Higiene e Profilaxia nas diversas fases da vida Curiosidades sem entrar em meritos religiosos: Os habitos pessoais da nação de Israel

fizeram dela um povo comparativamente sadio, apesar de suas andanças nômades no ermo, por 40 anos. As leis de Deus, que governavam a vida no acampamento, inclusive a diagnose e o tratamento de doenças, inquestionavelmente eram responsáveis por isso. Neste arranjo se enfatizava a necessidade de água limpa. Regulamentos precatórios governavam o manejo e a eliminação de cadáveres. Quarentenas atuavam como barreiras contra a disseminação de doenças contagiosas. A eliminação de dejetos por se enterrarem os excrementos era um requisito sanitário bem a frente dos tempos. A exigência de freqüentes banhos e da lavagem de roupas também era uma provisão que constava no código de leis daquela nação. A palavra hebraica Ra-hhats e traduzida quer tanto por banhar quer por lavar, e aplica-se ao corpo humano e a outros objetos que são limpos por serem mergulhados (imersos) em água. Por vário motivo se requeria um banho cerimonial por parte dos israelitas em geral. Aquele que se restabelecesse da lepra, aquele que entrasse em contato com coisas tocadas por alguém que tivesse um fluxo, o homem que tivesse uma emissão de sêmen, a mulher apos a menstruarão ou uma hemorragia, ou todo aquele que tivesse relação sexual era impuro e tinha que ser purificado com água. Quem se negasse a acatar esse regulamento tinha de ser decepada do meio da congregação. Coisas que causavam impureza: Emissão de sêmen: Pessoa tinha que banhar-se e ficava impura ate a noitinha. Roupa tocada pelo sêmen tinha de ser lavada e ficava impura ate a noitinha. Marido e esposa, depois de terem relações sexuais, tinham de banhar-se e ficavam impuros ate a noitinha. Parto: Mulher ficava impura por sete dias depois de dar a luz um menino, mais 33 dias (os primeiros sete dias, impura para tudo, como na menstruarão; 33 dias impura apenas quanto a tocar em coisas sagradas, tais como as refeições sacrificais ou entrar em local santo). Se a criança fosse menina, mulher ficava impura 14 dias, mais 66. Mentruacao da mulher:

Mulher ficava impura por sete dias na menstruarão regular; durante todo período da perda anormal ou continua de sangue, mais sete dias. Durante sua impureza, tudo em que ela se sentasse ou em que se deitasse ficava impuro. Pessoa que tocava nela ou em sua cama, ou naquilo em que ela se sentasse, tinha de lavar suas roupas e banhar-se, e ficava impuro ate a noitinha. Proteção contra doenças. Lepra e outras pragas: O sacerdote denominava se era lepra ou não. Pessoa ficava de quarentena por sete dias e, dai era examinada; se a praga cessara, ficava mais sete dias de quarentena; se a praga não se espalhara, era declarada limpa; se a praga se espalhara era lepra. Se leprosa, as roupas da pessoa eram rasgadas, seus cabelos não eram arrumados, devia cobrir o bigode ou lábio superior. Morava isolada fora do acampamento ate que a praga fosse curada. Secreção genital (devido à condição doentia): Cama ou objetos sobre os quais tal pessoa se sentasse ou deitasse era considerados impuros. Quem quer que toque na pessoa infectada, em sua cama, ou em qualquer coisa em que ela sentasse, ficava impuro, ou se a pessoa infectada cuspisse em outra, esta seria considerada impura. Depois da secreção se cessar, a pessoa ficava impura por sete dias. Regulamentos sobre o corpo de pessoas falecidas: Tocar no cadáver, nos ossos ou no sepulcro dum humano, tornava a pessoa impura pó sete dias (mesmo quando em campo aberto). Morte era a pena pela recusa de purificar-se Sob a Lei mosaica referente a cadáveres havia graus diferentes de impureza: tocar num animal morto tornava a pessoa impura apenas por um dia; tocarnum homem morto resultava em impureza por uma semana. No primeiro caso, exigia apenas -se que a pessoa lavasse as vestes, ou caso tivesse comido um animal que morrera por si são ou que fora dilacerado por um animal selvagem, então tinha de banhar-se, alem de lavar as vestes. Para quem tocasse num cadáver humano, era necessário realizar uma cerimônia de purificação mais complexa. Ser sadio e estar apto para a vida, isto e, trabalhar, praticar esportes, estudar, divertir-se, alimentar-se adequadamente e crescer. A medicina preventiva e que procura promover a saúde, isto e, cuidar para que os indivíduos sadios continuem sadios e que aqueles com doenças contagiosas não as transmitam aos sadios. Cuida também de preservar a saúde das comunidades, fazendo a prevenção de acontecimentos que colocam em risco a saúde das pessoas. Temos que nos preocupar em preservar e promover nossasaúde. O ser humano e de tal forma tão complexo e delicado que sua saúde depende de muitas coisas. Higiene A parte da medicina que estuda os meios próprios para conservar a saúde, permitindo o funcionamento normal do organismo e a harmonização das relações entre o homem e o meio no qual vive. Dentre as condições desejáveis para uma habitação higiênica, temos como necessário o ar puro isenta de poeiras, gases tóxicos e de germes tóxicos.

A iluminação solar e outra condição básica, pois mata os micróbios. Todos os cômodos devem ser rigorosamente limpos diariamente, para isso e preciso uma atenção especial com o lixo domestico que não deve ser acumulado. Deve haver em todas as casas medidas que visa proteger a saúde da população, chamado de saneamento básico, os principais serviços desta este relacionado com: o abastecimento de água (a água deve ser tratada antes de ser utilizada pela população. Geralmente existem nas cidades estações de tratamento, onde a água e tratada e purificada antes de chegar às casas, nos lugares onde não ha, a água deve ser filtrada, fervida ou clorada); coleta de lixo (o lixo polui o solo e a água. Devemos: colocar o lixo em sacos plásticos ou em latas tampadas, colocar os sacos ou as latas em locais apropriados, a fim de serem recolhidos pelos coletores e enterrar o lixo onde não houver serviço de recolhimento); rede de esgotos. Indispensável a saúde, pois condiciona o funcionamento da pele. Alem do banho diário e do cuidado com os cabelos, rosto, ouvido, nariz, boca, mãos e pés, exercícios físicos são importantes para manter o bom funcionamento do organismo. HIGIENE DA MULHER Com exceção da gravidez, o corpo não muda fisiologicamente e as preocupações sobre saúde se concentram na sexualidade, na reprodução e na prevenção de acidentes. Ou muitas mulheres adiam o casamento e tem, às vezes, mais de um parceiro sexual antes do casamento. Uma vez casada, adia a gravidez. Conseqüentemente, a escolha de um método de controle de natalidade e a maior preocupação, como também a prevenção de DST. Durante os 20 e 30 anos, e tentador ignorar algumas praticas generalizadas de saúde, uma vez que as conseqüências como vida sedentária, por exemplo, ou a ingestão de alimentos ricos em gordura não é imediata. Mais cedo ou mais tarde, os habitos nao-saudaveis terão um impacto na saúde, começando do excesso de peso. Problemas de Saúde Aumentam de peso: O excesso de peso associa-se a doenças, incluindo as cardíacas, hipertensão e diabetes. A chave para o controle de peso com êxito não e apenas a quantidade de calorias com sumidas, mas também as calorias que são queimadas através de atividade física. Câncer de mama: O risco aumenta com a idade, e mais comum em idosas, mas mulher jovem também pode contraí-la. Ter habitos alimentares saudáveis, não fumar, beber pouco ou nenhum álcool, pode ajudar a diminuir o risco. Todas as mulheres devem examinar seus seios mensalmente. Câncer no ovário: E mais comum na faixa dos 50 anos e acima. Como e difícil de ser identificada, raramente e curada. Pesquisas mostram que os anticoncepcionais reduzem muito o risco de contrair, embora ninguém entenda porque mesmo mulheres que tomam pílula por pelo menos seis meses, já diminuem seus riscos. A proteção permanece por muitos anos. Câncer de comum: E a terceira causa mais comum de mortes. Ingerir bastantes fibras através de alimentação pode ajudar a proteger as pessoas contra a doença. Pessoas com 50 anos ou mais, deve-se submeter regularmente a exames para

a terapia de reposição hormonal. Também e importante que as mulheres na pos-menopausa consumam quantidades suficientes de cálcio. Para que corpo e mente se mantenham sãos. Para mulheres. Se uma mulher esta planejando ficar grávida. podem usar os métodos naturais comocoito interrompido ou abstinência periódica. o médico devera indicar uma dieta especial. diafragma e o diafragma cervical. O medico deve orientá-la sobre como lidar com seus próprios problemas de saúde antes de ficar grávida. Esse oferece proteção pelo período de cinco anos. que liberam fluxos baixos e permanentes de um hormônio que impede a ovulação. Outras formas de progesterona podem ser liberadas via implante ou via injeção de longa duração. e importante: Dormir pelos menos oito horas por dia .identificar a doença. São eles: contraceptivos orais(ou pílulas) e as minipilulas que contem somente progesterona. Se estiver com excesso de peso. que se baseia no monitoramento da ovulação e abstinência sexual nos períodos férteis. reduz a quantidade do sangramento e alivia as contrações (câimbras) musculares. Assim como em qualquer idade. Ha dispositivos que podem permanecer no útero de 5 a 8 anos. São eles: preservativos. torna os períodos de menstruarão mais regulares. Um deles e o implante. dentre outras. Esterilização cirúrgica: Para as mulheres. a obtenção de um contraceptivo requer uma visita ao medico. na posmenopausa. Alteram o ambiente uterino ou inibe o transporte do esperma. Esses métodos apresentam alta taxa de risco. desde que usados corretamente. Osteoporose: Principal fator e a idade. como períodos menstruais mais regulares. outros métodos vem sendo melhorados beneficiando as usuárias com outras vantagens alem da contracepção. estes métodos impedem o esperma de entrar em contato com o ovulo. Outros tipos: Métodos que impedem o contato: Usados durante o ato sexual e aplicados antes dele. ou TRH. Exceto pelos preservativos e espermicidas. Ele também deve orientar sobre os cuidados pré -natais. O único método que de fato protege contra as DST são os preservativos de látex. Alem disso. deve antes consultar um medico para realizar um exame completo. Ha também métodos hormonais muito eficazes e de longo prazo. acelera-se rapidamente apos a menopausa para mulheres. pode ajudar a evitar ou reverter à osteoporose da mesma forma que os exercícios com peso. quando as tubas uterinas são amarradas para impedir o transporte do ovulo. O outro e uma injeção que dura cerca de três meses. Nada supera as pílulas em segurança e confiança. isso significa uma ligadura cirúrgica. a mulher também necessita de se preocupar com sua higiene mental. Alem disso. Mas a perda óssea causa a osteoporose. Contracepção hormonal: Compreendem os hormônios sexuais modificados para imitar a supressão natural da fertilidade. que consiste capsulas minúsculas. Opções de Controle de Natalidade As mulheres que relutam em usar um método clinico de controle de natalidade. Dispositivos intra-uterinos (DIUS): São pequenos dispositivos feitos de prático inseridos no útero.

a mulher deve manter o peso. os dois principais hormônios femininos. o Entretanto a redução de estrogênio pode acarretar vários efeitos. O interesse da mulher em sex pode aumentar. Aumento do Peso: Muitas mulheres ganham peso e uma redistribuição de gordura. A menopausa e normal. Menopausa Em algum momento quando a mulher esta na faixa dos 50 anos. Ela pode externar algumas preocupações como. Praticar algum tipo de esporte e exercícios físicos regularmente Os exercícios exercem sobre os músculos os seguintes benefícios: aumento de forca e resistência. Intervir não somente fatores físicos para produzir esse aumento de vitalidade.esse problema e conhecido como osteoporose e pode levara fraturas debilitantes mais tarde. alem de produzir um melhor tono muscular. A menopausa e parte de um processo biológico. Mesmo o ganho de poucos quilos pode aumentar o risco de pressão alta. Essa melhor circulação facilita o trabalho de eliminação do rim e melhora a circulação do fígado e da pele. aumento da quantidade de sangue arterial. Cerca da metade de todas as mulheres entram na menopausa em torno de 48 anose aos 52 anos. evita-se o acumulo de gordura no corpo. ou se ficar mais de 8 semanas sem umperíodo. Algumas mudanças são positivas: acabam-se as cólicas menstruais. alguns dos quais descrevemos abaixo: Períodos Irregulares: A irregularidades e a mudança na quantidade do fluxo sanguínea são. Densidade Óssea: Ha uma diminuição na massa óssea fazendo com que os osso se s tornem mais finos e mais frágeis. aovulação e os períodos menstruais param. por exemplo. e não uma doença. 85% terão chegado à menopausa. Mudanças de Humor: As mudanças de humor podem levar a depressão.Ler bons livros e escolher diversões sadias. . Podem também ser uma conseqüência dos novos papeis que a mulher assume nesse estagio da vida e pelos velhos papeis que abandona quando os filhos vão embora de casa por exemplo. mas. Cultivar amizades boas e sinceras. medo do envelhecimento ou de perder a feminilidade ou a sexualidade. uma transição saudável na vida. debite do tipo 2 e alguns tipos de câncer. não ha necessidade de contraceptivos e a preocupação com gravidez acabam. Para evitar ou retardar o inicio da perda óssea. Os principais sintomas óbvios da aproximaçãoda menopausa. fatores emocionais e mentais. Assim sendo. e importante ingerir quantidades adequadas de cálcio e fazer exercícios físicos reguladores com peso. As causas ainda não foram identificadas com certeza: podem ser um resultado das flutuações hormonais ou podem ser deflagradas pelos sintomas da menopausa (comocalorões e pertubarcoes no sono). concentrada no abdômen. doença cardíaca. que começa aproximadamente cinco anos antes. A mulher deve procurar o medico se houver sangramentos entreperíodos. quando os ovários começam a produzir cada vez menos progesterona e estrogênio. melhor arejamento dos pulmões. efeito especialmente valioso e o aumento da vitalidade que se observa quando se faz exercício com regularidade. facilitação da circulação do sangue. Entretanto algumas mulheres entram na menopausa quando ainda estão na faixa dos 40 anos. também. se for excessivo ou prolongado.

em media. Os dentes requerem uma atenção especial. O álcool. recomenda-se uma dieta pobre em sal e aquelas cuja pressão arterial for alta. não e aconselhável. principalmente em locais profundos. A higiene pré natal e acompanhada pelo obstetra. particularmente dos genitais externos são muito importantes. Realiza-se o exame clinico. O exame de sangue tem por finalidade determinar o grupo sanguíneo. pois o fumo e agente casual de partos prematuros e o numero de cigarros consumidos por dia esta em relação direta com a diminuição do peso fetal. A dieta adequada e um fator muito importante durante a gravidez. O exercício moderado e recomendável. Os seios devem ser lavados diariamente com água fria. devido ao maior risco de câimbras musculares nas gestantes. se houver secreção de alguma quantidade de liquido eles devem ser recobertos com gaze esteriliz ada. períodos de seis semanas antes e seis semanas apos o parto. sua primeira tarefa e compor um quadro do estado de saúde da gestante. São aconselháveis passeios tranqüilos duas vezes ao dia em terreno plano. durante a gravidez e comum o acumulo de tártaros. Os habitos de ingerir bebidas alcoólicas e de fumar devem ser evitados. e em algumas vezes os dentes se tornam frouxos em seus alvéolos. no Maximo. embora deva ser rica em ferro. O aparecimento de gengivite e comum. As crostas que porventura se formarem podem ser removidas comágua morna. Na legislação brasileira são concedidos 120 dias. Os cuidados higiênicos corporais. trás benefícios para a circulação e a respiração da gestante. A qu antidade de alimentos consumidos nos devem ser excessiva. As mulheres com tendência a retenção hídrica. a pele das dobras dos genitais deve ser cuidadosamente tratada. Trinta antes e noventa apos o parto. de oito horas de sono à noite e uma suplementar depois do almoço. A gestante necessita. O exame de urina tem por finalidade a verificação da presença de proteínas e açúcar. verificação de doenças como: sífilis. A legislação trabalhista de diversos países dispõe a obrigatoriedade de conceder a gestantes períodos de descanso antes e depois do parto. o crescimento. de sangue e urina. cálcio e vitaminas e pobre em gorduras. A natação. .Higiene da Gestante Recomenda-se em geral que a mulher grávida não modifique sua rotina de vida. praticamente sem sal. toxoplasmose. Os diferentes códigos costumam estabelecer. O obstetra controla o aumento de peso da gestante (que devealcançar. a posição e o ritmo cardíaco do feto. 400 a 500g por semana). por sua vez passa diretamente ao feto pelo fluxo sanguíneo e pode prejudicar seu desenvolvimento. o tipo de Rh da mãe. Se houver aparecimento de eritema (vermelhidão) ou de secreção anormais. Deve-se evitar a carie dentaria e a deficiência de flúor. Os mamilos devem ser massageados para evitar a formação de rachaduras. e bem enxugados.

Varizes: à proporção que o útero cresce. Prisão de ventre: sua causa. Neste caso. Anemia: provocada pela queda do nível de hemoglobina. O outro e quando a gravidez e provocada por estupro. sua postura vai se modificando.e o filho Rh+. A gestante devera fazer um exame de tolerância de glicose. deve-se evitar alimentos gordurosos. E importante ficar bom tempo sentada. O organismo fica debilitado na necessidade de uma reação contra uma hemorragia. Hipertensão arterial: fazer exames de sangue e urina. o fluxo sanguíneo das veias da perna incha provocando dores. A maneira de evitar a obstinação e comer alimentos fibrosos. o relaxamento do músculo ajuda a fechar a parte superior do estomago junto ao esôfago. alem do conforta a penetração não será tão profunda. antes ou apos o parto. assim permitem maior dilatação da pelve na ocasião do nascimento. e aconselhável parar com suas atividades sexuais. Deve-se manter o peso em condições razoável. a dilatação do útero desloca o centro do equilíbrio da espinha dorsal. Dores nas costas: os ligamentos e o tecido fibroso que estreitam fortemente as articulações ficam mais maleáveis e. Se em suas mais recentes gestações aconteceram abortos espontâneos repetidos. No ultimo mês de gravidez e preferível que tenha relações sexuais de lado. para evitar esforço do coração. ao erguer objetos pesados. filhos de mães com diabetes. no período que compreende o terceiro e o quarto mês. A falta de ferro e causador da anemia. tomar líquido. Em casos permanentes depressão alta. os médicos defendem o parto através de cesarianas. Azia: acentuada ardência no peito e no abdômen superior seguida de mau hálito. levados pelo fluxo sanguíneo através da placenta. A gestante jamais devera ingerir qualquer medicamento sem orientação medica. Mas ocorre somente se a mãe e Rh. indo ao banheiro sempre que necessário. inclinar os joelhos e exercícios físicos com orientações é aconselhável. o medico pode decidir por aborto. Assim permite a entrada no esôfago de ácidos digestivos. Acontece . manter ospés elevados e usar meias de descanso. As refeições leves são preferidas e em curtos espaços de tempos. O menor consumo de sal e aconselhado. e fazer pequenas e freqüentes refeições. e a flacidez apresentada nos músculos do aparelho digestivo devidos aos hormônios. Rh incompatível: a incompatibilidade surge quando a mãe tem um grupo sanguínea Rh diferente do filho. o cigarro e um habitam que deve ser abolido. caso a gravidez seja tranqüila deve-se manter normal. Aborto: a constituição dos pais é permite o aborto em dois casos: quando a gravidez coloca a mãe sob risco de vida e não ha condições de salvar as duas vidas. À medida que a gravidez avança. todo medicamento deve ser indicado por um medico especialista. medir constantemente a PA. Problemas cardíacos: o descanso e primordial. o pa rto tem que ser o mais fácil possível. que pode chegar a 15% dos que nascem.A atividade sexual do casal. Diabetes: uma parcela de bebes. Problemas na Gravidez Náuseas e vômitos: costuma se manifestar ate o período entre o quarto e o quinto mês. diminuindo o risco de um trabalho de parto prematuro. responsável pelo transporte de oxigênio para os tecidos do corpo. Muitos remédios podem passar para o feto. morre. embora certos cuidados devam ser tomados.

a higiene intima com água e sabão. deve ser feita freqüentemente em conseqüência aos processos de laqueação e episiotomia. não e recomendado o uso de pomadas e outras substancias consideradasanti-séptica sem prescrição medica. A higiene corporal devera ser normal. Adotar medidas profiláticas. Ha o risco do bebe nascer com problemas de audição ou doença cardíaca. catapora ou tuberculose ativa não devem amamentar. com banhos de aspersão. O medico devera fazer exame pélvico na mulher 4 ou 6 semanas apos o parto. durante o qual o aparelho reprodutor da mulher retorna ao seu estado normal. que tentam entrar na circulação sanguínea. Preenche todas as necessidades nutricionais nos primeiros seis meses de vida. Um soro chamado anti-D. incluindo a lavagem dos cabelos. induzidas pela queda brusca nos níveis de estrogênio e progesterona produzidos pela placenta durante a gravidez. As mulheres que estão tomando algum medicamento que passam para o leite. Dura normalmente de seis a oito semanas e termina com a primeira ovulação. . A mudança própria do período puerperal tem inicio logo apos o parto. Na amamentação. destrói os glóbulos vermelhos. uma vez que os bebes se dão bem com leites especiais. o período de estabelecimento que se segue ao parto. não ha indicação de dieta especial exceto por indicação medica. seguida da primeira Mentruacao pós-parto. quando um pouco de sangue da criança entra na circulação genitora. HIGIENE DA PUERPERA Denomina-se puerperio. mulheres infectadas com HIV.na hora do parto e muitas vezes apos o aborto. O bebe pode desenvolver um problema conhecido como: anemia hemolítica e icterícia neonatal. especialmente melhoria das condições sanitárias. Rubéola: uma das doenças que causam mais problemas ao feto. A dieta deve ser normal. por possuir inúmeros mecanismos de defesa A amamentação no peito também ajuda o útero da mãe a voltar ao tamanho normal e o contato entre a mãe e o bebe oferece a criança um vincula psicológico com a mãe. Evita infecções. O medico também devera orientar sobre quando ela pode retornar sua atividade sexual (geralmente 3 semanas apos o parto) e as medidas que pode tomar para evitar outra gravidez imediata (a amamentação não impede outra gravidez). A mulher que escolhe não amamentar ou não pode fazê-lo não deve se sentir culpada. Um exame minucioso do sangue e uma vacina injetável irão imunizar a gestante com uma forma amena da doença. salientar a importância do aleitamento materno: Alimento perfeito sob o ponto de vista bioquímico.

dura em media 6 semanas. Laqueação: e a perda de sangue através do canal vaginal. pois a sucção estimula a contração uterina. Nas mulheres que amamentam este processo e mais rápido. na maioria das vezes. passando para o marrom e o amarelo. Infecção puerperal: propiciada pela manipulação excessiva no trabalho de parto prolongado. talvez pela fadiga. mas algumas mulheres ficam tão deprimidas apos o parto que não conseguem cuidar de si próprias e da criança. Se isto ocorrer. Mentruacao: quando a mulher amamenta. Conversar com outras mães também ajuda a superar essa fase. laqueação ferida. Alegria e sensação de alivio é parte deste espectro emocional. Sua coloração inicia-se vermelho. Se. a Mentruacao retorna apos o 4 mês. que devera ajudá-la a trabalhar seus sentimentos. o que ajuda a diminuir os sentimentos de tristeza. As depressões mais severas são raras. Divide-se em dois . o uso de antibióticos reduziu drasticamente a mortalidade. tornando raro este tipo de infecção. O apoio dos demais membros da família e importante. e normal a mãe experimentar uma serie de diferentes sentimentos. HIGIENE DA CRIANCA Os cuidados dispensados as crianças nos primeiros anos de vida e mesmo antes do nascimento são decisivos para reduzir significa mente os índices de mortalidade infantil e para propiciar crescimento saudável. ajudando a mãe a cuidar do bebe. sentir-se muito oprimida. mas e comum também que algumas mães sintam-se inexplicavelmente tristes. ha uma mínima chance de a infecção atingir a corrente sanguínea causando a intoxicação do sangue. intelectual e psicológico. hipertermia. deve conversar com o medico. etc. As depressões desta natureza são mais evidentes no primeiro mês apos o parto. Estes sentimentos intermitentes se desenvolvem alguns dias apos a criança já estar em casa. se não descoberta e tratada a tempo. restos placentários. pelas mudanças hormonais ou emocionais. E importante a mulher não se cansar muito. Puericultura e o conjunto de recursos empregados para assegurar o bem -estar da criança e seu perfeito desenvolvimento físico. Refere-se basicamente a alimentação. a mãe deve procurar atendimento especializado imediatamente. ou recomendá-la a uma pessoa especializada no assunto.Os principais problemas clínicos associados ao puerperio: Depressão: Apos o nascimento da criança. podendo persistir por varias semanas. Fenômenos fisiológicos do puerperio: Involução uterina: esta completa por volta da sexta semana do pós-parto. a higiene e a prevenção de doenças. instrumentos não esterilizados. tornando embranquecida no final do processo. A febre puerperal foi à principal causa de óbitos de parturientes ate o século XIX. O quadro clinica caracterizado por indometrite.

A água será na temperatura de 36 graus. A alimentação tem inicio de 12 a 24 horas apos o parto. leite puro. a substituir parte do leite por outros alimentos:cereais. Nas meninas separar os grandes lábios fazendo a limpeza que deve ser feita da frente para trás para evitar levar germes dos anus para a vulva. escolher uma pasta de dente muito suave. o banho na hora de deitar ajuda passar a noite tranqüila. especialmente antes das refeições. segurar a criança com o Mao e o braço esquerdo e com o Mao direito passa-se em pano macio e limpo. pré natal e natal ou intranatal. Segurar a criança com suavidade. Em tempo frio. limpar com um cotonete. A puericultura previa subdivide-se em pre-concepcional ou pré-nupcial. para verificação do crescimento e desenvolvimento. levar a criança ao medico que tratara o caso. aplicação de vacinas e para identificar no inicio anormalidades física e emocional. Nunca deixe a criança sozinha na água. A queda do cordão umbilical ocorre por volta do sétimo dia. bicos etc. Qualquer carie deve ser tra tada. prescrições higiênicas. nem esterilizar o recipiente. E conveniente deixar a criança sem roupa antes do banho para movimentar-se e colocá-lo em varias posições para que utilize diversos grupos de músculos. Fazer a limpeza do rosto. tiveram alimentação correta. nariz e ouvidos evitando quevai sabão aos olhos. e puericultura pontal. usarem sabonete suave. tendo especial cuidado nas pregas. mas com segurança. Deve-se ensinar a criança a postura correta na infância. durante a gravidez a lactação e a criança durante o seu desenvolvimento. ensaboando pelas varias partes do corpo. geralmente de manha. Se a mãe. de forma gradual. fígado. no caso que não seja possível. A partir do quinto mês começa. Nos meninos e preciso puxar o prepúcio para trás. gema de ovo. nos primeiros meses o lactente e incapaz de suportar o peso da cabeça por isso e necessário suste-lo pela nuca quando levantado. Quando a criança e nervosa. E indispensável que a criança seja submetida a exames de saúde periódicos. carne. enecessário aquecer o quarto a temperatura de 20 a 22 graus. E indispensável ainda a limpeza meticulosa de todos os utensílios empregados na alimentação como mamadeiras.grandes ramos: puericultura previa que se refere à fase da gestação. Mudam-se as fraldas sempre que estiverem molhadas. Higiene do recém-nascido: E aconselhável que o bebe seja posto num banho morno de assento. Deve-se ensinar a criança a escovar os dentes com uma escova pequena e macia. frutas. não e mais necessária utilizar água fervida. Deve-se fazer o possível para estimular a alimentação materna. Pode-se banhar a criança no horário mais adequado para a mãe. posições incorretas podem . legumes. Se houver secreção ou crostas no nariz. Manter as unhas curtas. Deve-se fazer diariamente a limpeza dos órgãos genitais antes do banho para evitar a acumulação de uma substância esbranquiçada e cremosa que causam irritação e coceira. PRIMEIRA INFANCIA O banho e o principal meio de higiene para os lactentes. da mesma forma a orelha e o ouvido se forem observado cerume. Do sexto mês em diante Da. e muito provável que as caries sejam poucas. Lavar varia vezes ao dia as mãos. E conveniente ter tudo a Mao para não ter que ir buscar coisa depois de por no banho a criança. olho.

E nesta idade que a alfabetização constitui uma revolução nas atividades infantis. . No nono mês a criança já pode brincar co os brinquedos no cercadinho. com a idade certa e estar com o cartão de vacina em dia. Deixar as crianças brincar ao ar livre. receber luz solar sem excesso. não colocá-la direto na pele e evitar roupas apertadas. Por isso devem-se vacinar as crianças nas datas certas. Ter sempre a Mao peca fácil de sentir ou despir. Em tempo frio colocar quantidade suficiente. Enquanto criança for pequena o colchão deve ser protegido por tecido impermeável. E previsível que a criança tenha seu próprio quarto que deve ser ventilado. A ingestão de doces deve ser controlada para não interferir no apetite e para preservar a saúde dentaria da criança. evitar ladrilho. a criança deve ser treinada para o controle da evacuação e da micção. paredes lisas e laváveis. Alguns bons habitos que devem ensinar aos filhos: Descansar sem interrupção a noite toda Obediência Comer corretamente Ordem Domínio sobre a bexiga e o intestino Habitos que devem ser evitados: Chupeta Chupar dedo Bater que ando contrariada Ataques de fúria Masturbação Chorar para ir ao colo SEGUNDA INFANCIA O período que se estende aos seis anos de idade e denominada Segundainfância e marcada pelo desenvolvimento da inteligência e da sensibilidade da criança. Apos os quatro anos a sesta deve ser mais curta para não atrapalhar o sono noturno. receber sol a principio por pouco tempo e ir aumentando gradualmente. Depois pode ser uma cama com grades laterais. umidade atual. Deve-se evitar o excesso de roupas que a faz transpirarem favorecendo resfriados. Ao vestir a criança estar atento a temperatura. Os números e as letras tomam o lugar dos brinquedos e o brincar individual e substituído pelo de grupo. No quarto mês alguns brinquedos campo chocalho. Usar roupas de algodão. boneco de borracha pode ajudar a criança exercitar sentidos e movimentos. cor clara. vento. E conveniente imunizar a criança contra diversas enfermidades. O calcado deve adaptar-se bem ao PE para evitar deformações. Durante os primeiros meses a criança pode dormir em seu carrinho ou berço. Aos 18 meses já pode brincar ao ar livre. mas não excessiva de cobertores. Ate a idade escolar e conveniente que a criança durma a sesta. No verão usar roupas leves e ventiladas. Nos dias frios evitar que as pernas fiquem descobertas.deformar o esqueleto da criança. Apos o segundo ano de vida. pois e muito frio. se a temperatura diminuir ou aumentar.

A pele do escroto e do pires escurece e em um ano. TERCEIRA INFANCIA Vai do sétimo ano ate a puberdade. Muitos rapazes cre scem de 7 cm a 9 cm por ano. As glândulas podem causar mau cheiro embaixo do braço. o e padrão e a espessura dos pelos variam consideravelmente de pessoa para pessoa. engrossando e se estendendo para o escroto. A segunda dentição ocorre principalmente na terceira infância. O primeiro crescimento abrupto deve ocorrer entre as idades de 10 a 14 anos de idade. pelos ideais elevados. embora sua maturidade varie muito de pessoa para pessoa. geralmente numespaço de quatro a cinco anos. Se não houver qualquer crescimento visível ate os 15 anos de idade. como se julgava. O corpo do adolescente passa por transformações dramáticas. mas por impulsos de paixões inferiores. o pires começa a aumentar e a maioria dos meninos consegue ejacular sêmen pela primeira vez. A cor. Nessa fase. Os testículos. A idéia do mundo. Um aumento na altura começa aos 12 ou 13 anos de idade continuandoate os 17 ou 18. significa que a puberdade esta ocorrendo prematura ou tardiamente. alguns crescem o dobro. que na infância se semelhava a um castelo cavalheiresco. o pires e o escroto aumentam a partir da idade de 12 a 13 anos. A laringe começa a crescer entre 13 e 14 anos de idade. rui e solve os destroços da idéia infantil. a voz começa engrossar. um medica deve ser consultado.A higiene mental no período pré-escolar e de maior importância para o desenvolvimento normal da critica. Transformações nas meninas: . 12 anos de idade. Fora desta faixa de idade. juntamente com o surgimento dos pelos no rosto (que normalmente se desenvolvem mais lentamente que em outras part s do corpo). Os pelos no corpo começam na região pubiana ao redor dos 11. começa a transformar-se em pré-adolescentes. o interesse pela sexualidade e intenso e exige informação clara e objetiva dos pais e educadores. aproximadamente um ano mais tarde. HIGIENE DOS ADOLESCENTES O amadurecimento do ser constitui um acontecimento penoso: rompe o véu das -se ilusões e pode-se ver o mundo tal como ele e na realidade. mas violento. O desenvolvimento das glândulas sudoríparas responsáveis pelo aumento da transpiração começa entre os 13 e 15 anos de idade. Os pelos embaixo do braço se desenvolvem na seqüência. O crescimento genital se completa aos 17 anos de idade. entre os 13 e 15 anos de idade. Os primeiros pelos visíveis aparecem na pele ao redor da base do pires. As mudanças a seguir ocorrem como parte do desenvolvimento físico de um menino. Abala-se acriança na semelhança dos homens com a divindade: verifica-se que o pai não e sem defeitos e que a mãe nem tudo sabem. Geralmente a partir dos 12 anos instala-se a puberdade. E importante que ela se ocupe de jogos e brincadeiras estimulantes para a imaginação e capazes de contribuir para prepará-la para a vida adulta. surge um novo ser: e a puberdade. Por volta dos dez anos. Verifica-se que o mundo não e governado. aproximadamente. Mudança nos meninos: O crescimento nos meninos ocorre de modo curto.

como depressão. Na media. A menstruacaocomeca geralmente entre os 11 e 14 anos de idade. Existem casos nos quais osperíodos de Mentruacao começam somente aos 15 ou 17 anos. tem tão pouca gordura que ocorre o retardamento da Mentruacao. consiga coordenar a liberação de vários hormônios que controlam o ciclo menstrual. Se começar ante dos 10 anos ou não começar ate os 17 ou quase 18 o medico deve ser consultado. aos 10 ou 11 anos. que influenciaram a sua personalidade como um todo. Isto não representa qualquer perigo. podendo ocorrer ate entre os 13 ou 14. Pode levar algum tempo ate que o hipotálamo. e possível ocorrer gravidez a qualquer momento apos a menarca. os seus sentimentos em relação a sua mãe e a sua perspectiva da vida em geral. cerca de um ano depois do desenvolvimento dos seios. Esse processo pode levar de dois a seis anos. de repercuto nociva sobre a formação do caráter. O aumento na altura geralmente começa entre os 10 ou 11 anos de idade.O inicio da maturidade sexual nas meninas geralmente começa dois anos antes dos meninos. e a falha de um ciclo menstrual não deve ser ignorada. a atitude ante a vida e. Durante os dois primeiros anos apos o primeiro período menstrual. as adolescentes ativas sexualmente precisam observar os cuidados de controle de natalidade. desde que a Mentruacao comece ate os 16 anos de idade. ou seja. espessura e padrão dos pelos do corpo são bastante variáveis. 14 ou 15. Em geral. pulando um ou muitos meses entre eles. podendo também começar aos 8. O aparecimento de cabelo pelo corpo começa na região pubiana ao mesmo tempo em que os seios começam a se desenvolver. apatia e irritabilidade. continuando ate entre aos 15 ou 16. Isto porque e justamente nessa fase que mais facilmente se instalamidéias de inferioridade. Entretanto. Apos esta idade. como as ginastas ou as dançarinas. a cor. bem como em relação às possíveis alterações de humor. da sua situação e do seu papel como mulher. podendo começar entre os 8 e 14 anos de idade (se a menina começa a se desenvolver antes dos 8 anos. Os pelos embaixo do braço e nas pernas começam a surgir um ou dois anos mais tarde. a falta de Mentruacao pode representar um nível de estrogênio abaixo do normal. Quando uma menina não fica menstruada na mesma época que suas companheiras. contribuindo para o enfraquecimento dos ossos e para que fiquem mais de lgados. Todos sabem que as meninas diferem uma das outras no tocante a intensidade da dor e do desconforto que acompanham o ciclo menstrual. por parte da mulher. De conformidades em . e preciso cuidado e carinho para poupar-lhe ao espírito sensível todas as contrariedades morais. ainda na adolescência. O desenvolvimento dos seios geralmente começa entre os 10 ou 11 anos de idade. De acordo com uma teoria a respeito das reações psicológicas a Mentruacao. O organismo exige certa quantidade de gordura para que a Mentruacao ocorra. a puberdade e considerada prematura e os pais devem levá-la ao medico). a parte do cérebro que regula a reprodução. Alguns períodos podem ocorrer de 23 em 23 dias ou de 35 em 35 dias e durar de dois a sete dias. os períodos de Mentruacao ocorrem a cada 28 dias e duram quatro dias. uma menina adolescente pode experimentar períodos irregulares. a sua atitude para consigo mesma como individuo do sexo feminino. Algumas atletas. Cãibras menstruais ou dismenorreia não são comuns durante o primeiro ou os dois primeiros anos. Por isso. O impacto psicológico e bastante provavel que a reação de uma menina a Mentruacao seja afetada por fatores de sua vida passada. conseqüentemente sobre o seu futuro. estariam relacionadas com a aceitação ou rejeição. mas podem ocorrer mais tarde. bem como se osperíodos forem irregulares.

Estas glândulas podem provocar mau cheiro embaixo dos braços. os órgãos genitais devem ser lavados com toda a minúcia. tais como a idéia de dar a luz. tomado como natural e. gordurosa. calor. A pele e seca quando ha acentuado insuficiência de secreção sebácea. idade. As aparências da pele dependem de uma serie de fatores. Um tratamento breve e discreto e. hiperfuncionamento das supra -renais. sexo. a pele tem funções importantíssimas. condições alimentares e estados de saúde do organismo. podendo difundir. suja a roupa e a pele. Uma característica da pele e a descamação constante de sua camada superior. regulação térmica e controle hídrico do organismo. sem que dele fiquem vestígios prejudiciais. feito por um medico. A coexistência de seborréia . o que não ocorre nas crianças pequenas. Neste caso. ocorrem geralmente estados de hidratação excessiva da pele. quando muito abundante.reconciliarem-se com os outros aspectos do papel feminino. Uma limpeza cuidadosa das dobras prepuciais não provoca a mínima irritação. tem-se a pele hidratada. A pele oleosa tem o predomínio de secreção gordurosa e tem um aspecto de untuosidade e brilho característico. e conduta inteiramente errônea quando os pais fogem desse tratamento por medo de ofender o pudor da criança. Sendo órgão de revestimento do corpo. a secura se deve a um grau de embebi mento aquoso inferior ao normal. Quando tem um aumento relativo ao embebi mento aquoso. como a uretra desemboca um lugar oculto. Alem de receber as sensações de frio. Cuidados na higiene masculina e feminina Higiene nos órgãos sexuais masculinos: o homem deve diariamente lavar os órgãos genitais com água e sabão. o prepúcio do clitóris segrega. Em situações patológicas como hipertiroidismo. clima. Apos toda relação sexual. encarrega-se na proteção. esquecido. dor. como o do homem. O desenvolvimento das glândulas sudoríparas: que são responsáveis pelo aumento da transpiração. a vagina segrega uma umidade de cheiro acido que. Pele desidratada e outro tipo de pele seca. verificar se as filhas não apresentam por venturo corrimento ou mau cheiro vaginal. Tipos de pele: Clara. ou de atrair a sua atenção para a esfera genital. logo. Higiene dos órgãos genitais femininos: na mulher e necessária uma atenção redobrada. então o cheiro acre de urina decomposta. já antes da época da maturação sexual. um sebo que facilmente se ramifica e exala então um mau cheiro. pela criança. restos de urina permanecem ai retidos. Justamente os casos precoces de corrimento são os que exigem tratamento enérgico e oportuno. desidratada e outras se fazem de acordo com o tipo e finalidade das secreções encontradas em sua superfície. pois: as partes genitais femininas são sede de glândulas sudoríparas e odoríferas. A classificação em pele seca. A mãe tem a obrigação de. de ter de cuidar em pessoa dos seus filhos e de protegê-los e idéia de amamentá-los. escura. sensível ou resistente: estes atributos do invólucro do organismo humano variam segundo diversas circunstancias entre as quais se destacam fatores ambientais. começa aos 12 ou 13 anos e idade. tato e pressão.

Com o passar dos anos. e de secura. nas porções laterais. Cerco de 47% dos estudantes do segundo grau declarou que já usaram maconha e mais de 25% haviam usado droga uma ou algumas vezes. Assim. nos quais predominam a ação da radiação luminosa. Em uma pesquisa realizada em 1990. Cigarro Pelo menos 3 mil americanos jovens (entre 11 e 20 anos d idade) tornam -se fumantes todos os dias.na parte central do rosto. E o nariz lustroso. acarretando sudorese excessiva e diminuição da resistência local. Alguns habitos podem provocar sensações de prazer. Abuso de drogas O uso de álcool e comum entre os adolescentes. provoca halitose e promove rugas precoces na pele. tanto nas meninas como nos meninos. O clima quente e úmido. ou porque querem ser aceitos e incluídos em grupo social particular. Os adolescentes gostam de experimentar. As pessoas que começam a fumar durante a adolescência e continuam fumando ao longo da vida. em comparação. surgindo dai as espinhas e os pontos pretos. o rosto e o couro cabeludo. quando se chega à idade adulta. que o rosto fica recoberto por minúsculas gotas de gordura. apresentam cinco vezes mais chances de ter um ataque do coração aos 30 ou 40 anos de idade que o não-fumante. À medida que se aproxima a puberdade. ocorrem modificações nas glândulas e no crescimento dos pelos. mais fácil será conseguir manter a decisão. O clima tem nítido influencia sobre o estado da pele. que produzem o sebo. podem provocar o ressecamento da pele. Nessa fase. O melhor e não começar. alem de aumentar as eventuais secreções seborréias como a acne. Muitas vezes aseborréia e tão intensa. Climas quentes e secos. . que tanto preocupa os adolescentes. Esse aumento de secreção pode tornar o sebo mais grosso e obstruir os poros da pele. O cigarro também amarela os dentes. em 1991. sem quaisquer efeitos prejudiciais aparentes. As partes mais atingidas são as costas. O frio seco pode causar desidratação das camadas superficiais. por exemplo. Isto pode significar a adoção de um estilo de vida que seja atraente ou porque os adultos que são seus modelos aceitam e adaptam aos novos habitos. simpáticos aos adolescentes. O cigarro entre os estudantes do segundo grau e mais predominante hoje cerca de 30%. menos de 2% declararam o uso de cocaína. a parte central do tórax. higienizando-a com freqüência. Espinhas As mudanças hormonais. para evitar inflamações e marcas indesejáveis no rosto. da origem a chamada pele mista. A pele se torna mais grossa e gordurosa. secura. aspereza e mesmo rachaduras da pele. verificam no organismo alterações físicas e -se psicológicas profundas. são prejudiciais a saúde. provocam uma maior atividade das glândulas sebáceas. devem-se aumentar os cuidados com a pele. mas se começou quanto antes parar. o frio úmido condiciona um aspecto avermelhado. deve-se consultar um medico. Não se devem espremer as espinhas. No que diz respeito ao aspecto cutâneo. apos uma queda temporária no inicio dos anos 90. somente 31% declararam ter usado maconha.do que era inicio dos anos 90. Quando o aumento de espinhas for muito grande. o processo tende a diminuir o que evidencia uma indiscutível influencia hormonal em seu aparecimento. esta aumentando. Este material pode servir de alimento para bactérias que provocam a dor e a vermelhidão características destas lesões de pele. em vista darápida evaporação do suor. torna a pele mais susceptível a infecções. O uso de drogas ilegais. Mas outros. Cerca de 4% das pessoas entrevistadas responderam que usaram alguma forma decocaína.

Por isso. acidentes ou relações sexuais nao-planejadas ou nao-protegidas passam a ser mais comuns entre adolescentes que bebemálcool ou usam drogas. consumindo às vezes. E importante que não deixem de fazer as principais refeições. Uma das conseqüências desses dois fatores combinados (ingestão de alimentos gordurosos e falta de atividade física) e que a porcentagem dos adolescentes com excesso de peso quase duplicou durante osúltimos vinte anos. pode ser estimulada com o consumo deálcool ou drogas. e a variedade. Também aumenta o risco de câncer de pele. Abuso do sol O bronzeamento pode parecer saudável. cujacompleição não esta totalmente formada. Assim. iogurte. os jovens diminuem suas atividadesfísicas e o habito começa a ser repassado entre os membros da família e entre os amigos. apesar de que alguma pouca mulher tem uma silhueta de manequim naturalmente. O problema e que os adolescentes tendem a comer alimentos poucos saudáveis. Mas para aqueles que fazem disso um habito. mas a exposição excessiva ao sol e a principal causa de rugas. Distúrbios alimentares Algumas mulheres mais jovens são fascinadas com a possibilidade de ser tão magras quanto às modelos da moda. Inatividade física e obesidade Cerca da metade de todos os americanos jovens entre 12 e 21 anos de idade não fazem exercícios físicos vigorosos regularmente. Os pais podem ajudar servindo refeições bem balanceadas em casa e fazendo estoques de lanches saudáveis como frutas. como vegetais crus.E natural que nem todos os adolescentes que experimentamálcool ou maconha usam estas substancias regularmente ou passam a usar drogas mais pesadas. brigas. Padrões nao-saudaveis de alimentação A chave de uma alimentação saudável para adolescentes. E o comprometimento dos jovens com uma atividade físic diminui conforme ficam mais a velhos 73% dos estudantes no inicio do segundo grau praticam alguma forma de exercícios regulares e somente 61% dos adolescentes no final do segundo grauestão engajados em alguma atividade física. Metade de todas as adolescentes branca pensa que estão acima do peso quando na realidade. Cuidar do peso e de fato muito bom. Esta substancia podem interferir no crescimento e no desenvolvimento dos adolescentes. vitaminas e minerais. Entretanto os adolescentes e fase de crescimento m geralmente precisam de mais calorias do que os adultos. a participação eventual em atividades que o adolescente evitaria normalmente. o seu peso e normal. Os adolescentes devem tomar as mesmas precauções que os adultos: não tomar banho de sol por longos períodos e usar protetor solar. dentre outras medidas. mas de ingestão rápida e fácil como doces ou refeições tipo fast-food. Alem disso. beber quantidades excessivas deálcool e usar drogas ilícitas pode danificar o sistema cardiovascular e respiratório. As mulheres com anorexia simplesmente param de comer. somente 100 calorias por dia. Alem disso. Mas cada pessoa deve saber o seu peso ideal. muitas crianças com excesso de peso não tem acesso a programas de educação física nas escolas e diminuem sensivelmente durante a ultima década. ser magra se torna uma obsessão. Tendem a ser obsessivas com composição dos alimentos e se alimentam somente de alimentos com baixa caloria. chips de baixa caloria e pipocas sem manteigas. causando distúrbios como anorexia ou bulimia que afetam cerca de 4% das adolescentes e das mulheres jovens. especialmente de forem fisicamente ativos. Negam a necessidade natural da fome e . Da mesma forma que os adultos. Em alguns casos. uma vez que pular alguma refeição pode levar os adolescentes a aumentar o consumo de lanches e de alimentos pouco saudáveis. e comum os adolescentes fazerem um lanche extra e os pais devem encorajá-los a fazê-lo. levando estas mulheres a se alimentar de maneira errada. onde o alimento e rico em gordura e com baixo teor de fibras. pois elas alteram a percepção e o julgamento.

causarem desequilíbrio eletrolítico. As pessoas com esta doença comem grandes quantidades de alimentos numa única vez. Os adolescentes que manter relação sexual ou tem a intenção de se tornar sexualmente ativos devem conhecer os diferentes métodos de controle de natalidade disponíveis. em casos extremos. A cada ano. de uma gravidez não desejada e de DST. Tanto a bulimia com a anorexia tem conseqüências serias e. Se observar sintomas de alguma doença sexualmente transmissível ou se . As adolescentes mulheres correm maior risco de contrair uma infecção cervical relacionada à atividade sexual do que as mulheres mais maduras. E mais difícil identificar os casos de bulimia que de anorexia. escondidas e rapidamente. A bulimia também ocorre mais nos homens que a anorexia embora os dois problemas sejam bem menos comum nos homens que nas mulheres. Também devem tomar medidas para se protegerem contra as DST. as conseqüências podem ser serias especialmente para as meninas nesta faixa de idade. Os principais sinais dos distúrbios alimentares incluem perda de peso anormal. auto-imagem pobre. Os índices relativos a determinadas DST especialmente o herpes genital. Em outros casos. Cerca de 20% das pessoas com anorexia morrem por causa de complicações relacionadas com os distúrbios. Outras se exercitam obsessivamente para ficarem magras. Em alguns casos esses distúrbios se desenvolvem porque as pessoas participam de atividade que valorizam a magreza externa como ginástica. Quanto antes o tratamento for iniciado. O exagero e a culpa vêm sempre acompanhados de depressão. Esta doença e mais comum que a anorexia entre as mulheres jovens. A bulimia e chamada de doença do exagero e da culpa. ou não usam corretamente. o distúrbio alimentar e uma manifestação de questões psicológica. maiores são as chances de recuperação. estresse. Mas. O vomito que ocorre com a bulimia pode desgastar o esmalte dos dentes. uma vez que seu colo ainda não sofreu todas as transformações que ocorrem com a idade. preocupação com a comida. ruptura do estomago ou esôfago.da fadiga e tem uma imagem irrealista sobre seus corpos. ou sensação de não ter controle sobre as coisas. que leva anormalidade nos rins e no coração. estima-se que cerca de 3 milhões de adolescentes se infectam em função de DST. dança e variam outras. problemas de família. a maioria dos adolescentes sexualmente experientes usa algum método contraceptivo para se proteger e a seus parceiros. imaginando queestão gordas quando. bale. As adolescentes um pouco mais maduras. Principalmente através do uso de preservativos de látex. para então vomitarem ou usarem laxativos para se livrar das calorias extras. Os distúrbios são difíceis de tratar. habitos alimentares peculiares e Mentruacao que se interrompe por três ou mais meses consecutivos. uma vez que as pessoas com bulia geralmentemanter o peso normal e tendem a cometer seus exageros secretamente. brancas e de melhor situação econômica. para os adolescentes que não usam contraceptivos.aumentam dramaticamente entre as adolescentes brancas nosúltimos anos. na realidade. geralmente porque as pessoas negam que existe alguma coisa errada e esconde o comportamento da família e dos amigos. levam à pessoa a morte. E necessário um acompanhamento nutricional e psicológico. e cerca de 900 mil a um milhão ficam grávidas quase todas elas sem intenção. estão quase que definhando. Doenças sexualmente transmissíveis (DST) e controle de natalidade Ao contrario do que muitos adultos acreditam. as negras e as que têm menos recursos apresentam maior probabilidade de ficar grávidas do que as adolescentes mais jovens.

pode haver diminuição da estrutura (altura) e o idoso tende a se inclinar para frente (em conseqüência a . mesmo quando e casada e o bebe foi planejado. os ossos ficam mais frágeis e. Porem o cuidado pré-natal e a alimentação adequada contribui bastante para diminuir o risco. Ao relatar sobre o envelhecimento. como conseqüência. Em virtude das alterações das estruturas das juntas (endurecimento). O ambiente físico. ocorrendo de diversas maneiras. Na velhice.suspeitar que já esta infectada. Descobrir que esta grávida pode ser muito traumática para uma jovem. ocorre perda de massa e da forca muscular. o idoso pode apresentar o andar lento e arrastado. HIGIENE DO IDOSO O envelhecimento e um processo universal. Os riscos de se ter um bebem na adolescência são ligeiramente maiores para as garotas solteiras. pois elas têm menos apoio familiar e geralmente estão menos preparadas para serem mães. E um processo em que ocorrem mudanças nas células. podendo sofrer influencias e influenciar o ambiente em que vive num processo de adaptação. são casadas ou tem um relacionamento estável. acelerando ou retardando o envelhecimento. entretanto. isto e. e um termo geral que. gerando dificuldade de manter o equilíbrio e. com maior risco de fraturas. Destacamos algumas alterações físicas consideradas de maior importância para o conhecimento do idoso. as estruturas relacionadas à locomoção também são alteradas. mas esta não e uma atitude madura. mais fácil será controlar a situação. dos cabelos brancos e as alterações na pele. a pessoa deve contatar o medico . segundo a forma que aparece. Pode trazer muitas recompensas embora isso signifique ter de abrir Mao da própria liberdade. em que se tornar pai ou mãe significa deixar a infância para trás e muitas adolescentes acham essa experiência desconcertante. Essa situação e bem diferente daquela em que garotas que já tem 18 anos. Algumas garotas tendem ignorar os sinais e tem esperança de estarem enganadas. artrose. qualquer que seja a situação tomada. nos tecidos e no funcionamento de diversos órgãos. político e cultural em que o homem estiver situado podem facilitar ou dificultar o processo de adaptação. cabe aqui mencionar que para conceituar o homem velho ou homem idoso leva-se em consideração apenas o padrão cronológico. De maneira geral. de comportamento social. podendo ou não estar inter-relacionadas. e ainda diminuição da agilidade. O processo de envelhecimento e individual para cada homem. pode-se referir a um fenômeno fisiológico. Um dos aspectos mais visíveis do envelhecimento e a aparência pessoal. O homem em desenvolvimento durante o ciclo da vida e um ser biopsicossocial. em suas relações com o mundo. pois ela pode entrar em pânico com o que esta acontecendo com o seu próprio corpo. Gravidez na adolescência: Algumas garotas ainda são menores de idade quando engravidam. o organismo de uma pessoa idosa caracteriza por alterações nas -se estruturas e nas funções do corpo. trabalham. ha as mudanças que ocorrem. chamando-nos a atenção a presença das rugas. Quanta antes sida gravidez for confirmada. que são biológicas e as psicossociais. portanto. A adolescência época da vida entre ser criança e se tornar um adulto e quase sempre um período difícil. de idade.

Os sistemas respiratórios (pulmonar) e cardiovasculares (co ração e circulação do sangue) estão intimamente relacionados. Ademais. podemos dizer que as mudanças no corpo do homem e da mulher podem comprometer a função sexual. mais ressecada. pode levar a falta de apetite e ao risco de envelhecimento acidental. ou seja. e lesões dos vasos. portanto as alterações nos diversos órgãos e sistemas se inter-relacionam-se. a . associados a isso. não podemos afirmar que os velhos não gostam ou não conseguem ter relação sexual. ocorrem modificações no coração e nos vasos sanguíneos (artérias e veias). pois estes também interagem na vida do ser humano. batimento do coração irregular dentro de determinados limites. No sistema cardiovascular. a diminuição da saliva e demais secreções que agem no processo de digestão. o estomago e os intestinos.acentuação da curvatura do osso). A criança manifesta-se sexualmente diferente do adolescente que também e diferente do adulto e assim sucessivamente. sobretudos nos homens. quando o idoso passa a não distinguir o sabor dos alimentos. Portanto. e bastante freqüente entre os idosos. No homem pode ocorrer aumento dapróstata. na velhice ocorre diminuição da estrutura e da função dos rins. o pires pode apresentar menor sensibilidade e o volume da ejaculação e menor. principalmente das extremidades. as mamas tornam se flácidas e a vagina. Alguns idosos podem apresentar diminuição do tato. o idoso tem maior dificuldade de retornar ao seu estado normal quando submetido a estresse e tensão. A perda do olfato e do paladar. vale ressaltar que. mas não necessariamente impedi-la. que se torna reduzida. Na mulher ocorre redução dos pelos na área genital (pelos pubianos). o idoso pode apresentar intestino preso (constipação intestinal). portanto. sendo a mais dramática. ou seja. e distúrbios do sono. assim como em qualquer outra idade. não podemos isolar os aspectos biológicos dos psicossociais. facilitando o aparecimento de infecções pulmonares. gás falta de apetite ou ainda incontinência fecal (nao-controle da saída das fezes). Contudo. Na verdade. As alterações no sistema nervoso (que coordena e integra todas as atividades corporais) incluem mudanças do comportamento. Como resultados dessas mudanças. o que ocorre e uma alteração da manifestação da sexualidade. o frio e a dor. ate a idade mais avançada. o idoso pode apresentar aumento da pressão. Como algumas das conseqüências dessas alterações. o homem e um ser complexo e. As alterações ocorridas no sistema digestivo incluem a dificuldade de mastigação. na diminuição do reflexo da tosse e sua eficácia. As alterações no sistema respiratório resultam numa respiração menos profunda. a audição. Quanto ao sistema urinário. ocorrem alterações na capacidade de adaptação do organismo a novas situações. a visão. levando a alterações no funcionamento de ambos. como o esôfago. decorrente da perda dos dentes. que na velhice e mais lento em virtude das alterações de estrutura e funções dos órgãos envolvidos. A incontinência urinaria isto e. No sistema endócrino (responsável pela reprodução de hormônios). isto e. perda involuntária da urina. o tato. o paladar e o olfato. uma mudança em um deles influi diretamente sobre o outro. não distinguem com facilidade o calor. Com relações aos órgãos dos sentidos. Com relacao as alterações sexuais. As mudanças ocorridas no processo de envelhecimento não devem ser vistas isoladamente. a produção de hormônios de maneira geral diminui com o avançar da idade e as mudanças são variadas. A bexiga pode deixar de se esvaziar completamente durante o ato de urinar. falta de memória principalmente para fatos mais recentes. Podemos dizer que a fase do envelhecimento do homem esta sujeita atransformações. Entretanto. ocorrem redução principalmente da audição e da visão. a menopausa nas mulheres.

depressão. Freqüentemente verificamos que as pessoas idosas dão um valor especial a esta questão. diminuem em atividade e numero. Solidão: muitas vezes o idoso tem pouco contato com as pessoas. Ha um sentimento de inutilidade que muitas vezes pode levar a depressão. incapacidade física. aos vizinhos. de forma variada. responsáveis pelo suor. isolamento. transporte inadequado. aos amigos. falta de companhia para desenvolver as atividades básicas como alimentação. apos a aposentadoria sentem-se inúteis na sociedade. no meio familiar e na comunidade em que vive. perdem espaço no lar. Pobreza: considerando a pobreza associada ao anal abetismo. Podem-se citar algumas causas que interferem como: dificuldade para tomar um transporte. mas da doença. habitação adequada e outras necessidades da vida. Dificulta a participação dos idosos nos eventos culturais e em atividades similares. ou ate mesmo a aceitar doenças que possam causar invalidez. amigos e profissionais desaúde a participar de atividades. A doença pode levar os idosos à depressão e muita vez tem como conseqüência o suicídio. nessa etapa da vida. crenças e atitudes assumidas ao longo da vida. falta de companhia decorrente do numero reduzido de familiares e/ou amigos. A crença religiosa. algumas alterações vão se apresentando na pele. A pobreza dificulta as condições mínimas para sobrevivência como alimento. as células que são responsáveis .alguns ganhos e a algumas perdas. ou a Fe. para ter uma vida digna do ser humano. dentre outras. considerando as diversas perdas dasinterações sociais. fato este que provoca o aparecimento das rugas. o caminhar. A maneira de lidar com essas situações vão depender de sua vida. Entretanto. Dentre estas se podem destacar: pele mais seca e fina. Medos diversos: os idosos referem medo não são da solidão. ha maior dificuldade no relacionamento. Quando a pessoa aceita com tranqüilidade a sua velhice. as eliminações. independente de qual seja. A dependência pode ser causa de doenças. da dependência de terceiros e alguns referem também o medo da morte. O cabelo torna-se mais ralo e as raízes enfraquecem. Com o envelhecimento. a sociedade. enfim. As glândulas sudoríparas. ou seja. As unhas tornam-se mais espessas. Dependência: dependência física ou psicossocial afeta a saúde dos idosos. as pessoas apresentam alguns problemas específicos que podem ser resolvidos ou diminuídos com a ajuda dos familiares e de outros que os cercam. Perda da posição social: este fator e muito comum entre idosos inativos. no homem e na mulher apos os 40 anos. procura as diferentes maneiras pelas quais poderá continuar sendo útil aos familiares. quebradiças e seu crescimento e retardado. Contém salientar o aspecto espiritual. dificuldade financeira. o transporte. Ocorre diminuição do tecido gorduroso que se situam abaixo da pele. a crença religiosa. O idoso deve ser incentivado por familiares. parece ajudar os idosos a enfrentar situações dolorosas. Dentre os vários fatores psicossociais que interferem no envelhecimento. citaremos que são mais comuns. como a morte de um ente querido. com menor elasticidade. Às vezes. Aflição ou angustia: outro aspecto de grande importância no envelhecimento e a perda de parentes próximos ou de amigos seja por morte ou mudança de local e/ou também de perda de órgãos em decorrência de doenças. Envelhecer e uma etapa normal do ciclo da vida. banho. as pessoas idosas muitas f vezes apresentam dificuldade em aprender novas habilidades. de valores. principalmente perante a perda de amigos ou e cônjuge. enfim.

ou intensificar o aparecimento de manchas etc. tornando mais lentos os movimentos intestinais. Cabe ressaltar que os pisos úmidos e escorregadios devem ser evitados. Higiene do corpo: a manutenção da pele limpa e seca apos o banho e a cada eliminação e fator importante para manter a pele integra. Caso haja sangramento. O cuida dor tem que programar horários para que o idoso possa receber raios solares moderadamente. do aparelho de gesso ou outros. prejudica assim a nutrição e a oxigenação da área. o que pode causar ferimentos. nas pernas. numero muito grande de moveis e/ou brinquedos num mesmo cômodo. a eliminação de fezes e. E importante estar alerta para o fato de que o idoso tem dificuldades para cortar as unhas. por diminui a chegada de sangue ao local. porem a falta deste ou a exposição prolongada sob seus raios são prejudiciais. A pele de pessoas mais claras que se expõe com freqüência ao sol forte pode apresentar pontos mais claros ou escuros nos antebraços. O idoso que fica muito tempo imóvel e candidato de alto risco para o aparecimento de escaras. Exemplo: moveis que tem bordas pontiagudas. integras e sem odor. portanto. podendo causar queimaduras. quando utilizado de forma correta. A pessoa acamada apresenta diminuição na forca muscular em decorrência da redução da movimentação. Quando existe um ferimento. traz benefícios para a pele. nas mãos. no rosto e no colo. qualquer pessoa que esteja com restrição de movimentos pode prejudicar a circulação do sangue dificultando que a pele mantenha seu perfeito estado. A pele e as unhas devem ser observadas para verificar se estão limpas. ressecamento. ferimentos e fraturas. apos a lavagem PE importante fazer uma pressão no local com pano limpo ou gaze para estancar o sangue. o primeiro procedimento e lavar o local comágua limpa corrente e sabão. O cuida dor deve incentivar o idoso a se movimentar. que. pois facilitam as quedas que podem trazer como conseqüência. . aumentando a freqüência urinaria. Assim. E necessário que o cuida dor esteja alerta para isso e ofereça água aos idosos. O contato do sol com a pele Poe ajudar na prevenção da osteoporose (doença que enfraquece os ossos. principalmente nos idosos que apresentam perda freqüente de urina e fezes. A escara e uma ferida ocasionada por pressão constante da área do corpo sobre a superfície do colchão. por outro lado. de preferência no período da manha ate às 11 horas ou à tarde apos às 16 horas.pela coloração da pele acumulam maior quantidade de pigmentos causando as manchas escuras que os idosos referem como manchas na velhice. pois melhoram a circulação e levam o oxigênio as células. Higiene do ambiente: e importante lembrar que o espaço em que o idoso vive e movimenta-se deve ficar o mais livre possível de moveis e utensílios que possam causar ferimentos. da cadeira. a caminhar e a realizar tarefas do dia-a-dia sempre que possível. Fatores que ajudam a manter saudável a pele e mucosas Alimentação e líquido: a alteração de ingestão alimentar e de líquido acaba causando modificações na pele. em pequenas quantidades varias vezes durante o dia. utensílios lascados ou quebrados. O habito de beber pouco liquido pode levar a desidratação observada na pele que se torna mais seca e flácida. o que faz aumentar o risco de sofrer fraturas). uma falta de circulação no local. Ha. Exposição ao sol: o sol. desidratação. assim. tornando-os mais porosos.O exercício também tem grande influencia na eliminação urinaria e fecal. Exercícios físicos: o movimento do corpo e os exercícios ajudam a manter a pele em boas condições. dificultando. Recomenda-se cuidar das unhas logo apos o banho de imersão ou então deixando em água morna para facilitar o corte. principalmente dos pés.

em seguida. calcanhares. erguendo as pernas contra as coxas. movimentação passiva dos membros: A massagem de conforto visa ativar a circulação e. Por outro lado. o ideal e usar creme hidratante ou óleo de amêndoa para facilitar os movimentos e executar a massagem. quando os doentes permanecem de costas. As áreas em que as escaras aparecem com maior freqüência são: a sacral (entre as navegas). Alguns movimentos que são fáceis de ser executados e que trazem grandes benefícios são os seguintes: Dobrar os joelhos. Flexionar e estender os dedos do PE. sempre sobre a orientação de um profissional especializado. O importante e que o cuida dor deve estar atento para não forçar os movimentos e não massagear em cima das saliências ósseas. Da uma sensação agradável que em geral deixa a pessoa relaxada. principalmente nos portador s de e perda involuntária de urina ou fezes. a morte do tecido. o ombro e a orelha. Dobrar os braços tocando as mãos nos ombros. Se o idoso fica deitado de lado.A escara inicia-se com uma vermelhidão local que evolui para o inchaço com calor. ocultando-a. retornando com uma discreta pressão ate o ponto inicial. Para preservar a auto-imagem do homem idoso deve-se utilizar sempre pijama por cima da fralda. E aconselhável o uso de forros ou fraldas descartáveis e/ou calca plástica principalmente para o período noturno. Abrir e fechar os braços. por isso pela fragilidade da pele. portanto prevenir o aparecimento da escara. Rodar os tornozelos para dentro e para fora . outra pessoa pode movimentar as articulações. Algum paciente não tem condições de executar sozinhos qualquer movimento. Isso pode ser feito durante o banho ou enquanto se troca de posição. Se o idoso e incapaz de se mover. este deve ser massageado e em seguida deve-se evitar retornar a posição anterior. A escara forma-se com muita facilidade nas pessoas acamadas que não se movimentam nas pessoas acamadas que não se movimentam. Cuidados higiênicos: a manutenção da pele limpa e seca apos cada eliminação e fator importante para evitar o aparecimento de escaras. O tipo dos exercícios depende do estado físico. Abrir e fechar os dedos das mãos. completando toda a área das costas com novos movimentos para que haja uma estimulação de circulação. da doença e da possibilidade de recuperação do paciente. Como o idoso tem uma pele muito ressecada. para verificar se ha sinais de pressão em algum local da pele que corresponda a uma vermelhidão. Essa massagem de conforto deve ser executada inicialmente com asmãos firmes. na medida em que a camisola protege. troca de roupa de cama. Quando isto se da o local fica escuro. Caso se observe o aparecimento dessas em algum loção. para melhorar a irrigação e. proporcionar uma maior nutrição e oxigenação dos tecidos. se os movimentos forem muito suaves podem causar excitação ao invés de sedação. . com isto. as áreas que sofrem maior pressão são a cabeça do fêmur (na bacia). cotovelos e omoplatas. maléolo (saliência óssea lateral externa do PE). Quando isso acontece. Massagem de conforto. Na mulher a auto-imagem quase não e alterada pelo uso da fralda descartável. mudança de posição. Erguer os braços em direção ao teto. e necessário que suas articulações sejam movimentadas varias vezes ao dia. desde a região sacra ate os ombros. formando uma bolha de água e ocasionando. pode causar lesões. Prevenção de Escaras Observação constante das alterações ou qualquer mudança na pele: aproveitar todos os momentos em que se faz higiene do idoso.

etc. Nestes casos e aconselhável o estabelecimento de uma rotina para ajudá-los a lembrar do que deve ser realizado. pressão. Caso o idoso não possa cooperar. particularmente em diabéticos e naqueles pacientes com circulação insuficiente em decorrência de arteriosclerose nas extremidades dos membros inferiores. remove odores. Na assistência ao idoso. frio. boa aparência e conforto para as pessoas. E importante alertar que a cama fique na posição horizontal para evitar vazamentos dos dejetos. aquecido e seco. Por isso. pois a capacidade do mesmo muitas vezes e insuficiente para o volume urinário.estão os aspectos relacionados à sua higiene pessoal e ao seu vestuário. alem de promover a limpeza do corpo. e importante termos conhecimento dessas alterações e proporciona-lhe um atendimento adequado com relação a sua higiene corporal e a manutenção da integridade de sua pele. facilita a circulação. alem de causar sofrimentos. o mesmo deve ser lavado. Embora o tema em questão seja voltado ao cuidado do idoso dependente. elimina os germes nocivos que pode vir a m . favorecendo o alcance do sabonete. ela deve ser muito bem cuidada e observada. transmite grande parte das sensações que a pessoa manter com o meio ambiente. No decorrer do processo de envelhecimento ocorremmodificações na pele. O uso constante ou por um período relativamente longo de ambos os utensílios pode causar traumas e ferimentos. abre os poros. Existe no mercado dispositivo para a drenagem externa da urina nos homens. quando incontinentes. Dentre as diferentes maneiras de proporcionar conforto ao idoso. proporcionasensação refrescante. encostar a comadre e desvira-lo por cima dela. como percepção da dor.Cuidados com utensílios para coletar urina e fezes : Qualquer pessoa que cuida de um idoso tem que saber colocar e retirar uma comadre ou aparadeira e o papagaio ou periquito . o cuida dor tem que solicitar Ajuda de outra pessoa. sensação de tato. deixando-o lavar as partes do corpo que seja capaz. que tem relativa aceitação entre os idosos. Os cuidados são: aquecer a comadre com água quente enxugá-la e pedir ajuda do paciente para que a mesma seja colocada de modo a não forçar a região das navegas e não ferir a pele. para idosos menos dependentes. como a mucosa que reveste a cavidade oral que se torna mais fina efrágil. para idosos com maior grau de dependência ou incapacidade. ajudá-lo somente o necessário. No caso do banho. estimula as glândulas sudoríparas. quanto no leito. contato. Em relação ao papagaio. A pele ale de servir de proteção para o corpo. consideramos valido ressaltar a importância da participação do idoso durante a higiene e a coloca cão de roupas. Nos próximos tópicos abordaremos a higiene corporal a ser realizada tanto no banheiro. nas unhas que endurecem. Quaisquer traumas mínimos na pele podem causar machucados. A pele perde gradativamente sua capacidade de cicatrizar. perda dos dentes e mudanças em outras estruturas da boca. Banho O banho. Com o avanço da idade também ocorrem alterações nos cabelos que podem torná-los finos. pois qualquer lesão ou ferimento que acomete a pele da pessoa idosa demora mais para cicatrizar. Muitos idosos apresentam dificuldade de memória. Outro dado importante e que o papagaio deve ser oferecido com maior freqüência. da esponja e da toalha. realizaram higiene oral ou outros procedimentos. calor. pois assim o cuida dor estará contribuindo para o bem estar do idoso. Deve-se colocá-lo e retira-lo tão logo termine de ser utilizado. para virá-lo para o lado. portanto acabam esquecendo se já tomaram banho.

serem fontes de contaminação do individuo. Durante os cuidados higiênicos o cuida dor deve aproveitar para estabelecer um contato humano co o idoso e observar sistematicamente o seu aspecto geral,condições da pele, estado nutricional entre outros. A utilização da água morna (26, 30C) leva a um relaxamento dos músculos, favorecendo a sensação de bem-estar e de descanso, em virtude de sua ação calmante e sedativa. A temperatura da água deve ser checada antes do inicio do banho, principalmente quand o esse banho for de banheira. Para checar a temperatura da água deve-se utilizar a dobra do cotovelo, por ser uma região mais sensível a temperatura. A escolha do sabão requer atenção especial, uma vez que a pele do idoso e suscetível a lesões e irritações, portanto, bem mais sensível a produtos químicos do que a pele de pessoas jovens. E indicado, assim, o uso de sabonete neutro, ou de glicerina, e sua remoção apos o banho deve ser completa. A pele devera ser enxugada com movimentos suaves sem friccionar. Nos dias de temperatura ou umidade do ar baixa, recomenda diminuir a freqüência de -se banhos para impedir o ressecamento da pele. Nestas situações, contém aumentar o uso de cremes oleosos, hidratantes e loções para aliviar a pele assim como a ingestão de líquido para hidratá-la. Os idosos não necessitam de banho completo diário, sendo aconselhável, diariamente, a lavagem das mãos, das axilas e da região pericial, devendo ser respeitados o horário de preferência e a cultura do individuo idoso, garantindo sua segurança e privacidade. Apos o banho, sugerem-se massagens e os movimentos firmes, os quais estimulam os músculos, favorecem a circulação e é uma forma de exercício, envolvendo as juntas, os músculos e os ossos. Muitos idosos apresentam dificuldades como rigidez para abaixar e lavar pernas e os pés, pentear os cabelos, amarrar roupas nas costas, necessitando ser auxiliado para aumentar suas atividades e orientados quanto ao valor de uma movimentação corporal. O uso de cremes ou óleos e recomendado porque eles atuam retardando a evaporação da umidade natural e ajudam a manter fora as escamas superficiais da pele. Oálcool deve ser evitado, assim como agentes desinfetantes sobre a pele seca. Os idosos podem apresentar diferentes graus de dependência, portanto a opção quanto ao local para a realização da higiene corporal também varia. Banho no chuveiro: para pacientes menos dependentes. Na medida dopossível deve ser escolhido, principalmente pela sensação confortável que a queda d¶água proporciona. Algumas medidas devem ser tomadas para evitar acidentes e facilitar arealização do banho. Colocação de uma cadeira ou banco no interior do boxe; Chuveiro ajustável; Alças de apoio nas laterais do boxe; Suporte de sabonete; Boa iluminação; Ausência de degraus no acesso ao banheiro; Entre outros. O idoso deve ser estimulado ao Maximo à participação durante o banho. Às vezes pode ser mais demorado mais e importante que o idoso consiga se lavar se lavar. A portanão deve ser trancada. Banho na cama: para pacientes impossibilitados de sair da cama, o banho requer alguns cuidados especiais e o momento que propicia a investigação da integridade e a realização

de movimentos. Em algumas situações e indicado o banho incompleto que inclui a lavagem das mãos, costas, axilas genitais e região anal, higiene oral e massagens em locais de saliência óssea. Sempre iniciar o banho com a lavagem do rosto, ouvidos e pescoço, tendo-se cuidado ao lavar os olhos utilizando uma esponja separada ou pano maci para cada o olho. A área genital deve ser lavada com o uso de uma comadre sob o idoso. Usar bolas de algodão ou tecido bem macio para a limpeza. Antes de iniciar o banho, deve-se oferecer comadre ao idoso e providenciar todo o material necessário para a higiene e arrumação da cama. Apos retirar a comadre, realizar a arrumação da cama. Higiene dos cabelos: a freqüência da lavagem esta associada ao tipo de cabelo e também a cultura do idoso. O idoso deve lavar a cabeça pelo menos uma vez a cada dez dias, massageando bem o couro cabeludo. Os cabelos devem ser escovados diariamente para estimular a circulação e para auxiliar na manutenção ha higiene e na distribuição de óleo ao longo de cada fio de cabelo. E importante também a procura de parasitas (piolhos, por exemplo), caspa ou outras lesões para se efetuar o tratamento adequado. Em idosos acamados, recomenda-se utilizar uma bacia e aconselha-se a manutenção de cabelos curtos. Higiene oral: os benefícios são: eliminação de restos de alimentos e microorganismos, prevenção de problemas nos dentes e infecções, estimula da circulação, alem de sensação agradável na boca. Para que o idoso possa escovar os dentes deve providenciar uma escova com creme -se dental, um copo com água e uma bacia para ele cuspir. Se não for possível realizar a escovação por ele. Mesmo que o idoso não possua seus próprios dentes, e necessário ter cuidado com a prótese dentaria, escovando-a apos as refeições quando não estiver em uso guardá-la em um recipiente com água limpa em lugar seguro. Os pés: verificar a presença de lesões por fungos, calos, ulceras ou desvios nos dedos. Os espaços entre os dedos devem ser inspecionados, assim como as unhas quantoà limpeza, a coloração e os espaçamentos anormais. Caso os pés apresentem tendência à transpiração em excesso, e indicado um maior numero de banhos e talcos para os pés. As unhas, para facilitar o corte, recomendam-se a imersão em água morna com bicabornato de sódio, para favorecer o seu amolecimento. Caso detecte a presença de calos ou calosidade, não se deve tentar remove-los, pois sempre ha o risco de machucar o local. E melhor procurar um especialista. Maquiagem: os usos de produtos cosméticos geralmente favorecem o aspecto de pele limpa e saudável, ajuda a disfarçar manchas e camufla o aparecimento das rugas. Cuidados especiais devem ser tomados com anúncios de cremes rejuvenescedores, pois ainda não ha comprovação cientifica quanto a sua eficácia e eficiência. O beneficio primário dos cremes e o efeito emoliente. Vestuário: a escolha sensata de roupas e sapatos ajuda a reduzir o desconforto ou a fadiga na hora de se vestir ou de andar. Como os idosos freqüentemente apresentam ressecamento da pele, o uso de lãs e desaconselhável, pois pode agir como irritante. Devemos respeitar o gosto do idoso quanto as suas roupas.

Em algumas situações o vestuário pode ser adaptado com roupas de poucos botões, co zíper, com tiras de velcron, de preferência com fechamento na frente das roupas. Quanto aos calcados, não e recomendado que os idosos andem sem sapato para evitar lesões ou infecções. Evitar usar de chinelos ou de saltos altos, pois podem provocas quedas. São preferíveis os calcados fechados, com solas de borracha, confortáveis e de fácil colocação. A atividade física e a movimentação são funções vitais e essenciais do homem, que podem vir a ser comprometidas diante de situações acidentais de quedas ou traumas, bem como decorrentes de doenças agudas ou crônicas que afetam as funções de movimentação muscular. A independência do idoso para atividade física e movimentação implica que a pessoa adote conduta de cuidado pessoal e de atenção ao meio ambiente. Esta atenção envolve também pessoas da família ou amigos. E necessário desenvolver formas que contribuam para diminuir as doenças crônicas, como hipertensão e diabetes, bem como perdas relacionadas com as funções motoras, como a movimentação, ajudando, dessa forma, a melhorar a condição de vida dos idosos. E importante que eles participem, determinando quais as suas prioridades, bem como as capacidades que possuem para o desenvolvimento das atividadesfísicas escolhidas e propostas. Sugere-se que antes do inicio das atividades físicas, solicitem orientação medica para avaliar a indicação das mesmas. Deve-se sempre considerar a capacidade física do idoso e escolher a forma mais adequada quanto à atividade física, movimentação e transferência. O idoso muitas vezes pode apresentar dificuldade para andar, necessitando de bengala, muleta, cadeira de rodas e de pessoas para transferi-los de um lado para o outro. O uso da bengala deve ser feito como apoio no lado oposto ao lesado.Atenção ao piso, que deve ser plano, não liso, para evitar deslizes e quedas. Quanto ao uso de muletas, deve haver um período de treinamento com um profissional capacitado antes de o idoso andar sozinho. Ao movimentar o idoso na cama ou mudá-lo de posição, deve-se ter em mente previamente como realizar a mudança mantendo-se numa postura adequada. Uma pessoa, quando fica muito tempo acamada, pode apresentar alguns problemas ao sentar, portanto ele deve ser colocado na posição sentada vagarosamente. Alimentação e Hidratação Fatores Que Interferem na Alimentação do Idoso Alterações digestivas: à medida que surge o envelhecimento, ocorrem mudanças no corpo, que passa a ter necessidade de certas substancias nutritivas dos alimentos. As alterações nos órgãos da digestão levam a diminuição da capacidade de absorção alimentar, a atrofia das glândulas salivares e a diminuição do paladar. Eles apresentam dificuldade na digestão e na função excretora do pâncreas. A perda dos dentes e condição relativamente comum nos idosos havendo, então, a substituição por próteses dentaria que, ao se tornarem desgastadas, impedem o bom controle da mastigação. Fator Psicológico: o estado emocional do idoso e outro fator que afeta a ingestão de alimentos. Algumas pessoas usam o alimento como fonte de conforto esegurança; elas

falta de ar. Os idosos apresentam uma diminuição da quantidade e água corporal total. hipertensão arterial. frutas etc. febre. Ser equilibrada de proteínas. o fumo e a digestão podem interferir na ingestão de uma alimentação suficiente. antibióticos e antiinflamatórios. Ser rica em fibras. dietas pastosas. acelerar o processo de envelhecimento. e a orientação medica determinara o volume total a ser ingerido. A quantidade de alimentos deve ser suficiente para atender as necessidades do organismo e manter o equilíbrio nutricional. Esses fatores podem conduzir os idosos à desnutrição. por muitos idosos. etc. como calor excessivo. papas. Ser moderada na quantidade de sal e açúcar. Conter baixo teor de gordura. Respeitar seus hábitos alimentares. gerando freqüentemente uma desidratação simples. a sua idade. Alguns medicamentos para dor. Outras alterações também alteram o apetite dos idosos. o uso de hidratantes oral e aconselhável. em pequenas quantidades e sempre com o idoso sentado para evitar . líquido.. sempre que possível. vitaminas e sais minerais. Ter boa quantidade de líquido. infecções e falta de apetite. diabetes descompassados infecções podem determinar quadros de desidratação extremamente graves.deficiências físicas que tornam difícil fazer compras ou cozinhar. sexo e atividade física.podem comer excessivamente em decorrências de suas necessidades ou da falta de satisfação das necessidades básicas do amor. o aparecimento de infecções. como por exemplo. usado no tratamento de doenças. diminuir as condições de defesa orgânica. de insuficiência cardíaca. favorecendo. Apresentar aspecto agradável. A administração de líquido deve ser revestida de alguns cuidados: A orientação medica e importante em pacientes portadores de malde Alzheimer. Conter alimentos de fácil digestão. Alimentação Ideal para o idoso Deve observar que a alimentação dos idosos deve. assim. com muita paciência. febre. A oferta de líquido deve ser feita em intervalos regulares. podem causar limitações alimentares por seus efeitos colaterais Fatores Socioeconômicos: a nao-ingestao de uma alimentação adequada. insuficiência renal. Problemas de saúde: o alcoolismo. incluindo falta de dinheiro. A ingestão e comum nos idosos e podem ser acompanhada de eructação (arroto). Em situações anormais como: calor excessivo. flatulência e azia. pode ser motivada por diversos fatores. No calculo do volume total a ser ingerido devem ser levado em conta sopas. o idoso deprimido que não deseja comer. ressecamento das mucosas. Fatores de ordem ambiental. etc. A quantidade necessária de líquido varia caso para caso.. por todos os familiares. Hidratação A oferta constante de líquido e fundamental. para o coração. apatia. caracterizada por apatia. A alimentação deve ser adequadaàs condições fisiológicas ou patológicas do individuo.

Apos a administração da dieta pela sonda deve-se injetar água para menti-la limpa e sem risco de entupimento e obstrução. As dietas integrais são combinações de alimentos especiais.engasgamento. de acordo com alguns cuidados elementares de asseio e esterilização. A hidratação por sondas e um recurso importante para os idosos com dificuldades de ingestão de líquido. Nesses casos e melhor procurar orientações necessárias ao medico e/ou nutricionais. Os idosos devem ser encorajados a fazer suas refeições com amigos ou familiares. Alguns idosos desenvolvem preferências por determinados alimentos ou recusam-se a receber alimentos por melhor que sejam as ofertas. e importante a contribuição do terapeuta ocupacional. . Para isso. A observação constante durante a alimentação do idoso permite corrigir as dificuldades apresentadas na deglutição. O suporte nutricional integral nestes casos e necessário para garantir o aporte nutricional alimentar adequado. quando sua ingestão e insuficiente ou mesmo quando sua digestão ou absorção esta prejudicada. Deve-se permitir que o idoso alimente-se por si só. a empenhar-se em atividades que estimulem o apetite. se ele for capaz. que o idoso comseqüela de AVC apresenta com freqüência na fase inicial de sal recuperação. na consistência liquida preparados em casa. como andar ao ar livre ou fazer exercícios leves. Alimentação por sondas As sondas integrais ou gástricas são utilizadas quando o paciente não pode alimentar pela via oral. A dieta liquida ou pastosa e uma possibilidade usada para diminuir o problema do engasgo. A utilização de equipamentos especiais para facilitar a alimentação do idoso e um recurso útil que assegura sua independência. A ajuda deve ser oferecida quando houver necessidade.

ANEXO .

EXAME OFTALMOSCOPICO 26 10.5. Cabelo e Couro Cabeludo 17 6.2.Percussão 10 4.Exame Físico Exame Físico a ser realizado pelos profissionais de Enfermagem 1-INTRODUCAO 07 2-SEMIOTECNICA 07 3.Acuidade visual 20 7.5.Preparo do Equipamento 15 6.5.METODOS DE AVALIACAO FISICA 08 4.CONDUTO AUDITIVO E MEMBRANA TIMPANICA 28 13.Campo visual 22 8.PREPARO PARA O EXAME 14 5.Olfato 13 4.4-Auscultação 11 4.Preparo do Equipamento 13 4.2.PAVILHAO AURICULAR 27 12.1.5.4.MOVIMENTOS EXTRA-OCULARES 23 9.Orelhas 27 11.3.Unhas 18 7.AVALIACAO DAS ESTRUTURAS EXTERNAS 24 10.ACUIDADE AUDITIVA 29 13.Preparo do Ambiente 14 5.1.2.Palpação 09 4.Preparo físico do paciente 13 5.4.1.Preparo do ambiente 13 4.3.SISTEMATIZACAO 07 4.Cabeça 19 7.2.1.TEGUMENTO 16 6.Inspeção 08 4.Olhos 20 7.SEIOS NASAIS 31 .Nariz e Seios Nasais 30 14.3.1.Preparo para o exame 13 4.2.Pele.NARIZ. 30 15.1.1.5.CABECA E PESCOCO 19 7.

1 Temperatura Corpórea 52 25.3 Exame de veias e Artérias Periféricas 42 22 MAMAS 46 22.2 Freqüência 58 26.4 Sopros 41 21 SISTEMA VASCULAR 41 21.1 Inspeção 48 23.3 Auscultação 40 20.BOCA.1 Tórax Posterior 36 19.3 Medição da Temperatura Corpórea 54 25.1.Nódulos Linfáticos 34 18.5 Alterações na Respiração 59 27 PRESSAO ARTERIAL 60 27.3 Amplitude 58 26.1.1.1.1 Mamas Femininas 46 22.1 Avaliação dos Movimentos Respiratórios de um Paciente 57 26.4 Verificação da Pressão Sanguínea 62 .2 Tórax Lateral 37 19.1 Inspeção e palpação 40 20.1 Fisiologia da Pressão Sanguínea Arterial 60 27.2 Auscultação 48 23.1.2 Percussão 40 20.1.3 Percussão 48 23.3 Tórax Anterior 38 20 CORACAO E SISTEMA VASCULAR 39 20.2.1.2 Genitália Externa 50 25 SINAIS VITAIS 52 25.3 Equipamento para Medição da Pressão Sanguínea 62 27.1 Inspeção 46 22.1.TORAX E PULMAO 35 19.1 Coração 39 20.2 Variações na Pressão Sanguínea 61 27.1 Preparo do Paciente 49 24.2 Veias Jugulares 42 21.4 Palpação 49 24 GENITALIA FEMININA E RETO 49 24.GLANDULA TIREOIDE 35 19.4 Diretrizes para Medição da Temperatura 54 26 RESPIRACAO 56 26.2 Febre 53 25.15.2 Mamas Masculinas 47 23 ABDOMEN 47 23.4 Ritmo 58 26. 32 17.2 Palpação 46 22.FARINGE 33 17.1-pescoço 34 17.Boca e faringe 32 16.1.1 Artérias Carótidas 42 21.1 Fatores que Alteram a Temperatura Corpórea 52 25.1.1.

O medico cuja percepção foi aguçada pela experiência.4 Verificação da Pressão Arterial nas Extremidades Inferiores 64 1 Introdução Terminada a anaminese. 3 Sistematizações Sugeriram que seja obedecida esta seqüência: Avaliação do estado geral Fácies Atitude e decúbito preferido no leito Atitude na posição de PE ou postura Movimentos involuntários Biótipo ou tipo morfológico Altura e outras medidas antropométricas Peso Desenvolvimento físico Temperatura corporal Febre Pele Mucosas Tecido celular subcutâneo e panículo adiposo Musculatura Veias superficiais Circulação colateral .4. O exame físico pode ser dividido em duas partes: 1) constitui o que se costuma designar de exame físico geral.2 Verificação em Crianças 63 27. somatoscopio ou ectoscopio. (2) corresponde ao exame dos diferentes sistemas e aparelhos que tem metodologia própria.3 Palpação 64 27.27. Constituem preliminares para um adequado exame físico geral os seguintes elementos: Local adequado Iluminação adequada Posição do paciente. dependendo de suas condições e do que se ira investigar. movimentos involuntários e posição anormal no leito são notados num relance). grandes deformidades. o exame físico tão logo avista o paciente (obesidade. consciente ou inconscientemente. sentado ou mesmo de PE. havendo varias manobras baseadas nestes procedimentos fundamentais queirão sendo descritas nos momentos oportunos. passa-se ao exame físico. o que será feito sem ofender o pudor do paciente.1 Auscultação 63 27.4.4.4. o qual poderá estar deitado. 2 Semiotecnica O exame físico geral e realizado pela inspecao e palpação. Dispor de instrumentos e aparelhos rotineiros. começa. aspecto incomum da pele. A parte a ser examinada deve ser descoberta.

simetria. coloração. assim como as variações de normalidade de um paciente em particular.Edema Enfisema subcutâneo Avaliação do estado de nutrição Avaliação do estado de hidratação Fala e linguagem Marcha Avaliação do nível de consciência. Em primeiro lugar ele aprende a reconhecer as características físicas normais.5 cm e neste trabalho o cuidado e regra geral. Quaisquer áreas sensíveis localizadas serão. Apos a aplicação da palpação suave. A extensão dos achados dependera de o profissional utilizar uma abordagem metódica.2 Palpações A avaliação adicional das partes do corpo e realizada pelo sentido do tato. tais como os do abdômen. certificando-se de que todas as áreas sejam inspecionadas completamente. posteriormente. uma fonte adicional de iluminação e necessária. 4 Métodos de avaliação física. a palpação e utilizada para o exame de todas as partes acessíveis do corpo. Se possível. Para o paciente e importante estar relaxado e em posição confortável. Cada área deve ser inspecionada quanto ao tamanho. Os achados resultantes de uma inspecao assim realizada poderão levantar questões que exijam um exame mais profundo. intensifica-se a pressão para examinar as condições dos órgãos. As áreas mais delicadas são examinadas por ultimo. E necessária muita experiência para reconhecer as variações normais entre os pacientes. A tensão muscular de um paciente durante a palpação impede que o examinador utilize habilidade de modo eficiente.O examinador pressiona a região aproximadamente 2. para então passar a distinguir aquilo que foge da normalidade. temperatura e percepção de movimentos. O profissional que faz uma investigação minuciosa durante uma inspecao obterá muitas informações sobre o paciente. cada área inspecionada deve ser comparada com a mesma área no lado oposto do corpo. Apalpação profunda pode ser executadas com uma das mãos ou ambas(bi manualmente). 4. 4. Neste . As mãos podem medir delicada e sensitivamente sinais físicos específicos. A qualidade dessas inspecao dependera da disposição do profissional em gastar o tempo necessário a um exame completo. posição e anormalidades. Iluminação adequada à exposição total da parte do corpo para exame são fatores essenciais para uma boa inspecao. assim sendo.1 Inspecao O profissional inspeciona ou examina visualmente o paciente para detectar sinaisfísicos. examinadas mais detalhadamente. Para inspecionar as cavidades do corpo. aparência. O profissional utiliza diferentes partes da Mao para detectar características como textura. O profissional coloca seu Mao sobre a área a ser examinada e aprofunda cerca de 1 cm. A palpação e freqüentemente utilizada durante ou apos a inspecao.

Essa vibração e transmitida através dos tecidos do corpo e a natureza do som vai depender da densidade do tecido subjacente. Em primeiro lugar. Cada os um desses sons e avaliado por sua intensidade. O Mao que fica por baixo não exerce pressão diretamente e assim refém a sensibilidade necessária para detectar as características do órgão que esta sendo examinado. tamanho e densidade de uma estrutura subjacente são determinadas através da percussão. duração e qualidade. Alguns sons podem ser percebidos com a orelha sem equipamento. Através do conhecimento de como as varias densidades influem nos sons.3 Percussões Esta habilidade requer maior pericia. mantendo o antebraço estacionário. A percussão indireta e executada colocando-se o dedo médio da Mao não dominante do examinador (chamado de plessometro) firmemente contra a superfície do corpo. um ou dois dedos. altura. o estudante preciso se familiarizar com os sons normais gerados pelos órgãos internos (por exemplo. A percussão produz cinco tipos de som: timpânico. embora a maioria deles seja possa ser detectada através de um estetoscópio. ressonância. uma das mãos (chamada a Mao sensitiva) fica relaxada e colocada sobre a pele do paciente. o profissional será capaz de localizar órgãos ou massas. Quando o examinador golpeia a superfície do corpo com um dos dedos. as bulhas cardíacas ou o murmúrio vesicular nos pulmões). de mapear seus limites e de determinar seu tamanho. O profissional terá mais sucesso na execução da auscultação. O examinador utiliza um golpe rápido e curto com o dedo plissa. Cada som e tipicamente produzido por certos tipos de tecid subjacentes. o som será abafado ou suavizado. enquanto a outra Mao (Mao ativa) aplica a pressão para a Mao sensitiva. Mantendo a palma e/ou outros dedos afastados da pele. tipicamente.4 Auscultações A auscultação e o processo de ouvir os sons gerados nos vários órgãos do corpo para identificar variações do normal. 4. Um golpe rápido e suave normalmente produz o som mais claro. Um som anormal sugere a presença de massa ou substancia. surdo e grave. Este método também ajuda a verificar anormalidades avaliadas através da palpação e da auscultação. 4. tais como liquido dentro de umórgão ou cavidade do corpo. A percussão direta envolve um processo de golpe amento da superfície do corpo diretamente com os dedos. a ponta do dedo médio da Mao dominante (chamado de plisso) golpeia a base da articulação distal do plessometro. Os sons anormais poderão ser reconhecidos depois que o estudante aprender as variações sonoras normais. O punho deve estar relaxado para conduzir adequadamente o golpe. O profissional não deve utilizar a palpação sem ter antes considerado cuidadosamente o paciente e suas condições. produzira uma vibração e um som. hiper-ressonancia. Utilizam-se.ultimo caso. A mesma forca deve ser aplicada a cada região a ser examinada de modo a permitir uma comparação precisa de sons. impedindo a transmissão para as estruturas subjacentes. A localização. Ele deve considerar a área do corpo a ser examinada e o motivo do uso da palpação ale de ser realmente hábil para discriminar e interpretar o significado do que esta sendo percebido no exame. se o plessometro estiver folgado ou se a palma da Mao estiver em contato com a superfície do corpo. Se o golpenão for curto. se conhecer os tipos de sons provenientes de cada es trutura do corpo e .

de modo que o profissional possa conduzir sem dificuldades e com omínimo possível de interrupções. As quatro características de um som são a freqüência ou altura. o profissional podereconhecê-los e desconsiderá-los durante um exame real. media ou longa. a cabeceira da mesma poderá ser levantada cerca de 30 graus. quando o paciente esta emposição de superação. o profissional precisa Ter boa acuidade auditiva.3 Preparo do Equipamento O profissional deve ter todo o equipamento necessário pronto e disponível antes de iniciar o procedimento. Quanto maior a freqüência. de modo a facilitar o acesso às partes do corpo que estão sendo examinadas. A sonoridade e a amplitude da onda sonora produzida por um objeto em vibração. Se possível. assovio ou crepitações descrevem a qualidade do som. Camadas de tecidos moles abafam a duração de sons provenientes dos órgãos internos profundos. Um som também varia quanto à duração ou extensão de acordo com o numero de vibrações continuas. Durante partes do exame. Todo o equipamento deve ser verificado quanto ao funcionamento adequado. resultando em um ruído intenso. resultantes de fontes diferentes. Pode-se também fornecer ao paciente um pequeno travesseiro. o profissional poderá elevá-lo. tanto o equipamento a ser utilizado como as mãos do examinador deverão estar aquecidas.5. qualidade e duração. maior será a altura de um som e vice-versa. um bom estetoscópio e o conhecimento sobre como utilizar esse equipamento adequadamente. Uma onda de energia sonora elevada produzira altas amplitudes.5. Um profissional precisa ficar familiarizado com o estetoscópio antes de tentar utilizá-lo em um paciente.5. e também importante que o profissional esteja familiarizado com a natureza e significado dos odores do corpo 4. intensidade ou sonoridade. Para se tornar suficientemente hábil em auscultação. Termos como sopro. 4. Será muito útil praticar esse método utilizando o equipamento em um colega. Um grande numera de sons estranhos gerados pelo movimento do tubo de borracha ou do conjunto receptor do tórax vão interferir na auscultação dos sons dos órgãos. Os sons auscultados são geralmente descritos como altos ou suaves.5 Olfatos Enquanto realiza a avaliação física. . O profissional devera eliminar todas as fontes de ruídos estranhos e tomar os devidos cuidados para evitar interrupções por parte da equipe de saúde durante o exame. 4.1 Preparo para o exame O paciente devera estar devidamente preparado tanto física quanto psicologicamente. 4.localização das áreas onde esses sons podem ser mais facilmente percebidos. ao examinador o paciente no leito.2 Preparo do ambiente O ambiente devera ser adequado p/ o exame em local privado e com todo equipamento necessário e disponível. A duração de um som pode ser curta. A qualidade e utilizada para distinguir sons de freqüência e sonoridade semelhantes. Ao produzir deliberadamente esses sons. A freqüência de uma vibração e o numero de ciclos de ondas gerados por segundo pelo objeto emvibração. Essas vibrações podem ser diminuídas ou abafadas pela resistência do atrito.

O preparo físico também inclui verificar se o paciente este adequadamente vestido e coberto. Independentemente do local.5. para isto evitando correntes de ar. controlando a temperatura da sala e providenciar cobertores adequados. o profissional deve ter todo o equipamento necessário pronto e disponível antes de iniciar o procedimento. de modo que o profissional possa conduzir o exame sem dificuldades e com o mínimo possível de interrupções.1 Preparam do Ambiente Os pacientes podem ser examinados em uma sala especial ou no quarto. Avental para o paciente. Eliminar todas as fontes de ruídos estranhos e tomar os devidos cuidados para evitar interrupções por parte da equipe de saúde durante o exame. Instalações para lavagem das mãos. ou ate mesmo o uso dedivisórias. O ambiente devera ser adequado para o exame e todo o equipamentonecessário devera estar disponível. Deve-se proporcionar o ele privacidade e tempo suficiente para se despir. Calor adequado ao conforto do paciente. A bexiga e os intestinos vazios facilitarão o exame do abdômen.2 Preparam do Equipamento Nenhum paciente gosta que o exame se prolongue alem do temponecessário. Uma porta ou uma cortina para garantir privacidade. Se possível tanto o equipamento a ser utilizado como as mãos do examinador deverão estar aquecidas. O examinador deve se certificar de que o paciente este confortavelmente acomodado . 5 Preparam para o Exame Em nenhum momento deve se conduzir qualquer parte de um examefísico ao acaso. Espaço suficiente para a movimentação de cada lado do paciente. Alem sendo. da genitália e do reto. o examinador deve perguntar se o paciente que utilizar o ba nheiro. O paciente devera estar devidamente preparado tanto física quanto psicologicamente.4 Preparo físico do paciente O conforto físico do paciente e vital para o êxito do exame. Uma mesa ou uma cama forrada e confortável. Todo o equipamento deve ser verificado quanto ao funcionamento adequado. Apos o paciente ter tirado a roupa e vestido a camisola. Iluminação apropriada. Lençol de papel ou de tecido. a área deve ter: Fácil acesso a um banheiro. ele devera sentar ou deitar-se na -se mesa de exames com o lençol sobre o colo ou tronco inferior. O examinador deve se certificar de que o paciente permanece aquecido. Antes de dar inicio ao processo. 5. Balcão ou superfície limpa para colocar o equipamento. Um container para receber itens sujos.4. Esta e também uma boa ocasião para a coleta de urina e fezes. Para um exame básico. . O preparo inadequado pode facilmente resultar em achados incompletos e incorretos. ha necessidade dos seguintes materiais: Luvas. 5.

ela pode ser a mesma em todo o corpo ou pode variar em uma região especifica. Abaixador de língua. quanto à tonalidade. umidade. O profissional deve inicialmente observar todas as superfícies da pele e avaliá-la gradualmente enquanto são examinados outros sistemas do corpo. A hidratação da pele e das membranas mucosas ajuda a revelar a concentração liquidam do corpo. 6. O profissional deve aprender a direcionar a inspecao para as regiões de pigmentação anormal e para os locais onde as anormalidades são mais facilmente identificadas. . alterações no tegumento e a regulagem da temperatura corpórea. com a ponta dos dedos segurar e soltar uma dobra de pele do dorso daMao ou antebraço do paciente. A temperatura da pele e mais corretamente avaliada palpando a pele com o dorso da -se Mao. cabelos. deve-se. Em condições normais. temperatura e toque. E fundamental que a região da pele em exame esteja absolutamente iluminada durante o processo. são utilizados para medir a função e integridade do tegumento. O exame começa com a inspecao da coloração da pele. A textura normalmente não e uniforme em todo o corpo. A pigmentação da pele normal varia. quantidade e consistência. Esfigmomanometro. Dois métodos de avaliação física. textura e torgo. A avaliação da temperatura da pele e básica. O profissional deve determinar se a pele do paciente e lisa ou enrugada por meio de suaves batidas aplicadas com as pontas dosdedos.1 Peles. 6 Tegumentos A pele ou tegumento fornece a proteção externa do corpo. A coloração da pele varia de pessoa para pessoa e também conforme a região do corpo. Uma diminuição no tumor predispõe o paciente a fissuras cutâneas. do marfim ao marrom escuro. As pontas dos dedos são utilizadas para sentir a umidade da pele. temperatura. Ele utiliza os achados da avaliação para determinar os tipos de medidas de higiene necessários para a manutenção da integridade do tegumento. Se houver quaisquer lesões com drenagem liquida. A avaliação do sistema tegumentar inclui a pele. Formulário e caneta. Deve-se observar cuidadosamente a presença de edemas ou quaisquer lesões. a pele se eleva facilmente e ao ser liberada volta imediatamente à posição de repouso. Diapasão e relógio de pulso com marcador de segundos. couro cabeludo e unhas. Estetoscópio. Termômetro. Para avaliação do tumor (elasticidade da pele) da pele o examinador devera. Pele excessivamente seca pode indicar desidratação ou uso de quantidades excessivas de sabão durante o banho. O paciente com torgo insatisfatório não apresenta capacidade rápida de recuperação ao desgaste normal da pele.Balança. regula sua temperatura e agem como órgão sensorial para a dor. a inspecao e a palpação. A transpiração revela a tentativa do organismo em promover a perda de calor. Aquilo que parece estar fino e úmido pode ser na realidade espesso e oleoso. Instrumento para exame de garganta. sempre que o paciente tiver risco de apresentar interrupção de circulação. observar a coloração. odor. Alterações localizadas podem ser encontradas como resultado de traumas ou lesões. Cabelo e Couro Cabeludo.

textura e lubrificação das peles. artérias carótidas.A palpação das unhas avalia a adequação da circulação ou do suprimento capilar.1 Cabeças . Para a palpação. Em pacientes de raça negra. logo liberado. por exemplo. lisas. Verrugas no couro cabeludo podem indicar caspa ou psoríase.As unhas devem ser inspecionadas quanto a coloração. as unhas crescem em ritmo constante. entretanto deve voltar imediatamente apos a liberação da pressão. Qualquer lesão deve ser avaliada utilizando-se as mesmas diretrizes já descritas na parte relativa às lesões de pele. esse crescimento. A separação cuidadosa dos fios de cabelo em vários locais permite que o profissional tenha uma visão completa do couro cabeludo. a base da unha fica esbranquiçada ou pálida. as unhas são transparentes. glândula tireóide e traqueia). axilas e regias púbica) e a penugem (pelos pequenos. com a base rosada e as pontas claras e translucidas. em avaliar a distribuição. inicialmente.A cianose provoca uma aparência azulada na base da unha. nariz. As artérias carótidas também podem ser avaliadas durante o exame das artérias. O couro cabeludo e inspecionado quanto ao contorno e a presença de lesões.2 Unhas As unhas também refletem o estado geral de saúde de um individuo. comexceção da palma das mãos e dos pés). Alem disso. O profissional precisa ter boa compreensão de cada área anatômica e de sua respectiva função fisiológico normal. formato e curvatura. Enquanto existe a pressão. o profissional devera estar familiarizado com a distribuição normal dos pelos em homens e mulheres. espessura.A coloração das unhas e um bom indicador da oxigenação sanguínea do corpo. o profissional aperta suavemente o dedo do paciente e observa a coloração da base da unha.Unhas finas podem ser indicativas de doenças nutricionais. com freqüência. palidez transparente e resultado de anemia. Para uma avaliação correta. 7 Cabeça e pescoço Um exame da cabeça e do pescoço funciona como revisão da integridade das estruturas anatômicas. faringe e pescoço (linfonodos. Normalmente. orelhas. olhos. palpação e auscultação.Ha dois tipos de pelos cobrindo o corpo: o terminal (cabelo longo. Em condições normais. pode ser alterado por doença sistêmica ou lesões diretas. delicados e suaves que cobrem todo o corpo. 7. Caso sejam encontradas massas ou escoriações pergunta-se ao paciente se ele sofreu algum trauma na cabeça. localizadas no folículo capilar. A seguir. Podem ocorrer alterações na textura. convexas. febre pode resultar em perda de cabelo. devera inspecioná-los para verificar a presença de pedículos (piolhos) e outros parasitas. a coloração rosada. O profissional deve se preocupar. espessura e lubrificação do couro cabeludo. 6. boca. Alguns distúrbios nas funções do corpo como. espessura. sendo que inspecao e palpação são. com o polegar. Falha nesse mecanismo de retorno indica de imediata ocorrência de insuficiência circulatória. Para a avaliação da cabeça e pescoço utilizam-se os métodos de inspecao. grosso e abundante facilmente visível no couro cabeludo.alterações no formato e curvatura das unhas são indicativas de doença sistêmica. O cabelo e normalmente lubrificado pelo óleo das glândulas sebáceas. que inclui a cabeça. uma pigmentação negra ou marrom existe normalmente entre a unha e a raiz. aplica uma pressão firme e moderada na base da unha. porem. executadas simultaneamente. de modo rápido.

Posiciona-se o paciente a uma distancia de 6m da tabela e pede a ele que tente a -se menor linha impressa possível por três vezes: uma com ambos os olhos. A tabela de Selem tem números padronizados ao final de cada linha impressa. utiliza-se a tabela ocular de Selem. O profissional deve saber se o paciente e alfabetizado e pode ler. fotofobia (sensibilidade a luz). poderá ler uma linha que uma pessoa com visão normal pode ler a 200 pés de distancia (aproximadamente 60m).O profissional deve inspecionar a cabeça do paciente observando tamanho. o profissional coloca o paciente em PE ou sentado a uma distancia de 60 cm. prurido. Para uma avaliação mais exata da acuidade visual. O exame de olho inclui a avaliação da acuidade visual. diplopia (visão dupla). A forma mais fácil de iniciar a avaliação da acuidade visual de um paciente e pedir a ele que leia qualquer material impresso disponível. O enfermeiro move um dedo para fora . E importante que o profissional ensine ao paciente os sintomas mais comuns de distúrbios oculares. estes devem ser mantidos durante a leitura. enquanto o olho oposto e coberto com um cartão opaco.4 Campos visuais.2 Olhos Um bom programa preventivo de saúde exige que os pacientes com menos de 40 anos de idade façam um exame completo de visão a cada três ou cinco anos. do campo de visão. todos os objetos na periferia podem normalmente ser visualizados. O denominador e a distancia a partir da qual o olho normal pode ler a tabela. oscilações. Deve haver iluminação adequada. Apos essa idade. menor será a acuidade visual desse paciente. As deformidades cranianas locais são tipicamente provocadas por traumas. Se o paciente normalmente usa óculos. permanecendo a uma distancia de 20 pés (aproximadamente 6m). O numerador e o numero 20 ou a distancia padrão do paciente em relação à tabela. dos movimentos extra-oculares e de suas estruturas interna e externa. Quanto maior o denominador. depois com cada olho em separado. Os adultos podem apresentar cabeça com dimensões maiores devido à secreção excessiva do hormônio de crescimento (acromegalia). um valor de 20/200 significa que o paciente. O paciente devera usar os óculos. queimação. incluindo dor. 7. A constelação prematura de doenças oculares e de vital importância. uma cabeça muito grande pode ser resultado de anomalias congênitas ou acumulo de liquido cérebro-espinhal nos ventrículos (hidrocefalia). ao nível dos olhos do examinador. Por exemplo. lacrimeja mento em excesso. O crânio e geralmente arredondado. o exame devera ser feito a cada dois anos particularmente com o objetivo de pesquisa para a existência de glaucoma. 7. A visão normal e 20/20. O paciente fecha ou cobre suavemente o olho e olha nos olhos do profissional que esta em posição diretamente oposta.3 Acuidades visuais. forma e contornos. Quando uma pessoa olha para frente. a menos que estes tenham sido prescritos para leitura. Para a avaliação dos campos visuais. Um paciente com qualquer prejuízo da visão necessitara da ajuda do profissional na execução de atividades cotidianas. Ele fecha seu olho oposto de modo que o campo devisão fique sobreposto ao campo de visão do paciente. com proeminências na região frontal anteriormente na área occipital posteriormente. Em crianças. 7. embasamento de visão e aureolas ao redor de focos de luz.

cujas partículas penetram nas pálpebras. ainda. Quando os olhos estão em posição normal. a pálpebra tem a mesma cor da pele do paciente. O profissional observa então o movimento paralelo do olho. Epidemia palpebral indica inflamação ou infecção da região. Quando o paciente olha para frente diretamente para o profissional. o profissional fica de PE. Se for observada a presença de pele descamativa ao redor das sobrancelhas. ele observa a posição e o alinhamento dos olhos. A queda anormal da pálpebra sobre a pupila e chamada de ptose. As sobrancelhas são inspecionadas quanto à quantidade de pelos e movimentos. pergunta ao -se paciente se ele apresenta irritação crônica do olho. para baixo e diagonalmente para cima e para baixo. impedindo-as . Elas são normalmente simétricas. deve -se suspeitar da ocorrência de paralisia do nervo facial. as pálpebras não cobrem a pupila e a esclerótica não pode ser visualizada acima da Iris. A saliência dos olhos. diretamente em frente ao paciente. para cima. Se os olhos assumem posiçõealterações neuromusculares ou um defeito hereditário na posição do olho. O procedimento e repetido para cada campo visual. Normalmente. À medida que ele olha em cada uma dessas direções. Pode-se também observar a existência de posicionamento irregular das pálpebras e uma lesão neste local pode provocar uma irritação na membrana conjuntiva. esta anomalia e provocada por edema oulesão do terceiro nervo craniano. a exoftalmia.do campo de visão e o traz de volta vagarosamente. por exemplo. O movimento de cada olho e dirigido por um conjunto de seis pequenos músculos. simplesmente fazendo com que ele olhe o mais longe possível à esquerda ou à direita. Em primeiro lugar. Insuficiência renal e cardíaca ou alergias podem provocar a formação de edema das pálpebras. nistagmo. Os olhos se movem em paralelo um ao outro. a pálpebra superior é cobre discretamente a Iris. ele segue o movimento do dedo do examinador através dos oito olhares cardeais. Para inspecionar a posição e o alinhamento dos olhos. que e uma pequena oscilação rítmica dos olhos. O profissional pode provocar esta oscilação em um paciente com movimentos normais dos olhos. Este olha para a direita. 9 Avaliações das estruturas externas. ao nível dos olhos e pede a ele que olhe para seu rosto. Se o paciente não for capaz de mover as sobrancelhas. A perda ou ausência de pelos indica distúrbios hormonais. O dedo do examinador fica dentro do campo normal de visão. para esquerda e para direita. Quando os olhos se movem em cada direção do olhar. em cada direção do olhar. o examinador move o dedo vagarosamente e suavemente. As pálpebras também deverão ser inspecionadas quanto à coloração. a existência de um distúrbio dos nervos cranianos que inervam estes músculos. isso revela que uma parte do campo de visão do paciente esta reduzida. e então pergunta ao paciente quando ele vê o dedo se aproximar. Se o profissional perceber o dedo antes do paciente. 8 Movimentos extra-oculares. As sobrancelhas são freqüentemente afetadas por uma forma de seborréia. O dedo e mantido a uma distancia confortável (15 a 30 cm) do paciente. a posição da pálpebra superior em relação a Iris e a presença de movimentos anormais como. para a esquerda. provocando irritação. edemas e a eventual presença de lesões. e normalmente provocada por um distúrbio da tireóide. Estes são normalmente paralelo um ao outro. Distúrbios no movimento ocular refletem lesões locais nos músculos e estruturas de suporte do olho ou. O paciente não devera mover ou virar a cabeça.

alem da presença de desconforto ou drenagem. Para testar a acomodação. A pálpebra inferior e pressionada suavemente com o polegar colocado contra a orbita e o paciente e solicitado a olhar para cima. bloqueando o fluxo lacrimal. localizado no canto nasal ou canto interno do olho. Qualquer anormalidade que exista no caminho desde a retina. provocando uma contração consensual da pupila oposta. Geralmente o próprio paciente pode pressionar a pálpebra para facilitar o trabalho do examinador. composta da córnea sensitiva e da conjuntiva. Estas são geralmente arredondadas e iguais em tamanho. O ducto nasolacrimal pode ficar obstruído. Em condições normais essa glândula não e percebida. Ao se direcionar um foco de luz através da pupila e na retina. por dentro da borda orbital. uniformidade. Assim a região da glândula deve ser inspecionada quanto à presença de edema ou epidemia e palpada suavemente para a verificação da sensibilidade. eatravés dos nervos ate a Iris provocara alteração na habilidade das pupilas em reagir à luz. Se o paciente olhar para a luz. As lagrimas escorrem da glândula pela superfície do olho ate o ducto lacrimal. tamanho. A superfície anterior do olho. O profissional deve observar as pupilas quanto ao formato. Essa conjuntiva e normalmente transparente permitindo que o examinador observe os delgados vasos sanguíneos subjacentes que lhe dão uma coloração rosada. A conjuntiva bulbar cobre a superfície exposta do globo ocular ate o limite superior da córnea. Pedese ao paciente para olhar para baixo e relaxar os olhos e evitar qualquer movimento súbito. O Iris ao redor da pupila deve ser inspecionado para verificar a existência de defeitos ao longo de suas margens. e umedecida ou lubrificada pelas lagrimas produzidas pela glândula lacrimal. Os reflexos pupilares incluemreações a luz e acomodação e deverão ser testados em uma sala suavemente escurecida. Essa glândula pode ser num local de aparecimento de tumores ou infecções. A pupila iluminada diretamente se contrai. dirigindo o foco de luz diretamente para a pupila.de se fecharem. A coloração da conjuntiva e a presença de edema devem ser observadas. estas devem ser inspecionadas quanto a suas características típicas. estimula-se o terceiro nervo craniano que enerva os músculos da Iris provocando uma constrição. Quando o paciente estiver olhando diretamente para frente o examinadortrará a lanterna a partir do campo lateral ao rosto do paciente. o examinador manter um dedo aproximadamente 10 a 15 cm afastado do nariz do paciente. dificultando o exame. Uma conjuntiva pálida e resultado de anemia. Apos a inspecao. Apreensão suave dos cílios superiores manterem a pálpebra invertida. O profissional deve verificar a existência de lacrimeja mento excessivo ou edema no canto interno. O profissional deve observar a rapidez do reflexo. O profissional puxa a pálpebra superior para baixo fazendo a reversão. Coloca-se um cotonete com a extremidade a 1 cm acima da pálpebra. Uma leve palpação desse ducto na pálpebra inferior. os cílios são suavemente puxados para frente e pede ao paciente que olhe para cima. Para que a exposição seja adequada às pálpebras deverão estar retraídas sem que se faca pressão sobre o globo ocular. A conjuntiva da pálpebra e a membrana delicada que contorna as pálpebras. Este e solicitado a olhar para o dedo e em seguida para a . A pálpebra -se voltara a sua posição normal. Utiliza-se uma técnica especial para a inspecao da conjuntiva da pálpebra superior. A esclerótica pode ser vista sob a conjuntiva bulbar e apresenta uma coloração de porcelana branca. Caso existam lesões. Muitos pacientes começam a piscar. acomodação e reação a luz. Esta glândula esta localizada na parede superior externa da região anterior da orbita. poderá provocar a regurgitação das lagrimas. Pupilas dilatadas ou contraídas pode ser o resultado de distúrbios neurológicos ou efeitos de medicamentos oculares. A pálpebra superior e suavemente segura e os cílios são puxados para baixo e para frente. enquanto uma aparência bastante avermelhada e sinal de inflamação. haverá uma falsa reação a acomodação.

esse focaliza a luz na pupila do paciente. Os especulo estão disponíveis em diferentes tamanhos para se adaptarem ao tamanho do conduto auditivo dos pacientes. O profissional deve examinar mais cuidadosamente a presença de secreção na orelha e o tamanho do meato auditivo externo também deve ser observado. as estruturas internas serão mais bem focalizadas. Durante aavaliação. presença de lesões da retina e aparência da macula e da fóvea. em relação ao tamanho. A luz passa através da pupila para iluminar o fundo do olho que inclui a retina. O examinador inspeciona a região quanto ao tamanho. enquanto os discos ajustam as lentes do equipamento. secreção. dois discos ou mostradores e um orifício de observação. O profissional examina a localização dos pavilhões. o pavilhão e tracionado e pressiona-se o trago. seu tamanho e simetria.parede mais distante. a macula. uma razão de 3:2 de veias para artérias. a macula avascular. coloração e claridade do disco óptico. O ponto superior de ligação com a cabeça fica em uma linha reta com o canto lateral do olho. a fóvea central e os vasos da retina. tinido . As pupilas normalmente se contraem ao olhar para o dedo do examinador e se dilatam ao olhar para a parede. retina roseoavermelhada. (zumbido) ou alterações na capacidade de audição. Se o paciente manifestar dor ou se o ouvido tiver o aspecto de inflamação. Em condições normais. Se a dor aumentar com a palpação. observam-se os seguintes aspectos: um disco do nervo óptico claro e amarelado. Normalmente fica nivelados um em relação ao outro. A estrutura mais profunda da orelha media e externa são pode ser observadas com o uso de um horoscópio. deve ser usado . o profissional deve aprender a utilizar um oftalmoscópico. Girando as lentes. Cada sintoma ajuda a determinar a natureza do problema do paciente. Uma secreção amarelada ou esverdeada e um sinal de infecção. Visando a inspecao completa das estruturas internas do olho. Em uma sala levemente escurecida. integridade dos vasos. 11 Pavilhões auriculares.1 Orelhas O profissional deve inspecionar as estruturas da orelha media e externa. O oftalmoscópico cumpre de um tubo movido a pilha provida de uma fonte de luz. palpar as estruturas externas e avaliar a acuidade auditiva do paciente. 10. O pavilhão auricular deve ser suavemente palpado para verificar a presença de lesões. com o paciente e o examinador sentados. Os mostradores controlam a quantidade de emissão de luz. provavelmente este presente uma infecção no ouvido externo. Um especula auditivo especial e acoplado ao tubo de bateria do oftalmoscópio. Para melhor visualização. O meato não deve estar edemaciado ou obstruído. 12 Condutos auditivos e membrana timpânica. 10 Exames oftalmoscópicos. o disco do nervo óptico. artérias em verme lho e veias em vermelho-escuro. Esta habilidade exige muita pratica e geralmente são e desenvolvida por especialistas em enfermagem ou clínicos. Orelhas de implantação baixa é um sinal de anormalidade congênita. a coróide. o profissional deve perguntar ao paciente se ele tem sentido dor prurido. Para o sucesso do exame e muito importante que o profissional esteja relaxado e com os olhos abertos ao olhar através do aparelho.

O som e conduzido através das estruturas das orelhas externa e media. o profissional pede ao paciente que incline acabeça suavemente sobre o ombro oposto. formada por uma pequena protuberância subjacente do martelo. mas a continuidade da transmissão sonora e interrompida em algum ponto ale dos ossículos. Move-se o horoscópio vagarosamente para a visualização total da membrana timpânica e da sua periferia. Em condições normais. O ombro fica próximo ao centro da membrana timpânica. pois estes dispositivos provocam a sedimentação do cerume no fundo do conduto auditivo.o maior especulo que puder ser confortavelmente adaptado ao conduto auditivo. com os braços seguros firmemente nas laterais do corpo. A pele nesse revestimento e muito fina e sensível a qualquer pequeno trauma. Uma perda neurossensorial envolve a orelha interna. Os bebes devem ficar em posição de superação. Ele deve cobrir a boca ou pedir ao paciente para fechar os olhos. Na posição superior da membrana timpânica encontra-se uma estrutura semelhante a uma saliência arredondada. para retificar o conduto auditivo. 13 Acuidades auditivas. expi ar totalmente e murmurar r suavemente alguns números no ouvido livre. Um conduto avermelhado indica inflamação. O examinador deve proceder cuidadosamente para assegurar-se da existência de rupturas ou lacerações na membrana timpânica. O profissional insere o especulo. O profissional identifica a presença de cerume (cera do ouvido) e verifica a existência de lesões. E muito importante que o paciente evite movimentos de cabeça durante o exame. A luz do horoscópio permite a visualização da membrana timpânica. neurossensorial e mista. atrás da qual se encontra a inserção do martelo. o trabalho e facilitado tracionando o -se pavilhão para cima ou para trás. Antes de inserir o especulo. a membrana timpânica e translucida ou cinza-perolado. corpos estranhos ou secreção no conduto. prevenindo sobre o perigo da inserção de -o objetos pontiagudos nessa região. Crianças e bebes precisam ser controlados. O profissional deve permanecer a uma distancia de aproximadamente 30 cm. Bebes-nos. o nervo auditivo ou o centro auditivo do cérebro. com as pernas seguras entre os joelhos dos pais. Crianças maiores poderão ficar sentadas no colo dos pais. Durante o processo o examinador pergunta ao paciente sobre o modo como o conduto auditivo e normalmente limpo. Um teste simples de avaliação de perda auditiva. Para a inserção correta do especulo. cuidando para não lesar o revestimento do conduto. Uma perda mista envolve a combinação dos dois tipos de perda auditivos já discutidos (condução e neurossensorial). impedindo a leitura labial. Os pacientes sob maior risco de perda auditivasão aqueles que trabalham em ambientes nos quais os ruídos são muito intensos. Se necessário o profissional pode elevar gradualmente a intensidade da voz ate que o pacientepossa repetir corretamente os . Uma perda auditiva por condução envolve a interrupção das ondas sonoras enquanto são transmitidas da orelha externa para a cóclea da orelha interna. Em virtude do seu posicionamento que fica em angulo afastado ao conduto auditivo. Deve-se evitar o uso de cotonete para a limpeza dos ouvidos. Nos adultos. pra trás e para cima. para prevenir quaisquer lesões do conduto auditivo e da membrana timpânica. o examinador devera verificar a existência de corpos estranhos na abertura do conduto auditivo. o pavilhão auricular e tracionado para trás e para baixo e em crianças maiores. consiste em solicitar ao paciente que tape uma das orelhas durante certo tempo com um dos dedos. a luz do horoscópio aparece mais em forma de cone do que de circulo. O profissional precisa estar familiarizado com as referencias anatômicas mais comuns e sua respectiva aparência. uma vez que essas ondas não são transmitidas através das estruturas das orelhas externas e medias. com a cabeça voltada para um lado. Existem três tipos de perda auditiva: condução.

O septo e inspecionado quanto a desvios. Um desvio de septo pode obstruir a respiração e interferir a passagem de uma sonda nasogastrica. o profissional devera encaminhar o paciente a um medico. Um segundo teste. resfriados freqüentes ou corrimentos pos-nasal. A mucosa nasal e o septo devem ser posteriormente examinados. Mucosa pálida com secreção transparente e sinal de processo alérgico. Uma infecção nos seios provoca uma secreção amarelada ou esverdeada. inflamações ou deformidades. o examinador cria uma coluna vibratória que emite ondas sonoras. falar com ele em um tom de voz normal e claro e olhar para ele de frente de modo que ele possa ver os lábios e o rosto. Em condições normais o paciente voltara a ouvir o som. Em condições normais o som pode ser percebido igualmente pelas orelhas. 15 Seios nasais. no mesmo lado em que a audição esta intacta.1 Nariz e Seios Nasais Avaliam-se a integridade do nariz e dos seios nasais pela inspecao e palpação. Será útil saber se a historia de enfermagem do paciente indica alergias. edema e desvios subjacente. são métodos simples aplicados para ajudar o paciente ao ouvir melhor a conversa. pois a condução pelo ar e mais duradoura que aquela efetuada através da estrutura óssea. A mucosa normal e rósea. . Enquanto inspeciona o nariz do paciente.números murmurados. Se existirem edema ou deformidades. Permanecer em PE. o nariz deve ser palpado suavemente para verificação de sensibilidade. Ele devera tomar todo o cuidado para asse gurar uma comunicação efetiva com o paciente. Traumas recentes podem provocar edema e descoloração. o examinador coloca odiapasão em frente ao pavilhão auricular. Batendo-se o diapasão contra a palma da Mao. 13. o profissional observa aexistência de assimetrias. o profissional coloca o diapasão em vibração firmemente contra a área central da testa do paciente pedindo a ele que indique onde o som e percebido. obstrução nasal. A secreção resultante de irritações nos seios e geralmente transparente e aquoso. Quando o paciente deixa de ouvir o som. A extremidade anterior do nariz e examinada em primeiro lugar. presença de lesões. envolve a colocação do diapasão em vibração primeiro sobre o osso mastóide. o profissional deve verificar rotineiramente o local para detectar a existência de escoriações das narinas. edema e evidencia de sangramento. 14 Nariz. Um especula nasal e utilizado para uma inspecao mais delicada e para a visualização das conchas nasais mais profundas. Para testar a acuidade auditiva do paciente nos ouvidos. O exame da mucosa verifica sua coloração. Estas regiões podem ser superficialmente examinadas iluminando-se cada narina com uma lanterna em forma de caneta. O uso de um diapasão e um teste mais refinado para a determinação da natureza de uma perda auditiva. hipóstase (sangramentos nasais). lesões e vasos sanguíneos superficiais. secreções. caracterizadas por epidemia e crostas na pele. Quando o paciente esta com a sonda nasogastrica. Caso a acuidade auditiva esteja alterada. secreções. O paciente deve inclinar a cabeça suavemente para trás oferecendo ao examinador uma visão mais adequada do septo e das conchas nasais.

Em condições normais.O exame dos seios nasais e limitado a palpação. utiliza-se uma luva para a palpação das lesões. Solicita-se ao paciente que remova próteses. sangramento e lesões. Em condições normais a língua deve possuir coloração um pouco avermelhada com margens laterais lisas e moveis. raramente causam problemas. simétricos e lisos. posição. Estas Varicosidades. Este órgão e altamente vascular. o profissional pede ao paciente para abrir a boca levemente e colocar o lábio inferior afastado dos dentes. tamanho. não completamente. existência de massas ou lesões. contorno e presença ou não de lesões. O palato duro ou céu da boca . utiliza-se um afasta dor. retração. Devem-se inspecionar os lábios quanto à coloração. Varicosidades podem ser observadas. O paciente devera abrir a boca o Maximo possível. ao nível dos olhos. edema.1 Boca e faringe Para proceder à avaliação da cavidade oral. de modo a permitir que o profissional observe a coloração da mucosa. o profissional visualiza os lábios de uma extremidade a outra. sensibilidade. Em condições normais a mucosa tem uma cor rosa brilhante. O paciente deve erguer a língua para permitir a inspecao adequada. ou atadura de gaze para retrair os lábios. os lábios são rosados. De vez em quando. o interior dos seios nasais se torna inflamado e edemaciado. a mucosa oral e um bom local para a verificação de icterícia ou palidez. O método mais efetivo para avaliação da sensibilidade e a palpação externa das áreas frontal e maxilar da face. O paciente deve relaxar a boca e colocar a língua para fora. Para a visualização da mucosa oral. se for o caso. mantendo a boca aberta para que o profissional possa examinar os palatos duro e mole. hidratação. A lanterna ilumina a porção mais profunda da mucosa. Inspeciona-se a mucosa quanto à coloração. deve permanecer na linha media. Para examinar a mucosa oral interna. 16 Boca. tais como ulcera escoriações e cistos. sua textura e hidratação. Repete-se o processo com lábio superior. As gengivas devem ser examinadas quanto à coloração. consistência e mobilidade. úmidos. Nos casos de alergias ou infecção. o profissional se utiliza de uma lanterna em forma de caneta e um afasta dor de língua ou uma simples atadura de gaze. textura. O examinador deve se posicionar sentado em frente ao paciente. deve-se tomar um cuidado extra ao se examinar esta área que constitui um local comum de origem de lesões cancerosas orais. A pressão não deve ser aplicada aos olhos. Uma suave pressão para cima detecta facilmente a sensibilidade e revela a gravidade da irritação. Utilizando a lanterna para iluminação da região. O paciente devera estender a cabeça para trás. Quando o paciente abre a boca. Para pacientes com pigmentação normal. 15. Assim. Se o paciente usa próteses qualquer irregularidade ou lesão das gengivas pode provocar desconforto e prejudicar significativamente a mastigação. Esta e uma boa ocasião para perguntar se ele sente dor na boca ou gengivas. hidratação. A língua deve ser observada cuidadosamente em todos os lados e assoalho da boca deve ser verificado. o profissional examina a língua quanto à coloração. Quando e projetada para fora. O dorso da língua não deve ser excessivamente liso. Em fumantes crônicos e alcoólatras podese verificar a presença de manchas densas e esbranquiçadas. textura e presença de lesões. A região sobre a língua e também um local onde aparecem lesões cancerosas. textura. Observada a presença de nódulos ou cistos o profissional devera palpá-los para verificar o tamanho.

o profissional palpa suavemente os nódulos.localiza-se na parte anterior e o palato mole fica na parte posterior. como locais de coleta de drenagem do liquido linfático e aumentam de tamanho devido a infecções sistêmicas e localizadas.1 Pescoços Os nódulos linfáticos da cabeça. as estruturas da faringe são róseas e bem hidratadas. Um paciente com uma garganta tipicamente inflamada apresenta aúvula avermelhada e edematosa. Utiliza-se uma abordagem metódica para o exame dos nódulos linfáticos.2 Nódulos Linfáticos Um extenso sistema de nódulos linfáticos recebe a linfa da cabeça. atrás ou ao lado do paciente. anterior e posterior. nariz. sensibilidade. as artérias carótidas. consistência e mobilidade. Examinam os pilares. petequias (pequenas hemorragias). Os nódulos linfáticos podem se transformar em locais de formação de tumores malignos. orelhas. forma. Se houver pressão excessiva. Com a ajuda de uma lanterna. estendendo ate a -se faringe. Normalmente. 17. Os palatos são examinados quanto à coloração. abre bem a boca e diz a. um nódulo linfático fica permanentemente aumentado apos uma infecção grave. Ambas as estruturas. Deve-se proceder ao exame com o paciente sentado. O pescoço e inspecionado quanto à assimetria. Pacientes com problemas crônicos nos seios nasais geralmente apresentam uma exsudação transparente que escorre pela parede posterior da faringe. inflamações ou lesões. para o exame. o examinador fica em PE. glândula tiróide e traqueia estão localizadas no pescoço. 17 Faringe. tais nódulos aumentados são geralmente indolores. com cuidado para não pressionar o lábio inferior contra os dentes. veias jugulares. estas devem ser palpadas para determinar tamanho. E comum observar-se uma protuberância óssea ou exostose entre os dois palatos. -se verificando-se a existência de tecido tonsila (amígdalas). edema massas ou cicatrizes. a parte posterior da língua se eleva formando uma protuberância que impede a visão. inervadas pelo décimo nervo craniano (vago). Qualquer exsudação amarelada ou esverdeada indica a presença de infecção. o reflexo de vomito será estimulado. Ele ergue o queixo e inclina a cabeça para trás. O exame das estruturas da faringe e executado inicialmente com o objetivo de detectar infecções. Essa malignidade pode ser caracterizada por . A faringe posterior e a ultima estrutura a ser examinada. e os pilares das amígdalas com a possível presença de exsudação amarelada. Observada a existência de massas. As diferentes estruturas do pescoço devem ser inspecionadas e palpadas. Com a ponta dos três dedos médios de cada Mao. Se o afasta dor de língua for colocado na porção posterior. O paciente abaixa a cabeça suavemente para trás. Ambos os lados do pescoço devem ser inspecionados e comparados. Em condições normais. para facilitar o acesso a todos os nódulos. em movimentos circulares. bochechas e lábios. para evitar que um simples nódulo ou cadeia passem despercebidos. Se o afasta dor for colocado muito para o terço anterior. Qualquer edema. o profissional examina primeiramente aúvula e o palato mole. O profissional coloca a ponta do afasta dor de língua no terço médio da língua. Utiliza-se também.lesões ou exsudação deverão ser registradas. deverão surgir na área central quando o paciente disser a. formato e existência de proeminências ósseas ou defeitos adicionais. o método de ausculta. Os nódulos linfáticos. Durante a palpação. os nódulos menores escapam ao exame e os palpáveis são obliterados. 17.

o examinador examina as linhas medias do esterno. Palpação dos nódulos linfáticos cervicais Figura 19. na qual e conectada através do istmo da traqueia e une os dois lóbulos irregulares. O processo espinhoso da 3a vértebra torácica e 4a. bilateral e posterior. Figura 18. na frente e em ambos os lados da traqueia. na frente do paciente. a oxigenação reduzida pode provocar alterações na agilidade mental de uma pessoa devido à sensibilidade do cérebro a baixos níveis de oxigênio. Na região anterior. para localizar lateralmente os lóbulos pulmonares. o examinador devera ter em mente uma imagem dalocalização dos lóbulos do pulmão. na junção entre o manúbrio e o corpo do esterno. Se estes órgãos estiverem afetados por qualquer doença. Uma vez identificada esta costela. O examinador fica em PE. A localização do posicionamento de cada costela e muito importante para a identificação de qual lóbulo pulmonar esta sendo avaliado. Nas áreas laterais. a glândula não e visualizada. Um profissional bem preparado utiliza os dados de todos os sistemas para determinar a natureza da s alterações pulmonares. o examinador pode contar para cima para localizar a 3a vértebra torácica e alinhá-la com as bordas internas da escapula. Abordagem posterior para palpação da glândula tireóide 19 Tórax e Pulmão A avaliação física do tórax e dos pulmões deve considerar as funções vitais de ventilação e respiração desempenhadas pelos pulmões. O conhecimento da segunda costela a partir desse angulo facilita a localização e palpação dos espaços intercostais em seqüência. o examinador permanece na frente ou atrás do paciente. O paciente devera estender o pescoço e engolir. enquanto o profissional observa se essas manobras provocam um abaulamento da glândula. Para uma abordagem da região posterior. e inspeciona a área inferior do pescoço que recobre a glândula tireóide. Por exemplo. A avaliação desta glândula e feita pela inspecao e palpação. e o ponto de partida para a localização anterior das costelas.um nódulo endurecido. posterior e media da axila. o paciente deve abaixar o queixo e relaxar. Os pulmões e o tórax são avaliados nas regiões anterior. Para palpar a glândula. os sinais mais importantes são as linhas anterior. imóvel de formação irregular e geralmente indolor. da clavícula e axilar anterior. Na região posterior. A linha vertebral. Os lóbulos inferiores projetam-se lateral e anteriormente. 5a e 6a costelas servem. em forma de cone. O angulo de Louis. Durante o exame. que e delimitada ao longo dos processos espinhosos e a linha escapular que se estende verticalmente ao longo da ponta da escapula. a ponta ou margem inferior da escapula fica aproximadamente aonível da 7a costela. 18 Glândulas Tireóide A glândula tireóide fica na porção inferior frontal do pescoço. Em condições normais.1 Tórax Posterior . 19. para registrar os laudos localizados. verificando a existência de massas visíveis e a simetria. outros sistemas do organismo refletirão alterações de função. para poder localizar os lóbulos posteriores. são os sinais mais importantes.

facilitando a melhor exposição dos pulmões ao exame. Os dois lados do tórax devem se expandir de forma simétrica. A localização dos sons. liquido ou solido. A palpação do tórax posterior avalia características adicionais e conforma ou completa os laudos da avaliação. o examinador simplesmente estende a avaliação do tórax posterior para as laterais do tórax. Normalmente o contorno do tórax e simétrico e ele e duas vezes mais largo que profundo. Normalmente. O examinador permanece atrás do mesmo e coloca as mãos na parte mais baixa da caixa torácica. moderados e baixos e a fase de inspiração e aproximadamente 3 vezes mais prolongada que a de expiração.2 Tórax Lateral O paciente deve permanecer sentado durante o exame destaregião. Os murmúrios normalmente percebidos no tórax posterior incluem o bronco vesicular e os vesiculares. para medir a expansão torácica e provocar a frêmito tátil. para a identificação de áreas de sensibilidade. assim como a ausência de sons respiratórios. O paciente de estar sentado e com o tórax descoberto. O tórax e palpado para detectar edemas ou massas. o paciente respira fundo e o movimento dos polegares do examinador e observado. Solicita-se ao paciente para erguer o braço em linha reta. com o tórax apresentando um formato quase redondo. As ondas sonoras criam vibrações que podem ser palpadas externamente. dependendo da região pulmonar que esta sendo auscultada. O profissional ausculta os sons respiratórios normais e anormais ou sons adventícios. Esses sons são suaves. Doenças pulmonares crônicas também são caracterizadas por um tórax em forma de tonel. O profissional deve inspecionar também o tórax posterior para determinar a freqüência e o ritmo respiratórios. Observa-se o formato do tórax do paciente. Estas vibrações são chamadas de frêmitos táteis ou vocais. colapsos de tecidos pulmonares ou a presença de lesões pulmonares podem impedir que as vibrações atinjam a parede torácica. O paciente dobra o braço para frente. Esta posição permite a separação da escapula. forma-se uma pequena dobra de pele entre os polegares. Uma criança pequena tem a porção de 1:1. com os polegares aproximadamente 5 cm afastados apontando no sentido da coluna e os dedos apontados lateralmente. Um examinadorpoderá percutir sobre uma região óssea para comparar os sons e certificar-se de estar identificando uma ressonância. Esta posição facilita o acesso às . Os sons normais diferem quanto à natureza. Ambos os lados do tórax devem ser comparados durante a avaliação. O reconhecimento dos sons criados pelo fluxo normal de ar permite ao profissional identificar os sons causados pela obstrução das vias respiratórias. O acumulo de secreções mucosas. ele se expande e relaxa regularmente com simetria de movimentos.O exame começa com a inspecao do tórax posterior. assim como suas características especificas. Contornos anormaissão causados por alterações congênitas e posturais. deverá ser observada. Normalmente os polegares ficam separados de 3 a 5 cm durante a expansão. o som criado pelas cordas vocais e transmitido através dos pulmões para as paredes torácicas. A presença de massa pulmonar produzira um som grave. As mãos ficam e m paralelo. Pressionando-se os dedos na direção da coluna. A percussão da parede torácica determina se o tecido subjacente esta cheio de ar. Observa-se o tórax como um todo. Durante a fala. cruzando-os sobre o peito. O ar normalmente flui pelas vias aéreas em um padrão sem obstrução. A expansão torácica e utilizada para determinar a profundidade da respiração de um paciente. Apos a expiração. A auscultação avalia o movimento do ar através da arvore formada pela traqueia e brônquios. Em condições normais. 19.

O profissional devera avaliar também os fatores de risco associado à doença cardíaca incluindo fumo. O examinador deve palpar antes a procura de áreas com anormalidades. De qualquer modo. outro som respiratório normal pode ser percebido nesta região. de modo que os lóbulos inferiores são normalmente o primeiro local de ausculta de estertores crepitantes. consumo de álcool. geralmente. 19. 20 Coração e sistema vascular O profissional não poderá avaliar a função cardíaca sem antes examinar a integridade do sistema vascular. a amplitude do angulo costal. O paciente devera estar em uma posição confortável. Este som e normalmente percebido somente sobre a traqueia. o método escolhido devera ser organizado. O paciente se possível. Alem dos murmúrios broncos vesiculares e vesiculares. O som dos brônquios e alto e intenso. murmúrios vesiculares. sensibilidades. ontem sons maciços das regiões do coração e do fígado e um som timpânico. Os dois sistemas funcionam conjuntamente para enviar o sangue aos diversos órgãos. Os alvéolos tendem a colapsar mais em áreas de pendentes do pulmão. ou vice-versa. À medida que o examinador prossegue o exame. deve ficar sentado para permitir a expansão total do tórax. essa largura e maior que 90o A freqüência respiratória e o respectivo ritmo são mais facilmente avaliados na região anterior.3 Tórax Anterior Esta região e inspecionada observando-se as mesmas características da avaliação do tórax posterior. Ao se executar a auscultação a procura de sons adventícios. As mamas da paciente são deslocadas. O paciente permanece sentado para garantir a expansão completa do pulmão. expansão torácica e frêmito tátil. desnutrição e padrões de exercício físico O profissional poderá iniciar o exame pela região cardíaca e depois examinar o sistema vascular periférico.estruturas torácicas laterais.1 Corações . Quando se realiza um exame completo. 20. Normalmente. A auscultação do tórax anterior segue o mesmo padrão da percussão. quando necessário. O profissional utiliza todos os quatro métodos de avaliação durante o exame do tórax lateral. sons de percussão são claro-pulmonares e sons respiratórios. tecidos e células do corpo. A percussão do tórax anterior novamente segue um padrão sistemático. Da bolha gástrica. coração e estomago criam tons de percussão caracteristicamente diferentes daqueles criados no pulmão. O frêmito tátil e novamente notado na parede torácica. Os resultados obtidos na região anterior são diferentes daqueles encontrados na região posterior. o profissional devera dedicar especial atenção aos lóbulos inferiores. com o tórax devidamente exposto para exame. devido à presença do coração e dos tecidos mamários na mulher. O pulmão normal apresenta som claro pulmonar. O examinador inicia a avaliação acima das clavículas e prossegue transversalmente para baixo. O fígado subjacente. e mais fácil ir de uma avaliação do tórax para o coração. Observa-se anteriormente. Uma alteração na função cardíaca manifestase por alterações ocorridas no sistema vascular periférico. A expansão não pode ser avaliada lateralmente. enquanto do feminino e mais costal. E importante que o examinador imagine a localização de todos os órgãos internos acessíveis ao exame na região anterior. com a expiração de maior duração que a inspiração. A respiração de um paciente do sexo masculino e geralmente diafragmática. cavernoso.

2 Percussão Este método e raramente utilizado durante a avaliação de um coração adulto. O objetivo do profissional e de identificar a primeiras e segundas bulhas cardíacas. As pulsações são percebidas de modo mais eficiente com as pontas dos dedos. Utiliza-se a palma da Mao para a palpação das vibrações. ao longo da linha hemiclavicular. O segundo espaço intercostal no lado direito do corpo do paciente e o foco aórtico e o mesmo espaço do lado esquerdo e o foco pulmonar. Em paciente do sexo feminino será necessário erguer a mama esquerda para melhorar a audição da parede torácica. A base do coração e a porção superior e o ápice e a ponta inferior. A superfície do ventrículo direito compreende a maior parte da superfície anterior do órgão. O examinador se posiciona em PE.A avaliação das funções cardíacas e realizadas pela região anterior do tórax O examinador elabora mentalmente a imagem de localização exata do coração. que deve se abstiver de falar. com uma pequena parte do átrio direito estendendo-se a direita do esterno. Ao dar inicio a exame de um paciente. Nas crianças. o órgão este localizado no centro do tórax (primórdio).1.3 Auscultação A auscultação cardíaca e executada para detectar as bulhas cardíacas normais. conhecido como as éticas cores (choque da ponta). O ápice do coração realmente toca a parede anterior do tórax. . a percussão pode detectar mais facilmente os limites do órgão. o profissional devera explicar-lhe o procedimento a ser seguido. ao lado direito do paciente. Cada evento cria sinal fisiológico perfeitamente detectável pelo examinador. O profissional poderá correr os dedos para baixo em cada lado desses angulo ate sentir o segundo espaço intercostal. especialmente durante a auscultação das bulhas cardíacas.1. O angulo de Louis se localiza entre o manúbrio e o corpo do esterno e pode ser percebido como uma protuberância no esterno. Os estudos de raios X do tórax são muito mais eficientes na determinação do tamanho do coração. No adulto. para diminuir a ansiedade do mesmo. 20. Uma parte do ventrículo esquerdo forma o lado esquerdo anterior do ápice. 20. Para a melhor compreensão o profissional precisa conhecer a sincronia em relação do ciclo cardíaco. ( B1 e B2 ). os sons extracardiacos e os sopros. Durante o fluxo sanguíneo em cada câmara alguns eventos ocorrem: válvulas abrem e fecham as pressões internas da câmara aumentam e diminuem a câmara se contraem. devido à proximidade do mesmo em relação à parede torácica. 20. A palpação profunda e necessária na percepção desses espaços em pacientes obesos ou naquele que apresentem os músculos peitorais muito desenvolvidos.1 Inspecao e palpação Estes dois métodos são aplicados simultaneamente. pois pacientes comdoenças cardíacas freqüentemente sofrem de falta de ar se ficar deitados em posição horizontal. O exame deve ser iniciado com o paciente em posição de superação ou com a parte superior do corpo levemente elevada. atrás e a esquerda do esterno.1. Ao se palpar uma vibração ou pulsação esta ocorrência deve ser avaliada em relação à sístole ao a diástole através da auscultação das bulhas cardíacas. aproximadamente na altura do quarto para o quinto espaço intercostal. O coração em condições normais bombeia o sangue através de suas quatro câmaras.

21 Sistemas Vascular Uma analise inicial sobre a capacidade do coração em bombear o sangue através do sistema vascular envolve a medição da pressão sanguínea do paciente. Para o exame do sistema vascular. (2) Um colega poderá avaliar o pulso Itaú enquanto o examinador simultaneamente avalia o pulso radial do paciente. o profissional desliza os dedos indicadores e médios ao redor da borda medial do músculo esternocleidonastoide. Os sopros podem indicar umas dificuldades do coração em bombear o sangue de modo eficiente. O pulso da carótida e o único com possibilidade de ser auscultado. Qualquer falha do coração quanto ao ritmo de batimento em intervalos sucessivos e regulares constitui uma arritmia. pelo mesmo período. pescoço ou pele ).1.1 Artérias Carótidas Para o exame das artérias carótidas. mais alta que B1.4 Sopros Sopros são ruídos com características acústicas semelhantes aos ruídos de um fole provocados por alterações no fluxo sanguíneos através do coração ou por anormalidade no fechamento das válvulas. Comparam-se os dados. o examinador deve manter o paciente sentado. deve observar as condições dos membros supridos pelo sistema vascular. Foco pulmonar: B2 mais intensa que B1. Para palpar o pulso. As condições dessa pressão também refletem a integridade total do sistema arterial. o paciente perdera a consciência em virtude da insuficiência sanguínea cerebral.Apos ter avaliado a freqüência e ritmo cardíacos. através da comparação de B1 e B2. Sua estimulação poderá provocar uma queda reflexa na freqüência cardíaca e na pressão sanguínea. Qualquer diferença nas freqüências devera ser comunicada ao medico imediatamente. o profissional devera especial atenção a natureza das bulhas cardíacas. . timbre e duração devem ser observados e os resultados normais são: Foco aórtico: B2 a mais intensa possível. Examinar-se umas artérias carótidas de cada vez. O seio carotídeo fica localizado no terço superior do pescoço. Foco tricúspide: B2 mais suave que B1. O paciente devera girar suavemente a cabeça para o lado sob exame. Se ambas as artérias forem ocluídas durante a palpação. Arteríolas inelásticas e estreitas provocam uma elevação anormal da pressão sanguínea. Um problema relativamente comum na população mais idosa e o desenvolvimento de um estreitamento do lúmen da artéria carótida. Foco mitral: B2 mais suave que B1. Sopros são relativamente comuns em crianças. Um profissional experiente integra a avaliação do sistema vascular com outras partes do exame ( tais como cabeça. Alem disso. Esta manobra facilita o acesso à artéria. 21. O profissional poderá avaliar o déficit de pulso por meio de um dos procedimentos a seguir: (1) mede um pulso radial por 1 minuto e -se imediatamente depois se verifica o pulso Itaú. palpação e auscultação. As carótidas não devem ser palpadas ou massageadas com vigor excessivas. O profissional palpa gentilmente para evitar a oclusão da circulação. O profissional pode elaborar uma avaliação mais detalhada do sistema vascular através do exame da integridade das artérias e veias mais acessíveis. A intensidade. 20. o profissional utiliza a inspiração.

Em indivíduos magros. Observa-se atentamente a condição das extremidades. Na palpação. na altura do punho. Alteração de pele especifica são uma característica de alterações venosa e arteriais. Essa pressão e influenciada pelo volume sanguíneo. 3+ . uma pressão suave pode determinar sua localização. Durante as verificações dos sinais vitais. A parede de uma artéria e normalmente elástica. Toques discriminativos podem indicar que este pulso e mais forte que 1+. a principais artérias e a braquial. diz-se que esse ritmo e irregular. fraco e fino quando a natureza. A intensidade de um pulso e a medida da forca com a qual o sangue e ejetado contra a parede arterial. A cor da pele e da raiz das unhas indica o grau de perfusão. a artéria volta rapidamente à forma original quando pressão e liberada. 21. parecendo ricochetear contra as pontas dos dedos. Qualquer fator que resulte num volume sanguíneo aumentado no sistema venoso provocara uma elevação da pressão sanguínea venosa. Casa exista comprometimento da circulação nas artérias radial ou olhar. tardio ou mesmo ausente. Alguns examinadores utilizam uma escala cariando de 0 (zero) a 4+ para a intensidade de uma pulsação. Uma artéria anormal pode ser descrita como enrijecida ou calcificada.Este e um pulso normal. o profissional percebera normalmente a onda de pulsação em intervalos regulares. 0 . Suor nas mãos e os pés pode ser um sinal de distúrbios vasculares. forma. sem possibilidades de ser ocluído. O profissional poderá visualizar a pressão venosa através da inspecao das veias jugulares.3 Exames de Veias e Arteiras Periféricas Ao inspecionar o sistema vascular perifericamente.se um sulco lateral ao tendão flexor do . 2+ . O pulso radial e encontrado ao longo do lado radial doantebraço. A temperatura das extremidades revela a presença de insuficiência arterial ou venosa. fácil de palpar e difícil de ser ocluído. Caso a circulação destas artérias seja bloqueada. que canaliza o sangue para as artérias radial e olhar do antebraço e da Mao. Apos sua depressão para exame. tornando-a facilmente palpável. A freqüência de pulso periférico e medida durante um minuto. Inspecionam-se as veias jugulares para a medida da pressão venosa.Pulso forte facilmente palpável. pela capacidade do átrio direito em receber o sangue e ejetá-lo ao ventrículo direito e pela capacidade dos ventrículos direito em se contrair e ejetar o sangue para dentro da artéria pulmonar. normalmente são a artéria radial e escolhida como o local para a determinação da freqüência de pulsação. o profissional avalia a adequação do fluxo sanguínea para os membros.Ausência de pulso palpável.Pulso difícil de palpar. 4+ .Veias Jugulares As veias mais acessíveis ao exame são a jugular interna e externa localizado no pescoço. Quando um intervalo for interrompido por batimento cardíaco prematuro. As jugulares ficam na superfície e podem ser facilmente visualmente quando estão distendidas. ainda assim a Mao recebera perfusão adequada. 1+ .Pulso difícil de palpar. as mãos não receberão fluxo sanguíneo adequada. Nos membros superiores. Alterações na integridade dos vasos sanguíneos e qualquer constrição subjacente nas paredes dos vasos reduzem a perfusão dos tecidos periféricos. sendo facilmenteocluído.

Ele também poderá assumir uma posição de provação com o joelho levemente flexionado. e movimentando lentamente o PE.Todas as mulheres deveriam executar o auto-exame das mamas todos os meses. com a região inguinal exposta. um local em potencial para o crescimento de células cancerígenas esta localizado na mama masculina.1 Inspecao Pede-se que a paciente remova a parte superior da camisola para permitirà visualização simultânea de ambas as mamas. O pulso poplíteo e localizado atrás do joelho. Para palpar o pulso braquial. A paciente poderá ficar em PE ou sentada com os braços lateralmente posicionados. A maioria das massas na mama e localizada pelas próprias pacientes. 22. tibial posterior e artéria dorsal do PE. Ele utiliza a inspecao e a palpação. alinhada no sulco entre os tendões extensores do aos e do segundo dedo. O profissional descreve as observações ou os achados em relação às linhas imaginarias que dividem a mama em quatro quadrantes e uma . A artéria femoral passa abaixo do ligamento inguinal. O paciente devera flexionar suavemente o joelho com o PE em repouso na mesa de exames. 22 Mamas O exame de mamas de um paciente tanto do sexo feminino quanto do masculino e muito importante. O profissional coloca os dedos atrás e abaixo do maléolo medial do paciente ( osso do tornozelo ).1 Mamas femininas O câncer de mama e a principal causa de morte. Uma interconexão entre as artérias tibial posterior e dorsal do PE previne contra qualquer oclusão arterial local. A artéria passa ao longo da ponta do PE. Se possível o profissional deve colocar um espelho na frente da paciente durante a inspecao. lateralmente a linha media. Pede-se ao paciente para relaxar os músculos. O auto-exame da mama e rápido e facilmente executado. A artéria femoral e a principal artéria da perna. Em contraste. A artéria e facilmente localizável com o PE do paciente relaxado e ligeiramente estendido. enviando sangue as artérias poplítea.punho. A melhor ocasião para o auto-exame e o ultimo dia do período menstrual. quando a mama não apresenta ou sensibilidade devido às elevações hormonais. Este pulso pode estar ausente congenitamente. O pulso tibial posterior e localizado na face medial de cada tornozelo. O diagnostico precoce da doença e a chave para obtenção da cura. O profissional localiza o pulso dorsal do PE com o PE do paciente devidamente relaxado.1. O pulso olhar e encontrado no lado oposto do punho e tende a ser menos evidente que o pulso radial. a meio caminho entre a sínfise publica e a espinha ilíaca ântero-superior. Este e um dos pulsos mais difíceis de serem localizados. de modo que ela possa ver o que deve procurar quando ra estiver executando o auto-exame. O pulso femoral e melhor percebido com o paciente deitado. O examinador freqüentemente localizado o pulso colocando as pontas dos dedos entre o aos e o segundo dedo. nas mulheres em todas as idades. 22. entre todas as formas de câncer. Uma pequena quantidade de tecido glandular. a maior parte da mama feminina e constituída de tecido glandular. o profissional deve localizar o sulco entre os músculos bíceps e tríceps acima do cotovelo na fossa ante cubital. O profissional então palpa com os dedos das mãos profundamente na fossa poplítea. O pulso radial pode ser sentido com uma palpação nesse sulco.

A retração ou depressões puntiformes resultam da invasão dos ligamentos subjacentes por tumores. O tecido adiposo apresenta consistência amolecida. 22. a partir do quadrante súpero-lateral. A pele da superfície e cuidadosamente inspecionada quanto a coloração e padrão venoso.2 Mamas Masculinas O exame da mama masculina e relativamente fácil.assim como aqueles do mesmo lado onde ocorre a doença. O examinador deve avaliar os órgãos abdominais que ficam na região posterior.Um tumor localizado em uma das mamas pode envolver nódulos do lado oposto. Durante a inspecao das mamas. O profissional deve observar o contorno ou forma das mamas e notar quaisquermassas.2 Palpação Esta atividade permite ao profissional determinar as condições do tecido mamário subjacente e dos nódulos linfáticos. o apêndice xifóide (ponta do esterno) delineia o limite superior da região abdominal.Uma vez completado o exame. o paciente poderá demonstrar seu método de auto palpação. retração ou abaulamentos. A linha cruza o centro do mamilo.Os nódulos linfáticos devem ser palpados com a paciente sentada. A sínfise púbica delineia limite inferior.Deve-se dedicar especial atenção a palpação do mamilo e da aréola. 23 Abdômenes Ao avaliar o abdômen. edemas e ulcerações. O segundo sistema divide o abdômen em nove regiões.Para se obter o relaxamento necessário. Os resultados da avaliação devem ser registrados em relação aos quadrantes ou regiões.O exame em toda área deve ser feito de forma suave.A palpação do tecido mamário e mais eficientemente executada com a paciente deitada em posição de superação. A paciente deve ser ensinada sobre o significado de sintomas ou sinais anormais.Consegue-se um acesso mais fácil aos nódulos axilares se os braços da paciente estiverem lateralmente posicionados e os músculos relaxados.infraclaviculares e axilares. Cada cauda se estende para fora. Quaisquer massas devem ser palpadas quanto às mesmas características das mamas femininas. O angulo . As mamas são inspecionadas quanto ao tamanho e simetria.Estas alterações são normais. o profissional utiliza um dos dois sistemas de referencias anatômico para mapeamento da região abdominal. 22. o mamilo pode ficar ereto com o enrugamento da aréola. enquanto o tecido glandular e firme. A obesidade ou aumento glandular podem resultar em mamas masc ulinas aumentadas. os auto-exames rotineiros não são necessários. O profissional deve conhecer a localização dos nódulos supra claviculares. o profissional executa uma abdução e suporte do braço direito do paciente com a mao esquerda. o profissional explica ao paciente o que esta examinando.O mamilo deve ser comprimido entre o polegar e o dedo indicador e o e xaminador devera observar se ha saída de secreção. Em ambos os sistemas.cauda.Esta posição permite que o tecido mamário fique uniformemente nivelado contra a parede torácica da paciente.Esta devera erguer a mao e colocá-la atrás do pescoço para melhor esticar e posicionar o tecido mamário de modo uniforme. Os rins são protegidos pelas costelas posteriores e pelos grandes músculos dorsais.Durante o exame desta região.1. O mamilo e a aréola são inspecionados quanto à existência de nódulos. Um sistema divide o abdômen em quadrantes através de duas linhas imaginarias que se cruzam ao nível da cicatriz umbilical. Em virtude do câncer de mama masculino ser relativamente raro.

enquanto no sexo feminino e mais costal. A seguir. poderá ocorrer um retesamento voluntario dos músculos abdominais subjacentes.2 Auscultações O profissional ausculta o abdômen para ouvir os sons resultantes da mobilidade intestinal e para detectar ruídos vasculares. 23. Em condições normais. senta-se para examinar a superfície abdominal. A posição em PE permite a verificação de sombras e movimentos anormais. Tais ruídos não ocorrem com regularidade. a percussão revela a presença de ar no estomago e intestinos. ao lado direito do paciente e inspeciona o abdômen. observando-se a existência de cicatrizes. A forma e a simetria do abdômen devem ser observadas. Caso palpe uma área sensível.1 Inspecao O examinador se posiciona em PE. Os sons timpânicos predominam como resultado do ar existente no estomago e intestinos. o profissionalpoderá observar o movimento peristáltico e a pulsação da aorta. o abdômen e inspecionado quanto aos movimentos. Ele devera sentir o tônus muscular.3 Percussões Este método e utilizado para o mapeamento dos órgãos e massas subjacentes do abdômen.O examinador deve evitar os toques rápidos. a não ser em paciente muito magro. provocando suaves sons de gorgolejo ou borbulhas em cada quadrante. estrias. verificando-se sua posição. situada normalmente abaixo da sínfise púbica. a resistência da parede abdominal ou massas. O profissional deve fazer a ausculta por um período de 3 a 5 minutos. em um reflexo de proteção. o ar e o líquido se movem pelos intestinos. Durante uma inspecao mais minuciosa. Ele toca o paciente firmemente com a superfície olhar da Mao parcialmente fechado ao longo da cada angula costovertebral nas linhas da escapula. O examinador devera estar ciente de que a respiração no sexo masculino e mais abdominal. A pele dasuperfície abdominal deve ser inspecionada. coloração e a presença de qualquer secreção ou de qualquer abaulamento. Um órgão que pode ser identificado com palpação suave e a bexiga. 23. A parte final da inspecao envolve a observação da cicatriz umbilical. 23. e devera observar o rosto do pacienteà procura de sinais de desconforto. Caso os rins estejam inflamados. O paciente deve ficar sentado ou em PE.costovertebral e referencia utilizada durante a palpação dos rins. Ale disso. A percussão permite que o profissional identifique os limites do fígado. o examinador terá uma visão horizontal que lhe permitira detectar abaulamentos anormais. Em condições normais. ou marcas de estiramento. O examinador poderá fazer percussão direta ou indireta. Quando sentado. O examinador faz a percussão em cada um dos quatro quadrantes para discriminar entre os sons maciços e timpânicos.4 Palpações O abdômen deve ser palpado suavemente em cada quadrante. assim como a presença de qualquer massa. os padrões venosos são muito pouco visíveis. forma. A pele deve ser pressionada em aproximadamente 1. 23. utilizando movimentos coordenados e suaves. . antes de decidir que os ruídos intestinais são ausentes. lesões. O diafragma do estetoscópio e colocado sobre cada um dos quatro quadrantes. padrões venosos. Faz-se a percussão renal para excluir a presença de inflamações.3 c. ha dor durante a percussão. Ruídos ausentes indicam a paralisação da mobilidade gastrointestinal. Em seguida.

Caso seja este o único exame a ser executado. Os pelos crescem em . poderá ser necessário abduzir uma das pernas. Esta posição e a mais pratica.2 Genitálias Externam A região do períneo deve estar muito bem iluminada.Luvas descartáveis transparentes 7. a paciente e colocada na posição litotomia. 24. tendo um auxiliar para separar as coxas da paciente.Mesa de exames com estribos 2. mas devera ter também uma atendente caso a paciente esteja particularmente ansiosa ou emocionalmente instável.Fonte de iluminação ajustável 4. Cada parte do exame deve ser explicada a paciente antecipadamente. Uma examinadora poderá preferir trabalhar sozinha. permitindo que cada perna seja a bduzida para o lado respectivo. E melhor tocar primeiro as vizinhanças da coxa antes de avançar para o períneo. A paciente deve flexionar os joelhos perpendicularmente a cama e relaxar as coxas. A cabeça deve ser elevada. a paciente devera esvaziar a bexiga antes do inicio do exame. Caso seja necessário um exame vaginal. o profissional ajuda a paciente a assumir a posição de litotomia na cama ou na mesa de exame. 24. para maior conforto.1 Preparam do Paciente O equipamento listado a seguir será necessário se a paciente estiver sendo submetida a um exame completo: 1.Pia ou vasilha 5.Espátulas de madeira 10. a menos que o profissional realize uma abordagem calma e relaxada.Frascos com solução fixadora para coleta de amostra Todo este equipamento devera estar pronto antes do inicio do exame. O examinador do sexo masculino devera ter sempre uma atendente durante o exame.Especulo vaginal 3. Nesta situação. Ao praticar as medidas rotineiras de higiene ou durante o preparo da paciente para ainserção de um cateter urinário. Deve-se inspecionar a quantidade e distribuição de pelos na região. o profissional poderá aproveitar a oportunidade para examinar a genitália externa. O profissional deve calcar as luvas para facilitar a avaliação e prevenir a transmissão de infecções. e necessário que obtenha uma amostra da urina.Lubrificante 6.Pinças com material absorvente ou chumaços de algodão 9. não se deve tocar a região bruscamente sem antes prevenir à paciente. A paciente pode estar sendo abordada pelo profissional com o propósito especifico de execução de um exame completo dos órgãos reprodutores femininos.24 Genitálias Feminina e Reto O exame da genitália feminina e do reto pode ser embaraçoso para a paciente.Laminas de vidro para microscópio 8. O períneo e extremamente sensível e delicado. pois permite a completa visualização da região genital. Freqüentemente. Quando o exame se limita a genitália externa. Uma mulher com dor ou apresentando deformidades articulares pode não conseguir assumir a posição de litotomia.

esses lábios se apresentam separados.1 Temperaturas Corpórea Para adultos saudáveis a temperatura media e a de 37o C na medição oral. Ao inspecionar o intróito vaginal. E comum que um lado seja maior que o outro. Quando o profissional aprende as variáveis fisiológicas que influenciam os sinais vitais e reconhece a relação de suas alterações com outros achados resultantes da avaliação física. 2 cm de comprimento ou 1 cm de largura. eles tendem a se separar e cair para os lados. 25 Sinais Vitais Os sinais vitais são um meio rápido e eficiente para se monitorar as condições de um paciente ou identificar a presença de problemas. verificando a presença de lesões e hemorróidas (dilatação dos vasos sanguíneos ao redor dos anus). o examinador devera observar as condições do hímen que fica logo dentro da abertura do canal vaginal. os lábios normalmente estão juntos enquanto resultado de partos ou relações sexuais. A pele do períneo e ligeiramente mais escuras que a do resto do corpo e as mucosas se apresentam úmidas e com uma coloração rosa . Apesar das variações extremas que ocorrem nas condições ambientais e na atividade física dos indivíduos. A paciente e solicitada a fazer forca para baixo. são as bases para a solução de problemas clínicos. Para tentar a palpação. ele se apresenta com uma coloração vermelho brilhante. ele será capaz de elaborar determinações precisas sobre os problemas de saúde do paciente. o examinador coloca um polegar e o dedo indicador entre os grandes lábios e o intróito. Os grandes lábios são geralmente carnudos e bem formados em uma mulher adulta normal.escura. edema. Apos o parto. e palpa um lado de cada vez. Uma porção da parede vaginal e a bexiga podem sofrer um colapso e cair sobre ointróito. lesões ou lacerações. Temperaturas verificadas em região axilar são geralmente alguns décimos de grau mais baixas e a verificação retal fornece valores com alguns décimos de grau mais elevadas. provocando maior proeminência dos pequenos lábios. Esses lábios normalmente não apresentam inflamações. O tamanho do clitóris varia. este e um local comum de lesões de sífilis ou cancros. mas não devem ser subestimadas. O profissional também poderá inspecionar os anus nesse momento. Os pequenos lábios são normalmente mais delgados que os grandes lábios. Técnicas cuidadosas de medidas asseguram resultados ex atos. As habilidades básicas exigidas para a medida de sinais vitais são simples. exercendo. Em mulheres virgens. que surgem com o pequenas ulceram abertas que drenam um material seroso. as glândulas não podem ser palpadas. Nas mulheres mais jovens. Caso sejam detectados inflamações ou edemas próximos a área posterior ao intróito. entretanto. bloqueando a abertura do intróito. como se estivesse evacuando.um triangulo próxima a borda superior da pode. as paredes da vagina seabaularão. E freqüente a ocorrência de perda de suporte da saída vaginal. O profissional que suspeite de qualquer inflamação devera verificar o corrimento uretral. As mulheres idosas poderão apresentar alterações malignas que resultarão em lesões nodulares secas e descamativa. mecanismos reguladores manter a temperatura interna corpórea ou central . e em conjunto com outras medições fisiológicas. Os lados dos triângulos recobrem as superfícies externas dos grandes lábios. Quando inflamado. Se não houver um suporte muscular adequado. 25. Ao redor da uretra existem aberturas minúsculas da glândula de Cine.

a temperatura corpórea aumenta em alguns períodos durante o dia. o ponto de ajuste do hipotálamo para a temperatura corporal interna central se eleva.relativamente constante. Um paciente que apresenta um aumento se suas reservas energéticas. As medidas utilizadas pelos seres humanos para controlar a temperatura da superfície corpórea ajudam a manter os controles internos mais complexos de termorregulacao. Extremos de temperatura ambiental podem aumentar ou diminuir a temperatura corpórea. alterando-se com vários dias de temperatura . pode aumentar a temperatura corpórea. 25.5o C. Em uma febre intermitente. Exercício. tomando um banho quente ou frio. 25.1o C). As temperaturas corpóreas normalmente se alteram durante o dia. Fumar cigarros ou charutos pode alterar as medidas de temper atura corpórea (0. em repouso. buscando abrigo. A temperatura do recém-nascido varia normalmente entre 35. Como resultado de ferimentos ou doenças. Fumo.2 Febre Chamou de febre a temperatura corpórea acima de 38o C.1o C a 0. Qualquer forma de exercício pode aumentar a temperatura corpórea. da umidade do ar e da presença de correntes de convecção. mas retorna ao normal em 24horas. Ambiente. Uma febre recorrente e caracterizada por períodos de febre durante alguns dias. O individuo apresenta calafrios.1 Fatores que Alteram a Temperatura Corporea Idade.1o C a 0. tal como a ansiedade.5o C em media). Ingestão de Líquido Frios/ Quentes. Com o crescimento. Estresse físico ou emocional. Mesmo quando uma pessoa nua e exposta a temperatura abaixo de 13o C ou acima de 60o C em ambiente seco. Influencias Hormonais. vasoconstricao e tremores. ou ajustando a temperatura do ambiente. A temperatura da pele e o principal local para perda de calor do corpo. Exercícios intensos prolongados podem aumentar temporariamente a temperatura para ate cerca de 41o C. o organismo reage para produzir e conservar calor.8o C) apos ingestão de água gelada. As alterações dependem da extensão da exposição. Uma vez ocorrida esta alteração. Alterações hormonais durante a ovulação e Mentruacao provocam variações na temperatura corpórea. de acordo com o padrão de elevação da temperatura corpórea. Estresse. Os três tipos comuns de febre diferem. devido à alteração dos mecanismos de controle. a temperatura da superfície corpórea se altera com a temperatura ambiental.5 e 37. Uma febre remitente permanece elevada por um dia ou mais. As pessoas podem controlar a temperatura corpórea colocando ou tirando a roupa. com a medida mais baixa ocorrendo entre 01h00min e 04h00minh (36.1. Os sinais e sintomas da febre são apenas reflexos do esforço do organismo em manter e produzir calor. Também ocorre o desenvolvimento de maior sensibilidade a variações extremas de temperatura. Uma elevação prolongada de temperatura coloca o paciente em risco dedesidratação. Variações Diurnas. Essa ingestão pode provocar variações discretas nas leituras da temperatura oral (-0.1. O metabolismo corpóreo aumenta extraordinariamente e o individuo necessita de nutrição adequada. Em contraste. a variação normal geralmente diminui. O consumo de oxigênio aumenta. Quando ha febre. sendo comum a medida de 35o C para pacientes mais idosos. a temperatura central permaneceestável. Mulheres geralmente apresentam maiores variações de temperatura do que homens. O pico ocorre entre 16h00min e 18h00minh. A alteração de temperatura e instável durante a infância devido à imaturidade dos mecanismos fisiológicos e isso pode continuar ate a puberdade. em clima frio.

Para palpar o pulso braquial.1. O pulso olhar e encontrado do lado oposto do punho e tende a ser menos evidente que o pulso radial. Termômetro: Ha três tipos de termômetro disponíveis para a avaliação da temperatura corpórea: mercúrio em vidro.1. entretanto. Lavam-se as mãos. ou ainda que não possam ser posicionados adequadamente para a correta colocação do termômetro. O pulso femoral e melhor percebido com o paciente deitado. Pulso: O tipo de um pulso descreve a natureza da onda depulsação. 2. O tempo de medição e a dificuldade da colocação correta do termômetro. A leitura do termômetro de mercúrio e feita segurando-se o mesmo com as pontas dos dedos em sentido horizontal ao nível dos olhos. Monta-se todo o equipamento necessário. uma vez que poucos são os fatores capazes de alterar esses resultados. Não se deve tocar no bulbo.4 Diretrizes para Aferição da Temperatura Ao medir a temperatura corpórea. ao tocá-lo. o profissional deve localizar o sulco entre os músculos bíceps e tríceps acima do cotovelo. Considera-se que a medição da temperatura mais confiável e aquela obtida pelo reto. para garantir a segurança do paciente e assegurar a exatidão dos resultados obtidos. manutenção das roupas pessoais e de cama seca. para que se execute o procedimento sem interrupções. O pulso radial pode ser sentido com uma leve palpação nesse sulco. a meio caminho entre a sínfise púbica e a espinha ilíaca ântero- . O termômetro deve ser rotacionado vagarosamente ate que se visualize a coluna prateada demercúrio. fornecimento de refeições bem balanceadas e monetarização do pulso e padrão respiratório. 25. de acordo com as técnicas de assepsia medica para se prevenir a transmissão de infecções. 1. o reto e a axila. o profissional de manter o paciente sentado ou deitado. os dedos do profissional podem entrar em contato com as secreções corporais do paciente. Todos os pulsos periféricos são medidos quanto à uniformidade e simetria. A artéria femoral passa abaixo do ligamento inguinal. eletrônico e descartável. A linha calibrada no final dessa coluna será da temperatura. A boca e o mais acessível e o mais confortável para o paciente com lesões na região bucal ou que tenham sido submetidos à cirurgia oral. Para localizar os pulsos no braço. Temperaturas retais não devem ser medidas em pacientes que tenham sido submetidos à cirurgia retal recentemente ou que apresentem qualquer problema na região. na fossa ante cubital. As medidas de enfermagem para o cuidado de um paciente com febre incluem o fornecimento de líquido adequado. com a região inguinal exposta. os seguintes princípios básicos devem ser cuidadosamente seguidos. incorrendo em resultados inexatos. faz com que essa área seja menos conveniente. especialmente em recém-nascidos. Avalia-se o local mais apropriado para medir a temperatura do paciente. A axila e o lugar mais seguro para medir a temperatura. explicando -lhe o método do procedimento a ser executado. v 3.corpórea normal. Um examinador palpa o pulso olhar somente quando existe suspeita de insuficiência arterial da Mao. Posiciona-se o paciente adequadamente. seja qual for o local escolhido. 25. com o bulbo apontado para a esquerda. O pulso radial e encontrado ao longo do lado radial do antebraço.3 Medição da Temperatura Corporea Locais: Existem três locais para medir a temperatura corpórea: a boca. na altura do punho.

O examinador freqüentemente localiza o pulso colocando as pontas dos dedos entre o aos e o segundo dedo. Durante a respiração normal. Uma doença crônica pulmonar (por exemplo. O profissional pode avaliar a respiração. O profissional então palpa com os dedos das mãos profundamente na fossa poplítea. . Arespiração pode ser afeada por vários fatores: Doença ou Indisposição. Uma palpação profunda pode ser necessária para sentir o pulso. Em pacientes mais idosos. e movimentando lentamente o PE. Na posição curvada ou abaixada. amplitude e ritmo dos movimentos ventilatorios. a ventilação e geralmente prejudicada. ocorre uma diminuição da elasticidade pulmonar e da amplitude respiratória. Pede-se ao paciente para relaxar os músculos. 26 Respirações A sobrevivência humana depende da capacidade do oxigênio em alcançar as células do corpo e da remoção do dióxido de carbono dessas células. Os narcóticos deprimem a habilidade do paciente em aumentar o volume de ar inspirado e a freqüência respiratória diminui. Este pulso pode estar ausente congenitamente. O profissional coloca os dedos atrás e abaixo do maléolo medial do paciente (osso do tornozelo). Doença do tecido pulmonar. Drogas. lateralmente a linha media. A artéria e facilmente localizável com o PE do paciente relaxado e ligeiramente estendido. A artéria passa ao longo da ponta do PE. O pulso poplíteo e localizado a trás do joelho. com uma amplitude respiratória reduzida. Com o crescimento da infância para a idade adulta. alinhada no sulco entre os tendões extensores do aos e do segundo dedo. a capacidade dos pulmões aumenta e a freqüência respiratória diminui gradativamente. a parede torácica se expande e retorna a posição normal suavemente. Uma sensação pulsátil pode ser percebida quando as pontas dos dedos são empurradas pela pulsação arterial. O profissional coloca as pontas dos dedos das mãos nos lados opostos dos locais de pulsação. Ele também poderá assumir uma posição de provação com o joelho levemente flexionado. Estresse. redução do numero de hemácias e dores no peito alteram a freqüência e a amplitude respiratória. Este e um dos pulsos mais difíceis de serem localizados. A palpação com as mãos e mais eficaz em pacientes obesos. O exercício aumenta a freqüência e a amplitude respiratórias. A avaliação da respiração baseia-se na capacidade do profissional em reconhecer os movimentos torácicos e abdominais normais. que indicam a qualidade e eficiencia do processo respiratorio. enfisema ou bronquite) altera o estimulo normal para a ventilação.superior. e podem afetar o ritmo. entre a hemoglobina e células isoladas. resultando em hiperventilacao. Outras drogas podem aumentar ou diminuir a freqüência e a amplitude respiratória. ocasionando um aumento da freqüência respiratória. O pulso tibial posterior e localizado na face medial da cada tornozelo. Sexo. O paciente devera flexionar suavemente o joelho com PE em repouso na mesa de exames. Exercício. Posição Corporea. O profissional localiza o pulso dorsal do PE com o PE do paciente devidamente relaxado. Um paciente ansioso ou amedrontado apresenta aumento dafreqüência e amplitude respiratórias. A respiração envolve dois processos distintos: respiração externa ou o movimento de ar entre o ambiente e os pulmões e respiração interna ou o movimento do oxigênio ao nível celular. Os adultos normalmente respiram num padrão regular e ininterrupto de 12 a 20 respirações por minuto. O sexo masculino apresenta maior capacidade pulmonar que o feminino. freqüência. Idade.

ou colocar seu Mao (do examinador) diretamente sobre a região superior do abdômen do paciente. 13. 10. Se necessário. observandose o grau de movimentação da parede torácica durante a contagem. Se o paciente souber das intenções do profissional. retirar as cobertas ou a bata do paciente. 15. 9. 4. Palpando a expansão da parede torácica apos a contagem. A avaliação pode ser feita melhor imediatamente apos a verificação do pulso.1 Avaliações dos Movimentos Respiratórios de um Paciente Etapas: 1. contando uns apos o primeiro ciclo respiratorio completo. No adulto. O profissional também pode fazer objetivamente essa avaliação. Uma vez observado o ciclo. Registrar a freqüência respiratória e seu caráter no fluxograma de sinais vitais ou nas observações de enfermagem e comunicar quaisquer resultados anormais. Certifica-se de que o tórax do paciente esteja visível. Comparar os movimentos respiratórios com a linha basal anterior e/ou com a freqüência respiratória normal para o grupo etário. de preferência sentado. começar a marcar o tempo. Colocar o braço do paciente em posição de repouso. 8. De acordo com a amplitude. esperar de 5 a 10 minutos antes de av aliar os movimentos respiratórios. Um profissional habilidoso não permite que o paciente perceba que seus movimentos respiratórios estão sendo avaliados. discutir os resultados com o paciente. Assegurar-se de que o paciente esteja em posição confortável. normais ou profundos. Lavar as mãos. Isso pode ser feito de modo subjetivo.26. 6. com o Mao do examinador ainda no punho do paciente. Preparar o equipamento necessário e materiais: relógio com marcador de segundos ou mostrador digital. 7. caneta. Observar o ritmo do ciclo ventilatorios. lápis. (2) a influencia que qualquer doença ou indisposição exerce sobre a função respiratória. pode conscientemente alterar a freqüência e a amplitude respiratórias. 2. contar durante um minuto. As medidas objetivas. 5. Quando necessário. Se a respiração num adulto apresentar um ritmo irregular ou for anormalmenterápida ou lenta. feita acompanhando os segundos do relógio: quando o ponteiro atingir um numera no mostrador. (3) a relacao entre as funções respiratórias e cardiovasculares e (4) a influencia das varias terapias. fluxograma ou formulário de registro. os movimentosrespiratórios podem ser superficiais. Recolocar a bata do paciente e cobri-lo com as cobertas. 14. contar o numero e movimentos respiratórios durante 30 segundos e multiplicar por dois. Se o paciente estiver em atividade. 11. que compreendem uma avaliação das condições . 3. o profissional deve ter em mente: (1) o padrão normal de ventilação desse paciente. Observar um ciclo respiratorio completo (uma inspiração e uma expiração). iniciar a contagem. Ao avaliar os movimentos respiratórios de um paciente. (Respiração normal e irregular e ininterrupta). 16. cruzado sobre o abdômen ou porção inferior do tórax. Observar a amplitude respiratória. 12. Ele sempre deve avaliar cuidadosamente os movimentos respiratórios. Para bebes e crianças pequenas contar durante um minuto. Avaliar os fatores que normalmente influenciam as condições respiratórias. se o ritmo for regular. para evitar a perda de sinais que podem ser relevantes para as necessidades fisiologias desse paciente.

2 Freqüências Um bebe pode respirar 30 a 60 vezes por minuto. . o profissional estima o intervalo de tempo apos cada ciclo respiratorio. antes do próximo movimento respiratorio. mas regular. Taquipneia: a freqüência respiratória e anormalmente rápida. mas regular. Gradualmente. Ha um excesso de inspiração de oxigênio e expiração de gás carbônico. aumentando gradativamente ate uma velocidade e amplitude anormais. Quanto ao ritmo. mas regulares. caracterizada por aumento do esforço inspiratório e expiratório. Dispnéia: ha dificuldade para respirar. com a utilização ativa dos músculos intercostais e acessórios. bem como o ritmo dos movimentos ventilatorios.4 Ritmos A respiração normal e regular e ininterrupta. 26. Hiperpneia: ha aumenta de freqüência e amplitude respiratórias. sendo característica de pacientes com cetoacidose diabética. Essa freqüência diminui com a idade. movimentos respiratórios vão se tornando lentos e superficiais. A freqüência respiratória esta abaixo do normal e a amplitude ventilatoria diminuída. Enquanto faz avaliação dos movimentos respiratórios. As alterações respiratórias podem causar um grande numero de mudanças nos traços e características da respiração. O esquema abaixo descreve as varias alterações respiratórias mais comuns: 26. Interrupção persistente e chamada de parada respiratória. 26.3 Amplitudes A amplitude dos movimentos respiratórios e avaliados pela observação do grau de expansão ou movimento da parede torácica O profissional descreve subjetivamente os . Hipoventilacao: o volume de ar que penetra nos pulmões e insuficiente para as necessidades metabólicas do organismo. Apos cada ciclo respiratorio. movimentos ventilatorios como sendo superficiais normais ou profundos. Ocorre normalmente com a pratica de exercícios.respiratórias de um paciente. Respiração de Cheyne-Stokes: o ritmo respiratorio e irregular. a respiração pode ser regular ou irregular. Ha aumenta de freqüência e amplitude respiratórias. Apeia: o movimento respiratorio e interrompido. caracterizado por períodos alternados de apeia e hiperventilacao. durante a idade adulta. Respiração de Kussmaul: os movimentos respiratórios são anormalmente profundos. Hiperventilacao: a freqüência respiratória excede as necessidades metabólicas normais para a troca de gases respiratórios. O ciclo respiratorio começa com respirações lentas e superficiais.5 Alterações na Respiração Denominação: Bradipneia: a freqüência respiratória e anormalmente lenta. atingindo um pico. semelhantes à hiperventilacao. 26. incluem a freqüência e a amplitude respiratórias. ocorre um intervalo regular. caracterizado por apeia de 10 a 20 segundos. mantendo-se em 12 a 20 respirações por minuto.

o organismo faz a compensação pelo aumento da resistência vascular. a pressão neste espaço aumenta. A unidade padrão para a medição da pressão sanguínea e a de milímetros de mercúrio (me). 27. mais sangue e bombeado em direção as paredes arteriais. uma redução na elasticidade arterial aumenta a resistência vascular periférica. O termo viscosidade se refere à espessura do sangue. Sempre que houver aumento de volume em um espaço restrito. A queda de pressão ocorre durante a diástole. volume e viscosidade sanguíneos e elasticidade das artérias. quando o ventrículo esquerdo ejeta seu volume sistólico. Cada fator afeta significativamente os demais. As paredes das artérias são geralmente elásticas e se distendem com facilidade. ha maior resistência ao fluxo sanguíneo. quando o ventrículo esquerdo bombeia sangue para a aorta. determinam a viscosidade do sangue. A pressão arterial também aumenta para empurrar o sangue através dos vasos que se tornaram muito e streito. maior será sua resistência vascular periférica ao fluxo sanguíneo. Sempre que ha um aumento da resistência. O pico de pressão máxima ocorre durante a sístole. quando o debito cardíaco aumenta. com a leitura sistólica antes da diastólica (por exemplo. Como por exemplo. seguido de uma queda. A pressão sanguínea (PS) e o produto do debito cardíaco (DC) e resistência vascular periférica (R): PS=Dcxr. A medida indica o ponto ate o qual a pressão sanguínea pode elevar uma coluna de mercúrio. Por exemplo. Em contraste. pois ha um aumento na demanda do debito cardíaco. O complexo controle do sistema cardiovascular normalmente evita que umúnico fator altere permanentemente a pressão sanguínea. . a pressão se eleva. ocorre queda na resistência vascular e a pressão sanguínea diminui. pois o coração continua a manter seu debito cardíaco. ou porcentagem das hemácias do sangue.1 Fisiologias da Pressão Sanguínea Arterial A pressão sanguínea reflete as inter-relações entre os vários fatores hemodinâmicos: debito cardíaco. Durante um circulo cardíaco normal a pressão sanguínea atinge um pico. 120/80). à medida que os vasos se dilatam. O tamanho das artérias e arteríolas se altera para ajustar os fluxos sanguíneos às necessidades dos tecidos locais. O profissional registra a pressão sanguínea. aumenta a pressão dentro do sistema arterial. Uma maior viscosidade aumenta a dificuldade do fluxo sanguínea através dos pequenos vasos Quando ocorre . quando os ventrículos relaxam. um aumento do hematocrito e o fluxo sanguíneo torna-se mais lento. A pressão diastólica e sempre a pressão mínima exercida sobre as paredes arteriais. A pressão sanguínea e a forca exercida pelo sangue contra a parede de um vaso. Como resultado. Quando o fluxo sanguíneo para um órgão importante diminui acentuadamente. resistência vascular periférica. Com uma elasticidade reduzida. O hematocrito.27 Pressões Arterial O fluxo sanguíneos pelo sistema circulatório e produzido pelo bombeamento cardíaco do sangue sob elevada pressão para as artérias. se houver diminuição do volume sanguínea. os vasos não mais cedem à pressão. Exercícios vão elevá-la temporariamente. A distensibilidade arterial evita grandes oscilações na pressão sanguínea. À medida que a resistência aumenta. Assim. ocorre vasoconstricao das artérias periféricas para desviar o sangue para os vasos principais que o suprem. Quanto maior o lúmen de um vaso. provocando uma elevação da pressão sanguínea. A diferença entre os dois valores e a pressão do pulso. o mesmo ocorre com a pressão arterial. À medida que a pressão nessas artérias aumenta seu diâmetro também aumenta.

O ideal e que a largura do balão inflável dentro do manguito seja de 40% da circunferência do ponto médio do membro sobre o qual o manguito será colocado.3 Equipamentos para Mediação da Pressão Sanguínea Antes de proceder à verificação da pressão sanguínea. A hipertensão provoca espessamento e perda de elasticidade das paredes arteriais. Onde e mais freqüente em adultos e na raça negra.2 Variações na Pressão Sanguínea Variam situações podem provocar alterações na pressão sanguínea. As ondas sonoras que geralmente se originam de um órgão interno chegam à superfície e se dissipam no ar. que também e influenciada por fatores como estresse. um dado volume de sangue e forcado contra paredes arteriais e apressão aumenta. A resistência vascular periférica aumenta nos vasos acometidos. O estetoscópio acústico e o instrumento mais comumente usado para a ausculta. um distúrbio freqüentemente assintomático. Transmite melhor sons agudos. tais como pulmonares e intestinais. fumo. o profissional deve estar bem familiarizado com o uso do Esfigmomanometro e estetoscópio. cérebro e rins diminui. Fatores que tem sido associado à hipertensão essencial incluem a hereditariedade. O diafragma e a parte circular e lisa do conjunto e possui um disco fino de plástico na extremidade.4 Verificações da Pressão Sanguínea . Manguitos para medição estão disponíveis em vários tamanhos. 27. A pressão sistólica apresenta uma elevação mais significativa do que a diastólica. com uma válvula para liberação de ar que insufla o manguito. para que o examinador possa ouvir os sonsatravés do estetoscópio. Os tipos de manômetros são o andróide que tem uma escala de vidro circular que contem uma agulha que registra as calibragens emmilímetros e o de mercúrio. O estetoscópio e um cilindro fechado que evita a dissipação das ondas sonoras quando atingem a superfície do corpo e amplia esses sons para o examinador. A pressão criada pela inflação do manguito movimenta a coluna de mercúrio para cima. Um individua hipertenso pode morrer de insuficiência cardíaca. elevada níveis de colesterol na dieta e ingestão de cafeína e álcool. contra a forca da gravidade. 27. uma orelha não treinada não pode ouvi-las claramente. O tubo deve ter paredes espessas para ajudar a eliminar a transmissão de ruídos provocados pela sua fricção sobre outras superfícies. se a hipertensão não for controlada.Pelo contrario. 27. renal ou acidente vascular cerebral. A hipertensão arterial essencial e responsável por mais de 90% dos casos de pressão sanguínea elevada. O conjunto receptor do tórax consiste de uma campânula e um diafragma. O tubo plástico ou borracha deve ser flexível e ter 30 a 40 cm de comprimento. A alteração mais comum da pressão sanguínea e a hipertensão. um manguito de tecido que faz a oclusão e que contem um balão de borracha inflável e um bulbo de pressão. Um tubo maior diminui a transmissão do som através do estetoscópio. quando ha redução da elasticidade arterial. considera-se a hipertensão quando os níveis pressóricos estão acima de 140 (sistólica) e 90 (diastólica). Em adultos jovens. caracterizado por uma elevação persistente da pressão sanguínea. Tanto o diafragma quanto a campânula devem estar na posição adequada durante o uso. A menos que seja de grande amplitude. O fluxo sanguíneo para os órgãos vitais como o coração. Um Esfigmomanometro compreende um manômetro que e constituído de uma coluna contendo mercúrio.

A pressão sanguínea do paciente deve sempre ser medida antes da administração de tais medicações. a posição adequada e sentada. Em seguida. para crianças. O profissional pode comparar as leituras nas posições sentadas e em PE para determinar a ocorrência de alterações. resulta do volume reduzido se sangue. Para a avaliação da pressão em uma criança com menos de 5 anos.1 Auscultação O melhor ambiente para a verificação da pressão sanguínea pela auscultação e uma sala silenciosa. 27. leituras de pressão sanguínea obtidas com o paciente em posições de superação. procede a conexão desse cateter a um tubo que se comunica com um equipamento demonetarização eletrônica. Se o procedimento de ausculta não for seguido corretamente. O monitor apresenta uma leitura constante de pressão arterial.A pressão sanguínea pode ser medida direta ou indiretamente. mas em alguns a pressão sanguínea se altera de acordo com a posição do corpo. A pressão diastólica e mais difícil de ser determinada pela palpação. Hipotensão ortostática. Esta técnica pode aumentar o desconforto ou irritabilidade da criança e provocar uma leitura incorreta alta. e um efeito colateral das medicações anti-hipertensivas.3 Palpação A técnica da palpação indireta e útil para pacientes cujos pulsos arteriais são muito fracos para produzir os sons de Korotkoff. faz-se a leitura do manômetro. Este processo e mais preciso quando executado num local bem iluminado. 27. sentada ou em PE são semelhantes.4. Devido ao menor tamanho do braço da criança e sua tendência em ficar ansiosa e irrequieta durante o exame. 27. O método direto exige a introdução de um cateter fino na artéria do paciente. O método mais amplamente usado e a ausculta. Uma . com temperatura agradável. O manguito e colocado da mesma maneira que no processo normal de ausculta. a ausculta de pressão sanguínea pode ser um problema. ha varia possibilidades de erro.4. Recomenda-se uma espera de pelo menos quinze minutos. Crianças mais velhas podem ficar sentadas. Assim que o pulso radial for novamente palpável. palpação e a de ruborização da pele. para que o examinador possa observar claramente o rubor. ela deve fica em posição de superação com os braços seguros ao nível do coração. Grandes perdas sanguíneas ou uma redução da contratilidade são exemplos de situações que resultam em pressões sanguíneas muito baixas para serem corretamente auscultadas. Na maioria dos casos. ou a queda de pressão sanguínea quando o paciente se movimenta da posição sentada para a posição em PE. a monetarização direta e usada somente em unidade de terapia intensiva (UTI). Quando o manguito estiver insuflado ate o nível desejado.2 Verificação em Crianças. A pressão sanguínea media e determinada pela ruborização da Mao ou do PE da criança. Aartéria radial e palpada durante todo o processo. O método indireto requer o uso do Esfigmomanometro. a válvula e liberada e a coluna do mercúrio deve cair a uma velocidade de 2mmhg por segundo. E muito importante que ela esteja calma e relaxada. Embora o paciente possa estar deitado ou em PE. para permitir que acriança se recupere de uma atividade recente ou da apreensão. Devido ao risco de perda súbita de sangue pela artéria.4. antes da leitura. Esta leitura e a pressão sanguínea sistólica. em vez da utilização de estetoscópio. O profissional pode escolher qualquer uma das seguintes técnicas indiretas: ausculta.

este procedimento pode ser útil na comparação dos resultados obtidos com aqueles das extremidades superiores. O procedimento e o mesmo que o da auscultação da artéria braquial. geralmente sob a forma de um estalido vibratório muito discreto. Se isso não for possível deve-se pedir ao paciente que flexione o joelho ligeiramente para melhor acesso aartéria. 27.4 Verificação da Pressão Arterial nas Extremidades Inferiores Curativos. Quando esta técnica e utilizada. a pressão sanguínea deve ser medida nas extremidades inferiores. cateteres intravenosos ou outros dispositivos podem ocasionalmente tornar inacessíveis as extremidades superiores e. Os limites pressóricos nos quais o intervalo auscultatório ocorre devem ser registrados. o valor sistólico e o modo de mensuração são registrados.4. e o local para ausculta. O manguito e posicionado com o balão sobre a superfície posterior da porção media da coxa. A pressão sistólica nas pernas e normalmente mais alta em 10 a 40 me do que a da artéria braquial. em pacientes com algumas anormalidades da pressão sanguínea. O manguito deve ser largo e comprido o suficiente para envolver a maior circunferência da coxa. gessos. indica o nível diastólico.mudança sutil na sensação. no espaço poplíteo. localizada atrás do joelho. mais a diastólica e essencialmente a mesma. O paciente deve ficar em posição de provação. assim. Aartéria poplítea. . Do mesmo modo.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful