Você está na página 1de 20
Guia para Elaboração de Prospectos de Fundos ANBID Associação Nacional dos Bancos de Investimento Maio

Guia para Elaboração de Prospectos de Fundos

ANBID Associação Nacional dos Bancos de Investimento

Maio /2009

I.

Nota

O PRESENTE GUIA VISA AUXILIAR OS ADMINISTRADORES E GESTORES DE FUNDOS DE INVESTIMENTO NA ADEQUAÇÃO DE SEUS PROSPECTOS AO CÓDIGO ANBID DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS PARA OS FUNDOS DE INVESTIMENTO.

O DOCUMENTO NÃO SUBSTITUI AS DISPOSIÇÕES DO CÓDIGO, AS DELIBERAÇÕES DO CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS, OS TEXTOS LEGAIS PRODUZIDOS PELA CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS OU QUALQUER NORMA ESTABELECIDA, SEJA PELAS AUTORIDADES REGULADORAS, SEJA PELA REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DA ANBID.

Este Guia reflete e contempla atualizações trazidas pelas instruções CVM 450, 456 e 465 de 03/2007,06/2007 e 02/2008, respectivamente.

II.

Introdução

Inspirada, em parte, em exemplos bem sucedidos no exterior, mas desenvolvendo-se de forma autônoma, a Regulação e Melhores Práticas de Fundos da ANBID representa um compromisso com a observância de padrões de conduta que estejam além daqueles estabelecidos por normas legais ou regulamentares.

Consoante com este compromisso, foi lançado em maio de 2000, o Código de Auto-Regulação

da ANBID para Fundos de Investimento (o Código), que marcou o início de uma etapa na qual

as instituições envolvidas nas atividades de administração, gestão e distribuição de fundos passaram a criar mecanismos de monitoramento de suas próprias práticas, visando o benefício e crescimento contínuo dessa indústria.

Mais do que buscar a elevação dos padrões de conduta, a Regulação e Melhores Práticas de Fundos da ANBID possui uma preocupação com sua disseminação e assimilação pelo mercado. Seu foco principal não é a aplicação das sanções previstas para o descumprimento

de regras, mas a prevenção de situações que possam caracterizar conflitos com o estabelecido

no

Código.

O

presente Guia tem por objetivo atuar neste ponto, servindo-se de instrumento auxiliar na

elaboração de prospectos. O Guia consolida uma experiência de análises de prospectos de mais de 8 anos, durante os quais a área técnica coletou os principais pontos levantados pela Comissão de Acompanhamento quanto da análise de prospectos. Sua utilização não substitui a necessidade de leitura e compreensão das normas estabelecidas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e pelo Código ANBID de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento, mas fornece uma espécie de “checklist” útil na verificação da conformidade dos

prospectos a tais normas.

III. Denominação do Fundo

Referências Item Questão Abordada Critério Utilizadas ∑ Entende-se que o nome do fundo não deve
Referências
Item
Questão Abordada
Critério
Utilizadas
∑ Entende-se que o nome do fundo não deve ser
incompatível com sua Política de Investimento, objetivo ou
classificação na base de dados da ANBID.
ICVM 409: Arts.
4º, 92 e 98
III_1
Nome do fundo está
incompatível com a sua
classificação, objetivo ou
Política de Investimento.
Código: Capítulo
∑ A denominação do fundo deverá ser acrescida da
referência à classe CVM, podendo ainda constar
expressão que indique o eventual tratamento tributário
específico a que estejam sujeitos os fundos ou seus
cotistas e/ou expressão que indique alocação de recursos
em ativos de crédito privado.
V
Art. 14º
Perguntas e
Respostas:
Questão 2.5

IV. Base Legal

Referências Item Questão Abordada Critério Utilizadas Ausência do Item IV_1 A ausência do item caracteriza-se
Referências
Item
Questão Abordada
Critério
Utilizadas
Ausência do Item
IV_1
A ausência do item caracteriza-se como falha objetiva, estando
sujeita à multa nos termos do art. 60 do Código.
Código: Capítulo
XVIII
Base Legal incompleta ou
errada.
Código: Capítulo
V
IV_2
A base legal a constar no prospecto deve ser aquela que
proporcione ao cotista uma visão ampla das normas que
regem o fundo. São exemplos de normas que cumprem este
objetivo: a Instrução CVM 409 de 18/08/2004 para FIs e FICs,
juntamente com alterações promovidas pelas Instruções nº
411 de 26/11/2004 , 413 de 30/12/2004, 450 de 30/03/2007,
456 de 22/06/2007 e 465 de 20/02/2008. Outras normas
podem ser citadas não sendo, no entanto, necessária a
apresentação de uma lista completa.
Art. 14º
Perguntas e
Respostas:
Questão 2.1

V. Prestadores de Serviços

Referências Item Questão Abordada Critério Utilizadas Ausência de um ou mais prestadores de serviços
Referências
Item
Questão Abordada
Critério
Utilizadas
Ausência de um ou mais
prestadores de serviços
constantes do Código.
∑ A ausência do item caracteriza-se como falha objetiva,
estando sujeita à multa nos termos do art. 60 do Código.
ICM 409: Arts. 40
e 56
Código: Capítulo
V Art. 14º e
V_1
∑ A referência aos prestadores citados no Código é
obrigatória, mesmo que o serviço em questão seja suprido
pelo próprio administrador e não haja um contrato formal
de prestação de serviços.
Capítulo XVIII
∑ Sugere-se ainda que sejam acrescentados os
responsáveis pelas atividades de tesouraria e de controle
e processamento dos títulos e valores mobiliários.

Página 4/20

V_2 No caso do custodiante, o prospecto cita apenas SELIC, CETIP, CBLC, etc. ∑ Custodiante,
V_2
No caso do custodiante, o
prospecto cita apenas SELIC,
CETIP, CBLC, etc.
∑ Custodiante, nos termos do Código, deve ser a instituição
financeira responsável pela guarda dos papéis do fundo.
No caso do fundo ser um FIC, não é necessária a
apresentação do custodiante.
Perguntas e
Respostas:
Questão 2.17
∑ Câmaras de liquidação e custódia das bolsas não podem
ser consideradas custodiantes dos fundos.
Prospectos de fundos com
mais de um distribuidor que
não listam os mesmos.
O fundo com mais de um distribuidor deve apresentar a
relação de todos os distribuidores ou indicar o local onde o
cotista pode obter uma lista dos mesmos, neste caso,
recomenda-se que a relação de todos os distribuidores
também esteja disponível no site da instituição.
Código:
Deliberação Nº 8
V_3
Perguntas e
Respostas:
Questão 2.20

VI. Objetivo de Investimento do Fundo

Referências Item Questão Abordada Critério Utilizadas Ausência do Item A ausência do item caracteriza-se como
Referências
Item
Questão Abordada
Critério
Utilizadas
Ausência do Item
A ausência do item caracteriza-se como falha objetiva, estando
sujeita à multa nos termos do art. 60 do Código.
ICVM 409: Art. 40
VI_1
Código: Capítulo
V Art. 14º e
Capítulo XVIII
Ausência do parâmetro de
performance (“benchmark”),
VI_2
no caso em que o fundo o
possui.
É obrigatória a apresentação do parâmetro de performance
(benchmark) do fundo caso este exista. São elementos que
caracterizam a existência de parâmetro de performance em
um fundo, dentre outros: sua classificação na ANBID como
Referenciado, Indexado ou Ativo ou a referência ao
benchmark, na Política de Investimento, no público alvo, nos
Fatores de Risco, na taxa de performance ou em qualquer
outro ponto do prospecto.
Perguntas e
Respostas:
Questão 2.34
Fundos ativos que não
evidenciam que seu objetivo é
∑ Fundos ativos devem afirmar que procuram superar algum
indicador de referência.
Perguntas e
Respostas:
o
de superar o parâmetro de
Questão 2.6
performance (“benchmark”)
VI_3
∑ Admite-se que na formulação do objetivo do fundo, o
prospecto esclareça que suas rentabilidades brutas é que
procuram superar o indicador.
∑ Não se deve confundir o objetivo de superar um
“benchmark” com o compromisso em fazê-lo, neste sentido
é válido que a apresentação do objetivo seja seguida de
uma frase explicando a ausência de tal compromisso.
Fundos passivos que não
Perguntas e
evidenciam que seu objetivo é
∑ Fundos passivos devem afirmar que procuram seguir
algum indicador de referência. Admite-se que na
Respostas:
VI_4
o
de seguir um parâmetro de
performance.
formulação deste objetivo, o prospecto esclareça que suas
rentabilidades brutas é que procuram seguir o indicador.
Questão 2.6

Página 5/20

∑ Não se deve confundir o objetivo de seguir um “benchmark” com o compromisso em
Não se deve confundir o objetivo de seguir um
“benchmark” com o compromisso em fazê-lo, neste sentido
é válido que a apresentação do objetivo seja seguida de
uma frase explicando a ausência de tal compromisso.
O
benchmark do fundo, quando houver, deve caracterizar sua
Fundos que não definem
Perguntas e
relação com o objetivo do fundo, ou seja, deve ser claro
claramente se são ativos ou
passivos em relação ao
Respostas:
quanto a:
Questão 2.13
benchmark
a) Sua definição: o objetivo de investimento do fundo não
deve ser vago ou conter expressões pouco claras do tipo
“possuir uma carteira compatível com o índice”;
VI_5
b) Utilização de uma gestão ativa ou passiva: o prospecto
deve definir se o fundo irá seguir ou superar o seu
benchmark e não que irá “obter rentabilidade próxima” ao
seu benchmark, por exemplo.
Uso de objetivos de
investimento genéricos onde
∑ Objetivos genéricos podem ser do tipo “o fundo busca
obter ganhos de capital no longo prazo” ou ainda “o fundo
a
Política de Investimento,
VI_6
somada ao objetivo do fundo
não o caracterizem de forma
clara.
busca valorizar o capital aplicado pelos investidores, de
acordo com os termos descritos em sua Política de
Investimento”. O Objetivo de Investimento de um fundo, no
caso em que este não possua um benchmark definido,
pode ser genérico, neste caso, porém, deve-se chamar a
atenção para a necessidade da Política de Investimento do
fundo em conjunto com seu objetivo, definirem este de
forma clara.
∑ A classificação do fundo na ANBID é utilizada como uma
fonte auxiliar de informações para o julgamento sobre se a
definição do fundo está suficientemente clara.
O
prospecto cita em Objetivo
Há uma clara distinção entre Objetivos de Investimento e
Política de Investimento, sendo que no primeiro deve-se
Perguntas e
Respostas:
responder à questão “onde o fundo pretende chegar” enquanto
Questão 2.2
VI_7
de Investimento, informações
que deveriam constar da
Política de Investimento ou do
Público Alvo.
a
política responde à questão de “como tal objetivo será
atingido?”, sendo assim, estratégias de investimento, não
devem constar dos objetivos do fundo.
O
prospecto apresenta
A
Política de Investimento dos fundos deve estar em sintonia
Perguntas e
incompatibilidade entre o
Respostas:
VI_8
Objetivo e a Política de
Investimento.
com o seu Objetivo de Investimento. Inconsistências diretas
são observadas, por exemplo, quando o objetivo cita a atuação
em mercados ou explicita benchmarks incompatíveis com a
Questão 2.4
Política de Investimento do fundo ou quando apresenta
objetivo de fundo ativo e Política de Investimento de fundo
passivo (ou vice-versa).
O
Objetivo não está de acordo
Perguntas e
com a classificação do fundo
VI_9
Respostas:
na Base de Dados da ANBID.
O Item Objetivo do Fundo deve ser compatível com a
classificação do fundo na Base de Dados da ANBID tal como
disponível no site da Associação (www.anbid.com.br).
Questão 2.5

Página 6/20

VII. Política de Investimento

Referências Item Questão Abordada Critério Utilizadas Ausência do Item A ausência do item caracteriza-se como
Referências
Item
Questão Abordada
Critério
Utilizadas
Ausência do Item
A ausência do item caracteriza-se como falha objetiva, estando
sujeita à multa nos termos do art. 60 do Código.
ICVM 409: Art. 40
VII_1
Código: Capítulo
V Art. 14º e
Capítulo XVIII
Ausência de informações que
caracterizem a aderência do
fundo ao tipo ANBID.
∑ As informações que devem constar na Política de
Investimento são aquelas que caracterizam corretamente o
fundo dentro do tipo (classificação na base de dados da
ANBID) ao qual ele pertence, sem esquecer os itens b e c
abaixo.
ICVM 409: Arts.
86 e 87
Perguntas e
Respostas:
Questão 2.28
VII_2
∑ Informações referentes à política de alocação do fundo. O
prospecto deve: a) Caracterizar os mercados a que este
está exposto, inclusive aqueles cuja negociação se dê no
exterior; b) Caracterizar as faixas de alocação por
modalidades de ativos tendo em conta os limites definidos
pela regulamentação em vigor; c) Caracterizar os
percentuais de concentração por emissor tendo em conta
os limites definidos pela regulamentação em vigor; d)
Caracterizar a política com a utilização de derivativos –
deve-se sempre citar o objetivo da utilização de derivativos
(se para fins de proteção ou alavancagem) a não ser que a
aquisição destes seja explicitamente vedada no prospecto;
e) Caracterizar os limites de alavancagem, se houver.
∑ Não será admitido que o prospecto do fundo apresente
descrições genéricas em sua política de investimento ou
que se suponha estar subentendido ou implícito que os
limites por modalidade de ativos financeiros e por emissor
“são aqueles definidos nas normas ou regras vigentes” ou
então que o fundo “não possui limites”. É necessário
sempre explicitar os limites máximos permitidos.
Fundos que permitem alocar
seus recursos em ativos
financeiros que não aqueles
relacionados ao(s) fator(es) de
risco do tipo ANBID ao qual o
fundo pertence
VII_3
Caso a política de investimento do fundo possibilite a alocação
em mercados e ativos financeiros que não aqueles
diretamente relacionados ao(s) fator(es) de risco permitidos ao
fundo, e que, através de operações com derivativos, altere a
exposição resultante, passando então esta a ser relacionada
aos fatores de risco permitidos ao fundo, o prospecto precisa
explicitar que há esta possibilidade. Ou seja, precisa explicitar
que o fundo poderá alocar seus recursos nestes mercados, e
os limites máximos, de forma objetiva, se houver. Deve-se
ainda explicitar a utilização de derivativos com o objetivo de
obter uma exposição resultante compatível com o mandato do
fundo.
VII_4
Informações referentes à
política de seleção dos
ativos
∑ O prospecto deve caracterizar como se dá a escolha,
dentro de uma classe de ativos financeiros, daqueles que

Página 7/20

são adquiridos pelo fundo. Deve-se citar, por exemplo, para fundos de renda fixa, como é
são adquiridos pelo fundo. Deve-se citar, por exemplo,
para fundos de renda fixa, como é feita a seleção dos
papéis. Em fundos de renda variável, como é feita a
seleção das ações (análise técnica ou fundamentalista, por
exemplo).
∑ O grau de exigência sobre cada um destes itens pode
variar de acordo com as estratégias adotadas pelo fundo.
Fundos passivos em relação a um índice, por exemplo,
podem não possuir uma política relevante de seleção dos
ativos, comprando automaticamente os ativos que
compõem o índice.
O prospecto não menciona o
limite de alavancagem na
utilização de derivativos.
∑ Caso um fundo utilize-se de derivativos para alavancagem,
seu prospecto deve sempre explicitar seu limite de
alavancagem ou, no caso do fundo não possuir limites de
alavancagem, deixar isso claro para o cotista.
Código:
VII_5
Deliberação Nº
12. Inciso III do
art. 14º do
Código.
∑ No caso de FICs ou de Fundos que adquiram cotas de
outros Fundos, o prospecto também deve esclarecer quais
são os limites de alavancagem, se houver, dos fundos
investidos.
FICs que parecem investir
diretamente nos mercados ao
invés de comprar cotas de
outros fundos.
∑ Se o fundo for investir em qualquer fundo de qualquer tipo,
isto deve estar explicitado na Política de Investimento do
fundo de forma clara.
ICVM 409: Arts.
112 e 114
VII_6
∑ Não é aceitável que um fundo em cotas descreva sua
Política de Investimento como se aplicasse diretamente
nos ativos.
∑ Vale lembrar que a Política de Investimento dos FICs deve
especificar o percentual máximo que fundo irá aplicar em
um FI.
Uso de VAR como limite de
alavancagem, sem que este
tenha sua metodologia
corretamente explicitada.
Caso o VAR seja utilizado como limite de alavancagem do
fundo, sua metodologia deve ser explicitada. Deve-se ressaltar
também a possibilidade de perdas maiores que as máximas
previstas pelo intervalo de confiança estabelecido pelo modelo.
Perguntas e
Respostas:
VII_7
Questão 2.21
A
Política de Investimento não
esclarece como é calculada o
Quando o limite é fixado em termos de percentuais da carteira
aplicados nos mercado de derivativos, deve-se esclarecer
Perguntas e
Respostas:
VII_8
%
de utilização de derivativos
como são calculados tais percentuais, se pelo somatório de
prêmios e margens ou valores nocionais.
Questão 2.18
ou o limite de alavancagem.
A
Política de Investimento do
O
Item Política de Investimento deve ser compatível com a
Perguntas e
fundo não está de acordo com
classificação do fundo na base de dados da ANBID tal como
Respostas:
VII_9
a classificação do fundo na
base de dados da ANBID.
disponível no site da Associação (www.ANBID.com.br).
Questão 2.5
VII_10
Política de Investimento em
fundos caracterizados como
de Longo Prazo.
Caso o fundo assuma um compromisso com a Política de
Investimento de Longo Prazo (devendo ter no nome a
ICVM 409: Art. 92
expressão “Longo Prazo”) recomenda-se citar em sua Política
Perguntas e
de
Investimento, a utilização de uma carteira de prazo superior
Respostas:

Página 8/20

a 365 dias. Questão 2.26 Limites por emissor para ativos financeiros de renda variável e
a 365 dias.
Questão 2.26
Limites por emissor para
ativos financeiros de renda
variável e limites adicionais
autorizados para fundos
destinados a investidores
qualificados.
Sem prejuízo das normas aplicáveis ao tipo ANBID do fundo, a
Política de Investimento descrita no prospecto deve:
ICVM 409: Arts.
95-B, 97 e 110-B
VII_11
Para fundos que admitirem em sua política de investimento
aplicação em ativos financeiros de renda variável,
explicitar se tais ativos estão, ou não, sujeitos aos limites
por emissor.
Informar que o fundo não possui limites de concentração
por emissor e por modalidade de ativos financeiros caso
este seja destinado a investidores qualificados com
aplicação mínima inicial de R$1 milhão.
Crédito Privado e Qualidade
do Crédito.
O
prospecto deve explicitar em sua política de investimento o
VII_12
percentual máximo permitido para aplicações em ativos de
crédito privado, não só no que diz respeito à quantidade de
crédito, mas também se há ou não limites em relação aos
diferentes níveis de risco de crédito (médio e alto) sendo que
os percentuais máximos permitidos para investimentos em
ativos de médio e alto risco de crédito devem ser informados.
ICVM 409: Arts.
40 e 98

VIII. Fatores de Risco

Referências Item Questão Abordada Critério Utilizadas Ausência do item ou de algum dos Fatores de
Referências
Item
Questão Abordada
Critério
Utilizadas
Ausência do item ou de algum
dos Fatores de Risco.
A
ausência do item ou de algum dos Fatores de Risco
ICVM 409: Art. 40
VIII_1
mencionados no Código caracteriza-se como falha objetiva,
estando sujeita à multa nos termos do art. 60 do Código.
Código: Cap.V
Art. 14º e Cap.
XVIII
VIII_2
Os Fatores de Risco
encontram-se mitigados no
prospecto.
Quaisquer referências a como os riscos são controlados ou
reduzidos pelo administrador ou pelas características da
Política de Investimento do fundo, devem estar descritas no
prospecto em “Gerenciamento de Riscos” e não em “Fatores
de Risco”.
Perguntas e
Respostas:
Questão 2.16
Os Fatores de Risco não
evidenciam as perdas sofridas
pelo cotista.
∑ Na descrição dos Fatores de Risco deve ficar clara a
relação entre cada risco e a perda potencial que este pode
infringir ao cotista.
Perguntas e
Respostas:
Questão 2.29
VIII_3
∑ Sugere-se a utilização direta da palavra “perda” ou outra
de teor semelhante. Entende-se ser de fundamental
importância, nas discussões sobre risco, o uso de uma
linguagem direta e clara, que evidencie ao cotista como
este pode ser afetado pela ocorrência de eventos
adversos.

Página 9/20

Perguntas e VIII_4 Há contradição entre a Política de Investimento e o fator de risco.
Perguntas e
VIII_4
Há contradição entre a Política
de Investimento e o fator de
risco.
Os Fatores de Risco não podem possuir conteúdo divergente
da Política de Investimento do fundo e da classificação do
fundo na base de dados da ANBID.
Respostas:
Questão 2.29
VIII_5
Há informações no item que
trata de Fatores de Risco que
estariam melhor localizadas
em Política de Investimento.
Aspectos da Política de Investimento do fundo podem estar
contidos em Fatores de Risco desde que o prospecto apenas
repita informações antes mencionadas em Política de
Investimento e a compreensão do risco por parte do cotista
não esteja sendo dificultada por tais descrições. Política de
Investimento.
VIII_6
Para fundos indexados ou
referenciados o prospecto não
faz referência ao risco de
descolamento em relação ao
benchmark.
Note-se que este é o risco mínimo a constar na descrição do
risco de mercado ou de derivativos deste tipo de fundo. Caso o
prospecto tenha caracterizado de forma clara a possibilidade
de perda ao cotista, a referência à possibilidade de
deslocamento não é obrigatória.
VIII_7
Fundos de ação cujos
prospectos não fazem menção
ao risco de crédito.
A princípio, fundos de ações devem fazer menção ao risco de
crédito pois presume-se que tais fundos podem conter uma
parcela de aplicações de renda fixa que estariam sujeitas a tal
risco.
Fundos que não se utilizam
de derivativos para
alavancagem da carteira e
∑ Mesmo fundos que não se utilizem de derivativos para
alavancagem devem citar no prospecto o risco com a
utilização destes.
não reconhecem os riscos
associados.
VIII_8
∑ Muitas vezes os fundos utilizam tais instrumentos em
posições ativas, que adicionam ao fundo riscos diferentes
daqueles a que este estaria sujeito em sua carteira. Deve-
se observar ainda que há diferenças entre o ativo à vista e
um sintético deste obtido por meio de derivativos.
∑ Derivativos utilizados para a proteção (hedge) também
acrescentam riscos a medida em que o hedge pode não
ser perfeito ou suficiente para evitar perdas ao cotista.
Quando derivativos são utilizados para indexar ou
referenciar um fundo a um “benchmark” (por exemplo o
Ibovespa), há o risco do descolamento em relação a este
benchmark.
Fundos que podem investir no
exterior.
Deliberação Nº 32
VIII_9
Fundos que mantenham em sua carteira ativos negociados no
exterior devem apresentar a descrição do Risco de Mercado
Externo.
Código:

Página 10/20

IX. Gerenciamento de Riscos

Referências Item Questão Abordada Critério Utilizadas Ausência do item. A ausência do item mencionado no
Referências
Item
Questão Abordada
Critério
Utilizadas
Ausência do item. A ausência do item mencionado no Código caracteriza-se
como falha objetiva, estando sujeita à multa nos termos do art.
ICVM 409: Art. 40
60
do Código.
Código: Capítulo
IX_1
V
Art. 14º e
Capítulo XVIII
Falta da advertência de que o
Gerenciamento de Riscos não
é garantia de eliminação dos
riscos do fundo.
Deve constar
neste
item
a
advertência
de
que o
ICVM 409: Art. 40
gerenciamento de risco não constitui garantia contra eventuais
IX_2
perdas patrimoniais.

X. Público Alvo

Referências Item Questão Abordada Critério Utilizadas Ausência do item. A ausência do item mencionado no
Referências
Item
Questão Abordada
Critério
Utilizadas
Ausência do item. A ausência do item mencionado no Código caracteriza-se
como falha objetiva, estando sujeita à multa nos termos do art.
ICVM 409: Art. 40
60
do Código.
Código: Capítulo
X_1
V
Art. 14º e
Capítulo XVIII
O prospecto não definiu nos
termos do código “as
necessidades do investidor
que o fundo visa atender”
Este item deve descrever a quem o fundo de investimento
pode interessar definindo as necessidades do investidor que o
fundo visa atender.
Código: Capítulo
X_2
V
Art. 14º

XI. Regras de Movimentação

Referências Item Questão Abordada Critério Utilizadas Ausência do item. A ausência do item mencionado no
Referências
Item
Questão Abordada
Critério
Utilizadas
Ausência do item. A ausência do item mencionado no Código caracteriza-se
como falha objetiva, estando sujeita à multa nos termos do art.
ICVM 409: Art. 40
XI_1
60
do Código.
Código: Capítulo
V
Art. 14º e
Capítulo XVIII
XI_2
Ausência de uma das
Neste Item são obrigatórias as seguintes informações:
informações
obrigatórias.
ICVM 409: Arts.
14, 15, 16 e 17

Página 11/20

a) Os procedimentos de Aplicação e Resgate indicando o prazo para emissão de cotas, o
a) Os procedimentos de Aplicação e Resgate indicando o
prazo para emissão de cotas, o prazo para a conversão do
resgate e o prazo para o pagamento do resgate;
Perguntas e
Respostas:
b) As possíveis carências do fundo que podem ser iniciais ou
cíclicas. Mesmo o fundo não possuindo carência tal fato
deve estar indicado no prospecto;
Questão 2.9
c) Os Valores de Movimentação indicando os valores
mínimos de resgate, mínimos e máximos de aplicação e
mínimos de permanência do fundo. Caso o fundo não
possua algum desses valores, isto deve ser explicitado no
prospecto.
Recomenda-se que neste item ainda conste informações
referentes à possibilidade do administrador fechar o fundo para
Aplicação e para Resgate. Por fim deverão constar
informações sobre o cálculo da cota utilizada pelo fundo (se
abertura ou fechamento).
O
prospecto deve explicitar claramente se o fundo possui
Perguntas e
XI_3
O prospecto confunde
carência com liquidez.
carência ou não. Se o fundo possuir liquidez diária não
Respostas:
significa que ele não possua carência.
Questão 2.30
O
prospecto indica o prazo
O item Regras de Movimentação deve informar de forma clara
ICVM 409: Art. 15
legal para o pagamento do
resgate do fundo porem, não
informa o prazo utilizado pelo
fundo.
a data de pagamento (liquidação financeira) do resgate do
XI_4
fundo não sendo considerado como tal o prazo legal de
pagamento de resgate estipulado pela CVM.
Perguntas e
Respostas:
Questão 2.31
O
prospecto indica que o
Neste caso, o prospecto do fundo deve indicar o maior prazo
ICVM 409: Art. 15
Administrador envidará seus
maiores esforços para que o
pagamento do resgate seja
efetuado no prazo
estabelecido, mas que o
resgate também poderá ser
pago num prazo maior.
de pagamento como o prazo adotado pelo fundo, e que o
resgate poderá ser pago antes desta data.
XI_5
Ausência de informação
adicional para fundos com
cota de abertura.
Os fundos que operem com cota de abertura devem informar
aos investidores os riscos advindos desta opção podendo
utilizar um aviso com o seguinte teor: “O VALOR DA COTA
DESTE FUNDO SERÁ CALCULADO A PARTIR DO
PATRIMÔNIO LÍQUIDO DO DIA ANTERIOR, DEVIDAMENTE
ATUALIZADO POR 1 (UM) DIA (COTA DE ABERTURA).
EVENTUAIS AJUSTES DECORRENTES DAS APLICAÇÕES
ICVM 409: Arts.
10 e 40
Código:
Deliberação Nº 32
XI_6
E
RESGATES OCORRIDAS DURANTE O DIA SERÃO
LANÇADOS CONTRA O PATRIMÔNIO LÍQUIDO DO FUNDO
PODENDO ACARRETAR IMPACTOS EM VIRTUDE DA
POSSIBILIDADE DE PERDAS DECORRENTES DA
VOLATILIDADE DOS PREÇOS DOS ATIVOS QUE
INTEGRAM A SUA CARTEIRA.”

Página 12/20

XII.

Taxas

Referências Item Questão Abordada Critério Utilizadas Ausência do item. A ausência do item mencionado no
Referências
Item
Questão Abordada
Critério
Utilizadas
Ausência do item. A ausência do item mencionado no Código caracteriza-se
como falha objetiva, estando sujeita à multa nos termos do art.
60 do Código.
ICVM 409: Art. 40
Código: Capítulo
XII_1
V
Art. 14º e
Capítulo XVIII
Ausência de uma das
Neste item devem constar, obrigatoriamente:
ICVM 409: Art. 99
informações
obrigatórias
∑ os valores da remuneração do Administrador,
especificando a taxa fixa de administração e a taxa de
performance, quando for o caso, e;
XII_2
∑ taxa de ingresso e saída, se houver, especificando a forma
de apropriação e pagamento de cada uma.
Vale ressaltar que se deve acrescentar neste item a lista das
demais despesas do fundo, incluindo, se for o caso, a despesa
com a agência classificadora de risco.
Tratamento das taxas de FICs
e FIs.
Fundos, exceto aqueles destinados a investidores qualificados,
que, em suas políticas de investimentos preverem a
possibilidade de aplicação de seus recursos em cotas de
outros fundos de investimento, devem divulgar o somatório das
taxas do fundo e dos fundos em que o fundo aplica. Poderão
ainda ser divulgadas as taxas, máxima e mínima, explicando
sua distinção.
ICVM 409: Arts.
61 e 114
XII_3
Perguntas e
Respostas:
Questão 2.10
Taxa de performance em
desacordo com a legislação
vigente.
∑ A taxa de performance deve possuir parâmetro de
performance compatível com a Política de Investimento do
fundo e com os títulos que efetivamente a componham.
ICVM 409: Arts.
62, 92, 93, 94, 95
e
110
∑ É vedada, exceto para fundos destinados a investidores
qualificados, a taxa de performance vinculada a
percentuais inferiores a 100% do seu parâmetro de
referência.
XII_4
∑ Fundos classificados como Curto Prazo e Referenciado
que não sejam destinados exclusivamente a investidores
qualificados não poderão possuir taxa de performance.
∑ Fundos Renda Fixa poderão cobrar taxa de performance
desde que: a) destinados a investidores qualificados ou; b)
assuma compromisso com o tratamento fiscal de longo
prazo

Página 13/20

XIII. Histórico Administrador/Gestor

Referências Item Questão Abordada Critério Utilizadas XIII_1 Ausência do item ICVM 409: Art. 40 O
Referências
Item
Questão Abordada
Critério
Utilizadas
XIII_1
Ausência do item
ICVM 409: Art. 40
O
prospecto
deve
apresentar
descrição
detalhada
do
Administrador, do Gestor e seu registro perante a CVM.
Código: Capítulo
V Art. 14º
Os
textos deste item devem ser de cunho informativo e não
XIII_2
Apresentação do
Administrador/Gestor com
texto publicitário.
publicitário ou comercial e ao citar alguma
premiação/qualificação deve-se incluir a fonte.

XIV. Tributação

Referências Item Questão Abordada Critério Utilizadas Ausência do item. A ausência do item mencionado no
Referências
Item
Questão Abordada
Critério
Utilizadas
Ausência do item. A ausência do item mencionado no Código caracteriza-se
como falha objetiva, estando sujeita à multa nos termos do art.
60 do Código.
ICVM 409: Art. 40
Código: Cap. V
XIV_1
Art. 14º e Cap.
XVIII
Ausência de uma das
informações obrigatórias.
Informações obrigatórias:
Perguntas e
∑ Para FIs/FICs – IOF, IR e suas respectivas alíquotas.
Respostas:
∑ Para fundos de ações (no mínimo 67% em ações a vista) –
apenas o IR e sua alíquota.
Questão 2.14
XIV_2
Observe-se que a apresentação da CPMF não é necessária
por
tratar-se de tributação extinta.
Ausência ou inconsistência de
informações no item tributação
de fundos que “possuam
compromisso” com uma
Política de Investimento de
longo prazo, devendo conter
em sua denominação a
expressão "Longo Prazo".
Neste caso, deve-se descrever apenas a tributação de longo
prazo, conforme as normas vigentes
ICVM 409: Art. 92
Código:
Deliberação Nº 32
XIV_3
Devem constar a tributação de longo prazo e a explicação do
Código:
que ocorre quando há perda no tratamento tributário
perseguido, devendo ser explicitadas as respectivas alíquotas.
Deliberação Nº 32
XIV_4
Ausência ou inconsistência de
informações no item tributação
de fundos que não explicitam
em sua Política de
Investimento compromisso
com a manutenção de uma
carteira de longo prazo, mas
que “buscam/perseguem”
uma tributação de longo
prazo.

Página 14/20

Devem constar os dois tratamentos tributários (curto e longo prazo). Código: XIV_5 Ausência ou inconsistência
Devem constar os dois tratamentos tributários (curto e longo
prazo).
Código:
XIV_5
Ausência ou inconsistência de
informações no item tributação
de Fundos que não explicitem
em sua Política de
Investimento ou tributação
“nem o compromisso” com
a manutenção de uma carteira
de longo prazo, “nem a
busca” de uma tributação de
longo prazo.
Deliberação Nº 32

XV. Atendimento ao Cotista

Referências Item Questão Abordada Critério Utilizadas Ausência de uma das XV_1 informações obrigatórias.
Referências
Item
Questão Abordada
Critério
Utilizadas
Ausência
de
uma
das
XV_1
informações obrigatórias.
A ausência do item caracteriza-se como falha objetiva, estando
sujeita à multa nos termos do art. 60 do Código.
Código: Capítulo
V Art. 14º e
Capítulo XVIII

XVI. Política de Divulgação de Informação

Referências Item Questão Abordada Critério Utilizadas Falta informação sobre a Política de Divulgação de
Referências
Item
Questão Abordada
Critério
Utilizadas
Falta informação sobre a
Política de Divulgação de
Informações do Fundo
∑ Neste item deve constar a periodicidade mínima para
divulgação da composição da carteira do fundo, o nível de
detalhamento das informações, o local e meio de
solicitação e divulgação das informações.
ICVM 409: Art. 40,
68
Código: Capítulo
V Art. 14º
XVI_1
∑ Ainda deve constar, no mínimo, o local, o meio, e a forma
de obtenção de informações referentes a exercícios
anteriores. Vale ressaltar que, a critério do administrador, o
item “atendimento ao cotista” poderá tornar-se um sub item
da política de divulgação de informações .

XVII. Capa

Referências Item Questão Abordada Critério Utilizadas XVII_1 Ausência de uma das informações obrigatórias
Referências
Item
Questão Abordada
Critério
Utilizadas
XVII_1
Ausência de uma das
informações obrigatórias
(Data, Selo ANBID e
Avisos).
A ausência do item caracteriza-se como falha objetiva, estando
sujeita à multa nos termos do art. 60 do Código.
ICVM 409: Art. 40
Código: Cap. V
Art. 15º e Cap.
XVIII

Página 15/20

Localização incorreta de alguma das informações obrigatórias. Devem constar na capa do prospecto: Código:
Localização incorreta de
alguma das informações
obrigatórias.
Devem constar na capa do prospecto:
Código: Capítulo
∑ o aviso de derivativos, se for o caso;
V
Art. 15º
∑ as informações referentes à diferença entre a data de
conversão de cota e o pagamento do resgate;
Perguntas e
Respostas:
∑ à diferença entre o pedido e o pagamento do resgate e a
existência de carências (inicial ou cíclica).
Questão 2.32
∑ a data de elaboração do prospecto;
∑ o selo ANBID.
XVII_2
Considera-se contracapa apenas o verso da primeira folha do
prospecto. Considera-se primeira página, para efeitos de
localização dos aviso, a página seguinte à capa, a menos que
a “capa” já apresente informações sobre as características do
fundo (como por exemplo as informações requeridas pelos
itens II a XII do artigo 8º), neste caso considera-se que a
“capa” já é a primeira página do prospecto.
Teor do aviso é diferente do
requerido pelo Código.
XVII_3
Ao se analisar se o teor de um aviso constante no prospecto
está diferente do requerido pelo Código, deve-se considerar se
todas as informações do aviso estão presentes no texto do
referido aviso. Recomenda-se de qualquer forma, que o
prospecto reproduza exatamente o texto constante no Código.
Avisos sem destaque.
XVII_4
Entende-se que um aviso não possui o destaque requerido
pelo Código, se este foi impresso com uma letra de corpo
menor que a utilizada nas demais partes do prospecto.
Observação 1
Avisos que devem constar
em quaisquer prospectos de
fundos.
Obrigatoriamente o prospecto deve conter os seguintes avisos,
devendo seguir o teor previsto pelo código:
ICVM 409: Art. 40
Código: Capítulo
1. o aviso referente à adequação do prospecto segundo o
Código ANBID e ICVM 409 que deverá ser impresso com
destaque na capa, na contra capa ou na 1a página do
prospecto. Observando que o artigo 40, § 1º da Instrução
CVM 409 institui um aviso com uma redação ligeiramente
diferente do previsto pelo Código, devendo ser adotada
esta nova versão;
V
Art. 15º
XVII_5
2. o aviso referente ao gerenciamento de riscos que deverá
estar impresso com destaque na capa, na contracapa, na
1 a página ou no Item “Gerenciamento de Risco” do
prospecto;
3. o aviso referente à inexistência de garantias do
Administrador, do Gestor e do FGC que deverá ser
impresso com destaque na capa, na contra capa ou na 1 a
página do prospecto;
4. o aviso referente ao fato da rentabilidade passada do
fundo não garantir a futura, que deverá ser impresso com
destaque na capa, na contra capa ou na 1a página do
prospecto;
5. o aviso referente à leitura do regulamento do fundo que
deverá ser impresso com destaque na capa, na contra
capa ou na 1 a página do prospecto.

Página 16/20

Observação 2 Avisos relacionados à utilização de derivativos. ∑ Existem três tipos de avisos sobre
Observação 2
Avisos relacionados à
utilização de derivativos.
∑ Existem três tipos de avisos sobre o uso de derivativos:
a)
O primeiro fala na possibilidade de "perdas
Código: Capítulo
V Art. 15º
patrimoniais";
b)
o segundo na possibilidade de "significativas perdas
patrimoniais" e;
Perguntas e
c)
o terceiro na possibilidade de "significativas perdas
Respostas:
patrimoniais
(
)
podendo inclusive acarretar perdas
Questão 2.32
superiores ao capital aplicado".
XVII_6
∑ O administrador deve escolher o aviso mais adequado ao
nível de risco de seu fundo. Entretanto admite-se por
conservadorismo, que o prospecto de um fundo com baixo
nível de risco utilize um aviso que aponte para a
possibilidade de "perdas significativas" ou mesmo "perdas
significativas com possibilidade de perda maior que o
capital aplicado". Já o inverso, i.e., a utilização por um
fundo de alto risco de um aviso que aponte para um nível
de risco menor, não seria aceitável.
∑ Observe-se ainda que, quem optou pela terceira
alternativa de aviso do código (“possibilidade de aporte”)
deverá acrescentar ao fim do aviso os dizeres “para cobrir
o prejuízo do fundo”.
Observação 3
Aviso específico para fundos
que possuam no nome a
expressão “Longo Prazo”.
Neste caso, o seguinte aviso deve ser acrescentado à capa,
contra-capa ou 1 a página do prospecto: "ESTE FUNDO
MANTÉM UMA CARTEIRA DE ATIVOS COM PRAZO MÉDIO
SUPERIOR A 365 DIAS, O QUE PODE LEVAR A UMA
MAIOR OSCILAÇÃO NO VALOR DA COTA SE COMPARADA
À DE FUNDOS SIMILARES COM PRAZO INFERIOR.”
Código:
Deliberação Nº 32
XVII_7
Observação 4
Fundos que não contém em
seu nome a expressão
“Longo Prazo” mas
assumem um compromisso
com uma Política de
Investimento de longo
prazo.
É vedado que Fundos de Investimento assumam um
compromisso com uma Política de Investimento de longo
prazo e não contenham em seu nome a expressão "Longo
Prazo".
Código:
Deliberação Nº 32
XVII_8
Observação 5
Aviso específico para fundos
que não explicitam em sua
Política de Investimento
compromisso com a
manutenção de uma carteira
de longo prazo, mas que
buscam/perseguem uma
tributação de longo prazo.
Neste caso, o seguinte aviso deve ser acrescentado à capa,
contra-capa ou 1 a página do prospecto: "ESTE FUNDO
BUSCA MANTER UMA CARTEIRA DE ATIVOS COM PRAZO
MÉDIO SUPERIOR A 365 DIAS, O QUE PODE LEVAR A
UMA MAIOR OSCILAÇÃO NO VALOR DA COTA SE
COMPARADA À DE FUNDOS SIMILARES COM PRAZO
INFERIOR".
Código:
Deliberação Nº 32
XVII_9
Adicionalmente devem ainda ser acrescentados os seguintes
avisos, referente à tributação do fundo:
"O TRATAMENTO TRIBUTÁRIO APLICÁVEL AO
INVESTIDOR DESTE FUNDO DEPENDE DO PERÍODO
DE APLICAÇÃO DO INVESTIDOR BEM COMO DA

Página 17/20

MANUTENÇÃO DE UMA CARTEIRA DE ATIVOS COM PRAZO MÉDIO SUPERIOR A 365 DIAS.” ∑ “NÃO
MANUTENÇÃO DE UMA CARTEIRA DE ATIVOS COM
PRAZO MÉDIO SUPERIOR A 365 DIAS.”
∑ “NÃO HÁ GARANTIA DE QUE ESTE FUNDO TERÁ O
TRATAMENTO TRIBUTÁRIO PARA FUNDOS DE LONGO
PRAZO.”
Observação 6
Aviso específico para fundos
que não explicitam em sua
Política de Investimento ou
tributação nem o
compromisso com a
manutenção de uma carteira
de longo prazo, nem a
busca de uma tributação de
longo prazo.
Neste caso, o seguinte aviso deve ser acrescentado à capa,
contra-capa ou 1 a página do prospecto: “A CARTEIRA DE
ATIVOS DESTE FUNDO PODE POSSUIR PRAZO MÉDIO
SUPERIOR A 365 DIAS, O QUE PODE LEVAR A UMA
MAIOR OSCILAÇÃO NO VALOR DA COTA SE COMPARADA
À DE FUNDOS SIMILARES COM PRAZO INFERIOR.”
Código:
Deliberação Nº 32
Adicionalmente devem ainda ser acrescentados os seguintes
avisos, referente à tributação do fundo:
XVII_10
∑ “O TRATAMENTO TRIBUTÁRIO APLICÁVEL AO
INVESTIDOR DESTE FUNDO DEPENDE DO PERÍODO
DE APLICAÇÃO DO INVESTIDOR BEM COMO DO
PRAZO MÉDIO DOS ATIVOS QUE COMPÕEM SUA
CARTEIRA. NÃO HÁ GARANTIAS DE QUE A ALÍQUOTA
APLICÁVEL, QUANDO DO RESGATE DAS COTAS,
SERÁ A MENOR DENTRE AS PREVISTAS PELA
LEGISLAÇÃO VIGENTE.”
∑ “NÃO HÁ GARANTIA DE QUE ESTE FUNDO TERÁ O
TRATAMENTO TRIBUTÁRIO PARA FUNDOS DE LONGO
PRAZO.”
XVII_11
O Selo ANBID encontrado
na capa do prospecto
encontra-se desatualizado.
Deve constar na capa do prospecto a última versão do selo
ANBID para prospectos.
Avisos relacionados à
utilização de derivativos em
FICs.
FICs que apliquem em cotas de fundos que realizam
operações com derivativos devem apresentar em seus
prospectos avisos sobre o uso de derivativos por parte dos
fundos em que investem.
ICVM 409: Art.
115
XVII_12
Aviso para limites de
concentração.
ICVM 409: Art.
95-B e 97
Código:
XVII_13
Fundos classificados como ações e multimercados que não
estejam sujeitos aos limites de concentração em ativos de
renda variável por emissor, deverão acrescentar em seus
prospectos (capa, contracapa ou 1a página) aviso com o
seguinte teor: ESTE FUNDO PODE ESTAR EXPOSTO A
SIGNIFICATIVA CONCENTRAÇÃO EM ATIVOS DE RENDA
VARIÁVEL DE POUCOS EMISSORES, APRESENTANDO OS
RISCOS DAÍ DECORRENTES.
Deliberação Nº 32
Aviso para fundos que
apliquem em ativos no
exterior.
Neste caso, o seguinte aviso deve ser acrescentado à capa,
ICVM 409: Art. 85
contra-capa ou 1 a
página do prospecto: ESTE FUNDO ESTÁ
Código:
XVII_14
AUTORIZADO A REALIZAR APLICAÇÕES EM ATIVOS
FINANCEIROS NO EXTERIOR E/OU EM COTAS DE
Deliberação Nº 32
FUNDOS DE INVESTIMENTO QUE APLICAM SEUS
RECURSOS EM ATIVOS NO EXTERIOR.

Página 18/20

Aviso para fundos que apliquem + de 50% dos recursos em ativos de crédito privado
Aviso para fundos que
apliquem + de 50% dos
recursos em ativos de
crédito privado
Neste caso, o seguinte aviso deve ser acrescentado à capa,
contracapa ou 1 a página do prospecto: ESTE FUNDO ESTÁ
SUJEITO A RISCO DE PERDA SUBSTANCIAL DE SEU
PATRIMÔNIO LÍQUIDO EM CASO DE EVENTOS QUE
ACARRETEM O NÃO PAGAMENTO DOS ATIVOS
INTEGRANTES DE SUA CARTEIRA, INCLUSIVE POR
FORÇA DE INTERVENÇÃO, LIQUIDAÇÃO, REGIME DE
ADMINISTRAÇÃO TEMPORÁRIA, FALÊNCIA,
RECUPERAÇÃO JUDICIAL OU EXTRAJUDICIAL DOS
EMISSORES RESPONSÁVEIS PELOS ATIVOS DO FUNDO.
ICVM 409: Art. 98
Código:
Deliberação Nº 32
XVII_15
Aviso para fundos
Neste caso, o seguinte aviso deve ser acrescentado à capa,
contracapa ou 1 a página do prospecto: ESTE FUNDO
DESTINA MAIS DE 20% DOS RECURSOS DO SEU
PATRIMONIO LIQUIDO EM ATIVOS DE MEDIO E ALTO
RISCO DE CREDITO ESTANDO SUJEITO A RISCO DE
PERDA SUBSTANCIAL DE SEU PATRIMÔNIO LÍQUIDO EM
CASO DE EVENTOS QUE ACARRETEM O NÃO
PAGAMENTO DOS ATIVOS INTEGRANTES DE SUA
CARTEIRA, INCLUSIVE POR FORÇA DE INTERVENÇÃO,
LIQUIDAÇÃO, REGIME DE ADMINISTRAÇÃO
TEMPORÁRIA, FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO JUDICIAL OU
EXTRAJUDCIAL DOS EMISSORES RESPONSÁVEIS PELOS
ATIVOS DO FUNDO.
Código:
classificados como Renda
Fixa Médio e Alto Risco
Deliberação Nº 32
XVII-16

XVIII.Observações Gerais

Referências Item Questão Abordada Critério Utilizadas XVIII_1 Uso de textos com caráter predominantemente
Referências
Item
Questão Abordada
Critério
Utilizadas
XVIII_1
Uso de textos com caráter
predominantemente
publicitário ou elaboração do
prospecto como um
instrumento de vendas mais
que de informação ao cotista.
Textos com conteúdo predominantemente publicitário não
Perguntas e
devem fazer parte do prospecto, sendo necessária a
manutenção neste de um tom informativo e não comercial.
Respostas:
Questão 2.23
Apresentação de estatísticas
no prospecto.
Embora a apresentação de dados sobre o fundo não seja
vedada pelo Código, deve ser desestimulada, pois implicaria
na necessidade de um novo registro de prospecto a cada
atualização dos dados. As informações devem estar ainda de
acordo com o disposto no Capítulo IV do Código que trata das
normas para divulgação de desempenho dos fundos.
Perguntas e
Respostas:
Questão 2.22
XVIII_2
O prospecto utiliza termos
subjetivos do tipo “alta
rentabilidade” ou “baixo risco”.
Termos que apresentem interpretações diferentes em
situações diferenciadas ou que possam ser entendidos de
forma diferente por cada investidor só podem ser utilizados se
acompanhados de uma definição mais objetiva. Admite-se
exceção para termos definidos por normas do BACEN ou
CVM, tais como “baixo risco de crédito” cujo uso foi
consagrado por ter sido citado na Circular 2958 do BACEN.
Perguntas e
Respostas:
Questão 2.15
XVIII_3

Página 19/20

Organização do prospecto foge ao proposto pelo Código. Não há obrigatoriedade de que seja seguida
Organização do prospecto
foge ao proposto pelo Código.
Não há obrigatoriedade de que seja seguida a seqüência dos
itens requeridos pelo art. 14º. Deve-se alertar, no entanto para
Perguntas e
Respostas:
a
necessidade do prospecto fazer uma referência clara a cada
Questão 2.24
XVIII_4
um dos elementos obrigatórios requeridos pelo Código.
Ademais, as informações pertinentes a cada item devem estar
contidas neste. Um prospecto organizado de forma tal que não
esclareça a qual dos itens previstos no Código pertence uma
dada informação, será tido como em desacordo com este.
As informações constantes no
prospecto encontram-se
ilegíveis.
As
informações (textos e imagens) constantes no prospecto do
XVIII_5
fundo devem estar dispostas de forma clara.
A
classificação ANBID
A
classificação ANBID divulgada no prospecto deve estar de
XVIII_6
indicada no prospecto não
está de acordo com a
classificação do fundo na
Base de Dados da ANBID.
acordo com a classificação na Base de Dados da ANBID.
Não há coerência entre itens
do prospecto.
Os
itens que compõem o prospecto do fundo não poderão ser
XVIII_7
contraditórios.
XVIII_8
Prospectos atualizados e
compatíveis com o
Conforme o Art. 13º as instituição participantes devem tomar
providência para que sejam disponibilizados aos investidores,
Código:
Capítulo V Art.
Regulamento
quando de seu ingresso nos Fundos de Investimento,
prospectos atualizados e compatíveis com o Regulamento dos
Fundos de Investimento.
13º
O
prospecto deve conter obrigatoriamente item que trata da
Código:
Política de Voto e ainda contemplar as normas estabelecidas
XVIII_9
Proxy Volting
no
Art. 21º do Código e no Art.3º das Diretrizes para Política
de
Exercício de Direito de Voto em Assembléias.
Capítulo VIII Art.
21º e Art.3º das
Diretrizes
Código:
O
Prospecto deve ser
O
prospecto não deve conter referências a “artigos” e
Capítulo V Art.
XVIII_10
compatível com o
“parágrafos” que não existem no prospecto e referências ao
13º
Regulamento
prospecto como se este fosse o regulamento.

Página 20/20