas um dia. É como um programa de transformação total na TV”. O administrador da fazenda
acrescentou: “É um milagre que tanta coisa tenha sido feita, e não se ouviu um palavrão ou pessoa zan-
gada. Que pessoas organizadas e felizes!”
Ao fim do dia, 2.600 horas de serviço foram prestadas pelos membros da estaca.
12

Dongmuang, Tailândia
A Autoridade de Comunicações da Tailândia (CAT) realiza um Dia Nacional das Crianças a cada ano,
e o ramo de Dongmuang recebeu permissão para montar um estande de atividades como parte do evento
patrocinado pela CAT. A CAT forneceu a barraca para a atividade do ramo e concedeu ao SYS (grupo de
missionários cantores) um tempo para que realizassem uma apresentação no palco. O propósito da ativi-
dade foi compartilhar o amor de Deus com o povo da Tailândia, especialmente as crianças.
Depois da atividade daquele dia, um membro da equipe da CAT disse que o estande da Igreja foi o mais
apreciado pelo público do evento. Mais de 3.000 pessoas passaram pelo estande durante o dia, e muitos
ficaram para a apresentação do SYS, mais tarde, à noite.
Mais de 30 membros do ramo e missionários, vestindo coletes Mãos que Ajudam, auxiliaram no evento.
Outros membros ficaram até tarde no CAT para montar e decorar o estande e fizeram esculturas com balões.
Os membros não apenas prestaram serviço nessa preparação, mas também aprenderam novas aptidões.
O presidente do ramo, Prasong, sentiu que os membros se aproximaram da comunidade ao servi-los. Essa
atividade ajudou as pessoas a terem uma compreensão melhor da Igreja. Ao mesmo tempo, deu aos mem-
bros a oportunidade de fortalecer seu testemunho, servindo o povo tailandês.