Você está na página 1de 5

Universidade do Estado da Bahia-UNEB

Departamento de Educação- DEDC-Campus I


Curso- Pedagogia
Disciplina- R.T.M de Ciência Sociais
Professor- Luciene
Aluna- Caren de Jesus, Elen Rose Nascimento, Lorena da Paixão, Naila Santos Ferreira, Noede Cristina Oliveida da Silva, Rousane
Guimarães, Valmira Reis

Fichamento do texto “A sexualidade na educação infantil”

REFERENCIA: SCHINDEHELM, Virginia Georg. A sexualidade na educação infantil. Revista Aleph Infâncias, Ano V nº 16. Novembro 2011.

Palavras-Chave Citações Reflexões

Escola, desafio “A sexualidade infantil apresenta-se na A autora traz a importância do ambiente escolar como espaço
escola como um grande desafio pela propicio para quebras de paradigmas e tabus acerca dos
transformação que promove na prática desafios propostos diante da abordagem da sexualidade infantil.
educativa, ao desvelar os ocultamentos e
silenciamentos acerca da temática “
(pag. 05)
Apesar das mudanças ocorridas na educação a escola ainda é
Disciplina, adequação “Ainda hoje, a escola adequa-se ao formato concebida como um local que adequa os sujeitos e disciplina
de scientia sexualis (FOUCAULT, 1977), para fins sociais.
uma ciência que emergiu pela necessidade
de um investimento disciplinar não apenas
sobre o corpo individual, mas também sobre
o corpo social”
(Pag. 07)

Conhecimento, educadores “As crianças trazem para escola situações Criança é um sujeito ativo de seu conhecimento com diferentes
inusitadas nos mais diversos campos de histórias de meninos e meninas construída e determinada pelo
conhecimento, incluindo aquelas relativas à meio e pela cultura no qual educadores desconhece a vida
sexualidade promovendo, educadores, sexual das crianças e seus valores culturais.
sentimentos de desconhecimento e
impotência no confronto e questionamento
sobre essas vivências.”
(Pag. 08)

Sexualidade, cotidiano escolar “Percebemos educadores vulneráveis sem Os educadores devem esta preparado para lidar com os
orientação e preparo para enfrentar os desafios que é imposto na sala de aula a respeito da
choques e os desafios relativos à sexualidade das crianças no qual educadores tem diferentes
sexualidade das crianças que aparecem no interpretações sobre comportamentos articulado à sexualidade
cotidiano escolar.” onde sexo e sexualidade são concepções confundida pelos
(Pag. 08) educadores.

Sexualidade, pedagogia “Buscamos conhecer os saberes e fazeres As praticas dos professores na educação infantil passa por
escolares dos educadores sobre a sexualidade experiências problemáticas que levam educadores a decisões
infantil, que são ensinados para crianças, de grande complexidades, incertezas, conflitos de valores
por meio de instancias e praticas oriundas relativo a sexualidade na educação infantil.
das pedagogias escolares.”
(Pag. 08)

Sexualidade, social A sexualidade ela vai se aperfeiçoando com o passar do tempo,


“A sexualidade não é dada pela natureza, e quando o individuo vai aprendendo e aperfeiçoando os seus
assim como o saber, também é construida conhecimentos a cerda da sexualidade.
social e culturalmente”
(Pag. 09)

Desenvolvimento,
manifestações infantis “Esta marca cultural faz-se presente no Para muitos adultos o momento em que a criança descobre o
desenvolvimento da sexualidade infantil seu órgão genital, é de total envergonhamento, pois para os
pela maneira, por exemplo como os adultos adultos as crianças não devem se tocar. Porem esse ato é ideal
reagem ao prazer manifestado pela criança e necessário para cada criança, porque é dai que a criança
nos primeiros movimentos exploratórios que começa a perceber sua sexualidade.
fazem em seu corpo.”
(Pag. 09)

Pressões
“As crianças recebem pressões para se Ai vem a questão de que o menino faz, e a menina não pode
comportarem de acordo com os fazer. É oprimir a criança a seguir uma direção dita para homem
estereótipos sexuais considerados como e para mulher, esquecendo que são apenas crianças e que sua
próprios para meninos e meninas...” sexualidade está sendo descoberta agora.
(Pag. 10)
Formas, normas
“A escola em geral, estabelece e reafirma Nas escolas é posto que as meninas devem ser educadas e
apenas as formas de masculinidade e gentis sempre para ser uma menina direita, já para os meninos é
feminilidade...” dito que são ousados e líderes. Com isso a escola só faz o
( Pag. 10) desenvolvimento de tipos de identidades crescer de forma
negativa a cada dia.

Corpo, sexualidade “O corpo da criança é a matriz da sua Descontruindo o conceito de algumas pessoas que relacionam a
sexualidade, na medida em que, por seu sexualidade apenas ao órgão genital, a sexualidade também
intermédio, sente o mundo desde o envolve questões relacionadas à sentimentos, é algo pertinente
nascimento. Pela proximidade física e à vida de qualquer ser humano seja ele um bebê ou adulto. É
mental dos pais ou de quem desempenha através do corpo que a criança sente, abstrai e demonstra esses
esse papel, o bebê percebe a sensação de sinais de afetividade e sentimentos gerados por seus entes
segurança e também de amor.” queridos sejam eles os pais ou responsáveis. O corpo da criança
(pag. 11) é o gerador de seus desejos é algo que está relacionado ao
prazer e bem-estar.
Experiências, educadores “Ao entrar para a escola, as diferenças A criança é um ser em constante desenvolvimento, é normal que
dessas singulares construções são ela sinta prazeres e desejos. Atrelados a isso, acompanham as
evidenciadas pelas formas como cada curiosidades e descobertas das crianças relacionadas à
criança expressa seus desejos e prazeres. sexualidade, necessitando que os educadores estejam
Muitas vezes, essas particularidades não preparados para as diversas experiências que possam surgir de
são respeitadas na educação infantil e as forma que não ignore ou oprima a criança. É no espaço escolar
experiências vividas em seus interiores, que ela adquire grande parte de sua educação e também
com colegas e educadores, deixam marcas formação social devendo a família ter participação em ambas,
permanentes” principalmente nas questões relacionadas à sexualidade pois,
(Pag. 11) esse contexto não deve ser um papel apenas da escola, a
família deve estar envolvida e contribuir em ambos de forma que
esclareçam as questões e não leve a criança ao
constrangimento.

“A escola ainda hoje, é um ambiente A escola utiliza os mais variados métodos para cumprir com a
Valores
transmissor de padrões de sociabilidade, sua finalidade educacional, desde os métodos autoritários e
regras de comportamento. Valores, unilaterais, baseados na educação tradicional, em que o aluno é
parâmetros morais e éticos”. apenas receptor e o professor o transmissor de conhecimentos,
(Pag. 13) até métodos da educação moderna. Em conformidade com essa
concepção, o aprendizado se dá a partir das experiências dos
alunos.

Sexualidade
“A sexualidade da criança, no seu contexto Nos primeiros anos de vida que a criança tem suas mais puras
infantil, revela-se na experiência de reações. Sabem expressar dor e alegria, demonstram amor,
prazeres com registros profundos de ciúmes e outros sentimentos que vivenciam com muita
sensações que a memória do corpo não intensidade. Desta forma se pode observar que em nenhuma
esquece.” outra fase da vida a capacidade de recepção e imitação é maior
(Pag. 14) do que os anos da infância. O ser humano nasce sexuado e
desde bebê tem início seu auto-conhecimento, de forma natural
e espontaneamente, mas ele necessita da ajuda do meio em
que se está inserido para encontrar as respostas das questões
que tanto lhe angustiam.

Educador
“O educador tem um papel importante no O educador percebe que desde bem pequenas, as crianças
processo formativo das crianças”. apresentam atitudes de interesse em descobrir o mundo que as
(Pag. 15) rodeias, elas são curiosas e querem respostas a seus porquês,
assim o professor deve estimular e orientar as experiências por
elas vividas e trazidas de casa para que no seu dia-a-dia, asa
crianças possam construir seus próprios conhecimentos.