Você está na página 1de 3

Universidade Estadual de Campinas

UNICAMP
Faculdade de Engenharia Mecânica

Atividade 5: Envasamento em
Processo deFabricaçao Usando
interface Logixpro

ES726 / ES925 – Laboratório de Automação Industrial

Professor: Niederauer Mastelari


Universidade Estadual de Campinas
UNICAMP
Faculdade de Engenharia Mecânica

1 Parte 1- Descrição Técnica do Processo de Envasamento

1.1 Interface Logix Pro - Envazamento

Esta atividade está baseada na interface Bottle Line Simulation do logixPro


conforme Figura 1. Esta interface em operação pode ser vista em
https://www.youtube.com/watch?v=6vrUunwmvCA e sendo programada em
https://www.youtube.com/watch?v=WZc4Jn5NyXg.

Figura 1 - Interface Grafica referente a linha de envazamento

Este processo é formado por três esteiras: a principal, a que encaminha as caixas com
os resíduos das garrafas quebradas e a esteira secundária que encaminha as garrafas
pequenas. O processo ocorre quando o botão de start é acionado e pára quando o botão
de stop é acionado.
Na entrada da esteira principal há três sensores que basicamente detectam a existência
de garrafas(LS1), a altura das garrafas (LS2) que pode ser grande ou normal, e se a garrafa
está quebrada ou não (LS3). A esteira é acionada pelo motor da esteira principal (Main
Conveyor). Na sequência há o preenchedor de líquido (Fill tube) e o preenchimento , que
depende do tamanho do vasilhame, pode ser de dois modos o grande (Large charge) e o
pequeno (Small charge). As garrafas quebradas obviamente não devem ser preencidas.
Na sequência as garrafas quebradas devem ser retiradas através de um seletor (Scrap
gate). Na sequencia há o lacrador das garrafas (Cap Ram). Além disso, mais à frente as
garrafas devem ser desviadas para a esteira secundária (Divert Gate).
A esteira secundária é acionada por um motor próprio (Divert Conveyor) quando
recebe uma garrafa de tamanho normal.
As garrafas quebradas devem ser moidas através de um moedor (Grinder) e vão para
uma caixa de rejeitos. A esteira de rejeitos é movida quando uma caixa de rejeitos está
cheia por um motor Scrap Conveyor). A caixa está cheia quando o sensor (LS10) indica.
Universidade Estadual de Campinas
UNICAMP
Faculdade de Engenharia Mecânica

Este sistema trabalha com diferentes operações ocorrendo de forma sincronizada. E


diversos contadores que indicam o número de garrafas produzidas grandes, pequenas,
quebradas e o número de caixas de rejeitos

2 Realização do Projeto
O projeto de automação a partir do tema deve ser desenvolvido pelo grupo.
O relatório deve conter a descrição do sistema em alto nível utilizando Grafcet.
A implementação do projeto em Ladder deve ser baseada no grafcet desenvolvido.
A programação deve ser baseada essencialmente neste diagrama, Grafcet, formando
um todo lógico e coerente. A documentação assim como o código deve compreensível
para aqueles que venham a usá-los. No relatório, ao final, deve ser colocada conclusão
avaliando se o projeto foi concluído com todas as suas funcionalidades e caso tenha
havido qualquer dificuldades estas devem ser explicitadas. A tabela de designação de
variáveis deve estar explicitada. A programação Ladder, deverá ser entregue no
relatório.
O programa operante deve também ser entregue.