Você está na página 1de 8

Universidade de Brası́lia

Faculdade de Tecnologia
Mecânica dos Fluidos 2

Estudo Dirigido 8

Lucas Costa Arslanian - 18/0022482


Brası́lia - DF
11 de novembro de 2021
Estudo Dirigido 8
Considere o escoamento laminar, incompressı́vel e permanente de um fluido viscoso
em um tubo de seção circular e eixo paralelo ao eixo z.

a)

Partindo da equação da continuidade e das equações de Navier-Stokes, mostre que o


perfil de velocidade uz (r), a velocidade média ū e a vazão Q em um tubo cilı́ndrico de
raio a são, respectivamente, dados por:
1 dp 2
uz (r) = − (a − r2 )
4µ dz
1 dp 2
ū = − a
8µ dz
π dp 4
Q=− a
8µ dz

b)

Mostre que, no caso de um escoamento de um fluido confinado no anel entre dois tubos
coaxiais, o interno de raio a e o externo de raio b, o perfil de velocidade uz (r) e a vazão
Q para uma perda de carga especı́fica dada, dp/dz, são dadas por:
b 2 − a2 r
 
1 dp 2 2
uz (r) = − a −r + ln
4µ dz ln b/a a
" #
2
π dp 2 (b2 − a2 )
Q=− b − a4 −
8µ dz ln b/a

c)

Mostre que o fator de atrito de Fanning para o caso do escoamento laminar em um


tubo de raio a é dado por:
16
f=
Re
em que Re = ρūd/µ, sendo o fator de atrito f definido através da equação:
L
∆p = f ρū2
a
e ∆p é a perda de carga ao longo de um trecho reto de tubulação de comprimento L e
diâmetro d = 2a.

1
Verificação

a)

Para essa análise, assume-se que:

• Escoamento axissimétrico: ∂
∂θ
=0

• Regime permanente: ∂
∂t
=0

• Escoamento unidirecional: ur = uθ = 0

• Despreza-se o efeito da gravidade: g = 0

Por meio dessas constatações, a equação da continuidade em coordenadas cilı́ndricas


se torna:
∂uz
=0 (1)
∂z
Assim, nota-se que a velocidade uz é função apenas de r: uz = uz (r).
Dessa forma, determina-se as condições de contorno:

• Condição de não escorregamento: uz (a) = 0

• Simetria axial do escoamento em uz (0)

As componentes r e θ da equação de Navier-Stokes incompressı́vel são dadas por:

∂ur u2θ
   
∂ur ∂ur uθ ∂ur 2 ur 2 ∂uθ ∂p
ρ + ur + + uz − = µ ∇ ur − 2 − 2 − + ρgr (2)
∂t ∂r r ∂θ ∂z r r r ∂θ ∂r

e
   
∂uθ ∂uθ uθ ∂uθ ∂uθ ur uθ 2 uθ 2 ∂ur 1 ∂p
ρ + ur + + uz + = µ ∇ uθ − 2 − 2 − +ρgθ (3)
∂t ∂r r ∂θ ∂z r r r ∂θ r ∂θ

como o escoamento é unidirecional, ur = uθ = 0. Assim:

∂p ∂p
= =0 (4)
∂r ∂θ
o que indica que p = p(z).
Dessa forma, a componente z da equação de Navier-Stokes incompressı́vel é dada por:
 
∂uz ∂uz uθ ∂uz ∂uz ∂p
ρ + ur + + uz = µ∇2 uz − + ρgz (5)
∂t ∂r r ∂θ ∂z ∂z

2
em que o Laplaciano de uz é dado por:
1 ∂ 2 uz ∂ 2 uz
 
2 1 ∂ ∂uz
∇ uz = r + 2 + (6)
r ∂r ∂r r ∂θ2 ∂z 2
Aplicando as hipóteses, a componente z se reduz a:
 
2 ∂p 1 ∂ ∂uz ∂p
µ∇ uz − =µ r − =0 (7)
∂z r ∂r ∂r ∂z
ou seja:  
∂ ∂uz r ∂p
r = (8)
∂r ∂r µ ∂z
Integrando uma vez em relação a r, tem-se que:
∂uz r2 ∂p
r = + C1 (9)
∂r 2µ ∂z
Dividindo a equação por r e integrando novamente, obtém-se:
r2 ∂p
uz = + C1 ln r + C2 (10)
4µ ∂z
Como a velocidade do escoamento é finita, em r = 0 nota-se que ln → −∞. Dessa
forma, isso implica que o coeficiente C1 deve ser nulo. Assim:
r2 ∂p
uz = + C2 (11)
4µ ∂z
Além disso, aplicando a condição de não escorregamento, é fácil ver que C2 é dado
por:
a2 ∂p
C2 = − (12)
4µ ∂z
Em seguida, substitui-se C2 para obter o perfil de velocidade desse escoamento:
r2 ∂p a2 ∂p
uz = −
4µ ∂z 4µ ∂z
(13)
1 ∂p 2
=− (a − r2 )
4µ ∂z
Verifica-se que o perfil de velocidade é dado por um paraboloide com velocidade má-
xima em r = 0 e velocidade mı́nima em r = a. Assim, a velocidade média é dada pela
média da velocidade máxima e mı́nima.
uz (a) + uz (0)
ū =
 2 
1 dp 2 2 1 dp 2 2 1
= − (a − a ) − (a − 0 ) (14)
4µ dz 4µ dz 2
1 dp 2
=− a
8µ dz

3
A vazão do fluı́do Q é dada pela integral do produto interno entre a velocidade e um
infinitesimal de área, porém, pode ser, também, calculada pelo produto da velocidade
média pela área, caso a área seja constante. Dessa maneira:

Q = ūA
1 dp 2
=− a × πa2 (15)
8µ ∂z
π dp 4
=− a
8µ dz

b)

Caso o escoamento do fluido esteja confinado em um anel entre dois tubos coaxiais, o
interno de raio a e o externo de raio b, as condições de contorno são dadas por:

• Condição de não escorregamento: uz (a) = 0

• Condição de não escorregamento: uz (b) = 0

Dessa forma, pode-se realizar as mesmas hipóteses. Dessa forma, já se calculou que:

r2 ∂p
uz = + C1 ln r + C2 (16)
4µ ∂z

Aplicando a condição de contorno uz (a) = 0:

a2 ∂p
uz (a) = + C1 ln a + C2 (17)
4µ ∂z

Assim, C2 é dado por:


a2 ∂p
C2 = − − C1 ln a (18)
4µ ∂z
Substituindo, obtém-se:

r2 ∂p a2 ∂p
uz = + C1 ln r − − C1 ln a
4µ ∂z 4µ ∂z
(19)
1 ∂p 2 r
= (r − a2 ) + C1 ln
4µ ∂z a

Em seguida, aplica-se a condição de contorno uz (b) = 0:

1 ∂p 2 b
uz (b) = (b − a2 ) + C1 ln (20)
4µ ∂z a

Assim, C1 é dado por:


1 ∂p (b2 − a2 )
C1 = − (21)
4µ ∂z ln b/a

4
Assim, substituindo C1 , o perfil de velocidade no anel é dado por::

1 ∂p 2 2 1 ∂p (b2 − a2 ) r
uz = (r − a ) − ln
4µ ∂z 4µ ∂z ln b/a a
2 2
1 ∂p 2 1 ∂p (b − a ) r
=− (a − r2 ) − ln (22)
4µ ∂z 4µ ∂z ln b/a a
2 2
 
1 dp (b − a ) r
=− a2 − r 2 ln
4µ dz ln b/a a

Dessa forma, o fluxo desse escoamento Q é determinado por:


ˆ
Q = u · dA
ˆ
= uz dA
ˆ ˆ 
1 dp b 2π 2 (b2 − a2 ) r

2
=− a −r + ln r dθ dr
4µ dz a 0 ln b/a a
ˆ 
π dp b (b2 − a2 ) r

2 3
=− r a −r +r ln dr
2µ dz a ln b/a a
( b b  b )
π dp a2  2  (b2 − a2 ) 1 2  r  r2

1 4
=− r − [r ] + r ln −
2µ dz 2 a 4 a ln b/a 2 a 4 a
(23)
π dp a2 (b2 − a2 ) b4 − a4 b2 (b2 − a2 ) (b2 − a2 )2
 
=− − + −
2µ dz 2 4 2 4 ln b/a
 2 2 2 2 4 4 2 2 2

π dp (b + a )(b − a ) b − a (b − a )
=− − −
2µ dz 2 4 4 ln b/a
 4 4 4 4 2 2 2

π dp (b − a ) b − a (b − a )
=− − −
2µ dz 2 4 4 ln b/a
 4 4 2 2 2

π dp b − a (b − a )
=− −
2µ dz 4 4 ln b/a
(b2 − a2 )2
 
π dp 4 4
=− b −a −
8µ dz ln b/a

c)

Sabendo que o fator de atrito f é definido por:

L
∆p = f ρū2 (24)
a

Tem-se que:
a 1
f = ∆p (25)
L ρ ū2
Além disso, no item a, mostrou-se que:

1 dp 2
ū = − a (26)
8µ dz

5
dp
ou seja, colocando dz
em evidência:

dp 8 ū µ
=− 2
dz a (27)
32 ū µ
=− 2
d
Dessa forma, a perda de carga ao longo de um trecho reto de tubulação é dada por:
ˆ ˆ
32 ū µ
dp = dz
d2 (28)
32 ū µ
∆p = L
d2
Substituindo na equação do fator de atrito:
a 1
f = ∆p
L ρ ū2
32 ū µ L a 1
=
d2 L ρ ū2
32 ū µ d 1
= (29)
d2 2 ρ ū2
16 µ 1
=
d ρ ū
16
=
Re

6
Referências
[1] Slides de aula e listas de exercı́cios do Prof. André Von Borries Lopes - 2020/2.