Você está na página 1de 2

Álgebra Linear Aplicada - Revisão

1o Trimestre 2011

Lista de Exercı́cios
Entregar dia 01/03/2011

1. Seja V = {x ∈ R, x > 0} com as operações de adição e de multiplicação por escalares


dadas por:
x ⊕ y = xy; α x = xα , α ∈ R
Verifique que V é um espaço vetorial sobre R.
2. Justifique cada uma das alternativas
a) W = {(x, y) ∈ R2 |x ≤ 0} não é um subespaço vetorial de R2 munido das operações
usuais de soma entre vetores e multiplicação entre escalar real e vetor.
b) O conjunto
( ! ! ! !)
−1 1 −1 0 0 1 0 1
, , ,
0 −1 1 1 −1 0 0 0

contido no espaço vetorial M at(2, R) munido da soma entre matrizes e multiplicação


entre escalar real e matriz usuais é L.I.
3. Seja V o espaço das matrizes 2 por 2 simétricas (A = AT ) munido das opera¸cões usuais
de soma entre matrizes e multiplicação entre escalar real e matriz
a) Ache uma base para V;
b) Qual é a dimensão de V?
4. Considere o espaço vetorial V de todas as funcões reais de uma variável t. Mostre que
os seguintes conjuntos formam sistemas linearmente independentes de V.
a) {1, t};
b) {t, t4 };
c) {t, cos t}.
5. Seja V o espaço vetorial das funções de R em R, e Vp o subconjunto das funções pares,
isto é, que satisfazem
f (−x) = f (x), ∀x ∈ R
e Vi o subconjunto das funções impares, isto é, que satisfazem
f (−x) = −f (x), ∀x ∈ R

1
Prove que
a) Vp e Vi são subespços de V ;
b) Vp + Vi = V ;
c) Vp ∩ Vi = {0}.

6. Seja W o espaço dos polinômios de grau menor ou igual a 3 cujos elementos satisfazem
p(−1) = −p(1) munido das operações usuais de soma e multiplicação escalar.
a) Ache uma base para W ;
b) Qual a dimensao deW ?

7. Prove que se V é um espaço vetorial de dimensão finita, então toda base de V tem o
mesmo número de elementos.

8. Prove que se V é um espaço vetorial n dimensional sobre um corpo F , entao V e F n


são isomorfos.

9. Mostre que se U , W são subespaços de V de dimensão finita, então

dimU + dimW = dim(U + W ) + dim(U ∩ W )

10. Uma transformação linear T : V → W chama-se uma inversa à direita da trans-


formação linear U : W → V quando se tem U T = Iv , ou seja, quando U (T v) = v para
cada v ∈ V .
A fim de uma transformação linear A : V → W , entre espaços vetoriais de dimensão
finita, possua uma inversa à direita B : W → V é necessário e suficiente que A seja
sobrejetiva. Prove.

11. A fim de que uma transformação linear A : V → W seja injetiva é necessário e suficiente
que seu núcleo Ker(A) contenha apenas o vetor nulo. Prove.

12. Uma transformação linear é injetiva se, e somente se, leva vetores L.I. em vetores L.I..
Prove.

13. Existe uma transformação linear injetiva de R3 em R2 . Justifique.

14. Sejam A : V → W e B : W → V transformações lineares. Diz-se que B é uma inversa


à esquerda de A quando BA = Iv , isto é, quando B(Av) = v para todo v ∈ V .
Prove: A Transformação linear A : V → W possui inversa à esquerda se, e somente se,
é injetiva.

15. Seja V o espaço de todas as funções que tem derivadas de todas as ordens, e seja
D : V → V a aplicação derivada. Qual é o núcleo de D?