Você está na página 1de 37

física

óptica geométrica
QUESTÕES DE VESTIBULARES
2009.1 (1o semestre)
2009.2 (2o semestre)

sumário
óptica geométrica: conceitos básicos
VESTIBULARES 2009.1 .................................................................................................................. 2
VESTIBULARES 2009.2 .................................................................................................................. 2
princípios e fenômenos ópticos
VESTIBULARES 2009.1 .................................................................................................................. 3
VESTIBULARES 2009.2 .................................................................................................................. 4
reflexão da luz (leis)
VESTIBULARES 2009.1 ................................................................................................................... 5
espelho plano
VESTIBULARES 2009.1 .................................................................................................................. 6
VESTIBULARES 2009.2 .................................................................................................................. 7
espelhos esféricos (estudo gráfico)
VESTIBULARES 2009.1 .................................................................................................................. 8
VESTIBULARES 2009.2 .................................................................................................................11
espelhos esféricos (estudo analítico)
VESTIBULARES 2009.1 ................................................................................................................ 12
VESTIBULARES 2009.2 ................................................................................................................ 13
refração da luz (índices de refração e leis)
VESTIBULARES 2009.1 ................................................................................................................ 14
VESTIBULARES 2009.2 ................................................................................................................ 18
reflexão total ou interna (ângulo limite)
VESTIBULARES 2009.1 ................................................................................................................ 19
VESTIBULARES 2009.2 ................................................................................................................ 21
dioptro plano, lâmina e prismas
VESTIBULARES 2009.1 ................................................................................................................ 22
VESTIBULARES 2009.2 ................................................................................................................ 24
lentes esféricas (estudo gráfico)
VESTIBULARES 2009.1 ................................................................................................................ 25
VESTIBULARES 2009.2 ................................................................................................................ 28
lentes esféricas (estudo analítico)
VESTIBULARES 2009.1 ................................................................................................................ 29
VESTIBULARES 2009.2 ................................................................................................................ 33
óptica da visão
VESTIBULARES 2009.1 ................................................................................................................ 34
VESTIBULARES 2009.2 ................................................................................................................ 36

japizzirani@gmail.com
tópico 1: VESTIBULARES 2009.2
óptica geométrica: conceitos básicos
VESTIBULARES 2009.1 (VUNESP/UNICID-2009.2) - ALTERNATIVA: D
Suponha que uma das estrelas observadas pela (sonda) Kepler
esteja a 100 anos-luz da Terra. Sabendo-se que a velocidade da
(UFBA-2009.1) - RESPOSTA: a) t = 2,4×10–4 s b) f 5,2×102 Hz luz no vácuo é de 3 . 108 m/s e que o ano-luz é a distância percor-
A medida da velocidade da luz, durante muitos séculos, intrigou rida pela luz durante o tempo de um ano, dentre as ordens de
os homens. A figura mostra um diagrama de um procedimento grandeza apresentadas, aquela que melhor representa a distân-
utilizado por Albert Michelson, físico americano nascido na anti- cia em quilômetros da Terra a essa estrela é
ga Prússia. Um prisma octogonal regular com faces espelhadas
a) 1030.
é colocado no caminho óptico de um raio de luz. A luz é refletida
na face A do prisma e caminha cerca de 36,0 km atingindo o b) 1025.
espelho, no qual é novamente refletida, retornando em direção c) 1020.
ao prisma espelhado onde sofre uma terceira reflexão na face C *d) 1015.
e é finalmente detectada na luneta.
e) 1010.

(PUCMINAS-2009.2) - ALTERNATIVA: A
Uma das constantes fundamentais da Física é a velocidade da
luz. Ela desempenha um papel importantíssimo no estudo da
óptica, do eletromagnetismo, da relatividade, da astronomia, etc.
A ideia de que a velocidade da luz é finita começa com Galileu
Galilei, ao tentar medir o intervalo de tempo que a luz gastava
para percorrer a distância de ida e volta entre duas colinas. Galileu
não conseguiu seu propósito. Naquela época não era possível
medir intervalos de tempo extremamente pequenos.
Galileu deixou plantada a ideia. Coube ao astrônomo dinamarqu-
ês O. Roemer (1644-1710) demonstrar pela primeira vez que a
velocidade da luz era finita.Conforme ilustrado na figura abaixo,
Roemer observou que os eclipses de um dos satélites de Júpiter,
observados na Terra, em certas épocas do ano, não ocorriam
O procedimento de Michelson consiste em girar o prisma de modo nos horários previstos por ele. Roemer interpretou o fato da se-
que, quando o pulso de luz retornar, encontre a face B exatamen- guinte maneira: A luz proveniente do satélite de Júpiter percorre-
te no lugar da face C. ria uma distância maior para chegar até a Terra quando ela esta-
Considerando que a velocidade da luz é igual a 3,0.105 km/s e va no ponto B do que quando ela, a Terra, estava no ponto A, em
que a aresta do prisma é muito menor do que a distância entre o sua órbita em torno do Sol.
prisma e o espelho, Em pleno século XVII, Roemer raciocinou que, em seis meses,
a) calcule o tempo que um pulso de luz gasta para percorrer, ida enquanto a Terra se deslocava de A para B, Júpiter praticamente
e volta, a distância do prisma espelhado até o espelho; não saia de sua posição em relação ao Sol. Com essas conside-
b) calcule a freqüência de giro do prisma de modo que a face B rações, ele mostrou que a velocidade da luz é finita e determinou
esteja na posição da face C, quando o pulso de luz retornar. seu valor como c = 200.000 km/s. Nos anos seguintes, a veloci-
dade da luz foi determinada como c = 300.000 km/s. Já no início
do século XX, uma nova propriedade para a velocidade da luz foi
postulada por Einstein e confirmada experimentalmente pelos ci-
entistas americanos Michelson e Morley: a velocidade da luz é
absoluta, ou seja, ela não depende do referencial em relação ao
qual ela é medida.

Tomando-se como base a experiência de Roemer (c = 200.000


km/s) e a figura, e admitindo-se que a órbita da Terra em torno do
Sol tem um raio médio R = 1,50 x 1011 m, o atraso de um eclipse
do satélite de Júpiter com a Terra na posição A para um outro
eclipse, do mesmo satélite, com a Terra na posição B, seria de
aproximadamente:
*a) 25 minutos
b) 2 horas
c) 30 segundos
d) 2 dias.

japizzirani@gmail.com 2
tópico 2: (FURG/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Se numa sala perfeitamente escura iluminarmos a bandeira bra-
princípios e fenômenos ópticos sileira com luz amarela, iremos vê-la:
VESTIBULARES 2009.1 *a) Amarela e preta
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 4 b) Totalmente amarela
c) Verde, amarela, azul e branca
d) Verde e preta
(CEFETMG-2009.1) - ALTERNATIVA: A e) Branca, azul e preta
A imagem formada em uma câmara escura de orifício é invertida
em relação ao objeto. Para descrevê-la, deve-se considerar a(o)
*a) propagação retilínea da luz. (UCS/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: A
b) reversibilidade dos raios de luz. Uma pessoa pega um cinzeiro de vidro transparente e, através
c) paralelismo geométrico dos raios de luz. da base do cinzeiro, observa as coisas a sua volta, percebendo
d) variação da velocidade da luz na câmara. que elas parecem menores. A mudança no tamanho das ima-
e) mudança de meio de propagação da luz no orifício. gens devido ao cinzeiro permite concluir que os raios de luz que
passam por ele
(UEM/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 14 (02+04+08) *a) sofrem refração.
Um objeto delgado AB , intensamente iluminado, é colocado na b) sofrem polarização.
posição vertical em frente à face que contém o orifício O de uma c) não têm freqüência.
câmara escura. A imagem (conjunto de pontos luminosos) A'B' d) produzem interferência destrutiva.
do objeto é formada na face oposta da câmara a uma distância d e) produzem interferência construtiva.
da face que contém o orifício. Considerando o exposto, assinale
o que for correto. (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA OFICIAL:SOMA=07 (01+02+04)
01) Câmaras escuras comprovam o fenômeno de interferência Sobre o fenômeno óptico da reflexão, assinale o que for correto.
da luz. 01) Quando um raio de luz policromática atinge uma superfície
02) A imagem formada é invertida. opaca, a luz refletida é da mesma cor do objeto, e as demais
04) A altura da imagem é inversamente proporcional à distância cores são absorvidas.
entre o objeto e a face da câmara. 02) Um objeto reflete apenas as freqüências da luz que o ilumi-
08) Os triângulos A'OB' e AOB são semelhantes, com razão de na.
semelhança dada por A’B’ / AB = A’O / AO = B’O / BO. 04) Quando dois feixes de luz de cores distintas incidem sobre
16) Se o objeto delgado AB está a uma distância de 1,8 m do um corpo, a luz refletida pode ser uma terceira, diferente das
orifício e d = 5,0 cm, sua imagem projetada tem altura igual a 1/ cores incidentes.
40 da altura do objeto. 08) Quando um objeto absorve todas as cores de um raio de luz
policromática que nele incide, a cor refletida é branca.
(CEFETSP-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Sobre o céu que você vê, analise:
I. A Lua, os planetas e o Sol têm seus movimentos aparentes (UFTM-2009.1) - RESPOSTA: a) 8 horas b) h = 17 m
contidos, aproximadamente, num mesmo plano, conhecido como Numa manhã de céu claro, uma pessoa percebeu que às 9 horas
plano da eclíptica. os raios solares incidiram na região, fazendo um ângulo de 45°
II. Nos dias em que há eclipse da Lua, total ou parcial, o fato com a horizontal e que um prédio de altura h projetou no solo
presenciado se dá por conta de nosso planeta, que se interpõe horizontal uma sombra de comprimento a. Às 10 horas, os raios
aos raios solares que acabam por não iluminar a Lua. incidiram fazendo um ângulo de 60° com a horizontal, e a som-
III. Quando vemos diariamente o Sol nascer ao Leste, percorrer bra projetada pelo prédio mediu b.
o céu e se pôr ao Oeste, estamos praticando uma visão Considerando que o movimento aparente do Sol seja uniforme,
geocentrista do movimento do Sol. que tg 45° = 1 e tg 60° = 1,7 e que a + b = 27 m, determine:
Está correto o contido em a) em que horário, nesse mesmo dia e local, os raios solares
a) I, apenas. incidiram, pela manhã, fazendo um ângulo de 30° com a horizon-
b) II, apenas. tal;
c) I e III, apenas. b) a altura h do edifício.
d) II e III, apenas.
*e) I, II e III.
(VUNESP/FTT-2009.1) - ALTERNATIVA: A
O esquema a seguir representa a direção de um feixe de luz.

A alteração da trajetória da luz, ao passar do meio A para o meio


B, está relacionada com o fenômeno que ocorre quando a luz
*a) muda de direção, ao passar de um meio óptico para outro, e
é denominado refração.
b) incide sobre uma superfície rugosa e é desviada da sua traje-
tória, sofrendo reflexão.
c) reflete em uma superfície lisa e muda a sua trajetória e é deno-
minado difração.
d) incidente é refletida em uma direção diferente do meio materi-
al em que propaga.

japizzirani@gmail.com 3
VESTIBULARES 2009.2 (VUNESP/UFTM-2009.2) - ALTERNATIVA: D
A luz do Sol, ao atingir a atmosfera, sofre diversos desvios e
pode incidir sobre um painel solar (de um aquecedor solar de
(UFPR-2009.2) - ALTERNATIVA: D água) com ângulos maiores ou menores. Dessa forma, o coletor
Um estudante precisa conhecer a altura de um edifício localiza- solar deve permanecer inclinado, para obter melhores resultados
do no bairro Caiobá, em Matinhos/PR. Esse edifício encontra-se desse fenômeno óptico, conhecido por
fechado, pois é uma época de baixa temporada nas praias e não a) convecção.
há moradores fixos. De acordo com os conceitos da óptica geo- b) difração.
métrica, medindo-se simultaneamente as sombras de um poste c) irradiação.
de 5 m de altura e do edifício tem-se respectivamente 2 m e 10 *d) refração.
m. Dessa forma, a altura do edifício é: e) reflexão.
a) 12 m.
b) 20 m. (FATEC/SP-2009.2) - ALTERNATIVA: D
c) 35 m. Na sala de desenho de um escritório de arquitetura, a iluminação
*d) 25 m. do ambiente é de fundamental importância, pois nesse local os
e) 18 m. desenhistas necessitam de um conforto visual durante o desen-
volvimento dos projetos. Um feixe de luz, ao incidir sobre a folha
(IFGO/CEFETGO-2009.2) - ALTERNATIVA: B de papel vegetal, sofre __________, atinge os olhos do dese-
nhista, e a imagem do desenho é projetada na ___________ des-
Eu Caminhava se profissional.
(Nenhum de Nós) As palavras que completam corretamente a frase são, respecti-
“...Eu caminhava e fingia que o tempo passava vamente,
Eu caminhava e fingia... a) polarização e íris.
Eu caminhava e fingia que conhecia as pessoas b) polarização e retina.
E fingia que gostava de alguém e fingia que o c) refração e córnea.
tempo passava...” *d) reflexão difusa e retina.
e) reflexão regular e córnea.
Suponha que, o autor da música caminhe em linha reta, à noite,
com velocidade constante e, em determinado instante, passe (UNESP-2009.2) - RESPOSTA: h = 60 cm
debaixo de uma lâmpada acesa. Neste instante, um físico ali pas- Um pai, desejando brincar com seu filho com a sombra de um
sava com seu ultramoderno aparelho de medir velocidade de boneco projetada na parede, acende uma lâmpada, considerada
sombras. Ele verificou que a velocidade da cabeça da sombra do uma fonte de luz puntiforme, distante 2 metros do boneco e 6
caminhante era de 12 m/s. Depois, ele coletou os seguintes da- metros da parede na qual a sombra será projetada.
dos: Admitindo que a altura do boneco seja igual a 20 cm, qual a
· Altura do caminhante: 2m altura da sombra projetada na parede? Faça um desenho, na
· Altura da lâmpada: 6m folha de respostas, representando os raios de luz a partir da lâm-
Com estes dados, o físico concluiu que a velocidade do cami- pada até a parede e indicando a posição do boneco e a região de
nhante era, em m/s: sombra.
a) 5
*b) 8
c) 6
d) 9
e) 7

(UEG/GO-2009.2) - ALTERNATIVA: A
O grupo One Degree Less tem promovido a seguinte campanha:
“Pinte seu telhado de branco, e ajude a diminuir a temperatura
de ‘ilhas de calor’ nos grandes centros urbanos”. Baseada no
fato de o telhado de cor branca reduzir a temperatura local, a
hipótese contida nesta frase é fundamentada na característica
da cor branca de
*a) refletir grande parte da luz.
b) conter todas as outras cores.
c) absorver grande parte da luz.
d) ser polarizável e sofrer interferência.

(ACAFE/SC-2009.2) - RESPOSTA: H 3460 m


Em uma torre de controle aéreo, um observador na posição O
mira de um ângulo de 30o um avião em P, situado a uma altura H
da linha horizontal OC, de comprimento L, conforme indica a fi-
gura (I). Aproximando-se de 4000 metros em relação à torre, o
observador passa a mirar o avião de um ângulo de 60o, conforme
indica a figura (II). Determine o valor de H.

japizzirani@gmail.com 4
tópico 3: (FGV/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Do lado oeste da rua, um prédio revestido, com vidros planos e
reflexão da luz (leis) espelhados posicionados verticalmente em toda a fachada, faz
VESTIBULARES 2009.1 com que os raios solares nele refletidos iluminem um segundo
prédio do outro lado da rua até o limite entre a base desse prédio
(UNICENTRO/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: E e a calçada. No mesmo momento, um poste de iluminação, com
Uma fonte de laser emite um feixe de luz sobre um espelho plano 5 m de altura, está projetando no chão horizontal uma sombra de
que está apoiado no piso horizontal de um laboratório. Após ser 2 m. Se a distância entre os prédios, um voltado frontalmente
refletido, o feixe atinge um ponto numa das paredes desse labo- para o outro, é de 15 m, e, sabendo que naquele dia o Sol passa-
ratório. ria pelo ponto mais alto do céu, pode-se dizer que o prédio que
A fonte de laser está posicionada a 0,60 m do piso e o feixe se encontra do lado leste da rua tem uma altura, em m, igual a
emitido incide em um ponto do espelho que está a uma distância a) 30.
horizontal de 1,6 m, em relação à parede. O ponto na parede, b) 45.
atingido pelo feixe, está a uma altura de 1,2 m. A figura ilustra a c) 50.
situação. d) 65.
*e) 75.

Com base nessas informações, é CORRETO afirmar que a dis-


tância total percorrida pelo feixe de luz, da fonte de laser até o
ponto na parede, é de
a) 2,0 m. b) 2,2 m. c) 2,6 m.
d) 2,8 m. *e) 3,0 m.

(VUNESP/UFTM-2009.1) - RESPOSTA: a) d = 100 cm


b) v1 = 0,5 m/s
Num jogo de sinuca, um jogador pretende fazer a seguinte joga-
da: golpear a bola 1 com o taco para que ela atinja a bola 2,
parada, lançando-a para a caçapa A. Em seguida, desviada de
sua trajetória original e com velocidade escalar constante, a bola
1 deve sofrer duas colisões contra as tabelas nos pontos B e C,
de forma análoga à reflexão da luz em espelhos planos, e atingir
a bola 3, parada.
Para ser encaçapada depois de atingida, a bola 2 deve partir
numa direção que faz 30° com a direção na qual a bola 1 se
movia inicialmente.

Sabendo que todas as bolas têm a mesma massa e que a bola 1


tinha velocidade V1 = 1 m/s imediatamente antes do choque con-
tra a bola 2, determine, supondo que a jogada tenha sido realiza-
da com sucesso,
a) a distância percorrida pela bola 1, desde a colisão com a tabe-
la no ponto B até o impacto contra a bola 3;
b) o módulo da velocidade da bola 1, imediatamente depois da
colisão contra a bola 2.
OBS.: Para os choques serem de forma análoga à reflexão da
luz em B e C e de conformidade com as medidas dadas, o ângu-
lo no ponto B, mostrado na figura, não pode ser 60o.

japizzirani@gmail.com
5
tópico 4: (VUNESP/FAMECA-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Quando se encontra a uma distância p de um espelho plano ver-
espelho plano tical, uma pessoa consegue ver sua imagem exatamente dentro
VESTIBULARES 2009.1 dos limites do espelho.
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 7

(UECE-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Você está em pé em uma sala, parado diante de um espelho
vertical no qual pode ver, apenas, dois terços de seu corpo.
Considere as ações descritas a seguir:
I. Afastar-se do espelho.
II. Aproximar-se do espelho.
Ao se afastar horizontalmente do espelho até uma distância 2p,
III. Usar um espelho maior, cuja altura o permita ver seu corpo
a pessoa verá sua imagem
inteiro quando você está na sua posição inicial.
a) ocupar um espaço menor que os limites do espelho.
Você gostaria de ver seu corpo inteiro refletido no espelho. Para
b) cortada nos pés, sem caber, portanto, nos limites do espelho.
atingir seu objetivo, das ações listadas anteriormente, você pode
c) cortada na cabeça, sem caber, portanto, nos limites do espe-
escolher
lho.
a) apenas a I.
d) cortada nos pés e na cabeça, sem caber, portanto, nos
b) apenas a II.
limites do espelho.
*c) apenas a III.
*e) caber exatamente dentro dos limites do espelho.
d) a I ou a III, apenas.

(UFRJ-2009.1) - RESPOSTA: POSIÇÕES 3 E 5


(UESPI-2009.1) - ALTERNATIVA: E Uma criança segura uma bandeira do Brasil como ilustrado na
A figura ilustra a vista superior de uma sala quadrada, de compri- figura I. A criança está diante de dois espelhos planos verticais A
mento L, onde uma pessoa está situada num ponto P, defronte a e B que fazem entre si um ângulo de 60°. A figura II indica seis
um espelho plano E, de comprimento total D. Se a distância da posições, 1, 2, 3, 4, 5 e 6, relativas aos espelhos. A criança se
pessoa à parede onde está o espelho é x, qual deve ser o com- encontra na posição 1 e pode ver suas imagens nas posições 2,
primento mínimo do espelho para que a pessoa possa visualizar 3, 4, 5 e 6.
toda a largura y da porta de entrada da sala, que está localizada
às suas costas?
a) y(L + x) x
b) y(L - x) x
c) xy L
d) xy (L - x)
*e) xy (L + x)

(UFPB-2009.1) - RESPOSTA: afirmativas corretas: II, IV e V


Em uma feira de Ciências de sua escola, um estudante entra em
um compartimento fechado que simula um submarino. Utilizan-
do o periscópio desse “submarino”, ele observa uma colega de
sua classe que está fora do compartimento. Esse periscópio com-
preende dois espelhos planos paralelos separados por uma dis-
tância h, inclinados 45° em relação ao eixo do tubo opaco com
aberturas nas extremidades (ver figura abaixo).

Considerando que a colega está a uma distância x do espelho


superior, analise as afirmativas abaixo, identificando as corretas:
I. A imagem final será formada a uma distância 2x + h do espelho
inferior.
II. A imagem formada no espelho superior é virtual.
III. A imagem formada no espelho inferior é real.
IV. A imagem formada no espelho inferior será direta.
V. O tamanho da imagem vista pelo estudante não depende das Em quais das cinco imagens a criança pode ver os dizeres OR-
distâncias h e x. DEM E PROGRESSO? Justifique a sua resposta.

japizzirani@gmail.com
6
VESTIBULARES 2009.2
(UTFPR-2009.2) - ALTERNATIVA: A
Ao montar uma loja de roupas, um comerciante deseja colocar
um espelho plano que tenha a menor altura possível, mas que
seja capaz de fornecer uma imagem por inteiro da maioria de
seus clientes. Supondo que seus clientes possuam uma altura
média de 1,70 m, o mais indicado para o comerciante é comprar
um espelho que tenha uma altura, em m, igual a:
*a) 0,90.
b) 0,80.
c) 1,70.
d) 0,75.
e) 0,60.

(UNESP-2009.2) - ALTERNATIVA: D
Um rapaz foi encarregado de fixar um espelho plano em um
provador de roupas de uma boutique. No entanto, não lhe foi dito
a que altura, na parede, o espelho deveria ser fixado.
Desejando que os clientes se vissem de corpo inteiro (da cabeça
aos pés) no espelho, verificou que a altura do espelho era sufici-
entemente grande, mas, ainda assim, resolveu determinar a me-
nor distância da extremidade inferior do espelho ao solo, para
atingir seu objetivo. Para tanto, o rapaz precisaria conhecer, em
relação ao solo, apenas a altura
a) do cliente mais alto.
b) até os olhos, do cliente mais alto.
c) do cliente mais baixo.
*d) até os olhos, do cliente mais baixo.
e) até a cintura, do cliente mais alto.

japizzirani@gmail.com
7
tópico 5: (CEFET/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: D
Captar a energia solar e utilizá-la no preparo de alimentos é hoje
espelhos esféricos (estudo gráfico) uma prática que tem encontrado adeptos em muitos lugares do
VESTIBULARES 2009.1 mundo. Não se paga nada por essa energia e ela não polui. Es-
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 11 ses fogões solares podem ser construídos de diversas manei-
ras. Uma delas é utilizando um espelho esférico côncavo, colo-
cando o recipiente com o alimento a ser preparado numa região
(UNIFESP-2009.1) - ALTERNATIVA: B onde se concentra a radiação refletida pelo espelho. Das opções
Os elevados custos da energia, aliados à conscientização da a seguir, a que mostra corretamente o caminho da luz refletida
necessidade de reduzir o aquecimento global, fazem ressurgir por um desses espelhos funcionando como um fogão solar é
antigos projetos, como é o caso do fogão solar. Utilizando as
propriedades reflexivas de um espelho esférico côncavo, devida- a) *d)
mente orientado para o Sol, é possível produzir aquecimento
suficiente para cozinhar ou fritar alimentos. Suponha que um des-
ses fogões seja constituído de um espelho esférico côncavo ide-
al e que, num dado momento, tenha seu eixo principal alinhado
com o Sol.

b) e)

Na figura, P1 a P5 representam cinco posições igualmente espa-


çadas sobre o eixo principal do espelho, nas quais uma pequena
frigideira pode ser colocada. P2 coincide com o centro de curva-
tura do espelho e P4, com o foco. Considerando que o aqueci-
mento em cada posição dependa exclusivamente da quantidade
de raios de luz refletidos pelo espelho que atinja a frigideira, a c)
ordem decrescente de temperatura que a frigideira pode atingir
em cada posição é:
a) P4 > P1 = P3 = P5 > P2.
*b) P4 > P3 = P5 > P2 > P1.
c) P2 > P1 = P3 = P5 > P4.
d) P5 = P4 > P3 = P2 > P1.
e) P5 > P4 > P3 > P2 > P1.

(CEFET/RJ-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Um espelho côncavo de 20 cm de raio e um pequeno espelho
plano estão frente a frente. O espelho plano está disposto per- (CEFET/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: B
pendicularmente ao eixo principal do côncavo. Raios luminosos Você já visitou a “Estação Ciência” localizada no bairro da Lapa?
paralelos ao eixo principal são refletidos pelo espelho cõncavo; Além de temas da matemática, geologia e biologia, esse museu,
em seguida, refletem-se também no espelho plano e tornam-se um tanto diferente, tem como tema a Física... O mais interessan-
convergentes em um ponto P do eixo principal, como mostra a te é que em determinado ponto do museu, para que a explicação
figura (fora de escala). Sabendo-se que o espelho plano situa-se de um experimento seja ouvida com a mesma intensidade sono-
a uma distância de 2 cm do foco do espelho côncavo, a distância ra por todos que integram o grupo de visitação, o guia se posiciona
do ponto P ao vértice V do espelho côncavo vale sob o centro de uma grande concha acústica presa ao teto. Ape-
a) 10 cm. sar de a concha acústica servir para refletir ondas sonoras, é
*b) 6 cm. possível traçar uma perfeita analogia com os espelhos esféricos
c) 2 cm. côncavos. Desse modo, para que sons produzidos sob o centro
d) 8 cm. da concha, quando refletidos, sejam igualmente distribuídos pelo
ambiente abaixo da concha, a fonte do som deve localizar-se,
relativamente à superfície refletora,
a) entre o vértice e o foco.
*b) sobre o foco.
c) entre o foco e o centro de curvatura.
d) sobre o centro de curvatura.
e) além do centro de curvatura.

japizzirani@gmail.com
8
(UNICAMP/SP-2009.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO (EAFI/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: E
As medidas astronômicas desempenharam papel vital para o Abaixo está representado um espelho côncavo com seu eixo prin-
avanço do conhecimento sobre o Universo. O astrônomo grego cipal, vértice, foco e raio. (sic)
Aristarco de Samos (310 - 230 a.C.) determinou a distância Ter-
ra-Sol e o diâmetro do Sol. Ele verificou que o diâmetro do Sol é
maior que o da Terra e propôs que a Terra gira em torno do Sol.
a) Para determinar a distância Terra-Sol dS, Aristarco mediu o
ângulo formado entre o Sol e a Lua na situação mostrada na
figura a seguir. Sabendo-se que a luz leva 1,3 s para percorrer a
distância Terra-Lua dL, e que medidas atuais fornecem um valor
de = 89,85o, calcule dS.
Dados: Acerca das imagens de uma vela que pode ser colocada na fren-
te do espelho em diversos pontos, podemos dizer:
velocidade da luz: c = 3,0 × 108 m/s
a) ao ser colocada entre o vértice e o foco do espelho teremos
cos(89,85o) = sen(0,15o) = 2,6 × 10–3 uma imagem real.
b) ao ser colocada no foco do espelho observaremos uma ima-
gem virtual.
c) ao ser colocada sobre o raio do espelho encontraremos uma
imagem virtual e maior que a vela.
d) ao ser colocada entre o foco e o raio do espelho, teremos uma
imagem virtual e menor que a vela.
*e) ao ser colocada sobre o foco do espelho, não observaremos
nenhum tipo de imagem.

(UFRGS-2009.1) - ALTERNATIVA: A
b) O telescópio Hubble, lançado em 1990, representou um enor- Você se aproxima da superfície de um espelho côncavo na re-
me avanço para os estudos astronômicos. Por estar orbitando a gião de distâncias maiores que o raio de curvatura. Nessa cir-
Terra a 600 km de altura, suas imagens não estão sujeitas aos cunstância, sua imagem, formada pelo espelho, é
efeitos da atmosfera. A figura abaixo mostra um desenho *a) real e invertida e se afasta da superfície.
esquemático do espelho esférico primário do Hubble, juntamen- b) real e invertida e se aproxima da superfície.
te com dois raios notáveis de luz. Se F é o foco do espelho, c) real e direta e se aproxima da superfície.
desenhe na figura a continuação dos dois raios após a reflexão d) virtual e direta e se aproxima da superfície.
no espelho. e) virtual e invertida e se aproxima da superfície

(UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 03 (01+02)


Sobre o fenômeno da reflexão da luz, assinale o que for correto.
01) O campo de um espelho é a região do espaço que pode ser
observada pela reflexão nesse espelho.
02) Um objeto real fornece sempre uma imagem virtual quando o
espelho é convexo.
04) Espelhos planos sempre fornecem imagens reais.
RESPOSTA UNICAMP/SP-2009.1: 08) Em espelhos esféricos, quando a imagem é invertida ela tem
a) 1,5 × 1011 m natureza diferente do objeto.
16) O objeto e a imagem estão assimetricamente dispostos em
b) relação ao plano de um espelho plano.

(UESPI-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Ao observar o espelho retrovisor do carro que dirige, um motoris-
ta vê a imagem direita e reduzida de uma moto. Sabe-se que o
espelho usado no carro é esférico. Denotando por Dm a distância
da moto ao espelho, e por Di, a distância da imagem ao espelho,
podemos afirmar que o espelho é:
*a) convexo e Di < Dm.
b) côncavo e Di < Dm.
(UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Em retrovisores de automóveis, motos e veículos de transporte c) convexo e Di > Dm.
coletivo e em ambientes comerciais, é comum serem colocados d) côncavo e Di > Dm.
espelhos curvos convexos, que têm como objetivo ampliar o cam- e) convexo e Di = Dm.
po de visão. A imagem formada nesses espelhos é:
a) real, direita e menor que o objeto qualquer que seja a distância
deste ao espelho. (VUNESP/UNINOVE-2009.1) - ALTERNATIVA: E
b) virtual, direita e maior que o objeto se este é colocado além da Para que uma pessoa consiga ver sua imagem direita e reduzida
distância focal. ao se situar frente a um espelho esférico, ela deverá se colocar
c) real, direita e maior que o objeto qualquer que seja a distância a) entre o foco e o centro de curvatura do espelho côncavo.
deste ao espelho. b) entre o vértice e o foco do espelho côncavo.
d) virtual, invertida e maior que o objeto se este é colocado além c) adiante do centro de curvatura do espelho côncavo.
da distância focal. d) entre o foco e o centro de curvatura do espelho convexo.
*e) virtual, direita e menor que o objeto qualquer que seja a dis- *e) em qualquer posição próxima do eixo principal do espelho
tância deste ao espelho. convexo.

japizzirani@gmail.com
9
(MACKENZIE/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Um objeto real se encontra sobre o eixo principal de um espelho
côncavo, de distância focal 10 cm, e a 20 cm do vértice do espe-
lho. Sendo obedecidas as condições de Gauss, sua imagem é
a) real e direta.
*b) real e invertida.
c) virtual e direta.
d) virtual e invertida.
e) imprópria, localizada no infinito.

(UNESP-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Um estudante compra um espelho retrovisor esférico convexo
para sua bicicleta. Se ele observar a imagem de seu rosto
conjugada com esse espelho, vai notar que ela é sempre
a) direita, menor que o seu rosto e situada na superfície do espe-
lho.
b) invertida, menor que o seu rosto e situada atrás da superfície
do espelho.
*c) direita, menor que o seu rosto e situada atrás da superfície do
espelho.
d) invertida, maior que o seu rosto e situada atrás na superfície
do espelho.
e) direita, maior que o seu rosto e situada atrás da superfície do
espelho.

(UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 15 (01+02+04+08)


A altura da imagem de um objeto real posicionado diante de um
espelho esférico é menor que a altura do objeto. Sobre este fenô-
meno de reflexão da luz, assinale o que for correto.
01) O espelho pode ser côncavo.
02) O espelho pode ser convexo.
04) A imagem pode ser invertida em relação ao objeto.
08) A imagem pode ser direta em relação ao objeto.
16) O objeto está posicionado entre o foco e o vértice do espe-
lho.

japizzirani@gmail.com
10
VESTIBULARES 2009.2 (UFOP/MG-2009.2) - RESPOSTA: a) t = 7 s b) t = 3 s
c) t = 7 s (A pessoa encontra-se sobre o foco do espelho)
Uma pessoa, carregando uma lanterna acesa em suas mãos,
(VUNESP/UNICID-2009.2) - ALTERNATIVA: B
aproxima-se, com velocidade constante de 1 m/s, de um espelho
O forno solar de Odeillo, na França, é composto de 9 500 espe-
côncavo. Em t = 0 s, ela se encontra a 10 m do espelho e, quan-
lhos que concentram os raios solares em uma fornalha.
do atinge o vértice, ela cessa o movimento. O raio de curvatura
Na verdade, embora todos os espelhos lá utilizados sejam pla-
do espelho está a 6 m do vértice.
nos, a configuração de suas disposições torna o conjunto um
Baseando-se nessas informações, faça o que se pede.
gigantesco espelho esférico côncavo. Sendo o desejo desse for-
a) Calcule o intervalo de tempo em que a imagem conjugada é
no concentrar os raios de luz e calor em um ponto na fornalha,
real.
relativamente à superfície refletora, pode-se dizer que a distân-
b) Calcule o intervalo de tempo em que a imagem conjugada é
cia desse ponto da fornalha é, comparado ao raio de curvatura
virtual.
do conjunto de espelhos,
c) Explicite em qual instante de tempo a pessoa terá a impressão
a) a quarta parte.
de que sua imagem desaparece.
*b) a metade.
c) igual.
d) o dobro.
e) o quádruplo.

(UFMS-2009.2) - ALTERNATIVA: E
As figuras representam espelhos esféricos, côncavos e idênti-
cos, onde o ponto C indica o centro de curvatura do espelho. Um
feixe de luz, paralelo ao eixo do espelho, incide sobre a superfí-
cie refletora.
Assinale qual das figuras melhor representa os caminhos óticos
dos feixes de luz refletidos pelo espelho.

a) b) c)

d) *e

(PUC/SP-2009.2) - ALTERNATIVA: C
Uma flor se encontra sobre o eixo principal de um espelho conve-
xo, de distância focal, em módulo, igual a 25 cm, e a 25 cm do
vértice do espelho. Sendo válidas as condições de Gauss, a po-
sição e a natureza da imagem formada serão, respectivamente:
a) localizada no infinito e imprópria.
b) localizada entre o foco e o centro de curvatura, real e invertida.
*c) localizada entre o vértice e o foco, virtual e direita.
d) localizada entre o foco e o centro de curvatura, real e direita.
e) localizada entre o vértice e o foco, real e direita.

(UCS/RS-2009.2) - ALTERNATIVA: D
Uma moça e um rapaz que não se conheciam estavam em uma
loja de roupas escolhendo o que comprar. Curiosamente, foi no
momento em que ambos estavam olhando para lados opostos,
e, portanto, não se vendo diretamente, que perceberam a pre-
sença um do outro. Isso aconteceu porque na frente de cada um
havia um espelho. O rapaz, ao perceber a imagem da moça
fornecida por um espelho côncavo, e ela, ao perceber a imagem
dele fornecida por um espelho convexo, se apaixonaram. Pode-
se concluir que
a) ambos se apaixonaram pelas imagens um do outro, menores
do que o normal e de cabeça para baixo.
b) ambos se apaixonaram pelas imagens um do outro, maiores
do que o normal e de cabeça para baixo.
c) ambos se apaixonaram pelas imagens um do outro, em tama-
nho normal e de cabeça para baixo.
*d) ele se apaixonou pela imagem dela, menor e de cabeça para
baixo, e ela pela imagem dele, menor e direta.
e) ele se apaixonou pela imagem dela, menor e direta, e ela pela
imagem dele, maior e de cabeça para baixo.

japizzirani@gmail.com
11
tópico 6: (ITA-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Um espelho esférico convexo reflete uma imagem equivalente a
espelhos esféricos (estudo analítico) 3/4 da altura de um objeto dele situado a uma distância p1. En-
VESTIBULARES 2009.1 tão, para que essa imagem seja refletida com apenas 1/4 da sua
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 13 altura, o objeto deverá se situar a uma distância p2 do espelho,
dada por
*a) p2 = 9p1. b) p2 = 9p1 / 4. c) p2 = 9p1 / 7.
(VUNESP/UNISA-2009.1) - ALTERNATIVA: C d) p2 = 15p1 / 7. e) p2 = –15p1 / 7.
Um objeto real é colocado diante de um espelho esférico que
conjuga uma imagem virtual e duas vezes maior do que o objeto.
Se a distância entre o objeto e sua respectiva imagem é 45 cm, (UNIFAL/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: E
é possível concluir que a distância focal do espelho é, em cm, Um objeto real, direito, situado no eixo principal de um espelho
igual a esférico côncavo, 20 cm distante do vértice do espelho, forma
a) 10. d) 40. uma imagem real situada a 60 cm do vértice do espelho. Assina-
b) 20. e) 50. le a alternativa correta.
*c) 30. a) A imagem formada está entre o foco e o centro de curvatura.
b) A imagem formada é maior que o objeto e direita.
c) A distância focal do espelho é de 30 cm.
(VUNESP/UNICID-2009.1) - ALTERNATIVA: B
d) A imagem é menor que o objeto e invertida.
Um espelho esférico de 10 cm de foco é colocado a 30 cm de um
*e) O objeto está situado entre o foco e o centro de curvatura do
anteparo, no qual é fixado um arame de 14 cm (m = 10 g, c = 0,14
espelho.
J/g°C e = 10–5 °C–1) com uma lâmpada de 50 W na extremida-
de, como mostra a figura. O espelho e o anteparo são fixos.
(UFT/TO-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Considere um espelho esférico côncavo com raio de curvatura
R. Uma fonte pontual de luz é colocada sobre o eixo ótico princi-
pal deste espelho a uma distância d. A que distância x deve-se
colocar um espelho plano para que o raio de luz refletido pelo
espelho esférico seja também refletido pelo espelho plano e
retorne ao ponto onde está situada a fonte de luz? (Veja a figura
a seguir).

Supondo que todo calor dissipado pela lâmpada seja absorvido


pelo arame, a sua imagem ficará nítida no anteparo após
a) 100 s.
*b) 200 s.
c) 300 s.
d) 400 s.
e) 500 s.

(VUNESP/UFTM-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Ao utilizar-se da equação do aumento linear transversal, um alu-
no encontrou, como resultado do posicionamento de um objeto
real colocado sobre o eixo principal e à frente da superfície refle-
tora de um espelho esférico, o valor – 0,5, para o aumento linear
transversal. Pode-se, em função desse resultado, concluir que o
objeto estava posicionado
*a) além do centro de curvatura de um espelho côncavo.
b) além do centro de curvatura de um espelho convexo.
c) entre o foco e o vértice de um espelho convexo.
d) entre o foco e o vértice de um espelho côncavo.
e) entre o centro de curvatura e o foco de um espelho
côncavo.

(UEM/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 28 (04+08+16) a) d2 R


Com relação aos espelhos planos e aos espelhos esféricos, as- b) 2d + R2
sinale a(s) alternativa(s) correta(s). *c) d2 (2d – R)
01) A imagem formada por qualquer espelho é sempre virtual.
d) 2d – R
02) A imagem formada por um espelho esférico côncavo, quando
o objeto está entre o vértice e o foco do espelho, é menor, virtual
e direita. (UFU/MG-2009.1) - RESPOSTA: a) real b) côncavo
04) A equação de conjugação de espelhos esféricos é válida ape- c) y’ = –15 cm (invertida) d) f +9,7 cm
nas quando as condições de estigmatismo ocorrem. Considere o filamento de uma lâmpada, de 0,5 cm de altura, que
08) Um espelho esférico côncavo concentra grande energia lu- se encontra a 10 cm de um espelho (em seu eixo). Esse filamento
minosa no foco, quando a fonte luminosa situada no eixo do es- tem sua imagem projetada sobre uma parede a 3 m de distância
pelho e em frente ao mesmo se encontra no infinito. desse espelho. Determine
16) Um objeto real de 3,0 cm de altura é posicionado no eixo a) o tipo da imagem (real, virtual, ou imprópria). Explique.
principal de um espelho esférico côncavo de raio de curvatura b) o tipo do espelho (plano, côncavo, ou convexo). Explique.
igual a 40,0 cm. Quando o objeto está a 30,0 cm do vértice, a c) a altura da imagem. Explique se a imagem é invertida ou não.
imagem é ampliada em 2 vezes e se forma a 60,0 cm do vértice. d) a distância focal do espelho.

japizzirani@gmail.com
12
VESTIBULARES 2009.2 (VUNESP/UFTM-2009.2) - RESPOSTA: a) imagem virtual a 30
cm do espelho b) imagem direita de tamanho 6 cm
Um objeto real de comprimento 4 cm é colocado diante de um
(UNIFAL/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: A
espelho côncavo ideal, a 20 cm de seu vértice. Sabendo que a
Um lápis é colocado a 10 cm de um espelho côncavo com raio
distância focal desse espelho mede 60 cm, determine:
de curvatura R = 30 cm. Se Di é a distância da imagem formada
a) a posição em que se formará a imagem, dizendo se ela será
ao espelho, é CORRETO afirmar que:
real ou virtual.
*a) |Di| = 30 cm e a imagem é virtual.
b) o tamanho da imagem conjugada, dizendo como a imagem
b) |Di| = 15 cm e a imagem é virtual.
será disposta, direita ou invertida, em relação ao objeto.
c) |Di| = 30 cm e a imagem é real.
d) |Di| = 15 cm e a imagem é real.

(VUNESP/UFTM-2009.2) - ALTERNATIVA: E
Uma haste vertical de 2,0.10–2 m de altura foi colocada vertical-
mente sobre o eixo principal, a 2,4.10–1 m de distância da super-
fície refletora de um espelho esférico côncavo ideal, de distância
focal 4,0.10–2 m. Para essas condições, supondo um espelho
ideal, pode-se esperar que a altura da imagem da haste seja, em
m,
a) 5.10–1.
b) 8.10–1.
c) 6.10–2.
d) 5.10–2.
*e) 4.10–3.

(MACKENZIE/SP-2009.2) - ALTERNATIVA: A
Um pequeno objeto é colocado sobre o eixo principal de um es-
pelho esférico côncavo, a 40 cm de seu vértice, conforme a figu-
ra abaixo (sem escala).

O espelho obedece às condições de Gauss e seu raio de curva-


tura mede 4,00 m. A imagem desse objeto
*a) é virtual e se localiza a 0,50 m do vértice do espelho.
b) é real e se localiza a 0,50 m do vértice do espelho.
c) é virtual e se localiza a 2,50 m do vértice do espelho.
d) é real e se localiza a 2,50 m do vértice do espelho.
e) é virtual e se localiza a 0,40 m do vértice do espelho.

(UDESC-2009.2) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO


Um objeto é colocado a 15 cm do vértice de um espelho cônca-
vo, cuja distância focal é igual a 30 cm.
a) A que distância do espelho se formará a imagem do objeto?
b) Represente, em um diagrama, a formação da imagem do ob-
jeto no espelho.
c) Mantendo-se a posição do objeto e trocando-se o espelho côn-
cavo por um espelho convexo de mesma distância focal, qual a
posição e quais as características da imagem formada?
RESPOSTA UDESC-2009.2:
a) imagem virtual a 30 cm do espelho

b)

c) imagem virtual, a 10 cm do espelho, direita e menor que o


objeto.

japizzirani@gmail.com
13
tópico 7: (UFMG-2009.1) - RESPOSTA: Menor do que 90o.
Nesta figura, estão representadas duas estrelas – R e S –, que,
refração da luz (índices de refração e leis) em relação a um ponto P localizado na superfície da Terra, estão
VESTIBULARES 2009.1 a 90o uma da outra, como representado nesta figura:
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 18

(UFSC-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 20 (04+16)


A mãe zelosa de um candidato, preocupada com o nervosismo
do filho antes do vestibular, prepara uma receita caseira de “água
com açúcar” para acalmá-lo. Sem querer, a mãe faz o filho
relembrar alguns conceitos relacionados à luz, quando o mesmo
observa a colher no copo com água, como mostrado na figura
abaixo.

Nessa figura, os elementos não estão representados em escala.


A estrela R está a pino em relação a uma pessoa, na Terra, para-
da no ponto P.
Considerando essas informações, RESPONDA:
Visto por essa pessoa, o ângulo formado pelas linhas de visada
que apontam para as estrelas R e S é menor, igual ou maior que
90o?
Observação: A linha de visada corresponde à direção em que o
Sobre o fenômeno apresentado na figura acima, é CORRETO observador vê a estrela.
afirmar que: JUSTIFIQUE sua resposta. Se necessário, desenhe sobre a fi-
01. a luz tem um comportamento somente de partícula. gura.
02. a velocidade da luz independe do meio em que se propaga.
04. a colher parece quebrada, pois a direção da propagação da
(CEFET/PI-2009.1) - ALTERNATIVA: A
luz muda ao se propagar do ar para a água.
Quando a luz se propaga de um meio contendo ar para um outro
08. a velocidade da luz na água e no ar é a mesma.
16. a luz é refratada ao se propagar do ar para a água. meio contendo um líquido, o ângulo de incidência vale 1 e o de
refração 2. Considerando que sen 1 = 0,8 e sen 2 = 0,6 e a
(UFLA/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C velocidade da luz no ar igual a V1 = (8/3) x 108 m/s, a velocidade
Na óptica, é importante o desenvolvimento de novos materiais com que a luz se propaga nesse líquido vale:
de alta refringência, como por exemplo, para a elaboração de *a) 2,00 x 108 m/s d) 1,20 x 108 m/s
lentes. Considerando a velocidade da luz no vácuo, 300.000 km/ 8
b) 2,50 x 10 m/s e) 2,25 x 108 m/s
s, e a velocidade da luz nesse material em estudo, 125.000 km/
8
s, o seu índice de refração é c) 2,67 x 10 m/s
a) 0,42.
b) 4,0.
*c) 2,4. (UFRGS/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: D
d) 1,0. Um raio de luz monocromática que se propaga no ar, no plano da
figura, incide sobre o ponto central da face plana de um semidisco
de acrílico transparente, conforme representado na figura abai-
(UFAL-2009.1) - ALTERNATIVA: A xo.
Qual o nome do fenômeno da separação da luz branca, ao atra- Dentre os raios representados na figura, o que melhor represen-
vessar um prisma de material dielétrico, em um contínuo de fre- ta o raio refratado após atravessar o semidisco de acrílico é o de
qüências na faixa óptica do espectro? número
*a) Dispersão a) 1.
b) Reflexão b) 2.
c) Polarização c) 3.
d) Coerência *d) 4.
e) Intensidade relativa e) 5.

(UECE-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Um raio luminoso monocromático propaga-se através de quatro
meios materiais com índices de refração n0, n1, n2 e n3, confor-
me mostra a figura a seguir
Nestas condições, é correto afirmar que
a) n0 > n1 > n2 > n3. (UFAL-2009.1) - ALTERNATIVA: B
b) n0 = n1 > n2 > n3. Um feixe de luz monocromática refrata do meio A (índice de re-
fração 1) para o meio B (índice de refração 1,5), conforme mos-
*c) n0 = n1 < n2 < n3.
tra a figura. Sabendo que sen( A) + sen( B) = 0,5, pode-se con-
d) n0 < n1 < n2 < n3.
cluir que [sen( A)]2 + [sen( B)]2 é igual a:
a) 0,08
*b) 0,13
c) 0,25
d) 0,58
e) 1,00

japizzirani@gmail.com
14
(UNICENTRO/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: C (VUNESP/FAMECA-2009.1) - ALTERNATIVA: A
A figura mostra um raio de luz monocromática, que se propaga Um bloco de vidro transparente apresenta uma cavidade interna
no ar, incidindo em um disco de vidro. de ar na forma de um prisma reto de base triangular.
Os esquemas das alternativas apresentam um corte transversal
desse prisma. Um raio de luz monocromática incide sobre o blo-
co, atravessando o prisma e sofrendo desvios em sua trajetória.
Assinale a alternativa que apresenta a trajetória correta desse
raio.
Linhas tracejadas representam a normal à face no ponto de
incidência.

Sabendo que o raio penetra no disco e depois emerge para o ar


novamente, qual das opções seguintes melhor representa a tra-
jetória do raio de acordo com a descrição acima? d)
*a)
a) b) *c) d) e)

e)
(UDESC-2009.1) - ALTERNATIVA: A b)
Um feixe de luz, cujo comprimento de onda é igual a 600 nm,
propagando-se no ar, incide sobre um bloco de material transpa-
rente. O feixe de luz incidente forma um ângulo de 30° com rela-
ção a uma reta normal à superfície do bloco, e o refratado faz um
ângulo de 20° com a normal. Considerando o índice de refração
do ar igual a 1,00 e a tabela abaixo, o valor do índice de refração
do material é:
*a) 1,47
b) 0,68 c)
c) 2,56
d) 0,93
e) 1,00

(UFERJ/UNIRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Um espelho plano horizontal é borrifado com água até que seja
formada sobre ele uma película de água, contínua e não unifor- (UFF/RJ-2009.1) - RESPOSTA: A área da sombra aumenta (ver
me. Um objeto é, então, colocado na frente deste espelho e se diagrama no final da questão)
percebe que a imagem do objeto se encontra distorcida. Isto ocor- Um anteparo retangular opaco é colocado entre uma lâmpada
re porque a película d’água muito pequena, que pode ser considerada como pontual, e uma
a) reflete os raios incidentes. tela. Um bloco de plástico transparente é encostado na tela, como
*b) refrata os raios que a atravessam. mostrado na vista lateral abaixo.
c) absorve os raios incidentes.
d) impede que o espelho reflita os raios.
e) impede que os raios incidentes a atravessem.

(UFRJ-2009.1) - RESPOSTA: D = 5,0 cm


Um raio luminoso proveniente do ar atravessa uma placa de vi-
dro de 4,0cm de espessura e índice de refração 1,5.
Esse arranjo produz uma zona de sombra sobre a tela.
Se retirarmos o bloco de plástico da frente da tela, a área da
zona de sombra aumentará, diminuirá ou permanecerá a mes-
ma? Justifique sua resposta com o uso de um diagrama de raios
luminosos.

DIAGRAMA: UFF/RJ-2009

Sabendo que o ângulo de incidência do raio luminoso é tal que


sen = 0,90 e que o índice de refração do ar e 1,0 , calcule a
distância que a luz percorre ao atravessar a placa.

japizzirani@gmail.com
15
(UFMS-2009.1) - ALTERNATIVA: C (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 05 (01+04)
Um dos efeitos observados, na propagação da luz, é que a sua A respeito de raios luminosos que se propagam de um meio de
velocidade modifica-se em meios com propriedades óticas dife- menor refringência para um meio de maior refringência, assinale
rentes. A atmosfera terrestre pode ser considerada um meio em o que for correto.
que essas propriedades óticas variam conforme a altitude. Uma 01) Quando um raio de luz branca incide sobre uma superfície de
das causas é o fato de a atmosfera terrestre possuir temperatu- vidro, pode ocorrer o fenômeno da dispersão, porque os com-
ras diferentes conforme a altitude, tornando-se mais densa onde ponentes da luz sofrem desvios diferentes.
a temperatura é menor causando uma maior diminuição na velo- 02) Meios de grande refringência apresentam pequenos índices
cidade de propagação da luz, do que em regiões em que a tem- de refração.
peratura é maior e menos densa. Considere uma vasta região da 04) Quando a incidência numa superfície dióptrica é perpendicu-
atmosfera, sem vento, e na qual a temperatura vai aumentando lar, o raio não sofre desvio.
gradativamente com a altitude. Dois observadores A e B, no solo, 08) O índice de refração de um meio qualquer é sempre maior do
e distantes um do outro, observam, através dessa atmosfera, um que 1 (um).
satélite que está em repouso com relação à Terra. A reta que une
os olhos do observador A, até o satélite S, coincide com o Zênite, (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 18 (02+16)
isto é, o satélite está acima da sua cabeça, enquanto que a reta A figura abaixo representa um raio luminoso que passa de um
que une os olhos do observador B, até o satélite, é inclinada com meio para outro. Sobre este evento físico, considerando 1 > 2,
relação à horizontal. As linhas pontilhadas, nas figuras A, B e C, v1 e v2, respectivamente, as velocidades de propagação da luz
representam possíveis caminhos óticos de um feixe de luz que no meio 1 e no meio 2, assinale o que for correto.
sai do satélite S e vai até os dois observadores nessa atmosfera.
Considere os observadores A e B, e o satélite S contidos no
mesmo plano vertical com relação ao solo, representados pelo
plano desta página. Com fundamentos nas propriedades de pro-
pagação da luz, assinale a alternativa correta.

01) A densidade do meio 1 é maior que a densidade do meio 2.


a) A figura A mostra corretamente os dois caminhos óticos do 02) A luz incide de um meio menos refringente para um meio
feixe da luz, que saem do satélite S e vão até os observadores mais refringente.
com relação ao solo. 04) A razão sen 1/sen 2 = constante somente se n1 n2.
b) A figura B mostra corretamente os dois caminhos óticos do 08) Relativamente ao meio 2, o indice de refracao do meio 1 e
feixe da luz, que saem do satélite S e vão até os observadores
dado por n1,2 = v1/v2.
com relação ao solo.
16) Os índices de refração absolutos dos meios 1 e 2 são dados
*c) A figura C mostra corretamente os dois caminhos óticos do
feixe da luz, que saem do satélite S e vão até os observadores respectivamente por c/v1 e c/v2.
com relação ao solo.
d) A propriedade ótica que está associada às diferentes velocida- (CEFET/RJ-2009.1) - ALTERNATIVA: B
des de propagação da luz de mesma freqüência, em diferentes Um tanque cilíndrico, com o topo aberto, tem diâmetro de 4,0 m
meios, chama-se difração. e está completamente cheio de água (índice de refração n = 1,3).
e) No caminho ótico da luz, do satélite S para o observador A Quando o Sol atinge 60° acima do horizonte, a luz solar deixa de
nessa atmosfera, a velocidade de propagação da luz é constan- atingir o fundo do tanque. Nessas condições, a profundidade do
te. tanque vale Dados:
a) 9,0 m. sen tg
(UFV/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B *b) 10,0 m. 18o 0,30 0,32
Um raio de luz, composto pelas cores vermelha (V) e azul (A), c) 12,5 m.
incide na superfície de separação entre o vácuo e um bloco de d) 11,0 m. 20o 0,34 0,36
vidro (Figura 1). O vidro possui índice de refração n, o qual de- 22o 0,38 0,40
pende do comprimento de onda , conforme mostra a Figura 2. 24o 0,40 0,44
(CEFET/CE-2009.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO
Enuncie o princípio de Fermat da óptica geométrica e use-o para
explicar por que um raio de luz não segue o caminho retilíneo AB
indicado na figura, ao se propagar de um ponto A no interior da
água de uma piscina até um ponto B no ar.
RESPOSTA: Princípio de Fermat
Sabendo que o comprimento de onda da luz vermelha é maior
“Ao ir de um ponto do espaço para
que o da azul, a opção que representa CORRETAMENTE as di-
outro, um raio de luz descreve a
reções de propagação da luz dentro do vidro é:
trajetória correspondente ao menor
tempo de percurso entre os dois
a) *b) pontos, quando comparado com os
percursos vizinhos.”
Por isso que no caso da refração
da luz na superfície d’água da pis-
c) d) cina, o raio de luz descreve uma
trajetória, não retilínea, de modo
que percorre uma distância maior onde é mais veloz (o ar) e uma
distância menor onde é menos veloz (a água).

japizzirani@gmail.com
16
(UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 13 (01+04+08)
A respeito de raios luminosos que incidem sobre superfícies trans-
parentes, assinale o que for correto.
01) Quando um raio luminoso desacelera ao passar de um meio
para outro, ele se aproxima da normal.
02) Qualquer que seja o ângulo de incidência do raio luminoso,
ocorrerá o fenômeno da refração.
04) A velocidade de um raio luminoso em um meio depende do
meio e da sua freqüência.
08) Quando dois raios luminosos de cores diferentes atingem
uma superfície com um mesmo ângulo, os desvios sofridos são
diferentes.

(UFJF/MG-2009.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO


Um raio de luz incide na superfície de separação entre dois mei-
os, cujos índices de refração são n1 = 1 e n2 = 1,22 ,
fazendo um ângulo de incidência i = 60o em relação à normal à
superfície, conforme mostra a figura abaixo.

I - Desenhe na figura uma possível trajetória para os raios refleti-


do e refratado, indicando os ângulos que esses raios fazem com
a normal à superfície de separação. Indique no quadro abaixo se
o ângulo de reflexão r é maior, menor ou igual ao ângulo de inci-
dência i. Faça a mesma indicação para o ângulo de refração r´
em relação ao ângulo de incidência i.

II - Calcule a distância D entre os pontos em que os raios refleti-


do e refratado atingem a parede vertical.

RESPOSTA UFJF/MG-2009.1:
I)
r = i e r’ < i

II) D = 5 1 + m
3

(UESPI-2009.1) - ALTERNATIVA: D
A figura a seguir ilustra a refração de um feixe de luz
monocromática de um meio A, com índice de refração igual a 1,
para um meio B, cujo índice de refração é igual a
a) (1/3)1/2 Dados:
b) 1/2 sen(30º) = cos(60º) = 1/2
c) 1 cos(30º) = sen(60º) = /2
*d) 31/2
e) 2

japizzirani@gmail.com
17
VESTIBULARES 2009.2 (UECE-2009.2) - ALTERNATIVA: A
Um raio de luz, se propagando inicialmente no vácuo, incide na
superfície lateral de um cilindro de material cujo índice de refra-
(UFES-2009.2) - ALTERNATIVA: D ção é 1,2 do valor para o vácuo. Suponha que o raio de luz se
Um feixe de luz monocromática passa do vácuo para o vidro. Se propague em um plano que contém o eixo do cilindro e incida
o índice de refração do vidro é 3/2, a velocidade da luz dentro do perpendicularmente a esse eixo. Sobre o desvio, em relação à
vidro é igual a direção de incidência, que o raio sofrerá ao atravessar o cilindro,
a) 2,0x105 m/s. é correto afirmar que
*a) será nulo, porque a direção do raio incidente é normal à su-
b) 4,5x106 m/s.
perfície.
c) 4,5x107 m/s. b) será de 1,2 graus, porque a direção do raio incidente é normal
*d) 2,0x108 m/s. à superfície.
e) 4,5x108 m/s. c) será de 1/1,2 graus porque a direção de incidência é normal à
superfície.
d) será nulo, pois o raio sofrerá reflexão total.
(UFOP/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: B
Ao observamos o pôr-do-sol, podemos ver sua imagem mesmo
quando o Sol, efetivamente, já se encontra abaixo da linha do (UFLA/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: B
horizonte. Esse fato pode ser explicado levando-se em conta: Na figura abaixo, observa-se um raio de luz que atravessa o meio
a) a reflexão dos raios solares pela lua. 1 e passa para o meio 2 sofrendo uma refração, de forma que o
*b) a refração dos raios solares pela atmosfera. raio refratado afasta-se da normal N. Analisando esse fenômeno
c) a reflexão dos raios solares pelo céu. óptico, é CORRETO afirmar:
d) a rotação da terra.

(UTFPR-2009.2) - ALTERNATIVA: B
Na figura está representada a trajetória de um raio luminoso que
se propaga num meio (1) e refrata na direção rasante no meio
(2). Os meios (1) e (2) são isótropos, homogêneos e transparen-
tes. Dessa forma, considere as seguintes afirmações:
I) A velocidade de propagação da luz é maior no meio (1) do que
no meio (2). a) a velocidade da luz é a mesma nos dois meios.
II) O índice de refração absoluto do meio (1) é maior do que do *b) a velocidade da luz no meio 2 é maior que a velocidade da luz
meio (2). no meio 1.
III) O índice de refração do meio 2 em relação ao meio (1) é igual c) a velocidade da luz no meio 1 é maior que a velocidade da luz
a . no meio 2.
É correto o que se afirma apenas em: d) a velocidade da luz não influencia o fenômeno de refração,
a) I. pois esse fenômeno depende apenas da refringência do meio.
*b) II.
c) III.
d) I e II. (UNIFOR/CE-2009.2) - ALTERNATIVA: D
e) II e III. Um raio de luz monocromática, que se propaga num meio trans-
parente A, incide na superfície plana de separação com outro
meio transparente B. O ângulo de incidência é de 60° e o de
(VUNESP-2009.2) - ALTERNATIVA: B refração é 30°. Se a velocidade de propagação dessa luz no meio
Um aluno leu que a velocidade da luz v é diferente para diferen-
Aé .108 m/ s , ao passar para o meio B sua velocidade, em
tes meios materiais nos quais se propaga e que seu valor depen- 8
de da razão entre a velocidade da luz no vácuo e o índice de 10 m/s, passa a ser
refração n do meio em que se propaga. Ao expor uma placa de a) 1/2.
vidro lisa e plana a um feixe de luz monocromática, observou que b) /3.
o feixe luminoso incidente e o refratado formaram ângulos res- c) /2.
pectivamente iguais a 45º e 30º, como indica a figura. *d) 1.
e) .

Considerando que a velocidade da luz no ar é igual à velocidade


da luz no vácuo (3,0 × 108 m/s), a velocidade de propagação da
luz no vidro, em m/s, é de
a) 3,0 × 108.
*b) 1,5 × 108.
c) 2,0 × 108.
d) 2,5 × 108.
e) 3,0 × 108.

japizzirani@gmail.com
18
tópico 8: (VUNESP/UNICISAL-2009.1) - ALTERNATIVA: A
No fundo de uma piscina com água, há uma lâmpada que fica
reflexão total ou interna (ângulo limite) ligada durante a noite. Pode-se afirmar corretamente que
VESTIBULARES 2009.1 *a) se a piscina for suficientemente larga, a luz da lâmpada ilumi-
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 21 nará todo o ambiente externo.
b) em hipótese alguma a luz da lâmpada sofrerá reflexão de volta
para a água.
(VUNESP/UNICID-2009.1) - ALTERNATIVA: C c) todo raio luminoso proveniente da lâmpada emergirá para o
Uma casa de shows instalou, no fundo de uma piscina, um laser, ambiente externo.
inclinado em 45° em relação ao chão. A piscina foi preenchida d) de qualquer lugar do ambiente externo, a lâmpada será visí-
até uma altura de 1 m com um líquido cujo índice de refração vel, independentemente das dimensões da piscina.
vale nLíquido = . Considerando que o índice de refração do ar e) a região do ambiente externo a ser iluminada independe do
volume de água dentro da piscina.
vale nar = 1, para o laser ser visto fora do líquido deve-se
a) diminuir a altura do líquido.
b) aumentar a altura do líquido. (CEFET/PI-2009.1) - ALTERNATIVA: E
*c) diminuir o índice de refração do líquido. A fibra óptica, que funciona como condutora de luz, tem larga
d) aumentar o índice de refração do líquido. aplicação tecnológica: nos endoscópicos, por exemplo, ela é uti-
e) aumentar a intensidade do laser. lizada para observar órgãos internos do corpo humano. O fenô-
meno físico que explica o funcionamento da fibra óptica é a:
a) absorção térmica
(UNIFESP-2009.1) - ALTERNATIVA: E
b) refração óptica
Dois raios de luz, um vermelho (v) e outro azul (a), incidem per-
c) irradiação térmica
pendicularmente em pontos diferentes da face AB de um prisma
d) condução térmica
transparente imerso no ar. No interior do prisma, o ângulo limite
*e) reflexão total
de incidência na face AC é 44º para o raio azul e 46º para o
vermelho. A figura que mostra corretamente as trajetórias des-
ses dois raios é
(UFLA/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: D
a) d) Um raio de luz proveniente de um meio A, de índice de refração
nA, íncide sobre um meio B de índice de refração nB, com ângulo
de incidência 0o < i < 90o. Considerando nA < nB, pode-se afir-
mar que o raio de luz
a) sofre reflexão total.
b) afasta-se da mormal.
c) sofre somente refração.
*d) sofre refração e reflexão parcial.

b) *e) (UFES-2009.1) - ALTERNATIVA: D


A empresa ABC Xtal, instalada no Pólo Tecnológico de Campi-
nas-SP, desenvolve tecnologia de qualidade internacional na pro-
dução de fibras óticas.

“A fibra óptica é basicamente constituída de dois tipos de vidros:


a parte central, o núcleo, e o revestimento que envolve o núcleo”.

(BRITO CRUZ, Carlos H. de. Física e Indústria no Brasil (1). Cienc. Cult.
Vol. 57(3), São Paulo, 2005. Adaptado.)
c)

(UFPE-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Quatro placas horizontais P1, P2, P3 e P4, feitas de substâncias
com índices de refração n1 = 1,3, n2 = 1,5, n3 = 1,4 e n4 = 1,6,
encontram-se imersas no ar, cujo índice de refração é n = 1,0.
Raios de luz incidem na extremidade esquerda das placas, como
mostrado na figura. Em quais placas existe a possibilidade de
que a luz fique confinada de tal forma que, após várias reflexões, Para que ocorra reflexão total da luz em uma fibra ótica, é neces-
chegue à extremidade direita sem escapar das placas no seu sário que
percurso? a) o índice de reflexão do núcleo seja igual ao do revestimento.
b) o índice de refração do núcleo seja igual ao do revestimento.
a) Placas P1 e P2
c) o índice de reflexão do núcleo seja maior que o do revestimen-
b) Placas P2 e P3 to.
c) Placas P1 e P3 *d) o índice de refração do núcleo seja maior que o do revesti-
d) Placas P1 e P4 mento.
e) o índice de refração do núcleo seja menor que o do revesti-
*e) Placas P2 e P4
mento.

japizzirani@gmail.com
19
(UFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: B (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 13 (01+04+08)
Na década de 80 do século passado, foi inaugurado o primeiro A maioria dos objetos ao nosso redor pode ser observada porque
cabo submarino feito de fibra ótica. Atualmente todos os conti- eles emitem parte da luz que incide sobre suas superfícies. A luz
nentes da Terra já estão conectados por cabos submarinos feitos incidente sobre a superfície de um objeto tem a capacidade de
dessa fibra. Na comunicação por fibra ótica, o sinal se propaga gerar os seguintes fenômenos: reflexão da luz, refração da luz e
obedecendo a um importante fenômeno da ótica geométrica. absorção da luz. Sobre esses fenômenos físicos, assinale o que
Assinale a alternativa que apresenta esse fenômeno. for correto.
a) Refração. 01) A transmissão da luz através de uma fibra ótica é baseada no
*b) Reflexão interna total. fenômeno da reflexão total da luz.
c) Dispersão. 02) Quando um objeto é colocado diante de um espelho esférico,
d) Reflexão difusa. as características da imagem conjugada independem da posi-
e) Absorção. ção do objeto em relação ao espelho.
04) A refração ocorre devido à variação na velocidade de propa-
(UNIOESTE/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: C gação da luz ao passar de um meio transparente para outro.
Uma fibra óptica é uma estrutura cilíndrica feita de vidro, consti- 08) Quando uma superfície absorve a luz que sobre ela incide, a
tuída basicamente de dois materiais diferentes, que compõem o sua temperatura se eleva.
núcleo e a casca, como pode ser visto em corte na figura abaixo. 16) Espelhos planos formam, de objetos reais, imagens reais
Sua propriedade de guiamento dos feixes de luz está baseada diretas e de mesma dimensão.
no mecanismo da reflexão interna total da luz que ocorre na
interface núcleo-casca. Designando por NÚCLEO e CASCA os ín-
dices de refração do núcleo e da casca, respectivamente, anali-
se as afirmações I, II e III abaixo, que discutem as condições
para que ocorra a reflexão interna total da luz.

I. NÚCLEO > CASCA


II. Existe um ângulo L, de incidência na interface núcleo-casca,
tal que sen L = NÚCLEO / CASCA
III. Raios de luz com ângulos de incidência > L sofrerão refle-
xão interna total, ficando presos dentro do núcleo da fibra.
Analisando as afirmações, podemos dizer que
a) somente I está correta
b) somente I e II estão corretas.
*c) somente I e III estão corretas.
d) todas estão corretas.
e) nenhuma se aplica ao fenômeno da reflexão interna total da
luz em uma fibra ótica

(UCG/GO-2009.1) - RESPOSTA: FALSA (resposta: sen = 0,31)


Notícias de vida e morte nos chegam diariamente pelas imagens
da televisão, pelas ondas de rádio, pelos cabos da internet, pe-
las fibras ópticas das redes de telecomunicações, etc. Considere
a afirmação abaixo e diga se ela é CORRETA ou FALSA.
Na figura abaixo temos um feixe de luz monocromática que entra
em um meio material cilíndrico composto de vidro (nv = 1,6) en-
volvido por uma película de índice de refração (np = 1,5).

A incidência se dá no ponto (1), fazendo um ângulo com o eixo


do vidro. Sabendo-se que no ponto (2) o feixe de luz é refratado
em ângulo de 90o com a reta normal à superfície da película,
pode-se afirmar que sen = 0,5. Considere o índice de refra-
ção do ar nar = 1.

japizzirani@gmail.com
20
VESTIBULARES 2009.2 (UNESP-2009.2) - RESPOSTA: d = 15° e reflexão total
Considere que um raio de luz monocromática, que se propaga
num meio material com índice de refração n1, incida sobre a su-
(UCS/RS-2009.2) - ALTERNATIVA: A perfície perfeitamente plana e polida de outro meio material,
O protetor solar é uma das formas mais eficientes de defesa de índice de refração n2, com ângulo 1 = 30°.
contra as radiações ultravioleta provenientes do Sol. Ele é cons-
tituído por substâncias químicas e físicas. As físicas são
inorgânicas, como o dióxido de titânio e o óxido de zinco, que
apresentam um alto índice de refração. Pensando no comporta-
mento da radiação eletromagnética, quando incide na superfície
de separação de um meio em que ela está com outro meio com
índice de refração menor, pode-se afirmar que o objetivo de se
incluir substâncias físicas no protetor solar é que, ao chegar à
pele, as radiações ultravioleta
*a) sejam totalmente refletidas. Sabendo que a razão entre os índices de refração do meio 1 e do
b) sejam totalmente aniquiladas por interferência construtiva. meio 2 vale , faça, no caderno de respostas, um desenho do
c) sejam totalmente aniquiladas por interferência destrutiva. raio de luz refratado, indicando o desvio angular que esse raio de
d) atravessem o corpo sem serem absorvidas. luz sofre ao ser refratado (diferença entre os ângulos de refração
e) se convertam em ondas de rádio. e de incidência) e explique o que aconteceria se o ângulo de
incidência 1 fosse igual a 60°.
(UFU/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: D
Um raio de luz monocromático incide na interface que separa (IF/CE-2009.2) - RESPOSTA OFICIAL NO FINAL DA QUESTÃO
dois meios físicos, conforme mostrado na figura a seguir. Explique por que podemos ver miragens, quando viajamos de
carro durante o dia, em uma pista muito quente.

RESPOSTA OFICIAL IF/CE-2009.2:


A velocidade de um raio de luz em um meio é inversamente pro-
porcional ao índice de refração, ou seja, quanto menor o índice,
mais rapidamente o raio se move. A pista quente aquece o ar
logo acima, que fica menos denso, reduzindo o seu índice de
refração. Uma camada de ar mais alta está mais fria, e tem o
índice de refração maior que o de uma camada próxima da pista.
Para dois raios de luz paralelos que incidem sobre a pista, o raio
O meio A é o ar, cujo índice de refração vale nA = 1. O índice de inferior se move mais rapidamente, percorrendo distâncias mai-
ores que o raio superior em intervalos de tempo iguais, acarre-
refração do meio B, nB, depende da concentração (x) de certa tando um encurvamento na trajetória do raio. Considerando o
substância desconhecida, que é misturada ao meio B. Essa de- aspecto ondulatório da luz, as frentes de onda, perpendiculares
pendência de nB é linear com x, dada por aos raios, devem se mover mais rapidamente nas camadas de
ar inferiores, mais quentes, que nas camadas superiores, mais
nB(x) = (x/2) + (1/3) frias, mudando sua inclinação (ver figura). Logo, a imagem de
um objeto acima da pista parecerá refletida pela pista (uma mira-
Para determinar o valor da concentração x da substância desco- gem), embora o fenômeno óptico que causa este efeito não seja
nhecida no meio B, um grupo de alunos mediu o ângulo limite em a reflexão, mas a refração.
que ocorre a reflexão total na interface que separa A e B. Eles
obtiveram o valor de 60º para o ângulo limite (no qual ocorre a
reflexão total).
Assinale a alternativa que corresponde ao valor mais próximo da
concentração x.
a) 0,6
b) 1,0 Dados: = 1,4
c) 2,6 = 1,7
*d) 1,6

(UTFPR-2009.2) - ALTERNATIVA: B (UEM/PR-2009.2) - RESPOSTA: SOMA = 14 (02+04+08)


Na figura está representada a trajetória de um raio luminoso que Considere dois meios homogêneos distintos, de índices de refra-
se propaga num meio (1) e refrata na direção rasante no meio ção n1 < n2, e assinale o que for correto.
(2). Os meios (1) e (2) são isótropos, homogêneos e transparen- 01) Quando um feixe de luz monocromática se dirige do meio
tes. Dessa forma, considere as seguintes afirmações: menos refringente para o meio mais refringente, o fenômeno da
I) A velocidade de propagação da luz é maior no meio (1) do que refração da luz não é observado.
no meio (2). 02) Quando um feixe de luz monocromática se dirige do meio
II) O índice de refração absoluto do meio (1) é maior do que do mais refringente para o meio menos refringente, pode haver re-
meio (2). flexão interna total.
III) O índice de refração do meio 2 em relação ao meio (1) é igual 04) Um ângulo de incidência maior que o ângulo limite é condi-
a . ção necessária para que haja reflexão interna total.
É correto o que se afirma apenas em: 08) Quando um feixe de luz monocromática se dirige do meio
a) I. mais refringente para o meio menos refringente, sua velocidade
*b) II. de propagação no meio aumenta.
c) III. 16) Quando um raio de luz monocromática passa do meio me-
d) I e II. nos refringente para o meio mais refringente, ele se afasta da
e) II e III. normal.

japizzirani@gmail.com
21
tópico 9: (UFV/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Quando nos aproximamos da borda de uma piscina e olhamos
dioptro plano, lâmina e prismas para o fundo, geralmente observamos que a piscina parece ser
VESTIBULARES 2009.1 mais rasa do que ela realmente é. Isto acontece devido ao fenô-
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 24 meno denominado:
a) dispersão da luz.
(FUVEST-2009.1) - ALTERNATIVA: C b) reflexão da luz.
*c) refração da luz.
Dois sistemas óticos, D1 e D2, são utilizados para analisar uma
d) difração da luz.
lâmina de tecido biológico a partir de direções diferentes. Em
uma análise, a luz fluorescente, emitida por um indicador incor-
porado a uma pequena estrutura, presente no tecido, é captada, (UFG/GO-2009.1) - ALTERNATIVA: D
simultaneamente, pelos dois sistemas, ao longo das direções Em um dia ensolarado, dois estudantes estão à beira de uma
tracejadas. Levando-se em conta o desvio da luz pela refração, piscina onde observam as imagens de duas garrafas idênticas,
dentre as posições indicadas, aquela que poderia corresponder uma em pé fora da piscina e outra em pé dentro da piscina, imersa
à localização real dessa estrutura no tecido é na água. A figura 1 corresponde ao objeto real, enquanto as pos-
a) A síveis imagens das garrafas estão numeradas de 2 a 6, confor-
b) B Suponha que o tecido biológico seja transparente à me a seguir.
*c) C luz e tenha índice de refração uniforme, semelhante
d) D ao da água.
e) E

O par de figuras que representa as imagens das garrafas locali-


zadas fora e dentro da água, conforme conjugada pelo dioptro
água-ar, é, respectivamente
a) 2 e 6.
b) 2 e 3.
c) 3 e 4.
*d) 5 e 4.
(UNEMAT/MT-2009.1) - ALTERNATIVA: C
e) 5 e 6.
Uma barra AB de 60 cm é colocada verticalmente no interior de
uma cuba, contendo água de índice de refração igual a 4/3, fi-
cando com a extremidade A a 15 cm da superfície, conforme a (UFRJ-2009.1) - RESPOSTA: D = 5,0 cm
figura abaixo. (Considere o índice de refração do ar igual a 1) Um raio luminoso proveniente do ar atravessa uma placa de vi-
dro de 4,0cm de espessura e índice de refração 1,5.

Nessas condições, o comprimento da barra AB, vista por um ob-


servador posicionado conforme a figura é: Sabendo que o ângulo de incidência do raio luminoso é tal que
a) 11,25 cm sen = 0,90 e que o índice de refração do ar e 1,0 , calcule a
b) 56,25 cm distância que a luz percorre ao atravessar a placa.
*c) 45 cm
d) 75 cm
e) 48,75 cm (UERJ-2009.1) - RESPOSTA: 3° (Veja comentário no final)
Uma camada de óleo recobre a superfície em repouso da água
(FEI/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: B contida em um recipiente. Um feixe de luz paralelo e
Quando estamos observando de cima um peixe dentro de um monocromático incide sobre o recipiente de tal modo que cada
lago, o que realmente vemos é a imagem do peixe. Sobre esta raio do feixe forma um ângulo de 4° com a reta perpendicular à
imagem, é correto afirmar que: superfície da camada de óleo.
Dados: nar = 1 e nágua = 4/3 Determine o ângulo que cada raio de luz forma com essa per-
a) Está abaixo do peixe. pendicular, ao se propagar na água.(Dados: nar = 1 e nág =1,33)
*b) Está acima do peixe.
c) Está na mesma altura à esquerda do peixe. COMENTÁRIO: Os ângulos envolvidos são próximos de zero (em
d) Está na mesma altura à direita do peixe. radianos), portanto, pode-se fazer o seno deles aproximadamen-
e) Coincide com o peixe. te igual ao ângulo, em radianos.

japizzirani@gmail.com
22
(UFPB-2009.1) - RESPOSTA: afirmativas corretas: IV e V (VUNESP/FAMECA-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Em um laboratório de óptica, um estudante faz incidir, sobre uma Um bloco de vidro transparente apresenta uma cavidade interna
placa retangular de vidro de espessura d, um raio de luz de ar na forma de um prisma reto de base triangular.
monocromático. Os esquemas das alternativas apresentam um corte transversal
Sabendo que essa placa encontra-se em uma câmera de vácuo desse prisma. Um raio de luz monocromática incide sobre o blo-
e que o ângulo formado entre o raio de luz e a normal à placa é co, atravessando o prisma e sofrendo desvios em sua trajetória.
de 30O, identifique as afirmativas corretas: Assinale a alternativa que apresenta a trajetória correta desse
I. O ângulo entre o raio refletido e a normal à placa é maior do raio.
que 30O. Linhas tracejadas representam a normal à face no ponto de
II. A velocidade da luz no interior da placa será a mesma que no incidência.
vácuo.
III. O ângulo de refração do raio independe da cor da luz inciden-
te. d)
*a)
IV. O ângulo que o raio de luz faz com a normal, no interior da
placa, é menor do que30O.
V. O raio de luz, após atravessar a placa, seguirá uma trajetória
paralela à direção de incidência.

(UNIFESP-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Dois raios de luz, um vermelho (v) e outro azul (a), incidem per-
pendicularmente em pontos diferentes da face AB de um prisma e)
b)
transparente imerso no ar. No interior do prisma, o ângulo limite
de incidência na face AC é 44º para o raio azul e 46º para o
vermelho. A figura que mostra corretamente as trajetórias des-
ses dois raios é

a) d)

c)

b) *e)
(UNESP-2009.1) - RESPOSTA: 1 = 2 = 40o
A figura representa o gráfico do desvio ( ) sofrido por um raio de
luz monocromática que atravessa um prisma de vidro imerso no
ar, de ângulo de refringência A = 50º, em função do ângulo de
incidência 1.

c)

(CESGRANRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: E
A figura abaixo ilustra um prisma triangular regular reto, imerso
no ar, e um raio luminoso que incide sobre ele e o atravessa.
É dada a relação = 1 + 2 - A, em que 1 e 2 são, respectiva-
Os ângulos de incidência e de emergência desse raio valem 60º
mente, os ângulos de incidência e de emergência do raio de luz
e os índices de refração do prisma e do ar são, respectivamente,
ao atravessar o prisma (pelo princípio da reversibilidade dos rai-
6 e 1. Sendo  o ângulo de refringência do prisma, sen  vale os de luz, é indiferente qual desses ângulos é de incidência ou
2 de emergência, por isso há no gráfico dois ângulos de incidência
a) para o mesmo desvio ).
4
b) 3 Determine os ângulos de incidência ( 1) e de emergência ( 2) do
4 prisma na situação de desvio mínimo, em que mín = 30o.
5
c)
4
6
d)
4
7
*e)
4

japizzirani@gmail.com
23
VESTIBULARES 2009.2

(UNIMONTES/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: D
Ao observar uma arruela, colocada no fundo de uma vasilha, sob
um ângulo de 60o em relação à vertical, cheia com um líquido de
índice de refração 1,74, a imagem da arruela sofre uma elevação
aparente h. Considere o índice de refração do ar igual a 1.
Determine, aproximadamente, a razão y/h.
a) 0,707.
b) 0,120.
c) 0,866.
*d) 0,577.

(IFMG/CEFETMG-2009.2) - ALTERNATIVA: C
Sobre o comportamento da luz em diferentes meios, é correto
afirmar que
a) as estrelas cintilam porque a luz proveniente delas sofre su-
cessivas reflexões na atmosfera.
b) um raio de luz, ao penetrar na água, tem sua velocidade de
propagação e freqüência alteradas.
*c) um objeto dentro de uma piscina parece estar em uma posi-
ção diferente da real, se observado de fora.
d) a duração do dia terrestre é ligeiramente prolongada devido à
reflexão da luz solar na atmosfera.
e) uma estrada asfaltada, em um dia quente, apresenta estar
molhada, por causa da refração da luz solar no asfalto.

japizzirani@gmail.com
24
tópico 10: (VUNESP/FTT-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Na figura seguinte, representa-se o eixo óptico principal de um
lentes esféricas (estudo gráfico) dispositivo gaussiano, um objeto o e a respectiva imagem i
VESTIBULARES 2009.1 conjugada pelo dispositivo.
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 28

(VUNESP/FMJ-2009.1) - RESPOSTA: D = 12 cm
A figura mostra duas lentes delgadas 1 e 2 de vidro, com distân-
cias focais –5 cm e 15 cm, respectivamente, com um mesmo
eixo principal xy. Dois raios de luz incidem sobre a lente 1, para- Tal dispositivo é
lelos ao eixo principal, separados por 4 cm. a) uma lente convergente situada à direita de i.
b) uma lente divergente situada à esquerda de o.
c) uma lente divergente situada entre o e i.
d) um espelho côncavo situado entre o e i.
*e) um espelho convexo situado entre o e i.

(VUNESP/UNICID-2009.1) - ALTERNATIVA: A
A miopia é corrigida com o uso de lentes divergentes. Um mergu-
lhador míope encomendou óculos de mergulho com lentes pla-
no-côncavas, iguais as de seus óculos. Entretanto, ao entrar na
água, percebeu que sua visão estava pior do que sem os óculos.
Considerando que a região entre os olhos e a lente é preenchida
Depois de atravessarem essa lente, incidem sobre a outra, onde
com água, pode-se afirmar que
voltam a ficar paralelos ao eixo principal, agora separados por
*a) o índice de refração da água era maior que o da lente.
uma distância D. Determine D, em centímetros.
b) o índice de refração da água era menor que o da lente.
c) o índice de refração da água era maior que o da lente e o lado
(UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B côncavo da lente estava para fora.
Uma lente convergente delgada é usada para produzir uma ima- d) o índice de refração da água era menor que o da lente e o lado
gem real. Indique qual das figuras abaixo representa melhor a côncavo da lente estava para fora.
formação da imagem produzida pela lente. e) o lado côncavo da lente estava para dentro.

a) d) (VUNESP/FMJ-2009.1) - ALTERNATIVA: D
A figura mostra uma gota de água sobre uma folha, permitindo
ver detalhes ampliados através dela, sem invertê-los.

*b) e)

c)

(Foto: Rennato Testa)


(UEMG-2009.1) - ALTERNATIVA: C Na situação descrita, a gota funciona como
Usando uma lupa (lente de aumento), uma pessoa projetou, numa a) uma lente divergente, com o objeto colocado no seu plano
folha de papel, a imagem vista de uma janela, conforme ilustra- focal.
ção, a seguir: b) uma lente divergente, com o objeto colocado entre seu plano
focal e a própria lente.
c) uma lente convergente, com o objeto colocado além de seu
plano focal.
*d) uma lente convergente, com o objeto entre seu plano focal e
a própria lente.
e) uma lente convergente com o objeto colocado no seu plano
focal.

(UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Um objeto real é visualizado através de uma lente divergente. A
Nessas condições, e considerando a projeção desta imagem, só imagem vista é:
é CORRETO afirmar que *a) virtual, direita, menor que o objeto.
a) a imagem formada é virtual. b) virtual, direita, maior que o objeto.
b) a imagem não é formada por luz, pois foi projetada no papel. c) virtual, invertida, maior que o objeto.
*c) a imagem formada é invertida. d) real, invertida, menor que o objeto.
d) a imagem formada é real, mas não é invertida. e) real, direita, maior que o objeto.

japizzirani@gmail.com
25
(UFF/RJ-2009.1) - ALTERNATIVA: E (FUVEST-2009.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO
Uma lente convergente de pequena distância focal pode ser usa- Na montagem de uma exposição, um decorador propôs a proje-
da como lupa, ou lente de aumento, auxiliando, por exemplo, ção, através de uma lente pendurada em um suporte fixo, da
pessoas com deficiências visuais a lerem textos impressos em imagem de duas bandeirinhas luminosas, B1 e B2, sobre uma
caracteres pequenos. tela. Em sua primeira tentativa, no entanto, apenas a imagem de
Supondo que o objeto esteja à esquerda da lente, é correto afir- B1 pôde ser vista na tela (primeira montagem). Para viabilizar,
mar que, para produzir uma imagem maior que o objeto, este
então, sua proposta, o decorador deslocou a lente para baixo,
deve ser:
obtendo, assim, as imagens das duas bandeirinhas sobre a tela
a) colocado sobre o foco e a imagem será real;
(segunda montagem).
b) posicionado entre a lente e o foco e a imagem será real;
c) posicionado num ponto à esquerda muito afastado da lente e a
imagem será virtual;
d) posicionado num ponto à esquerda do foco, mas próximo des-
te, e a imagem será virtual;
*e) posicionado entre a lente e o foco e a imagem será virtual.

(UNEMAT/MT-2009.1) - ALTERNATIVA: A
A figura abaixo representa uma lente esférica delgada. Um obje-
to X é colocado no ponto C perpendicularmente ao eixo principal
da lente, sabe-se que AB é um raio de luz incidente e que BQ é o
correspondente ao raio refratado. As bandeirinhas encontram-se reproduzidas na folha de respos-
tas, assim como, em linhas tracejadas, a posição da lente e a
imagem obtida na primeira montagem. Para visualizar as ima-
gens que passam a ser observadas na segunda montagem, uti-
lizando o esquema da folha de respostas:
a) Determine, a partir da imagem correspondente à primeira
montagem (em linha tracejada), a posição do foco da lente, iden-
tificando-a na figura pela letra F.
b) Construa a imagem completa que a bandeirinha B2 projeta
sobre a tela, na segunda montagem, traçando as linhas de cons-
trução necessárias e indicando as imagens de C e D, por C’ e D’,
respectivamente.
c) Construa a imagem completa que a bandeirinha B1 projeta
Com base nos dados e no gráfico apresentado, analise as afir- sobre a tela, na segunda montagem, traçando as linhas de cons-
mativas abaixo. trução necessárias e indicando as imagens de A e B, por A’ e B’,
I. A lente representada é convergente, pois o raio emergente con- respectivamente.
verge, intersectando o eixo principal.
II. A lente representada é divergente, pois o raio divergente con-
verge, intersectando o eixo principal.
III. A lente representada apresenta imagem virtual e invertida.
Assinale a alternativa correta.
*a) Apenas I está correta.
b) Apenas I e II estão corretas.
c) I, II e III estão corretas.
d) Apenas III está correta.
e) Apenas II e III estão corretas.

(VUNESP/FAMECA-2009.1) - RESPOSTA: imagem virtual, direi-


ta e menor que o objeto nos dois casos.
Um lápis L é colocado perpendicularmente ao eixo óptico princi-
pal de um espelho esférico convexo, como na figura I, e de uma
lente esférica divergente, como na figura II. Nas figuras, V é o
vértice do espelho, C é o seu centro de curvatura, C.O. é o centro
RESPOSTA FUVEST-2009.1:
óptico da lente, A e A’ são os seus pontos principal e anti-principal
e F e F’ são os focos principais de ambos.

Reproduza as figuras I e II em sua folha de respostas e, usando


as propriedades da luz, construa, graficamente, as imagens do
lápis conjugadas
a) pelo espelho. b) pela lente.

japizzirani@gmail.com
26
(UTFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Um objeto é colocado frente ao sistema óptico representado abai-
xo. Esboce a imagem formada:

Assinale as afirmativas abaixo com V se verdadeira ou F se fal-


sa.
( ) A formação da imagem esquematizada é comum nas câmeras
fotográficas.
( ) A imagem é invertida, maior e pode ser projetada num antepa-
ro.
( ) A imagem forma-se geometricamente entre o foco imagem e o
ponto antiprincipal.
A seqüência correta será:
a) V, F, V
b) V, F, F
*c) F, V, F
d) F, F, F
e) V, V, F

(UNICENTRO/PR-2009.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: D


Orientado por um livro de ciências, um estudante montou um
“televisor” artesanal, constituído por uma caixa de papelão, uma
lente esférica de vidro e uma folha de papel vegetal.
Esta figura representa esquematicamente o “televisor” já monta-
do, visto de lado, bem como a formação da imagem nítida de
uma árvore muito distante, captada num dia ensolarado.

Para essa situação, o perfil da lente e as características da ima-


gem formada sobre o papel vegetal estão descritos CORRETA-
MENTE na alternativa:
a) bicôncava; virtual e direta.
b) bicôncava; real e invertida.
c) biconvexa; real e invertida.
d) biconvexa; virtual e direta.
e) plano-convexa; real e invertida.
OBS.: A imagem é projetada sobre o papel vegetal, portanto, ela
é real. Sendo a imagem real, ela é invertida em relação ao obje-
to. Para fornecer uma imagem real, de um objeto real, a lente
tem que ser convergente.Então, as alternativas corretas são C e
E.

japizzirani@gmail.com
27
VESTIBULARES 2009.2 (PUC/RS-2009.2) - ALTERNATIVA: B
Instrumentos ópticos podem permitir a observação da imagem
(UNEMAT/MT-2009.2) - ALTERNATIVA: A de um objeto em condições mais favoráveis do que a observa-
Em um dia ensolarado, utilizando-se apenas de uma lente delga- ção a olho nu. Há 400 anos, Galileo Galilei usou uma luneta para
da convergente, cuja distância focal é de 10cm, um caçador, apro- observar o céu, o que o ajudou a reforçar a tese de que a Terra
veitando a incidência dos raios do sol, resolveu acender fogo em não era o centro do universo. No nosso cotidiano, é comum usar-
um fogão de lenhas. mos uma lupa para observarmos detalhes de um objeto ou fazer-
Diante dessa situação e considerando os conceitos de ótica, as- mos a leitura de uma bula de remédios, por exemplo.
sinale a alternativa correta. Sobre a lupa, afirma-se:
*a) O caçador pode conseguir acender o fogo, desde que a lenha I. O princípio de seu funcionamento baseia-se nas propriedades
esteja posicionada a uma distância de 10cm do centro ótico da reflexivas das lentes curvas e no fato de possuir uma distância
lente. focal pequena, de alguns centímetros.
b) O caçador pode conseguir acender o fogo, desde que a lenha II. A imagem que ela fornece é obtida por uma lente biconvexa,
esteja posicionada a uma distância de 20cm do centro ótico da sendo sempre virtual e direita.
lente. III. Ela utiliza um espelho esférico côncavo e fornece uma ima-
c) O caçador não conseguirá acender o fogo, devido à lente, que gem direita se estiver próxima do objeto.
ele utiliza, não ser adequada para concentrar a energia luminosa Está/Estão correta(s) apenas a(s) afirmativa(s):
do sol. a) I.
d) O caçador não conseguirá acender o fogo, porque a lente de- *b) II.
veria ser bicôncava. c) III.
e) O caçador não conseguirá acender o fogo, porque a lente de- d) I e II.
veria ser plano-côncava. e) I e III.

(UFV/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: B
Uma lente esférica biconvexa é feita de um polímero transparen-
te de índice de refração n = 1,4. A lente é inserida em três meios
diferentes: ar, glicerina e água, cujos índices de refração são nar
= 1,0, nágua = 1,3 e nglic = 1,5, respectivamente. No que se refere
às propriedades da lente imersa em ar, água e glicerina, nesta
ordem, é CORRETO afirmar que ela é:
a) divergente, convergente e convergente.
*b) convergente, convergente, divergente.
c) convergente, divergente, divergente.
d) divergente, divergente, convergente.

(UEM/PR-2009.2) - RESPOSTA: SOMA = 07 (01+02+04)


Sobre lentes delgadas, assinale o que for correto.
01) Uma lente convexa imersa em um meio menos refringente
que ela converge a luz que a atravessa.
02) Uma lente côncava imersa em um meio menos refringente
que ela diverge a luz que a atravessa.
04) O centro óptico das lentes delgadas é o ponto de interseção
da lente com o eixo principal.
08) Em uma lente convergente, os focos objeto e imagem são
virtuais.
16) Em uma lente divergente, os focos objeto e imagem são re-
ais.

(CEFET/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: C
Na figura abaixo, O representa um objeto no ar e I a imagem dele
produzida por um elemento ótico (linha pontilhada) que possui
um foco F, localizado sobre o eixo e.

Esse elemento ótico é um(a):


a) espelho plano.
b) lente divergente.
*c) lente convergente.
d) espelho convexo.
e) espelho côncavo.

japizzirani@gmail.com
28
tópico 11: (UTFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Um objeto de 10 cm de altura é colocado a 40 cm de uma lente
lentes esféricas (estudo analítico) convergente de distância focal 20 cm. Nessa situação, é correto
VESTIBULARES 2009.1 afirmar que:
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 33 a) a imagem do objeto fornecida pela lente é direita.
*b) a ampliação do sistema é igual a –1.
c) a imagem fornecida pela lente é imprópria.
(UDESC-2009.1) - ALTERNATIVA: D d) a ampliação do sistema é igual a –2.
Uma lente convergente de distância focal d é colocada entre um e) a altura da imagem fornecida pela lente é igual a 5 cm.
objeto e uma parede. Para que a imagem do objeto seja projeta-
da na parede com uma ampliação de 20 vezes, a distância entre
(UFPR-2009.1) - RESPOSTA: f = + 9,0 cm
a lente e a parede deve ser igual a:
Numa aula de laboratório de óptica, deseja-se determinar a dis-
a) 20/d *d) 21d
tância focal de uma lente convergente. Utilizando uma vela, cuja
b) 20d e) 21/d
chama tem altura de 5 cm, o professor propõe um procedimento
c) 19d
experimental. A vela é colocada inicialmente a certa distância da
lente, tendo a imagem da sua chama projetada num anteparo,
(UFABC-2009.1) - RESPOSTA: a) afastar, para o objeto se apro- invertida e com 15 cm de altura. Em seguida, sem mover a lente,
ximar do foco e a imagem ser maior. b) f = + 12 cm desloca-se a vela de 1,5 cm, distanciando-a ainda mais da lente.
Sobre uma mesa plana e horizontal, há uma folha de papel para- Move-se então o anteparo até obter-se uma nova imagem proje-
da, na qual está escrita a palavra ÓPTICA. Vista a olho nu, a tada, que é invertida e tem altura de 10 cm nessa situação.
palavra é lida como mostrado a seguir. Com base nesses dados, determine a distância focal dessa len-
te.
ÓPTICA
(UNESP-2009.1) - RESPOSTA: f 4,0 cm e A 2,94×10–6 mm2
Vista através de uma lupa, ela é lida primeiro como mostra a Desde maio de 2008 o IBAMA recebe imagens do ALOS, um
Figura 1 e, movimentando a lupa, ela passa a ser vista como satélite japonês de sensoriamento remoto que orbita a cerca de
mostra a Figura 2. 700 km da superfície da Terra. Suponha que o sistema óptico
desse satélite conjugue imagens nítidas no seu sensor quando
este se localiza 4,0 cm atrás da lente (objetiva) e seja capaz de
fotografar áreas quadradas do solo com, no mínimo, 900 m 2,
correspondente a um pixel (elemento unitário de imagem) do
sensor óptico da câmara. Qual a distância focal dessa lente e a
área de cada pixel sobre a qual a imagem da superfície da Terra
é conjugada?

(UNESP-2009.1) - RESPOSTA: L 2,14×10–4 cm


O Landsat 7 é um satélite de sensoriamento remoto que orbita a
700 km da superfície da Terra. Suponha que a menor área da
superfície que pode ser fotografada por esse satélite é de 30 m ×
30 m, correspondente a um pixel, elemento unitário da imagem
conjugada no sensor óptico da sua câmara fotográfica. A lente
dessa câmara tem distância focal f = 5,0 cm.
Supondo que os pixels sejam quadrados, qual o comprimento
dos lados de cada quadrado?

(UNIFESP-2009.1) - RESPOSTA: a) f/p = 2 b) A = +1,25


Dentro de um aquário sem água são colocados uma lente delga-
da convergente e um parafuso, posicionado frontalmente à lente,
ambos presos a suportes, conforme a figura.

a) Para a imagem vista na Figura 1 transformar-se naquela mos-


trada na Figura 2, a lupa teve de ser aproximada ou afastada da
folha de papel? Justifique sua resposta.
b) Considerando que na imagem vista na Figura 2 as letras apa-
reçam 4 vezes maiores do que são na verdade, e que, nessa
situação, a lente esteja paralela à mesa e a 9 cm da folha, deter-
mine a distância focal da lente. Admita válidas as condições de
Nessas condições, a imagem conjugada pela lente é direita e
nitidez de Gauss.
tem o dobro do tamanho do objeto.
a) Calcule a razão f/p, entre a distância focal da lente e a distân-
(UNIFOR/CE-2009.1) - ALTERNATIVA: A cia do objeto ao centro óptico da lente.
Uma lente divergente, cuja vergência é de –5,0 di, conjuga a um b) Preenchido totalmente o aquário com água, a distância focal
objeto real uma imagem quatro vezes menor. da lente aumenta para 2,5 vezes a distância focal na situação
Nestas condições, a distância do objeto à lente, em cm, vale anterior, e a lente mantém o comportamento óptico convergente.
*a) 60 b) 50 c) 40 Para as mesmas posições da lente e do objeto, calcule o aumen-
d) 30 e) 20 to linear transversal para a nova imagem conjugada pela lente.

japizzirani@gmail.com
29
(UFF/RJ-2009.1) - RESPOSTA: f = +30 cm (veja diagrama no (UNIMONTES/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: D
final da questão) A distância focal de uma lente convergente de um projetor de
Uma lâmpada fluorescente, uma tela e uma lente convergente slides é 16 cm. A imagem deve ser projetada numa tela colocada
delgada.formam um arranjo que é mostrado no diagrama abaixo. a 5,0 m da lente. Se a figura do slide mede 1,6 cm de altura, na
tela sua altura será
a) 30,3 cm. b) 16,5 cm. c) 25,0 cm. *d) 50,0 cm.

(UFU/MG-2009.1) - RESPOSTA: 1V; 2F; 3V; 4V


Em um dado experimento de óptica, um grupo de estudantes
tem como tarefa determinar a distância focal de uma lente delga-
da de bordas finas, feita de um material transparente, com índice
Este arranjo produz uma imagem nítida da lâmpada sobre a tela. de refração igual a 1,5. Para isso, eles colocam o objeto em di-
Com a ajuda do traçado de raios luminosos, localize no diagra- versas posições (p) ao longo do eixo principal da lente e determi-
ma os focos da lente convergente delgada e calcule a sua dis- nam a posição p’ da imagem em relação à lente.
tância focal. A tabela indica os módulos dos valores medidos (em cm) e a
figura representa um esquema do aparato experimental.

p p'
15 30
20 20
30 15

Com base nas informações dadas, marque para as alternativas


(UFPE-2009.1) - RESPOSTA: p’2 = + 40cm (resolução no final da abaixo (V) Verdadeira ou (F) Falsa.
questão) 1 ( ) Para as posições do objeto (p) à esquerda da lente, indicadas
Duas lentes delgadas (L1 e L2), sendo a primeira convergente e a na tabela acima, a imagem irá se formar em um anteparo à direi-
segunda divergente, ambas de distância focal igual a 10 cm, es- ta da lente, pois se trata de uma imagem real.
tão separadas pela distância D = 2,0 cm. 2 ( ) A distância focal obtida pelo grupo de alunos é igual a 20 cm.
3 ( ) Ao se colocar o objeto em uma posição (p) menor do que 10
cm, a imagem desse objeto deixará de se formar em um antepa-
ro.
4 ( ) Se o experimento fosse realizado dentro da água (nágua =
1,3) para o mesmo conjunto de posições do objeto (p), as posi-
ções das imagens (p’) seriam maiores, resultando em um maior
valor da distância focal para a mesma lente.

(UNESP-2009.1) - ALTERNATIVA: A
É possível improvisar uma objetiva para a construção de um mi-
croscópio simples pingando uma gota de glicerina dentro de um
Determine a distância à direita de L2, em centímetros , na qual a furo circular de 5,0 mm de diâmetro, feito com um furador de
papel em um pedaço de folha de plástico. Se apoiada sobre uma
luz incidente de raios paralelos será focalizada.
lâmina de vidro, a gota adquire a forma de uma semi-esfera. Dada
a equação dos fabricantes de lentes para lentes imersas no ar,
RESOLUÇÃO UFPE-2009.1:
A luz irá convergir para um ponto distante de 10 cm de 1 1 1
C= = (n - 1).( + ),
L1, portanto, o objeto para a lente L2 será virtual e estará a 8 cm f R1 R2
dela p2 = – 8cm e f2 = – 10 cm (1/f = 1/p + 1/p’) p’2 = + 40 cm e sabendo que o índice de refração da glicerina é 1,5, a lente
plano-convexa obtida com a gota terá vergência C, em unidades
do SI, de
(CEFETRJ-2009.1) - RESPOSTA: a) 37,8 mm b) 47,25 cm *a) 200 di. b) 80 di. c) 50 di. d) 20 di. e) 10 di.
Em uma máquina fotográfica de foco fixo a imagem de um ponto
no infinito é formada antes do filme, conforme ilustra o esquema.
No filme esse ponto está ligeiramente desfocado e sua imagem (VUNESP/UNICISAL-2009.1) - ALTERNATIVA: C
tem 0,2 mm de diâmetro. Mesmo assim, as cópias ampliadas A figura representa duas lentes esféricas gaussianas, A e B, vis-
ainda são nítidas para o olho humano. A abertura para a entrada tas de perfil.
de luz é de 2,5 mm de diãmetro e a distância focal da lente é de São feitas três afirmações.
35 mm. I. Se A e B forem feitas de cristal e estiverem no ar, a lente A será
convergente e a lente B será divergente.
II. Independentemente do material de que forem feitas e do meio
em que estiverem imersas, A será convexo-côncava e B será
côncavo-convexa.
III. Independentemente da relação entre os índices de refração
do material das lentes e do meio em que estiverem imersas, ape-
nas a lente A funcionará como lupa.
Está correto, apenas, o contido em
a) I.
b) I e II.
a) Calcule a distância d do filme à lente. *c) II.
b) A que distância da lente um objeto precisa estar para que sua d) II e III.
imagem fique exatamente focalizada no filme? e) III.

japizzirani@gmail.com
30
(UNIFESP-2009.1) - RESPOSTA: a) f/p = 2 b) A = +1,25 (UFPE-2009.1) - RESPOSTA: p’2=+40cm (resolução no final da
Dentro de um aquário sem água são colocados uma lente delga- questão)
da convergente e um parafuso, posicionado frontalmente à lente, Duas lentes delgadas (L1 e L2), sendo a primeira convergente e a
ambos presos a suportes, conforme a figura.
segunda divergente, ambas de distância focal igual a 10 cm, es-
tão separadas pela distância D = 2,0 cm.

Nessas condições, a imagem conjugada pela lente é direita e


tem o dobro do tamanho do objeto.
a) Calcule a razão f/p, entre a distância focal da lente e a distân-
cia do objeto ao centro óptico da lente. Determine a distância à direita de L2, em centímetros , na qual a
b) Preenchido totalmente o aquário com água, a distância focal luz incidente de raios paralelos será focalizada.
da lente aumenta para 2,5 vezes a distância focal na situação
anterior, e a lente mantém o comportamento óptico convergente.
RESOLUÇÃO UFPE-2009.1:
Para as mesmas posições da lente e do objeto, calcule o aumen-
A luz irá convergir para um ponto distante de 10 cm de
to linear transversal para a nova imagem conjugada pela lente.
L1, portanto, o objeto para a lente L2 será virtual e estará a 8 cm
dela p2 = –8 cm e f2 = –10 cm (1/f = 1/p + 1/p’) p’2 = + 40 cm
(UFMS-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 014 (002+004+008)
Um biólogo, perdido na selva, está nas margens de um rio. Na (UFG/GO-2009.1) - RESOLUÇÃO NO FINAL DA QUESTÃO
tentativa de acender um fogo para sinalização com fumaça, e A chamada equação dos fabricantes de lentes (equação de Halley)
como não possui fósforos, utiliza uma lupa convergente delgada, permite determinar os elementos geométricos de uma lente de
e coloca-a perpendicularmente aos raios solares, fazendo incidir faces esféricas, uma vez conhecidos a distância focal da lente
o foco em palhas secas. A distância, entre a lente e a menor
(f), os índices de refração da lente (n2) e do meio em que a lente
imagem do Sol projetada nas palhas, é igual a f, veja a figura A.
Em seguida, utiliza a mesma lupa para determinar a distância d está (n1). Esta equação é a seguinte:
de uma árvore que está na margem oposta. Para isso, adapta a
lupa em um orifício de uma caixa fechada e, através de um su- 1 = n2 1
-1 + 1
porte, pode regular a distância da lente ao fundo da caixa para f n1 R1 R2
projetar imagens do ambiente externo para o interior escuro da
caixa sobre um fundo branco e oposto à lupa. Então, com esse Considere uma lente de distância focal f = 4,0 cm, com índice de
aparato, direciona a lupa para a árvore, regula a posição da lupa refração n2 = 4/3, imersa no ar, e admita que a velocidade da luz
até conseguir obter a imagem da árvore projetada nitidamente no ar é igual à velocidade no vácuo. Se a espessura da lente é de
no fundo da caixa, e mede a distância i entre a lupa e a imagem 1 cm e a distância entre os centros (C1 e C2) é de 5 cm, determi-
da árvore, veja a figura B. Com fundamentos nas propriedades
das lentes e através das leis da ótica geométrica, é correto afir- ne os raios R1 e R2 .
mar:

Fig 10 2009 F III

(001) A distância i medida é menor que a distância f.


(002) A distância d, entre a lente e a árvore, é dada por:
d = (f x i) (i – f).
(004) A imagem da árvore, projetada no fundo da caixa, é inverti- RESOLUÇÃO UFG/GO-2009.1:
da. n1= c/v1 = 1
(008) Se o volume interior da caixa for preenchido com água, a Da figura, verifica-se que R1 + R2 – 1 = 5 cm R1 + R2 = 6 (I)
imagem nítida da árvore será obtida a uma distância da lupa mai- Da equação de Halley, tem-se
or que i. 1/4 = (4/3 - 1)(1/R1 + 1/R2) R1R2 = 8 (II)
(016) Se o biólogo for se afastando da árvore com esse aparato,
De (I) e (II) R12 - 6R1+ 8 = 0
a imagem nítida da árvore será obtida a uma nova distância da
lupa maior que i. R1= 4cm e R2= 2cm ou R1= 2cm e R2= 4cm

japizzirani@gmail.com
31
(UFG/GO-2009.1) - RESOLUÇÃO NO FINAL DA QUESTÃO (PUCPR-2009.1) - ALTERNATIVA: D
O microscópio ótico é composto de duas lentes convergentes, Nas últimas décadas, a alimentação tem sido motivo de preocu-
de aumentos lineares transversais diferentes, dispostas de for- pação em todos os países. Um grande desafio é adequar a pro-
ma a produzirem imagens ampliadas de objetos muito peque- dução de alimentos à demanda crescente da população mundi-
nos, como as células vivas e as bactérias. Na construção do al, já que existem milhões de indivíduos famintos no planeta.
instrumento foi utilizada uma lente objetiva (próxima do objeto) Com a globalização, ficaram mais evidentes os problemas relati-
com distância focal de 4,0 mm e uma lente ocular (próxima do vos à qualidade dos alimentos para consumo humano. A Organi-
olho do observador) com distância focal maior. A disposição das zação Mundial da Saúde (OMS) tem alertado para a necessida-
lentes foi feita conforme a figura esquemática (fora de escala), de de se coibir a contaminação de alimentos por agentes biológi-
onde é mostrada a posição da imagem (I) conjugada pela objeti- cos com potencial de causar danos à saúde. Os agentes biológi-
va. Considerando que a imagem virtual conjugada pela ocular cos podem ser visíveis, como moscas, pulgões, lesmas, parasi-
será vista a 240 mm da lente, calcule: tas (como lombrigas e tênias) ou não serem visíveis a olho nu,
como os microrganismos, que só podem ser vistos através do
microscópio.
Microscópio é o instrumento que serve para ampliar, com a fina-
lidade de observação, a imagem de objetos de pequenas dimen-
sões. A lupa, quando fixa em um suporte, recebe o nome de
microscópio simples. O microscópio composto é constituído da
associação de duas lentes separadas por um tubo e, com ele, é
possível observar a maioria das células vivas. A lente que fica
próxima do objeto é denominada objetiva e a lente através da
qual a pessoa observa a imagem é chamada ocular.
Analise as afirmativas abaixo:
I. As bactérias, quando patogênicas, podem causar doenças como
botulismo, salmonelose, gastroenterite entre outras. Se uma bac-
téria for observada num microscópio composto, a imagem final
formada pelo sistema é, além de invertida, virtual e maior que a
própria bactéria.
II. Os fungos, em alguns alimentos, são utilizados propositalmente
para dar sabor, porém, em casos de contaminação, podem pro-
vocar cirrose hepática, necrose, edema, carcinoma e favorecer o
aparecimento do cancro hepático. Se um fungo for colocado a
4,0 cm de uma lupa de 6,0 cm de distância focal, o aumento
linear será de 1,5 vezes.
III. Os parasitas são transmitidos pela ingestão de alimentos con-
taminados. Podem causar teníase, ascaridíase, amebíase e ou-
tras. Observando um parasita num microscópio composto, verifi-
cou-se que a imagem ficou ampliada. As lentes do microscópio
a) a posição do objeto em relação à objetiva; são do tipo convergente.
b) o aumento linear tranversal da objetiva; Pode-se AFIRMAR que:
c) a distância focal da lente ocular; a) Apenas a alternativa II é correta.
d) o aumento linear transversal do instrumento; b) Apenas as alternativas I e II são corretas.
e) o tamanho do objeto se a imagem vista pelo observador c) Apenas a alternativa III é correta.
corresponde a 4,0 mm. *d) Apenas as alternativas I e III são corretas.
RESOLUÇÃO UFG/GO-2009.1: e) Todas as alternativas são incorretas.
a) Equação dos pontos conjugados: 1/fob = 1/p1 + 1/p1'
1 / 4,0 = 1 / p1 + 1 / 164 p1 = 4,1 mm
b) Aob = – p1' / p1 = –164 / 4,1 Aob = –40
c) Equação dos pontos conjugados: 1/foc = 1/p2 + 1/p2'
1 / foc = 1 / 12,0 + 1 / (-240) foc = 12,6 mm
d) Amic = Aob x Aoc
Aoc = –p2'/p2 = –(–240) / 12,0 = 20
Amic = –40 x 20 Amic = –800
e) Hobjeto = Himagem_mic / |Amic| = (4,0 / 800) mm

Hobjeto = 5,0 × 10–6 m

(UECE-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Uma estudante constrói uma luneta usando uma lente conver-
gente de 58,2 cm de distância focal como objetiva e uma lente
convergente com 1,9 cm de distância focal como ocular. Saben-
do-se que a distância entre as lentes ocular e objetiva é de 60
cm, qual é, aproximadamente, a distância, em centímetros, en-
tre a imagem final de um astro observado e a ocular?
a) 10,0
b) 30,6
*c) 34,2
d) 36,4

japizzirani@gmail.com
32
VESTIBULARES 2009.2

(UFU/MG-2009.2) - RESPOSTA: a) 10 cm b) –3,0 cm/s e –0,14


cm/s c) Sim, a imagem tende a ficar parada no foco
Num laboratório de óptica dispõe-se de uma lente convergente e
de um anteparo, com os quais os estudantes medem a posição
de um objeto e a posição da sua imagem projetada no anteparo.
O objeto desloca-se com velocidade constante, afastando-se da
lente. As medidas são realizadas de forma que as posições do
objeto (p) e da sua imagem (p’) são obtidas no mesmo instante
(t). Na tabela abaixo, são apresentados os valores medidos para
t, p, p’.

A partir dos dados acima, responda:


a) Qual é o valor da distância focal de lente?
b) Quais são os valores das velocidades médias da imagem,
entre os instantes t = 0s e t = 10s e entre os instantes t = 30s e t
= 60s?
c) É correto afirmar que, se forem considerados intervalos de
tempo muito grandes, isto é, t , a velocidade média da ima-
gem tenderá a zero? Justifique sua resposta.

(UNESP-2009.2) - RESPOSTA: fazer o gráfico e p’ = +20 cm


Um objeto de altura 25 cm é colocado a 60 cm de uma lente
convergente, cuja distância focal vale 15 cm. Construa grafica-
mente a formação da imagem do objeto e calcule a distância que
ela se encontra da lente.

(UEG/GO-2009.2) - ALTERNATIVA: B
O ano de 2009 foi escolhido pela UNESCO como Ano Internaci-
onal da Astronomia. O motivo desta comemoração é o aniversá-
rio de 400 anos da primeira utilização do telescópio para obser-
vação astronômica pelo cientista Galileu Galilei (1564-1643). Pos-
teriormente, verificou-se que sistemas de lentes podem ser utili-
zados para a construção de dois tipos de lunetas: astronômica e
terrestre. Essas lunetas têm em sua objetiva uma lente conver-
gente. Para a luneta astronômica, a ocular é uma lente conver-
gente e para a luneta terrestre, utilizada por Galileu Galilei, a
ocular é uma lente divergente. Usando a luneta de Galileu, o
observador obtém uma imagem final formada como sendo
a) virtual, direita e maior que o objeto.
*b) virtual, direita e menor que o objeto.
c) real, invertida e menor que o objeto.
d) real, direita e maior que o objeto.

(UEM/PR-2009.2) - RESPOSTA: SOMA = 05 (01+04)


Um microscópio óptico tem objetiva com distância focal de 20
mm e ocular com 100 mm. Um objeto levado à análise ao mi-
croscópio está a 30 mm do centro óptico da objetiva, enquanto a
ocular está colocada a 150 mm da objetiva. Assinale a(s)
alternativa(s) correta(s).
01) Nessa configuração, a imagem da objetiva, que é real, ampli-
ada e invertida, serve de objeto para a ocular.
02) A imagem formada pela ocular é real, maior e direita.
04) A ampliação final desse microscópio é o produto das amplia-
ções de suas lentes.
08) O aumento linear da ocular é 2 vezes.
16) O aumento linear do microscópio é 50 vezes.

japizzirani@gmail.com
33
tópico 12: (UFCG/PB-2009.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO
Ao descrever suas experiências, o Homem Invisível, do conto de
óptica da visão H. G. Wells, relata um momento em que foi flagrado na rua:
VESTIBULARES 2009.1 “Veja, Ted”, [...] disse o mais jovem com ar de surpresa em sua
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 36 voz e apontando diretamente para os meus pés. Eu olhei para
baixo e vi imediatamente a negra sugestão dos contornos de
(UFABC-2009.1) - ALTERNATIVA: B meus pés esboçados em lama salpicada. Por um momento, eu
Os fragmentos de textos sugerem que Miguilim era portador de estive paralisado.”
miopia. Quando o doutor José Lourenço empresta-lhe os óculos,
um novo mundo descortina-se diante dele.
A miopia é uma deficiência que tem como causa uma
a) anormalidade no bulbo ocular, que é mais curto, assim a ima-
gem de um objeto é projetada depois da retina, a correção é feita
como uso de lentes divergentes.
*b) anormalidade no bulbo ocular, que é mais longo, assim as
imagens formam-se antes da retina, a correção é feita com o uso
de lentes divergentes.
c) assimetria na curvatura da córnea, projetando imagens sem
nitidez, a correção é feita com lentes convergentes.
d) disfunção na lente que projeta a imagem no ponto cego ou
fóvea, a correção é feita com lentes cilíndricas.
e) incapacidade de acomodação da lente, gerando dificuldade
na focalização de objetos, a correção é feita com lentes conver-
gentes.

(UFABC-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Pode-se corrigir a miopia com o uso de óculos, lentes de contato
ou cirurgicamente. A cirurgia a laser consiste em esculpir e mo-
delar a curvatura da córnea com a tecnologia do laser frio, cha-
mado Excimer Laser. O epitélio do olho (camada superficial so- Considerando o princípio óptico de funcionamento do olho hu-
bre a córnea) é raspado para receber o laser. As células da córnea mano, poderia o relato estar correto ou, poderia o Homem Invisí-
são pulverizadas com a aplicação do laser, e a córnea é aplana- vel enxergar? Justifique sua resposta.
da, tornando-se menos curva. O epitélio, com o tempo, se rege- RESPOSTA OFICIAL UFCG/PB-209.1:
nera. O relato não está correto. O Homem Invisível não poderia enxer-
gar! Para tornar-se invisível todo o seu corpo deveria ter o mes-
mo índice de refração do ar. Para o caso do olho, deve existir
uma diferença de índice de refração do cristalino (a lente conver-
gente do olho humano) e o meio, no caso, o ar.

(PUCSP-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Certo professor de física deseja ensinar a identificar três tipos de
defeitos visuais apenas observando a imagem formada através
dos óculos de seus alunos, que estão na fase da adolescência.
Ao observar um objeto através do primeiro par de óculos, a ima-
gem aparece diminuída. O mesmo objeto observado pelo segun-
do par de óculos parece aumentado e apenas o terceiro par de
óculos distorce as linhas quando girado. Através da análise das
imagens produzidas por esses óculos podemos concluir que seus
donos possuem, respectivamente,
O fato de a córnea ter sido aplanada corrige a miopia porque
a) seu índice de refração fica menor, causando menos desvio
nos raios luminosos.
b) seu índice de refração fica maior, causando mais desvio nos
raios luminosos.
*c) diminuindo a curvatura da córnea, o globo ocular torna-se
menos convergente.
d) diminuindo a curvatura da córnea, o globo ocular torna-se mais
convergente.
e) a córnea, mais fina, permite a entrada de mais luz no globo
ocular. Terceiro par de
Primeiro par de Segundo par de
óculos: imagem óculos: imagem óculos, quando
(CEFETMG-2009.1) - ALTERNATIVA: C
diminuida aumentada movimenentado:
A refração da luz é descrita pela variação da sua velocidade de
imagem distorcida
propagação, quando muda de um meio para outro. Dos fenôme-
nos relacionados, aquele em que a velocidade da luz permanece
constante é a
a) formação de imagem na retina do olho. a) miopia, astigmatismo e hipermetropia.
b) formação do arco-íris por gotas de chuva. b) astigmatismo, miopia e hipermetropia.
*c) reflexão total no interior de uma fibra óptica. c) hipermetropia, miopia e astigmatismo.
d) profundidade aparente do fundo de uma piscina. d) hipermetropia, astigmatismo e miopia.
e) imagem do Sol focalizada por meio de uma lupa. *e) miopia, hipermetropia e astigmatismo.

japizzirani@gmail.com
34
(UNICENTRO/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: E 27ª QUESTÃO - ALTERNATIVA: B
Uma pessoa observa uma árvore muito distante, e, depois passa Ainda acerca do assunto tratado no texto III, resolva a seguinte
a ler um livro em suas mãos. Depois de observar a árvore, para situação-problema: A hipermetropia se deve ao encurtamento do
focalizar a imagem do livro em sua retina é preciso que globo ocular em relação à distância focal do cristalino. Isso cau-
a) os cristalinos dos olhos da pessoa fiquem mais finos. sa dificuldade para enxergar objetos próximos e principalmente
b) a distância focal do cristalino dos olhos da pessoa aumente. para leitura de textos.
c) a distância entre o cristalino e a retina dos olhos da pessoa Uma pessoa, ao perceber que a menor distância focal em que
diminua. consegue ler um livro é 50,0 cm, foi a um oculista que, perceben-
d) a distância entre o cristalino e a retina dos olhos da pessoa do que ela estava com hipermetropia, receitou lentes de corre-
aumente. ção para o defeito de sua visão, a fim de que ela pudesse ler
*e) a distância focal do cristalino dos olhos da pessoa diminua. livros a uma distância mínima confortável de 25,0 cm de sua
vista. Qual é a vergência, em dioptrias (em graus) dessa lente,
capaz de corrigir esse defeito?
(UEPB-2009) - ALTERNATIVA: 26 D e 27 B
a) 3,0 d) 4,0
Leia o texto III para responder às questões 26 e 27.
*b) 2,0 e) 3,5
Texto III
c) 2,5
De maneira simplificada, podemos considerar o olho humano
como constituído de uma lente biconvexa, denominada cristali- (UFSCar-2009.1) - ALTERNATIVA: B
no, situada na região anterior do globo ocular (figura abaixo). No ... Pince-nez é coisa que usei por largos anos, sem desdouro.
fundo deste globo está localizada a retina, que funciona como Um dia, porém, queixando-me do enfraquecimento da vista, al-
anteparo sensível à luz. As sensações luminosas, recebidas pela guém me disse que talvez o mal viesse da fábrica. ...
retina, são levadas ao cérebro pelo nervo ótico. O olho humano (Machado de Assis. Bons Dias, 1888.)
sem problemas de visão é capaz de se acomodar, variando sua
distância focal, de modo a ver nitidamente objetos muito afasta- Machado de Assis via-se obrigado a utilizar lentes corretivas que,
dos até aqueles situados a uma distância mínima, aproximada- em sua época, apoiavam-se em armações conhecidas como
mente a 25 cm. (Adaptado de Máximo, Antonio & Alvarenga, pince-nez ou lorgnon, que se mantinham fixas ao rosto pela ação
Beatriz. Física. 5ª ed. vol. 2 São Paulo: Scipione, 2000, p.279). de uma débil força elástica sobre o nariz.
“(...) Um sistema óptico tão sofisticado como o olho humano tam-
bém sofre pequenas variações ou imperfeições em sua estrutu-
ra, que ocasionam defeitos de visão. Até há pouco tempo não
havia outro recurso para corrigir esses defeitos senão acrescen-
tar a esse sistema uma ou mais lentes artificiais – os óculos.”
(Gaspar, Alberto. Física. 1ª ed.,vol. único. São Paulo: Ática, 2004,
p. 311)

Supondo que Machado, míope, só conseguisse ver nitidamente


objetos à sua frente desde que estes se encontrassem a até 2 m
de seus olhos, e que ambos os olhos tivessem o mesmo grau de
miopia, as lentes corretivas de seu pince-nez deveriam ser de
vergência, em dioptrias,
a) + 2,0. *b) – 0,5. c) – 1,0. d) – 1,5. e) – 2,0.

(UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: D
Corte Esquemático do Olho Humano As pessoas que usam óculos por causa da hipermetropia podem
26ª QUESTÃO - ALTERNATIVA: D fazer uma cirurgia no olho com uma técnica em que o médico
Acerca do assunto tratado no texto III, em relação ao olho huma- utiliza o raio laser, e, a partir daí, não precisam mais usar óculos.
no e defeitos na vista, analise as proposições a seguir, escreven- Sobre essa questão, qual afirmação abaixo é VERDADEIRA?
do V ou F, conforme sejam Verdadeiras ou Falsas, respectiva- a) As lentes dos óculos que essas pessoas com hipermetropia
mente. usavam eram divergentes, e, na cirurgia, o que o médico faz é
( ) Na hipermetropia, os raios de luz paralelos que incidem no aumentar o raio de curvatura do sistema córnea/cristalino, que
globo ocular são focalizados depois da retina, e sua correção é funciona como a “lente” do olho humano.
feita com lentes convergentes. b) As lentes dos óculos que essas pessoas com hipermetropia
( ) Na miopia, os raios de luz paralelos que incidem no globo usavam eram convergentes, e, na cirurgia, o que o médico faz é
ocular são focalizados antes da retina, e a sua correção é feita aumentar a distância focal do sistema córnea/cristalino, que fun-
com lentes divergentes. ciona como a “lente” do olho humano.
( ) Na formação das imagens na retina da vista humana normal, c) As lentes dos óculos que essas pessoas com hipermetropia
o cristalino funciona como uma lente convergente, formando ima- usavam eram divergentes, e, na cirurgia, o que o médico faz é
gens reais, invertidas e diminuídas. diminuir o raio de curvatura do sistema córnea/cristalino, que fun-
( ) Se uma pessoa míope ou hipermétrope se torna também ciona como a “lente” do olho humano.
presbíope, então a lente que usa deverá ser alterada para menos *d) As lentes dos óculos que essas pessoas com hipermetropia
divergente, se hipermétrope. usavam eram convergentes, e, na cirurgia, o que o médico faz é
Assinale a alternativa que corresponde à seqüência correta: diminuir o raio de curvatura do sistema córnea/cristalino, que fun-
a) V, F, V, V ciona como a “lente” do olho humano.
b) V, V, F, V e) As lentes dos óculos que essas pessoas com hipermetropia
c) F, V, V, F usavam eram divergentes, e, na cirurgia, o que o médico faz é
*d) V, V, V, F aumentar a distância focal do sistema córnea/cristalino, que fun-
e) V, V, F, F ciona como a “lente” do olho humano.

japizzirani@gmail.com
35
VESTIBULARES 2009.2 (IFGO/CEFETGO-2009.2) - ALTERNATIVA: D

Óculos
(Paralamas do Sucesso)
(UFPR-2009.2) - ALTERNATIVA: E
“Se as meninas do Leblon
Sobre lentes e óptica da visão, considere as seguintes afirmati-
Não olham mais pra mim
vas:
(Eu uso óculos)
1. Uma imagem real (p’>0) pode situar-se na região da luz inci-
E volta e meia
dente.
Eu entro com meu carro pela contramão
2. A equação de Halley (dos fabricantes de lentes) apenas é vá-
(Eu tô sem óculos)...”
lida para lentes delgadas.
3. Se a vergência de uma lente for negativa, então a lente será
Óculos fazem parte do conteúdo da Ótica, que estuda a propa-
obrigatoriamente divergente.
gação da luz em meios como o vácuo ou o ar. Sobre Ótica, indi-
4. Para objetos reais, lentes divergentes sempre conjugam ima-
que a única proposição incorreta.
gens virtuais, direitas e menores que o objeto focado.
a) Um raio de luz monocromática se aproxima da normal, como
5. Uma lente divergente pode ser utilizada para a correção da
na figura a seguir, quando ele passa de um meio menos refringente
hipermetropia.
para um mais refringente.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas 1 e 4 são verdadeiras.
b) Somente as afirmativas 1, 2, 3 e 4 são verdadeiras.
c) Somente as afirmativas 1, 3 e 4 são verdadeiras.
d) Somente as afirmativas 2, 3 e 5 são verdadeiras.
*e) Somente as afirmativas 2, 3 e 4 são verdadeiras.

(VUNESP/FTT-2009.2) - ALTERNATIVA: D
Não se sabe ao certo quando foram criadas as primeiras lentes,
mas já no século VIII a.C. conhecia-se um cristal de rocha com
propriedades de ampliação de imagens. No entanto, foi só no
século XIII que esse cristal passou a ser utilizado de forma siste-
b) Na realidade, a imagem que se forma na retina do olho huma-
mática, surgindo, assim, os primeiros óculos.
no fica de cabeça para baixo.
Hoje, os óculos são de uso popular, mas o que muitos não co-
c) Um espelho convexo de Gauss só fornece imagens virtuais.
nhecem são as propriedades e características que suas lentes
*d) A reflexão total tanto pode ocorrer para um observador fora da
apresentam, e como atuam na correção dos principais defeitos
água olhando para a superfície, quanto para um observador den-
de visão.
tro da água olhando para a mesma superfície.
A seguir são apresentadas duas características de alguns defei-
e) Quando você olha para um objeto dentro de uma piscina, na
tos de visão comuns na população:
verdade você está enxergando uma imagem virtual um pouco
1 – dificuldade para visão nítida de perto
acima do ponto onde o objeto está.
2 – dificuldade para visão nítida de longe
A figura mostra alguns perfis de lentes esféricas de vidro.

(UNIMONTES/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: C
Uma pessoa possui miopia, defeito de visão em que os raios
luminosos que entram em cada olho, paralelamente ao eixo óptico,
convergem para um foco aquém da retina. O portador de miopia
possui dificuldade para enxergar objetos distantes dele. A corre-
ção dessa deficiência é feita com lentes divergentes.
Após 40 anos de idade, como é comum ocorrer, essa pessoa
apresentava um quadro de presbiopia, demonstrando, além da
miopia, possuir dificuldades para enxergar objetos muito peque-
nos, não conseguindo, por exemplo, identificar letras e palavras
em bulas de medicamentos. Sobre o estado da visão dessa pes-
soa, é CORRETO afirmar que
a) O uso dos óculos com lentes convergentes não interfere na
Considerando três dos principais defeitos de visão na população dificuldade para enxergar objetos muito pequenos.
brasileira, a miopia, a hipermetropia e a presbiopia, a alternativa b) A correção da presbiopia pode ser feita apenas com o uso de
que relaciona corretamente esses defeitos com suas caracterís- lentes convergentes.
ticas e os tipos de lentes adequadas para suas correções é: *c) O uso dos óculos com lentes divergentes acentua a dificulda-
a) hipermetropia e miopia apresentam, respectivamente, as ca- de para enxergar objetos muito pequenos.
racterísticas 1 e 2, e podem ser corrigidas, por exemplo, com o d) A correção da presbiopia pode ser feita apenas com o uso de
uso das lentes B e A, respectivamente. lentes divergentes.
b) hipermetropia e presbiopia apresentam, respectivamente, as
características 2 e 1, e podem ser corrigidas, por exemplo, com o
uso das lentes A e C, respectivamente. (UEG/GO-2009.2) - ALTERNATIVA: D
c) presbiopia e miopia apresentam a mesma característica 2, e O globo ocular é, do ponto de vista óptico, um sistema conver-
podem ser corrigidas, por exemplo, com o uso das lentes C e D, gente que pode apresentar defeitos, os quais irão prejudicar a
respectivamente. visão dos objetos. Pode-se dizer que uma pessoa que apresenta
*d) miopia e presbiopia apresentam, respectivamente, as carac- o globo ocular mais longo do que
terísticas 2 e 1, e podem ser corrigidas, por exemplo, com o uso o normal, apresenta:
das lentes D e A, respectivamente. a) hipermetropia
e) hipermetropia e miopia apresentam, respectivamente, as ca- b) astigmatismo
racterísticas 1 e 2, e podem ser corrigidas, por exemplo, com o c) catarata
uso das lentes A e C, respectivamente. *d) miopia

japizzirani@gmail.com
36
(UNESP-2009.2) - ALTERNATIVA: C (UFG/GO-2009.2) - ALTERNATIVA: D
Um oftalmologista indicou o uso de óculos com lente convergen- Em decorrência da presbiopia, mesmo uma pessoa de visão
te a um paciente que tem dificuldade para enxergar tanto de per- normal sofrerá de problemas de visão ao envelhecer.
to como de longe. Para tentar explicar ao paciente um dos seus Isso decorre devido à perda de elasticidade dos músculos ciliares
problemas visuais, mostrou-lhe uma figura que representa a tra- e consequente enrijecimento do cristalino do olho, o que aumen-
jetória de raios de luz, provenientes de um pequeno objeto muito ta a distância do ponto próximo que mede, em média, 25 cm para
afastado, atingindo um de seus olhos, quando não está usando um olho normal de um adulto. Suponha que uma pessoa, aos 60
óculos. A figura que melhor poderia representar a mostrada pelo anos, tenha o ponto próximo em 80 cm. Para corrigir o problema
oftalmologista é de presbiopia, essa pessoa precisará usar óculos com lentes
a) convergentes de +0,0275 dioptrias de vergência.
b) divergentes de -5,25 dioptrias de vergência.
a) d) c) divergentes de -2,75 dioptrias de vergência.
*d) convergentes de +2,75 dioptrias de vergência.
e) convergentes de +5,25 dioptrias de vergência.

b) e) (VUNESP/UFTM-2009.2) - RESPOSTA: a) c = +1,25 di


b) hipermetropia e presbiopia
Um avião sobrevoa uma região plana a 4 km de altitude com o
objetivo de fazer fotos aéreas do terreno na escala de 1 : 5 000,
ou seja, de maneira que as dimensões reais dos objetos fotogra-
*c) fados sejam 5 000 vezes maiores que as dimensões dos mes-
mos objetos nas fotografias. Considere que o fotógrafo utiliza
uma câmera fotográfica cuja lente objetiva é esférica e satisfaz
as condições de nitidez de Gauss e que ele faça as fotos no
momento em que a região fotografada esteja próxima da vertical
(IFSP-2009.2) - ALTERNATIVA OFICIAL: C que passa pelo avião. Nessas condições, responda:
As ondas fazem parte do cotidiano dos seres humanos. Seja a a) qual a vergência, em dioptrias, da lente objetiva da câmera
visão, a audição, a sensação de calor ou de frio , nosso contato fotográfica utilizada nessa tarefa?
com o ambiente se faz por intermédio, basicamente, de ondas. b) considerando os defeitos de visão – miopia, hipermetropia e
Acerca das ondas em geral, são feitas as seguintes asserções: presbiopia – qual ou quais deles poderia(m) ser corrigido(s) com
I. Para corrigir o defeito de visão conhecido como miopia, as on- o mesmo tipo de lente utilizada nessa câmera fotográfica? Justi-
das luminosas devem passar por óculos que utilizem lentes di- fique.
vergentes.
II. Um raio luminoso que passa de um meio de maior índice de
refração para outro de menor índice de refração, sofre um au-
mento em seu comprimento de onda.
III. A imagem produzida por um espelho convexo é menor, real e
invertida.
IV. Ondas sonoras, por serem longitudinais, não sofrem interfe-
rência.
V. O timbre de um instrumento, da voz, ou de um som em geral,
está relacionado com o conteúdo e intensidade dos harmônicos
no som emitido.
Lendo com atenção as asserções anteriores, pode-se afirmar com
certeza que
a) todas estão corretas.
b) apenas quatro estão corretas.
*c) apenas três estão corretas.
d) apenas duas estão corretas.
e) apenas uma está correta.

(UEM/PR-2009.2) - RESPOSTA: SOMA = 07 (01+02+04)


Assinale o que for correto.
01) A luz solar, que nos vegetais é absorvida por pigmentos como
a clorofila e os carotenoides, é constituída de fótons.
02) As folhas da maioria das plantas são enxergadas como ver-
des porque os pigmentos mais abundantes nelas, as clorofilas,
absorvem a maior parte da radiação visível com frequências cor-
respondentes às outras cores do espectro solar, mas refletem a
radiação correspondente à nossa sensação do verde.
04) Na miopia, os raios paralelos são focalizados antes da retina,
formando uma imagem sem nitidez. A correção por meio de ócu-
los exige lentes divergentes.
08) Uma folha com temperatura de 25°C transfere calor, espon-
taneamente, para outra folha com temperatura de 30°C, desde
que a primeira esteja iluminada e a segunda esteja na sombra.
16) Se um organismo homeotermo, cuja temperatura corpórea
normal é 40°C, estiver à temperatura de 104°F, deverá estabele-
cer estratégias para aumentar
a sua temperatura corpórea.

japizzirani@gmail.com
37