Você está na página 1de 5

1.

Estudos na Grécia

O estudo da linguística começou com a gramática normativa fazendo parte


da filosofia na Grécia.

NATURALISTAS X CONVENCIONALISTAS
➢ Para os naturalistas a palavra, na sua estruturação fônica, estaria ligada ao
seu significado. Os nomes são naturalmente constituídos pelo som das
coisas que a nomeiam.
➢ Para convencionalistas a relação entre a palavra e seu som é arbitrária e foi
decidida de acordo com cada povo. No caso da onomatopeia ela seria
modificada de acordo com o sistema fonológico de cada povo.
➢ Para Epicuro as palavras surgiriam naturalmente, mas seriam modificadas
por convenção.

ANOMALISTAS (Escola de Pérgamo) X ANALOGISTAS


➢ Para os anomalistas o caráter irregular da língua se sobressaia mais que o
regular. (Ex: uso da crase, existem mais regras para não usá-la)
➢ Para os analogistas o caráter regular da língua era o mais evidente. (Ex: na
flexão palavras da mesma categoria gramatical tem a mesma terminação).
Além disso palavra parecidas morfologicamente tendem a ter um significado
parecidos.

*Essas discussões impulsionaram um estudo mais profundo da língua grega.

Contribuições de pensadores:

Heráclito - A palavra é a imagem exata do mundo.

Platão - A linguagem é imposta aos homens pela natureza.

Aristóteles - A linguagem surgiu por convenção. A fala é a representação das


experiências da mente, e a escrita é a representação da fala.

Protágoras - Definiu diferentes tipos de frases (desejo, pergunta, declaração,


ordem)

Escola dos Estóicos


➢ Estudaram separadamente a fonética, a gramática e a etimologia;
➢ Os significados das palavras não existem isoladamente, na verdade, podem
variar de acordo com o contexto.

*Fonética: Serve para descrever e diferenciar as sílabas.


*Etimologia: Foca na história da origem das palavras.
*Gramática: Foca na língua escrita.

Dionísio da Trácia:
Foi o primeiro autor a elaborar um tratado gramatical da língua grega.
Na fonética: Descrever e diferenciar a quantidade de vogais e sílabas.
Na morfologia: O sistema de classificação de palavras.

Apolônio Díscolo - relações de concordância.

Herodiano - acentuação e pontuação do grego.

Tipos de linguagem:
➢ Visual - Pictórica (filme,desenho,foto), Plástica (estátua).
➢ Gestual - Mímica, movimentos corporais, dança
➢ Sonora - Natural, Artificial, Música
➢ Verbal - Oral (O aparelho fonador do homem foi adaptado a fala)

LÍNGUA - Heterogênea, Variada (diferentes línguas), Social, Interativa,


Indeterminada (vários significados), Histórica, Variável (as palavras podem ser
alteradas). É uma atividade de natureza sócio cognitiva que permite a interação
humana.

★ Sentido é a significação que resulta da interação entre sujeitos mediados por


língua/linguagem.
★ Sujeito é o indivíduo que pensa e age com a linguagem dentro de um
contexto social, histórico, político, cultural e ideológico determinado.

Não é linguística: Filologia (se preocupa mais com a origem), Crítica literária
(analisa a língua como obra de arte e sua estética), Poliglotismo (se trata só de falar
e não de saber falar sobre as línguas), Estudo gramatical (tem a gramática é um
conjunto de regras de etiqueta e não de estudo da língua).

Linguística é o estudo científico da linguagem.


1. Como a língua produz significado?
2. Qual a relação entre língua e pensamento?
3. Como aprendemos a falar e a escrever?
4. Qual o papel da língua na sociedade?
Serve para Descobrir/Escrever/Teorizar sobre a natureza das línguas que seus
usuários produzam significados.

LINHA DO TEMPO DO ESTUDO DA LINGUAGEM


➢ Antiguidade - Iniciativas linguísticas e Gramática Tradicional.
➢ Idade Média - Manutenção geral e inovações pontuais.
➢ Renascença - Do erro do Hebraico como língua primeira à Gramática Geral e
Racional de Port-Royal.
➢ Modernidade - Método linguístico diacrônico e a árvore genealógica de
línguas
➢ (Ferdinand Saussure em 1916 criou a Linguística)
Nominalismo x Convencionalismo

Crátilo: Sobre a justeza dos homens


★ Crátilo(Platão) é nominalista
★ Hermógenes é convencionalista
★ Sócrates é o intermediador.

Debate: dialógico, dialético e argumentativo.

Platão = Nominalismo analógico


❖ A linguagem é regida pela natureza (Physis), por isso imutável;

Aristóteles = Convencionalismo Arbitrário


❖ A linguagem é o resultado de:
➢ Impressões = Aparências
➢ Costumes
➢ “Acordos”
➢ Convenções

Os dois acreditavam que havia um Nomoteta = (Legislador) nomeador das


coisas, inspirando em sua essência, formas e funções.

Teorias Ontológicas da linguagem.


➢ Qual a relação entre a Palavra e a Coisa?
➢ A linguagem espelha(Physis) ou cria (Nomos) à realidade?

➢ Relação direta, motivada = Nominalismo / Naturalismo / Análoga


○ Analogistas = A língua tem um aspecto de regularidade e as verifica
entre forma e significado, isto é, palavras que se assemelham na sua
morfologia deveriam apresentar significados comparáveis.
➢ Relação indireta = Convencionalismo / Anômala
○ Anomalistas = O caráter irregular da língua sobressaia-se ao seu
caráter coerente. Assim, para eles, a língua teria mais exceções que
regularidades.

PLATÃO
❖ Distinguiu: Substantivo x Verbo e Sujeito x Predicado;
❖ Tentou conciliar as duas teorias: A linguagem vem da essência das coisas
tornando-se lei pelo uso;
❖ Falar é distinguir-se das coisas, nomeando-as;
➢ “Nome é a imitação imperfeita da coisa nomeada.”
Procurou responder à questão:
➢ Existe a prevalência do significado sobre o significante ou o contrário?
■ *Significante: É o elemento tangível, perceptível, material do
signo.
■ *Significado: É o conceito, o ente abstrato do signo.
Conclusão: A prevalência é do significante.

ARISTÓTELES
❖ Conservou as distinções de Platão e adicionou as “conjunções” para designar
as outras palavras;
❖ Introduziu a noção de “gênero” masculino, feminino e neutro e a categoria de
“tempo verbal”;
❖ “Sobre interpretação” - Teoria do Juízo e da proposição;
❖ Conceituou Tipos de Frases: negação, afirmação, sentença(estado) e
proposição(verdade/falsidade);
❖ Defendeu que a linguagem se expressa pelo Ser(objetivo) e
não-Ser(subjetivo)
ESTUDOS GRAMATICAIS NA GRÉCIA ANTIGA

Dionísio, da Trácia (a.c II): Arte da escrita.


❖ Objetivou encontrar o “texto original”
➢ Tese da superioridade da “língua literária” sobre a fala
❖ Estudou a língua dos Autores Clássicos
➢ *Editá-las, inserir notas, purificá-la das impurezas de outros dialetos e
preservar o grego da iletrados.
➢ Teoria da Frase Autossuficiente: Estudo da frase solta, independente
do texto e do contexto.

Apolônio Díscolo (a.c II): 2º Gramático


❖ Postulou a inexistência de sinônimos perfeitos.
❖ Interessou-se pela “Diátese” = sintaxe da língua (análise sintática sem
contexto)
❖ Classificou as palavras gregas por: espécie (primitivo/derivado), caso,
genêro, número, voz, tempo, modo.