Você está na página 1de 11

REFORMA PSIQUIÁTRICA

ITALIANA E BRASILEIRA

Aline Carrilho Menezes


Reforma Psiquiátrica Italiana
 Franco Basaglia- Diretor do Hospital Psiquiátrico de Gorizia (Itália)

 Agosto de 1971- Assume a direção do Hospital Psiquiátrico de Trieste


(Compresorio San Giovanni), contendo 1.182 pacientes internos.

 Segundo o mesmo “hospital psiquiátrico não tem valor de cura, pois é o


produtor da loucura.”
 No modelo de comunidade terapêutica, Basaglia produz uma progressiva
abertura e transformação no hospital Psiquiátrico até a construção de uma rede
de serviços territoriais alternativos e substitutivos.

 Criou o Serviço de voluntariado, realizava assembléia com os pacientes,


contribuía na formação dos profissionais da enfermagem, aboliu a
eletroconvulsoterapia, contenção mecânica, e constrói grupos de convivência
(grupos de apartamentos)

 Em 1973- 1a. Cooperativa de trabalho com 60 pacientes (trabalho na limpeza,


cozinha e parque) com contrato sindical.
 Inaugura-se a Associação cultural, laboratório de
pintura, escultura, teatro e escrita.
 Participação das atividades recreativas da cidade.
(Trieste).
 Início de 1975- 846 pacientes reabilitados morando
fora do hospital (família, grupo, apartamento, casa
popular), nenhuma transferência para outra
instituição. Em 1977- 433 pacientes internos.
 Em 13 de maio de 1978 é aprovada a Lei 180 que
institui um modelo de assistência absolutamente
inovador.
 Em 1980, o hospital é fechado, e falecimento de
Basaglia.
 Em 1995, rede de serviços composta por
cinco Centros de Saúde Mental, contando
com uma equipe multiprofissional.
 Cria-se o Departamento de Saúde Mental,
sob a direção de Franco Rotelli.
MOVIMENTO DA REFORMA PSQUIÁTRICA
NO BRASIL

 Em 1978- acontece o V Congresso Brasileiro de


Psiquiatria no Rio Grande do Sul.
 Em 1979- I Encontro Nacional de Trabalhadores de
Saúde Mental (SP), com a participação de Basaglia-
questionamentos acerca da hegemonia. No mesmo
ano acontece o III Congresso Mineiro de Psiquiatria
com a participação de Basaglia.
 1987- I Conferencia Nacional de Saúde Mental-
fiscalização do tratamento em hospitais, comissão
multiprofissional para avaliar as internações
compulsórias.
 Em 1987- II Congresso Nacional de TSM (Bauru)-
“Por uma sociedade sem manicômios”- 18 de maio
(Dia Nacional da Luta Antimanicomial) –Denúncia.
 Em 1989- Projeto da Lei Federal n º 3657, do
Dep. Federal Paulo Delgado, dispõe sobre a
extinção progressiva dos manicômios e sua
substituição por outros recursos
assistenciais.
 Em 1990- Regulamentação do SUS (Leis
federais n º 8080 e 8142).
 É pautada nos princípios do SUS.
PRINCIPIOS DO SUS
 Integralidade
 Universalidade
 Equidade
 Hierarquização (Primário, Secundário e
Terciário)
 Descentralização ou regionalização
 Participação popular
 Em 1992- II Conferencia Nacional de Saúde
Mental (reestruturação da atenção em saúde
mental do Brasil: modelo assistencial e direito
à cidadania.
 Em 2001- III Conferencia de Saúde Mental
quando a Lei Federal 10216 foi aprovada.
PRINCÍPIOS PARADIGMÁTICOS

 Segregação
 Tutela
 Exclusão Social
Mudança:
-Cidadania (agregação de valores)
-Solidariedade.
-Inclusão.
DIMENSÕES

 1) Teórico- conceitual: Mudança de


conceitos.
 Loucura- origem orgânica
 Loucura (sofrimento mental)- multifatorial

2)Técnico- assistencial:
 Extinção dos hospitais psiquiátricos
 Serviços terapêuticos abertos
3)Jurídico- Político
 Portaria 2002 norteia os CAP’s
4)Sociocultural
 Resgate da cidadania,
 Direitos
 Escolha profissional
 Educação
 Lazer
 Reabilitação Psicosocial
 (Família- Sociedade- Trabalho)