Você está na página 1de 8

ITEM PÁGINA

1.1 – AS TRES VARIAVEIS BÁSICAS E O CONTROLE DESTAS -------------------------------- 03


1.2 – APLICAÇÃO DO MÉTODO DE AJUSTE---------------------------------------------------- 03
1.3 – CONDIÇÕES DE EMERGÊNCIA------------------------------------------------------------ 04
1.4 – CONTROLE DAS 03 VARIÁVEIS BÁSICAS DO FORNO----------------------------------- 04
ESQUEMA DAS 27 CONDIÇÕES BÁSICAS DE OPERAÇÃO DO FORNO------------------------ 05

Apostila Elaborada por CCC


Revisada por Marcele S. Teixeira
em Novembro de 2005
AS VINTE E SETE (27) CONDIÇÕES BÁSICAS DE OPERAÇÃO DO FORNO

Embora existam muitas variáveis durante a operação do Forno, com grande quantidade
de combinações, foi achado que existem três variáveis básicas de primeira importância,
chamadas “Pontos Chaves” para a regulagem do Forno.
Com exceção nos casos de condições altamente instáveis ou de emergência, o operador
pode verificar que estas três variáveis podem ser mantidas entre limites razoáveis
através de ajuste de uma ou mais de três controles básicos.
A combinação destas três variáveis básicas entre si, cria 27 diferentes situações que
serão explicadas em continuação.

1.1- AS TRES VARIÁVEIS BASICAS E O CONTROLE DESTAS

As condições do forno estão basicamente indicadas através da:


a) Temperatura da zona de queima, que tem uma influência predominante na
qualidade do clínquer (símbolo TZ);
b) Temperatura de entrada do forno, que é o controle fundamental da estabilidade
de operação (símbolo TE);
c) Percentagem de oxigênio nos gases de saída do forno que regula as condições de
combustão e o consumo calorífico (símbolo OX).
Pois que cada uma destas variáveis pode se situar dentro dos limites desejados acima do
limite máximo e abaixo do limite mínimo permitido, cria-se 27 possíveis condições
básicas que podem ser encontradas no gráfico seguinte, com um número
correspondente para uma identificação mais fácil.
Na maioria dos casos efetua-se o controle das três variáveis básicas, ajustando a vazão
do óleo, a rotação do forno acompanhada com o ajuste da alimentação e variando a
rotação do exaustor (ou abertura da válvula) do forno.

1.2- APLICAÇÃO DO MÉTODO DE AJUSTE

É necessário fornecer ao operador o valor desejado da TZ, OX e TE e a faixa de


trabalho, permitindo com os limites superiores e inferiores entre as quais a TZ, OX e TE
podem flutuar sem necessidade de ajuste.
Sendo fixados os limites permitidos o operador pode usar o gráfico mencionado e a
tabela dada em seguida para executar os devidos ajustes, tendo, porém em
consideração se a TZ, OX e TE estão pouco ou muito fora dos limites.

Suponhamos por exemplo que foram fixados os seguintes valores e limites:

VARIÁVEL SÍMBOLO VALOR FAIXA LIMITES MIN. –


DESEJADO MÁX.
Temperatura da zona de queima TZ 1.400 o.c. +- 50 o.c. 1350 – 1450 o.c.
Temperatura na entrada do forno TE 790 o.c. +- 10 o.c. 780 – 800 o.c.
Percentagem de O2 (bico de OX 1,5 +- 0,5 % 1,0 – 2,0 %
entrada)

Assim sendo, a TZ é considerada baixa se é inferior a 1350 o.C, boa entre 1350 e 1450
o.C e alta acima de 1450 o.C; a TE é baixa se é inferior a 780 o.C, boa entre 780 e 800
o.C, e alta acima de 800 o.c.
A OX é considerada baixa se é inferior a 1,0%, boa entre 1,0 e 2,0 % e alta acima de
2,0%.
Suponhamos, portanto que a um dado momento a TZ ficou em 3.000 o.C (baixa), a OX
em 2,8% (alta) e a TE em 820 o.C (alta).

2
Seguindo no gráfico a linha TZ baixa, OX alta, TE alta encontramos o número 9 na
tabela seguinte em correspondência com o numero 9 (nove) encontramos as medidas
corretivas a serem tomadas para estes casos.
Um procedimento similar pode ser feito, para a correção de qualquer uma das 27
condições básicas mencionadas. O operador deve remediar a uma dada condição logo
que uma das três variáveis (TZ, OX e TE) fique fora da faixa permitida, tendo em
consideração que cada medida corretiva não deve afetar as outras variáveis.

1.3- Os métodos de operação acima mencionados são aplicáveis quando as condições


do Forno estão fora da faixa pré-determinada, num valor não muito exagerado, e
quando se espera que, com as correções aplicadas, possamos normalizar a
situação dentro de uma hora. Porém, quando aparecem condições de
emergência, freqüentes são as seguintes:
• Rápida formação de anel (aumentar R.P.M. Forno);
• Perda de colagem ou anel (Reduzir forno);
• Pontos vermelhos no casco do forno (Reduzir óleo);
• Temperatura da zona de queima excessivamente alta, causando a fusão da
colagem (aumentar R.P.M Forno e reduzir óleo);
• Temperatura de entrada perigosamente elevada (reduzir exaustor e óleo);
• Entupimentos no pré-aquecedor (cortar alimentação);
• Elevado teor de CO, com perigo de explosão (Tirar óleo, aumentar exaustor);
• Falha de alimentação ou avanço irregular do material do Forno;
• Entrada de clínquer mal queimado no resfriador;
• Descontrole nos quais a velocidade do forno está ou mais alta, ou mais baixa do
que a normal (ajustar alimentação X rotação);
• Períodos de partidas ou paradas;
• Qualquer falha de equipamentos elétrico ou mecânico que interrompa de
qualquer modo o fluxo regular de material, gás, combustível ou ar.
Sempre que qualquer destas condições existir, será necessário aplicar as medidas
corretivas recomendadas para o caso em questão. O operador deverá estar muito bem
familiarizado com elas, pois qualquer demora poderá causar sérios danos no
equipamento ou graves acidentes.

1.4- CONTROLE DAS 03 VARIÁVEIS BÁSICAS DO FORNO

A temperatura da entrada do forno, da zona de queima e o % de oxigênio podem ser


ajustados atuando na:
1- Rotação do forno;
2- Velocidade do exaustor principal (abertura da válvula);
3- Vazão do combustível;
Reduzindo a rotação do forno tem-se:
a. Temperatura de entrada do forno: aumenta
b. Temperatura da zona de queima: aumenta
Aumentando a velocidade (abertura da válvula) do exaustor principal tem-se:
a. Temperatura da entrada do forno: aumenta
b. Temperatura da zona de queima: diminui
c. % do oxigênio: aumenta
Aumentando a vazão de combustível
a. Temperatura de entrada do forno: aumenta
b. Temperatura da zona de queima: aumenta
c. % do oxigênio: diminui

3
4
CASO CONDIÇÃO CORREÇÃO PROPÓSITO

01 TZ BAIXA Quando a TZ é muito baixa Aumentar a temperatura da zona de
OX BAIXA Reduzir a rotação do forno queima e da entrada
TE BAIXA Reduzir o óleo Aumentar a % de oxigênio

Quando a TZ é pouco baixa


Aumentar a rotação do exaustor Aumentar a TE e a OX para correção
(ou abertura da válvula) (D)
Aumentar o óleo Aumentar a TZ e normalizar a OX

02 TZ BAIXA Reduzir a rotação do forno Aumentar a TZ e TE


OX BAIXA Reduzir o óleo Aumentar a OX para correção (C)
TE NORMAL Diminuir a rotação do exaustor Normalizar a TE e a OX

03 TZ BAIXA Reduzir a rotação do forno Aumentar a TZ Aumentar a OX para


OX BAIXA Reduzir o óleo correção (C)
TE ALTA Reduzir a rotação do exaustor Normalizar a OX e reduzir a TE

04 TZ BAIXA Quando a TZ é muito baixa


OX NORMAL Reduzir a rotação do forno Aumentar a TZ e a TE
TE BAIXA
Quando a TZ é pouco baixa
Aumentar a rotação do exaustor Aumentar a TE e a OX para correção
(ou abertura de válvula) (C)
Aumentar o óleo
Aumentar a TZ
05 TZ BAIXA Quando a TZ é muito baixa e a OX
OX NORMAL na parte interna da faixa
TE NORMAL Reduzir a rotação do forno Aumentar a TZ
Reduzir o óleo Aumentar a OX para correção (C)
Reduzir a rotação do exaustor Manter a TE e normalizar a OX
(ou abertura da válvula)

Quando a TZ é pouco baixa e a OX


na parte superior da faixa
Aumentar o óleo Aumentar a TZ
06 TZ BAIXA Quando a TZ é muito baixa
OX NORMAL Reduzir a rotação do forno Aumentar a TZ
TE ALTA Reduzir o óleo Aumentar a OX para a correção (C)
Reduzir a rotação do exaustor Reduzir a TE
(ou abertura da válvula)

Quando a TZ é pouco baixa e a OX


na parte alta da faixa Diminuir a TE e aumentar a TZ
Diminuir a rotação do exaustor
(abertura da válvula)
07 TZ BAIXA Quando a TZ é muito baixa Aumentar a TZ e a TE
OX ALTA Reduzir a rotação do forno Normalizar a OX e manter a TE
TE BAIXA Reduzir a rotação do exaustor
(ou abertura de válvula)

Quando a TZ é pouco baixa Aumentar a TZ, normalizar a OX se

5
C. aumentar o óleo a TE não aumentar, continuar
aumentando o óleo e a rotação de
exaustor.
08 TZ BAIXA Quando a TZ é muito baixa
OX ALTA Reduzir a rotação do forno Aumentar a TZ
TE NORMAL Reduzir a rotação do exaustor Manter a TE, se a OX é ainda
(ou abertura de válvula) disponível, aumentar o óleo.

Quando a TZ é pouco baixa


C. aumentar o óleo Aumentar a TZ e normalizar a OX
09 TZ BAIXA Quando a TZ é muito baixa
OX ALTA Reduzir a rotação do forno Aumentar a TZ
TE ALTA Reduzir a rotação do exaustor Diminuir a TE e normalizar a OX
(ou abertura da válvula)
Aumentar o óleo Aumentar a TZ e normalizar a OX

Quando a TZ é pouco baixa


Reduzir a rotação do exaustor
(ou abertura da válvula) Aumentar a TZ e reduzir a TE e a OX

10 TZ NORMAL Aumentar a rotação do exaustor Aumentar a TE e a OX para correção


OX BAIXA Aumentar o óleo (B)
TE BAIXA Manter a TZ
11 TZ NORMAL Diminuir um pouco o óleo Normalizar OX
OX BAIXA
TE NORMAL
12 TZ NORMAL Diminuir o óleo Aumentar a OX para correção (B)
OX BAIXA Diminuir a rotação do exaustor Diminuir a TE e manter a TZ
TE ALTA (ou abertura de válvula)
13 TZ NORMAL Aumentar a rotação do exaustor Aumentar a TE
OX NORMAL (ou abertura de válvula)
TE BAIXA Aumentar o óleo
Manter a TZ
14 TZ NORMAL Nenhuma PRECAUÇÃO: manter o controle
OX NORMAL firme dos instrumentos para
TE NORMAL localizar com antecedência
eventuais alterações.
15 TZ NORMAL Quando a OX está na parte alta da
OX NORMAL faixa
TE ALTA Reduzir a rotação do exaustor Reduzir a TE

Quando a OX está na parte baixa da


faixa
Reduzir o óleo Aumentar a OX para correção (C)
Reduzir a rotação do exaustor Diminuir a TE e manter a TZ
(ou abertura da válvula)
16 TZ NORMAL Aumentar a rotação do exaustor Aumentar a TE
OX ALTA (ou abertura da válvula) Manter a TZ e normalizar a OX
TE BAIXA Aumentar o óleo
17 TZ NORMAL A. reduzir a rotação do exaustor um Normalizar a OX
OX ALTA pouco (ou abertura da válvula)
TE NORMAL
18 TZ NORMAL Reduzir a rotação do exaustor Diminuir a Te e a OX
OX ALTA Reduzir um pouco o óleo Manter a TZ

6
TE ALTA
19 TZ ALTA Quando a TZ é muito alta:
OX BAIXA Aumentar a rotação do forno Evitar superaquecimento da zona de
TE BAIXA queima
Reduzir o óleo Aumentar a OX
Aumentar a rotação do exaustor Aumentar a TE
(ou abertura da válvula)
Quando a TZ é pouco alta
D. aumentar a rotação do exaustor
(ou abertura da válvula) Aumentar a OX e a TE e diminuir a
TZ
20 TZ ALTA Quando a TZ é muito alta
OX BAIXA Aumentar a rotação do forno Evitar superaquecimento da zona de
TE NORMAL Reduzir o óleo queima
Aumentar a rotação do exaustor Diminuir a TZ
Quando a TZ é pouco alta Aumentar a OX e manter a TE
D. reduzir o óleo
Reduzir a TZ e aumentar o oxigênio
21 TZ ALTA Quando a TZ é muito alta
OX BAIXA Aumentar a rotação do forno Baixar a TZ e a TE
TE ALTA Reduzir o óleo Aumentar a OX

Quando a TZ é pouco alta Reduzir a TZ e a TE aumentar a OX


C. reduzir o óleo
22 TZ ALTA Quando a TZ é muito alta
OX NORMAL Aumentar a rotação do forno Evitar superaquecimento da zona de
TE BAIXA Aumentar a rotação do exaustor queima
(ou abertura de válvula) Aumentar a TE
Diminuir o óleo
Quando a TZ é pouco alta Diminuir a TZ
D. aumentar a rotação do exaustor
Aumentar a TE e diminuindo a TZ, a
OX pode aumentar até normalizar
as temperaturas.
23 TZ ALTA Quando a TZ é muito alta
OX NORMAL Aumentar a rotação do forno Evitar superaquecimento na zona de
TE NORMAL Reduzir o óleo queima
Aumentar a rotação do exaustor Diminuir a TZ
(ou abertura da válvula) Manter a TE
Quando a TZ é pouco alta
D. reduzir o óleo
Diminuir a TZ, a OX pode aumentar
até que a TZ seja normalizada.
24 TZ ALTA Quando a TZ é muito alta
OX NORMAL Aumentar a rotação do forno Evitar superaquecimento e diminuir
TE ALTA Reduzir o óleo a TE
Diminuir a TZ
Quando a TZ é pouco alta:
C. reduzir o óleo Diminuir a TZ e a TE. A OX pode
aumentar até que as temperaturas
sejam normalizadas.
25 TZ ALTA Quando a TZ é muito alta:
OX ALTA Aumentar a rotação do forno Evitar superaquecimento da zona
TE BAIXA Aumentar a rotação do exaustor Aumentar a TE e baixar a TZ

7
Quando a TZ é pouco baixa:
C. aumentar a rotação do exaustor
(ou abertura da válvula) Aumentar a TE e baixar a TZ. A OX
pode aumentar, até normalizar as
temperaturas.
26 TZ ALTA Quando a TZ é muito alta
OX ALTA Aumentar a rotação do forno Evitar superaquecimento
TE NORMAL Aumentar a rotação do exaustor Manter a TE
(ou abertura de válvula)
Diminuir o óleo
Quando a TZ é pouco alta Diminuir a TZ
D. reduzir o óleo

Diminuir a TZ. A OX pode ficar alta


até normalizar a temperatura
27 TZ ALTA Quando a TZ é muito alta
OX ALTA Aumentar a rotação do forno Evitar superaquecimento
TE ALTA Reduzir o óleo Diminuir a TZ e a TE
Diminuir a OX.
Quando a TZ é pouco alta:
Reduzir o óleo Diminuir a TZ
Reduzir a rotação do exaustor Diminuir a TE e a OX.
(ou abertura de válvula)