Você está na página 1de 9

SULFATOS

Profa. Dra. Eliana Barreto Monteiro

Onde se encontram os sulfatos?

No solo

Nas águas subterrâneas

Nas águas do mar

Nas águas industriais

Nas águas da chuva (podem causar deterioração de


concretos acima do solo)

Quais os fatores que influenciam o


ataque por sulfatos?

1) Quantidade do sulfato presente

2) Nível da água

3) Fluxo da água subterrânea e porosidade do solo

4) Execução da construção
Espessura do concreto
5) Qualidade do concreto Relação água/cimento
Compactação e cura
Permeabilidade

1
Ataque por Sulfatos

Fissuras numa ETE (ROSAS, 2013) 4

Ataque por Sulfatos

Fissuras numa ETE (LEITE NETO, 2013) 5

Ataque por Sulfatos

Fissuras numa ETA (SOARES, 2016) 6

2
Ataque por Sulfatos

Fissuras numa ETE (VERÇOZA, 2019) 7

O Ataque por sulfato pode-se manifestar na forma:

Expansão

Quando o concreto fissura, a sua permeabilidade aumenta e a água


agressiva penetra mais facilmente no seu interior, acelerando, portanto
o processo de deterioração.

Expansões devido a sulfatos são associadas a:

Sulfato + C3A  etringita Etringita

O Ataque por sulfato pode-se manifestar na forma:

Perda de Resistência

Perda de Resistência devido a:

Gipsita

3
 Fissuras aleatórias na superfície
 Esfoliação superficial
 Redução significativa da dureza
 Redução do pH
 Corrosão da armadura
 Perda de coesão da pasta de cimento
 Perda da aderência entre a pasta de cimento e o
agregado
 Diminuição da resistência do concreto

10

10

 Primário: Presença de etringita e gesso


Secundário: MEV e Difração de Raio X

11

11

Fonte: MEDEIROS, 2018) 12

12

4
Fonte: HOPPE FILHO ET AL, 2014) 13

13

RECUPERAÇÃO

Recomposição do Concreto
Limpeza e remoção Aplicação de produto composto
do por cimento Portland, agregados finos
concreto deteriorado selecionados, aditivos especiais,
polímeros acrílicos e fibras
A aplicação é feita sobre o substrato úmido,
até atingir a espessura máxima de 5 mm.

14

RECUPERAÇÃO
Impermeabiização

Pisos Impermeabilização
com um produto como se
fosse uma pintura,
em 4 demãos

Tetos Impermeabilizar com


produto a base de
poliuretano, com elevada
resistência química,
resistência á corrosão e a
temperaturas elevadas.

15

5
Perda da Resistência
Perda da Massa

Deterioração na coesão dos produtos de hidratação do cimento

Formadas em considerável quantidade


presentes no concreto pode ser resultado
do ataque por sulfatos

16

16

Bauer (2011), sobre o mecanismo de ataque do


sulfato, descreve duas principais formas de ação:

a) Ação mecânica de microfissuração proveniente


da cristalização dos sais presentes em
consequência da evaporação da água.
b) Ação química, quando os sulfatos reagem com
a cal hidratada e o aluminato de cálcio, formando o
sulfato de cálcio e sulfoaluminato de cálcio. Tais
produtos são formados com certa expansão,
causadora do fissuramento e consequente
destruição do material. 17

17

Neville (2013) destaca que as consequências do


ataque por sulfatos não compreendem somente a
desagregação por expansão e fissuração, mas
também a queda de resistência do concreto devido
à perda de coesão na pasta de cimento e à redução
de aderência entre a pasta e as partículas de
agregado.

18

18

6
A exposição ao sulfato é classificada
em 4 graus de severidade:

Solúveis em Concentração de
Exposição Sulfatos SO4
No Solo (%) Na Água (ppm)
Leve <0,1 <150
Moderada 0,1 a 0,2 150 a 1500
Severa 0,2 a 2,0 1500 a 10000
Muito
>2,0 >10000
Severa

19

19

Nível de exposição aos sulfatos conforme


normas Internacionais

Fonte: SOUZA E RIPPER (2009) 20

20

Requisitos para concretos exposto a soluções


contendo sulfatos

Teor de Sulfatos x a/c x fck

CASTANHEIRA, 2015

21

7
Medidas Preventivas:

BAIXA PERMEABILIDADE:

Espessura adequada de recobrimento

Baixa relação água/cimento

Compactação e cura apropriadas

USO DE PELÍCULAS DE PINTURA


IMPERMEABILIZANTES

USO DE CIMENTO RESISTENTE A SULFATO

22

22

Medidas Preventivas:

Baixo % C3A
Utilizar Cimento Portland resistente a sulfatos

Relação água/cimento máxima de 0,45

Consumo de cimento de 370 Kg/m3

Camada protetora no concreto

23

23

Cimentos Resistentes a Sulfatos:

• Cimentos com teor de C3A  8%

• Cimento de alto forno (CP-III) com


teor de escória granulada de alto
forno maior que 60%;

• Cimento pozolânico (CP-IV) com


teor de materiais pozolânicos maior
que 25%.

24

24

8
Após o estudo feito sobre as conseqüências de um
concreto exposto aos sulfatos, verificou-se que os
diversos locais de incidência e suas respectivas
concentrações de íons sulfato, podem não oferecer
tanto perigo se o concreto for feito de modo correto,
obedecendo às normas e seguindo recomendações
construtivas adequadas. O tipo de cimento
e a redução da permeabilidade do concreto se
mostraram as melhores formas de
controle do ataque por sulfato.

25

25