Você está na página 1de 17

A duplicação ou replicação do DNA ocorre pela:

1) Separação das duas fitas complementares;


2) Síntese de uma nova fita complementar (fita vermelha) para
cada uma
das fitas.
Desta forma a fita pré-existente funciona como um molde para
formação da nova fita (replicação semiconservativa)
As duplas fitas do DNA sempre são antiparalelas.
Forma A Forma B Forma Z

O DNA pode ocorrer em formas tridimensionais diferentes apresentando


funções específicas no metabolismo do DNA:
Forma B: é a mais comum
Forma A: soluções relativamente desprovidas de água (redução da umidade
relativa em 75%, predominante em híbridos RNA-DNA ou RNA-RNA )

Forma Z: Desempenha um papel (ainda não identificado) na regulação da


expressão de alguns genes ou na recombinação gênica;
PALÍNDROMO - Sequência de
pares de bases do DNA que têm a

Mesma leitura nos


filamentos complementares. Exemplo:
GAATTC CTTAAG.
Estrutura de DNA-H: seqüência de resíduos T e C alternantes,
forma uma fita tríplice: duas fitas são pirimidinas e uma purina;
Estrutura do RNA
- Fita única de conformação helicoidal de mão direita, dominada por
interações de empilhamento de bases.
- O pareamento de bases segue o modelo do DNA;
- Na estrutura tridimensional do RNA pareamento comum entre G e
U;
- quando ocorrem fitas pareadas no RNA, estas são antiparalelas;
- possuem forma de grampo e saliências internas;
- sequências de UUCG são frequentemente encontradas nas
extremidades dos grampos de RNA;
-Podem apresentar uma estrutura secundária e terciária que
envolve o pareamento de bases intramoleculares, empilhamento de
bases e pontes de hidrogênio entre diferentes parte da molécula
Estrutura tridimensional do RNA
Química dos ácidos nucleicos:

Desnaturação do DNA: Quebra das pontes de H que liga a dupla


fita do DNA ou DNA com RNA. Não há ruptura das pontes
fosfodiéster. Agentes: extremos de pH ou temperatura acima de
80ºC;

Renaturação: quando em pH fisiológico e temperatura ambiente,


as pontes de H são restabelecidas as fitas complementares;
processo rápido quando um segmento da dupla hélice tinha se
mantido unido.

Quando as duas fitas estão totalmente separadas, o processo de


renaturação ocorre em duas fases: o primeiro de “se encontrar”,
mais lento (colisão ao acaso). Segundo passo, mais rápido, os demais
pares de bases se fecham como um “zíper”.
Fitas únicas de DNAs desnaturados de
duas espécies podem formar dúplex
híbridos e o grau de hibridização depende
da extensão da semelhança da sequência;
Se o DNA apresenta um número
A hibridização é a base para maior de pares G-C do que A-T,
técnicas importantes usadas para maior é a estabilidade da molécula,
estudar e isolar genes e RNAs maior deverá ser o aumento da
específicos. Técnica utilizada para temperatura para haver a
identificação de indivíduos; desnaturação(Temperatura de
“melting”);
Os ácidos nucleicos sofrem
Mutações: alterações
transformações não
permanentes na estrutura do
enzimáticas, como as
DNA, que na maioria das vezes
mutações, pela radiação UV,
são deletérias, mas que podem
hidrólise da ligação
ajudar na adaptação das
entre a BN e a pentose, nas
espécies ao longo dos anos.
extremidades das fitas.
Multiplicação do DNA pela técnica da reação em cadeia de
polimerase (PCR)

No microtubo colocar: DNA molde, Enzima Taq polimerase,


nucleotídeos livres, tampão de reação, primers (iniciadores da
polimerização), solução com os reagentes adequados.

Termociclador, Aparelho utilizado


para realizar uma PCR, Reação em
cadeia da polimerase

Microtubos, conhecidos
como eppendorf