Você está na página 1de 20
ANO VII | Nº 323 5ª feira 08 Dezembro 2011 PÁGINA 2
ANO VII | Nº 323 5ª feira 08 Dezembro 2011 PÁGINA 2
ANO VII | Nº 323 5ª feira 08 Dezembro 2011 PÁGINA 2
ANO VII | Nº 323 5ª feira 08 Dezembro 2011 PÁGINA 2
ANO VII | Nº 323 5ª feira 08 Dezembro 2011
PÁGINA 2
ANO VII | Nº 323 5ª feira 08 Dezembro 2011 PÁGINA 2
ANO VII | Nº 323 5ª feira 08 Dezembro 2011 PÁGINA 2
ANO VII | Nº 323 5ª feira 08 Dezembro 2011 PÁGINA 2
ANO VII | Nº 323 5ª feira 08 Dezembro 2011 PÁGINA 2
ANO VII | Nº 323 5ª feira 08 Dezembro 2011 PÁGINA 2
ANO VII | Nº 323 5ª feira 08 Dezembro 2011 PÁGINA 2
ANO VII | Nº 323 5ª feira 08 Dezembro 2011 PÁGINA 2
ANO VII | Nº 323 5ª feira 08 Dezembro 2011 PÁGINA 2
ANO VII | Nº 323 5ª feira 08 Dezembro 2011 PÁGINA 2
ANO VII | Nº 323 5ª feira 08 Dezembro 2011 PÁGINA 2
ANO VII | Nº 323 5ª feira 08 Dezembro 2011 PÁGINA 2
JOÃO CARMO OLIVEIRA Empresário Malveira Parece óbvio que será mais do mesmo. Este go- verno
JOÃO CARMO OLIVEIRA Empresário Malveira Parece óbvio que será mais do mesmo. Este go- verno
JOÃO CARMO OLIVEIRA Empresário Malveira Parece óbvio que será mais do mesmo. Este go- verno
JOÃO CARMO OLIVEIRA Empresário Malveira Parece óbvio que será mais do mesmo. Este go- verno
JOÃO CARMO OLIVEIRA Empresário Malveira Parece óbvio que será mais do mesmo. Este go- verno
JOÃO CARMO OLIVEIRA Empresário Malveira Parece óbvio que será mais do mesmo. Este go- verno
JOÃO CARMO OLIVEIRA Empresário Malveira Parece óbvio que será mais do mesmo. Este go- verno
JOÃO CARMO OLIVEIRA
JOÃO CARMO OLIVEIRA
JOÃO CARMO OLIVEIRA Empresário Malveira Parece óbvio que será mais do mesmo. Este go- verno já

Empresário

Malveira

Parece óbvio que será mais do mesmo. Este go- verno já demonstrou a sua completa
Parece óbvio que será mais do mesmo. Este go-
verno já demonstrou a sua completa insensibili-
dade, nomeadamente através das declarações
de alguns dos seus responsáveis, portanto não
é de esperar nenhuma surpresa de quem acha
que os Portugueses podem sempre fazer mais
um sacrifício. Logo essa “folga” irá beneficiar,
mais uma vez, aqueles que nunca irão sentir na
pele qualquer tipo de sacrifício ou austeridade,
a não ser que se considere sacrifício o facto de
não se trocar o iate pelo último modelo. Há já
algumas décadas que ouvimos dizer, a suces-
sivos governos, que os sacrifícios no momento
trariam benificios futuros, mas o que sempre ve-
rificámos foi que os sacrifícios são para a gran-
de
maioria e os benefícios só para alguns.
Sabendo que o nosso tecido empresarial assen-
ta essencialmente nas P.M.E.’s, que empregam

cerca de 95% dos Portugueses, devia ser exclu- sivamente aí que essa injecção devia aconte- cer, mas suspeito que não será isso que se irá verificar.

O meu mais profundo desejo é estar redonda- mente enganado
O meu mais profundo desejo é estar redonda-
mente enganado
JOSÉ NOBRE
JOSÉ NOBRE
JOSÉ NOBRE Como estamos em época Natalícia, de boa vontade entre os homens, seria natural que
JOSÉ NOBRE Como estamos em época Natalícia, de boa vontade entre os homens, seria natural que
Como estamos em época Natalícia, de boa vontade entre os homens, seria natural que essa
Como estamos em época Natalícia, de boa
vontade entre os homens, seria natural que essa
partilha fosse de facto feita. Todavia já nos ha-
bituamos a que assim não seja.
Não tem havido sensibilidade social.
Esta economia parece um tsunami que leva tudo
por onde passa. Depois as águas recuam e virá
o tempo de reconstruir.
Na altura de se fazerem os doces de Natal,
são necessários vários ingredientes, como ovos,
açúcar e farinha.
O que me ocorre neste caso é, como se diz
nalgumas das regiões do nosso País:
É TUDO FARINHA DO MESMO SACO
Pegue-se no saco de que maneira for, e ele tem
sempre o mesmo lá dentro.
Tenho pena que assim seja, porque alguns
grãos antes de serem triturados e transformados
em farinha, eram de superior qualidade. Mas
como são poucos não elevam a categoria do
Interior do saco.
TERESA BAPTISTA
TERESA BAPTISTA
TERESA BAPTISTA Marketeer Encarnação Mudam as moscas, mas apenas elas De resto é mais do mesmo,

Marketeer

Encarnação

Mudam as moscas, mas apenas elas
Mudam as moscas, mas apenas elas
De resto é mais do mesmo, agora com maior
De resto é mais do mesmo, agora com maior

descaramento.

Porque é que temos de empobrecer enquanto indivíduos e famílias e empresas, se o Estado
Porque é que temos de empobrecer enquanto
indivíduos e famílias e empresas, se o Estado
continua a engordar e se recusa a fazer uma
saudável dieta cortando no que é excessivo?
Porque é que o ascético ministro da Seguran-
Porque é que o ascético ministro da Seguran-
ça Social, Pedro Mota Soares, esbanja 86 mil
ça Social, Pedro Mota Soares, esbanja 86 mil
euros num automóvel topo de gama, alegando
euros num automóvel topo de gama, alegando
que fora encomendado pelo antecessor? Não
que fora encomendado pelo antecessor? Não
tem autoridade para recusar a compra? É que
tem autoridade para recusar a compra? É que
se não está investido desses poderes, demita-
se não está investido desses poderes, demita-

se!

PAULO FERNANDO Designer e Fotógrafo Malveira
PAULO FERNANDO
Designer e
Fotógrafo
Malveira

Estou feliz com a abundância de dinheiro que de repente, em plena austeridade, so- beja!

de dinheiro que de repente, em plena austeridade, so- beja! Foi uma jogada de mestre. Quando
de dinheiro que de repente, em plena austeridade, so- beja! Foi uma jogada de mestre. Quando
Foi uma jogada de mestre. Quando toda a gente pensava que ia aper- tar o
Foi uma jogada de mestre.
Quando toda a gente pensava que ia aper-
tar o cinto, afinal ainda há folga orçamen-
tal para ficar abaixo do limite do déficite e
comprar dívida do Estado, que é sempre um
bom investimento, sobretudo agora que os
alemães estão a ser apertados para criarem
as eurobonds.
Este ano ficamos sem parte substantiva do
13º mês, mas só o facto de sabermos que
combatemos o déficite, é como ganhar a
guerra do Iraque. Somos uns heróis!
Calhando até nos erguem uma estátua no
parlamento europeu
Calhando até nos erguem uma estátua no parlamento europeu HÉLDER MARTINS Jornalista Ericeira A isto chama-se
Calhando até nos erguem uma estátua no parlamento europeu HÉLDER MARTINS Jornalista Ericeira A isto chama-se
Calhando até nos erguem uma estátua no parlamento europeu HÉLDER MARTINS Jornalista Ericeira A isto chama-se
Calhando até nos erguem uma estátua no parlamento europeu HÉLDER MARTINS Jornalista Ericeira A isto chama-se
Calhando até nos erguem uma estátua no parlamento europeu HÉLDER MARTINS Jornalista Ericeira A isto chama-se
Calhando até nos erguem uma estátua no parlamento europeu HÉLDER MARTINS Jornalista Ericeira A isto chama-se
Calhando até nos erguem uma estátua no parlamento europeu HÉLDER MARTINS Jornalista Ericeira A isto chama-se
HÉLDER MARTINS
HÉLDER MARTINS
HÉLDER MARTINS Jornalista Ericeira A isto chama-se esbulho! Tira-se o sustento às famílias para aplacar a

Jornalista

Ericeira

A isto chama-se esbulho! Tira-se o sustento às famílias para aplacar a voracidade dos mercados
A isto chama-se esbulho!
Tira-se o sustento às famílias para aplacar a
voracidade dos mercados
Já não há vergonha que modere a ganância
dos poderosos. Vai ficar nas páginas mais
negras da história deste país ol triste Natal
de 2011 com reformados e pensionistas
privados de parte importante do seu rendi-
mento anual com o corte no 13º mês porque
o governo não tem coragem para cortar no
despesismo supérfluo de que o Estado enfer-

ma.

Ainda há pouco se soube da aquisição faró- nica de um novo automóvel topo de
Ainda há pouco se soube da aquisição faró-
nica de um novo automóvel topo de gama
por um dos ministros
Escuso-me de comentar

Interesses relacionados