Você está na página 1de 2

Como fazer um relatório?

O relatório de prática pode ser elaborado com os seguintes tópicos:

Título: Escrito na capa do relatório juntamente com os nomes dos participantes do


grupo que realizaram o experimento, nome da disciplina, curso, universidade e nome do
professor.

Introdução: Deve abordar inicialmente o tema da prática, fazendo um resumo curto da


teoria relevante e, caso seja necessário apresente as equações matemáticas e químicas
importantes para facilitar o entendimento do relatório. Apresentada a equação
matemática ou química dê a seguir o significado de cada símbolo empregado. Quando
for a primeira vez que aparecem, no texto, termos técnicos ou parâmetros
experimentais, escreva-os por extenso, e coloque a correspondente abreviação ou
símbolo entre vírgulas ou parênteses. Feito isto pode-se escrever a abreviação ou o
símbolo no decorrer do texto que o leitor já conhece o significado, como é mostrado no
exemplo a seguir:
"Inicialmente o gás se encontrava nas condições normais de temperatura e
pressão, CNTP."...e mais adiante... "O volume do gás, V, medido nas CNTP tinha um
valor muito próximo ao esperado para um gás ideal..."
Se no final do relatório se percebe que há um grande número de abreviações e
símbolos, o melhor a fazer é colocar todos as abreviações e símbolos num apêndice
Seja original e breve. Não seja exibicionista, nem faça ostentação esnobe de seus
conhecimentos. Lembre-se que a introdução serve de base para o leitor.De pouco vale
copiar de livros e enciclopédias longos textos, abordando aspectos irrelevantes e
enfadonhos, utilizando linguagem e conceitos que não se dominam e, por vezes até,
repetindo várias vezes a mesma idéia.
Use o tempo verbal em presente.

Objetivo: Normalmente, o objetivo já está descrito na prática ou mesmo explicito na


introdução da mesma. Então, pode-se transcrever novamente o objetivo no relatório.

Parte Experimental: Explicar detalhadamente como ocorreu a prática. É importante


fazer um resumo do procedimento experimental, onde se selecionem apenas os passos
fundamentais. Devem referir-se as alterações/adaptações ao procedimento experimental,
mas apenas as mais importantes, ou seja, aquelas que possam ter influenciado
significativamente os resultados obtidos.
Não é necessário indicar a lista de material utilizado no trabalho uma vez que esta já
existe na planificação do trabalho experimental (apostila). No entanto, se o método se
basear na utilização de um determinado aparelho - método Instrumental - deve indicar-
se o tipo de aparelho utilizado, bem como as suas características técnicas mais
importantes (alcance, tolerância, etc.).
Obs: Em relatórios científicos faz-se necessário indicar todos reagentes utilizados, bem
como a marca utilizada de cada deles.
A apresentação é quase sempre cronológica e é escrita no tempo verbal em
passado.

Resultados e Discussão: Nesta seção os resultados experimentais são apresentados e


discutidos. Nunca inicie os parágrafos com tabelas ou figuras. A apresentação dos
resultados deve constituir uma compilação do conjunto de dados/resultados/observações
obtidos durante a realização experimental. Sempre que possível, devem ser apresentados
em tabelas, quadros, esquemas ou gráficos.
Geralmente, inicia-se cada parágrafo apresentando uma tabela ou uma figura (como:
"A figura 1 mostra a variação de P com T"), dá-se continuidade com a descrição dos
resultados obtidos (por exemplo, se a curva da figura apresenta um máximo ou, no caso
de uma tabela, uma frase do tipo "As medidas de densidade realizadas, tabela 2,
apresentavam erros da ordem de 10%") e, se for possível, finaliza-se com a
interpretação causa-efeito dos resultados experimentais.

As tabelas e figuras devem entrar no texto de uma maneira lógica, de modo que
a informação flua claramente para o leitor. O leitor não deve ser forçado a ficar virando
a página de trás para frente para encontrar os dados citados. Numere de forma
independente as tabelas e as figuras (por exemplo, tabela 1, tabela 2, figura 1, tabela 3,
...).
Devem apontar-se as possíveis causas de afastamento dos resultados em relação
aquilo que era esperado (erros/incertezas experimentais? de que tipo? de que grandeza?
Quais os mais importantes? Deficiências do método utilizado?).
As medições efetuadas e os resultados de cálculos devem apresentar-se sempre
com as respectivas unidades e com o número de algarismos significativos correto ou
com as incertezas respectivas.
A apresentação é quase sempre cronológica e é escrita no tempo verbal em
passado.

Conclusões: Será necessário realçar os principais resultados e comentá-los de um ponto


de vista crítico. Isso implica avaliar se estes são aceitáveis tendo em consideração os
objetivos iniciais do trabalho e aquilo que estava previsto ou estipulado, o que, por
vezes, envolve uma comparação entre os dados obtidos experimentalmente e a
informação bibliográfica. No final desta avaliação deve apresentar-se, claramente, a
resposta ao problema enunciado no objetivo ou na introdução.
Quando o objetivo do trabalho for utilizar uma determinada técnica experimental,
deverão ser indicadas as dificuldades sentidas e limitações identificadas, porém de
forma breve. Lembre-se que, nas conclusões não se discuti os resultados obtidos.
Podem ser apresentadas as recomendações ou propostas de decisões a tomar em
função dos resultados obtidos, mas estas devem ser expostas de forma clara e sucinta.
Podem também indicar-se sugestões para investigações posteriores ou ainda,
alterações ao procedimento seguido ou à técnica utilizada.

Referências Bibliográficas: Apresente uma lista numerada das referências citadas no


texto do relatório na norma da ABNT (consulte estas normas na internet).

Obs: Quando houver a necessidade de abordar um assunto apresentado no relatório com


mais detalhes, pode-se inserir anexos ao final do relatório para melhor entendimento do
leitor.