Você está na página 1de 31

CONFORMAÇÃO PLÁSTICA

LAMINAÇÃO

1
DEFINIÇÃO
Processo de fabricação por conformação
plástica que consiste na passagem de um
corpo sólido entre dois cilindros, de modo que
sua espessura sofre diminuição, enquanto que
a largura e o comprimento do corpo sofrem
aumento proporcional.

2
CONCEITOS BÁSICOS
• Aplicado geralmente a metais
• Primeiro relato: século XIV (Leonardo da
Vinci)
• Laminação moderna: Inglaterra, 1783
• Potência elevada: rodas d’água, motores a
vapor, motores elétricos

3
CONCEITOS BÁSICOS

4
CONCEITOS BÁSICOS
• Movimentação da peça: Atrito
• Volume constante
• A quente e a frio
• Compressão direta
• Produtos planos e não-planos

5
CONCEITOS BÁSICOS

6
LAMINAÇÃO A QUENTE
• Lingotes fundidos
• Placas e tarugos
• Temperatura superior à temperatura de
recristalização do material
• Operações iniciais (Desbaste)
• Grandes deformações
• Grandes dimensões
• geometrias complexas
7
LAMINAÇÃO A QUENTE
• Recuperação da estrutura
• Ausência de encruamento
• Baixa precisão dimensional
• Baixo acabamento superficial
• Casca de óxidos (carepa)
• Produtos semi-acabados

8
LAMINAÇÃO A FRIO
• Matéria-prima: chapas e barras laminadas a
quente
• Aplicado a peças semi-acabadas
• Pequenas deformações
• Operações de acabamento
• Temperatura abaixo da temperatura de
recristalização do material

9
LAMINAÇÃO A FRIO
• Melhor acabamento superficial
• Superfícies regulares
• Melhor precisão dimensional e geométrica
• Encruamento
– Maior resistência mecânica
– Tratamentos térmicos intermediários

10
TERMINOLOGIA
• Bloco: Seção quadrada, 36 pol2 (≈23.225
mm2), produto de primeira redução
• Tarugo: Seção retangular, resultado de
passagem posterior
• Placa: Seção retangular, área maior do que
16 pol2, largura pelo menos 3 vezes maior
do que a espessura.

11
TERMINOLOGIA
• Chapa: Seção retangular, espessura maior
do que 1/4 de pol.
• Folha, chapa fina ou tira laminada:
Espessura menor do que 1/4 de pol. Tiras,
em geral, tem largura inferior a 24
polegadas

12
LAMINADORES

• Alta potência

• Arranjados em linha: trem de laminação

• Classificados em função do número e


arranjo dos cilindros

13
LAMINADORES
• Mais simples e comum
• Movimento em um
único sentido

14
LAMINADORES
• Mesma configuração
básica
• Movimento em dois
sentidos

15
LAMINADORES
• Cilindros superior e
inferior movidos por
motores
• Cilindro central
movido por atrito

16
LAMINADORES
• Diminuição do
diâmetro dos cilindros
condutores representa
diminuição substancial
da potência requerida
• Necessário cilindros
de encosto

17
LAMINADORES
• Cada um dos rolos de
trabalho é apoiado por
dois cilindros de
encosto

18
LAMINADORES
• Laminador
Mandrilador
• Tubos com
diâmetro
interno entre 57
e 426 mm, com
espessura entre
3 e 30 mm

19
Laminador de tubos com costura
Tubos com diâmetro interno entre 10 e 114 mm
e espessura de parede entre 2 e 5 mm

20
LAMINAÇÃO SEQUENCIAL DE PERFIS

21
CILINDROS DE LAMINAÇÃO
• Considerados os principais componentes de
um laminador
• Superfície cilíndrica ou ranhurada
• Laminação primária: resistência mecânica,
maiores diâmetros
• Laminação de acabamento: dureza
superficial, diâmetros menores
22
CILINDROS DE LAMINAÇÃO

• Materiais:
– Desbaste: aços carbono
e aços ligados
– Intermediária: Aços
ligados e ferro fundido
– Acabamento: ferros
fundidos

23
FORÇAS E RELAÇÕES GEOMÉTRICAS

24
FORÇAS E RELAÇÕES GEOMÉTRICAS
• Esforço preponderante: Compressão direta
• Arco de contato
• Ponto neutro (C): Pressão máxima, Atrito nulo
• Ângulo de laminação (α), ângulo de contato
ou ângulo de ataque
∀ α min: ângulo de mordida
• tg α ≤ µ
∀ µ variável. Para efeitos de cálculo:
– laminação a frio, com lubrificação:µ = 0,05 - 0,10
– laminação a quente: µ = 0,2 a grimpamento

25
FORÇAS E RELAÇÕES GEOMÉTRICAS
• Força de atrito: no sentido de laminação até
o ponto neutro e no sentido contrário a
partir dele.
• Carga de laminação: Força de compressão,
também conhecida como força de separação
• Pressão exercida: carga de laminação
dividida pela área de contato.

26
FORÇAS E RELAÇÕES GEOMÉTRICAS
• Considerando-se volume constante:
– b.h0.v0 = b.hf.vf = b.h.v
b = largura da chapa
– Observações experimentais indicam maiores
variações em v.
– Velocidade aumenta em contato com cilindros
– No ponto neutro a velocidade da chapa se
iguala à velocidade tangencial dos cilindros.

27
FORÇAS E RELAÇÕES GEOMÉTRICAS
• Arco de contato:
• Lp = R( ∆ h )
∆h = h0 - hf
• Pressão dos rolos: P = Pr/b.Lp
Pr = Força de compressão
b = largura da chapa
Lp = arco de contato entre a peça e o cilindro

28
FORÇAS E RELAÇÕES GEOMÉTRICAS
• Valor máximo (C):
Curva - superfície
de contato
• Área hachurada:
força de laminação
necessária para
vencer a força de
atrito
• Área sob AB: força
para a deformação

29
DEFEITOS
PRODUTOS SEMI-ACABADOS

• Blocos losangulares • Tarugos com uma


• com colarinhos nervura lateral
• com nervuras • com duas nervuras
• torcidos laterais
• com colarinhos
• cambados
• com cantos
• bojudos
incompletos
• Tarugos bojudos
• retangulares
• TRINCAS
30
DEFEITOS
PRODUTOS ACABADOS

FORMA SUPERFÍCIE
• Encurvamento • Cascas
• Arco transversal • Carepas
• Retorcimento • Costuras
• Cambamento • Orifícios
• Laterais ou centro • Marcas de cilindros
alongados • Linhas de distensão
• Espinhas de peixe • Casca de laranja
• Ondulação a um • Ferrugem
quarto
31