Relatório de Gestão 2008

E111-Comércio de Livros e Documentação

1 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

RELATÓRIO E PRESTAÇÃO DE CONTAS 2008

Relatório de Gestão 2008

2 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

ÍNDICE Nota Introdutória Caracterização da Empresa 1.1 Identificação 1.2 Participantes no capital 1.3 Infra-estruturas 1.4 Regime de laboração 1.5 Caracterização das actividades desenvolvidas 1.6 Referências externas Enquadramento da actividade 2.1 Envolvente competitivo 2.2 Produtos e mercados 2.3 Situação económico-financeira do sector 3. Evolução da gestão nos diferentes sectores em que a sociedade exerceu actividade 3.1 Síntese estratégica 3.2 Condições do mercado 3.2 Objectivos propostos 3.3 Acções implementadas 3.3.1 Política Comercial e Marketing 3.3.2 Política de Aprovisionamento 3.3.3 Recursos Humanos 3.3.4 Inovação e Tecnologia 3.3.5 Internacionalização 3.3.6 Higiene, Segurança e Ambiente 3.3.7 Qualidade, Organização e Gestão 3.3.8 Investimentos 3.3.9 Financiamentos 3.3.10 Actividades de investigação e desenvolvimento 3.4 Análise Económica e Financeira 3.4.1 Breve Análise à Demonstração dos Resultados 3.4.2 Breve Análise ao Balanço
3.4.1.2 Análise dos resultados

1.

2.

3.4.1.1 Análise dos custos e proveitos

3.4.2.1 Análise do equilíbrio financeiro da empresa e outros

3.4.3 Breve síntese da situação económica e financeira da empresa 4. Factos relevantes ocorridos após o termo do exercício 5. Evolução previsível da sociedade 6. Proposta de aplicação de Resultados 7. Agradecimentos às Entidades importantes para o desenvolvimento da actividade
3 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

3.4.2.2 Breve análise da tesouraria.

indicadores considerados pertinentes

Relatório de Gestão 2008

Nota Introdutória
O presente relatório analisa a evolução económico-financeira da E111Comércio de Livros e Documentação, Lda., entre os meses de Setembro e Novembro de 2008 e compara-a com o sector de mercado onde esta se insere. Inicia esta análise com a caracterização da nossa empresa, procedendo-se de seguida o seu enquadramento, e posteriormente o diagnóstico da evolução económico-financeira, do referido período de actividade. Tendo por base o estudo de rácios da gestão financeira, elaborados de acordo com os valores das demonstrações financeiras que se encontram em anexo a este relatório. Esclarece ainda as estratégias, políticas e acções, que a empresa achou, ser necessárias para o normal desenrolar da sua actividade, bem como aprecia de uma forma geral a performance da empresa, propondo acções correctivas para um melhor desempenho. O relatório tem como base legal o disposto nos artigos 65 e 66 do CSC, que menciona toda a informação que deve ser divulgada pela empresa, e vem no âmbito da disciplina de PSE I, leccionado no 3º ano do curso de Finanças Empresariais do Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa.

4 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

1. Caracterização da Empresa
1.1. Identificação
O presente relatório refere-se à empresa E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda., constituída a 1 de Setembro de 2008, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa sob o n.º 111 111 e número de identificação fiscal 501000111. É uma sociedade por quotas e apresenta um Capital Social de € 180.000. A empresa tem sede na Avenida Pêro Vaz de Camões, n.º 111, 1000-000 Lisboa, Portugal, com os contactos: Telefone 6111, Fax 7111 e Endereço Electrónico 111@simulacao.local.

1.2. Participantes no Capital
O Capital Social da E111 é de € 180.000, subscrito em partes iguais por quatro sócios-gerentes, Liliana Rosa, Miguel Gonçalves, Rui Vicente e Sónia Almeida, cada uma no valor de € 45.000.

1.3. Infra-Estruturas
A sede da empresa está situada numa zona central, de fácil acessibilidade, e é composta por vários pisos com uma área total de 1500 m2. Aqui funcionam, para alem do nosso armazém e dos serviços administrativos e comerciais, uma creche e uma cantina, pois preocupamo-nos com o bem-estar e conforto dos nossos trabalhadores. Este edifício está em regime de arrendamento (locação operacional) pelo qual pagamos a quantia mensal de € 3.331,30, sendo o proprietário a empresa F8 – Empresa de Rendas e Alugueres, S.A..

1.4. Regime de Laboração
A empresa tem dois regimes de laboração distintos: os sócios-gerentes e os técnicos de vendas têm isenção de horário, enquanto que os restantes trabalhadores têm uma carga de trabalho de 40 horas semanais, que se distribui
5 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

de Domingo a Segunda por turnos intercalados de 8h. O contrato de trabalho acordado entre os trabalhadores e a empresa contempla a cláusula de trabalho por turnos. Este regime de laboração surge da necessidade de a empresa se manter 24 horas disponível, visto que tem clientes e fornecedores com fusos horários diferentes. As férias são acordadas entre os empregados e a empresa, no sentido de não prejudicar o seu funcionamento, pois a actividade não é encerrada para férias durante o ano.

1.5. Caracterização das Actividades desenvolvidas.
A E111 é uma empresa de Prestação de Serviços que se enquadra na Secção \G – Comércio por Grosso e a Retalho; Reparação de Veículos Automóveis Motociclos e de Bens de Uso Pessoal e Doméstico, Subsecção Comércio a Retalho de outros Produtos Novos em Estabelecimentos Especializados da Classificação Portuguesa de Actividades Económicas incluído na Classe – Comércio de Retalho de Livros, Jornais e Artigos de Papelaria, com n.º 52471 – Comércio a Retalho de Livros. Os produtos comercializados pela empresa são Manuais de Segurança, de Higiene, de Manutenção de Equipamento. A empresa oferece, ainda, um Serviço de Assistência Técnica todos os dias do ano, 24/24h.

1.5. Referências Externas
Clientes: Nacionais: C1 – Comércio de Artigos de Açores/Madeira F21 – Comércio e Serviços, S.A. C23 – Hipermercados, S.A. Intracomunitários: C25 – UK, Import Limited C26 - DM, Import Gmbh C27 - USA, Import Corporation

6 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

Fornecedores: Nacionais: Intracomunitários: F6 – Empresa de Serviços de Comunicações, S.A. F2 – UK, Export Limited F7 – Empresa de Electricidade, S.A. F3 – DE, Export Gmbh F8 – Empresa de Rendas e Alugueres, S.A. F4 – USA, Export Corporation F9 – Companhia de Seguros, S.A. F10 – Serviços de Contencioso e Notariado, Lda. F14 – Associação Patronal F16 – Empresa da Água, S.A. F17 – Empresa de Transportes e Viagens, S.A. F18 – Serviços de Medicina, Higiene e Segurança, Lda. F21 – Comércio e Serviços, S.A. F22- Correios de Portugal, S.A. F29 – Empresa de Leasing, S.A. Bancos: Banco I.S.CA.L.

2. Enquadramento da actividade
2.1. Envolvente Competitivo
A empresa enquadra-se num mercado de grande interacção, onde se desenvolvem transacções com um leque variado de agentes, como clientes e fornecedores nacionais, intracomunitários e estrangeiros. O objectivo da empresa é, através destas relações económicas e financeiras, atingir uma posição de liderança no mercado.

2.2.

Produtos e Mercados

A E111 comercializa Manuais de Segurança, de Higiene, de Manutenção de Equipamento e dispõe de um Serviço de Assistência Técnica.

7 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

A seguinte tabela apresenta os preços de vendas dos produtos comercializados pela empresa: Produto: Manual de Segurança Manual deHigiene Manual de Manutenção de Equipamento Serviço de Assistência Técnica Preço: € 12,5/unidade Custo: € 8,50/unidade

€ 15,46/unidade € 10,51/unidade € 13,46/unidade € 9,44/hora € 9,15/unidade n.a.

Como podemos verificar, a empresa opera com lucros na ordem dos € 5 unitários. Para além de exercer a sua actividade no mercado nacional, a empresa estabelece transacções a nível intracomunitário e externo, mantendo importantes relações comerciais, com a Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos da América.

2.3.

Situação económico-financeira do sector

A empresa enquadra-se no sector de Comércio a Retalho de Livros, CAE n.º 52471. Segundo um estudo do Banco de Portugal relativo ao ano de 2007, este sector apresenta os seguintes elementos: Indicadores: N.º Empregados Resultado Líquido (em euros) Volume de vendas (em euros) Capital Próprio i (em euros) Custos com Pessoal (em euros) Valores médios do sector: 7 - 1.687 518.294 64.398 80.283

8 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

Os respectivos indicadores relativos à empresa, no fecho do exercício, são: Indicadores: N.º Empregados Resultado Líquido (em euros) Volume de vendas (em euros) Capital Próprio (em euros) Custos com Pessoal (em euros) Valores médios do sector: 32 495.283,42 3.904.801,05 1.939.067,95 381.607,86

Comparando os valores médios do sector com os valores da empresa (há que ter em conta que os valores do sector são do ano 2007 e os da empresa de 2008), podemos concluir que a empresa apresenta valores favoráveis e que contribuirá favoravelmente para estes indicadores médios do sector.

3. Evolução da gestão nos diferentes sectores em que a sociedade exerceu actividade
3.1 Síntese estratégica
A E111 está à relativamente pouco tempo no mercado, contudo pode-se desde já constatar que teve uma excelente integração apesar de este ser um sector muito competitivo, o que impõe a aplicação de uma política comercial competitiva para fazer frente à concorrência. Com o intuito de melhor explorar nichos de mercado e detectar as lacunas da concorrência, a empresa solicitou um estudo de mercado para nos ajudar a traçar determinados objectivos e, simultaneamente, estratégias para a sua concretização. Nesta ordem de ideias, a missão da empresa é prosperar financeira e economicamente. Assim sendo, a nossa estratégia baseou-se no recrutamento de pessoal qualificado, dinâmico e competente na elaboração das tarefas propostas, bem como criar condições
9 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

propícias a um bom ambiente de trabalho. Procurámos ainda fazer uma selecção de fornecedores, capazes de dar resposta às nossas necessidades, de modo eficaz e pontual, bem como manter uma boa relação com os nossos clientes o que implica a total satisfação das suas necessidades e a apresentação de facilidades de pagamento. Outro dos objectivos a que a empresa se propõe é o de sublinhar a sua presença no mercado pela qualidade dos serviços e produtos: a imagem de marca e de excelência são pontos chaves de sucesso. Para a formulação da estratégia a ser adoptada pela empresa, para analisar o meio envolvente, recorremos à análise SWOT, que é uma análise ao meio interno e externo da empresa, procurando os pontos fortes (Meio Interno), identificando e tentar minimizar os pontos fracos (Meio Interno), aproveitando as oportunidades (Meio Externo), para fazer face às ameaças do mercado (Meio Externo):
Strengths (Forças)
Trabalhadores motivados; Infra-estruturas adequadas para actividade; Mão-de-obra especializada; Formação contínua; Produtos de qualidade; Reconhecimento do mercado; Carteira de fornecedores; Certificação internacional. Empresa demasiado jovem; Pouca experiência da gerência; Reduzida solvabilidade; Défice de tesouraria; Elevadas necessidades de fundo de maneio.

Weaknesses (Fraquezas)

Opportunities Oportunidades)
Sector com níveis bastante atractivos; Produtos bastante procurados; Benefícios da localização na EU; Clientes de média/grande dimensão;

SW OT

I N T E R N O

Threats (Ameaças)
Concorrência forte e competitiva; Preços elevados dos produtos fazem com que a procura diminua; Produtos substitutos; Clima de desaceleração económica mundial.

Desenvolvimento económico de países do leste da Europa e de África com os quais Portugal mantém relações privilegiadas.

E X T E R N O

10 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

3.2 Condições do mercado
O mercado da venda a retalho de livros tem como principal ameaça o aparecimento de novas empresas, e o fabrico e comercialização destes por preços muito mais reduzidos em mercados emergentes do sudeste asiático. Outros dos entraves que actualmente se colocam a comercialização deste tipo de produtos são a internet que os disponibiliza gratuitamente e o clima de desaceleração económico provocado pela recente crise financeira.

3.2 Objectivos propostos
Um dos nossos principais objectivos é a aposta na qualidade dos nossos produtos, fazendo com que estes satisfaçam as necessidades dos nossos clientes. Outra grande aposta tem sido ao nível do investimento na formação dos nossos colaboradores bem como nos serviços de acção social proporcionados pela empresa, nomeadamente um refeitório e uma creche o que, para além de melhorar a estrutura funcional e organizativa da empresa, tem também contribuído para criação de um agradável ambiente de trabalho e consequentemente para a obtenção de um nível de produtividade bem acima da média. Temos ainda como objectivos determinantes a angariação de novos clientes, o aumento da satisfação e confiança destes, a aposta em novas campanhas publicitárias de modo a promover os nossos produtos e a colocação ao dispor dos clientes um serviço de manutenção pós-venda para assim garantir o melhor desempenho e durabilidade dos produtos comercializados, bem como a continuidade das acções de formação para os nossos colaboradores.

3.3 Acções implementadas 3.3.1 Política Comercial e Marketing
A área comercial e de marketing são fundamentais para o desenvolvimento da nossa empresa, por isso, tentamos interligar as estratégias de marketing, divulgação e relações públicas para invocar junto do público a qualidade e a satisfação garantida da nossa marca.
11 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

De forma a tornar a nossa empresa competitiva em relação à concorrência, há que primar pela qualidade dos nossos produtos, assim como estabelecer uma relação próxima com os nossos clientes, é preciso ir ao encontro destes, conhecendo os seus gostos, necessidades, desejos e tendências. Primeiramente com objectivo de analisar os vários segmentos do mercado, como por exemplo: a localização geográfica, os clientes-alvo, os fornecedores, a quota de mercado, vendas, volume de negócios, competitividade, a concorrência, a empresa encomendou um estudo de mercado. Ao longo da nossa actividade acentuamos também a promoção da nossa imagem junto do mercado apostando em diversas campanhas de publicidade, designadamente através de campanhas televisivas, em jornais e revistas da especialidade, em anúncios online e em participações de feiras e exposições editoriais. Consideramos ainda que a definição de procedimentos, quer a nível das compras, quer a nível das vendas, é essencial para o alcance do sucesso da nossa actividade a nível comercial. Como tal a nível das compras procurámos estabelecer contratos de fornecimento, de produtos mais vantajosos para a nossa empresa, no respeitante às vendas procuramos satisfazer a tempo e horas as necessidades dos nossos clientes estabelecendo para isso uma estratégia que nos possibilite a satisfação destes. Para melhor satisfação destes, formulamos inquéritos a fim de obter as suas opiniões e sugestões, bem como possíveis lacunas nossas a nível comercial e assistência pós-venda, de modo a melhorar o desempenho da nossa empresa.

3.3.2 Política de Aprovisionamento
A E111 ao longo da sua actividade neste último trimestre teve como principal política encomendar aos seus fornecedores o que os seus clientes lhe encomendavam. No entanto, sempre com uma margem superior em 10% o que lhe proporciona ter em armazém um stock bastante razoável, como segurança para qualquer eventualidade.

12 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

Para este fim a empresa tem um armazém onde existe um apertado controlo físico e informático dos bens recebidos e expedidos. Como método de custeio a empresa utiliza o custo médio ponderado o que lhe permite ter uma maior percepção sobre o real preço de mercado dos nossos produtos, visto que este define como custo de saída de armazém o custo médio das existências em armazém, que é calculado tendo em conta os vários preços de aquisição e as quantias correspondentes. Os seguintes gráficos mostram as quantidades, de cada um dos artigos, compradas e vendidas ao longo destes últimos três meses, bem como o seu valor total.

Artigo 3 Compras Artigo 2 Total Artigo 1 0 50000100000 Novembro Outubro Setembro Vendas

Artigo 3

Artigo 2

Artigo 1 0 50000 100000

Total Novembro Outubro Setembro

Em armazém para o próximo exercício económico a empresa dispõe de 2870 unidades do artigo 1, 2321 unidades do artigo 2 e 2665 unidades do artigo 3.

3.3.3 Recursos Humanos
Cada vez mais apostamos numa boa gestão de recursos humanos com vista a um melhor desempenho. Para tal disponibilizamos a todos os funcionários formação contínua, bem como serviços de acção social localizados na empresa nomeadamente uma creche e um refeitório. Em 30 de Novembro de 2008 a E111 conta com 32 colaboradores, dos quais 47% do sexo feminino e 53% do sexo masculino.
Mulheres 47%

Homens 53%

13 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

No decorrer do exercício, verificou-se o despedimento de 2 Prospectores de Mercado em Novembro de 2008. O quadro e o organigrama a baixo indicam qual a estrutura organizacional da empresa, bem como as categorias profissionais dos seus colaboradores, o número de trabalhadores por categoria e a sua remuneração base.

Categoria Profissional Número de Trabalhadores Remuneração Base (€) Gerente 4 2500 Técnico de Vendas 4 1200 Técnico de Vendas 14 1000 Técnico de Vendas 2 500 Técnico Administrativo 2 800 Contabilista 1 500 Secretária 1 800 Técnico Administrativo 2ª 1 500 Director Departamento 2 1200 Telefonista 1 800 Prospecção Mercado 2 1200 Total 34 11000

14 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

3.3.4 Inovação e Tecnologia
Visto sermos uma empresa com espírito inovador damos grande importância à inovação tecnológica, para tal procuramos estar sempre actualizados. Deste modo, todo o procedimento contabilístico é efectuado através do programa informático SIGA – Expandindústria, e o controlo do pessoal é feito através de um sistema informático. Do mesmo modo, adquirimos recentemente um servidor para modernizar o nosso sistema informático, bem como um novo sistema de vídeo vigilância com o intuito de melhorar as condições de segurança. Durante este último semestre, actualizámos ainda a nossa página na internet, onde criámos além de um serviço de vendas, um serviço de apoio online 24horas e onde colocámos questionários de satisfação. Criámos ainda uma linha verde (chamadas gratuitas) de apoio ao cliente.

3.3.5 Internacionalização
A globalização das economias é um conceito que está presente actualmente em todo o mundo. Face a isto, e tendo atenção à vontade de expansão que a empresa tem, conseguimos, durante este exercício económico, dar um passo de gigante no que toca à internacionalização da nossa marca, através da celebração de diversos contratos de compras e de vendas bastante significativos e regulares para o mercado europeu, bem como para o norteamericano. Em termos de peso comercial, pode dizer-se que o nosso principal cliente é a empresa F23, originário de Portugal, responsável por uma parcela bastante significativa do nosso volume de negócios. No entanto, o resto das nossas vendas é feito para fora do país. Relativamente às compras temos também uma grande dependência internacional, visto termos um elevado número de importações e aquisições intra-comunitárias. Como principal fornecedor estrangeiro temos a empresa portuguesa F21. No entanto todos os nossos outros produtos são adquiridos fora do país. Assim se conclui que as nossas relações comerciais além fronteiras, por

15 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

comparação às Os

realizadas

no mercado nacional, comprovam a

assumem

uma

importância muito significativa. seguintes gráficos grande internacionalização alcançada pela empresa:

1.500.000,00 € 1.000.000,00 € 500.000,00 € 0,00 € 23 25 26 27 1 Vendas
Setembro Outubro Novembro Total

700.000,00 € 600.000,00 € 500.000,00 € 400.000,00 € 300.000,00 € 200.000,00 € 100.000,00 € 0,00 € 2 3 4 21

Setembro Outubro Novembro Total

Compras
F23- Portugal F25- Reino Unido F26- Alemanha F27 - EUA

F1- Portugal (ilhas autónomas) (relativa a uma prestação de serviço) F2- Reino Unido F3-Alemanha F4 - EUA F21- Portugal

3.3.6 Higiene, Segurança e Ambiente
Numa perspectiva de levar a cabo políticas de higiene, segurança e ambiente, a empresa dispõe de um sistema interno de higiene e limpeza, bem como extintores, manuais de segurança e saídas de emergência em todas as instalações (departamentos, armazém, creche, cantina). Para além disto dispõe ainda de certificação internacional segundo as normas NP EN ISO 14001:2004 – Sistemas de Gestão Ambiental, pela APCER (associação portuguesa de certificação) (certificado n.º SGI6003307), que representa um compromisso voluntário para a melhoria contínua do desempenho ambiental da empresa.

16 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

Temos ainda implementada uma política anti-tabagica dentro das instalações, estipulada por lei, bem como uma forte política de reciclagem. Para curto temos já definido a comercialização dos nossos produtos exclusivamente fabricados com papel reciclado, bem como o pedido a Direcção-Geral das Actividades Económicas do rótulo ecológico europeu, que é de natureza voluntária e que têm como objectivo a promoção de produtos e serviços que se insiram em “grupos de produtos” para os quais estão fixados critérios ecológicos, estabelecidos pela Comissão Europeia, susceptíveis de contribuir para a redução de impactos ambientais negativos, por comparação com outros produtos e serviços do mesmo grupo. Para efeitos de serviços de medicina do trabalho, obrigatórios por lei, a nossa empresa tem celebrado um plano de saúde no trabalho com a empresa F18 – Serviços de Medicina, Higiene e Segurança, Lda. A empresa tem ainda celebrado com a F09- Companhia de Seguros, SA um plano de seguros de acidentes de trabalho. Neste campo tem ainda, reconhecida igualmente pela APCER, a certificação segundo as normas OHSAS 18001:2007- Sistema de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho (certificado n.ºSGI7867450), o que demonstra o nosso compromisso com a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho. Durante este exercício económico verificou-se um incêndio no nosso armazém, tendo já para tal a empresa accionado o seguro, bem como posto em prática a reflorestação da área circundante a este. Esta deverá estar concluída dentro de 3 anos, com custos estimados de €150.000.

3.3.7 Qualidade, Organização e Gestão
A qualidade dos produtos é indispensável para a sua aceitação no mercado, se esta não for garantida os nossos produtos não irão satisfazer os requisitos dos nossos clientes. Tendo por base esta filosofia a empresa E111 partilha duma política de qualidade garantida pela certificação, pela APCER, segundo as normas ISO 9001:2000 – Sistemas de Gestão da Qualidade, que representam um consenso
17 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

internacional sobre boas práticas de gestão e com o objectivo de garantir o fornecimento de produtos que satisfaçam os requisitos dos clientes. Esta permite demonstrar o compromisso da empresa com a qualidade e satisfação dos seus clientes, reforçando a nossa imagem e acompanhando o mercado em constante evolução. Para além disto a empresa cumpre ainda os requisitos de segurança de cargas de transporte, com o intuito de garantir a segurança dos produtos expedidos para os seus clientes em todo o mundo. Esta medida deve-se, sobretudo, ao crescimento do nosso comércio internacional, mas também, a constante necessidade da empresa, de garantir a satisfação dos seus clientes. Em termos organizacionais a empresa é gerida pelos quatro

sócios/gerentes, que têm as suas áreas de actuação distribuídas, e pelo seu grupo de colaboradores, de forma vertical e através de um conjunto de relacionamentos informais. A nível da gestão, esta está a desenrolar-se de acordo com as expectativas e os patamares mínimos propostos. Do ponto de vista do controlo, a empresa está a seguir o seu manual de procedimentos relativos às existências e ao controlo do imobilizado, no sentido de uniformizar os procedimentos contabilísticos e garantir o eficaz controlo sobre os mesmos, bem como a ter em conta os factores relacionados com o ciclo de vida dos produtos, a gestão dos prazos médios de pagamentos e recebimento, bem como o controlo de custos.

18 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

3.3.8 Investimentos
Ao longo do trimestre foram efectuados diversos investimentos subdivididos em financeiros e imobilizado. O gráfico e a tabela apresentados mostram as percentagens dos investimentos efectuados pela empresa.

Investimentos
7% 20%

73%

Investimentos Financeiros Imobilizado Corpóreo Imobilizado Incorpóreo

Rubricas
Investimentos Financeiros Títulos (Fundo Fixo) Imputação arrendamento Terrenos

Valor (€)
50.000,00 150.000,00 30.000,00

%

SubTotal 230.000,00 73,40% Imobilizado Corpóreo Equipamento. Transporte 24.793,39

Equipamento Administrativo 36.659,00 SubTotal 61.452,39 Desp. Instalação 840,33 21.051,70 6,99% 19,61%

Imobilizado Incorpóreo

Prop. Industrial

SubTotal 21.892,03 Totais

313.344,42 100,00%

O investimento em activos fixos realizados pela empresa este semestre totalizou 313.344,42€. Cerca de 73% daquele valor foi aplicado em imobilizado financeiros, visto a empresa ter investido num Fundo Fixo e também no arrendamento de 50% do nosso edifício comercial. Quanto ao imobilizado
19 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

corpóreo, este representa cerca de 20% do nosso investimento, nomeadamente em equipamento administrativo (câmaras de vigilância e servidor) e equipamento de transporte. Evidenciando a preocupação da E-111 na introdução de novas tecnologias e a preocupação também com a segurança dos seus colaboradores. No que respeita às imobilizações incorpóreas, o registo da marca é o mais significativo desta rubrica (perto de 6,7%), sendo as despesas de instalação, apenas 0,29% do total dos investimentos feitos.

3.9 Financiamentos
Os financiamentos da empresa são na sua maioria constituídos por Capital próprio, o que nem sempre é bom. Seguindo-se dos recursos provenientes dos Fornecedores de Mercadorias, o que significa que o PMP concedido à empresa é bastante alargado (ponto a desenvolver posteriormente). O financiamento reflectido pelos meros 21% é por parte dos Fornecedores de Imobilizado, e reveste sobretudo a forma de leasing. Contrariando o ano anterior, pois os recursos sobretudo para financiamento provenientes eram dos

Financiamento
1% 21% 36% 42% Fornec. Mercadorias Fornec. Imobilizado Capital Próprio

Fornecedores de Imobilizado (52%).

3.3.10 Actividades de investigação e desenvolvimento
Estas são responsabilidades do departamento comercial, que tem um centro de análise e pesquisa de novos métodos e processos de trabalho com vista a optimização dos recursos da nossa empresa, de forma a garantir uma melhor qualidade e aceitação dos nossos produtos. Esta mesma área irá também abranger a pesquisa e desenvolvimento de novos produtos com vista a diversificar a nossa carteira de produtos.

20 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

3.4 Análise Económica e Financeira 3.4.1 Breve Análise à Demonstração dos Resultados 3.4.1.1 Análise dos custos e proveitos
Estrutura dos custos:
% Cst/V.+p. Ser.
44,53% 5,16% 0% 13,46% 0,19% 1,45% 8,17% 1,72% 0,57% 2,63% 77,88%

Rubricas
CMVMC FSE Impostos Pessoal Outros Amortizações Ajustamentos Provisões Financeiros Extraordinários Totais

Agosto
393.847,29 € 59.020,97 € 7,91 € 193.671,01 € 3.342,56 € 26.700,49 € 0€ 0€ 7.890,87 € 20.404,78 €

Setembro
687.403,39 € 79.907,38 € 9,96 € 254.449,45 € 3.792,56 € 28.897,46 € 0€ 0€ 7.940,87 € 20.404,78 €

Outubro

Novembro

Totais

%
57,18% 6,63% 0% 17,29% 0,24% 1,86% 10,49% 2,21% 0,73% 3,37%

1.088.234,40 € 1.709.319,99 € 3.878.805,07 € 138.040,64 € 9,96 € 324.885,47 € 4.265,06 € 32.098,94 € 0€ 0€ 8.150,87 € 36.047,57 € 172.804,39 € 9,96 € 399.683,61 € 4.761,06 € 38.544,60 € 711.637,07 € 150.000,00 € 25.333,53 € 152.047,57 € 449.773,38 € 37,79 € 1.172.689,54 € 16.161,24 € 126.241,49 € 711.637,07 € 150.000,00 € 49.316,14 € 228.904,70 €

704.885,88 € 1.082.805,85 € 1.631.732,91 € 3.364.141,78 € 6.783.566,42 € 100,00%

1.800.000,00 € 1.600.000,00 € 1.400.000,00 € 1.200.000,00 € 1.000.000,00 € 800.000,00 € 600.000,00 € 400.000,00 € 200.000,00 € 0,00 €

O CMVMC e os custos pessoal com são o as

rubricas com mais peso no total dos custos. O CMVMC representa cerca de 45% dos proveitos operacionais quase 60% dos custos totais.

Agosto

Setembro

Outubro

Novembro

21 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

Por sua vez, os custos com o pessoal, representam cerca de 14% dos proveitos operacionais e mais de 17% dos custos totais. Os Ajustamentos simbolizam cerca de 10% dos custos totais, devido à empresa ter considerado a dívida incobrável, do cliente E-27, constituindo por isso um ajustamento de 711.637,07€, visto o seu recebimento parecer de cobrança “improvável”. As restantes rubricas dizem respeito a menos de 7% do total dos custos. Para ser de mais fácil visualização, apresentamos o seguinte gráfico, onde podemos ter uma melhor noção do peso das rubricas de custos na empresa.
CMVMC FSE Impostos Pessoal Outros Amortizações Ajustamentos Provisões Financeiros Extraordinários

Estrutura dos proveitos:
Operacionais

Mercados
Nacional Vendas P.Serviços Vendas P.Serviços

Setembro
377.996,24 € 0€ 249.997,76 € 0€

Outubro
477.754,12 € 69.000,00 € 572.936,86 € 0, €

Novembro
514.496,85 € 0€ 1.059.709,43 € 0€ 1.574.206,28 €

Totais
1.370.247,21 € 69.000,00 € 1.882.644,05 € 0€

%
41,25% 2,08% 56,67% 0%

Internacional

Totais

627.994,00 € 1.119.690,98 €

3.321.891,26 € 100,00%

22 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

1.200.000,00 € 1.000.000,00 € 800.000,00 € 600.000,00 € 400.000,00 € 200.000,00 € 0,00 € Vendas P.Serviços Vendas P.Serviços

No proveitos

respeitante operacionais,

aos é

possível afirmar que estes são compostos, na sua maioria, pelos resultados das vendas, as
Nacional Internacional
Novembro

quais os restantes

são 97,92%, 2,08%

aproximadamente sendo

Setembro

Outubro

referentes às prestações de serviços.

Ganhos em Emp. Do Grupo e Assoc. Dif. Câmbio Favoraveis Titulos Negociaveis

Os obtidos constituídos

proveitos pela

financeiros, são pelos

empresa,

essencialmente

2% 34%

rendimentos provenientes de títulos negociáveis (64%), sendo os restantes 34% referentes a diferenças de câmbio desfavoráveis. Os ganhos em empresas do grupo e associadas representam apenas 2% dos proveitos financeiros, visto a empresa este trimestre não ter apostado muito nessa vertente. Totais 570,00 € 8033,82 15400 % 2,37% 33,47% 64,16%

64%

Proveitos Financeiros
Rubricas

Ganhos em Empresas do Grupo e Associadas Diferenças Câmbio Favoráveis Títulos Negociáveis Totais

24.003,82 € 100,00%

23 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

No exercício de 2008 atingimos um total de proveitos na ordem dos €765.268,60. Através da análise dos gráficos e tabelas apresentados, podemos verificar que 99,28 % destes proveitos resultam dos proveitos operacionais e apenas 0,717% advêm de proveitos financeiros.

3.4.1.2 Análise dos resultados
2008
Vendas e Prestações de Serviços CMVMC Resultados Brutos Outros Proveitos e Ganhos Operacionais Custos de Distribuição Custos Administrativos Outros Custos e Perdas Operacionais Resultados Operacionais Custo Líquido de Financiamento Ganhos (Perdas) em Filiais e Associadas Ganhos (Perdas) em Outros Investimentos Resultados não Usuais ou não Frequentes Resultado Corrente Imposto Sobre Resultados Correntes Resultados Correntes após Imposto Resultados Extraordinários 3.904.801,05 € -1.816.701,54 € 2.088.099,51 € 119.647,62 € -23.729,19 € -368.929,92 € -885.390,71 € 929.697,31 € -10.943,63 € -525,00 € -2.701,14 € -279.814,41 € 635.713,13 € -160.809,68 € 474.903,45 € 20.379,97 €

2007
2.373.560,23 € -1.216.533,63 € 1.157.026,60 € 26.992,69 € -263.611,83 € -180.663,92 € -487.802,82 € 251.940,72 € -51.483,43 € 672,00 € -5.863,66 € 0€ 195.265,63 € -50.086,28 € 145.179,35 € 5.079,47 €

Resultado Líquido

495.283,42 €

150.258,82 €

24 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

2007/2008

Variabilidade dos Resultados operacionais

0,342380381

Podemos referir desde já que a empresa gerou receitas totais operacionais e de serviços recorde, 3.812.251.13€ e de 110.000.00€, respectivamente no exercício deste ultimo trimestre do ano de 2008, o que se traduziu num crescimento de aproximadamente 34% dos Resultados Operacionais relativamente ao exercício económico de 2007. O que consequentemente se traduziu num aumento dos Resultados Líquidos de 2007 para 2008, entre outros factores. A E-111 registou, em 2008, Resultados Antes de Impostos de 635.713.13€ e depois de impostos de 474.903,45€, demonstrando um crescimento em relação a 2007 muito apreciável de 106,01% e de 106,35% respectivamente. Na base desta evolução está a excelente performance operacional que a empresa apresentou, também, em 2008 e que se encontra reflectida na evolução do Cash Flow Operacional (EBITDA), o qual ascendeu a 1.027.357,96€, ou seja, 111,60% acima do valor apurado no período homólogo de 2007. A função fiscal caracteriza-se por uma estimativa de imposto a pagar de 160.809,68€, colocando os Resultados Líquidos nos 495.283,42€, superiores aos do ano anterior em 106,89%. Pese embora o menor crescimento económico do mercado nacional, a E111 tem vindo a registar melhorias nos seus resultados. Tal desempenho é o corolário da forte estratégia da empresa, a qual, centrada na inovação, marca e publicidade, tem permitido a esta estender o seu negócio. Aliada à procura de uma cada vez maior eficiência na gestão dos recursos. A nossa empresa achou por isso imprescindível fazer um breve comentário quanto à alteração dos valores dos rácios respeitantes à rendibilidade, pois estas alterações demonstram como a E-111 melhorou em vários níveis neste exercício económico.

25 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

Rendibilidade
2008 Rácios Margem de contribuição das vendas Rendibilidade operacional das vendas Rendibilidade líquida das vendas Rendibilidade do capital próprio Rendibilidade económica (ROI) Rendibilidade do activo Rendibilidade do activo (após impostos) % 0,547733987 0,243870951 0,129918886 0,485368911 0,319936758 0,314140556 0,235605417 2007 % 0,497954211 0,108428745 0,064667495 0,338360272 0,186252688 0,186335663 0,139751748

A
0,6 0,5 0,4 0,3 0,2 0,1 0 3 1 Margem Cont Vendas Rend.Op. Vendas Rend.Liq.Vendas RCP ROI RA RA (Após Impostos)

tabela

e

o o

gráfico comentário sua

apresentado realizado observação

comprovam

anteriormente, pois da podemos concluir que a empresa melhorou em todos os rácios calculados, melhorando

26 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

Recorrendo ao método multiplicativo complexo para o cálculo da rendibilidade dos capitais próprios, temos:

Método multiplicativo
Rotação do activo Inverso da autonomia %Margem Peso relativo dos custos fixos 1,319414781 2,900251978 0,534751831 0,445236113 1,755488037 3,044680841 0,487464605 0,217748425 0,999554697 0,775391216 1,289671562 0,567079989

Peso relativo dos result. Extraordinarios 1,018450984 Peso dos custos financeiros Peso "fiscal" 0,671397122 0,779098931 0,485368911

4 3 2 1 0

Através da análise da RCP pelo método
2008 2008 2007

multiplicativo,

podemos

concluir que o que mais influenciou o seu aumento foi a evolução positiva de cerca de 0.436% do rácio de rotação do activo.

RCP (método multiplicativo)
0,6 0,58 0,56 0,54 0,52 0,5 0,48 0,46 0 2 4 6

RCP (método multiplicativo)

O aumento da RCP em 2008 perante o seu valor em 2007, é bastante óbvio pela observação deste gráfico, pois o mesmo representa 27
E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

perfeitamente essa evolução.

Relatório de Gestão 2008

Podemos ainda, através do estudo da DR, fazer uma breve referência ao risco tanto operacional como financeiro da empresa, através do cálculo do GAO e GAF, respectivamente. 2008 Indicadores
Margem de segurança

2007 %
21,77% 49,80% 459,25% 129,02% 592,54%

%
44,52%

Coeficiente de absorção dos custos variáveis (α) 54,77% GAO GAF GAC 224,60% 146,24% 328,47%

592,54% 600,00% 400,00% 200,00% 0,00% 328,47% 224,60% 146,24% 129,02% 459,25%

2008

2007

GAO

GAF

GAC

No geral o risco da empresa diminuiu, pois a sua margem de segurança perante uma descida das vendas é maior, a sua evolução foi de mais do dobro tendo como comparação a margem no exercício económico anterior (2007) , o GAO (Variação de RO face as Vendas) diminui significativamente, o que significa que o seu risco operacional diminui. Quanto ao GAF (variação de RL face a RO), o mesmo não se pode dizer pois este aumentou, do que se pode concluir, em “grosso modo”, que o risco financeiro aumentou.

28 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

3.4.2 Breve Análise ao Balanço 3.4.2.1 Análise do equilíbrio financeiro da empresa e outros indicadores considerados pertinentes
Para facilitar a análise financeira da empresa, achamos por bem ajustar o Balanço dando maior foco às rubricas utilizadas directamente no cálculo de alguns indicadores financeiros. Encerramento (2008) Encerramento (2008) Activo
Activo fixo 576.763,24 € Passivo M/L Prazo 0€

Capital Próprio
1.020.426,75 €

Ciclico: 1.529.991,19 € Aciclico: 852.740,07 €

Activo circulante 2.382.731,26 €

Passivo Circulante 1.939.067,90 € Ciclico: 1.078.161,00 € Aciclico: 860906,95 €

2.959.494,70 €

2.959.494,70 €

Exercício de 2007 Activo
Activo fixo 681.980,99 € Passivo M/L Prazo 0,00 €

Capital Próprio
444.079,83 €

Ciclico: 242.409,76 € Aciclico: 427.689,23 €

Activo circulante 670.098,99 €

Ciclico: 99.189,04 €

Passivo Circulante 908.000,07 €

Aciclico: 808.811,02 € 1.352.079,98 € 1.352.079,89 € 29

E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

Da análise da estrutura da empresa salienta-se o facto de, em 2007, o activo fixo constituir cerca de 50% do activo total. E é de salientar também, a ausência de Passivo de Médio/Longo prazo em ambos os períodos em análise. 2008 Rubricas Capital Próprio Fornec. Mercadorias Fornec. Imobilizado Outros Credores Emp. Bancários Totais Valor (€) 1.020.426,75 878.474,62 519.640,02 32.717,97 0,00 2.451.259,36 % 41,63% 35,84% 21,20% 1,33% 0% 100,00%

Activo Circulante
2%

Rubricas
34% 61% 1% 2% existencias clientes c/c eoep outros devedores disponibilidades

€ 47.100,17 €

% 1,99%

Existências Clientes c/c EOEP Outros devedores Disponibilidades Totais

1.440.423,24 € 60,78% 42.467,78 € 39.599,96 € 800.175,47 € 1,79% 1,67% 33,77%

2.369.766,62 € 100,00%

O Activo Circulante ascendeu a 2.382.731,46€, e corresponde a aumento de 30% face ao ano anterior.
30 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

A rubrica de clientes é a que mais peso tem no activo circulante, cerca de 61%, o mesmo se verificava no período homólogo anterior. Seguem-se as disponibilidades com um peso de 34%, devido sobretudo ao investimento realizado pela E-111 em títulos negociáveis. Com vista a dar uma visão panorâmica da situação financeira da empresa, procedemos ao cálculo de alguns indicadores e rácios que achamos pertinentes, nomeadamente:

Análise de Liquidez
2008 Rácios Liquidez Geral Liquidez Reduzida Liquidez Imediata % 122,88% 120,45% 88,13% 2007 % 73,80% 73,80% 42,65%

200,00% 100,00% 0,00%

A empresa cumpre a regara de equilíbrio financeiro, pois LG e LR ≥1,no caso da LG significa que a

LG 2008 2007

LR

LI

empresa consegue pagar todo o seu passivo de curto prazo recorrendo ao activo de curto prazo e ainda lhe restam cerca de 23% como margem de segurança. A liquidez reduzida diz-nos a mesma coisa mas excluindo o valor das existências,

31 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

esta dá-nos também um peso relativo das mesmas no total do activo circulante. Como é possível verificar, em 2007, a empresa não tinha capacidade em satisfazer os seus compromissos no curto prazo. Pois, tanto a LG como a LR são inferiores a 100%, o que significa que não era possível solver os compromissos de curto prazo, recorrendo a activos de curto prazo. A liquidez imediata mede a proporção das disponibilidades da empresa perante todo o seu passivo de curto prazo. Este rácio assume um valor de 88%, o dobro do valor registado em 2007,o que significa que, actualmente, a empresa continuaria a não conseguir liquidar todo o passivo de curto prazo recorrendo apenas às suas disponibilidades. Análise dos Ciclos de Exploração 2008 Rácios
Prazo médio de pagamentos (PMP) Prazo médio de recebimentos (PMR) Rotação de stocks (RS) Rotação de crédito a clientes (RCC) Prazo de rotação de stocks (PRS) Rotação do Activo (RA) Rotação dos Activos Circulantes (RAC) Rotação das Necessidades Cíclicas (RNC) Rotação do Fundo de Maneio (RFM) Rotação das NFM (RNFM) Duração líquida do ciclo de exploração

2007 Dias
32 38 0 11 0 2 3 10 -10 16

Dias
189 161 36 3 10 1 2 3 9 9

(DLCE)

-18,01756171

6,335599245

32 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

RNFM RFM RNC RAC RA PRS RCC RS PMR PMP -50 0 50 100 150 200

Em praticamente todos os rácios o numerador é o VN da empresa, e se comparamos este com o Activo, por exemplo, significa que podemos vender o mesmo com menos activos. Excepto no que respeita à rotação dos stocks, em que o numerador é o CMVMC, mas o principio é o mesmo, quanto maior melhor. Quanto aos prazos médios: A E-111 tem um excelente prazo de pagamentos, significa que os nossos fornecedores nos dão um prazo bastante alargado para solver as nossas facturas. De 2007 para 2008 o prazo melhorou cerca de 144%, o que pode significar que os nossos administradores tiveram uma performance mais activa na negociação destes prazos perante os nossos fornecedores.

33 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

DLCE
10 0 -10 -20 1 2 3 4 DLCE

Médio / Longo Prazo

A DLCE apresenta uma melhoria neste último trimestre em relação ao exercício económico anterior, devido essencialmente à melhoria da gestão de fornecedores.

Logo consegue receber dos seus clientes antes de ter de pagar aos seus fornecedores. 2008 Rácios Solvabilidade Autonomia Financeira Estrutura de Endividamento Cobertura do Imobilizado % 52,62% 34,48% 100,00% 176,92% 2007 % 0,489074175 0,32844165 1 0,651161596

2

Solvabilidade Autonomia Financeira Estrutura de Endividamento Cobertura do Imobilizado

1 0

Analisando o rácio da solvabilidade, cerca de 52%, não podemos afirmar com certeza que, a longo prazo, que a empresa tenha capacidade para solver todos os seus compromissos. Podemos ainda verificar que a empresa tem uma autonomia financeira de 34% e uma estrutura de endividamento igual a 100%, pois a E-111 não tem qualquer passivo de m/l prazo.

34 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

3.4.2.2 Breve análise da tesouraria

Análise de Tesouraria 2008
Rubricas
Activo Circulante Passivo Circulante FM Necessidades Cíclicas Recursos Cíclicos NFM Tesouraria Liquida

2007

670098,99 908000,06 -237901,07 242409,76 99189,04 143220,72 -381121,79


2.382.731,46 1.939.067,95 443.663,51 1.529.991,19 1.078.161,00 451.830,19 -8.166,68

A E-111 desde 2007 melhorou bastante o seu FM, pois no período anterior em análise era de -237.901,07€, negativo não cumpria por isso a regra de equilíbrio mínimo financeiro, provavelmente porque investia em activo fixo com recurso a passivos de curto prazo. As NFM são muito elevadas, tanto num período como no outro, a empresa tem de melhorar a sua gestão das necessidades cíclicas. O facto de estas serem tão elevadas ocasiona a que a tesouraria líquida seja negativa.

3.4.3 Breve síntese da situação económica e financeira da empresa
Em síntese, a empresa apresenta uma excelente evolução de 2007 para 2008, apesar de não ter sido suficiente para esta atingir o equilíbrio de tesouraria mínimo exigível (TL≥0). A empresa deve, para solucionar esta situação no curto prazo, tentar junto de uma entidade bancária, acordar a utilização de uma conta caucionada.
35 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

Em termos de liquidez a empresa conta com uma margem de cerca de 20%, o que se revela uma boa situação caso tenha de solver todo o seu passivo de curto prazo. No que diz respeito à situação financeira no médio/longo prazo a E-111 não se encontra numa boa face em termos de solvabilidade, pois o seu passivo total é superior ao capital próprio. Uma das metas que a empresa se propõe cumprir é melhorar esta situação, e para isso uma das soluções propostas é um aumento de capital. Quanto ao risco, esta apresenta rácios inferiores aos de 2007 o que demonstra que a empresa apresenta menor risco, tanto financeiro como económico.

4. Factos relevantes ocorridos após o termo do exercício
Após o termo do exercício e até à presente data, não ocorreu qualquer facto relevante para as actividades da empresa.

5. Evolução previsível da sociedade
A empresa deverá esforçar-se para manter o contrato com o cliente F23, visto que este representa a maioria das vendas. Deverá ainda realizar pesquisas, de forma a alargar a nossa quota de mercado, pois a Alemanha apresenta boas condições para o lançamento dos nossos produtos. Em consequência do fraco volume de vendas no mercado nacional, consideramos necessário reestruturar as estratégias adoptadas, com vista a alargar o nosso leque de clientes. Para isso iremos proceder à realização de inquéritos, sondagens e outros meios de pesquisa. Neste trimestre efectuámos duas compras no mercado dos EUA. Apesar dos preços praticados serem aliciantes, estes não compensam todas as despesas relacionadas com o transporte das mercadorias. Sendo assim, devemos

36 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

procurar outros fornecedores, de modo a diminuir os custos relacionados com as compras. Se os prazos de recebimento dos clientes forem mantidos, a empresa (a médio prazo) irá ter fundos suficientes para pagar aos seus fornecedores, sem ter necessidade de recorrer a capitais alheios. Pensamos que a implementação desta medida resultará num crescimento sustentado da tesouraria. Apesar dos resultados relativos aos investimentos financeiros feitos, não terem sido tão rentáveis como era esperado, iremos manter estes investimentos, na expectativa de, no futuro, obtermos proveitos financeiros, de forma a aumentar o Capital Próprio.

6. Proposta de aplicação de Resultados
Em virtude do corrente ano não ter sido muito favorável no que respeita ao equilíbrio financeiro de médio/longo, os sócios gerentes optam por não distribuir resultados de forma a sustentar o crescimento da empresa, aumentando o seu capital próprio e consequente aumento da sua autonomia financeira.

PROPOSTA DE DISTRIBUÇÃO DE RESULTADOS Reserva Legal 24.764,17€ Reservas Livres 470.519,25 €

7. Agradecimentos às Entidades desenvolvimento da actividade

importantes

para

o

Antes de terminar, não queremos deixar de expressar os mais sinceros agradecimentos: Aos nossos clientes, que nos estimulam com as suas críticas e sugestões e cujas expectativas procuramos sempre cumprir e ultrapassar. Aos nossos colaboradores, cujo esforço e dedicação tornaram possível o desenvolvimento de uma das mais dinâmicas empresas portuguesas, de

37 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

dimensão e rentabilidade consideráveis, capaz de oferecer um nível de qualidade de serviço de excelência. Aos nossos distribuidores e fornecedores, que têm conseguido responder eficazmente às nossas necessidades, assumindo-se como parceiros fundamentais no nosso projecto. Aos nossos sócios-gerentes, que continuamente nos prestam o seu apoio e cooperação e cuja confiança acreditamos que continuaremos a merecer. Às entidades públicas e governamentais, que procuram entender os nossos problemas e expectativas, dialogando com a nossa empresa. Por último, mas não menos importante, uma palavra especial de agradecimento à professora Vera Pinto e monitora Helena Pereira, bem como a todos os outros colaboradores da área de PSE.

38 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

Nota final
Nada do que foi referido seria possível sem o empenho, profissionalismo e competência de todos quantos trabalham na E-111. Tudo queremos fazer para que tal seja uma realidade, seleccionando os melhores, proporcionando um contexto de aprendizagem e formação contínuas e criando incentivos motivadores e competitivos. As nossas políticas de responsabilidade social, de sustentabilidade, de segurança, saúde e ambiente e o fortalecimento da marca da nossa empresa constituem pilares fundamentais sobre os quais queremos construir a nossa ambição.

39 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Documentos de Prestaçãodede Contas Relatório Gestão 2008

E111

40 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

Anexo ao Balanço e às Demonstrações de Resultados

Nota 1. Disposições do POC que em casos excepcionais foram derrogados e respectivos efeitos nas demonstrações financeiras Não aplicável. Nota 2. Indicação das contas de Balanço e da Demonstração de Resultados cujos conteúdos não sejam comparáveis com os do exercício anterior Apesar de no decorrer do exercício não se ter verificado qualquer alteração das políticas e critérios que levasse a que os saldos de algumas contas não fossem comparáveis. Os valores das demonstrações financeiras são de difícil comparação com os do exercício anterior devido a o período de laboração em 2008 ter sido apenas de 1 trimestres. Nota 3. Critérios valorimétricos adoptados As demonstrações financeiras em 30 de Novembro de 2008 foram preparadas no pressuposto da continuidade das operações a partir dos registos contabilísticos da Empresa, mantidos de acordo com os princípios contabilísticos geralmente aceites em Portugal. Os critérios de valorimetria utilizados para a elaboração das demonstrações financeiras no exercício de 2008 foram os seguintes: a) Imobilizações Incorpóreas As imobilizações incorpóreas são constituídas por despesas de instalação e pela marca da empresa. Para a sua mensuração no balanço é utilizado o método do custo de aquisição. Estes activos são amortizados utilizando o método das quotas constantes. Amortizações estas feitas por duodécimos, a partir do mês em que os correspondentes activos foram incorporados nas contas da empresa.

41 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

b) Imobilizações Corpóreas As imobilizações corpóreas encontram-se registadas ao custo de aquisição. As amortizações são calculadas pelo método das quotas constantes e de acordo com as taxas máximas fiscalmente aceites. As amortizações são efectuadas por duodécimos a partir da data de entrada em funcionamento dos activos e de acordo com as vidas úteis estimadas.

Vida Útil Designação (Anos) Edifícios e Outras Construções Edifício Comercial Equipamento de Transporte Viatura Ligeira de Mercadorias 45-DC-65 Viatura Ligeira de Passageiros 25-66-ZB Equipamento Administrativo Equipamento de Vídeo Vigilância Kit de 10 Extintores de Incêndio 10 4 2 4 50

Taxa (%)

Valor de (€)

Amortização Mensal (€)

Estimada Amortização Aquisição

2,00

375 000,00

625,00

25,00 50,00 10,00

24.793,39 15 500,00

6.198,35 322,92

15 000,00 25,00 7 500,00

150,00 156,25

c) Locação Financeira Os activos imobilizados adquiridos mediante contratos de locação financeira bem como as correspondentes responsabilidades, são contabilizados pelo
42 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

método financeiro, reconhecendo o custo do activo e amortizações acumuladas no imobilizado corpóreo e as correspondentes responsabilidades no passivo. Adicionalmente, os juros incluídos no valor das rendas e a amortização do activo, são reconhecidos como custos na demonstração de resultados do exercício a que respeitam. d) Existências As existências de mercadorias são registadas ao custo de aquisição. Sendo utilizado o critério valorimétrico do custo médio ponderado para o cálculo de todas as saídas de armazém.

e) Acréscimos e Diferimentos A Empresa regista as suas receitas e despesas de acordo com o princípio do acréscimo, pois visa dar satisfação ao pressuposto subjacente à elaboração das demonstrações financeiras designado por regime do acréscimo contemplado na estrutura conceptual das normas internacionais de contabilidade, traduzido no normativo nacional (POC) pelo princípio contabilístico da especialização (ou do acréscimo). De acordo com estes normativos, considera-se que os efeitos das transacções e de outros acontecimentos devem ser reconhecidos (contabilizados) quando eles ocorrem e não apenas quando o dinheiro ou o seu equivalente seja recebido ou pago.

f) Saldos e transacções expressos em moeda estrangeira Todos os activos e passivos expressos em moeda estrangeira foram convertidos para Euros utilizando-se as taxas de câmbio vigentes na data de referência das demonstrações financeiras.

43 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

As diferenças de câmbio, favoráveis e desfavoráveis, originadas pelas diferenças entre as taxas de câmbio em vigor na data das transacções e as vigentes na data do balanço, foram registadas como proveitos e custos na demonstração dos resultados do exercício. e) Provisão para dívidas de cobrança duvidosa A provisão para dívidas de cobrança duvidosa é calculada com base na estimativa de perdas pela não cobrança de contas a receber. f) Imposto sobre o rendimento O imposto sobre o rendimento foi apurado de acordo com o preconizado pela legislação legal específica. g) Reconhecimento de proveitos operacionais A Empresa classifica as suas fontes de proveitos nas demonstrações financeiras como se segue:  Prestação de serviços: Proveitos provenientes da prestação de serviços de reparação.  Vendas de mercadorias e produtos: Proveitos provenientes da venda dos produtos comercializados pela empresa. A Empresa reconhece proveitos a partir das seguintes fontes:  No âmbito de contratos com os clientes para a compra de mercadorias e prestação de serviços de reparação, estes são facturados com base no valor do contrato assinado pelas duas partes, podendo existir uma variação de 10%.  No âmbito dos fornecimentos de mercadorias e prestações de serviços com clientes em que não tenha sido formalizado qualquer tipo de contrato, a empresa reconhece o proveito com base na indicação expressa feita por este, quer oral, quer formalizada com documento para efeito, da data da transferência efectiva da responsabilidade perante a dívida.

h) Reconhecimento de custos operacionais As principais naturezas dos custos operacionais incorridos são custos de
44 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

fornecimento de serviços externos, impostos não dedutíveis, custos com pessoal, outros custos operacionais relacionados com situações de ordem diversa, amortizações e provisões do exercício. A Empresa reconhece os custos a partir das seguintes fontes:  Relativamente aos custos de FSE, estes são reconhecidos com base nos contratos de fornecimento assinados.  Os impostos não dedutíveis, são reconhecidos com base nas disposições legais inscritas na regulamentação específica a cada um dos tipos de impostos em causa.  Os custos com pessoal, relativos à sua remuneração, são reconhecidos com base nos contratos de trabalho, e tendo em consideração as disposições legais nesta área, quer ao nível dos descontos efectuados pelos titulares de tais remunerações, quer pelos encargos legalmente impostos à empresa.  Os outros custos operacionais são reconhecidos através do documento que os originam, ou na falta destes serão reconhecidos em rubrica própria nesta área de custo (despesas confidenciais), sem que exista conflito no cumprimento do princípio da especialização.  As amortizações e provisões do exercício, são reconhecidas com base nos valores obtidos nos critérios anteriormente definidos, para estas áreas.

Nota 4. Cotações Valor de Moeda Dólar (USD) Libra (GBP) Compra 1,289690 0,873120 Valor de Venda 1,239110 0,838880

45 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

5. Medida em que o resultado do exercício foi afectado, com vista a obter vantagens fiscais Não aplicável. 6. Impostos De acordo com a legislação em vigor, as declarações fiscais estão sujeitas a revisão e correcção por parte das autoridades fiscais durante um período de quatro anos. Deste modo, as declarações fiscais da Empresa poderão vir ainda a ser sujeitas a revisão. A Administração da Empresa entende que as eventuais correcções resultantes de revisões/inspecções por parte das autoridades fiscais à declaração de impostos não terão um efeito significativo nas demonstrações financeiras anexas. 7. Número médio de pessoas ao serviço na Empresa, no exercício, repartido por empregados e assalariados. No exercício de 2008 a empresa teve ao seu serviço 34 empregados inicialmente, já que no decorrer mês de Novembro a E-111 procedeu ao despedimento de 2 trabalhadores. 8. Comentário às contas 431 - “Despesas de Instalação” e 432 - “Despesas de Investigação e Desenvolvimento” Estão agregados à conta 431 - “Despesas de Instalação” os custos de constituição e as despesas de instalação. Na conta 432 – “Despesas de Investigação e Desenvolvimento” a empresa não tem qualquer valor registado. 9. Justificação da amortização dos «Trespasses» para além do período de cinco anos Não aplicável. O trespasse que a empresa detinha foi alienado. 10. Movimentos ocorridos nas rubricas do activo imobilizado e das respectivas amortizações e provisões

46 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

Durante o exercício findo em 30 de Novembro de 2008 o movimento ocorrido no valor das imobilizações incorpóreas e corpóreas, bem como nas respectivas amortizações acumuladas, foi o seguinte: ACTIVO BRUTO Saldo Rubricas IMOBILIZAÇÕES INCORPÓREAS: Despesas de Instalação Propriedade Industrial IMOBILIZAÇÕES CORPÓREAS: Terrenos e Recursos Naturais Edifícios e Outras Construções Equipamento Básico Equipamento de Transporte Equipamento Administrativo Outras Imobilizações Corpóreas INVESTIMENTOS FINANCEIROS: Terrenos e recursos naturais Partes de Capital de Empresas Associadas Títulos e Outras Aplicações Financeiras Totais 0,00 50.000,00 2.066,36 300.920,53 47.933,64 524.423,89 601.840,33 222.504,09 0,00 90.000,00 10.000,00 80.000,00 15.500,00 46.500,00 24.793,39 36.659,00 20.000,00 40.293,39 63.159,00 165.000,00 375.000,00 115.000,00 153.854,17 50.000,00 221.145,83 840,33 0,00 21.051,70 840,33 21.051,70 Inicial Aumentos Alienações e Regularizações Saldo Final

47 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

AMORTIZAÇÕES E AJUSTAMENTOS Saldo Rubricas IMOBILIZAÇÕES INCORPÓREAS: Despesas de Instalação Propriedade Industrial e Outros Direitos 0,00 584,71 584,71 840,33 0,00 Inicial (€) Reforço (€) Regularizações (€) Saldo Final (€)

IMOBILIZAÇÕES CORPÓREAS: Terrenos e Recursos Naturais Edifícios e Outras Construções Equipamento Básico Equipamento de Transporte Equipamento Administrativo Outras Imobilizações Corpóreas Totais 22.770,30 3.744,52 0,00 25.674,49 6.974,83 7.871,81 1.162,36 1.372,45 8.137,19 9.244,26 7.083,33 625,00 7.708,33

De seguida apresenta-se a lista de bens de imobilizado abatidos/alienados no exercício de 2008. Data aquisição 13-10-2005 Valor aquisição 31.842,36 € Valor Líquido 13.267,65 € Valor da Venda € +/Valias € Viatura ligeira 20-11-2006 60.500,00 € 40.333,33 € 249,40 € 40.083,93 €

Imobilizado Viatura ligeira 00-01AA

17.000,00 3.732,35

48 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

Viatura ligeira mercadorias 45-DC-65

24-10-2007 17.644,63 € 15.806,64 € 74,82 € 15.731,82 € 12-11-2007 50.666,00 € 49.082,69 € 48.000,00 -1.082,69 € €

Maquinaria Equipamento Video Vigilância Escritório (Sala B)

28-11-2007

20.000,00 €

17.999,97 €

20.499,97 2.500,00 € €

30-01-2008

60.000,00 €

59.800,00 €

62.000,00 2.200,00 € 8.500,00 € € -944,50 €

Marca Registada

30-01-2008

10.000,00 €

555,50 €

Trespasse 10 Extintores de Incêndio

30-01-2008

32.750,00 €

31.658,34 €

40.000,00 8.341,66 € €

39.483,00 €

7.500,00 €

7.343,75 €

5.000,00 -2.343,75 € €

11. Custos incorridos no exercício respeitantes a empréstimos obtidos para financiar imobilizações, durante a construção, que tenham sido capitalizados nesse período. Não aplicável. 12. Indicação dos diplomas legais em que se baseou a reavaliação de imobilizações corpóreas ou de investimentos financeiros Não aplicável. 13. Elaboração de um quadro discriminativo das reavaliações Não aplicável.

49 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

14. Caracterização das imobilizações corpóreas e em curso

a) No que respeita à sua localização e afectação: Valor global líquido (€) Imobilizações afectas à actividade da empresa Total 665.344,42 665.344,42

b) No que se refere aos custos financeiros capitalizados: Não houve. 15. Indicação dos bens utilizados em regime de locação financeira com menção dos respectivos valores contabilísticos Todos os bens adquiridos em regime de locação financeira estão contabilizados de acordo com o regime do P.O.C. (D.L. 410/89 de 21 de Novembro e Directriz Contabilística nº 10/92). Valor de Bem Locado Viatura Ligeira de Mercadorias 45DC-65 24.793,39 1.033,06 23.760,33 Aquisição (€) Valor Amortizado (€) Valor Líquido (€)

A empresa possui um elemento de Imobilizado Corpóreo, em regime de locação financeira. Esse bem respeita a uma viatura ligeira, registada pelo valor de 60.500,00 € (preço de aquisição acrescido de 21% de IVA, visto este não ser dedutível).

50 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

16. Firma e sede das empresas do grupo e das empresas associadas, com indicação da fracção de capital detida, bem como dos capitais próprios e do resultado do último exercício em cada uma dessas empresas, com menção desse exercício Não aplicável. 17. Títulos negociáveis A E-111 investiu num fundo de tesouraria - BPI liquidez a curto prazo, o qual foi contabilizado na conta 15813 pelo valor de € 250.000,00. O seu valor actual é de € 249.365,22, visto ter havido uma desvalorização das unidades de participação do fundo. 18. Discriminação da conta 4154 «Fundos» Esta conta apresenta um saldo de € 47.933,64, decorrente de uma aplicação a médio/longo prazo no fundo de poupança “Obrigações Mais” da CGD, na qual foi aplicado € 50.000,00. O valor actual da conta deve-se ao facto de o fundo ter sofrido uma desvalorização. 19. Indicação global, por categorias de bens, das diferenças, materialmente relevantes, entre os custos de elementos do activo circulante, calculados de acordo com os critérios valorimétricos adaptados, e as quantias correspondentes aos respectivos preços de mercado Não aplicável. 20. Fundamentação das circunstâncias especiais que justificaram a atribuição a elementos do activo circulante de um valor inferior ao mais baixo do custo ou do mercado Não aplicável.

51 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

21. Movimentos ocorridos nas rubricas do activo circulante No exercício findo em Novembro de 2008 os movimentos ocorridos nas rubricas do activo circulante, estão representadas no seguinte quadro: ACTIVO CIRCULANTE Saldo Inicial Rubricas Existências: Mercadorias Dívidas de Terceiros: Clientes c/c Clientes de cobrança duvidosa Títulos Negociáveis Obrigações e títulos de participação em empresas associadas Totais 0,00 647.102,27 250.000,00 634,78 249.365,22 3.844.645,77 2.754.904,41 1.736.888,63 631.579,48 1.520.480,83 711.637,07 711.637,07 711.637,07 1.440.423,24 0,00 15.522,79 1.362.572,87 1.330.995,49 47.100,17 (€) Aumento (€) Redução (€) Saldo Final (€)

22. Valores globais das existências fora da empresa Não aplicável. 23. Valor global das dívidas de cobrança duvidosa A conta de clientes de cobrança duvidosa encontra-se com um saldo devedor de € 711.637,07. A empresa decidiu transferir a divida do cliente F-27, pois a sua cobrança apresentava-se duvidosa. No entanto é importante referir que foi constituído um ajustamento para este valor, tendo em conta o princípio da prudência.

52 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

24. Indicação dos adiantamentos ou empréstimos concedidos aos membros dos órgãos de administração, e de fiscalização da empresa Não aplicável. 25. Valor global de dívidas activas e passivas respeitantes ao pessoal da Empresa A conta 26.2.8 “Outras operações com os órgãos sociais” apresenta €4.643,18 a crédito, de igual modo a conta 26.2.9 “Outras operações como pessoal” apresenta um saldo credor de €347,20. 26. Valor das dívidas tituladas, não evidenciadas no balanço Não aplicável. 27. Quantidade e valor nominal de títulos emitidos pela empresa Não aplicável. 28. Descriminação das dívidas incluídas na conta “Estado e Outros Entes Públicos” em situação de mora Não existem dívidas em situação de mora nem ao Estado nem à Segurança Social nem a outros Entes Públicos. Os únicos saldos presentes nesta conta estão de acordo com a tempestividade da obrigação de os liquidar. Logo não se consideram em mora. 29. Valor das dívidas a terceiros a mais de cinco anos Não existem dívidas a terceiros a médio/longo prazo 30. Valor das dívidas a terceiros cobertas por garantias reais prestadas pela empresa Não aplicável.

53 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

31. Valor global dos compromissos financeiros que não figuram no balanço A empresa possui um contrato de locação operacional relativamente ao arrendamento do edifício que serve de sua sede. Este contrato não figura no balanço, no entanto representa um compromisso, uma vez que a empresa tem um encargo mensal de 3.381,70 €. 32. Responsabilidades da Empresa por Garantias Prestadas A empresa tem garantias prestadas a um dos seus clientes. Este valor é de € 52.870,20, encontra-se contabilizado na conta 295 e advém da reabertura de contas. O relatório circunstanciado referia que a E-111 não teria de prestar garantias a clientes, no entanto por lapso da administração este valor não foi regularizado. 33. Diferenças entre as importâncias das dívidas a pagar e as correspondentes quantias arrecadadas Não aplicável. 34. Desdobramento das contas de provisões acumuladas e explicitação dos movimentos ocorridos no exercício, de acordo com o quadro Contas 298 – Provisão de reflorestação 295 - Provisões para garantias a clientes Totais 52.870,20 52.870,20 150.000,00 Saldo Inicial Aumento Redução Saldo Final 150.000,00 150.000,00 52.870,20 202.870,20

35. Forma como se realizou o capital social e seus aumentos ou reduções O valor do capital social é € 180.000,00, e encontra-se subscrito e realizado na sua totalidade.

54 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

36. Número de acções de cada categoria em que se divide o capital da empresa e seu valor nominal Não aplicável. 37. Participação no capital subscrito de cada uma das pessoas colectivas que nele detenham pelo menos 20% Não aplicável. 38. Número e valor nominal das acções e quotas subscritas no capital, durante o exercício, dentro dos limites do capital autorizado Não aplicável. 39. Indicação das variações das reservas de reavaliação ocorridas no exercício Não aplicável. 40. Explicitação e justificação dos movimentos ocorridos no exercício em cada uma das rubricas de capitais próprios, constantes do balanço, para além das referidas anteriormente Saldo Inicial Contas 51 – Capital 54 - Prémios de Emissão de Acções (Quotas) 571 - Reservas Legais 574 – Reservas Livres 59 - Resultados Transitados Resultado do Exercício Totais 60.000,00 38.000,00 173.821,01 134.658,82 0,00 406.479,83 160.809,68 220.809,68 60.000,00 61.336,50 656.093,10 777.429,60 60.000,00 120.000,00 38.000,00 113.821,01 73.322,32 495.283,42 1.020.426,75 (€) 180.000,00 Aumento (€) Diminuição Saldo Final (€) (€) 180 000,00

55 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

41. Demonstração do custo das mercadorias vendidas Movimentos Existências Iniciais Compras Regularização de existências Existências finais Custo do exercício -15.522,71 47.100,17 1.816.701,54 Mercadorias 15.522,79€ 1.863.801,71€

42. Demonstração da variação da produção Não aplicável. 43. Indicação global para cada um dos órgãos, das remunerações atribuídas aos membros dos órgãos sociais que estejam relacionadas com o exercício das respectivas funções Não aplicável. 44. Repartição do valor líquido das vendas e das prestações de serviços apurados nas contas 71 ”Vendas” e 72 “Prestações de Serviços” por actividades e por mercados VENDAS (€) Mercado Nacional Mercado Externo Total de Vendas PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS (€) Mercado Nacional Total de Prestações de Serviço Total de Vendas e Prestações de Serviços 69.000,00 69.000,00 3.321.891,26
56 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

1.370.247,21 1.882.644,05 3.252.891,26

Relatório de Gestão 2008

45. Demonstração dos resultados financeiros: Os resultados financeiros têm a seguinte composição: 2008 Valores Custos e Perdas 681 – Juros suportados 682 – Perdas em Empresas do Grupo e Associadas 684 – Ajustamentos de Aplicações Financeiras 685 – Diferenças de câmbios desfavoráveis 686 – Descontos de pronto pagamento concedidos 687 – Perdas na alienação de Aplicações 688 – Outros Custos e Perdas Financeiras Subtotal Proveitos e Ganhos 781 – Juros obtidos 782 – Ganhos em empresas do grupo e associadas 783 – Rendimentos de Imóveis 785 – Diferenças de câmbios favoráveis 787 – Ganhos na Alienação de Aplicações Subtotal Resultado Financeiro 24.003,82 23.914,85 10.447,67 570,00 5.000,00 7.986,15 450,00 672,00 343,83 340,20 103,00 1.909,03 59.858,88 394,00 47.918,67 em € 4.092,99 75,00 5.167,66 32.189,02 6.000,00 2.547,84 831,29 5.000,00 165,00 1.035,84 61.767,91 2007 Valores em € 52.187,94

57 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

46. Demonstração dos resultados extraordinários: Os resultados extraordinários têm a seguinte composição: 2008 Custos e Perdas 691 – Donativos 692 - Dívidas incobráveis 693 - Perdas em existências 694 - Perdas em imobilizações 695 - Multas e penalidades 696 - Aumentos de amortizações e de provisões 697 - Correcções relativas a exercícios anteriores 698 - Outros custos e perdas extraordinários Subtotal Proveitos e Ganhos 793 - Ganhos em existências 794 - Ganhos em imobilizações 796 - Reduções de amortizações e provisões 797 - Correcções relativas a exercícios anteriores 798 - Outros proveitos e ganhos extraordinários Subtotal Resultado Extraordinário 4.524,71 56.617,68 95.429,89 5 081,26 90.592,15 288.202,08 3.171,85 10.445,00 6.500,00 26.440,68 15.980,44 66 642,09 3.623,80 4 800,00 152.047,57 5 482,48 15 583,58 378.794,23 75.000,00 € 10.080,00 8.347,20 15.522,79 42.977,58 120,00 2007 € 10.000,00 276.060,47 66.642,09 4.935,61 90,00

Valores em Valores em

58 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

47. Informações exigidas por diplomas legais Não aplicável. 48. Outras informações consideradas relevantes para melhor compreensão da posição financeira e dos resultados a) Aquisição de imobilizados a prestações A E-111 adquiriu dois bens de imobilizado a prestações, um servidor e um sistema especial de vídeo vigilância. O contrato realizado no caso de servidor contempla que este devera ser pago no decorrer de 2 anos mediante uma entrada inicial. No caso do sistema de vídeo vigilância, o contrato terá termo ao final de 8 prestações trimestrais. b) Imparidades No decorrer do mês de Novembro os nossos imobilizados foram sujeitos a avaliações, nas quais foram detectados alguns imobilizados em imparidade. Nomeadamente, o terreno e o edifício comercial, com uma imparidade de € 10.000,00 e €100.000,00, respectivamente. Ambas as imparidades foram contabilizadas de acordo com o referido no POC (D69 a C48). c) Transferência de imobilizado Deixou de ser intenção da empresa deter o terreno de 3.000m2 para construção, sendo agora o seu objectivo deter este imóvel para valorização do capital e venda a médio e longo prazo. Logo, o valor deste presente na conta 421 foi posteriormente transferido para uma conta de investimentos financeiros – 414. d) Arrendamento de edifício A E-111 decidiu arrendar 50% do seu edifício comercial ao F-21 , com vista a aumentar o seu leque de receitas.
59 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

e) Regularizações de capital próprio No decorrer do último trimestre foram detectados alguns erros nas rubricas de capital próprio, relativamente: - à conta 553, pois como à data não existia qualquer valor na conta 41, pressupomos que a participação que a nossa empresa detinha já havia sido alienada. Logo, procedemos à anulação da referida conta por contrapartida da conta 697; - à conta 54 que foi utilizada por lapso do antigo TOC, já que o valor que está apresenta é referente a Reservas Livres. Por isso, efectuamos a transferência do valor para uma a conta 574. f) Recuperação de área circundante - reflorestação Devido ao incêndio ocorrido em Agosto passado, a empresa tem a obrigação presente de ordem legal de proceder à reflorestação da área circundante danificada. A reflorestação devera estar concluída dentro de 3 anos e estimam-se custos de € 150.000,00. Com o valor estimados de custos a empresa constituiu uma provisão por contrapartida da conta 278. É ainda provável mas não virtualmente certo que, ainda em 2008, a empresa venha a receber 40% do valor da empresa F-09. Como este activo não é virtualmente certo o mesmo é considerado uma activo contingente, por isso, este activo não deve ser alvo de qualquer reconhecimento contabilístico. g) Donativo A E-111, findo o mês de Outubro, realizou um donativo para a UNICEF no valor de €6.000,00. Para além da causa humanitária, este donativo também nos trará benefícios fiscais.

60 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

h) Despedimentos A empresa teve de proceder ao despedimento de 2 trabalhadores, no caso do 1º trabalhador como não existiu acordo mútuo, surgiu a possibilidade de a empresa vir a pagar uma indemnização. Esta possível indemnização, no montante de € 10.000,00, foi considerada como um passivo contingente. No caso de 2º trabalhador, o despedimento deste deveu-se ao seu comportamento negligente, e é provável que a empresa tenha de vir a pagar uma indemnização no montante de € 7.500,00. Devido a probabilidade de esta indemnização ter de vir a ser paga, a empresa constitui uma provisão (conta 293 por contrapartida da 673).

61 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008

62 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda. Av. Pêro Vaz de Camões, n.º 111, Lisboa 1000-000 Lisboa

Exmo. Senhor, Liliana Rute T. Rosa Rua dos Cavalos Amarelos, n.º 32 2100-300 Lisboa

Lisboa, 2 de Março de 2009

CONVOCATÓRIA
Nos termos do n.º 3 do artigo 248º e do artigo 377º do Código das Sociedades Comerciais, convocam-se todos os sócios para a Assembleia Geral Ordinária da empresa E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda., Av. Pêro Vaz de Camões, n.º 111, 1000 Lisboa, com o NIF 501000111 e com o n.º de Registo Comercial 111 111, com o Capital Social de € 180.000,00. A Assembleia Geral decorrerá no local e hora a seguir indicados: Local: Av. Pêro Vaz de Camões, n.º111, 1000-000 Lisboa Dia: 23 de Março de 2009, às 10 horas.

Ordem de trabalhos prevista: 1. Discussão e votação do Relatório de Gestão e das contas do exercício económico de 2008; 2. Discussão e votação da proposta para a aplicação dos resultados do exercício económico de 2008; 3. Outros assuntos de interesse da empresa. Com os cumprimentos de,

Gerente:

63 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda. Av. Pêro Vaz de Camões, n.º 111, Lisboa 1000-000 Lisboa

Exmo. Senhor, Sónia Almeida Rua do Judeu, n.º 25 4230-875 Amadora

Lisboa, 2 de Março de 2009

CONVOCATÓRIA

Nos termos do n.º 3 do artigo 248º e do artigo 377º do Código das Sociedades Comerciais, convocam-se todos os sócios para a Assembleia Geral Ordinária da empresa E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda., Av. Pêro Vaz de Camões, n.º 111, 1000 Lisboa, com o NIF 501000111 e com o n.º de Registo Comercial 111 111, com o Capital Social de € 180.000,00.

A Assembleia Geral decorrerá no local e hora a seguir indicados: Local: Av. Pêro Vaz de Camões, n.º111, 1000-000 Lisboa Dia: 23 de Março de 2009, às 10 horas. Ordem de trabalhos prevista: 1. Discussão e votação do Relatório de Gestão e das contas do exercício económico de 2008; 2. Discussão e votação da proposta para a aplicação dos resultados do exercício económico de 2008; 3. Outros assuntos de interesse da empresa. Com os cumprimentos de,

Gerente:

64 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda. Av. Pêro Vaz de Camões, n.º 111, Lisboa 1000-000 Lisboa

Exmo. Senhor, Miguel A. Justino Gonçalves Rua do Farol, n.º 24 7540-068 Sintra

Lisboa, 2 de Março de 2009

CONVOCATÓRIA
Nos termos do n.º 3 do artigo 248º e do artigo 377º do Código das Sociedades Comerciais, convocam-se todos os sócios para a Assembleia Geral Ordinária da empresa E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda., Av. Pêro Vaz de Camões, n.º 111, 1000 Lisboa, com o NIF 501000111 e com o n.º de Registo Comercial 111 111, com o Capital Social de € 180.000,00.

A Assembleia Geral decorrerá no local e hora a seguir indicados: Local: Av. Pêro Vaz de Camões, n.º111, 1000-000 Lisboa Dia: 23 de Março de 2009, às 10 horas.

Ordem de trabalhos prevista: 1. Discussão e votação do Relatório de Gestão e das contas do exercício económico de 2008; 2. Discussão e votação da proposta para a aplicação dos resultados do exercício económico de 2008; 3. Outros assuntos de interesse da empresa. Com os cumprimentos de,

Gerente:

65 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda. Av. Pêro Vaz de Camões, n.º 111, Lisboa 1000-000 Lisboa

Exmo. Senhor, Rui Filipe Cresovell Vicente Rua da Roda, n.º 2 9240-900 Lisboa

Lisboa, 2 de Março de 2009

CONVOCATÓRIA
Nos termos do n.º 3 do artigo 248º e do artigo 377º do Código das Sociedades Comerciais, convocam-se todos os sócios para a Assembleia Geral Ordinária da empresa E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda., Av. Pêro Vaz de Camões, n.º 111, 1000 Lisboa, com o NIF 501000111 e com o n.º de Registo Comercial 111 111, com o Capital Social de € 180.000,00.

A Assembleia Geral decorrerá no local e hora a seguir indicados: Local: Av. Pêro Vaz de Camões, n.º111, 1000-000 Lisboa Dia: 23 de Março de 2009, às 10 horas.

Ordem de trabalhos prevista: 1. Discussão e votação do Relatório de Gestão e das contas do exercício económico de 2008; 2. Discussão e votação da proposta para a aplicação dos resultados do exercício económico de 2008; 3. Outros assuntos de interesse da empresa. Com os cumprimentos de,

Gerente:

66 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.

Relatório de Gestão 2008 -----------------------------------------------ACTA NÚMERO DOIS-----------------------------------------Ao vigésimo terceiro dia do mês de Março do ano dois mil e nove, pelas dez horas, na Avenida Pêro Vaz de Camões, n.º 111, reuniram na sede social da Empresa E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda. , registada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa, sob o n.º 111 111, pessoal colectiva n.º 501000111, com capital social de cento e oitenta mil euros, os sócios: Liliana Rute T. Rosa, com uma quota de quarenta e cinco mil euros; Miguel Agostinho Justino Gonçalves, com uma quota de quarenta e cinco mil euros; Rui Filipe Cresovell Vicente, com uma quota de quarenta e cinco mil euros; e, Sónia Gomes Almeida, com uma quota de quarenta e cinco mil euros.-----------------------------------------------------------------------------------------A sessão foi presidida pelo sócio Liliana Rosa, que depois de verificar que se encontrava representada a totalidade do Capital Social da empresa, no montante de cento e oitenta mil euros, considerou cumpridas as condições para que a Assembleia pudesse validamente reunir e deliberar sobre todos os pontos da Ordem de Trabalhos constante da convocatória oportunamente enviada.--------------------------------------------------------------------------------------------Antes de se iniciar a Ordem de Trabalhos, procedeu-se à leitura da Acta da Reunião do dia cinco de Setembro de dois mil e oito, tendo esta sido votada e aprovada por todos os sóciosgerentes presentes.--------------------------------------------------------------------------------------------------Procedeu-se então à ordem do dia constante na convocatória, que foi a seguinte: 1. Discussão e votação do Relatório de Gestão e das contas do exercício económico de 2008; 2. Discussão e votação da proposta para a aplicação dos resultados do exercício económico de 2008; 3. Outros assuntos de interesse da empresa. Entrando no ponto um da Ordem de Trabalhos, o sócio Liliana Rosa fez uma descrição sumária das principais actividades desenvolvidas pela Empresa e dos resultados do exercício. Ninguém mais querendo usar da palavra, foram: o Relatório de Gestão e as contas do exercício, tendo sido aprovados por unanimidade.----------------------------------------------------------Passando ao ponto dois da Ordem de Trabalhos, o Presidente da Mesa submeteu á apreciação a proposta da Administração, para aplicação dos Resultados do exercício: Reservas legais 38.000,00 Euros Reservas livres 113.821,01 Euros Não haverá distribuição aos sócios Resultados transitados 73.322,32 Euros Como ninguém quis usar da palavra, foi a proposta submetida à votação e aprovada por unanimidade.----------------------------------------------------------------------------------------------------------Não havendo mais nada a tratar do constante no ponto três da convocatória, a sócio Liliana Rosa encerrou a sessão às doze horas, sendo elaborada a presente acta, que depois de lida e aprovada, é assinada pelos sócios presentes.------------------------------------------------------------------Assinatura dos sócios presentes na Assembleia

67 E111 – Comércio de Livros e Documentação, Lda.