Você está na página 1de 3

ENURESE/ENCOPRESE

“The Child and adolescent psychotherapy treatment planner”:

Quadro
1. Padrão repetido de perdas voluntárias ou involuntárias na cama e na
roupa, diurno e nocturno, após a idade de 5, quando a continência é
esperada.
2. Passagem repetida de fezes, quer seja voluntária ou
involuntariamente em locais inadequados (e roupa ou chão) após
idade de 5 anos, quando a continência já é esperada.
3. Sentimentos de vergonha associados com a enurese e a encoprese,
que causa o evitamento de certas situações (visitas durante a noite
com amigos) que poderão levar a futuros sentimentos de embaraço.
4. Frequentes tentativas para esconder as fezes ou roupa suja devido à
vergonha ou medo ou medo do ridículo, da crítica ou do castigo.
5. Exposição ao ridículo, isolamento ou ostracismo pelos pares, devido à
enurese ou encoprese (e/e).
6. Ira excessiva, rejeição ou castigo da parte dos pais ou cuidadores,
centrados no treino de higiene, que contribuem para uma baixa auto-
estima.
7. Sentimentos fortes de medo ou hostilidade, que são canalizados para
actos de e ou e.
8. Manipulação das fezes em locais apropriados.

OBJECTIVOS A LONGO PRAZO

1. Eliminar todos os episódios de enu/ diurna e nocturna.


2. Acabar com todos os episódios de enc/ quer voluntários, quer
involuntários.
3. Resolver os conflitos que contribuem para a emergência de enu/ ou
enc/.
4. Eliminar o treino de higiene rígido e humilhante por parte dos pais.
5. Eliminar os castigos físicos e verbais, não explicados, exagerados no
ciclo familiar.
OBJ. A CURTO-PRAZO INTERVENÇÕES TERAPEUTICAS
1. Completar exames 1. Fazer exame médico á criança para
médicos e medicação. afastar uma causa física ou orgânica
2. Tomar a medicação para a encoprese ou enurese.
de acordo com a 2. Providenciar uma avaliação médica
prescrição médica. cliente.
3. Completar avaliação 3. Monitorizar a criança para a
psicológica. possibilidade de aparecimento de efeitos
4. Adquirir o dispositivo secundários dos medicamentos.
de incontinência para Consultar o médico regularmente.
tratar a enurese 4. Fazer uma avaliação psicológica, no
nocturna sentido de afastar a hipótese de existir
5. Reduzir a frequência sérios problemas emocionais,
do comportamento promovendo o feedeback na avaliação
enurectico o na criança e nos seus pais.
6. Reduzir a frequência 5. Sensibilizar o cliente e os seus pais para
do comportamento o tratamento da enurese através do
encopretico. dispositivo, que soa um alarme aquando
7. Envolver o cliente no de cada perda involuntária de urina.
treino de higiene e na 6. Explicar e aconselhar os pais sobre a
própria terapia. utilização de procedimentos com reforço
8. Identificar as positivo para aumentar a capacidade de
consequências sociais controlo da criança.
negativas que podem 7. Ensinar a criança e os seus pais num
ocorrer dos pares se treino efectivo de técnicas de retenção
enurese ou a que aumentem o sentido de alerta da
encoprese continuar. criança para a sensação ou necessidade
9. Verbalizar como a de urinar.
ansiedade e o medo 8. Treinar os pais da criança para acordá-la
associado às praticas por etapas utilizando um horário com
de higiene são intervalos variáveis para controlar a
irracionais e irreais. enurese nocturna.
10. Criticar os pais 9. Designar e implementar técnicas para
verbalmente pela sua cama seca, treinar os pais e ao criança a
conduta hostil em dar uma resposta de inibição, reforço
relação à criança, positivo, acordar rapidamente,
Sugestões de diagnóstico:
AxisI:
307.6 Enurese não devido a condições médica
787.6 Encoprese com obstipação e incontinência encoberta
307.7 Encoprese sem obstipação e incontinência encoberta
304-0.47 Perturbação distímica
296.xx perturbação depressiva major