Você está na página 1de 3

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO


18ª GERÊNCIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO
CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO JACOB BARBOSA
ALUNO (A): Nº:
PROFESSOR: ZECA SÉRIE: 2°Ano TURMA: TURNO:
DATA:______ /_______ / 2020 ATIVIDADE 1 ATIVIDADE 2 QUALITATIVO NOTA FINAL

DISCIPLINA: FÍSICA
MÊS DE REFERENCIA: MARÇO

RESUMO TERMOMETRIA
Conceitos de Temperatura e Calor
1. Temperatura
Mede o grau de agitação (energia cinética) das moléculas de um corpo.
2. Calor
É a energia térmicaem movimento, sempre no sentido do corpo que tem temperatura maior para o
corpo que tem menor temperatura.
3. Equilíbrio térmico
Quando corpos distintos que possuem diferentes temperaturas entram em contato, trocam energia até
que fiquem com a mesma temperatura. Quando isso acontece, dizemos que eles atingiram o equilíbrio térmico.
4. Termômetro e Escala Celsius
O termômetro é um equipamento utilizado para medir a temperatura, seu funcionamento depende da
variação das grandezas termométricas, como por exemplo, volume, pressão, resistência elétrica, etc.
Por exemplo, o termômetro de mercúrio mede a temperaturas dos corpos devido a variação do seu
volume, devido o tubo ser estreito, consideraremos a variação somente de seu comprimento, assim para cada
comprimento associaremos um valor de temperatura.
Na escala Celsius, ao pegarmos um termômetro e colocarmos em contato com gelo fundente, ao nível
do mar e esperarmos o equilíbrio térmico, caso seja de mercúrio, este acusará 0°C.
Colocando esse mesmo termômetro em contato com água fervente (ebulição), ao nível do mar, o
termômetro receberá calo até atingir o equilíbrio térmico, durante o processo ocorrerá expansão do mercúrio e
esse novo comprimento corresponderá a temperatura de 100° C.
Quando temos dois valores de referência, denominamos essas temperaturas de pontos fixos:
• Temperatura de fusão da água / ponto de gelo (PF) T = 0°C
• Temperatura de ebulição da água / ponto de vapor (PE) T = 100°C
As demais temperaturas estão associados com os novos comprimentos, caso queira relacioná-los
matematicamente poderá utilizar o teorema de Tales.

5. Escalas Fahrenheit e Arbitrária


Fahrenheit (ºF) Kelvin (K)
PF: 32 ºF PF: 273 K
PE: 212 ºF PE: 373 K
Zero absoluto: É o 0 K, a temperatura onde não há nenhuma agitação molecular. Obs: A escala Kelvin não
apresenta a notação em graus.

6. Conversão de escalas 7. Relações de Variação de Temperatura

Seja uma temperatura qualquer. Temos que:


• C= na escala Celsius
• F= na escala Fahrenheit
• K= na escala Kelvin

8. Fórmula de conversão:
9. Fórmula de conversão

ATIVIDADE 1
1° Julgue as afirmações abaixo:
I – A escala Celsius atribui 0° para o ponto de fusão do gelo e 100º para o ponto de ebulição da água;
II – O limite inferior para a escala Kelvin corresponde a -273°C;
III – 1°C equivale a 1°F.
Estão corretas:
a) I e II apenas b) I e III apenas c) I, II e III d) II e III apenas e) I apenas.

2° No gráfico está representada a relação entre a escala termométrica Celsius (tc) e uma escala X (tx). Qual é a relação de
em função de tc em função de tx?

a) tc = 20 + 0,6.tx
b) tc = 80.tx - 20
c) tc = (tx -20)/0,6
d) tc = (20 + 0,6.tx)/80
e) tc = (80 + 0,6.tx)/20

3° “Os habitantes dos cerritos, com o tempo, foram aprendendo a plantar e a moldar potes de barro cozido.” Os índios
usavam panelas de barro. Modernamente usamos panelas de metais, como alumínio e aço inoxidável, com cabos de
madeira ou baquelite. Os metais são ________________ de energia na forma de calor, pois possuem ___________
condutividade térmica. O material do cabo possui ___________ condutividade térmica.
Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas.
a) bons condutores – baixa – baixa b) maus condutores – baixa – alta
c) bons condutores – alta – alta d) maus condutores – baixa – baixa
e) bons condutores – alta – baixa

4° Numa cozinha, é fácil constatar que a temperatura é mais elevada próximo ao teto do que próximo ao chão, quando há
fogo no fogão. Isso é devido ao fato de o:
a) calor não se propagar para baixo. b) calor não se propagar horizontalmente.
c) ar quente subir, por ser menos denso que o ar frio. d) ar quente subir, por ser mais denso que o ar frio.
e) ar frio descer, por ser menos denso que o ar quente.

5° Numa cidade da Europa, no decorrer de um ano, a temperatura mais baixa no inverno foi 23ºF e a mais alta no verão
foi 86ºF. A variação da temperatura, em graus Celsius, ocorrida nesse período, naquela cidade, foi:
a) 28,0 ºC b) 50,4 ºC c) 35,0 ºC d) 63,0 ºC e) 40,0 ºC

RESUMO DILATAÇÃO TÉRMICA DOS SÓLIDOS


ATIVIDADE 2
1° Marque nas opções abaixo qual grandeza não interfere na dilatação dos sólidos:
a) Natureza do material b) Comprimento inicial do sólido
c) Variação de temperatura sofrida pelo sólido d) Tempo em que o sólido fica exposto à fonte de calor.
e) N.d.a.

2° Um recipiente de cobre tem 1 000 cm3 de capacidade a 0 °C. Sua capacidade, a 100 °C, vale
aproximadamente:
Dado: coeficiente de dilatação linear do cobre = 16 · 10–6 °C–1
a) 1 017 cm3 b) 1 005 cm3 c) 1 003 cm3 d) 1 002 cm3 e) 1 001 cm3

3° O coeficiente de dilatação linear do aço é 1,1 x 10-5 ºC-1. Os trilhos de uma via férrea têm 12m cada um na
temperatura de 0ºC. Sabendo-se que a temperatura máxima na região onde se encontra a estrada é 40ºC, o
espaçamento mínimo entre dois trilhos consecutivos deve ser, aproximadamente, de:
a) 0,40 cm b) 0,44 cm c) 0,46 cm d) 0,48 cm e) 0,53 cm

4° Aquecendo-se uma chapa metálica com um furo no meio:


a) A chapa aumenta e o furo diminui b) A chapa e o furo diminui;
c) A chapa diminui e o furo aumenta; d) A chapa e o furo aumentam;
e) NDA.

5° Uma barra de cobre com coeficiente de dilatação linear de 17x10 –6 °C - 1está inicialmente a 30 °C e é
aquecida até que a sua dilatação corresponda a 0,17% de seu tamanho inicial. Determine a temperatura final
dessa barra.
a) 85 °C b) 65 °C c) 105 °C d) 130 °C e) 110 °C