Você está na página 1de 10

Índice

MÉTODO DE WILLIAM T. FINE

Definição ………………………………………………………………………….. 2

Grau de Perigosidade ……………………………………………………………... 2

Classificação de valor …………………………………………………………….. 3

Valoração do Índice Justificação ………………...……………………………….. 5

Exemplo Prático …………………………………………………………………... 7

Anexos ……………………………………………………………………………. 9

Luís Araújo, Rui Melo


1
MÉTODO DE WILLIAM T. FINE

Definição

Este método tem como objectivo estabelecer prioridade, integrando o grau de


risco com a limitação económica. Por meio dele, o departamento de higiene e segurança
no trabalho pode projectar o "time" de implementação, o esforço e a previsão de verba,
de acordo com o nível de perigosidade de cada risco.
Tal sistema de prioridade está alicerçado em uma fórmula simples, que calcula o
perigo de cada situação, e tem como resultado o Grau de Perigosidade - GP. Este grau
determina a urgência da tomada de decisão, ou seja, se o risco deve ser tratado com
maior ou menor brevidade.
A justificativa dos investimentos na segurança deverá estar directamente
relacionada ao GP. É óbvio que se, por exemplo, o investimento em sistemas for alto e o
grau de perigosidade baixo, deve haver uma forma de balancear o investimento. Com
este método obtém-se um parâmetro para realizar e justificar o investimento na
segurança.
O Método Fine é baseado, tal como o de Mosler, em grades de probabilidade.
Caso a empresa não tenha histórico, o cálculo terá como base dada e avaliações
subjectivas.

Existem duas fórmulas: uma para estimar o grau de perigosidade e outra para justificar o
investimento:

A) GRAU DE PERIGOSIDADE - GP

B) ÍNDICE JUSTIFICAÇÃO - IJ

Grau de Perigosidade - GP
O grau de Perigosidade calcula-se com base em três factores:

- Consequência - c - são os impactos mais prováveis, tanto financeiros como danos


pessoais, de ocorrer, em caso do evento vir a concretizar-se.

Luís Araújo, Rui Melo


2
- Exposição ao risco - e - é a frequência que este evento ou perigo costuma manifestar-
se na empresa ou em empresas similares.

- Probabilidade - p - é a real Probabilidade do evento vir a acontecer, dentro de uma


escala.

Para que possam ser mensurados e projectados, os três factores possuem uma
escala de valores, numérica, que está baseada na experiência e no juízo de William T.
Fine. A fórmula do GP é:

GRAU DE PERIGOSIDADE = CONSEQUÊNCIA X EXPOSIÇÃO X


PROBABILIDADE

GP: C x E x P

Como pode ser verificado a delimitação do GP é, então, resultado da


multiplicação dos três factores, constituindo uma escala de valores, compreendida entre
0,05 e 10.000.
Os valores obtidos são resultado de uma classificação intermediária dos factores
de risco, que decresce de forma linear, assegurando desta forma uma correcção
implementação do GP. Além disso, a fixação destes valores utiliza também estatísticas e
referências, históricas e mundiais.
O resultado está descrito na tabela abaixo: FACTOR

CLASSIFICAÇÃO VALOR

Determinação do Factor consequência (C)

Catástrofe Elevado número de mortes, grandes perdas 100

Várias mortes Perdas >= 500.000 e < 1.000.000 € 50

Morte Acidente mortal Perdas >=100.000 e < 500.000 € 25

Lesões graves Incapacidade Permanente Perdas >= 1.000 e < 100.000 € 15

Lesões com Baixa Incapacidade temporária Perdas < 1.000 € 5

Pequenas feridas Lesões ligeiras, Contusões, golpes 1

Luís Araújo, Rui Melo


3
Determinação do Factor de Exposição (E)

Contínua Muitas vezes por dia 10

Frequente Aproximadamente uma vez por dia 6

Ocasional > 1vez por semana a < 1 vez por mês 5

Irregular >= 1 vez por mês a < 1 vez por ano 4

Raro Sabe-se que ocorre, mas com baixíssima frequência 1

Pouco provável Não se sabe se ocorre, mas é possível que possa acontecer 0,5

Determinação do Factor de Factor de Probabilidade (P)

Muito provável Acidente como resultado mais provável e esperado, se a 10


situação de risco ocorrer.

Possível Acidente como perfeitamente possível (probabilidade de 6


50%).

Raro Acidente como coincidência rara (probabilidade de 3


10%).

Repetição Acidente como coincidência remotamente possível.


improvável Sabe-se que já ocorreu (probabilidade de 1%). 1

Nunca aconteceu Acidente como coincidência extremamente remota. 0,5

Praticamente Acidente como praticamente impossível.


impossível Nunca aconteceu em muitos anos de exposição. 0,1

Luís Araújo, Rui Melo


4
Critério de Actuação com Base no Grau de Perigosidade (GP)

GP
Magnitude do Risco Classificação do Risco Actuação Correctiva

Superior a 400 Grave e iminente Suspensão imediata da actividade


perigosa

> 201 e < 400 Alto Correcção imediata

> 71 e < 200 Notável Correcção necessária urgente

> 20 e < 70 Moderado Não é urgente, mas deve corrigir-se

Inferior a 20 Aceitável Pode omitir-se a correcção

Realizado este estudo de priorização dos riscos e perigos da empresa, parte-se


para o índice de justificação.

Valoração do Índice Justificação

Sucede, frequentemente, que as primeiras acções a desenvolver correspondem às


de menor custo económico e ainda às que são reclamadas com maior veemência ou com
maior capacidade de argumentação. Este tipo de posicionamento da Direcção da
empresa é errado, pois não atende à perigosidade dos riscos.

Os critérios de actuação obtidos pelo GP têm um valor orientador. Para priorizar


um programa de investimentos e melhorias torna-se imprescindível introduzir a
componente económica e o âmbito de influência da intervenção. Assim, perante
resultados similares, estará mais justificada uma intervenção prioritária quando o custo
for menor e a solução correctiva aumente na correspondente medida o grau de
segurança.

Luís Araújo, Rui Melo


5
Por outro lado, a opinião dos trabalhadores não só deve ser considerada, como a
sua participação e consideração redundará na efectividade do programa de melhorias.

Aplicando as tabelas do Quadros seguinte – valoriza-se o factor de custo, grau


de correcção e índice de justificação do investimento a realizar. O formulário
IMP.03.AR.FINE calcula automaticamente o produto dos factores, obtendo-se (IJ)
Índice de Justificação, associado à correcção do risco.

O índice de justificação (IJ) pode expressar-se como:

IJ = GP/(FC x GC)

Determinação do Factor de Custo (FC)

Acima de 2.500 € 10

De 1.250 a 2.500 € 6

De 675 a 1.250 € 4

De 335 a 675 € 3

De 150 a 335 € 2

De 75 a 150 € 1

Menos de 75 € 0,5

Luís Araújo, Rui Melo


6
Determinação do Grau de Correcção (GC)

Risco completamente eliminado 1

Risco reduzido a 75% 2

Risco reduzido entre 50 e 75% 3

Risco reduzido entre 25 e 50% 4

Ligeiro efeito sobre o risco, < a 25% 6

A determinação de IJ tem grande importância nas medidas correctivas que o


chefe de secção considerou precisarem de ser implementadas, de acordo com o GP. O
valor de IJ (Índice de Justificação) da acção correctiva deverá ser superior a 10, para
que a medida proposta seja aceitável.

Determinação do Índice de Justificação (IJ)

IJ
Índice de Justificação Actuação

>= a 20 Muito justificado

>= 10 e < 20 Provável justificação

Inferior a 10 Não justificado. Reavaliar a medida


proposta

A maior parte dos riscos, pelo Grau de Perigosidade, ordinariamente atinge um


valor compreendido entre 85 e 200, o que significa atenção e actuação urgentes. Por esta
razão pode-se considerar que o valor médio de 100 no GP é uma medida correcta de
redução dos riscos, sendo que o grau de diminuição deve ser menor ou igual a 5, para
obter-se um coeficiente maior ou igual a 20 no índice justificação.

Luís Araújo, Rui Melo


7
Esta é uma ferramenta valiosa para o departamento de segurança, pois possibilita
comparar o investimento de segurança com a visão macro da empresa.

Exemplo Prático:

Um matadouro, localizada na região de Tejo, deseja saber se investimento que


vai realizar em segurança, estará sendo bem empregado e qual o seu grau de
justificação. A situação é a seguinte:
Tendo em vista a crise global, em Outubro de 2010, e necessitando demitir cerca
de 2.500 funcionários, a empresa tem receio que haja motins no interior da fábrica. Se
os motins ocorrer muitas máquinas consideradas prioritárias poderão sofrer danos e
causar prejuízos acima de 250.000,00 €. A empresa propõe como forma de evitar
prejuízos maiores. A realização de palestras e a elaboração de um programa de
sensibilização, além da implantação de reforço no esquema de segurança. A estimativa
de investimento prevista é de 2.500,00€.
Resolvendo a questão acima, pelo método William T. Fine, tem-se os seguintes dados:

Grau de Perigosidade - GP = c x e x p

Pela tabelas pode-se verificar que:

Consequência - c = 25

Exposição - e = 1

Probabilidade - p = 6

GP = 25 x 1 x 6 = 150

GP = 150, o que significa que o risco exige correcção URGENTE - REQUER


ATENÇÃO

A Índice de justificação - IJ - pode ser definida:

IJ =? GP = 150

Factor de Custo x Grau de Correcção

(2.500,00 € = 6) x (Risco reduz em 50% = 3)

IJ = 150 / (6 x 3)

Luís Araújo, Rui Melo


8
IJ = 8,33, o que significa que o investimento é duvidoso, pela escala de valoração do
índice de justificação.

A resposta do departamento de segurança é que o nível de redução do risco, frente ao


investimento é de carácter duvidoso, devendo a empresa repensar as medidas de
segurança propostas e procurar outras mais efectivas.

Luís Araújo, Rui Melo


9
Anexos

Luís Araújo, Rui Melo


10