Artigo elaborado a partir do estudo desenvolvido para a Linha 2: Dilemas epistemológicos na formação de professores: da articulação da teoria à execução da prática

docente na educação básica dos cursos de licenciatura do Uni-BH – GEIFoP (Grupo de estudos interdisciplinares de formação de professores).

Professora pesquisadora: Marianela Rodrigues da Silva Aluna estagiária: Mariana Gonçalves Pereira de Oliveira - PDN6

A EDUCAÇÃO E A TECNOLOGIA NA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO E DO CONHECIMENTO: uma questão epistemológica

A educação, especialmente, na contemporaneidade encontra-se pautada no seguinte dilema: até que ponto os conhecimentos teóricos, adquiridos nas universidades contribuem para a prática dos profissionais do ensino? Dessa maneira essa relação entre a teoria e a prática se torna alvo de discussões de autores como Karsenti (2008), Morin (2005), Tardif (2000).

A distância muitas vezes encontrada entre os saberes profissionais e os saberes universitários é um fato constatado na educação. Nesse sentido, de acordo com Tardif (2000) devemos renovar os fundamentos epistemológicos do ofício do professor. Para tanto, torna-se necessário uma reflexão crítica a respeito das nossas próprias práticas como formadores e pesquisadores.

Tardif (2000, p. 10) discorre baseado no pensamento empirista anglo-saxão e alemão que “a epistemologia torna-se uma reflexão normativa que busca estabelecer critérios de demarcação entre a ciência e a não- ciência” e demonstra que essa visão positivista não é capaz de dar conta das transformações sociais, bem como das mudanças de paradigmas científicos. Dessa maneira, Tardif (2000, p.10) defende que:
Desde a década de 1960, pode-se dizer que assistimos a um certo esfacelamento do campo tradicional da epistemologia e sua abertura a

diferentes objetos epistêmicos, especialmente os estudo dos saberes cotidianos, do senso comum, dos jogos de linguagem e dos sistemas de ação por meio dos quais a realidade social e individual é construída.

Nesse âmbito, Tardif nos propõe como fundamental delimitar um objeto de estudo em relação aos saberes e às práticas profissionais, para tanto, conceitua epistemologia da prática como sendo “o estudo do conjunto dos saberes utilizados realmente pelos profissionais em seu espaço de trabalho cotidiano para desempenhar todas as suas tarefas” (TARDIF 2000, p. 10) e afirma que a finalidade da epistemologia da prática profissional é compreender como são integrados os saberes dos profissionais à sua prática, bem com esses profissionais incorporam os saberes e os aplicam em suas atividades de trabalho.

Em relação à epistemologia é inerente, como afirma Morin (2005), que esse termo encontra-se nesse mundo já tecnologizado, pois de acordo com esse autor: “do ponto de vista epistemológico é impossível isolar a noção de tecnologia ou techné, porque bem sabemos que existe uma relação que vai da ciência à técnica, da técnica á industria, da industria à sociedade, da sociedade à ciência, etc.” (MORIN,

2005, p.107), portanto, de acordo com o autor, o termo tecnologia não deve ser isolado, e sim agrupado em um macroconceito que considera outros conceitos interdependentes.

Nesse sentido, considerando que a tecnologia faz parte da vida das pessoas, principalmente nesta sociedade globalizada, conhecida como: sociedade da informação e do conhecimento, podemos dizer, de acordo com Karsenti (2008), que as novas tecnologias da comunicação e da informação (TIC) afetam os estudantes e se constituem, portanto, como um novo desafio que vem sendo proposto no ensino universitário.

A partir desse contexto, Karsenti (2008) realizou um estudo, a partir das experiências de cursos on line no ciberespaço, na Universidade de Quebec, em Hull (Canadá), e nos trouxe com essa pesquisa contribuições a respeito da atitude, da motivação e da mudança nas práticas pedagógicas dos futuros professores. Karsenti, optou pela utilização de uma metodologia mista, de coleta e análise de dados qualitativos e quantitativos

Nesta pesquisa, não consideraremos os métodos de pesquisa ditos qualitativos-quantitativos como dois pólos de uma dicotomia, mas, antes, como dois pólos de um continuum, no qual é possível colher dados, de um lado e de outro, em função do problema, da questão e dos objetivos da pesquisa. Os dados quantitativos serão particularmente explorados para avaliar e compreender melhor a mudança de motivação dos futuros docentes. Os dados qualitativos permitirão uma melhor compreensão da mudança nas atitudes e nas práticas pedagógicas dos futuros docentes. ( KARSENTI, 2008, p. 185).

As análises dos dados feitas pelo autor, a partir de conversações em modos sincrônicos (chats), bem como de análise motivacional e de 3553 e-mails mostraram, contrariando a primeira suposição de Karsenti, no início da pesquisa, que relacionou a queda de motivação e as atitudes negativas dos alunos às dificuldades encontradas em relação às TIC, como não sendo na verdade o principal obstáculo. De acordo com Karsenti (2008, p. 196):
As dificuldades ligadas às TIC vêm em segundo lugar. O problema maior encontrado pelos estudantes parece, pois, ser a sua falta de autonomia. A exemplo do que enfatizava Lamontagne (1999), os estudantes tinham dificuldade em reaprender a aprender. Essa constatação é particularmente evidente após quatro semanas de curso, quando o ambiente de aprendizagem se tornou mais familiar e todos podiam navegar com facilidade no site do curso.

De acordo com Karsenti (2008), a experiência realizada permitiu uma mudança de motivação em relação à motivação dos alunos em relação às TIC, em sua prática, bem como em relação à integração das TIC na pedagogia universitária.

O professor precisa conhecer novas possibilidades educativas a fim de tornar suas aulas mais interessantes e interativas. Por meio dos novos aparatos tecnológicos, os espaços virtuais se constituem como uma ferramenta muito interessante e inovadora para o ensino-aprendizagem nessa sociedade da informação e do conhecimento.

Nesse sentido, ao longo dessas discussões propostas é muito importante uma mudança de postura dos profissionais da educação em relação às habilidades e competências a serem desenvolvidas nos alunos de forma que os educadores consigam utilizar, de fato, os conhecimentos adquiridos nas universidades, como por exemplo, os conhecimentos tecnológicos, na sua prática diária.

Referências

KARSENTI, Thierry. Impacto das TIC (Tecnologias de Informação e Comunicação) sobre a atitude, a motivação e mudança nas práticas pedagógicas dos futuros professores. In TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O ofício de professor. História, perspectivas e desafios internacionais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008. MORIN, Edgar. Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertrand, 2005, p.107-115. TARDIF, Maurice. Saberes Profissionais dos Professores e conhecimentos universitários. Elementos para uma epistemologia da prática profissional dos professore e suas conseqüências em relação à formação para o magistério. Revista Brasileira de Educação Jan/Fev/Mar/Abr 2000 n° 13.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful