Você está na página 1de 112

Arquitetura e Urbanismo

Tecnologia das Construções

Aula 09 – Acabamento

Profa. Marina Seabra


Etapas de obra e macroelementos do
edificio
1. Serviços Preliminares 2. A obra
Acabamento
• Função: estética + outras
• Definição: Não há um limite exato para o termo
acabamento
– aplicação dos revestimentos; azulejo; porcelanato ;
pisos laminados, fórmica, vidros, adesivagem, tintas,
luminárias e similares são acabamento.
• Fixação(AZEVEDO, 1987, p. 119):


Tipos de acabamento
Acabamento
FORROS
Madeira
PVC
Gesso
Metal
Isopor
Lã de rocha
Lã de vidro
Fibra mineral
Acabamento
FORROS
Madeira
• Propriedades:
– Estética rustica
– Não resiste à


– Manutenção e
verniz periódico
– Vulneral à

(MILITO, 2004, p. 89)


Acabamento
FORROS
Madeira
• =Piso
– Vigamento
 Oculto/aparente
– Tarugamento
– Contraventamento
– Tábuas

(AZEVEDO, 1987, p. 119; CARDÃO, 1981, p. 160-162; MILITO, 2004, p. 89)


Fonte: https://www.meiacolher.com/2017/09/forro-de-madeira-pvc-ou-gesso-saiba.html
Acabamento
FORROS
PVC
• Painéis lineares c/ sistema macho/fêmea
• Propriedades:

– Durabilidade
– Não propaga o fogo
– Fácil Instalação
– Sem manutenção e
Fonte: https://www.meiacolher.com/2017/09/forro-de-madeira-pvc-ou-gesso-saiba.html
VITESSE. Instruções para instalações dos forros em PVC Vitesse. Novo Hamburgo, [2008]. Disponivel em:
<www.vitesse.ind.br/_download/instalacao_forrosV1-1.pdf>
Acabamento
FORROS
PVC

https://www.araforros.com.br/.../Manual-de-Instalação-de-Forro-Digital-otimizado.pdf
Acabamento
FORROS
PVC

VITESSE. Instruções para instalações dos forros em PVC Vitesse. Novo Hamburgo, [2008]. Disponivel em:
<www.vitesse.ind.br/_download/instalacao_forrosV1-1.pdf>
https://www.araforros.com.br/.../Manual-de-Instalação-de-Forro-Digital-otimizado.pdf
Acabamento
FORROS Gesso
• Chapas de gesso estruturadas
em perfis ou peças metálicas
– Propriedades:
• Não deverão receber carga
• Favorece projeto luminotécnico
• Resistente ao calor
• Trincas por dilatação térmica
• Cuidado com umidade

Fonte: https://www.meiacolher.com/2017/09/forro-de-madeira-pvc-ou-gesso-saiba.html
(ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE CHAPAS PARA DRYWALL, 2006, p. 58)
Acabamento
FORROS Gesso
• Estruturado-superfície monolítica
– chapas de gesso de1200 mm de larg.
parafusadas em estruturas de aço galv.
(canaletas Ômega, C ou montantes).
– suspenso por pendurais c/ suporte
nivelador + tirantes de aço galv.com Ø de
3,40 mm (nº 10); de perfis ou fitas
metálicas.

(ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE CHAPAS PARA DRYWALL, 2006, p. 51)


Acabamento
FORROS Gesso
• Instalação

Locação e marcação das guias de teto nas paredes Fixação das guias na parede

KNAUF DRYWALL. Manual de Instalação: Sistemas Knauf Drywall. [S.l.]: KNAUF DRYWALL, Março 2018. Disponível em :
<https://knauf.com.br/.../Manual%20de%20Instalação%20Knauf%20-%202018_0.pdf>
Acabamento
FORROS Gesso
• Instalação

Locação e marcação dos perfis F-47 Colocação dos


suportes niveladores

KNAUF DRYWALL. Manual de Instalação: Sistemas Knauf Drywall. [S.l.]: KNAUF DRYWALL, Março 2018. Disponível em :
<https://knauf.com.br/.../Manual%20de%20Instalação%20Knauf%20-%202018_0.pdf>
Acabamento
FORROS Gesso
• Instalação

Colocação e ajuste de altura dos Fixação das chapas


perfis F47

KNAUF DRYWALL. Manual de Instalação: Sistemas Knauf Drywall. [S.l.]: KNAUF DRYWALL, Março 2018. Disponível em :
<https://knauf.com.br/.../Manual%20de%20Instalação%20Knauf%20-%202018_0.pdf>
Acabamento
FORROS Gesso
• Instalação

Tratamento, colocação da fita para tratamento de juntas, de juntas e finalização do tratamento


de juntas

KNAUF DRYWALL. Manual de Instalação: Sistemas Knauf Drywall. [S.l.]: KNAUF DRYWALL, Março 2018. Disponível em :
<https://knauf.com.br/.../Manual%20de%20Instalação%20Knauf%20-%202018_0.pdf>
Acabamento
FORROS Gesso
• Aramado-superfície monolítica
– formado pela justaposição de chapas
de gesso com 600 mm de largura
utilizando peças metálicas (junção H)
para a união das mesmas, e suspenso
por arame de aço galvanizado com
diâmetro 1,24 mm (nº 18).
– Fazem parte da estruturação do forro
as nervuras de chapas de gesso.
– Perímetro estanque ou dilatado.

(ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE CHAPAS PARA DRYWALL, 2006, p. 52)


Acabamento
FORROS Gesso
• Aramado
Acabamento
FORROS Gesso
• Removível
– Formado pela sobreposição de
chapas de gesso, cuja dimensão das
chapas varia de acordo com a
modulação da estrutura, em perfis
do tipo T.
– Este forro é composto por uma única
camada de chapas e proporciona a
remoção das mesmas para acesso às
instalações presentes no plenum.

(ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE CHAPAS PARA DRYWALL, 2006, p. 53)


Acabamento
FORROS -
Metal
removíveis
• A estrutura de sustentação, em aço ou
alumínio, é composta pendurais reguláveis,
cantoneiras e perfis de PVC
• Réguas de alumínio ou aço, obtidas pela
perfilação de chapas, c/ padrões e dimensões
que variam entre 1.274 mm e 4.000 mm.
• Acabamento liso ou texturizado, c/ várias
cores (tinta epóxi)
• As réguas poderem ser retiradas a qualquer
momento (para manutenção das instalações,
por exemplo), por serem simplesmente
encaixadas na estrutura de sustentação.
P/grandes construções podendo ser aplicado sob
laje de concreto ou estrutura de telhado.
Fonte:http://www.metalline.com.br/colmeia.htm
http://www.diviworld.com.br/forros-metalicos/forro-metalico.php
Acabamento
FORROS -
Metal
removíveis

Fonte:http://www.metalline.com.br/colmeia.htm
http://www.diviworld.com.br/forros-metalicos/forro-metalico.php
Acabamento
FORROS -
Isopor
removíveis
• Módulos de perfil metálico sustentado com
tirantes garantindo assim uma fácil
manutenção nas áreas acima do forro.
• Dimensões: 625 x 625 mm / 1.250 x 625 mm.
• Liso, Textura, Colmeia.
• Placas de Isopor com aplicação de massa
acrílica na cor branca que facilitam a limpeza
e a conservação. Por isso não amarelam nem
perdem a cor, resistem melhor à umidade, residências, escritórios, hotéis,
não atraem sujeira e podem ser repintadas restaurantes, shopping center,
na cor desejada com tintas à base de PVA. em ambientes úmidos como
banheiros, etc.
• Isolamento acústico e térmico
Fonte: http://www.diviworld.com.br/forros-de-isopor/forro-de-isopor-20mm-com-perfil-de-aco.php
Fonte: http://www.diviworld.com.br/forros-de-isopor/forro-de-isopor-com-textura.php
Acabamento
FORROS -
Isopor
removíveis
• Não propaga

• Não-tóxico, nem libera CFC.



• 100%
• Limpo facilmente com
• Facilidade de corte
• Fácil instalação (economia de tempo) e manutenção.
• Suporta temperaturas de até 80ºC.
• Não descolam, não mancham, não sofrem com , , ou
Fonte: http://www.diviworld.com.br/forros-de-isopor/forro-de-isopor-20mm-com-perfil-de-aco.php
Acabamento
FORROS -
Lã de rocha
removíveis
• fibras minerais de rocha vulcânica, ou
basálticas;
• isolante térmico e acústico
• muito fáceis de instalar e remover;
• estrutura não capilar: não retém água e
não sofre alterações quando em contato
com a condensação;
• painéis em diversas dimensões,
densidades e espessuras.
• Revestidos geralmente c/ véu de vidro
branco e preto;
• Suportam temperaturas de até 600ºC;
Fonte: http://www.diviworld.com.br/forros-de-isopor/forro-de-isopor-colmeia-com-perfil-de-aco.php#5
https://www.isar.com.br/produtos/forro/la-de-rocha/
http://www.refratil.com.br/produto/la-de-rocha
Acabamento
FORROS -
Lã de rocha
removíveis
• Resistência ao ;

• Absorção acústica;
• Fácil manuseio;
• Resistente a vibrações;
• Quimicamente neutro;
• Material não cancerígeno;

Fonte: http://www.diviworld.com.br/forros-de-isopor/forro-
de-isopor-colmeia-com-perfil-de-aco.php#5
https://www.isar.com.br/produtos/forro/la-de-rocha/
http://www.refratil.com.br/produto/la-de-rocha
Acabamento
FORROS -
Lã de Vidro
removíveis
• Painel de lã de vidro aglomerada com resinas
sintéticas, revestido na face aparente com filme
PVC branco microperfurado, com função
termoacústica
• Resistente a

• Grande isolamento térmico


Para ambientes como
• Pode reutilizar, retirar e re-instalar em outro Supermercados, Farmácias,
local. P/ manutenção: são removíveis Shoppings, Escolas, Indústrias
e ambiente que necessite de
tratamento acústico e térmico
• Limpeza: e possui um padrão Executivo.

Fonte: http://www.diviworld.com.br/forros-de-la-de-vidro/forro-de-la-de-vidro-boreal-15mm-k60k80.php
Acabamento
FORROS -
Fibra Mineral
removíveis
• Placas de 625x1250mm ou 625x625mm,
apoiadas em um sistema de suspensão,
composto por: perfis T principais, perfis T
secundários, cantoneiras e tirantes.
• Placas revestidas com a membrana c/
excelente desempenho contra o crescimento
de e ;

• Boa absorção do som. Requerido um rígido controle de


• Alta refletância de luz. partículas no ambiente, como
áreas hospitalares com médio ou
• Não pode servir de apoio para outro material.
alto risco de infecção, cozinhas
• Não repintar a placa. industriais, laboratórios e salas
de cirurgia.
Fonte: https://www.isar.com.br/produtos/forro/fibra-mineral-armstrong/
Fonte: http://www.diviworld.com.br/forros-de-fibra-mineral/forro-de-fibra-mineral-armstrong-bioguard-acoustic.php#3
Acabamento
FORROS -
Fibra Mineral
removíveis

OWA SODEX Guia Prático de Instalação Completo – Forros Minerais OWA . [S.L.]: OWA SODEX, 04 jul 2016. Disponível em:
<http://www.owa.com.br/produtos/forros-minerais-owa/download.html>
Acabamento
FORROS Fibra Mineral
1) Verificado o esquadro do ambiente,
marcar altura para o novo forro com
auxílio do giz de linha e do nível a laser,
deixando no min. 8 cm livres entre a
estrutura e a laje, ou qualquer outra
instalação (dutos de instalações
hidráulicas e elétricas).

2) Pode ser colocada tabeira de gesso


ao redor do ambiente para permitir a
colocação de placas inteiras (sem
recorte), o que oferece melhor
acabamento à instalação.
OWA SODEX Guia Prático de Instalação Completo – Forros Minerais OWA . [S.L.]: OWA SODEX, 04 jul 2016. Disponível em:
<http://www.owa.com.br/produtos/forros-minerais-owa/download.html>
Acabamento
FORROS Fibra Mineral
3) Fixar as cantoneiras nas paredes, na
altura demarcada. Em caso de
utilização de tabeira de gesso, no lugar
da cantoneira deve ser instalado o
perfil principal (longarina).

4) Utilizar a linha como guia para fixar


os pendurais no teto com buchas e
parafusos M6 / rebites 4 mm (ou pino
à pólvora). Eles devem estar espaçados
entre si de 1 a 1,25 m.
Onde há união entre duas longarinas (perfis
principais), deve haver um pendural próximo
OWA SODEX Guia Prático de Instalação Completo – Forros Minerais OWA . [S.L.]: OWA SODEX, 04 jul 2016. Disponível em:
<http://www.owa.com.br/produtos/forros-minerais-owa/download.html>
Acabamento
FORROS Fibra Mineral
5) Iniciar a instalação dos perfis
principais, parafusando-os nos Travessa
pendurais. Com auxílio do nível, utilizar
os reguladores nos pendurais para
manter os perfis nivelados com as
cantoneiras. Instalada a primeira linha
de perfis, sempre atentar-se ao 5 a 10 cm
esquadro do ambiente, que será
acompanhado para toda a montagem.
Cuidado para que o pendural não fique
junto à travessa (dar 5 a 10 cm de
distância).

OWA SODEX Guia Prático de Instalação Completo – Forros Minerais OWA . [S.L.]: OWA SODEX, 04 jul 2016. Disponível em:
<http://www.owa.com.br/produtos/forros-minerais-owa/download.html>
Acabamento
FORROS Fibra Mineral
6) Clicar as travessas nos “rasgos” dos perfis
principais, de acordo com paginação de
projeto. Sempre travar os perfis.

7) Incline ligeiramente a placa até que ela


fique acima dos perfis, e desça apoiando-a
sobre as bordas. Iniciar pelas placas inteiras,
deixando os cortes para o final.
Limpeza:

sujeira superficial=>

OWA SODEX Guia Prático de Instalação Completo – Forros Minerais OWA . [S.L.]: OWA SODEX, 04 jul 2016. Disponível em:
<http://www.owa.com.br/produtos/forros-minerais-owa/download.html>
Acabamento
FORROS Fibra Mineral
Acabamento
PISO e PAREDE
Pétreo
Vítreo
Cerâmico
Acabamento
PISO e PAREDE
Pétreo
• Instalação:
– As superfícies da base e das placas devem estar firmes, secas, curadas e
limpas, sem , , e outros resíduos;

– Placas assentadas na vertical = esp. máx. de 2 a 3 cm para evitar


– AC ou cimentícia convencional semi-seca 1:4 (só p/pisos):
• Dupla camada p/ placas > 20cm;
• Esp. variável conforme irregularidades das placas;
• Verificar, antes de rejuntar se há placas c/ som cavo:
– Retirar e assentar novamente

(PERAZZO, 2017, p. 16, p. 21-22; p. 24-25; SALGADO, 2014b, p. 270-271)


Acabamento
PISO e PAREDE
Pétreo
• Instalação:
– São funções do rejuntamento: auxiliar no desempenho estético do
revestimento; estabelecer regularidade superficial; compensar variação de
bitola, vedar o revestimento e otimizar aderência das placas.
• Aplicar c/ , estendendo e pressionando.

• Após 15 a 40 minutos do rejuntamento, proceder à limpeza, utilizando


, depois secar c/ .

– Nunca utilizar ácidos para a limpeza, pois provocam manchas nas placas.

(PERAZZO, 2017, p. 26-28; p. 31)


Acabamento
PISO e PAREDE
Pétreo
• Instalação:
– P/ revestimentos verticais: argamassas pastosas - .
• Para H > 2 m, deverão ser acrescentados grampos metálicos.
• Podem ser assim chumbados arames de aço galvanizado ou inox, c/ massa plástica,
ou colas à base de resinas de poliéster ou epoxídicas.
• Esses arames são enganchados em tela de aço galvanizado ou inox, fixada c/
chumbadores de expansão na base dos revestimentos, que deverão ser
posicionados p/ constituir uma malha quadrada, de + - 50 cm x 50 cm.
• As placas devem ter

• P/ paredes internas, sem tela de aço (H < 2 m), a base e o tardoz devem ter
apicoamentos, chapiscos, etc, p/ melhorar a aderência da .

(PERAZZO, 2017, p. 26-28; p. 31)


Acabamento
PISO e PAREDE
Pétreo
• Instalação:
– Acima de 15 m de altura, a fixação é feita por dispositivos metálicos:
• Placas encaixadas em suporte de aço galvanizado ou inox, fixos nas fachadas p/
meio de parabolts, por uma ranhura no topo da placa.

(BORGES, 2009, p.202)


Acabamento
PISO e PAREDE
Cerâmico
• Ladrilho
• Azulejos (só p/ paredes)
• Pastilhas de azulejos
• Porcelanatos
• Lito-cerâmica

Fonte: https://www.fazfacil.com.br/reforma-construcao/revestimento-ladrilho-azulejo/
http://www.cliquearquitetura.com.br/artigo/ceramicas-impermeabilidade--resistencia.html (SALGADO, 2014a, p. 148)
Acabamento
– Resistência ao ataque químico:
PISO e PAREDE CLASSE RESISTÊNCIA
A Química elevada
Cerâmico B Química média
C Química baixa

• Classificação: – Manchamento e
– Fabricação: limpabilidade:
Classe 5 Máxima facilidade de limpeza
• Extrusão: (A)
Classe 4 Produto de limpeza fraco
• Prensagem (B)
Classe 3 Produto de limpeza forte
• Outro processo (C)
Removível c/Ácido
– Acabamento: Classe 2 clorídrico/acetona, hidróxido
• Esmaltado (GL) de potássio e tricloroetileno
• Não-esmaltado (UGL) Classe 1 Impossível remoção mancha

Fonte: https://www.iau.usp.br/pesquisa/grupos/arqtema/erica/cdrom-erika/classificacao.htm
(ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 1997a; 1997b, p.2) (SALGADO, 2014a, p. 145; 2014b, p. 264)
Acabamento
PISO e PAREDE
Cerâmico Ladrilho

• Classificação:
– Resistência à abrasão superficial (somente p/ esmaltados)

(SALGADO, 2014a, p. 145; 2014b, p. 264)


Acabamento
PISO e PAREDE
Cerâmico
• Classificação:
– Absorção de água
Não é esmaltado É esmaltado

(ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 1997b, p.2)


Acabamento
TIPO Absorção Resistência mecânica
PISO e PAREDE Porcelanatos Baixa Alta
Grês Baixa Alta
Cerâmico Semi-grês Média Média
Semiporoso Alta Baixa
• Tipos: Poroso Alta Baixa

Método de fabricação
Absorção de
agua % Extrudado Prensado Outros
A =>Gail B C
≤ 0,5% BIa (Porcelanato/Porcelana)
AI CI
0,5% < abs ≤ 3% BIb (Grês)
3% < abs ≤ 6% AIIa BIIa (Semi-grês) CIIa
6% < abs ≤ 10% AIIb BIIb (Semi-poroso) CIIb
Abs > 10% AIII BIII (Poroso, Azulejo e azulejo fino) CIII
(FIGUEROLA, 2005; SALGADO, 2014a, p. 145; 2014b, p. 264)
Fonte: https://www.iau.usp.br/pesquisa/grupos/arqtema/ceramica/principal4.htm
Acabamento
– Cerâmica de alta vitrificação:
PISO e PAREDE  Grês:
 Louça/Faiança = Impermeáveis na
superficie e porosos no interior.
Cerâmico Feitos c/ argila branca (caulim puro
• TIPOS: + ausência de ferro)
– Cerâmica de baixa vitrificação:
Azulejo (Felspática)
« Tijolos de pequena espessura »
pouca esp. e vidrados em 1 face;
 Tijoleiras: 15x15cm
 2cm de esp. Pastilha (Felspática)
 Não é prensada = azulejo
2,5x2,5cm
 Ladrilho: várias formas e tamanhos
Louça sanitária (Felspática);
 Prensados
 Rugosidades e saliências na face
inferior  Grês = compactos
 Vermelho, amarelo, preto e marrom Tubo sanitários
 Vitrificados e duros
Lito cerâmica (ladrilhos de grês)
 5 a 7 mm de esp.
(BAUER, 2008, p. 223, p. 564; BORGERS, 2009, p. 223-224; INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA, 1993-2012c)
Acabamento
PAREDE
Cerâmico
• Fachada ventilada :
– Lito-cerâmica
– Extrusão
• revestimento fixado à armação de alumínio ou inox
ancorada na estrutura da edificação, mantendo a
fachada afastada da alvenaria de vedação.
• juntas abertas

(MARIANE, 2014; MATERIAL, 2015)


Acabamento
PAREDE
Cerâmico
• Grês:
– Fachada ventilada:

(MARIANE, 2014; MATERIAL, 2015)


Acabamento
PISO e PAREDE 2 cm
5 cm
Cerâmico
• Assentamento:
– Antigamente : executado com a utilização de argamassa de
cimento, cal e areia preparados na obra;
– Atualmente: usadas argamassas INDUSTRIALIZADAS, bastando
apenas adicionar água:
• “cimento-cola” ou “cimento-colante”

(SALGADO, 2014a, p. 145; 2014b, p. 264)


Acabamento
PISO e PAREDE
Cerâmico
• Assentamento:
 ACI: argamassa apropriada para revestimentos , exceto
 ACII: indicada para uso em .Tem propriedades que absorvem as influências da
temperatura e da umidade;

 ACIII: é indicada para condições de altas exigências tais como , e


Possui alta flexibilidade e aderência;

 ACIIIE: indicada para aplicação de cerâmicas e porcelanatos de grandes dimensões, áreas


de , e .

(SALGADO, 2014a, p. 146-148; 2014b, p. 268)


Acabamento
PISO e PAREDE
Cerâmico
• Assentamento:
– Assentadas sobre emboço ou contrapiso ja regularizados;
– Livres de , e ;

– Umedecer a camada de regularização, sem saturação;


– Utilizar .
– Esp. da argamassa colante ≥ 5 mm;
– Dupla camada (base e peça), para as peças de grande formato;
– Não aplicar a argamassa em pingos ou bolão (apresenta vazios reduzindo a
aderência, por isso pode ocorrer descolamentos);
– Começar debaixo p/ cima; Assentar a peça escorregando-a com a mão;
(SALGADO, 2014a, p. 146; p. 148; 2014b, p. 186, p. 269)
Acabamento
PISO e PAREDE
Cerâmico
• Assentamento:

– Colocar espaçadores
– Peças assentadas devem receber pequenos golpes c/ para promover
um perfeito contato com a argamassa de assentamento.
– Verificar se todas as peças estão bem aderidas, senão deve-se remover as
peças que tiverem um som oco, limpando a argamassa recém-aplicada e
assentando novamente as peças.
– Rejunte: oferece solidez ao revestimento e proteje contra infiltrações.
– Limpar com solução de ácido muriático (cuidado, pequena concentração).

http://techne17.pini.com.br/engenharia-civil/135/artigo285435-2.aspx (SALGADO, 2014a, p. 146; 2014b, p. 186)


Acabamento
PAREDE
Vítreo
• Pastilha de vidro:

1x1cm, 2x2cm ou 2,5x2,5cm, 3x3cm

Fonte: http://www.dicadaarquiteta.com.br/2015/05/pastilhas-de-vidro-quadradinhos.html
Acabamento
PAREDE
Vítreo
Ou solução
• Pastilha de vidro: de soda
cáustica
– ambientes , e
– Dilata pouco mesmo quando sujeitas a grandes
variações de temperatura.
– grande resistência a produtos alcalinos e também Pano
aos ácidos ≠ dos materiais cerâmicos e porcelana. úmido ou
solução de
– brilho e cores não se altera com o passar do tempo ácido
– A absorção de água < 0,05% muriático
– Contraface também é impermeável, não
absorvendo proveniente da parede.
Fonte: https://www.leroymerlin.com.br/faca-voce-mesmo/como-aplicar-pastilhas-de-vidro-com-argamassa
http://mosaicor.com.br/beneficios-pastilhas-vidro.html
Acabamento
PAREDE
Metal
Polímero
Gesso
Ósseo
Vegetal
Papel
Pintura
Acabamento
PAREDE
Metal
• Pastilhas de Inox:
– Argamassa do fabricante
– Argamassa ACIII
– Rejunte sem areia, flexível, impermeavel à base de resinas
epóxi ou acrílica
– Aplicação:
• Emboço ou superficie de concreto limpos, sem , ou
outra sujidade.

MOSAIK. Manual de Instalação: Revestimentos Metálicos. Belo Horizonte: MOSAIK, [S.d.]. Disponível em:
<http://www.mozaik.com.br/#downloads/categoria/4>
Acabamento
PAREDE
Metal
• Pastilhas de Inox:
• Esp. 3 a 4 mm: 0,5m² c/ lado liso da desempenadeira na base.
• Comprimir c/ lado denteado formando sulcos e cordões de 6 mm
(retirar excesso).
• Aplicar argamassa especial no verso das pastilhas c/ lado liso
(preencher tudo).
• Assentar as pastilhas pressionando c/ os dedos
• Depois com

• Retirar filme de proteção. Fonte:


http://construindodecor.com.br/tudo-
MOSAIK. Manual de Instalação: Revestimentos Metálicos. Belo Horizonte: MOSAIK, sobre-pastilhas-de-inox-para-
[S.d.]. Disponível em: <http://www.mozaik.com.br/#downloads/categoria/4> cozinhas-e-banheiros/
Acabamento
PAREDE
Metal
• Pastilhas de Inox:
• Rejuntar c/ argamassa especial e espatula de eva (borracha).
• Limpeza inicial c/

• Polimento final c/

• Não utilizar soda cáustica p/ remover o plástico protetor ou ácido


muriático para limpar o excesso de rejunte.
Fonte:
http://construindodecor.com.br/tudo-
MOSAIK. Manual de Instalação: Revestimentos Metálicos. Belo Horizonte: MOSAIK, sobre-pastilhas-de-inox-para-
[S.d.]. Disponível em: <http://www.mozaik.com.br/#downloads/categoria/4> cozinhas-e-banheiros/
Acabamento
PAREDE
Plástico
• Pastilha de PET
• Ecobrick

Fonte: http://revestimentoecologico.com.br/
Acabamento
PAREDE
Polímero
• Pastilha de PET:
– < $ e pesam - de 50% do que as

– + fáceis de transportar, manusear e bem + rápidas de instalar


– Perfeito alinhamento
– Possibilitam < uso de argamassa na instalação
– Praticamente 0%de abs. de água
– Indicadas para qualquer tipo de .
– Podem ser usadas nas e em áreas expostas ao sol.
– Aplicadas com cola de contato ou argamassa AC3 sobre reboco.
NAUE, Aline. Os mais diferentes tipos atuais de pastilhas !!! Veia Arquitetônica, 2 dezembro 2016. Disponível em:
<http://veiaarquitetonica.blogspot.com/2016/12/os-mais-diferentes-tipos-atuais-de.html>
Acabamento
PAREDE • Pastilha de PET:
Polímero

NAUE, Aline. Os mais diferentes tipos atuais de pastilhas !!! Veia Arquitetônica, 2 dezembro 2016. Disponível em:
<http://veiaarquitetonica.blogspot.com/2016/12/os-mais-diferentes-tipos-atuais-de.html>
Acabamento
PAREDE
Polímero
• Ecobrick:
– Perfis em EPS (poliestireno extrudado);
– Rápido e fácil de instalar, não apresentando resíduos no processo;
– Pode ser colocado em paredes de , ou drywall, e ;

 Se a parede já estiver pintada com cor diferente do Ecobrick escolhido, deve ser
lixada superficialmente e pintada com uma cor semelhante ao produto.
 Limpar a superfície e instalar o Ecobrick.
 Pode pinta-lo c/: tinta laca, PU, esmalte, acrílica e automotiva, exceto PVA;
 Pode ser cortado;
 Para a instalação é recomendado que seja usado o silicone especial.
 Entre as peças deve ser um espaço de no mínimo 1 mm (não necessita de
rejunte, mas aceita a aplicação do rejunte);
Fonte: http://revestimentoecologico.com.br/
Acabamento
PAREDE
Plástico
• Ecobrick:
– Não é recomendada a colocação
em paredes com infiltração em
geral, pois pode acarretar a
queda do revestimento;
– Não são todos os modelos que
podem ser aplicados em área
externa.

Fonte: http://revestimentoecologico.com.br/
Acabamento
PAREDE • Ecobrick:

Polímero
Acabamento
PAREDE
Gesso 3D
• Placas de gesso de 30 a 40cm de largura e altura com desenhos em
auto relevo em uma das faces
• Aplicação:
– Coladas na parede com
• cola para gesso conhecida como “gesso cola”.
• Argamassa (paredes não podem estar muito lisas; > tempo para secar)
– Podem ficar aparente ou receberem pintura:
• A pintura do revestimento de gesso 3D deve ser feito apenas quando as placas
estiverem totalmente secas.
• É aplicado então um fundo preparador para gesso, corrigindo as imperfeições
com massa corrida, e depois pode ser usada tinta acrílica.
DG, Fernanda. Revestimento de gesso 3D. Dicas de Arquitetura, 11 ago. 2017. Disponível em:
<https://dicasdearquitetura.com.br/revestimento-de-gesso-3d/>
Acabamento
PAREDE
Cálcio
• Pastilhas de osso
• Pastilhas de chifres
• Pastilhas de madrepérola
Acabamento
PAREDE
Cálcio
• Pastilhas de osso e
chifre
– Móveis e parede
– Aplicadas sobre:
• entretela 20X20cm
• ou sobre MDF
40X40cm de 6mm
– R$ 2054/m2.

http://www.sander.com.br/produtos/revestimentos-chifre-pastilhas/pastilhas
Acabamento
PAREDE
Cálcio
• Pastilhas de osso
– Pastilhas de 25x25mm,
30x30mm, 50x10mm,
50x20mm, 50x50mm
– Placas de 20X20 cm

http://www.sander.com.br/produtos/revestimentos-osso-pastilhas
Acabamento
PAREDE
Cálcio
• Pastilhas de chifre
– Pastilhas de 25x25mm, 30x30mm, 50x10mm,
50x20mm, 50x50mm, 60x60mm, 100x25mm.
– Aplicada em locais longe do e

– Por ser porosa, pode manchar caso

– Devem ficar em lugar e, nem , nem


expostos à .

http://www.sander.com.br/produtos/revestimentos-chifre-pastilhas/pastilhas
WESTWING HOME & LIVING. Guia Westwing para Pastilha de Chifre. [S.l.]: Westwing, [S.d.]. Disponível em:
<https://www.westwing.com.br/guiar/pastilha-de-chifre/>
Acabamento
PAREDE
Cálcio
• Pastilhas de madrepérola
• C/rejunte
• junta seca (não necessita
rejunte para aplicação)
– pastilha 2 x 2 cm
– placa 30 x 30 cm
– +-R$100

VITRACOR; PERSIFILM. Informativo Técnico e Manual de Instalação Pastilhas de Madrepérola. Brasília:


Persifilm Importação e Exportação Ltda, Março 2013Disponível em: <www.persifilm.com.br/site/wp-
content/.../ManualTecnicoPastilhasMadreperola.pdf>
Fonte: http://loja.pastilhart.com.br/p/madreperola_juntaseca/madreperola+junta+seca
Acabamento
PAREDE
Cálcio
• Pastilhas de madrepérola
– Instalação:
1-Aplique argamassa própria para pastilha de
vidro/madrepérola na área que vai ser
instalada.
2-Aplicar a placa.
3-Pressione com ou
4-Para fazer as juntas aplique uma fina camada No caso de instalação em
de rejunte próprio para pastilhas de vidro e móveis utilize cola de
após secagem. contato para fixação e
5- Deve-se utilizar para retirada de obedeça os demais passos
excesso desse material. de acabamento.

Fonte: http://loja.pastilhart.com.br/p/madreperola_juntaseca/madreperola+junta+seca
Acabamento
PAREDE
Vegetal
• Pastilha de côco
• Pastilha de bambu
• Pastilha de madeira
• Pastilha de galhos
de macieira
• Sarrafos
• Cortiça
VOITILLE, Nadine. Pastilhas: Modelos e Aplicações. Clique Arquitetura, 14 Maio 2012 . Disponível em
<http://www.cliquearquitetura.com.br/artigo/pastilhas-modelos-e-aplicacoes.html>
Acabamento
PAREDE
Vegetal
• Pastilha de côco
– placas de 20x20cm, 20x40cm, 10x10cm, ou 5x30cm, 8x30cm,
42x42cm ou 42x84cm
– Esp. entre 5 e 7mm sobre chapa MDF.
– Instalação: cola branca p/ madeira.
– casca (50% de lignina e altos teores de tanino):
• alta resistência mecânica à impactos e à decomposição por , e
• Revestimento de paredes e pisos (baixo a médio tráfego, fabricadas numa
espessura maior) ou móveis.

VOITILLE, Nadine. Pastilhas: Modelos e Aplicações. Clique Arquitetura, 14 Maio 2012 . Disponível em
http://www.cliquearquitetura.com.br/artigo/pastilhas-modelos-e-aplicacoes.html
http://www.unicalaminados.com.br/revestimentos/pastilhados/pastilhados-de-coco
Acabamento
PAREDE
Vegetal
• Pastilha de côco
– Depois do polimento devem receber
camadas de pintura seladora.
– Uso interno, pode ser utilizado em
(aplicar hidro-repelentes e verniz de PU).

– Limpeza: e .
• Nas placas polidas => cera de carnaúba
• (Nunca use produtos abrasivos ou à base de solventes)
• mesmos cuidados aplicados à madeira para garantir sua beleza e durabilidade.

Fonte: http://www.dicadaarquiteta.com.br/2015/04/pastilhas-de-coco-sustentabilidade.html
Acabamento
PAREDE
Vegetal
• Pastilha de bambu:
– Forma de aplicação: cola branca, cola de contato, adesivos de madeira ou
cascola monta (cola branca)e fixa (PL500).
– Acabamento: verniz, seladora, ceras ou resinas.
– + indicadas para e

– mas podem ser utilizadas em ou / desde que


impermeabilizado c/ verniz, seladores, ceras ou resinas transparentes;
– Cores: claras, médias e escuras com padrão liso, mesclado ou com relevo;
– Pastilhas de 2x2cm, em placas de 20x20 ou 30x30cm c/ esp. de 1,5mm ou
3mm.
Fonte: http://loja.pastilhart.com.br/p/bambu-eco17/bambu+eco17#tab4428 ; https://produto.arqbrasil.com/pastilhas-
ecologicas-de-coco-e-bambu/; http://www.cliquearquitetura.com.br/artigo/pastilhas-de-bambu.html
Acabamento
PAREDE
Vegetal

• Pastilha de bambu:
– Fixadas sobre placa de madeira ou tecido
– Limpeza:
• não use ou outros materiais abrasivos (podem tirar o brilho natural)

• Use .

Fonte: http://loja.pastilhart.com.br/p/bambu-eco17/bambu+eco17#tab4428
https://produto.arqbrasil.com/pastilhas-ecologicas-de-coco-e-bambu/
http://www.cliquearquitetura.com.br/artigo/pastilhas-de-bambu.html
Acabamento
PAREDE
Vegetal
• Pastilha de madeira:
– resíduos de sucupira, teca, guaiuvira, cumaru, canela, pinheiro, freijó, peroba
etc...
– Pastilhas sobre manta vinílica ou entretela.

– p/ brilho, reaplicar a cada 3 ( ) ou 12 meses ( )


– que não sofram , nem contato permanente com ou

– protegidos/cobertos
– NÃO é recomendada a aplicação em superfícies muito lisas (cerâmicas e
porcelanas). NÃO podem ser instalados por cima de texturas.
Fonte: http://www.ciadapastilha.com.br/pastilhas-pastilhas-de-madeira-16c-48s (NT WOOD LINE, [S.d.], p. 1-2)
Acabamento
PAREDE
Vegetal
• Pastilha de madeira:
– Superfície sobre a qual o produto será aplicado devera estar perfeitamente
limpa, curada e nivelada, com cantos e arestas alinhados e esquadrejados,
livre de desníveis ou buracos e isenta de , , e

– em superfícies pintadas a tinta esteja plenamente seca e aderida


– Superfície deve ser plana e estar seca e limpa sem resquícios de infiltração
– : COLA DE CONTATO (sapateiro)

– : somente utilize argamassa ACII ou ACIII devido à


– Camada dupla: na superficie e na placa
– Limpeza c/

(NT WOOD LINE, [S.d.], p. 1-2; TW BRASIL, 2012-2018c)


Acabamento
PAREDE
Vegetal
• Pastilha de galhos de macieira:
– Aplicados em prancha de MDF (3mm).
– Placas 400x400mm; 200x200mm e 100x400mm
– e

– Utilização em isenta de e mobiliário.


– Para montar o painel recomenda-se fixar as placas com colas de madeira em
um MDF fixado à parede.
– Limpeza com lustra móveis (não molhar).
– Não é recomendável o corte.
Fonte: https://mateco.wordpress.com/2008/04/20/pastilhado-macieira/
VOITILLE, Nadine. Pastilhas: Modelos e Aplicações. Clique Arquitetura, 14 Maio 2012 . Disponível em
<http://www.cliquearquitetura.com.br/artigo/pastilhas-modelos-e-aplicacoes.html>
Acabamento
PAREDE
Vegetal
• Cortiça
– Base: emboço e reboco
– Instalação:
• (Placa autoadesiva)
ou
• Cola de contato
• Aplicar cuidadosamente e alisar
com rolo/martelo de borracha
• Juntas de topo

(AZEVEDO, 1987. p. 94)


Acabamento
PAREDE
Vegetal
• Lambri:
– Fita dupla face
– Cola de madeira
– Caibros/sarrafos
• Fixar caibros embutidos ou não
na alvenaria c/ espaçamento de
50 cm entre eles – seja na vertical
ou horizontal ou em grelha.
• Preencher ou não os empaços
entre os caibros c/ emboço.

(AZEVEDO, 1987, p. 90)


Acabamento
PAREDE
Vegetal
• Lambri:
• Pregar as tabuas macho ou fêmea no caibro c/ prego em diagonal.

(AZEVEDO, 1987, p. 90)


Acabamento
PAREDE
Papel Rolo:0,5m X20m

• Instalação:
– Sobre emboço e reboco; (massa corrida)
– a parede e ;

– Retirar espelhos de e ;
– (Cortar o papel na medida do pé-direito);
– Passar cola c/ no verso (Deixar agir de 1 a 5 min)

– Instalar a 1° faixa em um dos cantos, e alisar c/ ou


até o rodapé;
– Colar as demais faixas com juntas de superposição.
Fonte: http://www.tudoempapeldeparede.com.br/instalacao.php (AZEVEDO, 1987. p. 93)
Acabamento
PAREDE
Pintura
Acabamento
PAREDE
Pintura
Têmpera
Sobre massa Lisa (massa corrida)
Óleo
Pintura de paredes

Plástica simples Batida e escova


Pastel
e forros

Sobre reboco
PVA Sobre massa corrida
Cal
Texturizado
+ Látex
Sobre reboco
Acrílico Sobre massa corrida
Texturizado
(BORGES, 2009, p. 317)
Acabamento

Esquadria de ferro
PAREDE Esmalte
Pintura Grafita
• Instalação Óleo
Brilhante
Esquadria de madeira

Esmalte Fosco
Acetinado
Brilhante
Verniz
Fosco
Óleo

(BORGES, 2009, p.317-318)


Acabamento
• Recomendações gerais p/ quaisquer
PAREDE tipo de pintura
Pintura –
–A do ar < que 80%
– Temperatura do ambiente entre –
10° C e 40°C
– Ambiente deve estar bem – Reboco deve estar
– Remover curado
– – Aplicar outra demão
somente quando a
anterior estiver seca.
– Substrato
– Lavar bem ambiente c/
ou partes soltas. cheiro de urina.
(BORGES, 2009, p.320; SALGADO, 2014b, p. 290, p. 292)
Acabamento
Tinta
(Selador)
PAREDE Massa corrida
(Selador/Fundo preparador)
Pintura Reboco
Emboço
• Complementos: Chapisco
Melhora ancoragem e as Alvenaria
condições do substrato:
• Fundo preparador de parede: melhora rebocos muito
arenosos e da resistência superficial aos rebocos
fracos;Uniformiza e melhora o espalhamento e a
absorção da tinta.
• Selador: Uniformiza e melhora o espalhamento e a
absorção da tinta.< a porosidade do substrato.
Aplicado sobre reboco novos, blocos de
concreto,massa corrida e massa fina.
– PVA
– Acrilico
( SALGADO, 2014b, p. 288)
Acabamento
Tinta
(Selador)
PAREDE Massa corrida
(Selador/Fundo preparador)
Pintura Reboco
Emboço
Chapisco
• Massa corrida/acrílica: deixa o substrato + Alvenaria
fino e liso. Aplicado sobre reboco ou
superficies de concreto.
– À base de PVA (corrida):
– À base de resinas acrílicas (acrílica):

( SALGADO, 2014b, p. 288)


Acabamento
PAREDE
Pintura
Caiação: => facil de aplicar,
Látex PVA: => Acetato de polivinila.
Látex acrílico: => à base de emulsões acrilicas, excelente
contre intempéries; não pode aplicar sobre massa corrida; >
resistência à produtos de limpeza que a PVA.

Tinta a óleo: c/ óleo de => substituida pelo:


Esmalte sintético: à base de resinas alquídicas + óleos secativos
+ solventes; P/ ou ; Acabamento brilhante ou
acetinado.
( SALGADO, 2014b, p. 289)
Acabamento
PAREDE
Pintura
Tinta epóxi: grande resistência à abrasão e ambiente agressivos
quimicamente. É bi-componente.
Tinta de borracha clorada: alta plasticidade; grande resistência
à água; usada para pintar e .

Verniz: dissolução de gomas vegetais, ceras, ou resinas


sintéticas (goma laca ou resina copal) em solventes voláteis c/
ou s/ pigmento; Aplicação em

 Em ambientes externos: verniz c/ filtro solar


( SALGADO, 2014b, p. 289)
Acabamento
PISO
Resina
Tecido
Vegetal
Polímero
Cimento
Acabamento
PISO
Resina
• “Porcelanato líquido”:
– Resina Epóxi ou de PU autonivelante.
– Transparente ou colorida
• possível imprimir adesivo, aplicar no chão e cobrir com resina transparente
– Esp. de 1 a 5 mm (depende das irregularidades da base).
– Espelhado, monolítico, liso, uniforme e fácil de limpar.
– Aplicação:
• Limpar a superficie antes.
• Primer
• 3 produtos: resina + componente endurecedor + carga autonivelante (misturar)
• Utilizar um rodo para facilitar a aplicação do produto.
Fonte: https://www.arquidicas.com.br/porcelanato-liquido/
Acabamento
PISO
Tecido
• Carpete:
– Tecidos sintéticos
– Esp. de 3 a 40mm.
– Aplicação:
• Adesivo Dupla face
• Esticada sobre feltro/manta, onde é preso pelas beiradas que
contornam o ambiente.
• Modular: Placas 50x50 ou 60x60cm
– Mesmo procedimento de instalação do piso vinílico.
– Cola de contato.
Fonte: https://www.ufrgs.br/eso/content/?p=1355
http://unifloor.com.br/2016/10/24/carpetes-em-placa-facilidade-de-instalacao/
https://www.fazfacil.com.br/manutencao/como-instalacao-carpete/ (SALGADO, 2014b, p. 190)
Acabamento
PISO
Vegetal
• Tacos
• Tábua/assoalho corrida(o)
• Cortiça
• Laminado
Acabamento
PISO
Vegetal
• Tacos
– Taco palito; Taco padrão; Tacão =>
Madeiras de lei (quaisquer)
– S/ encaixe e c/ encaixe macho-fêmea
– Não podem receber e

– Devem estar secos p/ não se soltarem

(BORGES, 2009, p. 213; p. 216-218)


Fonte: https://www.arquidicas.com.br/o-que-fazer-para-deixar-o-piso-de-madeira-novo/
Acabamento
PISO
Argamassa
Vegetal
1,5 a
• Tacos 2m
– Instalação c/ Argamassa:
a. Molhar costas do taco c/ asfalto e
b. Pregam-se pregos asa de mosca (> aderência)
c. Fazer guias de 1,5 a 2m
d. Encher espaços c/ 2 1
e. Sarrafear
f. Jogar pó de cimento por cima e
g. Assentar os tacos
h. Bater c/ soquete p/ argamassa contornar o taco
i. Raspar os tacos p/ nivelar e usar o pó c/ cera de
carnaúba/cola/verniz p/ calafetar as juntas 3
usando rodo de borracha.
(AZEVEDO, 1987, p. 101-102; BORGES, 2009, p. 216-218; SILVA, 2013)
Fonte: https://www.arquidicas.com.br/o-que-fazer-para-deixar-o-piso-de-madeira-novo/
Acabamento
PISO
Vegetal
• Tacos
– Instalação c/ cola PVA ou PU:
• Passos « a » - « e » do assentamento de tacos.
• Deixar a argamassa curar p/ 3 dias no mín. p/ eliminar a

• Jogar cola apropriada espalhando c/ deixando poças de cola


• Assentar o taco esfregando-o em até chegar à posição (evita
bolhas de ar)
• Fechar o cômodo p/ 3 dias
• Raspagem do taco
• Calafetação (AZEVEDO, 1987, p. 103; SILVA, 2013)
Fonte: https://www.arquidicas.com.br/o-que-fazer-para-deixar-o-piso-de-madeira-novo/
Acabamento
PISO
Vegetal
• Tábua/Assoalho corrida
– Sarrafos de madeira nobre c/ encaixe macho-
fêmea
– Esp. mín = 2,5cm; Larg. ≥ 10cm; Comp. Variado.
– Instalação:
• Perpendicular aos barrotes de madeira 5cmx5cm
ou ripas 2cmx 3cm ( )espaçados de 30 ou
40 cm, embutidos na cama de regularização

• Sarrafos pregados ou parafusados c/ 2 furos


p/ripa => Cavilhas
• Raspagem do piso p/ nivelar.
• Sinteco (BORGES, 2009, p. 213; p. 220-221; SALGADO, 2014b, p. 193-194; SILVA, 2013)
Acabamento
PISO
Vegetal
• Cortiça
– Instalação:
• Base limpa
• Aplicação do
centro p/ parede
• Cola de contato
(40 a 60 min)
• Verniz

(CORKLIFE, [S.d.])
Fonte: https://projetos.habitissimo.com.br/projeto/como-colocar-piso-de-cortica
Acabamento
PISO
Vegetal
• Laminado:
– « Fórmica »
– Imune à

– Antialérgico


– Instalação:
Fonte: http://www.formica.com.br/pro_formipiso.htm
EUCATEX. Piso laminado Eucafloor: manual de conservação e limpeza. EUCATEX Disponível em:
<http://www.eucatex.com.br/pt/pisos/pisos-laminados/produto?id=21>
Acabamento
PISO
Vegetal
• Laminado:
– Manutenção e Limpeza:
• Pôr feltros nos pé dos móveis.
• Não expor direto à .
• Limpeza:
– Não lave com , nem !
– Apenas limpe c/ vassoura de pêlo macio, e .
– Não passe .
– Risco não é recuperável! Não utilize saponáceos, palha de aço, esponjas
corrosivas ou objetos pontiagudos!
Fonte: http://www.formica.com.br/pro_formipiso.htm
EUCATEX. Piso laminado Eucafloor: manual de conservação e limpeza. EUCATEX Disponível em:
<http://www.eucatex.com.br/pt/pisos/pisos-laminados/produto?id=21>
Acabamento
PISO
Polímero
• Vinílico
• Placas e Borracha
• Piso monolítico
Acabamento
PISO
Polímero
• Vinílico:
– Resina de PVC + Fibras Plastificantes + Cargas + Pigmentos
– Esp. 1,6 a 4 mm
– Aplicação:
• Sobre contrapiso OU sobre e
+ Camada de regularização de massa PVA =
• que deve ser após a secagem e o .

• A base deve estar livre de , , , ,

(BORGES, 2009, p. 246; SALGADO, 2014b, p. 190)


Acabamento
PISO
Polímero
• Vinílico:
• Passar adesivo que libera compostos tóxicos na base e na placa c/
– (15 min)

– P/ , e = adesivo à base de neoprene

• Direção de instalação:

(BORGES, 2009, p. 247; SALGADO, 2014b, p. 190)


Acabamento
PISO
Polímero
• Borracha:
– placas de borracha vulcanizada de ≥ 2mm e ≤ 180mm
– Antiderrapante playgrounds, academias,
– haras, brinquedoteca,
escolas, vestiários, ao redor
– Elevada resistência ao desgaste e abrasão das piscinas e clubes
– Aplicação:
• Argamassa (72 h de cura)
Alguns
– Sobre contrapiso nivelado, desempenado mas não muito liso
fabricantes não + Camada de regularização de ainda molhada
recomendam + na placa
(SALGADO, 2014,b, p. 191; BORGES, 2009, p. 244-245)
Acabamento
PISO
Polímero
• Borracha:
• Cola:
http://www.haiah.com.br/piso-i
– A base deve estar livre de , ,

– 2X camada fina e uniforme de adesivo à base de PU / neoprene (contrapiso


+ placa) c/ espátula de dentes finos (esperar 20 min. p/ colar as placas)
– P/ = adesivo à base de epóxi grãos de borracha EPDM c/ +-
1 cm esp.
– Piso monolítico in loco c/ (resina)
1
• Sem rejunte, drenante, lavagem por pressão, 2 pequenas lascas de
adere – sujeira, não propaga , alta resistência, pneu reciclado
> amortecimento, atóxico, atérmico, cores vivas.
(AUBICON, [S.d.]; BARBOZA, 2015; BORGES, 2009, p. 244-245 ; PISO..., 2004-2018 c; SALGADO, 2014,b, p. 191)
Acabamento
PISO
Cimento
• Ladrilho hidráulico
• Cimento queimado
Acabamento
PISO
Cimento
• Ladrilho hidráulico:
– => 20 x 20 cm
– Aplicação:
• Ficar 12 h mergulhados em
• Base:

• Fazer mestras nos cantos e no centro e espalhar a argamassa sarrafeada


• Polvilhar cimento sobre a argamassa
• Assentar ladrilhos c/ 2 mm de espaçamento; bater c/ e p/
desempenar
• Rejuntar 24h depois c/ pasta de cimento e limpar c/ rolo de borracha
(CARDÃO, 1981, p. 200; p. 202)
Acabamento
PISO
Cimento
• Cimento queimado:
– Polvilhar argamassa seca sobre a argamassa de regularização do
contrapiso ainda fresca.
– Alisar com , ou .
– “As bases devem ter idade de até 6 horas para o lançamento da mistura
seca. Base e acabamento devem curar juntas”.
– É recomendada a aplicação de camada de resina acrílica à base de solvente
e impermeabilizante para proteger o piso da ação da água.

(SALGADO, 2014b, p. 188)


SILVA, Graziela. Cimento queimado: saiba evitar o aparecimento de trincas e manchas. AECWEB, [S.d.]:
Disponível em: <https://www.aecweb.com.br/cont/m/rev/cimento-queimado-saiba-evitar-o-
aparecimento-de-trincas-e-manchas_9426_0_1>.
Referências
• ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 13816: Placas cerâmicas p/ revestimento –
Terminologia. Rio de Janeiro: ABNT, 1997a. 4 p.

• ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 13817: Placas cerâmicas p/ revestimento –


Classificação. Rio de Janeiro: ABNT, 1997b. 3 p.

• ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE CHAPAS PARA DRYWALL. Manual de projeto de


Sistemas Drywall : paredes, forros e revestimentos. São Paulo: Pini, 2006. 86 p.

• AUBICON. Piso Impact Soft Super Slim Fit. São Paulo: AUBICON, [S.d.]. Disponivel em:
<https://www.aubicon.com.br/produtos/pisos-absorcao-impacto/piso-impact-super-slim/>

• AZEVEDO, Hélio Alves de. O edifício e o seu acabamento. 2. Ed. São Paulo: Blucher. 1987. 178 p.

• BARBOZA, Nathalia. Veja a execução de pisos monolíticos de borracha reciclada para playgrounds.
Construção mercado. 172 Ed. [S.l.]: PINI, Novembro/2015. Disponível em:
<http://construcaomercado17.pini.com.br/negocios-incorporacao-construcao/172/veja-a-execucao-
de-pisos-monoliticos-de-borracha-reciclada-para-365395-1.aspx>

• BORGES, Alberto de Campos. Prática das pequenas construções. 9. Ed. São Paulo: Blucher, 2009. V.
1. Revisada e ampliada. 109
Referências
• CARDÃO, Celso. Técnica da construção. 5. Ed. Belo Horizonte: Edições Engenharia e Arquitetura.
1981. 396 p. v. 2.

• CORKLIFE. Instalação de pisos colados (Base de cortiça). Corklife, [S.d.]. Disponivel em:
<https://www.corklife.com/pt/como-fazer/colados-pavimentos/>

• BAUER, Falcão. Materiais de construção. 5. Ed. Rio de Janeiro: LTC, 2008. 538 p. v. 2

• FIGUEROLA, Valentina. Porcelanato, grés, azulejo. Téchne. 96. Ed. [S.l]: PINI, 20 Abril 2005.
Disponível em: <http://piniweb17.pini.com.br/construcao/noticias/porcelanato-gres-azulejo-79365-
1.aspx>.

• INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA. Revestimentos Cerâmicos


(pisos e azulejos). [S.l.]: INMETRO, 1993-2012c. Disponível em:
<http://www.inmetro.gov.br/consumidor/produtos/revestimentos.asp>.

• MARIANE, Aline. Fachada ventilada - Sistema cuja execução é rápida exige cuidados minuciosos
quanto à verificação de dimensionamento, locais de perfuração das placas e peso dos painéis.
Construção Mercado. 153. Ed. [S.l.]: PINI, Março 2014. Disponível em:
<http://construcaomercado17.pini.com.br/negocios-incorporacao-construcao/153/fachada-
ventilada-sistema-cuja-execucao-e-rapida-exige-cuidados-309960-1.aspx> 110
Referências
• MATERIALS. "Conheça as vantagens das fachadas ventiladas“. ArchDaily Brasil, 20 Out 2015.
Disponível em: <https://www.archdaily.com.br/br/775512/conheca-as-vantagens-das-fachadas-
ventiladas> ISSN 0719-8906.

• MILITO, José Antônio de. Técnicas de construção civil e construção de edifícios. Campinas: [S.n.],
2004. 296 p. Anotações de aula.

• NT WOOD LINE. Manual de instalação de pastilhas de madeira. Curitiba: NT Wood Line, [S.d.]. 3 p.
Disponível em: <cdn2.madeiramadeira.com.br/tecnico/nt-wood-line/88302-manual-de-instalac-a-
o.pdf>.

• PERAZZO, Daniella Mourão. Projeto e Execução de Revestimento de Pedra e Patologias Associadas.


Monografia (Graduação em Engenharia Civil) – Curso de Engenharia Civil, Escola Politécnica,
Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017. Disponível em:
<monografias.poli.ufrj.br/monografias/monopoli10019296.pdf>.

• PISO de borracha de pneu reciclado e borracha EPDM. Pisoleve®. São Paulo, 2004-2018 c. Disponível
em: < https://www.pisoleve.com.br/piso-de-borracha/piso-de-borracha-epdm/>

• RODRIGUES, Elyzia. Pastilhas de vidro - Quadradinhos adoráveis! Dica da Arquiteta, 19 maio 2015.
Disponível em: <http://www.dicadaarquiteta.com.br/2015/05/pastilhas-de-vidro- 111
quadradinhos.html>.
Referências
• SALGADO, Júlio César Pereira. Técnicas e Práticas Construtivas: da Implantação ao Acabamento. São
Paulo: Érica, 2014a. 168 p.

• SALGADO, Júlio César Pereira. Técnicas e Práticas Construtivas para edificação. 3. Ed. São Paulo:
Érica, 2014b. 320p. Revisada.

• SILVA, Fernando Benigno da. Execução de revestimento de madeira para pisos - taco, assoalho e
parquete. Construção mercado. 141 Ed. [S.l.]: PINI, Abril 2013. Disponível em :
<http://construcaomercado17.pini.com.br/negocios-incorporacao-construcao/141/execucao-de-
revestimento-de-madeira-para-pisos-taco-assoalho-298817-1.aspx >

• TW BRASIL. Revestimentos em Teca – TeakTile. Ponta Grossa, 2012-2018c. Disponível em:


<https://www.twbrazil.com.br/categoria/revestimentos/.>

112