Você está na página 1de 7

Estatuto Social da Associação Ajubaí Ecocomunidade – AJUBAÍ

Capitulo I – DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

Artigo 1º- A Associação Ajubaí Ecocomunidade, também designada pela sigla AJUBAÍ, constituída
em 30 de Janeiro de 2010, sob a forma de Associação, é uma pessoa jurídica de direito privado, sem
fins lucrativos, e duração por tempo indeterminado, com sede no município de Alfredo Wagner,
Estado de Santa Catarina, à Estrada Geral, s/nº, na localidade Passo da Limeira, CEP 88.450-000.

Artigo 2º- A AJUBAÍ tem por finalidade:


• Proporcionar espaços de habitação, em seu sentido amplo e nos termos definidos no
Regimento Interno, para seus Associados em suas dependências;
• Proporcionar condições favoráveis às atividades profissionais dos seus Associados, que
estejam de acordo com as atividades inerentes da AJUBAÍ;
• Explorar atividades de agricultura e reflorestamento, comércio e industrialização de alimentos,
turismo, educação, terapia, cultura, artesanato, bioconstrução e artes em geral;
• Fazer da vida em grupo um instrumento de crescimento pessoal, promovendo o convívio
construtivo, as habilidades de diálogo e a resolução pacífica de conflitos, consolidando a
diversidade com uma rede de confiança e solidariedade dentro e fora da AJUBAÍ, em
evolução contínua para esta e as próximas gerações;
• Buscar a redução do custo de vida através de uma melhor utilização dos recursos, economia
de escala e compartilhamento;
• Facilitar mecanismos de apoio mútuo e trabalho coletivo;
• Defesa, preservação e conservação do meio ambiente e promoção do desenvolvimento
sustentável, incorporando os princípios da Sustentabilidade, Economia Solidária e
Permacultura nos projetos e nas ações individuais e coletivas;
• Cooperar e orientar outras Sociedades que tenham objetivos afins, ambientais e/ou de
educação;
• Realizar serviços e consultoria na abrangência dos objetivos da AJUBAÍ.
Parágrafo Único - A AJUBAÍ não distribui entre os seus sócios ou associados, conselheiros,
diretores, empregados ou doadores eventuais excedentes operacionais, brutos ou líquidos,
dividendos, bonificações, participações ou parcelas do seu patrimônio, auferidos mediante o exercício
de suas atividades, e os aplica integralmente na consecução do seu objetivo social.

Artigo 3º- No desenvolvimento de suas atividades, a AJUBAÍ observará os princípios da legalidade,


impessoalidade, moralidade, publicidade, economicidade e da eficiência e não fará qualquer
discriminação de raça, cor, gênero ou religião.
Parágrafo Único – A AJUBAÍ se dedica às suas atividades por meio da execução direta de
projetos, programas ou planos de ações, ou prestação de serviços intermediários de apoio a outras
organizações sem fins lucrativos e a órgãos do setor público que atuam em áreas afins.

Artigo 4º- A AJUBAÍ disciplinará o seu funcionamento através de um Regimento Interno, aprovado
pela Assembléia Geral e por Ordens Executivas emitidas pela Diretoria.

Artigo 5º- A fim de cumprir suas finalidades, a AJUBAÍ se organizará em tantas unidades de
prestação de serviços, quantas se fizerem necessárias, as quais se regerão pelas disposições
estatutárias.

Capítulo II – DOS ASSOCIADOS

Artigo 6º- A AJUBAÍ é constituída por número limitado de associados, conforme limites estabelecidos
no Regimento Interno, distribuídos nas seguintes categorias:
I. Associados Fundadores – os presentes ou representados na Assembléia Geral de Fundação,
Eleição e Posse da AJUBAÍ;
II. Associados Titulares – aqueles que adquirirem Títulos Patrimoniais da AJUBAÍ;
III. Associados Moradores – os que usufruírem das instalações da AJUBAÍ, por extensão de direito
de um Associado Titular.
Parágrafo Primeiro – Um associado pode acumular mais de uma categoria.
Parágrafo Segundo – A admissão e a exclusão dos associados será disciplinada no Regimento
Interno e é atribuição da Assembléia Geral.
Artigo 7º- Com base na Lei nº. 9.608/98, a AJUBAÍ poderá abrir oportunidades de trabalho voluntário
para a realização de atividades desenvolvidas pela Ajubaí, a ser exercido mediante a celebração de
Termo de Adesão entre a AJUBAÍ e o prestador do serviço voluntário, nele devendo constar a
descrição das partes, a natureza do serviço e as condições para o seu exercício.
Parágrafo único - O serviço de voluntariado a que se refere este Artigo será exercido com base
na Lei nº. 9.608/98, e constitui-se atividade não-remunerada, prestada por pessoa física, não gerando
qualquer vínculo empregatício ou obrigação de natureza trabalhista, previdenciária ou afim, com a
AJUBAÍ.

Artigo 8º- São direitos dos Associados, desde que sejam maiores de 18 anos, estejam em pleno gozo
e regulares com suas obrigações sociais:
I. Votar e serem votados nas eleições realizadas para provimento de qualquer cargo integrante
dos diferentes órgãos da AJUBAÍ;
II. Requerer a convocação de Assembléias Gerais Extraordinárias, mediante requerimento dirigido
ao Presidente da Diretoria, observado o disposto no art. 16, III;
III. Participar das Assembléias Gerais Ordinárias e Extraordinárias, nelas votando sobre todas as
matérias objeto de deliberação;
IV. Propor por escrito, à Diretoria ou à Assembléia Geral as medidas que considerem convenientes
ao interesse social;
V. Apresentar candidatos a associados, assinando as respectivas solicitações;
VI. Integrar Grupos de Trabalho ou Departamentos, a serviço dos planos de ações implantados
pela Diretoria;
VII. Obter junto aos órgãos diretivos informações sobre as atividades desenvolvidas e sobre a
administração da AJUBAÍ.

Artigo 9º- Além dos direitos citados no artigo anterior, o Associado Titular terá direito a participar das
atividades que estejam ligadas a AJUBAÍ e ao usufruto das instalações coletivas da AJUBAÍ e
daquelas referentes ao seu Título Patrimonial, respeitado o Regimento Interno.
Parágrafo Único- O Associado Titular poderá estender estes direitos aos Associados Moradores
que indicar.

Artigo 10º- São deveres comuns a todos os Associados:


I. Respeitar o presente Estatuto, o Regimento Interno, as deliberações das Assembléias Gerais,
da Diretoria e do Conselho Fiscal;
II. Contribuir pontualmente com os aportes financeiros e de trabalho aos quais se tenham
obrigado;
III. Prestar sua efetiva cooperação ao desenvolvimento da AJUBAÍ e ao cumprimento de suas
finalidades;
IV. Apresentar-se no melhor padrão ético sempre que identificado como membro da AJUBAÍ;
V. Defender o patrimônio e os interesses da AJUBAÍ.
Parágrafo Único – É dever dos Associados Titulares, responder por eventuais faltas dos
Associados Moradores, a ele vinculados, bem como seus dependentes e convidados.

Artigo 11- Os associados não respondem, nem mesmo subsidiariamente, pelos encargos da AJUBAÍ.

Capítulo III – DA ADMINISTRAÇÃO

Artigo 12- A AJUBAÍ será administrada por:


I. Assembléia Geral;
II. Diretoria;
III. Grupos de Trabalho e Departamentos;
IV. Conselho Fiscal.
Parágrafo único - A AJUBAÍ não remunera, sob qualquer forma, os cargos de sua Diretoria,
Grupos de Trabalho, Departamentos e do Conselho Fiscal, cujas atuações são inteiramente gratuitas.

Da Assembléia Geral

Artigo 13- A Assembléia Geral é o órgão soberano da AJUBAÍ, e constituir-se-á pelos associados
maiores de 18 (dezoito) anos e em pleno gozo de seus direitos estatutários.
Parágrafo Único – um associado poderá representar, por procuração, somente um outro
associado, desde que ambos em pleno gozo de seus direitos estatutários.
Artigo 14- Compete à Assembléia Geral:
I. Eleger e/ou destituir a Diretoria e o Conselho Fiscal;
II. Decidir sobre reformas do Estatuto;
III. Decidir sobre a extinção da AJUBAÍ;
IV. Decidir sobre a conveniência de alienar, transigir, hipotecar ou permutar bens patrimoniais;
V. Aprovar e alterar o Regimento Interno;
VI. Aprovar a criação de Grupos de Trabalhos e Departamentos, nomeando seus respectivos
Coordenadores e Suplentes, submetidos pela Diretoria;
VII. Deliberar sobre assuntos de interesse da AJUBAÍ;
VIII. Pronunciar-se sobre a admissão e a exclusão de Associados.

Artigo 15- A Assembléia Geral se realizará, ordinariamente, uma vez por ano para:
I. Aprovar a Proposta de Programação Anual de Atividades (PPAA), com a Previsão
Orçamentária (PO) para o exercício seguinte, submetida pela Diretoria, gerando o Plano Anual
de Atividades (PAA) da AJUBAÍ;
II. Apreciar o Relatório Anual de Atividades (RAA) da AJUBAÍ, submetido pela Diretoria;
III. Discutir e homologar as contas e o balanço aprovado pelo Conselho Fiscal.

Artigo 16- A Assembléia Geral se realizará, extraordinariamente, quando convocada:


I. pela Diretoria;
II. pelo Conselho Fiscal;
III. por requerimento de 25% (vinte e cinco por cento) dos associados quites com as obrigações
sociais.

Artigo 17- A convocação da Assembléia Geral será feita por meio de edital afixado na sede da
AJUBAÍ, por correspondência ou divulgação por meio eletrônico, com antecedência mínima de 3
(três) dias.

Artigo 18- A Assembléia Geral instalar-se-á em primeira convocação, com a presença de, no mínimo
3/4 (três quartos) dos Associados com direito a voto, e em segunda convocação, decorridos 30
minutos da primeira, com o número de Associados indicados no art. 20.

Artigo 19- As decisões da Assembléia Geral não terão validade:


I. se a Assembléia Geral for convocada fora dos prazos e condições previstas neste Estatuto;
II. se a Assembléia Geral deliberar sobre assuntos que não constem da Ordem do Dia e não
estejam claramente relacionados no Edital de Convocação;
III. se, no Edital de Convocação, não tiver sido claramente determinada a data, hora, local e pauta
dos trabalhos na Ordem do Dia;
IV. se, em segunda convocação, não tiver sido atingido o quorum necessário para deliberar sobre
assuntos que exijam maioria qualificada, conforme art. 20.

Artigo 20- Será exigida maioria qualificada de Associados, em segunda convocação, para deliberar
sobre os seguintes assuntos:
I. presença e votação de 3/4 dos Associados: extinção da AJUBAÍ, demissão de membros da
Diretoria, alteração da razão social da Associação e do sistema administrativo, adesão ou
exclusão de Associados, alterações no Patrimônio e aprovação de despesas extra-
orçamentárias conforme limites mensais definidos no Regimento Interno;
II. presença e votação de 2/3 dos Associados: reforma do Estatuto, eleição de membros da
Diretoria e Conselho Fiscal, aprovação de alienação de bens patrimoniais da AJUBAÍ e de
despesas extra-orçamentárias conforme limites mensais definidos no Regimento Interno, bem
como outros assuntos de interesse da AJUBAÍ;
III. presença e votação de 1/3 dos Associados: aprovação das prestações de contas, do balanço
anual, apreciação de recursos administrativos e aprovação de despesas extra-orçamentárias
conforme limites mensais definidos no Regimento Interno;
IV. qualquer número de Associados presentes: apresentação do relatório de atividades, aprovação
de despesas extra-orçamentárias conforme limites mensais definidos no Regimento Interno.
Parágrafo Primeiro - Caso não seja atingido o quorum mínimo exigido em segunda convocação,
verificado sobre o livro de presença, deverá ser convocada outra Assembléia Geral dentro do prazo
máximo de quinze dias.
Parágrafo Segundo - os casos previstos no inciso IV poderão ser decididos por Referendo, nos
termos definidos no Regimento Interno.
Artigo 21- As deliberações nas Assembléias Gerais serão tomadas por 2/3 (dois terços) dos votos
presentes, excetuando-se as hipóteses em contrário previstas neste estatuto.

Artigo 22- As decisões da Assembléia Geral obrigam todos os Associados, ainda que discordantes ou
ausentes, a cumpri-las integralmente.

Artigo 23- A AJUBAÍ adotará práticas de gestão administrativa, necessárias e suficientes, a coibir a
obtenção, de forma individual ou coletiva, de benefícios e vantagens pessoais, em decorrência da
participação nos processos decisórios.

Da Diretoria

Artigo 24- A Diretoria, órgão administrativo da AJUBAÍ, é composta dos seguintes membros:
I. Presidente e Vice-Presidente;
II. 1º e 2º Secretários; e
III. 1º e 2º Tesoureiros.
Parágrafo Primeiro – O mandato da Diretoria será de 02 (dois) anos, podendo ser reeleita, desde
que renovado pelo menos um dos cargos.
Parágrafo Segundo – Um Associado só poderá ser re-eleito por um único período subseqüente
para um mesmo cargo.

Artigo 25- Compete à Diretoria:


I. Executar as decisões da Assembléia Geral;
II. Elaborar o Estatuto e o Regimento Interno;
III. Elaborar e submeter à Assembléia Geral a Proposta de Programação Anual de Atividades
(PPAA), que incluirá Previsão Orçamentária (PO) para o exercício seguinte;
IV. Colocar em execução o Plano Anual de Atividades (PAA) aprovado de acordo com a PPAA e
PO, mencionados no inciso anterior;
V. Elaborar e apresentar à Assembléia Geral o Relatório Anual de Atividades (RAA);
VI. Reunir-se com instituições públicas e privadas para mútua colaboração em atividades de
interesse comum;
VII. Contratar e demitir funcionários;
VIII. Sugerir Grupos de Trabalho ou Departamentos que entender necessários ao fiel cumprimento
dos objetivos da AJUBAÍ, indicando seus respectivos Coordenadores e Suplentes para
aprovação pela Assembléia Geral;
IX. Emitir Ordens Executivas para disciplinar o funcionamento interno da Ajubaí;
X. Aprovar despesas gerais, até o limite mensal definido no Regimento Interno, bem como
manter pagas em dia todas as despesas da AJUBAÍ;
XI. Convocar extraordinariamente a Assembléia Geral sobre admissão, exclusão e punição de
Associados;
XII. Convocar extraordinariamente a Assembléia Geral sobre todas as despesas que excederem
o limite mensal previsto no Regimento Interno;
XIII. Convocar e organizar Referendos aos Associados, nos moldes definidos no Regimento
Interno.

Artigo 26- A Diretoria se reunirá no mínimo uma vez por mês.

Artigo 27- Compete ao Presidente


I. Representar a AJUBAÍ judicial e extra-judicialmente;
II. Cumprir e fazer cumprir este Estatuto e o Regimento Interno;
III. Convocar e presidir a Assembléia Geral;
IV. Convocar e presidir as reuniões da Diretoria;
V. Autorizar o pagamento das despesas normais da AJUBAÍ, juntamente com o Tesoureiro;
VI. Estabelecer as relações com empresas, instituições ou órgãos públicos no que diz respeito a
convênios, parcerias e trabalhos em conjunto;
VII. Assinar, juntamente com o Tesoureiro, todas as operações financeiras da AJUBAÍ;
VIII. Assinar, juntamente com o Secretário, todas as Atas, correspondências e Editais de
Convocação;
IX. Dar o voto de Minerva em caso de empate nas votações ocorridas na Assembléia Geral e na
Diretoria;
X. Exercer as atribuições que lhe forem conferidas pela Assembléia Geral.

Artigo 28- Compete ao Vice-Presidente:


I. Substituir o Presidente em suas faltas ou impedimentos;
II. Assumir o mandato, em caso de vacância, até o seu término;
III. Prestar, de modo geral, sua colaboração ao Presidente;
IV. Exercer as atribuições que lhe forem conferidas pela Assembléia Geral.

Artigo 29- Compete ao Secretário:


I. Secretariar as reuniões da Diretoria e da Assembléia Geral e redigir e assinar as atas;
II. Publicar todos os editais e as notícias das atividades da AJUBAÍ;
III. Redigir e assinar, juntamente com o Presidente, todas as Atas, correspondências e Editais de
Convocação;
IV. Exercer as atribuições que lhe forem conferidas pela Assembléia Geral.

Artigo 30- Compete ao 2º Secretário:


I. Substituir o 1º Secretário em suas faltas ou impedimentos;
II. Assumir o mandato, em caso de vacância, até o seu término;
III. Prestar, de modo geral, sua colaboração com o 1º Secretário;
IV. Exercer as atribuições que lhe forem conferidas pela Assembléia Geral.

Artigo 31- Compete ao Tesoureiro:


I. Arrecadar e contabilizar as contribuições dos associados, rendas, auxílios e donativos,
mantendo em dia a escrituração da AJUBAÍ;
II. Pagar as contas autorizadas em conjunto com o Presidente;
III. Apresentar relatórios de receitas e despesas, sempre que forem solicitados;
IV. Apresentar ao Conselho Fiscal a escrituração da AJUBAÍ, incluindo os relatórios de
desempenho financeiro e contábil e sobre as operações patrimoniais realizadas;
V. Conservar, sob sua guarda e responsabilidade, os documentos relativos a AJUBAÍ;
VI. Manter todo o numerário em estabelecimento de crédito, previamente autorizado;
VII. Assinar, juntamente com o Presidente, todas as operações financeiras da AJUBAÍ,
procedendo ao devido registro da mesma;
VIII. Exercer as atribuições que lhe forem conferidas pela Assembléia Geral.

Artigo 32- Compete ao 2º Tesoureiro:


I. Substituir o 1º Tesoureiro em suas faltas ou impedimentos;
II. Assumir o mandato, em caso de vacância, até o seu término;
III. Prestar, de modo geral, sua colaboração com o 1º Tesoureiro;
IV. Exercer as atribuições que lhe forem conferidas pela Assembléia Geral.

Dos Grupos de Trabalho e Departamentos

Artigo 33- Grupos de Trabalho e Departamentos são órgãos de execução ou assessoria técnica da
Diretoria, formados de acordo com as necessidades operacionais da AJUBAÍ, cujos membros serão,
obrigatoriamente, Associados.
Parágrafo Único - Cada Grupo de Trabalho ou Departamento será constituído por 2 membros,
sendo um Coordenador e um Suplente, nomeados em Assembléia Geral.

Artigo 34- Um Grupo de Trabalho tem caráter provisório, ou seja, é criado para uma atividade
temporária específica.
Parágrafo Único - O mandato de um Grupo de Trabalho será pelo tempo de existência do Grupo
de Trabalho, podendo haver troca dos membros titulares, caso a Diretoria julgue necessário,
submetendo sua indicação a Assembléia Geral.

Artigo 35- Um Departamento tem caráter definitivo, ou seja, somente será desativado caso sua
atividade se torne incompatível com as necessidades da Ajubaí.
Parágrafo Único – O mandato de um Departamento seguirá as regras contidas no art. 24, §§1º e
2º, porém não necessita ser coincidente com o mandato da Diretoria.

Artigo 36- Compete aos Grupos de Trabalho e Departamentos:


I. Auxiliarem a Diretoria nos assuntos técnico-administrativos relativos à sua área de atividades;
II. Expedirem os pareceres que lhes forem solicitados pela Diretoria e Conselho Fiscal;
III. Executarem todas as atribuições que lhes forem conferidas pela Diretoria e Assembléia
Geral.

Do Conselho Fiscal
Artigo 37- O Conselho Fiscal será constituído por somente um membro e seu suplente, eleitos pela
Assembléia Geral.
Parágrafo Único - O mandato do Conselho Fiscal será coincidente com o mandato da Diretoria;

Artigo 38- Compete ao Conselho Fiscal:


I. Auxiliar e fiscalizar as ações da Diretoria e suas respectivas prestações de contas e demais
atos administrativos e financeiros;
II. Examinar os livros de escrituração da AJUBAÍ;
III. Opinar sobre os balanços e relatórios de desempenho financeiro e contábil e sobre as
operações patrimoniais realizadas, emitindo pareceres para os organismos superiores da
AJUBAÍ;
IV. Requisitar ao Tesoureiro, a qualquer tempo, documentação comprobatória das operações
econômico-financeiras realizadas pela AJUBAÍ;
V. Acompanhar o trabalho de eventuais auditores externos independentes;
VI. Convocar extraordinariamente a Assembléia Geral.
Parágrafo Único - O Conselho Fiscal se reunirá ordinariamente a cada 4 (quatro) meses e,
extraordinariamente, sempre que necessário.

Capítulo IV - DOS RECURSOS FINANCEIROS

Artigo 39- Os recursos financeiros necessários à manutenção da AJUBAÍ poderão ser obtidos por:
I. Termos de Parceria, Convênios e Contratos firmados com o Poder Púbico pra financiamento
de projetos na sua área de atuação;
II. Contratos e acordos firmados com empresas e agências nacionais e internacionais;
III. Doações, subvenções, legados e heranças;
IV. Rendimentos de aplicações de seus ativos financeiros e outros, pertinentes ao patrimônio sob
a sua administração;
V. Contribuição dos associados;
VI. Venda de produtos ou serviços feitos pelos próprios associados.

Artigo 40- A Despesa será constituída de todos os gastos necessários ao funcionamento da AJUBAÍ
ou efetivação de seus objetivos e finalidades, sendo que dependerão de autorização do Presidente
da Diretoria, respeitados os limites mensais definidos no Regimento Interno.
Parágrafo Primeiro: É proibido à Diretoria contribuir ou avalizar, por conta e responsabilidade da
AJUBAÍ, para qualquer finalidade estranha aos objetivos da AJUBAÍ.
Parágrafo Segundo: As alterações substanciais do patrimônio poderão ser feitas por proposta da
Diretoria dentro do limite mensal estabelecido no Regimento Interno, ou aprovadas pela Assembléia
Geral, nos termos definidos neste Estatuto.

Capítulo V – DO PATRIMÔNIO

Artigo 41- O patrimônio da AJUBAÍ será constituído:


I. por bens móveis e imóveis;
II. pelo excedente da Receita sobre a Despesa, apurado anualmente;
III. pela receita da venda de Títulos Patrimoniais, respeitado os limites contidos no Regimento
Interno.

Artigo 42- Todos os bens patrimoniais e financeiros da AJUBAÍ deverão ser obrigatoriamente
registrados e contabilizados em livros apropriados, que serão mantidos em dia para verificação dos
Associados.

Artigo 43- No caso de dissolução da AJUBAÍ, e na hipótese de haver resíduo patrimonial (o


respectivo patrimônio líquido), este será transferido a outra pessoa jurídica qualificada nos termos da
Lei 9.790/99, preferencialmente que tenha o mesmo objetivo social, de acordo com a deliberação da
Assembléia Geral, em reunião que determinar a dissolução, respeitados, no entanto, os
compromissos específicos previstos em convênios, contratos e outros quaisquer ajustes, firmados na
forma da legislação vigente.

Artigo 44- Na hipótese da AJUBAÍ obter e, posteriormente, perder a qualificação instituída pela Lei
9.790/99, o acervo patrimonial disponível, adquirido com recursos públicos durante o período em que
perdurou aquela qualificação, será contabilmente apurado e transferido a outra pessoa jurídica
qualificada nos termos da mesma Lei, preferencialmente que tenha o mesmo objetivo social.

Capítulo VI – DA PRESTAÇÃO DE CONTAS

Artigo 45- A prestação de contas da AJUBAÍ observará as seguintes normas:


I. Os princípios fundamentais de contabilidade e as Normas Brasileiras de Contabilidade;
II. A publicidade, por qualquer meio eficaz, no encerramento do exercício fiscal, ao relatório de
atividades e das demonstrações financeiras da AJUBAÍ, incluindo as certidões negativas de
débitos junto ao INSS e ao FGTS, colocando-os à disposição para o exame de qualquer
cidadão;
III. A realização de auditoria, inclusive por auditores externos independentes se for o caso, da
aplicação dos eventuais recursos objeto de Termo de Parceria, conforme previsto em
regulamento;
IV. A prestação de contas de todos os recursos e bens de origem pública recebidos será feita,
conforme determina o parágrafo único do Art. 70 da Constituição Federal.

Capítulo VII – DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Artigo 46- O exercício social da AJUBAÍ será encerrado em 31 de Dezembro de cada ano,
coincidindo assim, com o do ano civil.

Artigo 47- A AJUBAÍ será dissolvida por decisão de, no mínimo, 3/4 (três quartos) dos Associados
com direito a voto, em Assembléia Geral, especialmente convocada para este fim, quando se tornar
impossível a continuação de suas atividades.
Parágrafo Primeiro – A convocação para Assembléia, visando a dissolução da AJUBAÍ
deverá, além das providências previstas, também ser feita através de publicação de edital em meios
eletrônicos e correspondência aos Associados, por duas vezes e no prazo de no mínimo 30 (trinta)
dias antes de sua realização, para a primeira convocação.
Parágrafo Segundo – A Assembléia que deliberar sobre a dissolução, nomeará uma
Comissão composta por 05 (cinco) membros, dentre os Associados, que se encarregará da solução
do ativo e passivo, como venda de imóveis, pagamento de débitos e prestação de contas.

Artigo 48- O presente Estatuto poderá ser reformado, a qualquer tempo, por decisão de, no mínimo,
2/3 (dois terços) dos Associados com direito a voto, em Assembléia Geral especialmente convocada
para esse fim, e entrará em vigor na data de seu registro em Cartório.

Artigo 49- Os casos omissos no presente Estatuto serão resolvidos de conformidade com a Lei
Federal 10.406, de 10 de janeiro de 2002 - Código Civil Brasileiro e demais leis aplicáveis. Quaisquer
questionamentos serão examinados e apreciados pela Diretoria Executiva, sendo que, face à sua
relevância, deverão ser submetidos ao referendo da Assembléia Geral Extraordinária convocada para
este fim.

Alfredo Wagner/SC, 19 de Maio de 2010.

_________________________________
Presidente

_________________________________
Advogado