Você está na página 1de 13

c c


 

As raízes do Movimento Nova Era originam-se na fundação da


Sociedade Teosófica em 1875, em Nova York, pela russa Helena
Petrovna Blavatsky. Uma das doutrinas básicas da teosofia ensina
que todas as religiões têm "verdades comuns", as quais transcendem
todas as diferenças. Os adeptos da Sociedade Teosófica acreditavam
na existência de "mestres", os quais seriam seres espirituais ou
homens especialmente favorecidos pelo destino e que haviam
"evoluído" mais do que grande massa , isto é, os que haviam se
tornado especialmente "iluminados".
A terceira presidente, Alice Bailey (1880-1949), uma inglesa que
emigrou para os EUA, estabeleceu o verdadeiro alicerce para o
Movimento Nova Era e é reconhecida como sua suma sacerdotisa.
Como médium espírita, recebia mensagens de um assim -chamado
"mestre da sabedoria", o tibetano Djawal Khul. Estas mensagens, as
quais este demônio lhe transmitia através de escrita automática,
foram publicadas em numerosos livros, como doutrina secreta, e
constituíam o "Plano", o qual até hoje, para o Movimento Nova Era, é
determinante e obrigatório.
A Revelação ao público Conforme ordens secretas, o movimento
deveria permanecer completamente clandestino até 1975. A partir
daquele ano, a ordem era de se trazer à luz do público o "Plano" para
a "Nova Ordem Mundial" e as suas características. Agora as doutrinas
da "Nova Era" deveriam ser divulgadas mundialmente, juntamente
com a anunciação de um "Cristo da Nova Era", usando -se todos os
meios de comunicação disponív eis. E foi exatamente isto o que
aconteceu.
Os programas dos grupos Nova Era, que à primeira vista têm
assuntos sobre um estilo de vida saudável, foram aceitos na
economia e em todas as camadas sociais, até mesmo em alguns
círculos cristãos. Eles contêm, n ormalmente, os seguintes itens, os
quais, no fundo, são diversas formas de técnicas orientais de
ocultismo: meditação (ioga e terapias de relaxamento), hipnose, cura
psíquica (visualização e "pensamento positivo"). Estas duas últimas
partem da hipótese de que o homem converte em vida o que ele
pensa, isto é, que o subconsciente transforma em realidade os nossos
pensamentos e desejos. Especialmente o "pensamento positivo" é
freqüentemente praticado e até mesmo baseado em versículos
bíblicos e denominado como "fé", apesar de premissa anti-bíblica de
que a força básica de qualquer homem seja boa.
A penetração profunda da ideologia Nova Era no público deu -se,
principalmente, devido à obra de Marilyn Ferguson ("A Conspiração
Aquariana"), a qual pode ser considerada, atualmente, como o "livro
de culto" do Movimento Nova Era. Neste livro, a "era prometida",
como as alegrias dos "estados de consciência alterados", é apregoada
com entusiasmo e o Plano Nova Era é propagado mundialmente. Até
mesmo as crianças e os joven s são influenciados pelas idéias da Nova
Era, entre outras coisas pela assim chamada "onda de fantasia", com
seus filmes, vídeos, fitas cassetes, revistas cômicas, livros, jogos e
brinquedos. Sete dos dez filmes mais bem sucedidos na história do
cinema pertencem ao gênero "fantasia". Em primeiro lugar encontra-
se o filme "E.T.", o qual deu início a todo um novo culto da
juventude, e, em segundo lugar, o filme "Star Wars" ("Guerra nas
Estrelas"). Setenta e cinco porcento dos sucessos de bilheteria têm
temas de fantasia. Livros de fantasia são best -sellers e têm tiragens
de milhões de exemplares. Do gênero "fantasia", já existem centenas
de livros de títulos, em quase todos os livros é apresentada alguma
forma de ocultismo, como: invocação aos mortos, esconjur ação de
espíritos, clarividência, levitação de objetos através do poder da
mente, etc. Feiticeiros, bruxas e mágicos têm um papel importante.
Cinturões mágicos, espadas mágicas e amuletos caracterizam o
mundo da geração jovem. Sob a classificação geral de "esotéricos",
oferecem-se, nas livrarias , livros de ocultismo com instruções claras
sobre como se entrar em contato com forças sobrenaturais.

Ô   c 


O objetivo da filosofia Nova Era é reconciliar todos os opostos: a
ciência e o ocultismo são colocados no mesmo nível, todos os valores
éticos desmoronam-se, o bem e o mal já não mais existem. Tudo é
uma coisa só. Deste ponto de vista, entende -se também a tendência
à síntese das religiões.

         c 


O "Plano", o qual foi transmitido a Alice Bailey através de ditados
mediúnicos, consiste no estabelecimento de uma Nova Ordem
Mundial, de um Novo Governo Mundial e de uma Nova Religião
Mundial. O objetivo político principal do movimento é o domínio do
mundo. "A dissolução ou destruição de nações individuais, no
interesse da paz e da conservação da humanidade", é propagada
abertamente.
No caminho para o domínio do mundo são fixados numerosos
objetivos intermediários (políticos, sociais e econômicos), como por
exemplo:
- um sistema universal de cartões de crédito - uma central mundial
para distribuição de alimentos, a qual controlaria todo o
abastecimento à humanidade. - um sistema de impostos
mundialmente unificado. - Um serviço militar obrigatório em escala
mundial (apesar das idéias pacifistas). Quando em 1975 o movimento
se tornou público, destes objetivos desenvolveram -se programas
detalhados para os grupos Nova Era, como: - criação de um sistema
econômico mundial. - Entrega das propriedades privadas nos setores
de crédito, transporte e de produção de gêneros de primeira
necessidade a um diretório mundial. - Reconhecimento da
necessidade de submissão a um controle mundial com relação a
assuntos biológicos, como densidade populacional e os serviços de
saúde. - Garantia mundial de um mínimo de liberdade e bem-estar. -
Obrigação de se subordinar a vida pessoal aos objetivos de um
diretório mundial.

Ô 
A razão por que tem-se ouvido tanto sobre uma nova era
fundamenta-se na crença de que os ciclos divinos de evolução são
desenvolvidos através de diferentes eras astrológicas, cada uma com
sua características distinta. Acreditam que a humanidade evoluiu
dentro das seguintes eras:
Era de Touro: de 4304 a 2154 a.C.
Era de Carneiro: de 2154 a 4 a.C.
Era de Peixes: de 4 a.C. a 2146 d.C.
Era de Aquário: 2146 a 4296 d.C.

A Era de Touro é atribuída à antiga cultura egípcia, que tinha a vaca


como deusa da fertilidade e a pecuária como principal cultura. Os
astrólogos dizem que essa foi a era em que a cultura egípcia se
desenvolveu e foi o centro da civilização.
Com o final da Era de Touro, o domínio egípcio cessou e deu lugar a
Carneiro, o signo que passou a dominar. Os astrólogos dizem que foi
Israel que dominou essa era, devido ao sacrifício do cordeiro, o ritual
mais marcante da religião de Israel, além da ovinocultura (criação de
ovelhas), sua principal cultura. Dizem que a fase de transição entre
as duas eras foi a saída de Israel do Egito, e que os hebreus ainda
tentaram preservar o poder de Touro, quando fizeram o bezerro de
ouro no deserto, mas Moisés (avatar da Era de Carneiro) os
repreendeu e inaugurou a Era de Carneiro. Afirmam que Jesus foi
chamado de "Cordeiro de Deus" (Jo 1.29) porque era filho do povo
dominante da Era de Carneiro.
Jesus Cristo (avatar da Era de Peixes) teria, então, inaugurado essa
era, dando evidência disso ao chamar os apóstolos para serem
pescadores de homens, fazendo alusão à humanidade pisciana.
Por causa de Jesus Cristo, o povo dominante da Era de Peixes seriam
os cristãos. Para provar que o cristianismo é o que domina Era de
Peixes, apegam-se ao fato de que o mais antigo símbolo cristão é o
peixe. Terminando a Era de Peixes surge a de Aquário. Aquário é um
signo regido pelo planeta Urano, que foi descoberto em 1781,
coincidindo com a Revolução Francesa.

     c 


A Nova Era ensina que tudo é Deus. Que Deus não é uma pessoa,
mas uma força, uma energia, uma consciência universal. Os adeptos
crêem que os homens, animais, vegetais e minerais fazem parte da
divindade. Consideram a Terra como uma divindade, a quem chamam
de Mãe-Terra. Refutação: (I Reis 19.11-1)
Este é um breve resumo do "Movimento Nova Era", que serve para o
despertarmento do Povo de Deus.

Fonte: www. elnet.com.br

ð 

Ô ÔÔ  Ô 
Ô Ô

c o existe uma definiç o clara do fenômeno, tampouco se conhece a


sua origem. Quando muito, poder -se-ia dizer que o Movimento da
cova Era é um conjunto de idéias, suposições e práticas preparatórias
com vistas a uma época melhor para a humanidade, onde paz e
alegria reinar o em todos os países. Pelo menos é esta a expectativa
dos que se orgulham de fazer parte do Movimento, ou que s o
acusados de pertencer a ele.

Essa esperança numa Era de Ouro, ou Reino do Milênio, ou Reino de


Paz de Mil Anos, é o elo comu m entre as múltiplas vertentes da cova
Era. Fora isso, ela assemelha -se mais a um agregado nebuloso de
grupos esotéricos, filosofias naturalistas e incontáveis práticas místico -
ocultistas, todas misturadas alquimicamente numa denominaç o única.

As religiões tradicionais, principalmente as crist s, n o têm simpatia


pela cova Era. Vêem-na como um inimigo surgido das sombras e
tratam-na como tal. Há seguramente mais de uma centena de livros
alertando os crist os sobre os perigos a que est o expostos, já que
n o pode haver salvaç o para apóstatas que ajudam a engrossar as
fileiras do exército do Anticristo. Ou dos Anticristos, pois cada novo
dirigente de uma seita ou filosofia é um candidato natural ± e
compulsório ± à Besta do Apocalipse.

Mas a despeito desses anátemas armagedônicos o Movimento


prossegue imperturbavelmente em todo o mundo. Cresce dia a dia,
angariando um número crescente de adeptos, cuja maior dificuldade é
escolher uma das múltiplas portas de entrada, sempre abertas
convidativamente.

c o há como negar que nas últimas décadas houve como que uma
explos o de novas concepções filosóficas de vida, das mais variadas
formas e matizes. E temos de reconhecer que todas elas se opõem, de
uma maneira ou de outra, à ortodoxia religiosa e ao positivismo
científico, as duas grandes barcas consideradas seguras e confiáveis
pela humanidade, que sempre acomodaram os viajantes ³normais´
durante a jornada da vida.
Havia, sim, algumas embarcações menores, que seguiam outras
direções que n o aquela percorrida em senti dos opostos por essas
duas grandes naus filosóficas, mas seu número nunca foi muito
grande, os passageiros eram escassos e as tripulações permaneciam
as mesmas. Eram pouco mais do que jangadas exóticas, que
despertavam alguma curiosidade quando observadas das escotilhas
de um dos dois navios. cada mais que isso.

Agora, porém, o mar encontra -se revolto, repleto n o mais de


jangadas, mas de balsas espaçosas, cada qual seguindo uma rota
diferente. E todas essas embarcações est o comprometidas em levar
seus passageiros diretamente à terra desconhecida da cova Era.

De onde vem esta certeza que faz milhares de pessoas aguardar


ansiosamente uma Era de Paz? Uma Era cujo advento seria iminente?

Esta certeza inquebrantável, que n o se deixa explicar por


ponderações do raciocínio, está gravada nas almas das pessoas.
Indelevelmente gravada em suas almas.

Em tempos remotos, os povos da Terra receberam a notícia de que um


exame aguardaria os seres humanos quando o prazo para seu
desenvolvimento espiritual houvesse terminad o. E os que passassem
pelo exame ± conhecido hoje como Juízo Final ± viveriam ent o numa
Era de Paz, o Reino de Mil Anos. Desta forma, provém daqueles
tempos imemoriais a origem propriamente do saber sobre a cova Era.
As reencarnações posteriores n o apaga ram este saber, pois somente
o corpo muda, e n o a alma do indivíduo.

ca época presente, em que estamos vivendo justamente a última fase


deste exame final da humanidade, tudo quanto estava aderido às
almas aflora repentina e impetuosamente, chegando à cons ciência.
Daí tantas pessoas manifestarem anseio e mesmo convicç o íntima
sobre a chegada de uma cova Era, sem saber exatamente como têm
conhecimento disso. Grande parte delas abandonam ent o as
concepções religiosas e científicas tradicionais e procuram ou tros
caminhos, nos quais a Era de Paz n o é vista como uma utopia
fantasiosa, mas aguardada com uma certeza absoluta.

Contudo, se é certo que os navios da religi o e da ciência n o levam


seus ocupantes à cova Era, já que nem admitem essa possibilidade,
as inúmeras outras embarcações também n o lograr o êxito em suas
empreitadas. A irrefreável decadência espiritual da humanidade, que já
vem de milênios, n o deixa mais reconhecer o rumo seguro para lá.

c o s o dogmas religioso -científicos nem contorcionismos místico-


ocultistas que podem habilitar alguém a transpor o Juízo Final e fazê -lo
ingressar na cova Era. Só existe um caminho para lá, o mais simples e
por isso mesmo o mais desprezado pelo ser humano hodierno, escravo
que é de sua incorrigível presunç o in telectiva.

Este caminho, exaustivamente repetido e explicado pelos profetas dos


tempos antigos, e posteriormente pelo próprio Filho de Deus, Jesus, é
o viver em conformidade com as leis que regem a Criaç o,
sintonizando o pensar, o falar e o atuar no senti do dessas leis
primordiais. Quem hoje cumpre isto, mostra haver -se desenvolvido de
modo certo. Por essa raz o, o modo correto de viver constitui também
a única embarcaç o preparada para a travessia do Juízo Final, capaz
de enfrentar as terríveis tormentas que se avizinham, e de aportar com
segurança na cova Era.


ð
 

c  !"#c""$Ô


Ô   
               
               
           
  
   
 
           

Ô    !      !     

         "     
   !  
    

#$  
 
          % 
  &
'

'  ( ) 

Esta relação de símbolos é uma colaboração do irmão j %

&    

Este número tem qualidades sagradas e por isso, deveria ser


usado com maior freqüência possível para representar a cova
era, segundo os ensinamentos da Alice Bailey, suma -sacerdotisa
da Sociedade Teosófica.

Ô' &
] o símbolo principal da cova Era, mas apresentado só a
metade! Ele representa a ponte entre a alma humana individual e
a "Grande Mente Universal" ou "Alma Universal". Também é
considerado como "Ponte Mental" entre o homem e as energias
cósmicas e a cidade de Shambala. ca Bíblia, o arco -íris é o
símbolo da Aliança entre Deus e o Seu povo.

= =(

A representatividade chinesa do macro e microcosmos e das duas energias


que regem das duas energias que regem o mundo, yin e yang; o feminino e o
masculino; o bem e o mal; a ordem e o caos; - energias opostas que se
complementam. A força intrínseca do Universo convertendo-se ora em uma,
ora em outra.

  ) 

Significa a vida entrelaçada, onde há sempre uma continuidade


em outras encarnações. Também representa o pacto de sangue
entre os nova-erinos, envolvendo pessoas ou organizações. ]
usado para uma melhor obediência entre os aliados do
movimento cova Era.

  

A borboleta é o símbolo próprio dos adeptos da nova era ou dos


"aquarianos". Como a lagarta entra no casulo, transforma -se e
sai em forma de borboleta, assim a humanidade passa de uma
era antiga, transforma-se em todos os sentidos e entra na nova
era.

 ( !*' 

Este sinal é o símbolo da bandeira de Lúcifer. O círculo representa


o planeta Terra como reino de satanás. O ponto s o os homens,
instrumentos a serviço deste reino.


+('&'
] usada pelo movimento cova Era como símbolo da unificaç o
da humanidade com as forças cósmicas.


+(   ,(  )

Formado por dois triângulos entrelaçados (Este símbolo n o é a


"Estrela de Davi", cujos triângulos s o sobrepostos). Simboliza os
processos de involuç o e evoluç o. Com efeito; o triângulo que
aponta para baixo, apresenta a involuç o da energia divina que
desce às formas mais boçais, ao passo que o triângulo voltado
para cima indica a ascens o dos seres quer entendem a se
divinizar cada vez mais.

 ' '   

As duas pontas para cima, significam Lúcifer e seu reino; duas


pontas para baixo, significa o homem como deus, no lugar de
Deus. ] símbolo da adoraç o a Satanás já estabelecida em
várias partes do mundo.

$- 

Usado em colares, pulseiras, brincos, etc. Simboliza o


afastamento de fluídos negativos (mal olhado, olho gordo...).

. '- 

Usado por artistas ligados a um determinado ritmo músical e


seus f s. Simboliza o louvor em rituais satânicos.

$%  +
Usado por grupos de Rock e adeptos da cova Era. Simboliza
zombaria da cruz de Jesus.



Usado por grupos nazistas em roupas, broches, tatuagens, etc.


Simboliza o louvor e invocaç o de satanás.

Ò

] o reconhecimento do poderio de satanás, senhor Sat , e a


disposiç o de estar a seu serviço.

 

Símbolo que mostra que a pessoa que usa tem poder dentro do
satanismo.

!  

Usados em roupas, adereços, artes e também em centros


espíritas. Simboliza poder para transportar através do cosmos.

ð , 

] tida como elemento que capta a energia cósmica e beneficia


as pessoas dando sorte nos negócios.

- !*' 

Simboliza o olhar de satanás sobre as finanças do mundo. ( ver


nota de um dólar).

$%  '

Para o Movimento cova Era simboliza o movimento cósmico. ]


bem conhecida sua conotaç o com a pessoa de Adolf Hitler e
seu movimento nazista que dizimou milhões de seres humanos
na Segunda guerra mundial. ] conhecido, também no Brasil e
em outras partes do mundo, o renascimento deste movimento
nazista. A cruz suástica é inspiraç o de chamberlain, um vidente satânico e
conselheiro de Hitler. Foi ele que inspirou a Hitler as idéias de um reino de
terror e poder.

Ô/ 

O movimento prega a destruiç o de toda e qualquer organizaç o


que n o queira se integrar ao novo sistema. Declara a anarquia
do inferno a essas organizações que resistem à ades o
universal.

$% , ' $%'  .

O nome por si já diz o que significa, qual o seu uso, e o objetivo


do porque usa.

$%$)  +
] uma cruz de cabeça para baixo, também chamada de "pé -de-
galinha". Simboliza a "verdadeira" paz sem Cristo. O pé-de-
galinha é uma cruz com os braços quebrados e caídos. O círculo
representa o inferno. ca década de 60 foi usada pelos hippies;
também foi símbolo de ecologia no mundo, pois representa uma
árvore de cabeça para baixo. E esse símbolo simboliza a Igreja de Sat nos
Estados Unidos.

Ä

Amor à natureza que se expressa através dos movimentos


ecológicos. Urano simboliza a harmonia com o cosmo, adoraç o
à deusa Gaia, o que eles chamam de "Lado feminino de Deus".

Ä '

] o símbolo da liberdade e promiscuidade sexual:


homossexualismo, lesbianismo, heterossexualismo,
fornicacionismo, sexo grupal, etc.

$%' )

Simboliza o desprezo da virgindade, troca da parceiros conforme


a escolha pessoal. A cova Era ensina que a sexualidade é a
parte que purifica o ser humano, eleva o espírito e embeleza o
corpo. ] a volta ao paganismo antigo, cujos "deuses" promoviam
as danças com barulho excessivo, as orgias, a prostituiç o ritual,
etc.

$ j  

Símbolo do fim do casamento representado pela letra Omega,


última letra do alfabeto grego. Os adeptos da cova Era dizem
que o ser humano n o deve pertencer a nenhuma família
possessiva, mas deve ficar sempre livre para buscar outros
parceiros.
ð ' Ò

Simboliza a paz à qual tendem os aq uarianos, na esperança de


que as águas de Peixes sequem para dar lugar à cova Era.

$) 

] um símbolo de zombaria, contrário ao cordeiro de Deus


"Jesus".

'-

Usada principalmente em automóveis. ] uma gota de sangue em


zombaria ao sangue redentor de Jesus.

c 

Simboliza a transformaç o das crenças. A cruz para baixo


significa que todas as crenças ser o destruídas para que o
planeta Terra seja governado por Maitreya o "covo Messias".

ð .

Simboliza a "uni o planetária, construç o da "Aldeia Global", é o


novo nascimento do planeta Terra com a uni o sem fronteiras,
acima de credos, cor e raça. Simboliza também a "paz universal "
dentro da nova era.

- !*' 


Usado em roupas e outros meios. Simboliza o olho de satanás
vendo tudo e chorando por aqueles que est o fora do seu
alcance (judeus e crist os principalmente).