Você está na página 1de 39
LOGO BRASILBRASIL BRASIL BIOMASSABIOMASSA BIOMASSA EE E ENERGIAENERGIA ENERGIA RENOVRENOVÁÁVELVEL RENOVÁVEL
LOGO
BRASILBRASIL BRASIL BIOMASSABIOMASSA BIOMASSA EE E ENERGIAENERGIA ENERGIA RENOVRENOVÁÁVELVEL RENOVÁVEL
USINAUSINA USINA DEDE DE BRIQUETEBRIQUETE BRIQUETE DEDE DE BAGACOBAGACO BAGACO DEDE DE CANACANA CANA
1/30
LOGO Brasil Brasil Biomassa Biomassa e e Energia Energia Renovável Renovável S.A. S.A. Av.Av. Av.
LOGO Brasil Brasil Biomassa Biomassa e e Energia Energia Renovável Renovável S.A. S.A. Av.Av. Av.
LOGO
Brasil Brasil Biomassa Biomassa e e Energia Energia Renovável Renovável S.A. S.A.
Av.Av. Av. CândidoCândido Cândido HartmannHartmann,, Hartmann, 570570 570 2424 24 AndarAndar Andar Conj.Conj. Conj. 243243 243
ChampagnatChampagnat Champagnat CuritibaCuritiba Curitiba ParanParanáá Paraná FoneFone Fone -- - Fax:Fax: Fax: 041041 041 3335228433352284 33352284
CelularCelular Celular 041041 041 8863086488630864 88630864 SkypeSkype Skype CelsoOliveira1CelsoOliveira1 CelsoOliveira1
URL:http://www.internationalrenewablesenergy.comURL:http://www.internationalrenewablesenergy.com URL:http://www.internationalrenewablesenergy.com
EE--mailmail E-mail Brasil:Brasil: Brasil: info@internationalrenewablesenergy.cominfo@internationalrenewablesenergy.com info@internationalrenewablesenergy.com
EstradaEstrada Estrada dada da Canoa,Canoa, Canoa, 14191419 1419 SãoSão São ConradoConrado Conrado
RioRio Rio dede de JaneiroJaneiro Janeiro Fone:Fone: Fone: 021021 021 3283063432830634 32830634
Conrado RioRio Rio dede de JaneiroJaneiro Janeiro Fone:Fone: Fone: 021021 021 3283063432830634 32830634 2/30

2/30

SinSinóópsepse

LOGO

1111 BrasilBrasil BiomassaBiomassa
1111
BrasilBrasil BiomassaBiomassa
1111 2 2 SociedadeSociedade PropPropóósitosito EspecEspecííficofico 3333 UsinaUsina dede BriqueteBriquete
1111 2 2
SociedadeSociedade PropPropóósitosito EspecEspecííficofico
3333 UsinaUsina dede BriqueteBriquete BrasilBrasil
4444 ProjetoProjeto dede InvestimentosInvestimentos
5555 PotencialidadePotencialidade dede NegNegóócioscios
4444 ProjetoProjeto dede InvestimentosInvestimentos 5555 PotencialidadePotencialidade dede NegNegóócioscios 3/30
4444 ProjetoProjeto dede InvestimentosInvestimentos 5555 PotencialidadePotencialidade dede NegNegóócioscios 3/30

3/30

LOGO Brasil Brasil Biomassa Biomassa e e Energia Energia Renovável Renovável 4/30
LOGO Brasil Brasil Biomassa Biomassa e e Energia Energia Renovável Renovável
LOGO
Brasil Brasil Biomassa Biomassa e e Energia Energia Renovável Renovável
LOGO Brasil Brasil Biomassa Biomassa e e Energia Energia Renovável Renovável 4/30

4/30

BrasilBrasil BiomassaBiomassa ee EnergiaEnergia RenovRenováávelvel

LOGO
LOGO

Visão.Visão.Visão.Visão.Visão.Visão.Visão.Visão. FornecerFornecer solusoluççõesões energenergééticasticas baseadasbaseadas emem biomassabiomassa ee biobio--combustcombustííveisveis limposlimpos ee renovrenovááveisveis parapara grandesgrandes companhiascompanhias nacionaisnacionais ee internacionais,internacionais, comcom intuitointuito dede mitigarmitigar oo impactoimpacto queque suassuas atividadesatividades possuempossuem sobresobre oo meiomeio ambienteambiente atravatravééss dada redureduççãoão dede emissãoemissão dosdos gasesgases dede efeitoefeito estufa,estufa, gerargerar ganhosganhos financeirosfinanceiros nana suasua contaconta dede eneenergiargia ee comcom aa vendavenda dede crcrééditosditos dede carbono,carbono, ee propiciarpropiciar suasua independênciaindependência energenergééticatica nãonão ficandoficando maismais aa mercêmercê dodo mercadomercado petrolpetrolíífero.fero.

Missão.Missão.Missão.Missão.Missão.Missão.Missão.Missão. AA BrasilBrasil BiomassaBiomassa ee EnergiaEnergia RenovRenováávelvel temtem aa missãomissão dede cooperarcooperar parapara oo desenvolvimentodesenvolvimento dede projetosprojetos sustentsustentááveisveis atravatravééss dede solusoluççõesões parapara aa gestãogestão dosdos resresííduosduos dede umauma energiaenergia renovrenováávelvel ee dada eficiênciaeficiência energenergééticatica pelapela biomassa.biomassa. TemTem aa missãomissão dede difundirdifundir osos proprojetosjetos sustensustenttááveisveis dede negnegóócioscios queque venhamvenham emem diminuirdiminuir aa emissãoemissão dede CO2CO2 nana atmosferatmosferaa ee oo usouso dada biomassabiomassa nono BrasilBrasil comocomo umauma fontefonte dede energiaenergia viviáávelvel ee sustentsustentáável.vel.

EstratEstratEstratEstratEstratEstratEstratEstratéééééééégia.gia.gia.gia.gia.gia.gia.gia. ProduzirProduzir transformartransformar ee exportar/comercializarexportar/comercializar parapara suprimentosuprimento cocontntíínuonuo dede longolongo prazo,prazo, nacionalnacional ee internacionalmente,internacionalmente, dede biomassabiomassa energenergééticatica parapara finsfins dede produproduççãoão dede energiaenergia limpalimpa ee dede outrosoutros produtosprodutos oriundosoriundos dada transformatransformaçção,ão, nana formaforma dede pellets,pellets, agropellets,agropellets, briquetesbriquetes ee woowoodd chips.chips. ImplantarImplantar IndIndúústriasstrias dodo ramoramo energenergééticotico alternativo.alternativo. FormarFormar ee explorarexplorar florestasflorestas homogêhomogêneas,neas, prpróópriasprias ouou dede terceiros,terceiros, ee parapara aa capturacaptura dede CO2CO2 parapara garantgarantiaia dede umauma enenergiaergia limpa.limpa. RealizarRealizar estudos,estudos, projetosprojetos ee construconstruççãoão emem terminalterminal portuportuááriorio parapara viabilizarviabilizar asas exportaexportaççõesões dede produtosprodutos originoriginááriosrios dede biomassabiomassa ee energiaenergia renovrenováávelvel ee operaoperaççãoão dede centrocentro dede processamentoprocessamento dede biomassa.biomassa. Estudar,Estudar, pprojetar,rojetar, executarexecutar planosplanos ee programasprogramas dede pesquisapesquisa ee desenvolvdesenvolvimentoimento dede novnovasas fontesfontes dede vetoresvetores dede energia,energia, diretamentediretamente ouou emem cooperacooperaççãoão comcom outrasoutras entidades.entidades. ParticiparParticipar dede pesquisaspesquisas dede interesseinteresse dodo setorsetor energenergéético,tico, ligadasligadas àà gerageraççãoão ee distribuidistribuiççãoão dede energiaenergia comcom usouso dede biomassa,biomassa, bembem comocomo dede estuestudosdos dede aproveitamentoaproveitamento dede reservatreservatóóriorio parapara finsfins mmúúltiplosltiplos ee colaborarcolaborar parapara aa preservapreservaççãoão dodo meiomeio ambienteambiente nono exercexercííciocio dede suassuas atividades.atividades.

ão do do meio meio ambiente ambiente no no exerc exerc í í cio cio de

5/30

InternationalInternational CMOCMO BusinessBusiness BiomassBiomass

LOGO
LOGO

ConstituConstituíídada emem 20022002 InternationalInternational CMOCMO BusinessBusiness BiomassaBiomassa sese esespecializoupecializou nnoo domdomíínionio dasdas energiasenergias renovrenovááveisveis ee aa eficiênciaeficiência energenergéética.tica. TemTem umauma forteforte associaassociaççãoão empresarialempresarial internacionalinternacional comcom 9898 parceiros/agentesparceiros/agentes comerciaiscomerciais emem 3838 papaíísesses queque trazemtrazem profundaprofunda ee amplaampla experiênciaexperiência profissprofissionalional parapara oo desenvolvimentodesenvolvimento dede projetosprojetos ee negnegóócioscios emem energiasenergias renovrenovááveis.veis.

NoNo BrasilBrasil mantmantéémm umauma importanteimportante parceriaparceria institucionalinstitucional comcom RedeRede NNacionalacional dede BiBiomassa,omassa, emem PortugalPortugal comcom aa SociedadeSociedade PortuguesaPortuguesa dede Energia,Energia, nana EuropaEuropa ccomom aa EUBIAEUBIA ee nosnos EstadosEstados UnidosUnidos comcom aa AmericanAmerican RenewablesRenewables Energy.Energy. MantemosMantemos umum intercâmbiointercâmbio ttéécnicocnico comcom aa RenewableRenewable EnergyEnergy andand EnergyEnergy EfficiencyEfficiency PartnershipPartnership ** AcceleratingAccelerating thethe DeDeploymentployment ofof RRenewableenewable EnergyEnergy Technologies:Technologies:

RegionalRegional ReportReport fromfrom thethe RenewableRenewable EnergyEnergy andand EnergEnergyy EfficiencyEfficiency PartnershipPartnership *The*The WorldWorld BankBank GroupGroup -- AcceleratingAccelerating CleanClean EnergyEnergy TechnologyTechnology InnovationInnovation ** PPelletellet FuelsFuels InstituteInstitute ** BiomassBiomass HeatingHeating Fuels:Fuels:

LowLow HangingHanging FruitFruit forfor CarbonCarbon EmissionsEmissions andand EnergyEnergy InIndependencedependence ** RenewableRenewable Energy:Energy: ElectricityElectricity andand BiofuelsBiofuels inin LatinLatin AmericaAmerica andand thethe CaribbeanCaribbean ** NaturNaturalal ResourcesResources CanadaCanada -- AnAn OverviewOverview ofof Canada'sCanada's RenewableRenewable EnergyEnergy IndustryIndustry ** NationalNational RenewableRenewable EnergEnergyy LaboratoryLaboratory ** InternationalInternational RenewableRenewable EnergyEnergy AllianceAlliance ** InternationalInternational EnergyEnergy AgencyAgency InnovativeInnovative AppApproachesroaches toto thethe SystemSystem IntegrationIntegration ofof RenewableRenewable ElectricityElectricity ** GlobalGlobal BioenergyBioenergy PartnershipPartnership ** GermanGerman RenewableRenewable EnEnergyergy FederationFederation ** EuropeanEuropean RenewableRenewable EnergyEnergy CouncilCouncil -- RenewableRenewable energyenergy policypolicy inin EuropeEurope -- 2020 %% byby 20202020 ** EnergyEnergy FutureFuture CoalitionCoalition NewNew AlliancesAlliances forfor aa NewNew EnergyEnergy FutureFuture ** BBusinessusiness CouncCouncilil forfor SustainableSustainable EnergyEnergy -- IndustryIndustry PerspectivesPerspectives onon HowHow thethe CarbonCarbon MarketMarket CanCan PromotePromote DeploymDeploymentent ofof CleanClean EnergyEnergy Technologies.Technologies.

EmEm 20082008 constituiuconstituiu comcom oo GrupoGrupo PortuguêsPortuguês NorteGNorteGááss aa companhiacompanhia EuropeanEuropean EnergyEnergy SRLSRL ondeonde desenvolvedesenvolve projetosprojetos especiaisespeciais dede biomassabiomassa ee energiaenergia renovrenováávelvel nana Europa.Europa. DirigidaDirigida pelopelo empresempresááriorio CelsoCelso MarceloMarcelo dede Oliveira,Oliveira, conceituadoconceituado autorautor dede 4444 llivrosivros publicpublicadosados nono BrasilBrasil ee nana Europa.Europa. NoNo mesmomesmo anoano foifoi constituconstituíídada comcom aa PiankaPianka EngenhariaEngenharia ee aa CivicCivic CorporationCorporation aa BrasilBrasil BiomasBiomassasa ee EnergiaEnergia RenovRenováávelvel S.A.S.A.

Corporation a a Brasil Brasil Biomas Biomas sa sa e e Energia Energia Renov Renov á

6/30

LOGO DIRETORIA DIRETORIA EXECUTIVA EXECUTIVA BRASIL BRASIL BIOMASSA BIOMASSA E E ENERGIA ENERGIA RENOVÁVEL RENOVÁVEL
LOGO DIRETORIA DIRETORIA EXECUTIVA EXECUTIVA BRASIL BRASIL BIOMASSA BIOMASSA E E ENERGIA ENERGIA RENOVÁVEL RENOVÁVEL
LOGO
DIRETORIA DIRETORIA EXECUTIVA EXECUTIVA
BRASIL BRASIL BIOMASSA BIOMASSA E E ENERGIA ENERGIA RENOVÁVEL RENOVÁVEL
Presidente Presidente CEO CEO Dr. Dr. Celso Celso Marcelo Marcelo de de Oliveira Oliveira
Dr. Dr. Adhemar Adhemar Cavalieri Cavalieri Junior Junior Diretor Diretor Geral Geral
Enga. Enga. Dra. Dra. Melissa Melissa Harris Harris Carelli Carelli Diretora Diretora Engenharia Engenharia
Dra. Dra. Maria Maria Denise Denise Martins Martins de de Oliveira Oliveira Diretora Diretora Jurídica Jurídica
Dr. Dr. Carlos Carlos Roberto Roberto Correa Correa Diretoria Diretoria Administrativa Administrativa
Jurídica Dr. Dr. Carlos Carlos Roberto Roberto Correa Correa Diretoria Diretoria Administrativa Administrativa 7/30

7/30

Partner International Biomass

LOGO
LOGO

UnitedUnitedUnitedUnited StatesStatesStatesStates EliteEliteEliteElite InternationalInternationalInternationalInternational BusinessBusinessBusinessBusiness President Leo Ickowicz 16137 Biscayne Blvd. Aventura, Florida 33160 GlobeGlobeGlobeGlobe TradeTradeTradeTrade ImportImportImportImport ExportExportExportExport - President Claudia Gale 4809 N. 13th Street Philadelphia Pennsylvania CanadaCanadaCanadaCanada CreeCreeCreeCree IndustriesIndustriesIndustriesIndustries President John O. Olsen Box 951 Peguis Manitoba ROC 3JO

MMéMMééxicoéxicoxicoxico AsiskybAsiskybAsiskybAsiskyb LdaLdaLdaLda

Vainillo MZ 128 Lt 22 Iztapalpa 09637 GermanyGermanyGermanyGermany ITCITCITCITC TradingTradingTradingTrading Affentorplatz 7, Frankfurt A. M., Hessen, Germany Zip: 60594 ItalyItalyItalyItaly VVVV &&&& PPPP TradingTradingTradingTrading Via Piave 3 - 21047 - Saronno (VA) – Italy NetherlandsNetherlandsNetherlandsNetherlands BroflameBroflameBroflameBroflame HoutpelletsHoutpelletsHoutpelletsHoutpellets Wij werken met verschillende erkende fabrikanten in Nederland, België, Duitsland, Zwitserland en Oostenrijk PortugalPortugalPortugalPortugal SpainSpainSpainSpain ExporExporExporExpor ImporImporImporImpor GlobalGlobalGlobalGlobal MaderasMaderasMaderasMaderas Manuel da Foseca Lisboa /Torres Portugal SwitzerlandSwitzerlandSwitzerlandSwitzerland EngoEngoEngoEngo TechTechTechTech GmbHGmbHGmbHGmbH BusinessBusinessBusinessBusiness President Felipe Messerli Zürcherstrasse, 46 8400 Winterthur Switzerland ChinaChinaChinaChina BeijiegBeijiegBeijiegBeijieg ImportImportImportImport &&&& ExportExportExportExport CoCoCoCo yuhuatai banqiao jiedao xiong fenglu 101 KoreaKoreaKoreaKorea SouthSouthSouthSouth JiangxiJiangxiJiangxiJiangxi JinyuJinyuJinyuJinyu ChemicalChemicalChemicalChemical 93 Yuejin Southern RD, Pingxiang City, Jiangxi MalaysiaMalaysiaMalaysiaMalaysia BeijiegBeijiegBeijiegBeijieg ImportImportImportImport &&&& ExportExportExportExport CoCoCoCo Ltd.Ltd.Ltd.Ltd. yuhuatai banqiao jiedao xiong fenglu 101 AustrAustráAustrAustrááliaálialialia BruceBruceBruceBruce MansonMansonMansonManson andandandand AssociatesAssociatesAssociatesAssociates 10 Kurrajong, Avenue Synergies Gold Coast

- President L. Miguel Santos

AssociatesAssociatesAssociatesAssociates 10 Kurrajong, Avenue Synergies Gold Coast - President L. Miguel Santos 8/30

8/30

LOGO TT T 9/30
LOGO TT T
LOGO
TT
T
LOGO TT T 9/30

9/30

LOGO Sociedade Sociedade Propósito Propósito Específico Específico 10/30
LOGO Sociedade Sociedade Propósito Propósito Específico Específico
LOGO
Sociedade Sociedade Propósito Propósito Específico Específico
LOGO Sociedade Sociedade Propósito Propósito Específico Específico 10/30

10/30

PrPreliminareseliminares -- SPESPE

LOGO

Pr Pr eliminares eliminares - - SPE SPE LOGO “ “ A A briquetagem briquetagem é

AA briquetagembriquetagem éé umauma formaforma bastantebastante eficienteeficiente parapara concentrarconcentrar aa enerenergiagia dispondisponíívelvel dada biomassa.biomassa. 1,OOm31,OOm3 dede briquetesbriquetes contcontéémm pelopelo menosmenos 55 vezesvezes maismais energiaenergia queque 1,OOm31,OOm3 dede resresííduos.duos. Isso,Isso, levandolevando-- sese emem consideraconsideraççãoão aa densidadedensidade aa granelgranel ee oo poderpoder calorcalorííficofico mméédiodio dessesdesses materiais.materiais. DevidoDevido àà dimensãodimensão aa ààss grandesgrandes distânciasdistâncias internasinternas dodo papaíís,s, oo aspectoaspecto concentraconcentraççãoão energenergééticatica assumeassume tambtambéémm grandegrande importânciaimportância

aa viabilidadeviabilidade ttéécnicacnica aa econômicaeconômica dodo acondicionamentoacondicionamento dessesdesses resresííduos,duos, comprovadamentecomprovadamente justificajustifica

aa alocaalocaççãoão dede recursosrecursos dede financiamentofinanciamento parapara apoiarapoiar oo aprovaproveitamentoeitamento desdessesses resresííduosduos comocomo atividadeatividade

econômica,econômica, bembem comocomo outrasoutras medidasmedidas queque sese fizeremfizerem nnecessecessááriasrias parapara estruturarestruturar oo mercadomercado dessedesse produto.produto.

ConstituicãoConstituicãoConstituicãoConstituicãoConstituicãoConstituicãoConstituicãoConstituicão dededededededede SociedadeSociedadeSociedadeSociedadeSociedadeSociedadeSociedadeSociedade dededededededede PropPropPropPropPropPropPropPropóóóóóóóósitositositositositositositosito EspecEspecEspecEspecEspecEspecEspecEspecííííííííficoficoficoficoficoficoficofico paraparaparaparaparaparaparapara oooooooo DesenvolvimentoDesenvolvimentoDesenvolvimentoDesenvolvimentoDesenvolvimentoDesenvolvimentoDesenvolvimentoDesenvolvimento dodododododododo ProcessoProcessoProcessoProcessoProcessoProcessoProcessoProcesso IndustrialIndustrialIndustrialIndustrialIndustrialIndustrialIndustrialIndustrial dodododododododo BriquetteBriquetteBriquetteBriquetteBriquetteBriquetteBriquetteBriquette dededededededede BagacoBagacoBagacoBagacoBagacoBagacoBagacoBagaco dededededededede CanaCanaCanaCanaCanaCanaCanaCana dededededededede AcAcAcAcAcAcAcAcúúúúúúúúcarcarcarcarcarcarcarcar nononononononono RioRioRioRioRioRioRioRio dededededededede JaneiroJaneiroJaneiroJaneiroJaneiroJaneiroJaneiroJaneiro eeeeeeee SãoSãoSãoSãoSãoSãoSãoSão Paulo.Paulo.Paulo.Paulo.Paulo.Paulo.Paulo.Paulo. SociedadeSociedade dede PropPropóósitosito EspecEspecííficofico BriqueteBriquete BrasilBrasil ouou SpecialSpecial PurposePurpose CompanyCompany (SPC),(SPC), ttereráá umauma personalidadepersonalidade jurjuríídicadica distintadistinta dosdos ssóócioscios-- controladores,controladores, osos ssóócioscios minoritminoritááriosrios ee oo investidor.investidor. CadaCada grupogrupo possuipossui diversosdiversos intinteresseseresses nono prprojeto,ojeto, oo queque refletereflete suassuas aaççõesões sobresobre oo mesmo.mesmo. DianteDiante dessesdesses interessesinteresses osos grupgruposos sese articularticulamam parapara complementarcomplementar ee somarsomar seusseus recursosrecursos parapara exploraexploraççãoão dodo projetoprojeto industrialindustrial dede produproduççãoão ee exportaexportaççãoão dede briquetebriquete parapara oo atendimentoatendimento dodo mercadomercado internacionalinternacional EstadosEstados UnidosUnidos CanadCanadáá EuropaEuropa ÍÍndiandia ChinaChina -- JapãoJapão

– Canad Canad á á – – Europa Europa – – Í Í ndia ndia –

11/30

LOGO Período de Construção Período de Operação ProcessoProcesso IndustrialIndustrial ConstruConstruççãoão
LOGO
Período de
Construção
Período de Operação
ProcessoProcesso
IndustrialIndustrial
ConstruConstruççãoão
dada UsinaUsina dede
BriqueteBriquete
ContratoContrato
CompraCompra
MatMatéériaria--
IncrementosIncrementos dosdos custoscustos
operacionaisoperacionais
ExportaExportaççãoão
PrimaPrima
USAUSA
EuropaEuropa
ProcessoProcesso IndustrialIndustrial
BrasilSPE
SPE Usina
Usina Briquete
Briquete Brasil

75 dias

120 dias

150 dias

IndustrialIndustrial BrasilSPE SPE Usina Usina Briquete Briquete Brasil 75 dias 120 dias 150 dias 12/30

12/30

InvestimentosInvestimentos

Investimentos Investimentos LOGO Período de Construção Período de Operação InvestimentosInvestimentos áárearea
LOGO
LOGO
Investimentos Investimentos LOGO Período de Construção Período de Operação InvestimentosInvestimentos áárearea
Período de Construção Período de Operação
Período de
Construção
Período de Operação
InvestimentosInvestimentos áárearea administrativaadministrativa ee produtivaprodutiva ee emem laudolaudo
InvestimentosInvestimentos áárearea administrativaadministrativa ee
produtivaprodutiva ee emem laudolaudo ttéécnicocnico dodo
produtoproduto ee nono desenvolvimentodesenvolvimento dada
loglogíísticastica ttéécnica.cnica. OO recursorecurso éé
disponibilizadodisponibilizado comcom asas metasmetas prpréé--
fixadasfixadas dede performanceperformance
InvestimentosInvestimentos nana UnidadeUnidade IndustrialIndustrial
InvestimentosInvestimentos
nana UnidadeUnidade
IndustrialIndustrial
fixadasfixadas dede performanceperformance InvestimentosInvestimentos nana UnidadeUnidade IndustrialIndustrial 13/30
fixadasfixadas dede performanceperformance InvestimentosInvestimentos nana UnidadeUnidade IndustrialIndustrial 13/30

13/30

Estrutura da SPE

LOGO Mercados InvestidorInvestidor de ee AcionistaAcionista Capitais ProjectProject FinanceFinance
LOGO
Mercados InvestidorInvestidor de ee
AcionistaAcionista Capitais
ProjectProject FinanceFinance
EmprEmprééstimosstimos
dede longolongo
prazoprazo
FundoFundo dede
SecuritizaSecuritizaççãoão dede
RecebRecebííveisveis
CartaCarta dede CrCrééditodito
nana CompraCompra
InternacionalInternacional
AcionistaAcionista Acionista BrasilBrasil Brasil BiomassaBiomassa Biomassa
AcionistaAcionista Acionista
BrasilBrasil Brasil BiomassaBiomassa Biomassa
AcionistaAcionista Acionista MinoritMinoritááriorio Minoritário
AcionistaAcionista Acionista
MinoritMinoritááriorio Minoritário
EstruturaEstrutura AdministrativaAdministrativa
EstruturaEstrutura
AdministrativaAdministrativa
LippelLippel Lippel MMááquinasquinas Máquinas SPESPESPESPESPESPESPESPE ProjetoProjeto dede ConstruConstruççãoão
LippelLippel Lippel MMááquinasquinas Máquinas
SPESPESPESPESPESPESPESPE
ProjetoProjeto dede
ConstruConstruççãoão
ContratoContrato
GarantiaGarantia dede
MatMatéériaria--PrimaPrima
SociedadeSociedade dede
PropPropóósitosito
EspecificoEspecifico
InvestimentoInvestimento
FundoFundo FinanceiroFinanceiro
InvestidoresInvestidores
RecursosRecursos
AtivosAtivos NãoNão--FinanceirosFinanceiros
CartaCarta dede CrCrééditodito
PrestadoresPrestadores
ConstrutoraConstrutora
emem
ServiServiççosos
participaparticipaççõesões
14/30

Project Finance da SPE

Project Finance da SPE LOGO Estamos Estamos apresentando apresentando o o Project Project Finance Finance da
LOGO
LOGO

EstamosEstamos apresentandoapresentando oo ProjectProject FinanceFinance dada UsinaUsina dede BriqueteBriquete BrasBrasilil parapara garantiagarantia principalmenteprincipalmente dosdos acionistas/investidoresacionistas/investidores parapara oo desenvolvimentodesenvolvimento dodo projetoprojeto indusindustrial.trial. SuaSua estruturaestrutura financeira,financeira, baseadabaseada nana criacriaççãoão dada SociedadeSociedade dede PropPropóósitosito EspecEspecííficofico parapara gestãogestão dodo empreendimentoempreendimento industrialindustrial parapara dirimirdirimir osos rriscosiscos ee pelapela securitizasecuritizaççãoão dede receitasreceitas futurasfuturas advindasadvindas dasdas vendasvendas internacionaisinternacionais

OO ProjectProject FinanceFinance dada UsinaUsina dede BriqueteBriquete BrasilBrasil envolenvolveve aa implemenimplementataççãoão dodo processoprocesso industrialindustrial parapara potencializarpotencializar oo bagabagaççoo dede canacana numanuma energiaenergia renovrenováávelvel comocomo oo briquete.briquete. OO investidorinvestidor acionistaacionista vaivai acomacompanharpanhar oo ffluxoluxo dede caixacaixa dada usina,usina, existindoexistindo umauma garantiagarantia colateralcolateral dodo contratocontrato intinternacionalernacional dede compracompra dede briquetebriquete ee aa cartacarta dede crcréédito.dito.

AA estruturaestruturaççãoão dada SPESPE BriqueteBriquete BrasilBrasil exigeexige umauma sséérierie dede instrumentosinstrumentos financeiros,financeiros, comerciaiscomerciais ee jurjuríídicosdicos parapara mitigamitigaççãoão dede riscosriscos ee umum controlecontrole eficienteeficiente sobresobre osos fluxofluxoss financeirosfinanceiros dodo projeto,projeto, oo queque incluiinclui aa criacriaççãoão dede escrowescrow accountaccount parapara arcararcar comcom exigibilidadesexigibilidades ee fluxosfluxos operacionaoperacionais.is.

InvestimentoInvestimento dede mméédiodio porteporte parapara aa construconstruççãoão dada usinausina dede briquetebriquete comcom aa garantiagarantia dada compracompra futfuturaura dodo produproduto,to, desobrigandodesobrigando oo sponsorsponsor quantoquanto àà concessãoconcessão dede garantias.garantias. OsOs ddéébitosbitos dosdos financiamentosfinanciamentos constamconstam somentesomente nono balanbalanççoo dada SPE.SPE. EnvolvimentoEnvolvimento diretodireto dada BrasilBrasil BiomassaBiomassa ee EEnergianergia RenovRenováávelvel ee empresasempresas associadasassociadas queque apresentamapresentam sinergiassinergias positivaspositivas comcom conhecimentoconhecimento dodo potencialpotencial dede mercado,mercado, tecnologia,tecnologia, experiênciaexperiência nana execuexecuççãoão ee montagemmontagem dodo projetoprojeto ee capacidadecapacidade operacional.operacional.

NaNa estruturaestrutura financeirafinanceira dada SPESPE BriqueteBriquete BrasilBrasil ,, asas partespartes finanfinanciadorasciadoras dodo projetoprojeto procuram,procuram, porpor umauma operaoperaççãoão integradaintegrada ee conjunta,conjunta, estabelecerestabelecer asas receitasreceitas aa sereseremm geradasgeradas cocomm aa operaoperaççãoão dodo projetoprojeto parapara aa amortizaamortizaççãoão dodo investimento,investimento, ouou seja,seja, aa securitizasecuritizaççãoão dasdas receitasreceitas futurasfuturas comcom aa vendavenda dodo briquetebriquete ouou dosdos recebrecebííveisveis comcom lastrolastro nana cartacarta dede crcréédito.dito. AA securitizasecuritizaççãoão envolveenvolve aa transformatransformaççãoão dodo crcrééditodito emem umum ttíítulo,tulo, ee osos recebrecebííveisveis sãosão ingressosingressos esperadosesperados nono fluxofluxo dede caixa.caixa. AA grandegrande vanvantagemtagem dessadessa operaoperaççãoão estestáá nana conversãoconversão dede umum ativoativo futurofuturo emem umum ativoativo dede liquidezliquidez imediata,imediata, antecipandoantecipando osos rerecebimentoscebimentos dodo fluxofluxo dede caixa.caixa. DessaDessa operaoperaççãoão podepode surgirsurgir oo fluxofluxo inicialinicial dosdos projetos,projetos, aoao mesmomesmo tempotempo queque oo aciacionistaonista invesinvestidortidor temtem aa garantiagarantia dodo recebimentorecebimento dodo fluxofluxo dede caixacaixa futuro.futuro.

15/30

LOGO Usina Usina Briquete Briquete Brasil Brasil 16/30
LOGO Usina Usina Briquete Briquete Brasil Brasil
LOGO
Usina Usina Briquete Briquete Brasil Brasil
LOGO Usina Usina Briquete Briquete Brasil Brasil 16/30

16/30

Briquete Brasil

LOGO AAAAAAAA briquetagembriquetagem éé umum processoprocesso dede compactacompactaççãoão dede resresííduosduos
LOGO
AAAAAAAA briquetagembriquetagem éé umum processoprocesso dede compactacompactaççãoão dede resresííduosduos agragríícolascolas ee industriais,industriais, taistais comocomo bagabagaççoo dede cana.cana. OO
bagacobagaco dede canacana transformadotransformado emem briquetesbriquetes substituemsubstituem comcom enormesenormes vantagensvantagens aa queimaqueima dede óóleoleo combustcombustíívelvel ee
madeiramadeira emem fornalhas,fornalhas, processosprocessos dede gaseificagaseificaçção,ão, lareiras,lareiras, etc.etc. OsOs briquetesbriquetes podempodem serser produzidosproduzidos emem tamanhotamanhoss
uniformesuniformes parapara facilitarfacilitar oo transporte,transporte, embalagem,embalagem, armarmazenagem,azenagem, ee aa alimentaalimentaççãoão dede fornalhas.fornalhas. EliminaElimina osos
resresííduosduos incômodosincômodos ee porpor vezesvezes onerososonerosos pelopelo espaespaççoo queque ocupam.ocupam. AA redureduççãoão dede volumevolume nana transformatransformaççãoão éé nana
ordemordem dede 44 aa 1010 vezes.vezes. ReduzReduz aa poluipoluiççãoão ambiental,ambiental, poispois geragera menormenor quantidadequantidade dede fuligemfuligem ee cinzascinzas dodo queque oo
mesmomesmo materialmaterial queimadoqueimado aa granel.granel. AA baixabaixa umidadeumidade dodoss briquetesbriquetes garantegarante umum poderpoder calorcalorííficofico homogêneo,homogêneo, comcom
maiormaior temperaturatemperatura dede chama,chama, queque eliminaelimina regulagensregulagens constanconstantestes nana vazãovazão dede fornalhas.fornalhas.
17/30
17/30
LOGO CaracterCaracterCaracterCaracter CaracterCaracterCaracterCaracter íííí íííí sticassticassticassticas
LOGO
LOGO

CaracterCaracterCaracterCaracterCaracterCaracterCaracterCaracteríííííííísticassticassticassticassticassticassticassticas dodododododododo Produto:Produto:Produto:Produto:Produto:Produto:Produto:Produto: PoucaPouca gerageraççãoão dede fumafumaçça,a, cinzacinza ee fuligemfuligem emem virtudevirtude dodo baixobaixo percentualpercentual dede umidade.umidade. ÉÉ necessnecessááriorio aa derrubadaderrubada dede 1010 arvoresarvores parapara produzirproduzir 0101 tonetoneladalada dede carvãcarvãoo ee oo bagacobagaco dede canacana éé umum produtoproduto nãonão derivadoderivado dada madeira.madeira. 0101 toneladatonelada dede briquetebriquete cocorresponderresponde aa 0707 m3m3 dede lenhalenha aproximadamente.aproximadamente. OO briquetebriquete éé produtoproduto fabricadofabricado utilizandoutilizando--sese dede resresííduosduos dede serrariasserrarias dede reflorestamentosreflorestamentos ee nono presentepresente casocaso oo bagacbagacoo dede cana.cana. AltoAlto poderpoder calorcalorííficofico ee regularidaderegularidade ttéérmica.rmica. MenorMenor espaespaççoo dede armazenagem.armazenagem. MenorMenor ííndicendice dede poluipoluiççãoão emem relarelaççãoão aa carvãocarvão vegetalvegetal ee mineral,mineral, lenha,lenha, óóleoleo etc.etc. EcologicamenteEcologicamente corretocorreto reduzreduz sensivelmentesensivelmente oo desmatamendesmatamentoto ee nono presentepresente casocaso oo bagacobagaco dede canacana éé bembem recebidorecebido pelospelos movimentosmovimentos dede defesadefesa ecolecolóógica.gica.

VantagensVantagensVantagensVantagensVantagensVantagensVantagensVantagens dodododododododo Briquete:Briquete:Briquete:Briquete:Briquete:Briquete:Briquete:Briquete: MenorMenor custocusto diretodireto ee indireto.indireto. MenorMenor mãomão--dede--obra.obra. MaiorMaior estabilidadeestabilidade ee rapidezrapidez nana respostaresposta dada temperatura.temperatura. MaiorMaior higienehigiene ee melhormelhor aparaparência.ência. ProduProdutoto industrializado,industrializado, dispondisponíívelvel oo anoano todo.todo. ProdutoProduto ecologicamenteecologicamente correto.correto. FlexibilidadeFlexibilidade dede utiutilizalizaçção:ão: usouso domdoméésticostico ee industrial.industrial. GeraGera menormenor poluipoluiççãoão aoao meiomeio ambienteambiente emem relarelaççãoão aosaos seusseus concorrentesconcorrentes ee ProdutoProduto fabricadofabricado atravatravééss dodo aproveitamentoaproveitamento dede resresííduosduos florestais.florestais. EconomiaEconomia dede atatéé 70%70% emem relarelaççãoão aoao usouso dede energiaenergia eleléétricatrica ouou combustcombustííveisveis ffóósseis.sseis. AquisiAquisiççãoão dodo produtoproduto porpor peso,peso, ee nãonão porpor volume.volume. ProdutoProduto padronipadronizado,zado, acondicacondicionadoionado emem sacossacos dede 2525 kg.kg. FonteFonte renovrenováávelvel dede matmatéériaria--prima,prima, processoprocesso ecolecolóógicogico sustentsustentáávelvel parapara gerageraççãoão dede energia.energia. PossibilidadePossibilidade dede automaautomaççãoão dodo processoprocesso dede alimentaalimentaççãoão dodo combustcombustíível.vel. AquecimentoAquecimento comcom briquetesbriquetes fabricadosfabricados comcom combuscombusttíívelvel éé umauma alternativaalternativa economicamenteeconomicamente vantajosavantajosa nana gerageraççãoão dede energiaenergia ee aquecimentoaquecimento umauma vezvez queque aa relarelaççãoão custocusto beneficiobeneficio dosdos briquetesbriquetes éé atatéé 60%60% maismais econômicoeconômico queque oo prepreççoo dede óóleoleo BPFBPF ee aoao menosmenos 40%40% maismais baixobaixo queque oo prepreççoo dada eletricidade.eletricidade.

AA PolPolííticatica nacionalnacional dede proteproteççãoão dede ambienteambiente ee oo IBAMAIBAMA recomendarecomenda usouso dede biomassabiomassa ccomoomo osos briqubriquetes.etes. AsAs quantidadesquantidades dede didióóxidoxido dede carbonocarbono dede combustãocombustão sãosão iguaisiguais àà quantidadequantidade dede usouso dasdas áárvoresrvores quandoquando crescemcrescem ,, porpor issoisso sãosão consideradosconsiderados combustcombustíívelvel carbonocarbono neutro.neutro. SegundoSegundo aa diretivadiretiva dada UEUE CombinCombineded HeatHeat andand PowerPower DirectiveDirective (2004)(2004) pretendepretende substituirsubstituir 18%18% atatéé 20102010 dede combustcombustííveisveis fosseisfosseis nana gerageraççãoão dede energia.energia. AlAléémm dede ajudarajudar nana polpolííticatica dede reflorestamentoreflorestamento poispois empregaemprega madeiramadeira dede baibaixaxa qualidadequalidade ee pequenopequeno diâmetrodiâmetro queque sese abandonadaabandonada nono meiomeio ambienteambiente emiteemite ggááss metanometano comcom intensidadeintensidade cercacerca dede 2121 vezesvezes maiormaior qqueue oo ggááss carbônicocarbônico causadorcausador dodo efeitoefeito estufa.estufa. SendoSendo excelenteexcelente substitutosubstituto aoao carvãocarvão vegetalvegetal ee mineralmineral altamentealtamente poluidor.poluidor.

substituto ao ao carvão carvão vegetal vegetal e e mineral mineral altamente altamente poluidor. poluidor. 18/30

18/30

LOGO OOOO OOOO crescimentocrescimentocrescimentocrescimento crescimentocrescimentocrescimentocrescimento
LOGO
LOGO

OOOOOOOO crescimentocrescimentocrescimentocrescimentocrescimentocrescimentocrescimentocrescimento demandademandademandademandademandademandademandademanda dededededededede combustcombustcombustcombustcombustcombustcombustcombustííííííííveisveisveisveisveisveisveisveis ffffffffóóóóóóóósseissseissseissseissseissseissseissseis nononononononono MundoMundoMundoMundoMundoMundoMundoMundo :::::::: EntreEntre 19501950 ee 2005,2005, oo consumoconsumo dodo mundomundo dede óóleoleo cresceucresceu maismais queque 80%80% ,, trazendotrazendo exigênciaexigência globalglobal aa 8585 milhõesmilhões dede bbbbl.l. dede óóleoleo porpor dia.dia. ApesarApesar dessedesse crescimentocrescimento incrincríível,vel, oo apetiteapetite dede óóleoleo dodo mundomundo somentesomente aumentaaumenta ,, comocomo papaíísesses dede desenvolvimentodesenvolvimento comocomo ChinaChina ee ÍÍndiandia finalmentefinalmente movemmovem emem diredireççãoão aa estilosestilos dede vidavida comparcomparáávelvel aa essesesses dede EuropaEuropa ee osos EUA.EUA. AA maioriamaioria dasdas estimatestimativasivas dobredobre oo óóleoleo mostrammostram incrincríívelvel dede exigênciaexigência aa entreentre 120120 milhõesmilhões ee 130130 milhõesmilhões dede bbl.bbl. porpor ddiaia porpor 20252025 ouou 2030.2030. EstaEsta exigênciaexigência podepode serser atendidaatendida sese aa maioriamaioria dede oo estoqueestoque adicionaladicional virvir dodo OrienteOriente MMéédio,dio, comcom aa ArAráábiabia SauditaSaudita ,, semsem levarlevar emem consideraconsideraççãoão oo picopico dada demanda,demanda, nono futurofuturo asas fontesfontes tendemtendem aa escassearescassear nosnos prpróóximosximos anos.