Você está na página 1de 48

física

termofísica
QUESTÕES DE VESTIBULARES
2018.1 (1o semestre)
2018.2 (2o semestre)

sumário
termômetros e escalas termométricas
VESTIBULARES 2018.1.......................................................................................................................................... 2
VESTIBULARES 2018.2...........................................................................................................................................4
calor sensível
VESTIBULARES 2018.1...........................................................................................................................................5
VESTIBULARES 2018.2.......................................................................................................................................... 8
calor latente
VESTIBULARES 2018.1......................................................................................................................................... 11
VESTIBULARES 2018.2.........................................................................................................................................16
sistema termicamente isolado
VESTIBULARES 2018.1......................................................................................................................................... 19
VESTIBULARES 2018.2.........................................................................................................................................22
transmissão de calor
VESTIBULARES 2018.1......................................................................................................................................... 23
VESTIBULARES 2018.2......................................................................................................................................... 26
dilatação térmica
VESTIBULARES 2018.1.........................................................................................................................................28
VESTIBULARES 2018.2......................................................................................................................................... 31
transformações gasosas
VESTIBULARES 2018.1......................................................................................................................................... 32
VESTIBULARES 2018.2......................................................................................................................................... 36
trabalho da força de pressão
VESTIBULARES 2018.1.........................................................................................................................................38
VESTIBULARES 2018.2.........................................................................................................................................40
primeira lei da termodinâmica
VESTIBULARES 2018.1.........................................................................................................................................41
VESTIBULARES 2018.2.........................................................................................................................................44
segunda lei da termodinâmica
VESTIBULARES 2018.1......................................................................................................................................... 46
VESTIBULARES 2018.2......................................................................................................................................... 48

japizzirani@gmail.com
TERMOFÍSICA (IFSUL/MG-2018.1-modificado) - ALTERNATIVA: C
O Fahrenheit é uma escala de temperatura termodinâmica, onde o
termômetros e escalas termométricas ponto de congelamento da água é de 32 graus Fahrenheit (°F) e o
ponto de ebulição de 212 °F (com uma pressão atmosférica normal).
Fonte: http://www.metric-conversions.org/pt-br/temperatura/fahrenheit-em-celsius.htm
VESTIBULARES 2018.1
Para converter uma temperatura de graus Celsius (ºC) em graus
Fahrenheit (ºF) utiliza-se uma equação cujo gráfico é uma reta. Re-
(UNICENTRO/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: C presentando a temperatura em graus Celsius (ºC) por x e a tempera-
Após o aquecimento de uma barra metálica observou-se que sua tura em graus Fahrenheit (ºF) por y, o gráfico que melhor representa
temperatura média era de 250 ºC. Esta mesma temperatura na es- a relação entre essas duas escalas de temperatura é:
cala Fahrenheit vale:
a) 282 ºF . a)
b) 418 ºF .
*c) 482 ºF .
d) 523 ºF .

(UECE-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Quando dois corpos de tamanhos diferentes estão em contato e em
equilíbrio térmico, ambos isolados do ambiente, é correto afirmar
que
a) o corpo maior é o mais quente.
b) o corpo menor é o mais quente.
*c) não há troca de calor entre os corpos.
d) o corpo maior cede calor para o corpo menor.

(UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 27 (01+02+08+16)


Assinale o que for correto.
01) A lei zero da Termodinâmica diz que, se um corpo A está em b)
equilíbrio térmico com um corpo B e se este está em equilíbrio tér-
mico com um corpo C, então A está em equilíbrio térmico com C.
02) A unidade de temperatura no Sistema Internacional de Unidades
(SI) é o Kelvin (K).
04) A relação de conversão entre uma temperatura medida em Kel-
vin e uma temperatura medida em Fahrenheit é dada por:
9
TF = T ‒ 32 .
5
08) 41ºF correspondem a 5ºC.
16) Se um corpo A estiver em equilíbrio térmico com um corpo B e
se este estiver em equilíbrio térmico com um corpo C, então A, B e
C estão na mesma temperatura.

(IF/CE-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Um determinado estado térmico foi avaliado usando-se dois termô-
metros, um graduado em Celsius e outro em Fahrenheit. A leitura
Fahrenheit excede em 23 unidades o dobro da leitura Celsius. Essa *c)
temperatura corresponde, em ºC, ao valor
a) 65. d) 90.
b) 80. *e) 45.
c) 75.

(SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Cada um dos termômetros a seguir foi colocado em um copo conten-
do água em estado líquido.

d)

Fonte: <http://nautilus.fis.uc.pt/cec/pressao/dados/conceitos/index.html>.
Acesso em: 05. fev. 2016.

Considerando esses dados e supondo que o copo esteja num local


ao nível do mar, a única leitura de temperatura que pôde ser realiza-
da por um estudante foi
a) 30 K. d) 250 K.
b) 30°F. *e) 350 K.
c) 130°C.
japizzirani@gmail.com 2
(UNIOESTE/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: E (SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Considere as seguintes assertivas sobre calor e temperatura: As imagens abaixo se referem à questão 42.
I – Calor de transformação de uma substância é a energia total cedi- Cidade I Cidade II
da ou absorvida por uma substância na forma de calor durante uma
transformação de fase;
II – Calor é a energia transferida entre sistemas em decorrência da
existência de diferença de temperatura entre eles;
III – Temperatura de um sistema é a medida da quantidade de calor
contida nesse sistema; Fonte: <http://migre.me/uKLwO>. Acesso em: 14 jul. 2016.
IV – De acordo com a Lei Zero da Termodinâmica, se um sistema C
está em equilíbrio térmico com um sistema A e com um sistema B, QUESTÃO 42
os sistemas A e B transferiram energia para o sistema C na forma Considerando as imagens, afirma-se que a temperatura registrada
de Calor. para a cidade I corresponderá na cidade II, nas escalas Fahrenheit e
Kelvin, respectivamente, a
É CORRETO afirmar que a) 102,4°F e 312,5 K.
a) apenas as assertivas I, IV são corretas. b) 102°F e 312,3 K.
b) apenas as assertivas I e II são corretas.
*c) 102,2°F e 312 K.
c) apenas as assertivas II e III são corretas.
d) apenas a assertiva III é correta. d) 102,1°F e 311 K.
*e) apenas a assertiva II é correta. e) 102,5°F e 311,8 K.

(UCB/DF-2018.1) - ALTERNATIVA: E (UTFPR-2018.1) - ALTERNATIVA: C


Considere dois corpos, A e B, estão em contato térmico em um reci- Sobre escalas termométricas, considere as seguintes afirmações:
piente termicamente isolado. Verifica-se que os corpos A e B estão
I. A temperatura normal do corpo humano é 36,5°C. Na
em equilíbrio térmico.
escala Fahrenheit, essa temperatura corresponde a um
valor maior do que 100°F.
II. Na escala Kelvin, todas as temperaturas são representa-
das por valores positivos.
III. A temperatura de 0°C na escala Kelvin corresponde a
300 K.
Está(ão) correta(s) apenas:
a) I.
O corpo B é então colocado em contato térmico com um corpo C, b) I e II.
em um outro recipiente termicamente isolado. Verifica-se que B e C *c) II.
também estão em equilíbrio térmico, ou seja, A e C estão separada- d) II e III.
mente em equilíbrio térmico com um terceiro corpo B. e) III.

(IFSUL/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Num recipiente com água, dois termômetros determinam, simultane-
amente, a temperatura, sendo um deles graduado em graus Fahre-
nheit e o outro em graus Celsius. A diferença entre as leituras dos
dois termômetros é 100,0.
Com base nas informações fornecidas, é correto afirmar que a tem-
peratura da água contida no recipiente, em graus Fahrenheit, é
a) 85,0
A respeito do exposto, é correto afirmar que o(s) corpo(s) *b) 185,0
a) A e B possuem a mesma quantidade de calor. c) 100,0
b) A e C possuem a mesma quantidade de calor. d) 180,0
c) B transfere energia térmica de A para C.
c) B está a uma temperatura maior que a de C.
(UFGD/MS-2018.1) - ALTERNATIVA: D
*e) A e C estão à mesma temperatura.
Em um dia típico na região Centro-Oeste é comum se observar uma
amplitude térmica, diferença entre as temperaturas máxima e mí-
(VUNESP-HUMANITAS/SP) - ALTERNATIVA: B nima de um mesmo dia, de 15°C. O quanto equivale essa mesma
As temperaturas TA e TB medidas por dois termômetros construídos amplitude térmica na escala Kelvin e Fahrenheit, respectivamente?
em diferentes escalas termométricas A e B relacionam-se de acordo a) 258K, 59°F.
com o gráfico. b) 288K, 59°F.
c) 15K, 59°F.
*d) 15K, 27°F.
e) 15K, 8.3°F.

O valor da temperatura na qual TA = TB é


a) – 50º.
*b) – 60º.
c) – 30º.
d) – 10º.
e) – 20º.
japizzirani@gmail.com 3
VESTIBULARES 2018.2 (IFSUL/RS-2018.2) - ALTERNATIVA: C
O gráfico abaixo mostra a variabilidade térmica para a cidade de
Nova York, no mês de fevereiro de 2018, através das temperaturas
(SENAI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: A máximas e mínimas diárias.
Em 1966, foi lançado o filme Fahrenheit 451, do diretor francês Fran-
çois Truffaut. O foco da ação do filme é um grupo de bombeiros,
o grupo Fahrenheit 451, responsável por queimar todos os livros
que encontrassem, em uma temperatura de 451 graus Fahrenheit
(451°F). No Brasil e na maior parte dos países do mundo, a escala
de medida de temperaturas mais usual é a Celsius. No entanto, a
escala de temperaturas oficial do Sistema Internacional de Unidades
(SI) é o Kelvin. A temperatura que dá nome ao filme é equivalente,
aproximadamente, a
*a) 233°C.
b) 178 K.
c) 724°C.
d) 451°C.
Disponível em: <https://www.accuweather.com/pt/us/ne-york-/10007/month/ 349727
e) 724 K. ?monyr=2/01/2018> (Adaptado). Acesso em: 21 mar. 2018.

Com base neste gráfico, é INCORRETO afirmar que


(IF/CE-2018.2) - ALTERNATIVA: C
a) a menor amplitude térmica diária foi no dia 25.
O gráfico a seguir estabelece a relação entre uma escala arbitrária
b) ao longo do mês houve uma tendência de aumento da tempera-
de temperatura (ºA) e a escala Fahrenheit (ºF).
tura.
*c) a menor temperatura máxima é superior à maior temperatura
mínima.
d) o dia 21 foi o mais quente do período, enquanto o dia 3 foi o mais
frio.

(IFSUL/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: A
Um certo dia, registrou-se na cidade de Muzambinho os seguintes
valores de temperaturas: 13 °C e 28 °C. Essa variação de tempera-
A temperatura da água em ebulição, sob pressão atmosférica nor- tura na escala Fahrenheit é de:
mal, em ºA, vale *a) 27 °F
a) 130. b) 39 °F
b) 173. c) 49 °F
*c) 150. d) 59 °F
d) 103.
e) 212.

(VUNESP-C.U.S.Camilo/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: E
Uma escala termométrica R foi criada para uso em laboratório. Nela,
o valor de 0 ºR equivale à temperatura de – 20 ºC e o valor de 100 ºR
equivale à temperatura de 40 ºC.
Nessa escala, a temperatura de 66 ºR, corresponde à temperatura
de
a) 6,8 ºC. d) 66,8 ºC.
b) 59,6 ºC. *e) 19,6 ºC.
c) 0 ºC.

(UNITAU/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Um cientista da área térmica construiu um termômetro utilizando
uma escala criada por ele, a qual denominou de escala S. O instru-
mento foi baseado numa coluna capilar de mercúrio, e mede, para o
ponto de fusão do gelo, 40 S, onde S é a unidade de temperatura de
seu instrumento. Ao medir a temperatura do ponto de vapor de água
com seu instrumento, encontra 400 S.
É CORRETO afirmar que a temperatura de 132 graus fahrenheit
corresponde a
a) 420 S d) 204 S
b) 402 S e) 42 S
*c) 240 S

(ETEC/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: D
A matéria orgânica, quando decomposta, torna-se um excelente
adubo.
Na compostagem, a matéria orgânica é empilhada em grandes mon-
tes. Com a decomposição, a temperatura no interior desses montes
aumenta, podendo matar organismos importantes para a própria de-
composição. Por esse motivo, a temperatura deve ser monitorada.
O ideal é que, na compostagem, a temperatura permaneça entre
50 ºC e 60 ºC.
Essas temperaturas, escritas em Fahrenheit, são, respectivamente,
a) 58 ºF e 68 ºF.
b) 58 ºF e 76 ºF.
c) 122 ºF e 132 ºF.
*d) 122 ºF e 140 ºF.
e) 132 ºF e 140 ºF.
japizzirani@gmail.com 4
TERMOFÍSICA (VUNESP-StaCASA/SP-2018.1) - RESP. NO FINAL DA QUESTÃO
Um cozinheiro precisa de água a 80 ºC. Para isso, coloca 2 L de
calor sensível água a 20 ºC em uma panela e leva à chama de um fogão. Depois
de 250 s, quando o sistema atinge 70 ºC (etapa 1), o cozinheiro
percebe que a quantidade de água que está na panela não será
VESTIBULARES 2018.1 suficiente para o que precisa e acrescenta mais uma massa m2 de
água, abaixando a temperatura do sistema para 40 ºC. A partir desse
momento, ele observa que serão necessários mais 500 s para que a
(PUC/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: C
água na panela atinja 80 ºC (etapa 2).
Para fazer seu chimarrão, uma pessoa esquenta 1 litro de água à
temperatura inicial de 25°C utilizando um aquecedor elétrico. A água
alcança a temperatura ideal de 85°C após 6 minutos.
Qual é a potência desse aquecedor, em Watts? Despreze perdas de
calor ao ambiente.
a) 167
Dados
b) 252
*c) 700 Densidade da água: 1,0 g/mL
d) 992 Calor específico da água: 1,0 cal/g°C ≈ 4,2 J/g°C
e) 4200

(UNICENTRO/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Um corpo de massa 100 g é constituído por uma substância de calor
específico 0,5 cal/g .0C. A quantidade de calor que o corpo deve
receber para que sua temperatura varie de 20 0C para 50 0C será:
a) 2 400 cal
b) 2 000 cal Considerando a potência da chama do fogão constante, o calor es-
c) 1750 cal pecífico da água igual a 4 × 103 J/(kg ·ºC), a densidade da água igual
*d) 1 500 cal a 1 kg/L, que todo o calor fornecido pela chama seja absorvido pela
água e desprezando as perdas para o ambiente, calcule:
a) o valor da potência da chama do fogão, em W.
(IF/BA-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Analise as proposições e indique a verdadeira: b) a massa m2 de água acrescentada à panela durante o processo,
a) Calor e energia térmica são a mesma coisa, podendo sempre ser em kg.
usados tanto um termo quanto o outro, indiferentemente. RESPOSTA VUNESP-StaCASA/SP-2018.1:
b) Dois corpos estão em equilíbrio térmico quando possuem quanti-
a) P = 1,6 × 103 W b) m2 = 3 kg
dade iguais de energia térmica.
c) O calor sempre flui da região de menor temperatura para a de
maior temperatura. (VUNESP/CEFSA-2018.1) - ALTERNATIVA: E
d) Um corpo somente possui temperatura maior que a de um outro A figura mostra uma representação da famosa experiência de Joule,
quando sua quantidade de energia térmica também é maior que a que comprova a conversão de energia mecânica em energia térmi-
do outro. ca.
*e) Calor é energia térmica em trânsito, fluindo espontaneamente da
região de maior temperatura para a de menor temperatura.

(ENEM-2017) - ALTERNATIVA: D
No manual fornecido pelo fabricante de uma ducha elétrica de 220
V é apresentado um gráfico com a variação da temperatura da
água em função da vazão para três condições (morno, quente e
superquente). Na condição superquente, a potência dissipada é de
6 500 W. Considere o calor específico da água igual a 4 200 J/(kg °C)
À medida que um peso, inicialmente em repouso, desce uma altura
e densidade da água igual a 1 kg/L.
h de A para B, o fio em que ele está amarrado faz girar pás imersas
em uma quantidade de água contida em um calorímetro. Sendo a
massa do peso igual a 10 kg, aceleração da gravidade 10 m/s2, mas-
sa da água contida no calorímetro 100 g e calor específico da água
4 kJ/kg·K, e considerando que a transferência de energia mecânica
para térmica é completa, a elevação da temperatura da água regis-
trada no termômetro T, quando o peso desce h = 10 metros, é de:
a) 0,5 ºC.
b) 1,0 ºC.
c) 1,5 ºC.
d) 2,0 ºC.
*e) 2,5 ºC.

(FMABC/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Com base nas informações dadas, a potência na condição morno O número aproximado de calorias a serem fornecidas a um cubo de
corresponde a que fração da potência na condição superquente? ferro com 1cm de aresta, para que a temperatura do cubo varie de
59°F a 338 K, é:
1
a)
3 Dados:
1 Densidade do ferro 8 000 kg/m3
b)
5 Calor específico do ferro 460 J/kg.°C
3 1 cal = 4,2 J
c)
5 a) 408
3 b) 1.877
*d)
8 c) 70
5 d) 187
e)
8 *e) 44
japizzirani@gmail.com 5
(UNIOESTE/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: C (UNICAMP/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Uma jarra térmica com aquecimento elétrico e paredes adiabáticas Um conjunto de placas de aquecimento solar eleva a temperatura
pode ser utilizada para aquecer líquidos em seu interior utilizando da água de um reservatório de 500 litros de 20 ºC para 47 ºC em
um elemento resistivo que aquece devido ao Efeito Joule. Considere algumas horas. Se no lugar das placas solares fosse usada uma
uma jarra térmica com aquecimento elétrico, projetada para operar resistência elétrica, quanta energia elétrica seria consumida para
a uma tensão de 100,0 V e corrente elétrica de 4,0 A através de seu produzir o mesmo aquecimento? Adote 1,0 kg/litro para a densidade
elemento resistivo para produzir aquecimento. Deseja-se aquecer e 4,0 kJ/(kg∙ºC) para o calor específico da água. Além disso, use
0,50 litros de água da temperatura inicial de 15,0 ºC até a tempera- 1 kWh = 103 W × 3 600 s = 3,6 × 106 J.
tura final de 95,0 ºC. Considere que não há troca de calor através *a) 15 kWh.
das paredes da jarra e que o calor gerado pelo elemento resistivo é b) 26 kWh.
integralmente transferido para o líquido.
c) 40 000 kWh.
Assinale a alternativa que mostra CORRETAMENTE o tempo neces-
sário para causar esta variação de temperatura na água. d) 54 000 kWh.

Dados: calor específico da água, c = 1,00 cal/g.ºC = 4,20 J/g.ºC ;


densidade da água, ρ = 1,00 g/cm3 = 1000 kg/m3. (UDESC-2018.1) - ALERNATIVA: A
Um recipiente com paredes adiabáticas contém 100 g de água a
a) 100 segundos.
20ºC. Um resistor com resistência elétrica de 2,0 Ω é ligado a uma
b) 4 minutos e 20 segundos. fonte de tensão de 12V e é imerso na água.
*c) 7,0 minutos. Desconsidere a capacidade térmica do recipiente, e assinale a al-
d) 0,42 minutos. ternativa que corresponde, aproximadamente, ao tempo necessário
e) 4,20 minutos. para a água atingir 30ºC.
Dados: cH2O = 1,0 cal/(g.ºC) e 1cal = 4,2 J.
(UNCISAL-2018.1) - ALTERNATIVA: C *a) 58s
Durante o ano de 1840, o cientista James Prescott Joule realizou vá- b) 14s
rios experimentos com o intuito de demonstrar a equivalência entre c) 44s
uma quantidade de energia mecânica e uma certa quantidade de ca- d) 29s
lor. Seu invento mais famoso foi um dispositivo no qual dois corpos e) 87s
presos por fios podiam se movimentar verticalmente, conforme ind
icado na figura a seguir:
(PUC/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Entre uma superfície metálica e uma bobina de Tesla é estabelecida
uma diferença de potencial de 2,0.106 V que produz uma descarga
elétrica de intensidade 2,0.104 A em um intervalo de tempo de 1ms.

Dados:
● calor específico da água: 1,0 cal.g–1.°C–1
● densidade da água: 1 g.cm–3
● 1cal = 4,0 J

Supondo que 5% da energia liberada por essa descarga pudesse


ser armazenada e integralmente utilizada para produzir uma varia-
Figura disponível em: <http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/fisica/james
ção de 20°C na temperatura da água contida em um recipiente de
-prescott-joule.htm>. Acesso em: 06 nov. 2017.
paredes adiabáticas e de capacidade térmica desprezível, determi-
A água no interior do recipiente estava isolada termicamente e em ne quantos litros de água haveria no recipiente.
contato com um conjunto de pás. Cada vez que os corpos eram *a) 25.
abandonados de uma determinada altura, as pás entravam em mo- b) 50.
vimento e agitavam a água. Em virtude do atrito das pás com a água, c) 250.
os corpos caíam com velocidade praticamente constante, isto é, su-
d) 500.
aenergia cinética se mantinha constante. Assim, como os contatos
dos fios com as roldanas estavam bem lubrificados, à medida que os
corpos desciam, a diminuição da energia potencial gravitacional po- (UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 15 (01+02+04+08)
dia ser considerada integralmente transformada em energia interna Ao se preparar um café, um recipiente usual com 200 g de água é
da água, devido à agitação provocada nela pelas pás. Dessa manei- levado ao fogo e, após certo tempo, a temperatura da água passa
ra, a temperatura da água sofria uma elevação, de modo semelhan- de 20°C para 100°C (sem mudança de estado). Durante o processo,
te ao que ocorreria se ela estivesse recebendo calor. Um termôme- uma quantidade total de calor igual a Q é transferida para a água.
tro adaptado ao aparelho permitia a Joule medir essa elevação de Desconsidere as perdas de calor para o ambiente e a capacidade
temperatura. Em outras palavras, o trabalho realizado pelo peso dos térmica do recipiente. Use c = 4, 2J/g°C para o calor específico da
corpos era convertido em aumento da energia interna da água. água e g = 10m/s2 para o módulo da aceleração gravitacional. Sobre
Suponha que o experimento de Joule tenha sido realizado com o calor envolvido nesse processo, assinale o que for correto.
dois corpos de massas m = 5,0 kg, caindo de uma altura h = 2,0 m, 01) No processo de aquecimento da água, o calor Q se propaga
em um local onde a aceleração da gravidade é g = 9,8 m/s2. Su- principalmente por condução e por convecção.
ponha, ainda, que a massa de água contida no recipiente era de 02) Se Q fosse convertido em energia cinética de translação de um
mágua = 500 g e que a elevação de temperatura dessa massa de corpo de 200 g de massa (que parte do repouso), a velocidade des-
água tenha sido de ΔT = 1,4 ºC. Assinale a alternativa que corres- se corpo seria maior que 25 103 m/s.
ponde ao número de vezes que os dois corpos tiveram que cair si- 04) Para uma lâmpada de 20 W emitir uma energia equivalente a Q,
multaneamente para que Joule chegasse à conclusão de que o equi- ela deve ficar acesa por 56 minutos.
valente mecânico do calor era de aproximadamente 4,2 J, ou seja, 08) Para que a energia potencial gravitacional (em relação ao solo)
que 1,0 cal equivale a cerca de 4,2 J. Considere o calor específico de um corpo de 200 g seja equivalente a Q, esse corpo deve estar a
da água igual a 1,0 cal/g.ºC. uma altura maior que 30 km em relação ao solo.
a) 5 d) 20 16) Se, em vez de usar o fogo, usarmos um aquecedor elétrico de
b) 10 e) 25 imersão de 200 W para aquecer a água, o processo durará menos
*c) 15 de 5 minutos.
japizzirani@gmail.com 6
(UFJF/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: B (VUNESP-FAMERP/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Suponha que a radiação solar total média em Juiz de Fora seja de Em um recipiente de capacidade térmica desprezível, 300 g de água,
5,0 kWh por metro quadrado, por dia. Desejamos aquecer 360 litros inicialmente a 20 ºC, foram aquecidos. Após 2,0 minutos, quando a
de água, a cada dia, da temperatura ambiente de 20 graus até os 40 temperatura da água era 40 ºC, mais 300 g de água a 20 ºC foram
graus centígrados. Usando placas solares e ignorando perdas, qual adicionados ao recipiente. Considerando que não ocorreu perda de
a área das placas que devemos instalar? calor da água para o meio e que a fonte fornece calor a uma potên-
Dados:1 cal = 4,18 J; cH20 = 1 cal.ºC–1.g–1; ρH20 = 1 g.cm–3. cia constante durante o processo, o tempo decorrido, após a adição
2 da água, para que a temperatura da água atingisse 80 ºC foi de
a) 0,5 m
a) 5,0 min.
*b) 1,66 m2
b) 14,0 min.
c) 2,44 m2
*c) 10,0 min.
d) 6,66 m2
d) 15,0 min.
e) 10,0 m2
e) 8,0 min.

(UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 28 (04+08+16)


(IFF/RJ-2018.1) - RESPOSTA: a) G @ 0,23 kg/s b) qf = 16°C
Assinale a(s) alternativa(s) correta(s).
José instalou em sua casa um chuveiro elétrico de 5 880 W de po-
01) O valor de calor específico de uma determinada substância quí-
tência nominal, ligado à rede elétrica. No manual de instruções do
mica é sempre constante e não depende do estado de agregação
chuveiro, existiam algumas informações técnicas, entre elas um grá-
da matéria.
fico, mostrado a seguir.
02) Corpos de mesmo material e sujeitos às mesmas condições ter-
modinâmicas, mas de massas diferentes, possuem calor específico
diferentes.
04) A capacidade térmica de um corpo depende de sua composição
química e de sua massa.
08) O ferro possui maior condutividade térmica do que a água, no
entanto a água possui maior calor específico do que o ferro.
16) O calor pode ser transmitido entre dois corpos separados por
vácuo por meio de radiação térmica.

(UFVJM/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: C
As consequências do aumento de temperatura são graves para to-
dos os seres vivos, incluindo o homem. O aquecimento global tem
impactos profundos no planeta: extinção de espécies animais e ve-
getais, alteração na frequência e intensidade de chuvas, elevação
do nível do mar e intensificação de fenômenos meteorológicos. As
ações humanas têm interferido sobre o ambiente num ritmo muito
Fonte: <http://www.lorenzetti.com.br/pt/.> (Adaptado)
acelerado. Estudos indicam que a temperatura média global pode
aumentar 5°C em apenas 200 anos. Sabemos que, na casa de José, a distância vertical entre a caixa
Fonte: http://www.inpe.br/acessoainformacao/node/483, acessado em 01 maio de 2017 d’água e a posição na qual foi instalado o chuveiro é de 8,0 m. Base-
(adaptado) ando-se nessas informações, calcule o que se pede:
Considere o calor específico da água c = 1,0 cal/(g°C), a hidrosfera a) Determine qual será a vazão máxima de água no chuveiro de
José em kg/s.
com massa de 1,4 ×1021 kg e uma variação de temperatura equiva-
b) Se José usar o chuveiro na vazão máxima em um dia em que a
lente ao aumento da temperatura média global.
temperatura da água da caixa for de 10°C, qual será a temperatura
ASSINALE a alternativa que indica a quantidade de energia que po-
final da água após o aquecimento? (Considere que todo calor gera-
derá ser absorvida pela hidrosfera em um intervalo de 200 anos.
do pelo chuveiro foi destinado exclusivamente ao aquecimento da
a) 7,0 ×1021 cal água)
b) 1,4 ×1024 cal Dados:
*c) 7,0 ×1024 cal rágua = 1000 kg/m3; g =10,0 m/s2;
d) 1,4 ×1027 cal
1 cal = 4,2 J; cágua = 1,0 cal/g°C.

(ETEC/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Para demonstrar a quantidade de calor envolvida em um processo (IFSUL/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: A
físico, uma professora de Ciências propõe o seguinte experimento Uma amostra de água é aquecida a uma taxa constante por certo
a seus alunos. intervalo de tempo, até atingir seu ponto de ebulição.
Em um recipiente de vidro deve-se colocar 100 g de água destilada Qual dos gráficos abaixo mostra a temperatura da água como uma
e medir a temperatura da mesma. função do calor adicionado?
Posteriormente, o recipiente é aquecido até o início da ebulição,
quando se mede novamente a temperatura da
água, obtendo-se o valor de 100 °C.
A professora apresenta a equação que permite calcular a quantida-
de de calor envolvida no experimento:
Q = m.c.DT *a) b)
em que: Q = quantidade de calor (em cal)
m = massa (em g)
c = calor especifico da água (c = 1 cal/g °C)
DT = variação de temperatura (em °C)
Supondo que um grupo constatou que a temperatura inicial era de
20 °C, a quantidade de calor necessária para aquecer somente a
referida massa de água deve ser de
a) 1 000 cal.
c) d)
b) 2 000 cal.
c) 4 000 cal.
d) 6 000 cal.
*e) 8 000 cal.
japizzirani@gmail.com 7
(UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 16 (16) VESTIBULARES 2018.2
Com relação aos conceitos de calor e temperatura e ao princípio
geral das trocas de calor, assinale o que for correto.
01) O fato de o calor passar de um corpo para outro se deve à quan- (MACKENZIE/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: D
tidade de calor existente em cada um. Para a prática de esportes olímpicos, é adequada a piscina olímpica.
02) Se dois corpos de materiais diferentes estão em equilíbrio térmi- As dimensões dela, segundo Federação Internacional de Natação,
co entre si, isolados do ambiente, então se pode afirmar que, nessa devem ser de 50 m para o comprimento; 25 m, para a largura, e 2,0
situação, o mais quente fornece calor ao mais frio. m, para a profundidade. A temperatura média ideal da água deve ser
04) Se três corpos de materiais diferentes estão em equilíbrio térmi- igual a 25 °C.
co entre si, isolados do ambiente, então se pode afirmar que os três A quantidade de energia necessária, em joules, a ser fornecida para
corpos se apresentam necessariamente no mesmo estado (sólido, deixar a água da piscina na temperatura ideal – sendo essa a única
líquido ou gasoso). troca de energia a se considerar –, observando que inicialmente a
08) Se dois corpos de materiais diferentes estão à mesma tempera- água, que preenche todo o volume da piscina, estava a 20 °C, é
tura, então a sensação (apreendida pelo tato) ao tocar nesses cor- igual a
pos deve ser a mesma. Dados:
16) Quando dois corpos de um mesmo material (a diferentes tempe-
cágua = 1,0 cal/g°C (calor específico sensível da água)
raturas) são colocados em contato entre si, as moléculas do corpo
de maior temperatura (mais rápidas) transferem energia para as mo- rágua = 1,0 g/cm3 (massa específica da água)
léculas do corpo de menor temperatura (mais lentas). 1,0 cal = 4,0 J

a) 2,0 ·1010 J .
(IFSUL/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: D
b) 3,0 ·1010 J .
Na refrigeração de motores de automóveis, a substância refrigerante
tanto pode ser o ar como a água. c) 4,0 ·1010 J .
Dados: calor específico do ar = 0,25 cal/g.°C *d) 5,0 ·1010 J .
calor específico da água = 1,00 cal/g.°C. e) 6,0 ·1010 J .
A razão entre a massa de ar e a massa de água, para proporcionar
a mesma refrigeração no motor de um automóvel, deverá ser igual a
a) 0,25 (MACKENZIE/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: B
No dia vinte e três de janeiro de 2018, a cidade de São Paulo ganhou
b) 1,00
a sua 72ª estação de metrô, a estação Higienópolis-Mackenzie que
c) 1,20
faz parte da Linha 4 – Amarela. A estação é totalmente acessível
*d) 4,00 aos usuários com deficiência e mobilidade reduzida. Os pavimentos
contam com cinco elevadores que fazem a interligação da rua com
(IMT-MAUÁ/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B o mezanino e com as plataformas, além de 26 escadas rolantes e
Um bloco de metal de 20 g foi aquecido e sua temperatura variou de 13 fixas. Suponha-se que uma pessoa com massa 80 kg rejeite os
24,6 ºC para 28,6 ºC. Sabendo que a energia térmica necessária no elevadores e as escadas rolantes e, disposta a emagrecer dissipan-
processo foi de 80 J, o calor específico desse metal é do a sua energia, suba diariamente os 25 metros de profundidade
a) 1,0 ×10–4 J/ºC ·kg. da estação.
*b) 1,0 ×103 J/ºC ·kg.
c) 1,0 J/ºC· kg.
d) 0,2 ×104 J/ºC ·kg.
e) 0,2 ×10–4 J/ºC ·kg.

Considerando-se a massa específica da água 1,0 g/cm3, seu ca-


lor específico sensível 1,0 cal/g.ºC, a aceleração gravitacional
g = 10 m/s2 e 1,0 cal equivalente aproximada a 4,0 joules, em cinco
dias, a energia dissipada por essa pessoa aquece um litro de água
de um intervalo de temperatura em ºC igual a
a) 50
*b) 25
c) 20
d) 10
e) 5,0

(PUC/PR-2018.2) - ALTERNATIVA: B
Um cubo maciço, feito de latão, possui massa 20 g e tem seu vo-
lume aumentado em 0,30% quando absorve certa quantidade de
calor. Sendo o coeficiente de dilatação linear do latão e seu calor
específico iguais a α latão = 20 ×10–6 °C–1 e c latão = 0,092 cal/g ∙°C,
respectivamente, a quantidade de calor absorvida pelo cubo foi de
a) 46 cal.
*b) 92 cal.
c) 124 cal.
d) 156 cal.
e) 276 cal.
japizzirani@gmail.com 8
(UNESP-2018.2) - ALTERNATIVA: E (UDESC-2018.2) - ALTERNATIVA: E
O gráfico 1 mostra a variação da pressão atmosférica em função Deseja-se construir uma chaleira elétrica de tal maneira que 1,0 L
da altitude e o gráfico 2 a relação entre a pressão atmosférica e a de água, ao nível do mar, inicialmente a 20ºC, entre em ebulição em
temperatura de ebulição da água. 1,0 minuto.
Assinale a alternativa que corresponde à potência elétrica desta
Gráfico 1 chaleira.
Dados: cag = 1,0 cal/g.ºC; dag = 1,0×103 kg/m3 e 1cal = 4,2 J.

a) 1 333 W
b) 317 W
c) 5 883 W
d) 1 400 W
*e) 5 600 W

(IFNORTE/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: B
A energia solar é uma opção para a economia de energia elétrica
e, consequentemente, reduzir-se o impacto ambiental decorrente.
Considere, por exemplo, o equipamento esquematizado na FIGURA
(www.seara.ufc.br. Adaptado.)
04 e responda à questão a seguir.
Gráfico 2 FIGURA 04

(www.if.ufrgs.br. Adaptado.)

Considerando o calor específico da água igual a 1,0 cal/(g·ºC), para Disponível em: http://fiedler.arq.br. Acesso em: 01 mai 2018.
aquecer 200 g de água, de 20 ºC até que se inicie a ebulição, no topo
Esse equipamento será utilizado para aumentar de 36,0 ºC a tempe-
do Pico da Neblina, cuja altitude é cerca de 3 000 m em relação ao
ratura de 240 kg de água e deseja-se estimar o tempo T gasto nesse
nível do mar, é necessário fornecer para essa massa de água uma
processo. Para tanto, considere que, sobre as placas coletoras, a
quantidade de calor de, aproximadamente,
taxa média de incidência da radiação solar é 0,80 kW/m2 e que,
a) 4,0 ×103 cal. d) 1,2×107 cal. no processo de conversão da energia solar em energia térmica, as
2
b) 1,4 ×10 cal. *e) 1,4 ×104 cal. placas apresentam eficiência de 60%. Considerando-se ainda que
3
c) 1,2×10 cal. o calor específico da água vale, aproximadamente, 4,0 kJ/kgºC, o
valor de T é:
a) 6,0 h.
(UNEMAT/MT-2018.2) - ALTERNATIVA: E *b) 8,0 h.
Uma panela de ferro, que é útil para o cozimento de alimentos, de c) 10 h.
1,0 kg, com 2 litros de água em seu interior, é submetida a um aque- d) 12 h.
cedor de potência útil constante de 4 200 W, até aumentar a sua
temperatura de 60 ºC.
Admita para o calor específico do ferro c f = 0,11 cal/gºC; para o calor (VUNESP-CEFSA/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: E
Um bloco de 10 toneladas desliza sem atrito sobre uma rampa de
específico da água ca = 1,0 cal/gºC e para uma caloria 1cal = 4,2 J.
100 m de comprimento e inclinada de 30º com a horizontal, partindo
PARANÁ, D.N.S. Física. São Paulo: Ática, 2000. v. único.
do repouso de seu ponto mais alto, até atingir o fundo de um tanque
Admitindo que não haja desperdício de calor para o meio e que toda contendo 1 000 litros de água, como mostra a figura.
energia seja transformada em energia térmica, determine a quanti-
dade de calor total e o tempo gasto para aquecer o sistema (panela
-água), durante o processo, assinalando a alternativa correta:
a) Q t = 504,00 kJ; t = 120 s
b) Q t = 27,72 kJ; t = 6,6 s
c) Q t = 126,60 kcal; t = 30,14 s
d) Q t = 531,72 J; t = 0,13 s
*e) Q t = 531,72 kJ; t = 126,6 s

(PUC-CAMPINAS/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: B
Pedro pretendia aquecer meio litro de água (500 g) até 80 ºC para Considerando a aceleração da gravidade 10 m/s2, a densidade da
preparar café, mas, por distração, deixou a água atingir a tempe- água 1,0 kg/litro, seu calor específico 4 200 J/(kg ·ºC) e que toda
ratura de 95 ºC. Considerando o calor específico da água igual a energia mecânica do bloco contada desde o início do deslizamento
4,2 ×103 J/(kg·ºC), a quantidade de calor fornecida para a água, seja convertida em calor sensível absorvido pela água do tanque, a
além do que Pedro pretendia inicialmente, foi elevação da temperatura registrada na água será de, aproximada-
a) 2,00 ×104 J. d) 2,00 ×105 J. mente,
4
a) 0,4 ºC. d) 1,0 ºC.
*b) 3,15 ×10 J. e) 3,15×107 J. b) 0,6 ºC. *e) 1,2 ºC.
5
c) 1,26 ×10 J. c) 0,8 ºC.
japizzirani@gmail.com 9
(UNESP-2018.2) - RESPOSTA: a) h = 50% b) Q = 2,0×107 J (UNIRG/TO-2018.2) - ALTERNATIVA: C
A radiação solar incide sobre o painel coletor de um aquecedor solar Um confeito de consistência esponjosa muito apreciado por crianças
de área igual a 2,0 m2 na razão de 600 W/m2, em média. (e por alguns adultos) é o marshmallow. Uma massa de 10 gramas
a) Considerando que em 5,0 minutos a quantidade da radiação in- desse doce pode fornecer ao corpo de uma pessoa uma energia de
cidente no painel transformada em calor é de 1,8 ×105 J, calcule o 20 kcal.
rendimento desse processo. Se essa energia fosse integralmente absorvida por 500 gramas de
b) Considerando que o calor específico da água é igual a água a 10°C, a temperatura final da água seria de:
4,0 ×103 J/(kg·ºC) e que 90% do calor transferido para a água são Dado: calor específico da água = 1 cal/g.°C
efetivamente utilizados no seu aquecimento, calcule qual deve ser a) 5°C;
a quantidade de calor transferido para 250 kg de água contida no b) 30°C;
reservatório do aquecedor para aquecê-la de 20 ºC até 38 ºC. *c) 50°C;
d) 70°C.

(PUC/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Uma pessoa toma um banho de 20 minutos de duração, consumin- UNITAU/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: D
do 300 kg de água que escoam, a uma taxa constante, no interior Um aquecedor elétrico tem capacidade para aumentar a temperatu-
de um aquecedor elétrico de fluxo contínuo que opera em regime ra de 250 ml de água de 20 ºC para 30 ºC em apenas 2,1 segundos.
estacionário durante todo o banho. A densidade da água é de 1 g/cm3; o calor específico da água é
Desprezando qualquer tipo de per- de 1 cal/(g.ºC); 1 cal é aproximadamente igual a 4,2 joules. A partir
da, determine a variação de tem- desses dados, é possível calcular que a potência média efetiva ne-
peratura, na escala fahrenheit, so- cessária para realizar essa tarefa é de, aproximadamente,
frida pela massa de água, desde a a) 50 kW
entrada até a saída do aquecedor, b) 25 kW
sabendo que ele possui um resistor c) 10 kW
de resistência elétrica igual a 40 Ω *d) 5,0 kW
que é percorrido por uma corrente e) 2,5 kW
elétrica de 25 A.
a) 25 • calor específico da água: (IFSUL/RS-2018.2) - ALTERNATIVA: D
b) 37 1,0 cal/gºC Uma pessoa resolve beber água gelada para eliminar os 450 kcal
*c) 45 • 1cal = 4,0 J que adquiriu ao ingerir uma determinada sobremesa. Considerando
d) 77 o calor específico da água como 1 cal/g.ºC e que 1 L de água corres-
ponde a 1 kg e supondo que a água esteja a 6,5 ºC, que quantidade
(UNITAU/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: C deverá ser tomada para que essas calorias elevem a temperatura
Um objeto, cuja massa é de 4 kg e o calor específico é de até 36,5 ºC (temperatura considerada normal para o corpo huma-
150 J/(kg.ºC), está a uma temperatura de 50 ºC. O objeto é, então, no)?
mergulhado em uma piscina que apresenta dimensões muito maio- a) 150 mL.
res do que o objeto, com água à temperatura de 20 ºC. Após 10 b) 1,5 L.
minutos de submersão na água, o objeto atinge a temperatura de c) 4,5 L.
20 ºC, ou seja, a mesma temperatura da água. Nesse processo, a *d) 15 L.
potência dissipada pelo conjunto objeto mais piscina foi de
a) 10 watt
b) 20 watt
*c) 30 watt
d) 40 watt
e) 50 watt

(FPS/PE-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Uma das fontes de perda de energia do corpo humano é a energia
consumida para igualar a temperatura do ar que se respira com a
temperatura corpórea. Sabe-se que, a cada respiração, inalamos
cerca de 0,5 litros de ar e respiramos uma vez a cada 5 segundos.
Calcule a potência gasta pelo corpo humano para aquecer o ar que
respiramos. Considere que a temperatura ambiente é de 27ºC e a
temperatura média do corpo humano é de 37ºC. O calor específico
do ar é c @ 1000 J/kg.K e sua densidade é de 1,3 g/L. Dê sua res-
posta em Watt.
a) 0,8 W
b) 1,1 W
*c) 1,3 W
d) 1,7 W
e) 2,0 W

(UNICEUB/DF-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Uma panela elétrica cilíndrica com tampa contém 1,5 L (litro) de
água à temperatura de 25°C. Ao ser ligada, ela gera uma potência
de 1 500 W e fornece calor à água. Considerando a panela tampa-
da como um sistema termicamente isolado de tal forma que o calor
fornecido seja todo aplicado à água e adotando a pressão interna
como igual à pressão atmosférica externa, o tempo para que a água
contida na panela atinja a temperatura de ebulição (100°C) será de
aproximadamente
Dado:Calor específico da água: 4.200 J/(°C.kg).
a) 2 min
b) 3 min
*c) 5 min
d) 13 min
e) 29 min
japizzirani@gmail.com 10
TERMOFÍSICA (VUNESP-StaCASA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Duas pessoas, uma na cidade de Santos, no litoral paulista, e a ou-
calor latente tra na cidade de La Paz, capital da Bolívia, a 3 600 m de altitude
em relação ao nível do mar, colocam simultaneamente a mesma
quantidade de gelo a – 20 °C em panelas abertas e levam essas
VESTIBULARES 2018.1 panelas ao fogo para observar a fusão do gelo e a vaporização da
água líquida.
O gráfico representa o diagrama de fases da água.
(VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNTIVA: B
Deseja-se que um peixe de capacidade térmica igual a 400 cal/ºC,
inicialmente a 20 ºC, tenha sua temperatura baixada para 0 ºC. No
local em que isso será feito, a temperatura de fusão do gelo é de
0 ºC e o seu calor latente de fusão é 80 cal/g.
A quantidade de calor que será extraída desse peixe é capaz de
derreter uma massa de gelo, inicialmente a 0 ºC, igual a
a) 50 g. d) 200 g.
*b) 100 g. e) 240 g.
c) 160 g.

(VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: D


Analise a tabela.
De acordo com os dados da tabela, o processo de mudança de es-
tado físico de uma amostra de água que envolveria a maior quanti-
dade de energia é
Considerando as informações do gráfico e que as chamas utilizadas
calor específico do gelo 0,5 cal/(g∙ºC) pelas duas pessoas apresentam uma mesma potência térmica cons-
tante, conclui-se que
calor latente de fusão do gelo 80 cal/g a) em Santos, a água vaporizará a uma temperatura menor do que
calor específico da água 1,0 cal/(g∙ºC) em La Paz.
b) em La Paz, o gelo atingirá a temperatura de fusão antes do que
calor latente de vaporização da água 540 cal/g
em Santos.
calor específico do vapor de água 0,5 cal/(g∙ºC) *c) o gelo iniciará a fusão, em La Paz, a uma temperatura maior do
que em Santos.
a) o aquecimento do gelo. d) para iniciar a fusão do gelo, será necessário fornecer mais calor a
b) a transformação do gelo em água. ele em Santos do que em La Paz.
c) o aquecimento da água. e) tanto em Santos como em La Paz, a água sofrerá a mesma va-
*d) a transformação da água em vapor. riação de temperatura entre o término da fusão e o início da vapo-
e) o aquecimento do vapor. rização.

(IME/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: B (VUNESP-StaCASA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D


Considere o diagrama de fases simples para o benzeno, em que PC O gráfico representa parte da curva de aquecimento de determinada
é o ponto crítico e PT o ponto triplo. massa de gelo, inicialmente a uma temperatura de – 40 ºC, até trans-
formar-se em água líquida a 20 ºC. As etapas 1, 2 e 3 indicadas
ocorrem em intervalos de tempo Δt1 , Δt2 e Δt3 , respectivamente.

Os pontos de fusão e de ebulição do benzeno a 1,0 atm são iguais


a 5,53 ºC e 80,1 ºC, respectivamente. Considere ainda, o ponto P
(5,50 ºC, 55 atm) como ponto de partida das transformações se-
quenciais discriminadas abaixo:

(1) Inicialmente, elevação da temperatura até 300 ºC,


em um processo isobárico;
(2) Redução da pressão até 38 atm, em um processo fora de escala
isotérmico;
Considerando que a energia necessária para provocar essa trans-
(3) Redução da temperatura até 5,50 ºC, em um pro- formação tenha sido fornecida por uma fonte térmica de potência
cesso isobárico; constante, que todo o calor fornecido por essa fonte tenha sido ab-
(4) Finalmente, redução da pressão até 0,02 atm, em sorvido pela massa que sofreu a transformação, que o calor especí-
um processo isotérmico. fico do gelo é 0,5 cal/(g ·ºC), que o calor específico da água líquida
é 1 cal/(g ·ºC) e que o calor latente de fusão do gelo é 80 cal/g, é
Assinale a alternativa que apresenta a ordem correta das mudanças correto afirmar que
de fase observadas ao longo do processo descrito.
a) Δt1 < Δt3 < Δt2
a) Fusão, condensação, ebulição e evaporação.
*b) Fusão, condensação, solidificação e sublimação. b) Δt1 > Δt2 > Δt3
c) Vaporização, condensação, fusão e sublimação. c) Δt1 = Δt2 = Δt3
d) Solidificação, ebulição, liquefação, condensação e sublimação. *d) Δt1 = Δt3 < Δt2
e) Fusão, ebulição, condensação, solidificação e evaporação. e) Δt1 = Δt3 > Δt2
japizzirani@gmail.com 11
(VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA: B (SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
O aquecimento do cloreto de amônio sólido faz com que ele passe Uma importante espécie química que está presente em praticamente
diretamente para o estado gasoso, sem passar pelo estado líquido. todas as residências é o gás liquefeito de petróleo ou, simplesmente,
Essa mudança de estado físico é conhecida como GLP. Esse produto é uma mistura de hidrocarbonetos liquefeitos,
a) ebulição. destacando-se o propano e o butano.
*b) sublimação. Para a armazenagem do GLP são utilizados recipientes de aço, de
c) fusão. variadas capacidades volumétricas e formatos. Todos os recipientes
d) liquefação. que contêm o GLP são preenchidos até 85% de sua capacidade
e) solidificação máxima, sendo que o restante de seu volume é utilizado na vapori-
zação dos componentes dessa mistura, o que ocorre com as trocas
de calor entre a parede do recipiente e as amostras.
(UFRN/TÉCNICO) - ALTERNATIVA: A
Fonte: adaptado de: Disponível em: <http://www.infoescola.com/quimica/gas
A água pode mudar de uma fase para outra, ou seja, da fase sólida
-liquefeito-de-petroleo-glp/˃. Acesso em: 11 fev. 2016.
para fase líquida, da líquida para a gasosa, da gasosa para a líquida
e da líquida para a sólida. A essas mudanças damos o nome de Considerando o interior desses recipientes, se os componentes des-
mudança de estados físicos da água (Figura a seguir). sa mistura sofrerem
a) aumento de pressão, passarão da fase líquida para a gasosa.
*b) aumento de pressão, passarão da fase gasosa para a líquida.
c) aumento da agitação das moléculas, passarão da fase gasosa
para a líquida.
d) redução da agitação das moléculas, passarão da fase líquida para
a gasosa.
e) redução da coesão entre as moléculas, passarão da fase gasosa
para a líquida.

Disponível em: <https://sociencias.wordpress.com/tag/mudancas-de-estados-fisi-


cos-da-agua/>. Acesso em 18 set. 2017. [Adaptado] (UERJ-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Observe no diagrama as etapas de variação da temperatura e de
Quando uma pedra de gelo derrete em temperatura ambiente, a mu- mudanças de estado físico de uma esfera sólida, em função do calor
dança de estado físico é chamada por ela recebido. Admita que a esfera é constituída por um metal
*a) Fusão – passagem da água do estado sólido para o estado lí- puro.
quido.
b) Vaporização – passagem da água do estado líquido para o estado
gasoso.
c) Condensação – passagem da água do estado gasoso para o es-
tado líquido.
d) Solidificação – passagem da água do estado líquido para o estado
sólido.

(UFLA/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Em um dia típico de inverno na Europa, uma criança observa a pai-
sagem e diz aos colegas:
– Vejam, está nevando!
Considerando que, nesse processo, o vapor de água se transformou
diretamente em neve, o fenômeno observado pela criança corres-
ponde à:
a) Fusão.
*b) Sublimação. Durante a etapa D, ocorre a seguinte mudança de estado físico:
c) Solidificação. a) fusão
d) Condensação. b) sublimação
c) condensação
(FGV/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A *d) vaporização
A figura representa uma montagem experimental em que um bé-
quer, contendo água à temperatura ambiente, é colocado no interior
de uma campânula de vidro transparente, dotada de um orifício em (FGV/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
sua cúpula, por onde passa uma mangueira ligada a uma bomba de O gráfico apresenta a variação da temperatura de uma substância
vácuo. A bomba é ligada, e o ar vai sendo, gradualmente, retirado do durante aquecimento sob pressão constante.
interior da campânula.

Observa-se que, a partir de determinado instante,


*a) a água entra em ebulição, propiciada pela diminuição da pres-
são.
b) a água entra em ebulição, favorecida pela máxima pressão de
saturação. Na representação gráfica, a fusão da substância ocorre no segmento
c) ocorre a formação de gelo, propiciada pela diminuição da pressão. a) I.
d) ocorre a formação de gelo, favorecida pela máxima pressão de *b) II.
saturação. c) III.
e) é atingido o ponto triplo, favorecido pela máxima pressão de sa- d) IV.
turação. e) V.
japizzirani@gmail.com 12
(UEG/GO-2018.1) - ALTERNATIVA: E (UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 27 (01+02+08+16)
Se 200 g de gelo à temperatura inicial de –10°C forem aquecidos, a Em países de inverno rigoroso, os lagos e os rios congelam-se na
quantidade de calor necessária, em KJ, para que todo o gelo derreta superfície, e a água de máxima densidade, isto é, a 4ºC, encontra-se
e se transforme em água a 50°C será de no fundo. Esse fato é de fundamental importância para a preser-
a) 16 vação da fauna e da flora locais. Considerando que a entalpia de
Adote: calor específico do gelo = 0,50 cal/g°C. fusão da água é de 7,3 kJ/mol e usando conceitos físico-químicos,
b) 27
c) 54 calor latente de fusão do gelo = 80 cal/g. assinale o que for correto.
d) 96 calor específico da água = 1,0 cal/g°C. 01) A água entre 0ºC e 4ºC apresenta coeficiente de dilatação volu-
1 cal = 4 J métrica negativo.
*e) 108
02) Na escala absoluta (Kelvin), a água, a aproximadamente 277K,
está com densidade máxima.
(UFLA/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: A 04) Rios e lagos descongelam mais facilmente devido ao baixo calor
Os diagramas de fases de duas substâncias X e Y são indicados nas específico da água.
figuras abaixo. Com base nesses diagramas, indique o estado físico 08) 36,5 kJ de calor seriam suficientes para fundir 5 mols de água.
(sólido, líquido ou gasoso) que cada substância apresenta, quando 16) Em lagos de água salgada a água não congela a 0ºC.
submetida a uma pressão de 2 atm em 0°C.
(CESUPA-2018.1) - ALTERNATIVA: C
O princípio físico da panela de pressão é manter o vapor da água
aprisionado na panela à medida que calor é fornecido ao sistema,
mantendo-se o volume constante. Assim, ocorre um aumento da
pressão e, consequentemente, aumento da temperatura de ebulição
da água dentro dela. Quanto maior a pressão, maior a temperatura
necessária para a ebulição, com o líquido podendo alcançar 120ºC,
cozinhando os alimentos mais rapidamente. Lembrando que a mas-
sa de vapor aumenta conforme a água é aquecida, qual dos gráficos
abaixo melhor representa a variação da pressão do vapor com a
Assinale a alternativa CORRETA: temperatura, dentro da panela?
*a) Substância X sólida e substância Y líquida.
b) Substância X líquida e substância Y líquida. a) *c)
c) Substância X sólida e substância Y sólida.
Pressão

Pressão
d) Substância X líquida e substância Y gás.

(IF/CE-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Além dos problemas clássicos que aumentam o perigo de dirigir
em dias de chuvas, como aquaplanagens, enchentes e assim por
diante, carros que não têm ar-condicionado ainda contam com um 30
Temperatura (ºC) 120 30
Temperatura (ºC) 120

tormento a mais: os malfadados vidros embaçados. O motivo para


que isso aconteça é o(a) b) d)
a) água, que, devido à diferença de pressão interna e externa, tende
a sair do veículo, acumulando-se nas regiões mais planas do auto-
Pressão

Pressão
móvel, por exemplo o vidro.
b) ar do lado de fora do veículo que se encontra úmido e, ao entrar
pelas frestas do carro gera esse efeito em todas as superfícies, prin-
cipalmente no vidro que é transparente.
c) ar no interior do veículo que, além de úmido, se encontra a uma
baixa temperatura, e, ao entrar em contato com o vidro que está em 30
Temperatura (ºC) 120 30
Temperatura (ºC) 120

temperatura maior, perde calor para o mesmo, se liquefazendo.


d) ar úmido no lado de fora do veículo que acaba por atravessar as
(FPS/PE-2018.1) - ALTERNATIVA: C
fendas microscópicas do vidro, se acumulando na face interna do
A figura F1 mostra o diagrama de fase (pressão vs. temperatura) da
mesmo, resultando no vidro embaçado.
água.
*e) ar úmido no interior do carro que, ao entrar em contato com o
vidro que se encontra em menor temperatura, perde calor para o
mesmo e se condensa sobre a superfície do vidro.

(UENP/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Considerando as mudanças de fase da matéria, atribua V (verdadei-
ra) e F (falsa) às afrmativas a seguir.

( ) Formam-se gotículas sobre a superfície de uma lata de refri-


gerante gelada porque o vapor d’água é esfriado quando faz
contato e se condensa.
( ) Quando a água na forma de vapor se condensa, absorve ener-
gia de modo que o ar circundante é resfriado.
( ) O compartimento de alimentos de um refrigerador é resfriado Figura F1
pela condensação do fluido. Baseado nesse gráfico, podemos afirmar que o uso da panela de
( ) A temperatura de ebulição da água aumenta quando ela sofre pressão é mais eficiente para o cozimento de alimentos?
aumento de pressão. a) Sim, pois o vapor liberado pela válvula de segurança provoca
agitação no alimento, tornando o processo mais eficiente.
( ) A temperatura da água fervente mantém-se a mesma se o
b) Sim, pois as panelas são feitas de metal que absorvem mais calor.
aquecimento e a ebulição se mantêm.
*c) Sim, pois a temperatura no interior atinge valores acima da tem-
Assinale a alternativa que contém, de cima para baixo, a sequência peratura de ebulição da água em recipientes abertos.
correta. d) Sim, pois quanto maior for a pressão interna mais facilmente a
água se transforma em vapor.
*a) V, F, F, V, V. d) F, V, F, V, F.
e) Sim, pois embora a temperatura de ebulição da água nunca pos-
b) V, F, V, V, F. e) F, V, V, F, V. sa ser maior do que 100ºC, o metal da panela atinge temperaturas
c) F, F, V, F, V. maiores do que 100ºC.
japizzirani@gmail.com 13
(FUVEST/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B (UEPG/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 14 (02+04+08)
Furacões são sistemas físicos que liberam uma enorme quantidade As afirmações abaixo pertencem ao âmbito da calorimetria. Sobre o
de energia por meio de diferentes tipos de processos, sendo um de- assunto, assinale o que for correto.
les a condensação do vapor em água. De acordo com o Laboratório Dados: Cgelo = 0,5 cal/g.°C
Oceanográfico e Meteorológico do Atlântico, um furacão produz, em
média, 1,5 cm de chuva por dia em uma região plana de 660 km de Lf = 80 cal/g
raio. Nesse caso, a quantidade de energia por unidade de tempo en- Lv = 540 cal/g
volvida no processo de condensação do vapor em água da chuva é, 01) Sendo a água uma substância anômala, se aumentarmos a
aproximadamente, pressão sobre ela, sua temperatura de ebulição diminuirá.
a) 3,8 × 1015 W. e) 1,1 × 1011 W. 02) A razão entre a capacidade térmica de um corpo e o calor espe-
14
*b) 4,6 × 10 W. d) 1,2 × 1012 W. cífico do material que o constitui é igual à massa do corpo.
13 04) A capacidade térmica de um corpo que ao receber 400 cal varia
c) 2,1 × 10 W.
sua temperatura de 40 K, vale 10 cal/°C.
Note e adote: 08) Fornecemos 5 450 cal a 10 g de gelo que está inicialmente a
–10 °C, num vaso adiabático. Ao final do processo teremos água
p = 3.
líquida e vapor.
Calor latente de vaporização da água: 2 × 106 J/kg.
Densidade da água: 103 kg/m3.
(UFPR-2018.1) - RESPOSTA: q = 90 ºC
1 dia = 8,6 × 104 s. Numa experiência para demonstrar princípios de calorimetria, um
estudante fez o seguinte procedimento: colocou 100 g de água, na
forma de gelo, a 0 ºC, num recipiente vazio, e o aqueceu até ob-
(UNICISAL-2018.1) - ALTERNATIVA: D ter água a 10 ºC. Na sequência, ele removeu aquela quantidade de
O gráfico a seguir representa tanto a variação de temperatura sofri- água do recipiente e colocou novamente 100 g de água, só que ago-
da por uma certa quantidade de água quanto a variação de tempera- ra líquida, a 0 ºC, no recipiente vazio, e forneceu a mesma quantida-
tura sofrida por uma certa quantidade de gelo ao serem misturados de de calor utilizada na etapa anterior. Sabe-se que, no local, água
dentro de um calorímetro ideal, até atingirem o equilíbrio térmico. congela a 0 ºC, o calor latente de fusão da água vale L = 80 cal/g, e o
calor específico da água (tomado como constante em toda a faixa de
temperatura da experiência) vale c = 1 cal/g ºC. Além disso, despre-
zam-se todas as perdas de calor para o ambiente, e a capacidade
térmica do recipiente também deve ser desprezada.
Considerando esses dados, determine a temperatura final da massa
de água após a segunda etapa.

(SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C
A figura a seguir corresponde à curva de aquecimento de uma subs-
tância pura.

Sabendo que o calor específico da água é 1,0 cal/g.ºC, que o calor


específico do gelo é 0,5 cal/g.ºC e que o calor latente de fusão do
gelo é 80 cal/g, é correto afirmar que a massa de gelo remanescente
foi de
a) 0 g. *d) 150 g.
b) 50 g. e) 200 g.
c) 100 g.
A partir dessa curva de aquecimento, é possível concluir que as par-
(UNISINOS/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: C tículas componentes dessa substância têm
Um estudante, residente numa cidade litorânea, realizou um ex- a) maior energia em t1 que em t3.
perimento em que se analisou a temperatura de ebulição da água b) menor coesão em t3 que em t4.
nesse local. Verificou, com o auxílio de um termômetro calibrado de *c) maior distância em t6 que em t5.
laboratório, que essa temperatura era de 100°C. Após algumas se- d) menor proximidade em t3 que em t5.
manas, o mesmo estudante viaja para uma cidade da serra e realiza, e) maior repulsão em t1 que em t6.
novamente, o experimento da medida da temperatura de ebulição
da água. Verificou, com o mesmo termômetro calibrado, que a tem- (FAC.ISRAELITA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D
peratura agora era de 95°C. Um recipiente contendo 1 litro de água, a 20°C, é colocado no inte-
A partir dessa contextualização, analise as proposições a seguir. rior de um forno de micro-ondas. O aparelho é ligado a uma tensão
I - As temperaturas de ebulição da água nas cidades litorânea e ser- de 110 V e percorrido por uma corrente elétrica de 10 A. Após 40
rana, medidas na escala Fahrenheit, são 212°F e 203°F, respecti- minutos,verifica-se que ainda resta ¼ de litro de água líquida no re-
vamente. cipiente.
II - A temperatura de ebulição da água, ao nível do mar, medida na Dados:
escala Kelvin, é 273 K. pressão atmosférica: 1 atm
III - A pressão atmosférica na cidade serrana é menor do que a pres- densidade da água: 1 g/cm3
são atmosférica ao nível do mar, o que faz com que a temperatura
calor latente de vaporização da água: 540 cal/g
de ebulição da água ao nível do mar seja maior do que no alto da
serra. calor específi co da água: 1 cal/g°C
1 caloria = 4,2 joules
Sobre as proposições acima, pode-se afirmar que
a) apenas I está correta. Determine o rendimento percentual aproximado desse aparelho.
b) apenas II está correta. a) 19
c) apenas I e III estão corretas. b) 25
d) apenas II e III estão corretas. c) 71
e) I, II e III estão corretas. *d) 77
japizzirani@gmail.com 14
(PUC/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D (UNIVESP-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Num dia de temperatura igual a 25°C, uma forte descarga elétri- Para responder a questão de números 43, observe a imagem, que
ca atingiu a ponta de captação central de um para-raios durante mostra uma salina produtora de sal de cozinha (cloreto de sódio) a
1,2×10–4 segundos, provocando a fusão de 400g de sua massa que partir da água do mar.
é de cobre.

Dados:
● calor específico do cobre: 0,094 cal.g–1.°C–1
● calor latente de fusão do cobre: 49 cal.g–1
● temperatura de fusão do cobre: 1 083°C
● 1cal = 4,0 J

(http://coral.ufsm.br/arco/Imagens/Noticias/195-img_capa.png)
TERMINAL AÉREO DE CAPTAÇÃO
tp://www.lojaeletrica.com.br/para-raios
QUESTÃO 43
Nota-se nessa imagem que os tanques da salina são rasos e largos.
Determine, em gigawatts, a potência média aproximada dessa des- Essas características dos tanques são importantes para a produção
carga elétrica. do sal porque quanto ________ a superfície de contato com o ar,
a) 0,5. c) 1,5. mais ________ é a _______ da água do mar.
b) 1,0. *d) 2,0.
Assinale a alternativa contendo as informações que preenchem, cor-
reta e respectivamente, as lacunas do texto.
(IFSUL/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: 26 D e 27 C a) menor … lenta … ebulição
Leia com atenção o texto abaixo e responda às questões 26 e 27. b) menor … rápida … evaporação
A tabela abaixo mostra as informações de quatro substâncias hipo-
c) maior … lenta … evaporação
téticas, A, B, C e D, todas inicialmente à mesma temperatura, e que
serão aquecidas por fontes térmicas de mesma potência constante, d) maior … rápida … ebulição
até atingirem a mesma temperatura final. *e) maior … rápida … evaporação

Substância A B C D
(UNITNS/TO-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Massa (g) 100 120 150 100 Sabe-se que os estados físicos da matéria são: sólido, líquido e ga-
Temperatura inicial soso. A pressão e a temperatura influenciam no estado físico em que
2 2 2 2 uma substância se encontra e, ao receber ou perder certa quantida-
(ºC)
de de calor, ela pode sofrer uma mudança desse estado. As transi-
Temperatura final ções de fase que ocorrem ao receber certa quantidade de calor são:
80 80 80 80
(ºC) a) fusão, liquefação e solidificação
Temperatura de *b) fusão, vaporização e sublimação
–10 0 5,0 85
Fusão (ºC) (1 atm) c) solidificação e ressublimação
Temperatura de Ebu- d) liquefação e solidificação
110 100 80,1 217
lição (ºC) (1 atm) e) fusão e ressublimação
Calor Específico na
Fase Sólida 0,6 0,5 0,03 0,2 (UFRGS/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: D
(cal/g.ºC) Uma quantidade de calor Q = 56.100,0 J é
Calor Específico na fornecida a 100 g de gelo que se encontra
Fase Líquida 1,0 1,0 0,05 0,3 inicialmente a –10°C.
(cal/g.ºC) Sendo
o calor específico do gelo Cg = 2,1 J/(g°C),
Calor Específico na
o calor específico da água Ca = 4,2 J/(g°C) e
Fase Gasosa 0,8 0,5 0,03 0,2
(cal/g.ºC) o calor latente de fusão CL = 330,0 J/g,
a temperatura final da água em °C é, aproximadamente,
Calor Latente de
70 80 2,7 10 a) 83,8.
Fusão (cal/g)
b) 60,0.
Calor Latente de
500 540 65 150 c) 54,8.
Ebulição (cal/g)
*d) 50,0.
QUESTÃO 26 e) 37,7.
Considerando-se os dados da tabela, a substância que necessita de
maior quantidade de calor e a que necessita de menor quantidade (UCB/DF-2018.1) - ALTERNATIVA: D
de calor, para atingirem a temperatura final, são, respectivamente, Um dos problemas que pacientes com queimaduras graves em
a) A e C grandes extensões do corpo enfrenta é a redução da capacidade
b) C e D de perder calor pela evaporação do suor, devido à destruição das
c) B e A glândulas surdoríparas. Estime a potência em Watts que um quei-
*d) B e C mado deixa de perder por evaporação, admitindo que o paciente não
QUESTÃO 27. possua uma quantidade significativa de produção de suor e que um
Supondo-se que a substância hipotética C seja aquecida por uma adulto saudável transpira em média 600 mL por dia. Use: calor laten-
fonte térmica de pontência constante igual a 100 cal/min e conside- te de vaporização do suor igual a Lsuor = 2,4 ×106 J/kg, densidade do
rando-se que a quantidade de calor fornecida pela fonte seja exclusi- suor iguala dsuor = 1,0×103 kg/m3.
vamente para aquecer a substância C, o tempo necessário para ela a) 1,4 ×106 W.
atingir a temperatura final é igual a b) 17 kW.
a) 0,135 min. c) 1,4 W.
b) 0,563 min.
*c) 9,810 min. *d) 17 W.
d) 98,19 min. e) 1,4 kW.
japizzirani@gmail.com 15
(IF/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: C VESTIBULARES 2018.2
Furacões são fenômenos climáticos que se formam no meio dos
oceanos, em locais de pouco vento e águas quentes, a partir de um
sistema de baixa pressão. A intensa evaporação nessas áreas pro- (SENAI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: D
duz fortes correntes ascendentes de ar, criando em torno do centro A matéria é composta por pequenas partículas que, de acordo com
do furacão ventos de grande velocidade em rotação horizontal. o maior ou menor grau de agregação entre elas, caracterizam os
As afirmativas a seguir descrevem alguns fenômenos físicos presen- três estados físicos: sólido, líquido e gasoso. As imagens a seguir
tes na formação de furacões. mostram a situação das partículas nos diferentes estados físicos.

I – A evaporação da água do oceano é intensificada em áreas


onde a pressão atmosférica é menor. Este fato está relacio-
nado com o ponto de ebulição da água que ocorre em tem-
peraturas menores que 100ºC quando submetida a pressões
inferiores a 1,0 atmosfera.
II – O ar úmido e quente, durante seu movimento ascendente, fica
submetido a pressões atmosféricas progressivamente meno-
res e se expande. Durante a expansão, a temperatura do ar
diminui ao ponto em que o vapor d’água que ele contém con-
densa formando nuvens.
Fonte: Disponível em: <www.googleimagens.com.br>. Acesso em: 05 maio 2015.
III – A pressão do ar está relacionada com a velocidade com que
ele gira em torno do centro do furacão. Quanto maior a veloci- Assinale a alternativa que indica a associação correta entre a ima-
dade de rotação do ar, maior a pressão. gem e o estado físico correspondente.
a) I - sólido; II - sólido; III - gasoso.
Está(ão) correta(s) apenas b) I - gasoso; II - líquido; III - sólido.
a) I.
c) I - líquido; II - gasoso; III - sólido.
b) II.
*c) I e II. *d) I - sólido; II - líquido; III - gasoso.
d) I e III. e) I - líquido; II - líquido; III - gasoso.
e) II e III.
(UNIFOR/CE-2018.2) - ALTERNATIVA: C
(IMT-MAUÁ/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A O valor da temperatura de ebulição da água é influenciado pela
Observe a tirinha a seguir. pressão atmosférica. O ponto de ebulição da água ao nível do mar
(pressão 76 cmHg) é igual 100ºC. As tabelas abaixo mostram a re-
lação entre a altitude (com relação ao nível do mar) e a pressão at-
mosférica, e a relação entre a pressão atmosférica e a temperatura
de ebulição da água.

Altitude Pressão
(m) (cmHg)
0 76
A sequência apresentada na tirinha Pressão atmosférica Temperatura
*a) representa a transformação física da água pela absorção de ca- 75 75,3
(mmHg) (ºC)
lor do ambiente (processo endotérmico). 250 73,9
760 100
b) ilustra o ponto triplo da água em um processo isotérmico.
450 71,9
c) ilustra a transformação química da água em um processo isocó- 720 98
rico. 600 70,6
670 97
d) representa a transformação isovolumétrica da água pela liberação 900 68,1
de calor para o ambiente (processo exotérmico). 640 95
e) ilustra um processo isobárico sem alteração das interações inter- 1000 66,8
600 93
moleculares da água. 1200 65,6
560 92
1350 64,4
1500 63,2
1800 60,9

Na tabela abaixo, temos a altitude de algumas cidades do Brasil com


relação ao nível do mar.

Cidade Altitude (m)


Guaraciaba do Norte (CE) 933,43
Brasília (DF) 1115,24
São Joaquim (SC) 1360
Campos do Jordão (SP) 1628

Analisando as tabelas acima, podemos concluir que


a) a temperatura de ebulição da água em Guaraciaba do Norte é
menor do que em São Joaquim.
b) a temperatura de ebulição da água em Brasília é menor do que
em Campos do Jordão.
*c) a temperatura de ebulição da água em São Joaquim é menor do
que Guaraciaba do Norte.
d) a temperatura de ebulição da água em Campos do Jordão é maior
do que em Guaraciaba do Norte.
e) a temperatura de ebulição da água em São Joaquim é menor do
que em Campos do Jordão.
japizzirani@gmail.com 16
(SENAI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: E (PUC/GO-2018.2) - ALTERNATIVA: D
A tabela a seguir mostra as temperaturas de fusão e de ebulição de No Texto 7, Alice afirma à sua interlocutora Barbie que não lhe ofe-
dois metais alcalinos. recerá um jantar para “não estragar sua cinturinha tão incrível”. Con-
sidere a temperatura normal do corpo humano igual a 37 ºC. Se
Temperatura de Temperatura de uma pessoa ingerir 400 g de gelo a 0 ºC, supondo-se que sua tem-
Substância
Fusão (ºC) Ebulição (ºC) peratura corporal não sofra alterações durante o processo, quantas
Lítio 180,6 1 342 calorias ela perderá até que essa quantidade de gelo derreta e atinja
o equilíbrio térmico com seu corpo?
Sódio 97,7 892 Assinale a resposta correta:

Tendo em conta os dados tabelados, está correto afirmar que na Dados: calor latente de fusão do gelo, 80 cal/g;
temperatura de calor específico da água, 1,0 cal/g ºC.
a) 900°C, a coesão entre os átomos de sódio é maior que entre os a) 14,8 cal.
de lítio. b) 32 cal.
b) 120°C, a distância entre os átomos de sódio é menor que nos de c) 11,84 kcal.
lítio. *d) 46,8 kcal.
c) 150°C, os átomos de lítio têm mais mobilidade que os de sódio.
d) 100°C, os átomos de sódio têm mais energia que os de lítio. (VUNESP-UEFS/BA-2018.2) - ALTERNATIVA: A
*e) 1 350°C, os dois metais se encontram em estado gasoso. A figura representa a experiência de Joseph Black que, em 1760,
observou que diferentes substâncias apresentam diferenças ao ar-
(IF/CE-2018.2) - ALTERNATIVA: A mazenar energia térmica. Nessa demonstração, duas esferas de
Uma pessoa A está cozinhando um alimento em Fortaleza, cidade mesma massa, uma de cobre e uma de alumínio, são colocadas em
ao nível do mar. Já uma pessoa B está cozinhando o mesmo ali- água fervente até entrar em equilíbrio térmico com ela. Em seguida,
mento em Guaramiranga, serra com altitude de 865 m. É correto as duas esferas são postas sobre um grande bloco de gelo a 0 ºC,
afirmar-se que no nível do mar, onde afundam até parar. Nessas condições, obser-
*a) o cozimento será mais rápido em Fortaleza, pois a pressão ex- va-se que a esfera de alumínio afunda mais do que a de cobre, pois
terna será maior, aumentando a temperatura da água no momento derrete maior quantidade de gelo.
de ebulição.
b) o cozimento será mais rápido em Guaramiranga, pois a pressão
externa será maior, aumentando a temperatura da água no momen-
to de ebulição.
c) o cozimento será mais rápido em Fortaleza, pois a pressão ex-
terna será menor, aumentando a temperatura da água no momento
de ebulição.
d) o cozimento será mais rápido em Guaramiranga, pois a pressão
externa será menor, aumentando a temperatura da água no momen-
to de ebulição.
e) não haverá diferença, pois em ambos os casos trata-se de cozi-
mento realizado em água, assim a temperatura durante a ebulição (http://reflexoesnoensino.blogspot.com.br. Adaptado.)
será a mesma.
A partir dessa demonstração experimental, conclui-se que
*a) a esfera de alumínio afunda mais do que a de cobre porque o
(VUNESP/UNINOVE-2018.) - ALTERNATIVA: D alumínio apresenta calor específico maior do que o cobre.
O derretimento do gelo das calotas polares é um dos problemas b) a esfera de alumínio afunda mais porque apresenta menor capa-
provocados pelo aquecimento global. Suponha que o gelo polar se cidade térmica do que a de cobre.
encontre a – 4,0 ºC e se funda a 0 ºC. Considerando o calor específi- c) a esfera de alumínio afunda mais do que a de cobre porque o
co do gelo 0,50 cal/(g ·ºC) e o calor latente de fusão do gelo 80 cal/g, alumínio é melhor condutor térmico do que o cobre.
a máxima massa de gelo polar que pode ser derretida com uma d) ambas as esferas apresentam capacidades térmicas diferentes,
quantidade de calor igual a 3,28 ×105 cal é mas calores específicos iguais.
a) 2,1 kg. *d) 4,0 kg. e) massas iguais de alumínio e de cobre armazenam a mesma
quantidade de energia térmica.
b) 0,8 kg. e) 8,2 kg.
c) 1,0 kg.
(INATEL/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: D
La Paz, na Bolívia, é a capital mais alta do mundo com uma altitude
(UFU/MG-2018.2) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO de 3 700 metros. Considerando o diagrama de fases da água re-
Um copo de vidro, contendo em seu interior 100 g de água e 100 g presentado pela figura abaixo, assinale a única alternativa correta:
de gelo, encontra-se sobre uma fonte de calor, inicialmente desliga-
da. Em um dado instante, a fonte de calor é ligada e fornece calor ao
sistema água-gelo-copo a uma taxa constante de 20 cal/s.
Considere que a pressão atmosférica é equivalente a 1 atm, que o
sistema água-gelo-copo encontra-se inicialmente em equilíbrio tér-
mico, e despreze as demais interações do sistema com o ambiente.
Dados
Calor específico da água = 1 cal/gºC
Calor latente de fusão do gelo = 80 cal/g
Capacidade térmica do copo de vidro = 5 cal/ºC
Com base nos dados e nas informações acima, responda.
a) É possível saber em qual temperatura o sistema água-gelo-copo
se encontrava antes de a fonte de calor ser ligada? Justifique a sua
resposta.
b) Qual o tempo gasto para que o sistema água-gelo-copo atinja a
temperatura de 40 ºC?
a) A temperatura de ebulição da água em La Paz é maior do que
RESPOSTA UFU/MG-2018.2: 100 ºC.
a) O sistema se encontra em equilíbrio térmico, apresentando a co- b) A pressão atmosférica em La Paz é maior do que 1 atm.
existência de duas fases: gelo-água líquida. Essa coexistência, à c) A temperatura de fusão do gelo em La Paz é menor do que 0 ºC.
pressão de 1 atm, ocorre em uma única temperatura, cujo valor é *d) A temperatura de ebulição da água em La Paz é menor do que
0 ºC (zero grau Celsius). 100 ºC.
b) Dt = 810 s = 13,5 min e) A pressão atmosférica em La Paz é igual a 1 atm.
japizzirani@gmail.com 17
(IFSUL/RS-2018.2) - ALTERNATIVA: B
O gráfico traçado abaixo representa duas amostras em recipientes
separados, sendo uma o etanol e a outra a acetona, e servirá como
base para resolver a questão 36.

QUESTÃO 36
Qual afirmativa está correta?
a) Ambos os compostos, após 60 minutos, encontram-se na forma
de vapor.
*b) Os dois patamares estão presentes em cada amostra, na fusão
e ebulição.
c) O etanol tem temperatura de fusão de 150 K e temperatura de
ebulição de 325 K.
d) O etanol representa uma mistura eutética e a acetona uma mis-
tura azeotrópica.

(UECE-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Em atividades esportivas, como os jogos de copa do mundo, o corpo
do atleta tem sua temperatura aumentada e há produção de suor,
que ao evaporar transfere calor do corpo para o vapor d’água na
atmosfera. Nesse caso, há um processo termodinâmico em que
a) a entropia do suor evaporado é reduzida.
b) a entropia do suor evaporado é mantida constante.
c) durante a evaporação do suor há sublimação.
*d) o suor sofre uma mudança de estado.

japizzirani@gmail.com 18
TERMOFÍSICA (ACAFE/SC-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Em quase todos os hospitais e algumas residências é comum o uso
sistema termicamente isolado de chuveiros misturadores de água quente e fria como na figura
abaixo.

VESTIBULARES 2018.1

(UERJ-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Para explicar o princípio das trocas de calor, um professor realiza
uma experiência, misturando em um recipiente térmico 300 g de
água a 80 °C com 200 g de água a 10 °C.
Desprezadas as perdas de calor para o recipiente e para o meio
externo, a temperatura de equilíbrio térmico da mistura, em °C, é
Suponha que a torneira quente forneça 50 gramas de água por se-
igual a:
gundo a temperatura de 50ºC e a torneira fria forneça 100 gramas de
*a) 52
água por segundo a temperatura de 20ºC. Considere também que
b) 45
não há trocas de calor entre a água e o ambiente e as águas das
c) 35
duas torneiras se misturam rapidamente.
d) 28
A alternativa correta que mostra o gráfico da temperatura T da água
após a mistura em função do tempo t é:
(PUC/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: D
O conteúdo de uma garrafa térmica tem 1/3 de seu volume preen- *a) c)
chido com água à temperatura T0 , e 2/3 preenchido com água à
temperatura T0 /2.
A temperatura de equilíbrio, em função de T0 , é
a) 2T0 /9 .
b) T0 /3 .
c) T0 /2 .
*d) 2T0 /3 .
e) T0.
b) d)

(PUC/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Em um calorímetro são colocados 100 g de gelo a 0°C e 200 g de
água a 40°C.
Calcule, em °C, a temperatura final do sistema, supondo o caloríme-
tro perfeitamente isolado.
a) 40 Dados
b) 20
c água = 1,00 cal/gºC
c) 10
d) 5 L gelo = 80 cal/g
(UPF/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: A
*e) 0 Um professor de Física, ao final de seu dia de trabalho, resolve pre-
parar um banho e deseja que a sua água esteja exatamente a 38°C.
(UECE-2018.1) - ALTERNATIVA: C Entretanto, ele se descuida e verifica que a temperatura da água
Quando dois corpos de tamanhos diferentes estão em contato e em atingiu 42°C. Para solucionar o problema, o professor resolve adi-
equilíbrio térmico, ambos isolados do ambiente, é correto afirmar cionar água da torneira, que está a 18°C. Considerando que há, na
que banheira, 60 litros de água, e que haja trocas de calor apenas entre
a) o corpo maior é o mais quente. a água quente e a água fria, qual será o volume de água, em litros,
que ele deverá acrescentar na banheira para atingir a temperatura
b) o corpo menor é o mais quente.
desejada?
*c) não há troca de calor entre os corpos.
*a) 12 d) 16
d) o corpo maior cede calor para o corpo menor.
b) 20 e) 6
c) 18
(UFLA/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Um pedaço de latão com capacidade térmica de 1 cal/°C possui tem-
peratura inicial de 100°C. O pedaço do latão é submerso em uma (UCPel/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: D
quantidade de água que possui capacidade térmica de 9 cal/°C e Um calorímetro adiabático de capacidade térmica desprezível con-
uma temperatura inicial de 20°C. Assumindo que todo o calor cedido tém, sob pressão constante de 1 atm, 300,0 g de água a uma tem-
pelo pedaço de latão é completamente absorvido pela água, a tem- peratura de 28,0°C. Uma amostra de gelo, cuja massa é igual a M1
peratura final do sistema latão + água será: e a temperatura é igual a 0,0 °C, é introduzida no calorímetro e ve-
rifica-se que o sistema atinge a temperatura de 10,0°C no equilíbrio
a) 10°C
térmico.
*b) 28°C
c) 60°C Após, introduz-se uma nova amostra de gelo, de massa M2 e tem-
peratura igual a 0,0°C, com o objetivo de fazer o sistema atingir o
d) 92°C
equilíbrio térmico em 0°C, sem restar nenhuma massa de gelo ao
final do processo.
(FEI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B Considere os seguintes dados:
Uma massa de 300 g de uma liga metálica a 100 ºC foi adicionada Calor específico do gelo = 0,5 cal/g.°C
a 450 g de água a 20 ºC em equilíbrio térmico com um calorímetro Calor específico da água = 1,0 cal/g.°C
de capacidade térmica C = 50 cal/ºC. Após o equilíbrio térmico, veri- Calor latente de fusão do gelo = 80 cal/g
ficou-se uma temperatura de equilíbrio de 25 ºC. Nestas condições,
De acordo com os dados acima, as massa M1 e M2 valem
qual é o calor específico da liga metálica?
a) 0,08 cal/gºC a) M1 = 63,5 g e M2 = 37,5 g
*b) 0,11 cal/gºC b) M1 = 63,5 g e M2 = 45,4 g
c) 0,20 cal/gºC c) M1 = 60,0 g e M2 = 37,5 g
d) 0,15 cal/gºC *d) M1 = 60,0 g e M2 = 45,0 g
e) 0,06 cal/gºC e) M1 = 67,5 g e M2 = 45,6 g
japizzirani@gmail.com 19
(UCB/DF-2018.1) - ALTERNATIVA: E (UNCISAL-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Considere dois corpos, A e B, estão em contato térmico em um reci- O gráfico a seguir representa tanto a variação de temperatura sofri-
piente termicamente isolado. Verifica-se que os corpos A e B estão da por uma certa quantidade de água quanto a variação de tempera-
em equilíbrio térmico. tura sofrida por uma certa quantidade de gelo ao serem misturados
dentro de um calorímetro ideal, até atingirem o equilíbrio térmico.

O corpo B é então colocado em contato térmico com um corpo C,


em um outro recipiente termicamente isolado. Verifica-se que B e C
também estão em equilíbrio térmico, ou seja, A e C estão separada-
mente em equilíbrio térmico com um terceiro corpo B.

Sabendo que o calor específico da água é 1,0 cal/g.ºC, que o calor


específico do gelo é 0,5 cal/g.ºC e que o calor latente de fusão do
gelo é 80 cal/g, é correto afirmar que a massa de gelo remanescente
foi de
a) 0 g.
A respeito do exposto, é correto afirmar que o(s) corpo(s) b) 50 g.
a) A e B possuem a mesma quantidade de calor. c) 100 g.
*d) 150 g.
b) A e C possuem a mesma quantidade de calor.
e) 200 g.
c) B transfere energia térmica de A para C.
c) B está a uma temperatura maior que a de C.
(UFJF/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: D
*e) A e C estão à mesma temperatura. Em um laboratório de física é encontrado um frasco opaco conten-
do 100 g de um líquido desconhecido, armazenado na geladeira do
(UVV/ES-2018.1) - ALTERNATIVA: D laboratório a uma temperatura de 6 graus Celsius. Um estudante
Os seres humanos são homeotérmicos por natureza, isto é, pos- deseja identificar o líquido sem abrir o frasco, usando um caloríme-
suem a temperatura de seu organismo sempre constante, em torno tro ideal. No calorímetro, o estudante insere 100 ml de água pura, a
de 37ºC, podendo ter pequenas variações nesse número (de 0,2ºC a 20 graus Celsius, e em seguida insere o frasco contendo o líquido.
0,4ºC). Então, quando há uma queda muito drástica da temperatura Após certo tempo, o frasco com o líquido desconhecido entra em
corporal, é preciso ficar atento aos sintomas, uma vez que pode ser equilíbrio térmico com a água, que passa a ter uma temperatura
hipotermia, que é quando a temperatura central do corpo cai abaixo de 16 graus Celsius. Vamos supor que não há trocas de calor do
de 35ºC. É considerada como temperatura central a temperatura do conteúdo do calorímetro com o ambiente, e que a massa do frasco
coração, pulmão, encéfalo e órgãos esplâncnicos. Quando a hipo- seja desprezível. O calor específico da água é de aproximadamente
termia não é tratada rapidamente, pode haver algumas complica- 4,2 J.g–1.K–1 e sua densidade é 1,0 g/ml. A tabela abaixo tem a infor-
ções, inclusive a morte. A doença pode ser classificada em três eta- mação do calor específico de uma variedade de líquidos.
pas: (1) A primeira etapa ocorre quando a temperatura corporal cai
entre 1 e 2 graus. Nesse caso, a pessoa tem arrepios, a respiração Calor específico
Substância
fica mais rápida e as mãos dormentes, impedindo-a de fazer tarefas (J.g–1.K–1)
cotidianas. (2) Na segunda etapa, a temperatura corporal se reduz Tolueno 1,59
em 2 a 5 graus. Os arrepios são mais intensos, os movimentos ficam
mais lentos e as extremidades do corpo ficam com um tom azulado. Azeite 1,68
Apesar de estar consciente, a pessoa fica confusa. (3) Nessa última Acetona 2,13
etapa, os arrepios cessam e surgem sinais de amnésia. O pulso car-
díaco e a respiração diminuem, o que prejudica na atividade celular Glicerina 2,43
do indivíduo e acaba causando a morte clínica do paciente. Parafina 3,26
Disponível em: https://consultaremedios.com.br.
Acesso em: 22/07/2017. Qual deles deve ser o líquido desconhecido?
Considere que cientistas estão realizando experimentos para enten- a) Parafina. *d) Azeite.
der melhor a hipotermia, e, para isso, irão utilizar um voluntário de b) Glicerina. e) Tolueno.
90,0 kg, que será colocado em uma banheira com 200 L de água e c) Acetona.
10,0 kg de gelo, ambos à 0,00 ºC. O calor específico da água e o
calor latente de fusão da água são, respectivamente, 4 190 J/kg.K,
(UEPG/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 09 (01+08)
e 333 kJ/kg. O calor específico do corpo humano é de aproximada-
Um calorímetro ideal de capacidade térmica desprezível, à pressão
mente 3 500 J/kg.K. A densidade da água é de 1 000 kg/m3.
de uma atmosfera contém 110 g de água a uma temperatura de
Considere o sistema termicamente isolado, mas que um calor adi-
60 ºC. São acrescentados 10 g de água a uma temperatura de 0 ºC e
cional negativo de Q = –3,0.107 J seja acrescentado nesse sistema,
deixado o sistema entrar em equilíbrio térmico. Desprezando trocas
representado a energia das células do corpo humano que trabalham
de calor entre o líquido e o meio ambiente, assinale o que for correto.
para não deixar que a temperatura se distancie dos 37,0 °C. Sendo
Considere o calor específico da água = 1 cal/g.ºC e 1 cal = 4 J.
assim, a temperatura final do voluntário é de, aproximadamente,
01) A quantidade de calor fornecida pela massa de água de 110 g
a) 7°C, que consiste na última etapa da hipotermia. é 2 200 J.
b) 15°C, que consiste na última etapa da hipotermia. 02) A temperatura de equilíbrio do sistema é, aproximadamente,
c) 20°C, que consiste na última etapa da hipotermia. 50,5 ºC.
04) A quantidade de calor recebida pela massa de 10 g é um décimo
*d) 32°C, que consiste na segunda etapa da hipotermia.
da quantidade de calor fornecida pela massa de 110 g.
e) 37°C, já que energia adicional foi suficiente para evitar a hipoter- 08) Ocorre uma transferência de calor entre as duas massas de
mia. água devido à diferença de temperatura entre elas.
japizzirani@gmail.com 20
(UEL/PR-2018.1) - RESPOSTA: a) |Q| = 80 kcal b) m = 1 kg (VUNESP-FAMERP/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Messias está preparando um almoço e deseja gelar 10 latas da sua Em um recipiente de capacidade térmica desprezível, 300 g de água,
bebida preferida. Ele então as coloca dentro de uma caixa com iso- inicialmente a 20 ºC, foram aquecidos. Após 2,0 minutos, quando a
lamento térmico perfeito e sobre elas despeja gelo que está a uma temperatura da água era 40 ºC, mais 300 g de água a 20 ºC foram
temperatura de 0 ºC. Considerando que as trocas de calor se dão, adicionados ao recipiente. Considerando que não ocorreu perda de
única e exclusivamente, entre o gelo e as latas, pode-se afirmar que calor da água para o meio e que a fonte fornece calor a uma potên-
o módulo do calor perdido pelas latas é igual ao módulo do calor cia constante durante o processo, o tempo decorrido, após a adição
recebido pelo gelo. da água, para que a temperatura da água atingisse 80 ºC foi de
Sabendo que a temperatura inicial das latas é de 20 ºC, que a capa- a) 5,0 min.
cidade térmica de cada lata é de 400 cal/ºC e que o calor latente de b) 14,0 min.
fusão do gelo é de 80 cal/g, responda aos itens a seguir. *c) 10,0 min.
a) Determine a quantidade de calor extraído das latas até elas atin- d) 15,0 min.
girem a temperatura de 0 ºC. e) 8,0 min.
Justifique sua resposta, apresentando os cálculos envolvidos na re-
solução deste item.
b) Calcule a massa de gelo necessária para baixar a temperatura (UNIFESP-2018.1) - RESPOSTA: a) P = 800 W b) qeq = 35°C
das latas para 0 ºC. Para a preparação de um café, 1 L de água é aquecido de 25 ºC até
Justifique sua resposta, apresentando os cálculos envolvidos na re- 85 ºC em uma panela sobre a chama de um fogão que fornece calor
solução deste item. a uma taxa constante. O gráfico representa a temperatura (q) da
água em função do tempo, considerando que todo o calor fornecido
pela chama tenha sido absorvido pela água.
(CEFET/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Tem-se quatro blocos metálicos idênticos A, B,C e D cujas tempe-
raturas são, respectivamente, 200°C, 180°C, 20°C e 50°C e dois
blocos E e F, de mesmas dimensões sendo E feito de madeira e F de
ferro, ambos a 20°C. São colocados em contato os pares de blocos:
AB, CD e EF. Desprezando-se as perdas de calor para o ambiente,
analise as afirmativas abaixo:
I. Antes do contato, a quantidade de calor contida em A era maior
que a contida em C.
II. Anterior à junção dos blocos F, estava mais frio que o E.
II. Depois de atingido o equilíbrio térmico, a quantidade de calor
transferida entre A e B é menor que a transferida entre C e D.
Após um certo período de tempo, foram misturados 200 mL de leite
IV. Após o contato, não ocorre transferência de calor entre E e F.
a 20 ºC a 100 mL do café preparado, agora a 80 ºC, em uma cane-
São corretas apenas as afirmativas ca de porcelana de capacidade térmica 100 cal/ºC, inicialmente a
a) I e II. 20 ºC. Considerando os calores específicos da água, do café e do
b) I e III. leite iguais a 1 cal/(g ·ºC), as densidades da água, do café e do leite
iguais a 1 kg/L, que 1 cal/s = 4 W e desprezando todas as perdas de
c) II e IV.
calor para o ambiente, calcule:
*d) III e IV. a) a potência, em W, da chama utilizada para aquecer a água para
fazer o café.
(UNISINOS/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: C b) a temperatura, em ºC, em que o café com leite foi ingerido, supon-
Uma pessoa deseja fazer um chá, utilizando água a uma temperatu- do que o consumidor tenha aguardado que a caneca e seu conteúdo
ra de 40°C. Inicialmente, colocou uma massa M de água numa cha- entrassem em equilíbrio térmico.
leira para aquecê-la. Porém, a pessoa acabou esquecendo a água
no fogo, fazendo com que esta atingisse uma temperatura de 80°C. (UNITAU/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Para chegar, então, à temperatura desejada para a confecção de Dois corpos, A e B, com capacidades térmicas diferentes, massas
seu chá, a pessoa resolveu misturar uma massa m de água a 20°C iguais e com temperaturas iniciais de 100 graus celsius e de 40
àquela que estava a 80°C. graus celsius, respectivamente, são colocados em contato térmico.
Sabendo-se que as trocas de calor ocorrem somente entre as duas Sabendo que a temperatura de equilíbrio térmico foi de 60 graus cel-
massas de água e que o calor específico da água é 1,0 cal/g°C, a sius, é CORRETO afirmar que a razão entre os calores específicos
razão M/m entre as massas de água será igual a do corpo A pelo corpo B é de
a) 1/8 a) 2,0
b) 1/4 *b) 0,5
*c) 1/2 c) 1,2
d) 2 d) 2,1
e) 4 e) 5,0

(UEPA-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Para preparar um café com leite em uma lanchonete, o atendente
mistura em uma xícara de capacidade térmica desprezível 180 ml de
leite, a uma temperatura inicial de 60°C, com uma quantidade V de
café, a uma temperatura inicial de 90°C. Admitindo que tanto o café
quanto o leite possam ser considerados como soluções homogêne-
as (com valores bem definidos de calor específico), e desprezando
as perdas de calor para o ambiente durante a homogeneização da
mistura, a quantidade V de café que deve ser adicionada ao leite
para obterse uma bebida à temperatura de 70°C será, em ml, igual
a:
Dados: calor específico do café = 0,9 cal/g.°C
calor específico do leite = 0,8 cal/g.°C
densidade do café = 1g/ml
densidade do leite = 1g/ml
a) 70 d) 85
b) 75 e) 90
*c) 80
japizzirani@gmail.com 21
VESTIBULARES 2018.2 (UNICEUB/DF-2018.2) - ALTERNATIVA: B
Um calorímetro ideal contém 500 g de água a 80 ºC. Adiciona-se no
interior desse calorímetro um objeto de ferro com massa igual a 200
(UFU/MG-TRANSF.2018.2) - ALTERNATIVA: D g e temperatura inicial de 600 ºC.
Uma barra de metal, com massa de 25 g é aquecida até 100 ºC. Em
seguida, essa barra é colocada dentro de um calorímetro de capaci- Considere:
dade térmica de 50 cal/ºC, contendo 300 ml de água, ambos a 0 ºC. • Temperatura de vaporização da água = 100 ºC;
A temperatura de equilíbrio térmico é de 20 ºC. Considerando que o
sistema não troca calor com o meio externo e que o calor específico • Calor específico da água = 1,0 cal/(g׺C);
da água é 1 cal/gºC, assinale a alternativa que apresenta o valor do • Calor específico do ferro = 0,1 cal/(g׺C);
calor específico do metal. • Calor específico do vapor de água = 0,5 cal/(g׺C);
a) 2,5 cal/g ºC. • Calor latente de vaporização da água = 540 cal/g.
b) 3,0 cal/g ºC.
c) 1,0 cal/g ºC.
*d) 3,5 cal/g ºC. Quando for estabelecido o equilíbrio térmico, além do objeto de fer-
OBS.: Não foi fornecido a massa específica da água (1,0 g/ml). ro, haverá no interior do calorímetro uma massa de
a) 500 g de água a 90 ºC.
*b) 500 g de água a 100 ºC.
(SENAI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: D c) 200 g de água e 300 g de vapor, ambos a 100 ºC.
Ao misturarmos 300 g de água a 50°C com 200 g de água a 10°C, d) 500 g de vapor a 100 ºC.
considerando o sistema isolado termicamente, obtém-se o seguinte e) 500 g de vapor de água a 120 ºC.
valor para a temperatura de equilíbrio térmico:
a) 31°C
b) 32°C
c) 33°C
*d) 34°C

(CEDERJ-2018.2) - ALTERNATIVA: A
Considere que uma massa de água MA , inicialmente numa tempe-
ratura de 90°C, seja despejada em um recipiente isolante térmico
contendo uma outra massa de água MB , a 10°C. Isolado termica-
mente do meio ambiente, o sistema composto pelos dois líquidos
atinge, depois de um certo tempo, a temperatura de equilíbrio de
60°C. |ΔUA | e |ΔUB | representam, respectivamente, os valores ab-
solutos das variações de energia interna de cada uma das massas
d’água nesse processo.
As relações entre | ΔUA | e |ΔUB | e entre as massas MA e MB são:
*a) |ΔUA | = |ΔUB | e MA > MB
b) |ΔUA | < |ΔUB | e MA > MB
c) |ΔUA | < |ΔUB | e MA < MB
d) |ΔUA | = |ΔUB | e MA < MB

(USS/RJ-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Um calorímetro de capacidade térmica desprezível contém 80 g de
água à temperatura de 20°C. Introduz-se no calorímetro uma pedra
de gelo de 20 g à temperatura de – 40°C. A tabela a seguir apresenta
calor latente de fusão do gelo (L) e os calores específicos da água
(ca ) e do gelo (cg ):

L 80 cal/g

ca 1 cal/g°C

cg 0,5 cal/g°C

Alcançado o equilíbrio térmico a 0°C, a massa de água no interior do


calorímetro, em gramas, será de:
a) 85.
b) 90.
*c) 95.
d) 100.

(VUNESP-USCS/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Uma dona de casa, residente em uma cidade litorânea, precisa de
6 litros de água a 40 ºC. Para consegui-los, mistura um volume V1
de água que recolhe da torneira de sua cozinha, a 20 ºC, com um
volume V2 de água fervente.
Considerando que tenha havido troca de calor apenas entre as duas
porções de água misturadas e desprezando perdas de calor para o
ambiente, pode-se afirmar que os volumes V1 e V2 são, respectiva-
mente,
a) 5,0 L e 1,0 L.
b) 4,0 L e 2,0 L.
c) 3,5 L e 2,5 L.
*d) 4,5 L e 1,5 L.
e) 3,0 L e 3,0 L.
japizzirani@gmail.com 22
TERMOFÍSICA (SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Uma forma de resfriar uma bebida aquecida é transferi-la, suces-
transmissão de calor sivas vezes, de um copo para outro. Considere os copos a seguir.

VESTIBULARES 2018.1

(UNESP-2018.1) - ALTERNATIVA: D
O gráfico mostra o fluxo térmico do ser humano em função da tem-
peratura ambiente em um experimento no qual o metabolismo basal
foi mantido constante. A linha azul representa o calor trocado com o
meio por evaporação (E) e a linha vermelha, o calor trocado com o Fonte: Disponível em: <http://migre.me/uUl73>. Acesso em: 05 set. 2016.
meio por radiação e convecção (RC).
A bebida esfriará mais depressa se forem utilizados copos fabrica-
dos no material
a) I. d) IV.
*b) II. e) V.
c) III.

(UNIFENAS/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Encontre o fluxo de calor, levando em consideração que a espessura
da parede seja de 20 centímetros, a variação de temperatura seja
de 260°C, a área seja de 1 m2 e que a condutibilidade térmica valha
2.10–5 cal/(s.cm.°C).

(Eduardo A. C. Garcia. Biofísica, 1997. Adaptado.)

Sabendo que os valores positivos indicam calor recebido pelo corpo


http://www.decoracao.com/wp-content/uploads/2012/05/57ffgwddwfbkz4dbl8cysvghi.jpg
e os valores negativos indicam o calor perdido pelo corpo, conclui-
se que: a) 30 cal/s. d) 5 cal/s.
a) em temperaturas entre 36 ºC e 40 ºC, o corpo recebe mais calor b) 25 cal/s. *e) 2,6 cal/s.
do ambiente do que perde. c) 10 cal/s.
b) à temperatura de 20 ºC, a perda de calor por evaporação é maior
que por radiação e convecção.
c) a maior perda de calor ocorre à temperatura de 32 ºC. (ACAFE/SC-2018.1) - ALTERNATIVA: C
*d) a perda de calor por evaporação se aproxima de zero para tem- As altas temperaturas do verão fazem aumentar a procura por um
peraturas inferiores a 20 ºC. aparelho de ar condicionado. Todavia, nem todos possuem condi-
e) à temperatura de 36 ºC, não há fluxo de calor entre o corpo e o ções de adquirir o equipamento, por causa do seu alto valor, e recor-
meio. rem a resoluções alternativas. Uma delas é a construção de um ar
condicionado caseiro.
Esse ar condicionado em questão constitui-se de uma caixa de iso-
(PUC/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: B por, quatro coolers (ventiladores de PC) e gelo. A proposta apresen-
Leia as informações a seguir. ta um cooler (próximo à tampa da caixa) que joga o ar para dentro da
O fenômeno das ilhas de calor é mais verificado em ambientes ur- caixa e três coolers (próximos à base da caixa) que jogam o ar para
banos, pois os diferentes padrões de refletividade (albedo) são alta- o ambiente. O gelo, dentro de sacos plásticos, fica sobre uma grade
mente dependentes dos materiais empregados na construção civil. feita de palitos, centralizada no meio da caixa.
Nota-se que, dependendo do albedo, mais radiação será absorvida Considere a pressão atmosférica de 1 atm, o gelo a 0 ºC e o ambien-
e, por consequência, mais calor será emitido pela superfície. Esses te inicialmente a 35 ºC.
padrões diferenciados de emissão de calor acabam determinando Com base no exposto, analise as proposições a seguir, marque com
uma temperatura mais elevada no centro e, à medida que se afasta V as verdadeiras ou com F as falsas, e assinale a alternativa com a
desse ponto em direção aos subúrbios, as temperaturas tendem a sequência correta.
ser mais amenas.
( ) O isopor é um bom condutor de calor, então, as paredes do
Albedo: número adimensional que indica a razão entre a quantidade interior da caixa de isopor devem ser revestidas de papel alu-
de luz refletida por uma superfície e a quantidade de luz incidente mínio para melhorar o funcionamento do ar condicionado.
nela.
BAPTISTA, Gustavo M. de M. Ilhas Urbanas de Calor. Scientific American ( ) A posição do cooler que joga o ar para dentro da caixa deve ser
Brasil Aula aberta. Ano I. Nº 2. Duetto: São Paulo, 2010. p.25. próximo da base da caixa para que o ar condicionado seja mais
eficiente, pois o ar frio é menos denso que o ar quente.
Dentre as propostas de intervenção no ambiente das cidades apre-
sentadas a seguir, marque a que é efetiva para minimizar os efeitos ( ) Se as paredes do interior da caixa de isopor forem revestidas
das ilhas de calor. de papel alumínio, o ar condicionado aumentará sua eficiência.
a) Minimizar as diferenças de altura entre os prédios e demais cons- ( ) O ar que entra na caixa de isopor perde calor para o gelo e
truções civis. esfria, descendo para o fundo da caixa.
*b) O plantio e manutenção de árvores nas regiões centrais das ci-
( ) O gelo ganha calor latente do ar que entra na caixa e começa
dades.
a derreter.
c) A criação de sistema de escoamento e drenagem da água pluvial.
d) A substituição da pavimentação de concreto de calçadas e aveni- a) F - V - V - F - F
das pelo asfalto. b) V - V - F - F - V
e) O uso de coberturas e telhados de baixa reflexividade nas cons- *c) F - F - V - V - V
truções civis. d) V - F - F - V - F
japizzirani@gmail.com 23
(UFAL-2018.1) - ALTERNATIVA: B (SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Considere as seguintes afirmativas, nas quais os fenômenos descri- Nas lâmpadas de filamento ou incandescentes, nota-se que, pouco
tos estão relacionados a um processo de condução térmica. depois de acendê-las, o bulbo e o soquete se aquecem intensa-
I. A cobra cascavel é muito temida por seu poderoso veneno e seu mente. Além disso, quando essas lâmpadas “queimam”, é comum
perigo não cessa imediatamente depois da morte. Entre as narinas observar o escurecimento de sua parte superior. Isso se deve
e os olhos da cascavel existem sensores de radiação térmica que ao fato de que, internamente, esses dispositivos estão preenchidos
podem causar um ato reflexo de “bote” mesmo meia hora após a com gases como o argônio, ou xenônio, para evitar a oxidação do
morte da cobra. filamento.
As partes destacadas dessas lâmpadas, na ordem em que apare-
II. Com o intuito de melhorar a circulação de ar, alguns edifícios da cem no texto, se aquecem, respectivamente, por
Inglaterra são projetados com as chamadas torres solares. Essas
a) convecção, condução e irradiação.
torres são feitas de vidro transparente no lado que fica voltado para
o Sol durante o dia e possui um respiradouro que pode ser aberto ou b) condução, irradiação e convecção.
fechado. A base dessa torre é ligada a todos os andares do edifício. c) convecção, irradiação e condução.
Durante o dia, o Sol aquece o ar da torre que, por ser mais leve que *d) irradiação, condução e convecção.
o ar frio, sobe pela torre, saindo pelo respiradouro. Ao passar pelos e) irradiação, convecção e condução.
andares, o ar quente gera uma zona de baixa pressão, sugando o ar
das janelas abertas. Assim, se for bem projetada, a torre produz uma (UEM/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: E
corrente de ar contínua que passa por todos os andares do prédio. Considere o texto a seguir:
III. Os besouros Melanophila conseguem detectar um incêndio de “No ciclo da água ocorrem mudanças de estado. A água no esta-
dimensões razoáveis mesmo a uma distância de até 12 km. Essa do líquido, quando sofre um aquecimento ou uma ação do vento,
habilidade deve-se a dois órgãos formados por pequenos sensores ___________. A evaporação é a passagem lenta de um líquido para
de infravermelho em forma de botão que esses besouros possuem vapor, isto é, uma vaporização lenta. Ela ocorre a diversas tempe-
de cada lado do corpo. Assim, esses animais localizam a região do raturas, mas sempre ___________ do ambiente. O vapor d’água,
incêndio, para que as fêmeas botem seus ovos em cascas de árvo- que é menos denso que o ar, ___________, ficando sujeito a novas
res queimadas. Esse é o ambiente ideal para as larvas do besouro, condições de pressão e de temperatura”.
pois a árvore queimada não mais libera qualquer substância química
ou resina. Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta de pala-
IV. Durante o dia, a exposição solar fornece igual energia à areia da vras que preenchem as lacunas do texto apresentado.
praia e à água do mar. No entanto, como o calor específico da areia a) sobe, por convecção – cede calor – condensa
é mais baixo do que o da água, a areia alcança uma temperatura b) condensa – retira calor – evapora
maior. Dessa forma, o ar acima da praia, quente, torna-se menos c) sobe, por convecção – retira calor – evapora
denso do que o ar acima da água. O ar frio, mais denso, empurra d) condensa – cede calor – sobe, por convecção
o ar quente para cima devido ao Princípio de Arquimedes. Como *e) evapora – retira calor – sobe, por convecção
resultado, temos uma brisa que sopra do oceano para o continente
durante o dia. No período da noite temos o efeito inverso.
(UNIRG/TO-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Assinale a alternativa que relaciona corretamente o processo de O calor pode ser transferido de um local ou de um objeto para ou-
condução térmica. tro por meio de três processos: condução, convecção e radiação.
a) I e IV – irradiação térmica; II e III – condução térmica. A respeito do fenômeno de trocas de calor, analise as afirmativas
*b) I e III – irradiação térmica; II e IV – convecção térmica. a seguir:
c) I e IV – irradiação térmica; II e III – convecção térmica.
d) I – irradiação térmica; II – condução térmica; III e IV – convecção I – Quando dois corpos sólidos de tamanho, massa e temperatura
térmica. diferentes entram em contato, a energia térmica é transferida, por
e) I e III – irradiação térmica; II – condução térmica; IV – convecção condução, do objeto de massa maior para o objeto de massa menor.
térmica. II – A energia transferida do Sol para a Terra se dá pelo processo de
propagação por convecção térmica, através de ondas eletromagné-
ticas.
(FUVEST/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B III – Em um planeta hipotético em que não haja fluidos, as transfe-
Um fabricante de acessórios de montanhismo quer projetar um col- rências de calor só podem ocorrer pelos processos de condução e
chão de espuma apropriado para ser utilizado por alpinistas em regi- radiação.
ões frias. Considere que a taxa de transferência de calor ao solo por IV – Residências equipadas com janelas duplas (duas placas de vi-
uma pessoa dormindo confortavelmente seja 90 kcal/hora e que a dro separadas por um espaço com gás argônio) podem contribuir
transferência de calor entre a pessoa e o solo se dê exclusivamente para o conforto térmico do local, uma vez que esse gás dificulta a
pelo mecanismo de condução térmica através da espuma do col- propagação do calor por condução.
chão. Nestas condições, o gráfico representa a taxa de transferência
de calor, em J/s, através da espuma do colchão, em função de sua Em relação às proposições analisadas, assinale a única alternativa
espessura, em cm. cujos itens estão todos corretos:
a) I e II.
b) I e III.
c) II e III.
*d) III e IV.

(FMABC/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C
A expressão do fluxo de calor em função do tempo , ao longo de uma
barra homogênea de comprimento L e área de secção A é:

K.A.Dq
F=
L
Considerando-se como grandezas fundamentais força (F), compri-
mento (L), tempo (T) e temperatura (q), a equação dimensional de
K é:
a) [K] = F0 L0 T q−2
Considerando 1 cal = 4 J, a menor espessura do colchão, em cm, b) [K] = F2 L−1 T 0 q
para que a pessoa durma confortavelmente é *c) [K] = F L0 T −1 q−1
a) 1,0. d) 2,8.
*b) 1,5. e) 3,9. d) [K] = F L−1 T0 q−1
c) 2,2. e) [K] = F−1 L T−1 q2
japizzirani@gmail.com 24
(UFU-ESTES/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: C (VUNESP-FMJ/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Atualmente, é muito comum ver painéis de aquecedores solares O fluxo de calor (Φ) através de uma parede condutora que separa
sobre o telhado de algumas residências. Esses aquecedores são Q ,
duas regiões, A e B, é definido pela relação Φ = em que Q é
constituídos de uma ou mais placas coletoras e um recipiente que Dt
serve como um reservatório de água quente, que fica localizado em a quantidade de calor que passa pela parede em um intervalo de
uma posição superior às placas. A água circula em finos tubos me- tempo Dt. Segundo a Lei de Fourier, esse mesmo fluxo é dado por
tálicos no interior das placas. Estas, por sua vez, possuem a face, k · S · (qA – qB)
que é voltada para o sol, coberta por vidro transparente, e sua parte Φ=
d
interna apresenta tons enegrecidos. A figura mostra o esquema de
em que S é a área da secção transversal da parede, d é a sua es-
um desses aquecedores.
pessura, (qA – qB) é a diferença de temperatura entre um lado e
o outro da parede e k é o coeficiente de condutividade térmica do
material dessa parede.

No Sistema Internacional de Unidades, o coeficiente de condutivida-


Considere as seguintes afirmativas sobre o funcionamento dos de térmica pode ser expresso na unidade
aquecedores solares. a) J · m · K · s–1
I. A circulação de água no interior dos aparelhos se dá por meio de *b) J · m–1 · K–1 · s–1
correntes de convecção. c) J2 · m2 · K–1 · s–1
II. A transferência de energia para a água na placa coletora se faz d) J2 · m–1 · K · s–1
por meio do processo de irradiação. e) J–1 · m · K · s2
III. O vidro, que fica na face da placa voltada para o sol, diminui
a perda de energia, pois dificulta a saída da radiação emitida pela
superfície enegrecida para o ambiente. (IFSUL/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Observe a reportagem:
Marque a alternativa que apresente a(s) afirmativa(s) correta(s).
a) II e III. *c) I e III. Por que Los Angeles está pintando o asfalto
b) I. d) III. da cidade de cinza claro
Tinta especial criada para esconder aviões de satélites espiões re-
flete o sol e refresca asfalto, ajudando moradores a enfrentar ondas
(UNICEUB/DF-2018.1) - ALTERNATIVA: A de calor.
O ser humano, por ser homeotérmico, tem a capacidade de manter
a temperatura corporal dentro de um certo intervalo, mesmo com as
variações térmicas do meio ambiente que o cerca. O hipotálamo é o
responsável pela regulação e pelo estabelecimento desse equilíbrio
térmico, que é alcançado pelo balanço entre a produção, perda e
aquisição de calor. Com a ajuda de neurônios receptores, a pele per-
mite a troca de calor com o ambiente por meio da abertura dos poros
e da ereção dos pelos.Podemos associar os processos de perda/
aquisição de calor aos mecanismos físicos de troca (de calor) por
*a) irradiação, condução, convecção e evaporação.
b) irradiação, condução e convecção.
c) irradiação e convecção.
d) condução e convecção.
e) condução e evaporação.
Los Angeles é a primeira cidade a testar a eficácia da pavimentação fresca
(Foto: Prefeitura de Los Angeles)
(UEPG/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 23 (01+02+04+16)
Em relação ao fenômeno de transmissão de calor por irradiação tér- Os ventiladores de teto e os aparelhos de ar-condicionado consegui-
mica, assinale o que for correto. ram apenas aliviar os efeitos da sufocante onda de calor que atingiu
01) O processo de irradiação térmica efetua-se através de ondas o sul da Califórnia recentemente.
eletromagnéticas, predominantemente na faixa do infravermelho. Foram dias em que a maioria dos moradores de Los Angeles dese-
02) A absorção e a reflexão são processos que se opõem, pois um jaram morar em um dos bairros que há algumas semanas testa uma
bom absorvedor de energia radiante é um mau refletor para esse nova ideia para combater as altas temperaturas.
tipo de energia. Trata-se do CoolSeal (“selo fresco”, em tradução livre), uma espécie
04) De acordo com a Lei de Kirchhoff, em uma dada temperatura, a de pintura de cor cinza claro que “refresca” o asfalto e que foi criada
emissividade e a absorvidade de um dado corpo são iguais. para combater o chamado fenômeno da “ilha de calor” urbana.
08) O poder emissivo do corpo negro é diretamente proporcional à Fonte: BBC BRASIL. (29 de SETEMBRO de 2017). G1. Acesso em: 29 set. 2017, dispo-
sua temperatura absoluta. nível em G1 NATUREZA: <https://g1.globo.com/ natureza/noticia/por-que-los-angeles-esta
-pintando-o-asfalto-da-cidade-de-cinza-claro.ghtml>
16) Toda substância a uma temperatura acima do zero absoluto emi-
te energia radiante. Sobre o fenômeno “ilhas de calor” urbanas, é correto afirmar:
japizzirani@gmail.com 25
*a) É um fenômeno climático, caracterizado pelo aumento da tempe- VESTIBULARES 2018.2
ratura média nas áreas intensamente urbanizadas. Está associado à
elevada concentração de poluentes na atmosfera, à impermeabiliza-
ção do solo, à presença intensa de asfalto e concreto e à diminuição (UNIFOR/CE-2018.2) - ALTERNATIVA: A
das áreas verdes. Para participar de uma feira de ciências, um grupo de alunos de-
senvolveu um novo material metálico e passou a fazer alguns en-
b) É um fenômeno formado pela mistura de substâncias químicas,
saios tais como: de condução de calor, de tração, de compressão,
originadas principalmente da queima de combustíveis fósseis com
de torção e de cisalhamento. Primeiro um corpo de prova feito com
o vapor de água na atmosfera. Quando ocorre a precipitação, o fe-
o material a ser analisado era aquecido até 100 °C, a partir desse
nômeno polui as águas, corrói edificações e monumentos e afeta a
instante ele deixava de ser aquecido e iniciavam-se os testes com o
vegetação.
objeto até que a temperatura deste atingisse a temperatura ambien-
c) É uma condição meteorológica que ocorre quando uma camada te do laboratório em que os testes estavam sendo realizados. Um
de ar quente se sobrepõe a uma camada de ar frio, impedindo o dos membros do grupo ficou responsável por analisar o quão rápi-
movimento da camada de ar ascendente. do o objeto resfriava. Ele fazia medição da temperatura do objeto a
d) O fenômeno é caracterizado pelo aumento da temperatura média cada cinco minutos. Em seu relatório final constava que: inicialmente
do planeta, em função do aumento da emissão de gases poluen- o objeto perdia calor rapidamente; depois de um tempo, a perda de
tes na atmosfera, derivados da queima de combustíveis fósseis, e o calor se dava de modo bem lento até que atingia a temperatura do
desmatamento das florestas. laboratório. O gráfico que melhor representa o relatório é

*a) d)
(UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 28 (04+08+16)
Assinale a(s) alternativa(s) correta(s).
01) O valor de calor específico de uma determinada substância quí-
mica é sempre constante e não depende do estado de agregação
da matéria.
02) Corpos de mesmo material e sujeitos às mesmas condições ter-
modinâmicas, mas de massas diferentes, possuem calor específico
diferentes.
04) A capacidade térmica de um corpo depende de sua composição
química e de sua massa.
08) O ferro possui maior condutividade térmica do que a água, no
entanto a água possui maior calor específico do que o ferro. b) e)
16) O calor pode ser transmitido entre dois corpos separados por
vácuo por meio de radiação térmica.

c)

(UNIFENAS/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: A
Para que uma família possa sobreviver às baixas temperaturas, é
necessário que as casas tenham isolamento térmico adequado.
Considerando a espessura da parede de 10 centímetros, a área de
exposição aos intemperes igual a 10 metros quadrados, a diferença
de temperaturas entre o interior e o exterior sendo de 90°F e o co-
eficiente de condutibilidade igual a 10 – 4 W/(m°C), obtenha o fluxo
térmico.

https://www.google.com.br/search?q=fotos+de+chalés+alpinos&tbm=isch&-
tbo=u&source=univ&sa
*a) 0,50 W. d) 25,00 W.
b) 5,00 W. e) 50,00 W.
c) 15,00 W.
japizzirani@gmail.com 26
(ETEC/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: B (UNIFENAS/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: E
O fogão à lenha possibilita que restos de madeira e de cortes de A seguir é mostrada uma fotografia de uma sala com uma lareira.
árvores possam ser utilizados para cozinhar alimentos.

https://www.google.com.br/search?q=foto+de+lareiras&tbm...
Caso você esteja diante da lareira, a uma distância de 3 metros, qual
das alternativas abaixo melhor explica o aquecimento do seu corpo?
a) Condução e radiação.
<https://tinyurl.com/y859ktgc>Acesso em: 21.04.2018. b) Convecção e condução.
O calor gerado pela queima da lenha é levado para o interior do fo- c) Convecção.
gão em direção a uma chapa de metal devido à __________.
I Se um d) Condução.
bule descansa sobre a chapa aquecida pelo fogo, sem que receba *e) Radiação
diretamente a chama da lenha em combustão, o calor é transferido
a ele por __________
II . Objetos deixados à frente da boca do fogão, (SENAI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: B
como, por exemplo, a própria lenha que será utilizada futuramente Define-se calor como a energia que flui entre dois corpos que se
como combustível, aquecem-se devido à __________.
III encontram em diferentes temperaturas, transferindo-se sempre do
As palavras que preenchem, correta e respectivamente, as lacunas corpo quente para o corpo frio. Tendo em conta essa definição, ob-
estão indicadas na alternativa. serve as situações a seguir.

I II III
a) condução convecção irradiação
*b) convecção condução irradiação
c) convecção irradiação condução
d) irradiação condução convecção
e) irradiação convecção condução

(IFSUL/RS-2018.2) - ALTERNATIVA: A
Com relação à física térmica, analise as afirmações abaixo:
I. Deixar a porta da geladeira aberta é uma forma eficiente
de a pessoa resfriar o ambiente no qual se encontra. Fonte: adaptado de: Disponível em: <http://www.feiradeciencias.com.br/sala
18/image18/18_05_01.gif>. Acesso em: 06 out. 2016.
II. Molhar uma garrafa antes de colocá-la no resfriador ace-
lera o resfriamento do líquido em seu interior. Nessas situações, as lacunas I, II e III completam-se, correta e res-
III. Para aparelhos de ar condicionado do tipo “split”, é indife- pectivamente, com
rente, entre o verão e o inverno, a sua posição vertical na a) pela radiação infravermelha; de partícula para partícula; pela cir-
parede interna do ambiente. culação de um fluido.
*b) pela circulação de um fluido; de partícula para partícula; pela
Está(ão) correta(s) a(s) afirmativa(s) radiação infravermelha.
*a) II, apenas. c) de partícula para partícula; pela circulação de um fluido; pela ra-
b) I e III, apenas. diação infravermelha.
c) II e III, apenas. d) de partícula para partícula; pela radiação infravermelha; pela cir-
d) I, II e III. culação de um fluido.
e) pela circulação de um fluido; pela radiação infravermelha; de par-
tícula para partícula.
(UNIRG/TO-2018.2) - ALTERNATIVA: B
Com a finalidade de manter a temperatura corporal, vários esportis-
tas utilizam roupa térmica (também conhecida como segunda pele).
Essa roupa é composta de um material capaz de conservar o corpo
da pessoa aquecido em dias frios e ainda refrescar em dias quentes.
A roupa térmica pode realizar tudo isso por que é um:
a) isolante térmico, uma vez que a peça reflete as ondas eletromag-
néticas do Sol, dificultando a propagação por radiação térmica;
*b) isolante térmico, ou seja, dificulta as trocas de calor por condu-
ção do meio externo para o corpo da pessoa e vice-versa;
c) condutor de temperatura, pois possibilita os choques moleculares
entre a malha e o corpo da pessoa;
d) condutor de temperatura, pois facilita as trocas de ar por convec-
ção.

(UECE-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Em atividades esportivas, como os jogos de copa do mundo, o corpo
do atleta tem sua temperatura aumentada e há produção de suor,
que ao evaporar transfere calor do corpo para o vapor d’água na
atmosfera. Nesse caso, há um processo termodinâmico em que
a) a entropia do suor evaporado é reduzida.
b) a entropia do suor evaporado é mantida constante.
c) durante a evaporação do suor há sublimação.
*d) o suor sofre uma mudança de estado.
japizzirani@gmail.com 27
TERMOFÍSICA (UFVJM/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Um colecionador de moedas, ao viajar para um país frio compra
dilatação térmica duas moedas com as mesmas dimensões, porém, de materiais dife-
rentes. Ele observa que a moeda A fica maior que a moeda B quando
viaja para um país mais quente que o país de origem das moedas.
VESTIBULARES 2018.1 ASSINALE a alternativa que justifica, CORRETAMENTE, o aumento
nas dimensões de uma das moedas.
DILATAÇÃO DOS SÓLIDOS a) O calor específico da moeda A é maior que o coeficiente de dila-
tação térmica da moeda B.
(UNICENTRO/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: B b) O calor latente de fusão da moeda A é maior que o coeficiente de
Uma barra metálica apresenta, a 20 ºC comprimento de 50 metros; o dilatação térmica da moeda B.
metal que constitui a barra apresenta coeficiente de dilatação linear c) O coeficiente de condução térmica da moeda A é maior que o
coeficiente de dilatação térmica da moeda B.
médio igual a 25 ·10–6 ºC–1. Quando a barra é aquecida a 40 ºC a *d) O coeficiente de dilatação térmica da moeda A é maior que o
dilatação relativa, expressa em porcentagem, vale: coeficiente de dilatação térmica da moeda B.
a) 0,025%
*b) 0,050%
c) 0,150% (UECE-2018.1) - ALTERNATIVA: D
d) 0,500% Seja um anel metálico construído com um fio muito fino. O material
tem coeficiente de dilatação linear a e sofre uma variação de tem-
peratura ΔT. A razão entre o comprimento da circunferência após o
(UNIGRANRIO/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: D
aquecimento e o comprimento inicial é
Em um laboratório, os alunos coletam dados da dilatação de uma
barra de material desconhecido. Ao final, apresentam o gráfico do a) aΔT .
comprimento L em função da temperatura T. b) 1/ (1 + aΔT).
c) 1/ aΔT .
*d) 1 + aΔT .

(UFRGS/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Uma barra metálica de 1 m de comprimento é submetida a um pro-
cesso de, aquecimento e sofre uma variação de temperatura.
O gráfico abaixo representa a variação D l, em mm, no comprimento
da barra, em função da variação de temperatura DT, em °C.

Analise o gráfico e marque a opção que indica corretamente o coefi-


ciente de dilatação linear do material que constitui a barra.
a) 0,2 ×10–5 °C–1
b) 0,5 ×10–5 °C–1
c) 1,0×10–5 °C–1
*d) 2,0 ×10–5 °C–1
e) 20,0 ×10–5 °C–1 Qual é o valor do coeficiente de dilatação térmica linear do material
de que é feita a barra, em unidades 10–6/°C?
(UFLA/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: B a) 0,2.
Um engenheiro, ao projetar a construção de uma ponte, necessita b) 2,0.
definir a largura das juntas de dilatação, que são espaços deixados c) 5,0.
entre as lajes de concreto para que elas possam dilatar e contrair *d) 20.
sob efeito de alterações climáticas, sem danificar sua estrutura. Sa- e) 50.
bendo que a variação do comprimento de cada laje é diretamente
proporcional ao seu comprimento inicial, à variação de temperatu- (VUNESP-UEFS/BA-2018.1) - ALTERNATIVA: C
ra e ao coeficiente de dilatação térmica linear, o engenheiro decide A figura representa duas barras metálicas, A e B, de espessura e
criar juntas de dilatação de 1 cm de largura. Sabendo, ainda, que largura desprezíveis, que apresentam, à temperatura inicial θ0 , com-
cada laje possui 20 m de comprimento e coeficiente de dilatação primentos iniciais L0 e 2·L0 , respectivamente.
linear de 10×10–6 1/K, a variação máxima de temperatura que essa
ponte suportará será:
a) 20°C
*b) 50°C
c) 150°C
d) 100°C

(UEG/GO-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Uma chapa quadrada de chumbo é aquecida em 50°C. Nessa tem-
peratura sua dilatação superficial é de 0,54 cm2. Sabendo-se que Quando essas barras sofreram uma mesma variação de tempera-
seu coeficiente de dilatação superficial vale 27×10–6 °C–1, as dimen- tura Δθ, devido à dilatação térmica, elas passaram a medir LA e LB.
sões da chapa antes do aquecimento, em cm, eram Sendo aA e aB os coeficientes de dilatação térmica linear de A e B,
a) 10 x 10 se aA = 2·aB , então
*b) 20 x 20
c) 30 x 30 a) LB – LA < 0 d) LB – LA > L0
d) 40 x 40 b) LB – LA = LA e) LB – LA < L0
e) 50 x 50 *c) LB – LA = L0
japizzirani@gmail.com 28
(UNIMONTES/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: C DILATAÇÃO DOS LÍQUIDOS
As lâminas bimetálicas são utilizadas na fabricação de termostatos,
dispositivos que abrem ou fecham um circuito elétrico quando uma
determinada temperatura é atingida. Para acionar o circuito de um (UERJ-2018.1) - RESPOSTA: gliq = 236 ×10 –6 ºC–1
alarme contra incêndio, o termostato da figura a seguir foi utilizado. Para uma análise física, um laboratório utiliza um sistema composto
por um termômetro, um aquecedor, um recipiente com ladrão e outro
recipiente menor acoplado a este. O primeiro recipiente é preenchi-
do até a altura do ladrão com 400 cm3 de um determinado líquido,
conforme ilustrado abaixo.

Metal Coeficiente de dilatação linear (ºC–1)


aço 1,2 × 10–5 O sistema, mantido em temperatura ambiente de 25 ºC, é então
cobre 1,7 × 10–5 aquecido até 65 ºC. Como em geral os líquidos se dilatam mais que
os sólidos, verifica-se o extravasamento de parte do líquido, que fica
chumbo 2,7 × 10–5 armazenado no recipiente menor. Após o sistema voltar à tempera-
tura inicial, o volume de líquido extravasado corresponde a 3,2 cm3.
Nesse termostato, para que ocorra o fechamento do circuito, em
Observe a ilustração:
uma temperatura relativamente alta, os metais 1 e 2 podem ser, res-
pectivamente,
a) aço e cobre ou aço e chumbo.
b) aço e chumbo, apenas.
*c) chumbo e aço ou chumbo e cobre.
d) cobre e chumbo, apenas.

(IFSUL/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Um estudante mede o comprimento de uma haste de cobre com
uma trena de aço a 20,0°C e encontra 95,0 cm. Suponha que, ao
realizar nova medida, a haste de cobre e a trena estejam a uma Sabendo que o coeficiente de dilatação volumétrica do material que
temperatura de –15,0°C.
constitui o recipiente é igual 36 ×10–6 ºC–1, calcule o coeficiente de
Dados: dilatação do líquido.
Coeficiente de dilatação superficial do cobre: 34,0 ×10–6 °C–1;
Coeficiente de dilatação volumétrica do aço: 33,0 ×10–6 °C–1. (SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Considerando as condições e os dados informados no enunciado, o O aumento na energia térmica de um corpo ocasiona aumento no
valor da medida encontrada pelo estudante será estado de agitação das partículas que o compõem. Essas partículas
a) 0,9503 m. precisam de mais espaço e acabam se afastando umas das outras,
b) 0,9301 m. aumentando o volume desse corpo. Esse fenômeno é conhecido
como dilatação térmica.
*c) 0,9497 m.
Fonte: adaptado de: Disponível em: <http://www.efeitojoule.com/2009/09/dilatacao-
d) 0,9603 m.
termica-termica-dilatacao.html>. Acesso em: 10 set. 2016.

(IFSUL/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: C Dentro desse contexto, considere que, quando


Um aparelho eletrônico mal desenhado tem dois parafusos presos a I. um pedaço de borracha é esticado, sua temperatura aumenta.
partes diferentes que quase se tocam em seu interior, como mostra II. um automóvel é deixado ao sol, se o tanque de combustível esti-
a figura abaixo. ver cheio, haverá transbordamento.
III. uma barra metálica é deixada próxima a uma lareira, observa-se
aumento no comprimento.
A dilatação térmica explica o que ocorre apenas em
a) I.
b) II.
c) I e II
d) I e III.
*e) II e III.

Os parafusos de aço e latão têm potenciais elétricos diferentes e, (UNITINS/TO-2018.1) - ALTERNATIVA: E


caso se toquem, haverá um curto-circuito, danificando o aparelho. Um recipiente de alumínio com capacidade de 2 litros está cheio de
O intervalo inicial entre as pontas dos parafusos é de 5 μ m a 27°C. glicerina até a sua borda a uma temperatura de 10°C. Se a tempe-
Suponha que a distância entre as paredes do aparelho não seja afe- ratura for aumentada para 70°C, a quantidade de glicerina que irá
tada pela mudança na temperatura. Considere, para a resolução, derramar do recipiente será de aproximadamente:
os seguintes dados: α latão = 19 ×10–6 °C–1 ; α aço = 11 ×10–6 °C–1 ; Dados:
1 μ m = 10–6 m. ● coeficiente de dilatação da glicerina γ = 5,1×10–4 °C–1
Nessas condições, a temperatura em que os parafusos se tocarão ● coeficiente de dilatação linear do alumínio a = 23 ×10–6 °C–1
é de a) 0,053 ml
a) 34,0 °C. b) 0,52 ml
b) 32,0 °C. c) 52,92 l
*c) 34,4 ºC. d) 0,52 l
d) 7,4 ºC. *e) 52,92 ml
japizzirani@gmail.com 29
(VUNESP/UNICID-2018.1) - ALTERNATIVA: A (SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
A figura mostra um termômetro a álcool, cujo coeficiente de dilatação Um rebite (pino) de diâmetro d2 deverá ser encaixado em uma placa
volumétrica vale 1,2 × 10–3 ºC–1.
metálica com um orifício de diâmetro d1, como mostra a figura a
seguir.

Fonte: adaptado de: Disponível em: <http://migre.me/u6mDUA>.


Acesso em: 27 maio 2016.
(www.lojatudo.com.br. Adaptado.)
A fim de realizar a tarefa, mas sem danificar esses objetos, deve-se
Quando a temperatura desse termômetro varia de 0 ºC para 50 ºC, o a) aquecer o pino.
álcool contido no seu interior sofre uma dilatação de 2,4 × 10–2 cm3. *b) aquecer a placa.
A quantidade de álcool existente nesse termômetro à temperatura c) resfriar a placa.
de 0 ºC é d) aquecer as duas peças.
*a) 0,40 cm3. e) resfriar as duas peças.
b) 1,05 cm3.
(SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E
c) 0,86 cm3.
3
As moedas de R$ 1,00 são confeccionadas a partir de dois metais
d) 1,20 cm . diferentes: o aro externo é feito de aço inoxidável e o miolo, de aço
e) 0,53 cm3. comum. Quando aquecemos uma dessas moedas, suas duas partes
se dilatam de modo diferente e acabam se soltando. Nesse momen-
to, a razão entre a variação total da área do buraco interno do aro e
(UNICAMP/SP-2018.1) - RESPOSTA: a) qág = 21ºC b) qcorpo = 37ºC a variação total da área do miolo é de, aproximadamente,
Termômetros clínicos convencionais, de uso doméstico, normalmen- Dados:
te baseiam-se na expansão térmica de uma coluna de mercúrio ou
Coeficiente de dilatação superficial do aço comum = 28 ×10– 6 °C–1;
de álcool, ao qual se adiciona um corante. Com a expansão, o líqui-
do ocupa uma parte maior de uma coluna graduada, na qual se lê Coeficiente de dilatação superficial do aço inoxidável = 28 ×10– 6 °C–1.
a temperatura.
a) O volume de álcool em um termômetro é
V0 = 20 mm3 a 25ºC, e corresponde à figura
(a). Quando colocado em contato com água
aquecida, o termômetro apresenta a leitura
mostrada na figura (b). A escala está em mi-
límetros, a área da secção reta da coluna é
A = 5,0 ×10–2 mm2. O aumento do volume,
ΔV, produzido pelo acréscimo de temperatura
ΔT, é dado por ΔV = γ V0 ΔT. Se para o álcool
Fonte: Disponível em: <http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-455002514-moeda-
1-real-2012-entrega-dabandeira- olimpica-_JM>. Acesso em: 15 mar. 2013.
γ = 1,25 ×10–3 ºC–1, qual é a temperatura T da
água aquecida? a) 0,10.
b) Os termômetros de infravermelho realizam a b) 0,28.
medida da temperatura em poucos segundos, c) 0,38.
facilitando seu uso em crianças. Seu funciona- d) 0,66.
mento baseia-se na coleta da radiação infraver- *e) 1,36.
melha emitida por parte do corpo do paciente. A potência líquida radiada
por unidade de área do corpo humano é dada por Φ = 4σ T03 ΔT, sendo
σ ~ 6 ×10–8 W/m2K4 a constante de Stefan-Boltzmann, T0 = 300 K
a temperatura ambiente e ΔT = Tcorpo – T0 a diferença entre a
temperatura do corpo, que deve ser medida, e a temperatura am-
biente. Sabendo que em certa medida de temperatura Φ = 64,8
W/m2, encontre a temperatura do paciente em ºC. Lembre-se que
θ (ºC) ~ T(K) – 273.

DILATAÇÃO DO CORPO OCO E DA ÁGUA

(UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 27 (01+02+08+16)


Em países de inverno rigoroso, os lagos e os rios congelam-se na
superfície, e a água de máxima densidade, isto é, a 4ºC, encontra-se
no fundo. Esse fato é de fundamental importância para a preser-
vação da fauna e da flora locais. Considerando que a entalpia de
fusão da água é de 7,3 kJ/mol e usando conceitos físico-químicos,
assinale o que for correto.
01) A água entre 0ºC e 4ºC apresenta coeficiente de dilatação volu-
métrica negativo.
02) Na escala absoluta (Kelvin), a água, a aproximadamente 277K,
está com densidade máxima.
04) Rios e lagos descongelam mais facilmente devido ao baixo calor
específico da água.
08) 36,5 kJ de calor seriam suficientes para fundir 5 mols de água.
16) Em lagos de água salgada a água não congela a 0ºC.
japizzirani@gmail.com 30
VESTIBULARES 2018.2 (UNIGRANRIO/RJ-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Em uma aula no laboratório, um professor resolve fazer uma experi-
DILATAÇÃO DOS SÓLIDOS ência de dilatação térmica aquecendo uma esfera de aço. No início
da experiência, o raio da esfera é de 10 cm. Determine, aproxima-
(PUC/PR-2018.2) - ALTERNATIVA: B damente, a variação de volume após a esfera ser aquecida de 20°C
Um cubo maciço, feito de latão, possui massa 20 g e tem seu vo- até 80°C.
lume aumentado em 0,30% quando absorve certa quantidade de Dados: π = 3,14; aaço = 1,2.10–5 °C–1; Vesfera = (4/3) π r3.
calor. Sendo o coeficiente de dilatação linear do latão e seu calor a) 3 cm3
d) 12 cm3
3
específico iguais a α latão = 20 ×10–6 °C–1 e c latão = 0,092 cal/g ∙°C, b) 6 cm e) 24 cm3
respectivamente, a quantidade de calor absorvida pelo cubo foi de *c) 9 cm3
a) 46 cal.
*b) 92 cal.
c) 124 cal. (FPS/PE-2018.2) - ALTERNATIVA: A
d) 156 cal. Um disco de cobre de 10 g, inicialmente a 100 ºC, recebe 45 calorias
e) 276 cal. de calor de uma fonte térmica. Determine o aumento percentual de
sua área. Dados: calor específico do cobre = 0,09 cal/gºC; coeficien-
te de expansão linear do cobre = 15 ×10–6/°C; aumento percentual
(INATEL/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: C = [(A − A0) /A0]×100%.
Numa linha de montagem, uma barra metálica deve ter seu compri- *a) 0,15 % d) 0,11 %
mento dilatado 0,2% do tamanho inicial. Considerando o coeficiente b) 0,13 % e) 0,12 %
de dilatação deste metal de 20 ×10– 6 ºC–1, assinale a alternativa que c) 0,17 %
mais se aproxima da variação de temperatura necessária para tal
dilatação:
(IFSUL/RS-2018.2) - ALTERNATIVA: B
a) 4 ºC
Sobre os efeitos da transferência de calor, analise cada uma das
b) 40 ºC
afirmativas abaixo, indicando, nos parênteses, se é verdadeira (V)
*c) 100 ºC
ou falsa (F).
d) 220 ºC
e) 400 ºC ( ) Uma barra de ouro de 50 cm sofreu um aumento de tem-
peratura de 30 . Sabendo que o coeficiente de dilatação li-
near do ouro é , afirma-se que essa barra passou a medir
(UEPG/PR-2018.2) - RESPOSTA: SOMA = 15 (01+02+04+08)
50,02 cm depois do aquecimento.
Uma barra retangular de cobre, a uma temperatura de 20 °C, possui
10 cm de comprimento e uma área de seção reta igual a 1 cm2. ( ) Um balde de capacidade 20 litros e um copo de capacidade
São fornecidas 810 calorias à barra, por uma fonte externa, em um 200 ml são cheios de água à temperatura ambiente. Saben-
intervalo de 10 s. Sabendo que a massa da barra é 90 g, assinale o do que o calor específico da água é , afirma-se que os dois
que for correto. sofrem o mesmo aquecimento se receberem a mesma quan-
tidade de calor.
Considere 1 cal = 4 J e para o cobre: ( ) A dilatação ocorre devido ao aumento do número de partícu-
• Calor específico = 0,090 cal/g·°C las que compõem a substância.
• Coeficiente de dilatação linear = 17×10−6 °C−1
( ) A sensação de frio ocasionada pela evaporação da água
• Resistividade a 20 °C = 1,72 ×10−8 Ω.m sobre a pele deve-se à absorção de energia da pele pelo
01) O comprimento máximo da barra após o aquecimento é 10,017 líquido.
cm. A sequência correta, de cima para baixo, é
02) Devido ao aquecimento, a massa específica da barra diminui. a) V – V - F - F. c) V - V - V - F.
04) A resistência elétrica da barra a 20 °C é 1,72 ×10−5 Ω. *b) V - F - F - V. d) V - F - F - F.
08) A variação máxima da área da secção reta da barra, devido ao
aquecimento, é 34 ×10−4 cm2.
(IFF/RJ-2018.2) - RESPOTA: DL = 0,512 mm
16) A potência fornecida pela fonte externa é 81 W.
A meta (gol) deve ter 2,44 m de altura e 7,32 m de largura, indepen-
dentemente do formato das traves (que podem ser ovais, circula-
(UNICEUB/DF-2018.2) - ALTERNATIVA: E res ou quadradas). O círculo central tem como medida determinada
Na Ásia existem várias linhas férreas com até 1 000 km de extensão, 9,15 m de raio e a marca do pênalti deve ficar a 11,0 m da linha do
algumas chegando a ter muito mais, como a Transiberiana. gol.
Disponível em: www.fifa.com. Acesso em: 05 abr. 2018.
Em cidades como o Rio de Janeiro, as temperaturas podem
variar durante um dia de verão de 22,0 ºC a 37,0 ºC. O aumen-
to da altura da trave vertical, cujo coeficiente de dilatação linear é
a = 1,40 ×10–5 ºC–1 após sofrer tal variação de temperatura, será de
a) 0,0512 mm. d) 5,12 mm.
b) 0,239 mm. e) 2,39 mm.
c) 0,732 mm.

DILATAÇÃO DO CORPO OCO

As temperaturas nessa região podem variar de – 20 °C no inverno (IF/PE-2018.2) - ALTERNATIVA: A


a até 30 °C no verão. Sendo o coeficiente de dilatação linear do Um dos meios de transporte de cargas mais popular de tempos atrás
aço 1,1 ×10–5 °C–1 e considerando o intervalo de temperatura dado, era conhecido como carro de bois. Suas rodas eram fabricadas de
podemos afirmar que com a variação de comprimento que os trilhos madeira e revestidas por um aro de ferro que garantia sustentabili-
sofrem na sua extensão total (de 1 000 km) e considerando a infor- dade e durabilidade. Considere uma dessas rodas de madeira com
mação dada na figura abaixo, teríamos o aumento do volume em um um diâmetro de 100 cm, tendo que ser revestida com um aro de ferro
dos trilhos, em metros cúbicos, por volta de com diâmetro 5mm menor que o da roda a 15ºC. A qual temperatu-
a) 0,4 m3. ra, aproximadamente, devemos submeter o aro para que o mesmo
b) 0,8 m3. caiba na roda? Dado: considere o coeficiente de dilatação linear do
ferro α = 12 ×10– 6 °C –1.
c) 1,6 m3.
*a) 430°C d) 480°C
d) 2,4 m3. b) 440°C e) 500°C
*e) 4,0 m3. c) 460°C
japizzirani@gmail.com 31
TERMOFÍSICA (UFAL-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Dentre os elementos químicos que compõem o ar atmosférico, os
transformações gasosas principais são o nitrogênio e o oxigênio. Uma amostra de ar é coloca-
da em um balão com capacidade para 7,5 L à pressão de 2,0 atm e à
temperatura de 30 ºC. Considerando que a fração de oxigênio no ar
VESTIBULARES 2018.1 é 20%, qual a massa aproximada em gramas de oxigênio no balão?
Dados: O = 16 g.mol–1 e R = 0,082 atm.L.mol–1.K–1.
a) 0,192
(UERJ-2018.1) - ALTERNATIVA: B
b) 0,384
Quatro balões esféricos são preenchidos isotermicamente com igual
c) 1,92
número de mols de um gás ideal. A temperatura do gás é a mesma
*d) 3,84
nos balões, que apresentam as seguintes medidas de raio:
e) 39,04

Balão Raio
(PUC/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: C
I R Um gás diatômico ideal (γ = Cp /CV = 7/5), inicialmente com pressão
P0 e volume V0 , passa por um processo isotérmico que faz com que
II R/2
o volume do gás se torne V0 /32; e, em seguida, sofre um processo
III 2R adiabático até sua pressão atingir P0 /4 .
O valor final do volume do gás, em função de V0 , é
IV 2R/3
a) 32 V0.
A pressão do gás é maior no balão de número: b) 4 V0.
a) I *c) V0.
*b) II d) 1/2 V0.
c) III e) 1/4 V0.
d) IV

(UNICENTRO/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: A
(IME/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: C Certa massa de um gás ideal, sob pressão de 2 atm, ocupa um
Um sistema fechado contendo um gás ideal no estado 1 sofre as volume de 10 litros à temperatura de 37 ºC. Sob estas condições,
transformações a e b, conforme indicado na figura abaixo. o volume ocupado pelo gás a 200 ºC, sob pressão de 4 atm será:
*a) 7,63 litros
b) 13,30 litros
c) 15,25 litros
d) 17,63 litros

(VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Um gás ideal encontra-se confinado em um recipiente dotado de
um êmbolo que se movimenta livremente. Inicialmente, o gás tem
volume igual a 12 m3 e está à temperatura de 600 K. Mantida a
Sabendo que a transformação a é isotérmica e b isobárica, indique pressão, se a temperatura do gás for reduzida para 400 K, o novo
o gráfico que representa os estados do sistema. volume do gás será
a) 4 m3.
a) d)
b) 6 m3.
*c) 8 m3.
d) 18 m3.
e) 24 m3.

(USS/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: C
O gráfico mostra um processo termodinâmico AB sofrido por cinco
mols de um certo gás ideal. O estado A corresponde à pressão de
8 300 N/m2 e ao volume de 1 m3, enquanto o estado B corresponde
à pressão de 16 600 N/m2 e ao volume de 2 m3.
b) e)

*c)

Sabendo que R = 8,3 J/mol.K, as temperaturas inicial e final do gás,


em K, são, respectivamente, iguais a:
a) 2 e 8
b) 10 e 40
*c) 200 e 800
d) 1 000 e 4000
japizzirani@gmail.com 32
(PUC/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: C (MACKENZIE/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Um gás ideal confinado é submetido a um processo tal que seu vo- Um gás perfeito, que tem um volume de 12,0 L, encontra-se no in-
lume final é maior que seu volume inicial. Considere as afirmações terior de um frasco sob pressão de 3,00 atm e com temperatura de
abaixo, referentes ao processo. 200 K. Inicialmente, o gás sofre uma transformação isotérmica, de
tal forma que sua pressão passa a ser de 9,00 atm, a seguir, o gás
I – Se o processo é isotérmico, a pressão final do gás é menor do sofre uma transformação segundo a lei de Gay-Lussac, atingindo
que a pressão inicial. uma temperatura de 500 K. Os volumes, após as duas transforma-
II – Se a temperatura final do gás é maior do que a inicial, o pro- ções, respectivamente, são iguais a
cesso é isobárico. a) 10,0 L e 4,00 L.
III – Se a pressão final do gás é maior do que a inicial, a tempera- b) 4,00 L e 2,00 L.
tura final do gás é necessariamente maior que a temperatura c) 10,0 L e 2,00 L.
inicial. d) 2,00 L e 4,00 L.
*e) 4,00 L e 10,0 L.
É correto o que se afirma em:
a) I, somente.
b) I e II, somente. (MACKENZIE/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D
*c) I e III, somente. A figura abaixo representa duas isotérmicas em que certa massa
d) II e III, somente. gasosa, inicialmente no estado A, sofre uma transformação atingin-
e) I, II e III. do o estado B, que por sua vez sofre uma transformação, atingindo
o estado C.

(VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Dois cilindros, 1 e 2, de igual volume interno e à mesma tempera-
tura, contêm, respectivamente, os gases oxigênio (O2) e dióxido de
enxofre (SO2), ambos sob mesma pressão. Em relação à massa
de gás contida no cilindro 2, a massa de gás contida no cilindro 1
corresponde
a) a um terço.
*b) à metade.
c) à mesma massa.
d) ao triplo.
e) ao quádruplo.
OBS.: É fornecido a Classificação Periódica nessa prova.

(UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 07 (01+02+04) A temperatura TA e o volume VA são iguais a


Assinale o que for correto. a) 200 K e 5 l.
01) Segundo a Lei de Charles e Gay-Lussac, se a pressão de uma
b) 300 K e 2 l.
amostra de gás ideal for mantida constante, a temperatura e o volu-
me dessa amostra de gás serão diretamente proporcionais. c) 400 K e 4 l.
02) Segundo a Lei de Avogadro, volumes iguais de quaisquer gases *d) 500 K e 2 l.
que se comportem como gases ideais, nas mesmas condições de e) 500 K e 4 l.
temperatura e de pressão, contêm o mesmo número de partículas.
04) Segundo a Lei de Boyle-Mariotte, quando a temperatura de uma
amostra de gás ideal permanece constante, uma variação no volu- (CEDERJ-2018.1) - ALTERNATIVA: C
me da amostra será inversamente proporcional à variação na pres- Uma amostra de um gás ideal ocupa, inicialmente, um volume V0,
são dessa amostra. sendo sua temperatura T0 e pressão 3 P0 . O gás sofre uma transfor-
mação em duas etapas. Na primeira etapa, a pressão do gás passa
de 3 P0 para 2 P0 mantendo o volume do gás constante igual a V0
(CESUPA-2018.1) - ALTERNATIVA: C e atingindo a temperatura final T1. Na segunda etapa, o volume do
O princípio físico da panela de pressão é manter o vapor da água gás muda para 2 V0 , mantendo pressão do gás constante em 2 P0 e
aprisionado na panela à medida que calor é fornecido ao sistema, atingindo a temperatura final T2. As relações entre T0 , T1 e T2 são:
mantendo-se o volume constante. Assim, ocorre um aumento da
a) T0 < T1 < T2
pressão e, consequentemente, aumento da temperatura de ebulição
da água dentro dela. Quanto maior a pressão, maior a temperatura b) T0 > T1 > T2
necessária para a ebulição, com o líquido podendo alcançar 120ºC, *c) T1 < T0 < T2
cozinhando os alimentos mais rapidamente. Lembrando que a mas- d) T2 < T0 < T1
sa de vapor aumenta conforme a água é aquecida, qual dos gráficos
abaixo melhor representa a variação da pressão do vapor com a
temperatura, dentro da panela? (IFSUL/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Na Física, ao estudar um gás confinado em um recipiente, obser-
a) *c) vamos três características principais, que são as grandezas pres-
são, volume e temperatura, denominadas variáveis de estado desse
gás. Quando um gás sofre uma transformação na qual a pressão é
Pressão

Pressão

constante, denominada transformação isobárica, é possível modelar


matematicamente o processo através da fórmula
V1 V2
= ,
T1 T2
30 120 30 120 na qual V1 e V2 representam o volume do gás (medido em mL) antes
Temperatura (ºC) Temperatura (ºC)
e depois da transformação, respectivamente, e T1 e T2 representam
a temperatura do gás (medida em Kelvin – K) antes e depois da
b) d)
transformação, respectivamente.
Se um gás tinha, inicialmente, um volume de 40 mL e temperatura
Pressão

Pressão

de 300 K e, ao sofrer uma transformação isobárica, aumentou seu


volume para 60 mL, a nova temperatura do gás é:
a) 600 K
*b) 450 K
c) 150 K
30 120 30 120
Temperatura (ºC) Temperatura (ºC) d) 320 K
japizzirani@gmail.com 33
(PUC/RS-2018.) - ALTERNATIVA: B (UFJF/MG-2018.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO
A observação de alguns corpos celestes tem se tornado difícil em Em 1662, o inglês Robert Boyle mostrou que, mantendo-se a tempe-
grandes centros urbanos, principalmente por conta da poluição lumi- ratura constante, o volume de uma quantidade de gás diminui com
nosa produzida. Os rastros luminosos deixados no céu pelas estrelas o aumento da pressão. Esse efeito é observado por mergulhadores
cadentes, por exemplo, são mais facilmente observados em locais rotineiramente, uma vez que bolhas de ar expelidas quando eles
ermos e distantes das cidades. As estrelas cadentes são, na verda- se encontram submersos mudam de tamanho à medida que sobem
de, meteoros cujas velocidades medidas são da ordem de milhares para a superfície. Um mergulhador notou que certas bolhas com vo-
de quilômetros por hora. Erroneamente se atribui o aquecimento das lume de 4 cm3 estavam sendo desprendidas do fundo de um lago
regiões próximas ao meteoro ao atrito entre ele e a atmosfera, mas a com 5 metros de profundidade. As bolhas eram originadas por gases
principal razão desse aquecimento é a _____________ do ar atmos- liberados pela matéria orgânica em decomposição. Suponha que o
férico logo à frente do meteoro. gás na bolha possa ser considerado como um gás ideal e ignore a
a) compressão isobárica tensão superficial da água sobre a bolha.
*b) compressão adiabática a) Faça a conversão do volume inicial da bolha de cm3 para m3.
c) expansão isobárica
b) Qual a pressão (em N/m2) do gás dentro da bolha antes de se
d) expansão adiabática
desprender e começar a subir? Suponha que seja igual à pressão
da água em sua volta.
(PUC/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A c) Suponha que a temperatura do lago seja a mesma ao longo da
Uma determinada massa de gás perfeito está contida em um reci- trajetória da bolha, que o lago e a bolha estejam em equilíbrio tér-
piente de capacidade 10,0 litros, sob pressão de 3,5 atm e tempera- mico e que a bolha suba sem se dividir. Qual é o volume da bolha
tura inicial de 25,0°C. Após sofrer uma transformação isocórica, sua imediatamente antes de atingir a superfície do lago?
pressão aumenta para 7,0 atm. d) Sabendo que havia 2,4 ×10–4 mol de ar na bolha, determine a
Determine a variação de temperatura da massa de gás, nas escalas temperatura do lago em graus Celsius.
Celsius e Fahrenheit, respectivamente, devido a essa transforma-
ção. Considere:
*a) 298 e 536,4 1 atm = 105 Pa, R = 8,3 J/mol.K, ρágua = 1000 kg/m3 e g = 10 m/s2.
b) 298 e 568,4 RESPOSTA UFJF/MG-2018.1:
c) 323 e 581,4
a) V = 4.10–6 m3 b) P = 1,5.105 N/m2
d) 323 e 613,4
c) V’ = 6.10–6 m3 d) q ≈ 28 ºC

(UFJF/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Antes de iniciar uma viagem, um motorista revisou o seu carro, dan- (UCB/DF-2018.1) - ALTERNATIVA: A
do atenção ao estado dos pneus. Ele verificou que a temperatura do No renascimento científico, os gases foram materiais de grande in-
ar dentro do pneu e sua pressão eram respectivamente 27°C e 200 teresse de diversos cientistas. As observações feitas àquela época
kPa. Se no final da viagem a pressão dos pneus era de 240 kPa, quanto ao comportamentro desses materiais ajudaram a construir a
qual era o valor aproximado da temperatura do ar em seu interior, base do entendimento que se tem atualmente das transformações
supondo que não ocorre modificação do volume dos pneus? físicas e químicas. Acerca dos gases e dos respectivos comporta-
(Tome K = ºC + 273). mentos físico-químicos, assinale a alternativa correta.
a) 15 °C d) 66 °C a) A pressão e o volume, a uma dada temperatura, são inversamente
b) 37 °C *e) 87 °C proporcionais.
c) 42 °C b) Nos gases perfeitos, há grande interação intermolecular.
c) O CO2 é um material sempre gasoso, independentemente das
(FAC.ISRAELITA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A condições de temperatura e pressão.
A bomba de ar para bicicleta da figura possui 50,0 cm de compri- d) A água é um material que, ao passar para o estado gasoso, muda
mento interno para o deslocamento do pistão. Quando acoplada à a própria composição química.
câmara de ar totalmente vazia do pneu de uma bicicleta e com o e) Os gases não têm massa.
pistão recuado de 45,0 cm, medido a partir da base da bomba, a
pressão interna do ar é de 1,0 atm. Quando o ar é injetado sob pres- (UEPG/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 07 (01+02+04)
são, em uma válvula tipo Schrader da câmara de ar, a força exercida Considerando o gás dióxido de carbono um gás ideal, verifica-se
pelo seu fl uxo vence a força de retenção de uma mola, abrindo o que ele sofre transformações de estado segundo o gráfico abaixo.
obturador e permitindo sua entrada (veja a figura).

Válvula da câmara de ar

Sobre o assunto, assinale o que for correto.


Dados: C = 12 g/mol
O = 16 g/mol
R = 0,082 atm.L.K–1.mol–1
https://www.walmart.com.br/item/4139595 01) A transformação do estado II para o estado III é conhecida como
É necessário uma pressão de 1,2atm para que o obturador da válvu- transformação isotérmica.
la seja aberta, permitindo a entrada de ar em seu interior. De quantos 02) A temperatura de 4 mols de dióxido de carbono no estado I é
centímetros deve ser deslocado o pistão para que isso seja possível, aproximadamente 24 K.
sabendo que, ao longo desse deslocamento, a temperatura do sis- 04) O número de moléculas de dióxido de carbono no estado II, na
tema não se altera? temperatura de 48 K, é de aproximadamente 2,4 ×1024 moléculas.
*a) 7,5 08) A transformação do estado I para o estado II é conhecida como
b) 9,0 transformação isocórica.
c) 15,0 16) Se a temperatura no estado I é 27 ºC, a temperatura no estado
d) 37,5 III é 54 K.
japizzirani@gmail.com 34
(IF/PE-2018.1) - ALTERNATIVA: C (FUVEST/SP-2018.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO
Gás natural veicular (GNV) é um combustível disponibilizado na Em navios portaaviões, é comum o uso de catapultas para lançar
forma gasosa, a cada dia mais utilizado em automóveis como al- os aviões das curtas pistas de decolagem. Um dos possíveis meca-
ternativa à substituição do consumo de gasolina e álcool. Uma das nismos de funcionamento dessas catapultas utiliza vapor de água
técnicas para obter um abastecimento do gás natural preenchendo aquecido a 500 K para pressurizar um pistão cilíndrico de 60 cm de
com mais conteúdo o cilindro é o resfriamento do gás. Suponha que diâmetro e 3 m de comprimento, cujo êmbolo é ligado à aeronave.
um automóvel possua um cilindro de 15m3 e que, ao utilizar-se o Após a pressão do pistão atingir o valor necessário, o êmbolo é solto
processo de abastecimento com resfriamento, o gás retido no cilin- de sua posição inicial e o gás expande rapidamente até sua pressão
dro esteja a 7 ºC, com pressão de 140 atm. Após um certo tempo se igualar à pressão atmosférica (1 atm). Nesse processo, o êmbolo
decorrido, ao final do abastecimento, as trocas de calor entre o gás, é empurrado, e o comprimento do cilindro é expandido para 90 m,
o cilindro e o ambiente externo fazem com que a temperatura interna impulsionando a aeronave a ele acoplada. Esse processo dura me-
do cilindro passe a 17 ºC. Determine a pressão do gás GNV dentro nos de 2 segundos, permitindo que a temperatura seja considerada
do cilindro a 17ºC, sabendo que a transformação gasosa em seu constante durante a expansão.
interior consiste numa transformação isovolumétrica. a) Calcule qual é a pressão inicial do vapor de água utilizado nesse
a) 135 atm. lançamento.
b) Caso o vapor de água fosse substituído por igual massa de nitro-
b) 150 atm.
gênio, nas mesmas condições, o lançamento seria bem sucedido?
*c) 145 atm. Justifique.
d) 130 atm.
e) 340 atm. Note e adote:
Constante universal dos gases: R = 8×10–5 atm m3 mol–1 K–1 ;
(UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 05 (01+04) p = 3;
Um cilindro A contém oxigênio puro e um cilindro B contém uma Massas molares:
mistura de oxigênio e vapor d’água (oxigênio úmido). A pressão P, a
H2O ..... 18 g/mol
temperatura T e o volume V dos gases nos dois cilindros são iguais.
A razão entre o número de moléculas de vapor d’água e o número N2 ..... 28 g/mol
de moléculas de oxigênio no cilindro B é igual a r. Em relação ao
RESPOSTA FUVEST/SP-2018.1:
conteúdo dos cilindros, considerando-os gases ideais, assinale o
que for correto. a) P0 = 30 atm b) Não. A pressão inicial será menor com o N2.

Dados: O2 (massa molar 32g), H2O (massa molar 18g), 0 K = ‒273ºC,


(UECE-2018.1) - ALTERNATIVA: B
R = 0,082 atm.L/mol.K e 1 mol = 6×1023 moléculas.
Em um gás ideal, o produto da pressão pelo volume dividido pela
01) A massa total de gás no cilindro A é maior que a massa total de temperatura tem, no Sistema Internacional, unidade de medida de
gás no cilindro B. a) Pa/K.
02) O número de moléculas de gás no cilindro B é maior que o nú- *b) Nm/K.
mero de moléculas de gás no cilindro A.
04) Se P = 3atm, T = 27ºC, V = 41L e r = 0,1, então o cilindro B con- c) m3/K.
tém mais de 0,4 mols de vapor d’água. d) Pa/m2.
08) Se o cilindro B contém 2 mols de oxigênio úmido, r = 0,1,
T = –73ºC e V = 41L, então P = 1atm.
(IMT-MAUÁ/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D
16) A razão entre o número de moléculas de água e o número de
Um tanque com capacidade de 200 L foi abastecido com metano
moléculas de oxigênio passaria a ser r / 2 se juntássemos os gases
dos cilindros A e B em um único cilindro. (CH 4) a 25 atm e temperatura de 32 ºC. Supondo que esse gás seja
ideal, a massa de metano contida no tanque é, aproximadamente,
a) 12,5 g Dados:
(UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 13 (01+04+08)
Sobre a Lei do Gás Ideal, assinale o que for correto. b) 109 g R = 0,082 atm · L · mol–1· K–1
01) Em um recipiente de volume constante, a pressão de um gás c) 200 g TK = 273 + TC
deve ser diretamente proporcional à sua temperatura em Kelvin. *d) 3 200 g H = 1,0 g/mol
02) Em um recipiente mantido a uma temperatura constante, a pres- e) 27 872 g C = 12,0 g/mol
são de um gás deve se comportar, em função do volume, como uma
função quadrática.
04) Para um conjunto de amostras de um mesmo gás, todas com
mesma pressão e temperatura, a razão entre as massas coincide
com a razão entre os volumes.
08) Dobrando-se o volume e diminuindo-se pela metade a pressão
de uma amostra gasosa, a temperatura final dessa amostra deve
ser igual à inicial.
16) É possível alterar a pressão de uma amostra gasosa sem modi-
ficar sua temperatura, seu volume e sua massa.

(UFRGS/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Utilizados em diversas áreas de pesquisa, balões estratosféricos
são lançados com seu invólucro impermeável parcialmente cheio de
gás, para que possam suportar grande expansão à medida em que
se elevam na atmosfera.
Um balão, lançado ao nível do mar, contém gás hélio à temperatura
de 27°C, ocupando um volume inicial Vi . O balão sobe e atinge uma
altitude superior a 35 km, onde a pressão do ar é 0,005 vezes a
pressão ao nível do mar e a temperatura é – 23°C.
Considerando que o gás hélio se comporte como um gás ideal, qual
é, aproximadamente, a razão Vf / Vi , entre os volumes final Vf e ini-
cial Vi ?
a) 426.
b) 240.
c) 234.
*d) 167.
e) 17.
japizzirani@gmail.com 35
VESTIBULARES 2018.2 (MACKENZIE/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Uma amostra de 20 g de um gás ideal foi armazenada em um reci-
piente de 15,5 L, sob pressão de 623 mmHg, a uma temperatura de
(VUNESP/HUMANITAS-2018.2) - ALTERNATIVA: E 37 ºC. Dentre os gases elencados abaixo, aquele que podia repre-
O diagrama P x V representa uma transformação cíclica ABCA sofri- sentar esse gás ideal é o
da por um gás ideal.
Dados:
massas molares (g·mol–1)
H = 1, C = 12, N = 14, O = 16, Ar = 40
constante universal dos gases ideais
R = 62,3 mmHg·L·mol–1·K–1

a) gás hidrogênio.
b) gás carbônico.
c) gás argônio.
d) gás etano.
e) gás nitrogênio.

(VUNESP-UEFS/BA-2018.2) - ALTERNATIVA: E
De C para A, o gás sofre uma transformação isotérmica. As figuras representam dois momentos de uma massa fixa de um
A relação entre as temperaturas TA , TB e TC desse gás nos estados gás ideal que foi comprimida num recipiente estanque. A temperatu-
A, B e C é ra em ambos os momentos é a mesma e os volumes ocupados pelo
gás são indicados na figura.
a) TA = TB = 2·TC
b) TA = TC = 2·TB
c) TA < TB < TC
d) TA < TB = TC
*e) TA = TC = 0,5·TB

(VUNESP-USCS/SP-2018.2) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO


O acetileno (C2H2) é um gás incolor, inflamável e com odor de alho,
utilizado em maçaricos de corte com temperaturas que podem che-
gar a 3 100 ºC. Pode ser encontrado em cilindros de aço com capa-
cidade igual a 64,5 litros e pressão máxima de 16 atm. A tabela apre-
senta alguns metais e seus pontos de fusão (PF) e de ebulição (PE). Se a pressão do gás no momento 1 era de 15 atm, a pressão do gás
no momento 2 era de
Metal a) 18 atm. d) 9 atm.
b) 3 atm. *e) 25 atm.
Ferro Tungstênio Cobre Titânio Níquel
c) 6 atm.
PF (ºC) 1 535 3 410 1 083 1 660 1 450
PE (ºC) 2 750 5 660 2 582 3 287 2 840 (VUNESP-UEFS/BA-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Uma massa constante de gás ideal sofre a transformação cíclica
a) Quais dos metais apresentadas na tabela podem ser cortados ABCA representada no gráfico.
pela chama do acetileno? Indique o metal que pode ser cortado pela
chama do acetileno sem ser volatilizado no processo.
b) Considerando a constante universal dos gases igual a
0,08 atm·L/mol·K, calcule a massa de gás acetileno presente em um
cilindro com capacidade completa, submetido à pressão máxima e à
temperatura de 300 K.
RESPOSTA VUNESP-UCSC-2018.2:
a) Podem ser cortados: Ferro, Cobre, Titânio e Níquel.
Pode ser cortado sem volatilizar: Titânio.
b) m = 1 118 g (Obs.: É fornecida a Classificação Periódica na prova.)

(UDESC-2018.2) - ALTERNATIVA: B
A Figura 5 ilustra o processo termodinâmico ABCA realizado por um
gás. Sabe-se que V1 = 2,0 L e V2 = 3 V1. Além disso, P1 = 2 000 Pa
e P2 = 4P1.

Sabendo que a transformação CA é isotérmica, a respeito das vari-


áveis de estado pressão (P) e temperatura (T), é correto afirmar que
a) PC = 3∙PA *d) PB = 3∙PC
b) TC = 3∙TA e) PB = 3∙PA
c) TA = 3∙TB

(FEI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: B
FIGURA 5
Para se reduzir a pressão de um gás ideal a um quarto de sua pres-
Assinale a alternativa que representa o trabalho realizado pelo gás, são inicial de modo isotérmico, o volume final deveria ser:
neste ciclo. a) o dobro do volume inicial.
a) 20J
*b) o quádruplo do volume inicial.
*b) 12J
c) 8J c) a metade do volume inicial.
d) 40J d) um quarto do volume inicial.
e) 24J e) um oitavo do volume inicial.
japizzirani@gmail.com 36
(PUC/GO-2018.2) - ALTERNATIVA: D (UECE-2018.2) - ALTERNATIVA: D
No Texto 8, Otávio afirma: “Num dou duas semanas e vai estourá Um gás ideal, em um recipiente, é mantido em temperatura constan-
uma bruta greve que eles vão ver se paga ou não”. Em Física, a te e em equilíbrio térmico com a vizinhança. Nesse gás, o produto
ideia de estourar pode acabar remetendo-nos ao estudo dos gases. da pressão pelo volume é
Imagine um balão cheio por um gás em condições normais de tem- a) constante, independente de troca de massa com a vizinhança.
peratura e pressão que, em uma transformação isovolumétrica, so- b) constante, desde que a razão entre temperatura e número de
fre um aumento de temperatura equivalente a 50% do valor de sua moles seja constante.
temperatura inicial e estoura. Marque a alternativa que corretamente c) indefinido, pois o número de moles do gás só depende da tem-
apresenta, nessas condições, a pressão final do gás no interior do peratura.
balão, imediatamente antes de estourar: *d) constante, desde que não haja entrada ou saída de gás.
a) 0,25 atm.
b) 0,5 atm.
(UECE-2018.2) - ALTERNATIVA: D
c) 1,0 atm.
Um sistema de massa constante, constituído por um gás ideal, está
*d) 1,5 atm.
no estado inicial de volume VO, pressão PO e temperatura TO . Quan-
do o sistema evolui para um novo estado de volume VO e pressão
(INATEL/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: D PO , sua temperatura é 2
Certa massa gasosa está encerrada num balão de volume V, à tem- 2
peratura T. Aquecendo-se o balão até a temperatura T' observa-se a) TO .
que a pressão exercida pelo gás dobra. Supondo desprezível a va- 2
riação de volume do balão, pode-se afirmar que: b) 2TO .
a) T' = 0 K
c) TO .
b) T' = (1/2)T
c) T' = (1/3)T *d) TO .
*d) T' = 2T 4
e) T' = 273 K , devido às CNTP (Condições Normais de Temperatura
e Pressão) (UFJF/MG-2018.2) - ALTERNTIVA: A
Uma panela de pressão recebe uma porção de água a 100 °C
(IFSUL/RS-2018.2) - ALTERNATIVA: A (373 K) e então é fechada. Sabe-se que a válvula de segurança
Inúmeros fenômenos físicos ocorrem no corpo humano, alguns na- da panela vem ajustada para que a pressão interna não ultrapasse
turalmente e outros em situações específicas. A lei de Boyle, a qual 4 atmosferas quando fechada. Nessas condições, considerando o
enuncia que, quando uma amostra gasosa sofre uma transformação sistema ideal, a temperatura final da água no interior da panela é:
isotérmica, a variação do seu volume torna-se inversamente propor- *a)1 492 K
cional à variação de sua pressão, é uma referência para mergulha- b) 1119 K
dores no que se refere aos seus comportamentos pulmonares. c) 1 092 K
De acordo com essa lei, na prática do mergulho, um mergulhador d) 400 K
incorre em risco a sua saúde quando e) 93,3 K
*a) emergir.
b) iniciar sua imersão.
c) permanecer em repouso.
d) deslocar-se horizontalmente.

(UCB/DF-2018.2) - ALTERNATIVA: E
Em um hospitall, o oxigênio pressurizado é transportado por tubula-
ções rígidas até determinado equipamento de ventilação mecânica.
A pressão interna da tubulação é o dobro da pressão ambiente, e,
quando o oxigênio sai para o inalador, ocorrem trocas de calor que
mantêm a temperatura do gás constante. Considerando o gás como
ideal, assinale a alternativa que corresponde ao volume final V do
gás ao sair do equipamento em relação ao volume V0 na tubulação.
a) V = 4V0
b) V = 0,25V0
c) V = 8V0
d) V = 0,5V0
*e) V = 2V0

(UECE-2018.2) - ALTERNATIVA: B
Um gás ideal tem seu estado termodinâmico completamente deter-
minado pelas variáveis
a) pressão, volume e carga elétrica.
*b) pressão, volume e temperatura.
c) pressão, carga elétrica e temperatura.
d) densidade, volume e gravidade.

(UPF/RS-2018.2) - ALTERNATIVA: E
Dois mols de um gás ideal, inicialmente sob pressão de 1,01 ×105 Pa,
temperatura de – 10 °C e volume de 4 m3, são submetidos a uma
transformação isobárica, elevando seu volume até 8 m3. Nessas
condições, é possível afirmar que a temperatura final do gás, em
graus Celsius, é de:
a) 526
b) 131,5
c) 20
d) 10
*e) 253
japizzirani@gmail.com 37
TERMOFÍSICA (FGV/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Estamos passando por uma fase de grande evolução tecnológica. O
trabalho da força de pressão aperfeiçoamento das máquinas e motores é evidente e, dentro em
breve, o motor térmico será considerado peça de museu. Considere,
no entanto, um motor térmico que realiza um ciclo representado qua-
VESTIBULARES 2018.1 litativamente pelo gráfico da pressão (p) versus volume (V) da figura,
em que sua frequência de giro é f.

(UFJF/MG-2018.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO


A figura abaixo representa um diagrama PV que mostra três trans-
formações que ocorrem sobre um gás ideal, seguindo a sequência
“abcd”, onde as letras representam pontos iniciais e finais das trans-
formações e a seta, o sentido das transformações. Os segmentos
de reta “ab” e “cd” representam transformações isocóricas (isovo-
lumétrica). O segmento de reta “bc” representa uma transformação
isobárica. Sabemos que para os pontos “a” e “b” vale a relação
Pb = 2Pa, para os pontos “a” e “c” vale a relação Vc = 3Va , e que para
os pontos “b” e “d” vale a relação Pd = Pb / 4. Considere que o gás
seja composto por n = 0,2 mol de moléculas.
Dado: Constante universal dos gases ideais R ≈ 8,3 J/mol.K.

Com esses dados, a potência efetiva desse motor será dada por
a) Pot e = f.[(V2 – V1) + (V3 – V2)].(p2 - p1)
*b) Pot e = f.[(V2 – V1) + (V3 – V2)].(p2 – p1) /2
c) Pot e = 2.f.[(V2 – V1) + (V3 – V2)].(p2 – p1)
d) Pot e = [(V2 – V1) + (V3 – V2)].(p2 – p1) /f
e) Pot e = 2.[(V2 – V1) + (V3 – V2)].(p2 – p1) /f

(UNITAU/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E
A figura (a) apresenta um dispositivo na forma de êmbolo móvel, que
é usado para levantar o bloco de massa m em relação ao solo e que
encerra 500 g de água em um volume de 0,5 L. Para isso, uma quan-
tidade de calor é aplicada pela fonte térmica Q ao dispositivo, con-
vertendo toda água em 50,5 L de puro vapor, conforme a figura (b).

a) Calcule as temperaturas nos pontos “a” e “d”.


b) Encontre o trabalho total realizado pelo gás ao longo da sequên-
cia de transformações “abcd”.
RESPOSTA UFJF/MG-2018.1:
a) Ta ≈ 271 K e Td ≈ 406 K
b) W = 1800 J

(VUNESP-UEFS/BA-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Determinada massa de gás ideal pode ser levada de um estado ini-
cial A para um estado final D por dois caminhos: a transformação
isotérmica AD ou a transformação ABCD, composta de duas trans- Dado: 1atm = 105 Pa
formações isovolumétricas (AB e CD) e de uma transformação iso-
Sabendo que essa transformação transcorreu num regime de pres-
bárica (BC), conforme mostra o gráfico.
são constante de 30 atm, é CORRETO afirmar que o trabalho reali-
zado pelo êmbolo móvel sobre o bloco de massa m é de
a) 5,5 × 1012 J
b) 5,1 × 1012 cal
c) 1,5 × 1012 cal
d) 5,1 × 105 J
*e) 1,5 × 105 J

(VUNESP-FAMERP/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Certa massa de gás ideal sofre a transformação cíclica 1-2-3-4-5-1
representada no diagrama de pressão (P) e volume (V).

Sendo t o trabalho realizado pelas forças de pressão exercidas pelo


gás nessas transformações, é correto afirmar que:
a) tAD = tABCD
*b) tABCD > tAD
O trecho em que a força exercida pelo gás realiza o maior trabalho é
c) tAB > 0 e tCD < 0 a) 2-3. *d) 1-2.
d) tAD = 0 b) 4-5. e) 5-1.
e) tBC < 0 c) 3-4.
japizzirani@gmail.com 38
(VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA: D (IFNORTE/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Analise o gráfico que representa uma transformação cíclica realiza- A pressão da mistura de ar e combustível, no interior dos cilindros
da por uma máquina. de um “motor 2.0, a gasolina”, varia, aproximadamente, conforme o
ciclo da FIGURA 05:
FIGURA 05

O intervalo que corresponde aos momentos em que o gás não reali-


za trabalho está compreendido entre os pontos
a) 1 e 2. *d) 4 e 5.
b) 2 e 3. e) 5 e 1.
c) 3 e 4. Sabe-se que a taxa de rotação ótima desse motor é 3 600 rpm - ou
seja, 3 600 ciclos/minuto - e que 1 atm ∙litro @ 100 joules.
Nessas condições, é CORRETO afirmar que o valor, em kW, da po-
(FPS/PE-2018.1) - ALTERNATIVA: D tência do motor, na rotação dada, é:
Um mol de um gás monoatômico ideal sofre a transformação termo- a) 42
dinâmica A → B → C, indicada no diagrama P×V da figura F2. b) 70
*c) 84
d) 98

Figura F2
Calcule o trabalho realizado pelo gás nesta transformação. Dê sua
resposta em Joule.
a) +6,0 × 105 J *d) −6,0 × 105 J
5
b) +15 × 10 J e) +10 × 105 J
5
c) −15 × 10 J

(FATEC/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
O gráfico apresenta o comportamento de um gás ideal em um pro-
cesso cíclico que se inicia no ponto A.

Com base no gráfico apresentado, podemos afirmar corretamente


que
a) entre os pontos D e A ocorre transformação isocórica e o trabalho
realizado pelo gás é negativo.
*b) entre os pontos B e C ocorre transformação isocórica e o traba-
lho realizado pelo gás é nulo.
c) entre os pontos C e D ocorre transformação isobárica e o trabalho
realizado pelo gás é nulo.
d) entre os pontos A e B ocorre transformação isocórica de com-
pressão.
e) entre os pontos A e D ocorre transformação isobárica de expan-
são.
japizzirani@gmail.com 39
VESTIBULARES 2018.2 (UNITAU/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: E
Imagine que um sistema termodinâmico pode evoluir entre dois es-
tados, A e B, de isotérmicas TA e TB, respectivamente. Considere
(UFU/MG-TRANSF.2018.2) - ALTERNATIVA: B que, ao evoluir, possa produzir trabalho mecânico sobre o meio ex-
A massa de ar ocupada no pneu de um carro cheio é de 30,0 gra- terno e, além disso, TB > TA.
mas e, quando vazio, a massa de ar ocupada pode ser considerada Sobre isso, é CORRETO afirmar:
desprezível. a) Se o sistema sofrer uma expansão isobárica, não se produzirá
Considerando essa afirmação, assinale a alternativa que apresen- trabalho sobre o meio externo.
ta o trabalho mínimo realizado pelo ar para encher todo o pneu, à
temperatura ambiente. (Considere que o meio externo tem pressão b) Se o sistema sofrer uma expansão sobre a isotérmica TA, não se
produzirá trabalho sobre o meio externo.
atmosférica de 1,0 ×105 Pa e a densidade do ar é 1,5 kg/m3).
c) O sistema só realizará trabalho sobre o meio externo se sofrer
a) 2,0 ×105 J. uma expansão sobre uma das isotérmicas.
*b) 2,0 ×103 J. d) O sistema só realizará trabalho sobre o meio externo se sofrer
c) 30,0 ×105 J. uma expansão do tipo adiabática.
*e) Se o sistema sofrer uma transformação isovolumétrica entre as
d) 1,5 ×105 J.
duas isotérmicas, não se produzirá trabalho sobre o meio externo.

(UNIFOR/CE-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Yan, guardando dinheiro já faz um bom tempo,tenta comprar um (INATEL/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: C
carro em uma loja de automóveis. Analisando criteriosamente para Um mol de gás ideal sofre a transformação A → B → C indicada no
não ter nenhum problema, observa que o automóvel possui um mo- diagrama pressão x volume da figura:
tor 1.0 (volume de 1,0 litro), conhecido pelo seu menor consumo Dado: R @ 0,08 atm.l/mol K.
de combustível, e que opera com pressão média de 8 atm e 3 300
rpm (rotações por minuto), quando movido a gasolina. O rendimento
desse motor, que consome, nestas condições, 4,0 g/s (gramas por
segundo) de combustível, é de aproximadamente

Marque a única alternativa falsa:


a) A temperatura do gás no estado A é aproximadamente 100 K
Considere: b) O trabalho realizado pelo gás na expansão A → B é de 32 atm.l
Calor de combustão da gasolina = 11 100 Kcal/Kg *c) O trabalho realizado pelo gás na expansão A → B → C é de
1 atm = 105 N/m2 28 atm.l
1 Cal = 4 J d) A transformação A → B é denominada isobárica
1L = 10–3 m3 e) A temperatura do gás no estado C é menor do que a temperatura
1 rotação corresponde a 1 ciclo no estado A
a) 18%
b) 21%
c) 27%
*d) 25%
e) 30%

(IF/RS-2018.2) - ALTERNATIVA: B
A figura abaixo mostra o gráfico de pressão versus volume de um ci-
clo termodinâmico composto por uma sequência de quatro transfor-
mações termodinâmicas. As transformações que vão do ponto A ao
B e do C ao D são isobáricas. As transformações que vão do ponto B
ao C e do D ao A são isométricas. As pressões indicadas no gráfico
são p1 = 2,00 ×105 Pa e p2 = 6,00 ×105 Pa e os volumes indicados no
gráfico são V1 = 0,050 m3 e V2 = 0,200 m3.

Assinale a alternativa que apresenta o trabalho realizado pelo gás


durante o ciclo.
a) 10,0 kJ
*b) 60,0 kJ
c) 80,0 kJ
d) 100 kJ
e) 120 kJ
japizzirani@gmail.com 40
TERMOFÍSICA (VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA: 66 B e 67 E
Leia o texto para responder às questões 66 e 67.
primeira lei da termodinâmica Uma amostra de massa constante de gás ideal sofre a transforma-
ção cíclica ABCA representada no diagrama. A etapa AB é isobárica,
BC é isovolumétrica e CA é isotérmica.
VESTIBULARES 2018.1

(UNIFOR/CE-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Observa-se um ciclo termodinâmico de um gás ideal apresentado
na figura a seguir.

Para ocorrer a etapa AB, o gás recebe de uma fonte quente uma
quantidade QAB de calor. Nas etapas BC e CA, o gás cede para uma
fonte fria as quantidades QBC e QCA de calor. Em cada ciclo realiza-
Com relação ao comportamento do gás, é correto afirmar que do as forças exercidas pelo gás realizam um trabalho mecânico W.
a) no processo BC a temperatura é constante.
b) o trabalho realizado no processo AB é nulo. QUESTÃO 66
c) o calor transferido no processo DA é nulo. Uma relação correta entre as variáveis de estado P, V e T associa-
*d) o trabalho realizado no processo CD é negativo. das aos estados A, B e C é
e) a quantidade de calor no processo CD é igual a variação da ener-
gia interna. a) PB · VB = PC · VC

(VUNESP/UNICID-2018.1) - ALTERNATIVA: E *b) PC · VC = PA · VA


Analise o gráfico que representa uma transformação isotérmica AB
sofrida por certa massa de gás ideal. PA PC
c) =
TA TC
VA VC
d) =
TA TC
VB VC
e) =
TB TC

QUESTÃO 67
Considerando os módulos de QAB , QBC , QCA e W, é correto afirmar
que
a) QAB < QBC + QCA + W.
Considerando que a área destacada sob a curva vale 8 640 J, é cor-
b) QAB = QBC – QCA – W.
reto afirmar que nessa transformação a quantidade de calor trocada
entre o gás e o meio c) QAB = QBC + QCA – W.
a) vale 8 640 J e que o gás perdeu calor. d) QAB > QBC + QCA + W.
b) é nula. *e) QAB = QBC + QCA + W.
c) vale 4 320 J e que o gás recebeu calor.
d) vale 4 320 J e que o gás perdeu calor.
(PUC/GO-2018.1 - ADAPTADO) - ALTERNATIVA: C
*e) vale 8 640 J e que o gás recebeu calor.
No Texto 1, temos a passagem “Eu ia a trote inglês ardendo em
chama”. Tomada em seu sentido literal, a palavra “chama” pode nos
(UFPR-2018.1) - ALTERNATIVA: E remeter ao conceito de calor.
Em Termodinâmica, estudamos processos importantes que fazem Para a Física, o estudo do calor e de suas transformações em di-
parte de ciclos utilizados em máquinas térmicas, alguns dos quais ferentes formas de energia é realizado por meio da Termodinâmi-
de grande relevância tecnológica, além de científica. Com relação ca. Com relação às leis da Termodinâmica, analise as afirmações
ao que ocorre com um gás ideal, identifique como verdadeiras (V) a seguir:
ou falsas (F) as seguintes afirmativas:
I - De acordo com a Primeira Lei da Termodinâmica, a variação da
energia interna sofrida por um gás ideal pode ser obtida pelo cálculo
( ) Em todo processo isovolumétrico, também chamado de isocóri-
da diferença entre a quantidade de calor fornecida a ele e o trabalho
co, o trabalho realizado pelo gás é nulo.
realizado nesse processo.
( ) Em todo processo adiabático, a energia interna do gás é cons- II - Durante a expansão adiabática de um gás ideal, todo o traba-
tante. lho realizado pelo sistema resultará em aumento da energia interna
( ) Em todo processo isobárico, não há trocas de calor entre o gás desse sistema.
e o meio externo. III - Se um gás ideal ocupa um volume de 4 × 10–3 m3 sob pressão
de 1 × 106 N/m2 e, ao receber 500 J de calor, aumenta seu volume
( ) Em todo processo isotérmico, a temperatura do gás aumenta para 1 × 10–2 m3, ao passo que sua pressão é mantida constante,
quando há realização de trabalho sobre ele. então a variação da energia interna desse gás é de −5 500 J.
Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta, de cima Assinale a alternativa que apresenta todos os itens corretos:
para baixo. a) I e II.
a) V – V – V – V. d) F – F – V – F. b) I, II e III.
b) F – V – F – F. *e) V – F – F – F. *c) I e III.
c) F – V – F – V. d) II e III.
japizzirani@gmail.com 41
(VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: A (UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 15 (01+02+04+08)
De acordo com a teoria cinética dos gases, as moléculas que consti- Assinale o que for correto.
tuem um gás ideal têm volume _________, as interações entre elas 01) Segundo a Lei de Charles e Gay-Lussac, se a pressão de uma
são __________ e suas colisões são totalmente ___________. amostra de gás ideal for mantida constante, a temperatura e o volu-
me dessa amostra de gás serão diretamente proporcionais.
As lacunas do texto são, preenchidas, correta e respectivamente, 02) Segundo a Lei de Avogadro, volumes iguais de quaisquer gases
por: que se comportem como gases ideais, nas mesmas condições de
*a) desprezível – inexistentes – elásticas. temperatura e de pressão, contêm o mesmo número de partículas.
b) desprezível – inexistentes – inelásticas. 04) Segundo a Lei de Boyle-Mariotte, quando a temperatura de uma
c) desprezível – intensas – elásticas. amostra de gás ideal permanece constante, uma variação no volu-
d) significativo – inexistentes – inelásticas. me da amostra será inversamente proporcional à variação na pres-
e) significativo – intensas – elásticas. são dessa amostra.
08) Na teoria cinética dos gases, as colisões entre as moléculas
(UNITAU/SP-2018.1) - ALTERNATIVA OFICIAL B (OBS. NO FINAL) do gás ideal e as paredes do recipiente que contém esse gás são
Considere um processo termodinâmico que evolui de A até B, para perfeitamente elásticas, fazendo que a energia cinética total dessas
o qual foram fornecidas 400 cal de calor e, simultaneamente, foi re- moléculas permaneça constante em uma determinada temperatura.
alizado trabalho sobre o mesmo, conforme o gráfico P x V abaixo. 16) A temperatura e a pressão de um gás ideal, que está contido
em um recipiente de paredes adiabáticas a 300K, independe das
velocidades médias de translação dessas moléculas no interior do
recipiente.

(PUC/RS-2018.) - ALTERNATIVA: B
A observação de alguns corpos celestes tem se tornado difícil em
grandes centros urbanos, principalmente por conta da poluição lumi-
nosa produzida. Os rastros luminosos deixados no céu pelas estrelas
cadentes, por exemplo, são mais facilmente observados em locais
ermos e distantes das cidades. As estrelas cadentes são, na verda-
de, meteoros cujas velocidades medidas são da ordem de milhares
de quilômetros por hora. Erroneamente se atribui o aquecimento das
regiões próximas ao meteoro ao atrito entre ele e a atmosfera, mas a
principal razão desse aquecimento é a _____________ do ar atmos-
férico logo à frente do meteoro.
a) compressão isobárica
*b) compressão adiabática
c) expansão isobárica
É CORRETO afirmar que a energia interna do sistema, admitindo d) expansão adiabática
que 1 cal = 4,2 J, teve uma variação de
a) 2000 cal (UFSC-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 45 (01+04+08+32)
b) 500 cal Na figura abaixo, temos um pulverizador de compressão em inox e
c) 2000 J sua ficha técnica. Esse equipamento é utilizado em residências para
d) 500 J pulverizar os jardins com veneno, a fim de eliminar insetos.
e) 50 cal
OBS.: De acordo com os dados o gás recebeu calor e trabalho e
pelo diagrama na transformação de A para B a temperatura do gás
diminuiu. Então pelos dados a energia interna do gás aumenta e
pelo diagrama diminui. A questão deveria ser anulada.

(UFLA/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Processos adiabáticos na atmosfera são característicos de grandes
porções de ar, com dimensões que vão desde algumas dezenas de
metros até vários quilômetros. As medidas mostram que a tempera-
tura de uma porção grande de ar seco diminui cerca de 10°C para
o decréscimo de pressão correspondente a uma elevação de 1km
de altitude. Uma grande porção de ar seco, inicialmente a T0, se
Disponível em: <http://www.guaranyind.com.br/equipamento/pulverizador-de-compressao
expande adiabaticamente, enquanto se eleva pela encosta de uma -previa-inox-super-2s-76l>. [Adaptado]. Acesso em: 10 ago.
montanha em uma distância vertical de H. Assinale a alternativa
CORRETA: Em uma aula de Física, o professor utilizou o equipamento para con-
textualizar o tema gases ideais, desprezando qualquer alteração na
a) Se T0 = –10°C, então, a temperatura a uma altura H = 1 km será temperatura e no volume do tanque, e fez algumas previsões para
0°C. seus alunos a respeito do ar contido no interior do pulverizador va-
b) Se T0 = 10°C, então, a temperatura a uma altura H = 1 km será zio.
–10ºC. Quanto às previsões que podem ser feitas pelo professor, é correto
c) Se T0 = –25°C, então, a temperatura a uma altura H = 1 km será afirmar que:
–15°C. 01. quando acionamos algumas vezes a alavanca, a energia interna
*d) Se T0 = – 25°C, então, a temperatura a uma altura H = 1 km será do ar contido no tanque aumenta.
–35°C. 02. a pressão do ar no interior do tanque não depende do número de
mols do ar contido no tanque.
04. a energia interna do ar contido no tanque é diretamente propor-
(UDESC-2018.1) - ALTERNATIVA: E cional ao número de mols do ar.
Um gás ideal monoatômico, com n mols e inicialmente na tempera- 08. se o número de mols do ar contido no tanque for igual a 0,8 e sua
tura absoluta T, sofre uma expansão adiabática até que sua tempe- temperatura for 27 °C, então a pressão nas paredes do tanque será,
ratura fique a um terço de sua temperatura inicial. aproximadamente, de 394,0 kN/m2.
Logo, o gás: P P
a) absorveu uma quantidade de calor igual a nRT. 16. podemos utilizar a equação 1 = 2 para relacionar as gran-
T1 T2
b) se expandiu isobaricamente. dezas de dois estados distintos, antes e depois de acionarmos a
c) realizou trabalho liberando uma quantidade de calor igual a nRT. alavanca.
d) se expandiu aumentando sua energia interna de nRT. 32. quando acionamos a alavanca, o número de mols do ar contido
*e) realizou trabalho e sua energia interna diminuiu de nRT. no tanque aumenta.
japizzirani@gmail.com 42
(FUVEST/SP-2018.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO (UNIMONTES/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: C
O motor Stirling, uma máquina térmica de alto rendimento, é consi- As figuras a seguir representam partículas de um mesmo gás em
derado um motor ecológico, pois pode funcionar com diversas fontes balões de látex, em duas situações, sob pressão constante.
energéticas. A figura I mostra esquematicamente um motor Stirling
com dois cilindros. O ciclo termodinâmico de Stirling, mostrado na
figura II, representa o processo em que o combustível é queimado
externamente para aquecer um dos dois cilindros do motor, sendo
que uma quantidade fixa de gás inerte se move entre eles, expan-
dindo-se e contraindo-se.

Sobre o comportamento do gás nas situações descritas, é CORRE-


TO afirmar que:
a) A quantidade de matéria contida no balão maior é superior àquela
comparada ao balão menor.
b) A expansão do gás deve-se à movimentação das moléculas resul-
tando em uma redução da pressão.
*c) O aumento da temperatura provoca aumento da energia cinética
média das moléculas do gás.
d) A variação do volume deve-se ao aumento das moléculas do gás
em função da temperatura.

(UEPG/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 06 (02+06)


Os gráficos abaixo representam transformações sofridas por gases
ideais.
Nessa figura está representado um ciclo de Stirling no diagrama
P × V para um mol de gás ideal monoatômico. No estado A, a pres-
são é PA = 4 atm, a temperatura é T1 = 27°C e o volume é VA . A partir
do estado A, o gás é comprimido isotermicamente até um terço do
volume inicial, atingindo o estado B. Na isoterma T1, a quantidade
de calor trocada é Q1 = 2 640 J, e, na isoterma T2 , é Q2 = 7 910 J.
Determine
a) o volume VA , em litros;
b) a pressão PD , em atm, no estado D;
c) a temperatura T2 .
Considerando apenas as transformações em que o gás recebe ca-
lor, determine
d) a quantidade total de calor recebido em um ciclo, QR , em J.

Note e adote:
Calor específico a volume constante: CV = 3 R/2
Constante universal do gases: R = 8 J/(mol K) = 0,08 atm l /(mol K)
0°C = 273 K
Analise as afirmações a seguir, relacionando-as com os gráficos
1 atm = 105 Pa
apresentados:
1 m3 = 1000 l
● Gráfico que pode representar p X V, em que a transformação ga-
RESPOSTA FUVEST/SP-2018.1:
sosa não implica em variação de energia interna.
a) VA = 6 l
● Gráfico que pode representar V X T(°C) para uma transformação
b) PD = 12 atm
isobárica.
c) T2 = 900 K
● Gráfico que pode representar V X p para uma transformação iso-
d) QR = 15 110 J
métrica.
Diante dessa análise, assinale o que for correto.
(UFPR-2018.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO
01) Se o gráfico (a) for TX V, então, pela 1ª lei da termodinâmica
No desenvolvimento de uma certa máquina térmica, o ciclo termodi-
tem-se Q = ΔU.
nâmico executado por um gás ideal comporta-se como o apresenta-
02) Se o gráfico (b) representar p X V, o trabalho na transformação
do no diagrama P x V (pressão x volume) abaixo.
gasosa terá valor numericamente igual à área do trapézio OABC.
04) A sequência de gráficos condizentes com as afirmações acima
será (cba).
08) O gráfico (e) pode representar p XT, com temperatura em kelvin.

a) Qual o trabalho realizado pelo gás durante o processo AB?


b) Sabendo que a temperatura do gás no ponto B vale TB = 300 K,
determine a temperatura do gás no ponto C.
c) O processo DA é isotérmico. Qual a variação de energia interna
do gás nesse processo?
RESPOSTA UFPR-2018.1:
a) W = 37,5 ×103 J
b) TC = 450 K
c) DU = 0
japizzirani@gmail.com 43
VESTIBULARES 2018.2 (UFU/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Uma das formas de transformar calor em trabalho é por meio de má-
quinas térmicas. Um recipiente completamente fechado contendo
(UNIFOR/CE-2018.2) - ALTERNATIVA: A um gás ideal, em que uma de suas faces, em forma de um êmbolo,
Mantendo uma estreita abertura em sua boca, uma aluna da Unifor, possui liberdade de se mover em uma dada direção é um sistema
testando seu conhecimentos termodinâmicos, assopra com vigor termodinâmico simples que pode servir para exemplificar uma má-
sua mão e nota que produziu uma transformação adiabática. quina térmica. Nesse exemplo, quando uma fonte de calor forne-
ce energia ao gás, dependendo das condições, as transformações
podem fazer com que o êmbolo se mova, realizando um trabalho.
Na figura (A), está indicada a situação inicial de um gás ideal em
condições de temperatura (T0), volume (V0) e pressão (P0), com o
êmbolo recebendo uma resistência externa (R0) e, na figura (B), es-
tão indicadas as condições finais após o gás receber calor, sofrer um
aquecimento e uma expansão, com temperatura (TF), volume (VF),
pressão (PF) e recebendo uma resistência externa (RF).

Nela, o ar que foi expelido sofreu uma violenta expansão, durante


a qual:
*a) o trabalho realizado correspondeu à diminuição da energia in-
terna desse ar, por não ocorrer troca de calor com o meio externo.
b) o trabalho realizado correspondeu ao aumento da energia interna
desse ar, por não ocorrer troca de calor com o meio externo.
c) o trabalho realizado correspondeu ao aumento da quantidade de
calor trocado por esse ar com o meio, por não ocorrer variação da
sua energia interna.
d) não houve realização de trabalho, uma vez que o ar não absorveu
calor do meio e não sofreu variação de energia interna. (A) (B)
e) não houve realização de trabalho, uma vez que o ar não cedeu Considerando-se que, no caso da figura, as forças de resistências
calor para o meio e não sofreu variação de energia interna. inicial (R0) e final (RF) são diferentes, é correto afirmar que
a) o trabalho realizado pelo gás pode ser calculado pelo produto da
(UEG/GO-2018.2) - ALTERNATIVA OFICIAL: A pressão inicial (P0) e pela variação do volume (VF – V0).
O gráfico a seguir apresenta a expansão realizada por um gás ideal, b) o resultado obtido pelo produto da pressão e do volume, tanto na
ao triplicar o seu volume inicial. Durante esse processo, o gás ideal situação inicial quanto na situação final, é um valor constante.
recebe 2,0×103 joules de calor. *c) a soma das energias cinéticas de todas as moléculas do gás na
situação final é maior que a da situação inicial.
d) o trabalho realizado pelo gás sobre o ambiente é igual a quantida-
de de calor (Q) que o gás recebeu.

(UEM/PR-2018.2) - RESPOSTA: SOMA = 28 (04+08+16)


Certa quantidade de gás ideal, inicialmente à pressão P0 e à tempe-
ratura T0 , passa por um processo de compressão adiabático. Duran-
te esse processo, a pressão p e o volume V do gás variam de modo
que o produto pV V permanece constante e o volume do gás pas-
sa de V0 para V0 /3. Sobre esse processo, assinale o que for correto.
Durante a expansão, a variação de energia interna, em joule, foi de 01) O aumento da energia interna do gás corresponde ao calor ab-
a) –1 000 sorvido durante a compressão.
b) – 500 02) O calor absorvido pelo gás é igual ao trabalho realizado sobre
c) +500 ele durante a compressão.
d) 1 500 04) O trabalho realizado sobre o gás é proporcional à variação de
e) 2 000 sua temperatura.
OBS.: Durante a expansão mostrada no gráfico a temperatura do 08) A temperatura final do gás é igual a √3 T0 .
gás aumenta, portanto, sua energia interna aumente sua variação 16) A pressão final do gás é igual a 3√3 P0 .
tem que se positiva. A quantidade de calor que o gás recebe tem que
ser maior que a informada no enunciado.
(VUNESP-C.U.S.Camilo/SP-2018.2) - ALTERNATIVA OFICIAL: B
Três recipientes, A, B e C, de mesmo volume e hermeticamente fe-
(UDESC-2018.2) - ALTERNATIVA: B chados, contêm gases ideais. A massa total do gás e a velocidade
Considere as afirmações sobre a troca de calor e de matéria em média das moléculas contidas em cada um dos recipientes estão
sistemas termodinâmicos. indicadas na tabela.
I. Sistemas abertos trocam calor e matéria com seu entorno.
Massa total Velocidade média
II. Sistemas fechados só trocam calor com seu entorno. Recipiente
do gás das moléculas do gás
III. Sistemas isolados não trocam calor e nem matéria com seu en- A m v
torno.
B m v
IV. Em um processo adiabático, o sistema é considerado fechado.
C 2m v
V. Nem todo organismo vivo é um exemplo de sistema aberto.
Assinale a afirmativa correta. Sabendo-se que a temperatura de um gás ideal é diretamente pro-
a) Somente as afirmativas I, III e IV são verdadeiras. porcional à energia cinética média de suas moléculas, a relação en-
*b) Somente as afirmativas I, II e III são verdadeiras. tre as temperaturas TA, TB e TC é
c) Somente as afirmativas I, II e IV são verdadeiras. a) TA > TB = TC d) TA < TB < TC
d) Somente as afirmativas II, III e IV são verdadeiras. *b) TA = TB < TC e) TA = TB = TC
e) Somente as afirmativas II, III e V são verdadeiras. c) TA = TC < TB
japizzirani@gmail.com 44
(CEDERJ-2018.2) - ALTERNATIVA: A
Considere que uma massa de água MA , inicialmente numa tempe-
ratura de 90°C, seja despejada em um recipiente isolante térmico
contendo uma outra massa de água MB , a 10°C. Isolado termica-
mente do meio ambiente, o sistema composto pelos dois líquidos
atinge, depois de um certo tempo, a temperatura de equilíbrio de
60°C. |ΔUA | e |ΔUB | representam, respectivamente, os valores ab-
solutos das variações de energia interna de cada uma das massas
d’água nesse processo.
As relações entre | ΔUA | e |ΔUB | e entre as massas MA e MB são:
*a) |ΔUA | = |ΔUB | e MA > MB
b) |ΔUA | < |ΔUB | e MA > MB
c) |ΔUA | < |ΔUB | e MA < MB
d) |ΔUA | = |ΔUB | e MA < MB

(VUNESP-UNIVAG/MT-2018.2) - ALTERNATIVA: E
Uma certa quantidade de gás ideal passa de um estado A para outro
estado B por meio de dois processos distintos, I e II. No processo
I, o gás sofre uma transformação isotérmica e, no processo II, sofre
uma transformação isobárica seguida de outra isocórica, conforme
o gráfico a seguir.

Considerando o gráfico, é correto afirmar que


a) a variação da energia interna entre os estados A e B é 4×104 J.
b) a temperatura em A é maior que a temperatura em B.
c) o gás sofre uma contração durante o processo I.
d) o trabalho realizado no processo I é 4 ×104 J.
*e) a quantidade de calor trocada no processo II é 4 ×104 J.

japizzirani@gmail.com 45
TERMOFÍSICA (IME/RJ-2018.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO
Durante um turno de 8 horas, uma fábrica armazena 200 kg de
segunda lei da termodinâmica um rejeito na fase vapor para que posteriormente seja liquefeito e
estocado para descarte seguro. De modo a promover uma melhor
eficiência energética da empresa, um inventor propõe o seguinte es-
VESTIBULARES 2018.1 quema: a energia proveniente do processo de liquefação pode
ser empregada em uma máquina térmica que opera em um ciclo
termodinâmico de tal forma que uma bomba industrial de po-
(IME/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: D tência 6,4 HP seja acionada continuamente 8 horas por dia. Por
Considere as afirmações abaixo, relativas a uma máquina térmica meio de uma análise termodinâmica, determine se a proposta do
que executa um ciclo termodinâmico durante o qual há realização inventor é viável, tomando como base os dados abaixo.
de trabalho.
Dados:
Afirmação I. Se as temperaturas das fontes forem 27º C e 427º C, a • calor latente do rejeito: 2 160 kJ/kg ;
máquina térmica poderá apresentar um rendimento de 40%. • temperatura do rejeito antes de ser liquefeito: 127ºC ;
• temperatura do ambiente onde a máquina térmica opera: 27ºC ;
Afirmação II. Se o rendimento da máquina for 40% do rendimento • rendimento da máquina térmica: 80% do máximo teórico;
ideal para temperaturas das fontes iguais a 27º C e 327º C e se o ca- • perdas associadas ao processo de acionamento da bomba: 20% ;
lor rejeitado pela máquina for 0,8 kJ, o trabalho realizado será 1,8 kJ. • 1 HP = 3/4 kW.
Afirmação III. Se a temperatura de uma das fontes for 727º C e se a RESPOSTA IME/RJ-2018.1:
razão entre o calor rejeitado pela máquina e o calor recebido for 0,4, O cálculo da potência útil da máquina térmica resulta em um valor
a outra fonte apresentará uma temperatura de – 23º C no caso de o de 3,2 HP e a bomba requer 6,4 HP, portanto, a proposta é inviável.
rendimento da máquina ser 80% do rendimento ideal.

Está(ão) correta(s) a(s) seguinte(s) afirmação(ões): (UNIFOR/CE-2018.1) - ALTERNATIVA: C


a) I, apenas. Praticamente todos os veículos automotivos são movidos por algu-
b) I e II, apenas. ma versão de motor de combustão interna de quatro tempos, pa-
c) II e III, apenas. tenteado por Nikolaus Otto em 1876. O motor de quatro tempos é
*d) I e III, apenas. uma máquina com a função de transformar a energia de uma reação
e) III, apenas. química em energia mecânica, comprimindo uma mistura de ar com-
bustível que explode na presença de uma faísca criando uma fonte
de calor intensa, mas transitória.
(UNIFOR/CE-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Hoje, aos olhos da ciência moderna, o dispositivo criado por Heron
é uma máquina térmica, ou seja, ela é um dispositivo com capa-
cidade de transformar o calor, energia térmica, em trabalho mecâ-
nico. No entanto, essa máquina criada não foi usada para produzir
energia mecânica em grandes escalas. Foi somente no século XVIII
que foram construídas as primeiras máquinas térmicas capazes de
produzir energia mecânica em escala industrial.
Com relação às máquinas térmicas e a Segunda Lei da Termodinâ-
mica, avalie as afirmações a seguir.
I. Máquinas térmicas são dispositivos usados para converter
energia mecânica em energia térmica com consequente re-
allização de trabalho.
II. O enunciado da Segunda Lei da Termodinâmica, proposto
por Clausius, afirma que o calor não passa espontaneamen-
te de um corpo frio para um corpo quente, a não ser forçado
por um agente externo como é o caso do refrigerador.
III. É possível construir uma máquina térmica que, operando em
transformações cíclicas, tenha como único efeito transfor- À medida que aumenta a consciência sobre os impactos ambientais
mar completamente em trabalho a energia térmica de uma relacionados ao uso da energia, cresce a importância de se criar
fonte quente. politicas de incentivo ao uso de combustíveis mais eficientes, o que
vem sendo intensificado desde o final do século passado. Esta com-
IV. Nenhuma máquina térmica operando entre duas temperatu- bustão de uma mistura ar-vapor de gasolina ainda é a reação mais
ras fixadas pode ter rendimento maior que a máquina ideal utilizada para mover os veículos em todo mundo.
de Carnot, operando entre essas mesmas temperaturas. Com base nos aspectos envolvidos no funcionamento de motores
É correto apenas o que se afirma em de quatro tempos, analise as seguintes afirmações.
a) I e II.
I. O motor de combustão interna de quatro tempos opera se-
b) I e III.
gundo o ciclo de Carnot, no qual um fluido de trabalho sofre
*c) II e IV.
duas transformações adiabáticas alternadas de duas trans-
d) III e IV.
formações isotérmicas, proporcionando rendimento máximo
e) I, II e III.
igual a um.
II. O calor de combustão da reação que ocorre nos motores
(PUC/GO-2018.1) - ALTERNATIVA: A é fornecido pela faísca elétrica que provoca a explosão da
No Texto 6, fragmento de Dois irmãos, de Milton Hatoum, a perso- mistura combustível.
nagem Zana se irrita com alguns aparelhos antigos, como a geladei-
ra alimentada a querosene. Atualmente, as geladeiras domiciliares III. A queima de combustíveis derivados do petróleo libera ener-
têm a eletricidade como fonte de energia e refrigeram os alimentos a gia, que é proveniente da biomassa construída em proces-
partir de um fluido refrigerante. Considere uma geladeira com cons- sos energéticos e preservada ao longo do tempo geológico.
tante de performance de valor 3, que rejeite para o ambiente uma IV. O conteúdo energético dos reagentes é maior que o dos pro-
quantidade de calor de 800 cal num ciclo. Nessas circunstâncias, a dutos nas reações que ocorrem nas câmaras de combustão
alternativa que dá corretamente a quantidade de calor que ela retira dos motores.
de seu interior é (assinale a resposta correta):
*a) 600 cal. É correto apenas o que se afirma em
b) 800 cal. a) I e II. d) I, II e IV.
c) 1000 cal. b) I e III. e) II, III e IV.
d) 1200 cal. *c) III e IV.
japizzirani@gmail.com 46
(PUC/GO-2018.1) - ALTERNATIVA: C (UEMG-2018.1) - ALTERNATIVA: C
No Texto 1, temos a passagem “Eu ia a trote inglês ardendo em Ao conceber um ser cujas faculdades são tão aguçadas que ele con-
chama”. Tomada em seu sentido literal, a palavra “chama” pode nos segue acompanhar cada molécula em seu curso, esse ser, cujos
remeter ao conceito de calor. atributos são ainda essencialmente tão finitos quanto os nossos,
Para a Física, o estudo do calor e de suas transformações em di- seria capaz de fazer o que atualmente nos é impossível fazer. Con-
ferentes formas de energia é realizado por meio da Termodinâmi- sideramos que as moléculas em um recipiente cheio de ar, a uma
ca. Com relação às leis da Termodinâmica, analise as afirmações temperatura uniforme, movem-se com velocidades que não são de
a seguir: modo algum uniformes. Suponhamos agora que tal recipiente é se-
parado em duas porções, A e B, por meio de uma divisória na qual
I - De acordo com a Primeira Lei da Termodinâmica, a variação da há um pequeno orifício, e que um ser, que pode ver as moléculas
energia interna sofrida por um gás ideal pode ser obtida pelo cálculo individuais, abre e fecha esse orifício, de forma a permitir que so-
da diferença entre a quantidade de calor fornecida a ele e o trabalho mente as moléculas mais rápidas passem de A para B, e somente
realizado nesse processo. as mais lentas passem de B para A. Ele irá, portanto, sem nenhum
II - Durante a expansão adiabática de um gás ideal, todo o traba- trabalho, elevar a temperatura de B e baixar a de A, contradizendo a
lho realizado pelo sistema resultará em aumento da energia interna 2ª lei da termodinâmica.
desse sistema.
Fonte: https://www.scientiaplena.org.br/sp/article/download/635/296 (Adaptado).
III - Se um gás ideal ocupa um volume de 4 × 10–3 m3 sob pressão
de 1 × 106 N/m2 e, ao receber 500 J de calor, aumenta seu volume O enunciado refere-se ao experimento mental intitulado
para 1 × 10–2 m3, ao passo que sua pressão é mantida constante, a) Gato de Schrödinger.
então a variação da energia interna desse gás é de −5 500 J. b) Matéria e energia escuras.
IV - A Segunda Lei da Termodinâmica identifica o sentido da trans- *c) Demônio de Maxwell.
formação de energia em processos naturais; ou seja, o calor jamais d) Paradoxo de Olbers.
fluirá espontaneamente de um objeto frio para um objeto quente.
Assinale a alternativa que apresenta todos os itens corretos: (UEPG/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 07 (01+02+04)
a) I e II. Em relação às máquinas térmicas, assinale o que for correto.
b) I, II e III. 01) Máquinas térmicas são dispositivos que convertem parte da
energia térmica recebida em trabalho mecânico.
*c) I, III e IV.
02) O motor à combustão de um automóvel é um exemplo de má-
d) II, III e IV. quina térmica.
04) De acordo com a primeira lei da termodinâmica, o calor adicio-
(UNISC/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: A nado a um sistema é numericamente igual à variação da energia
Uma empresa de engenharia projetou uma máquina térmica, a qual interna do sistema mais o trabalho externo realizado pelo sistema.
opera entre dois reservatórios térmicos. A temperatura dos reserva- 08) As máquinas térmicas mais eficientes transformam todo o calor
tórios quente e frio são, respectivamente, 327°C e 27°C. Nesse pro- recebido de um reservatório quente em trabalho mecânico.
jeto, a cada ciclo, a máquina receberia 750 J de calor do reservatório 16) O rendimento de uma máquina térmica é numericamente igual
quente, produziria 500 J de trabalho e cederia 250 J ao reservatório à razão entre a temperatura da fonte quente pela temperatura da
frio. fonte fria.
Considerando os limites impostos pela segunda lei da termodinâmi-
ca para o funcionamento das máquinas térmicas, analise as afirma- (UFRGS/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: B
tivas apresentadas a seguir e assinale a alternativa correta. A velocidade máxima do vento no furacão Irma em setembro/2017
*a) A máquina referida não poderia existir, pois sua eficiência é maior chegou a 346 km/h, o que o classifica como um furacão de cate-
que a eficiência de uma máquina de Carnot, trabalhando entre os goria 5.
mesmos reservatórios de calor. Segundo um modelo teórico desenvolvido no MIT (Massachuttes
b) A máquina referida poderia existir e tem eficiência aproximada- rnstitute of Thecnology), um furacão pode ser tratado como uma
mente igual a 67%. máquina de calor de Carnot. A tempestade extrai calor do oceano
c) A máquina referida poderia existir e sua eficiência é igual à da tropical quente (água como fonte de calor) e converte parte do calor
máquina de Carnot, trabalhando entre os mesmos reservatórios de em energia cinética (vento).
calor, ou seja, 50%.
Nesse modelo, a velocidade máxima Vmáx pode ser obtida da equa-
d) A máquina referida não poderia existir, pois viola o princípio de
ção
conservação de energia.
e) A máquina referida poderia existir, pois obedece à primeira e à  Toce – Tatm 
Vmáx =  E
segunda lei da termodinâmica.  Tatm 

Nessa equação, Toce e Tatm são, respectivamente, a temperatura da


(UNESP-2018.1) - RESPOSTA: a) h = 25% b) r = 0,4 superfície do oceano e a temperatura no nível do topo da nuvem a
A figura mostra uma máquina térmica em que a caldeira funciona cerca de 12 a 18 km, ambas em K, e E corresponde à taxa de trans-
como a fonte quente e o condensador como a fonte fria. ferência de calor do oceano para a atmosfera.
Considere, no modelo, os seguintes processos.

I - Diminuição da temperatura na superfície do oceano.


II - Aumento na diferença de temperatura entre a superfície do oce-
ano e o topo da nuvem na atmosfera.
III - Diminuição na taxa de transferência de calor.
Quais processos contribuem para o aumento da velocidade máxima
do vento em um furacão?
a) Apenas I.
(http://elcalor.wordpress.com. Adaptado.) *b) Apenas II.
a) Considerando que, a cada minuto, a caldeira fornece, por meio do c) Apenas III.
d) Apenas I e lI.
vapor, uma quantidade de calor igual a 1,6 ×109 J e que o conden-
e) I, II e III.
sador recebe uma quantidade de calor igual a 1,2 ×109 J, calcule o
rendimentodessa máquina térmica.
b) Considerando que 6,0 ×103 kg de água de refrigeração fluem pelo
condensador a cada minuto, que essa água sai do condensador com
temperatura 20 ºC acima da temperatura de entrada e que o calor
específico da água é igual a 4,0 ×103 J/(kg ·ºC), calcule a razão entre
a quantidade de calor retirada pela água de refrigeração e a quanti-
dade de calor recebida pelo condensador.
japizzirani@gmail.com 47
VESTIBULARES 2018.2 (UEM/PR-2018.2) - RESPOSTA: SOMA = 06 (02+04)
Um mol de gás hélio (gás ideal) é usado em uma máquina térmica
que opera em um ciclo representado por um retângulo ABCD (no
(SENAI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: D sentido horário) em um diagrama pressão versus volume. No ponto
Máquina térmica é qualquer dispositivo que, trabalhando em ciclos, A, o volume e a pressão do gás assumem seus valores mínimos: V0
transforme uma quantidade de calor em trabalho. Ela recebe uma e P0 . Em C a pressão e o volume são máximos: 2V0 e 2P0 . Sobre
quantidade de calor de alguma fonte, pode-se dizer “quente”, realiza o gás hélio e o sistema descrito acima, assinale o que for correto.
um trabalho e dispensa uma quantidade de calor para uma fonte 01) À temperatura ambiente, o hélio encontra-se na forma de um
“fria”, geralmente o meio ambiente. gás diatômico, incolor, inodoro e mais denso que o ar atmosférico.
Os gases são usualmente empregados em máquinas térmicas. Isso 02) O rendimento do ciclo ABCD é igual a 2 /13.
se deve ao fato de suas moléculas encontrarem-se 04) Uma máquina de Carnot, operando entre as temperaturas mais
a) em estado estático, devido à força de atração. alta e mais baixa alcançadas no ciclo ABCD, tem rendimento igual
b) em estado de ionização elevado e constante.
a 3 / 4.
*c) fracamente unidas, o que permite manter o calor recebido.
08) Um processo isotérmico, de temperatura igual a 3 / 2 da maior
d) fracamente unidas, o que permite contração e expansão.
temperatura alcançada no ciclo ABCD, passa por B e D.
e) no estado expandido, mantendo o calor recebido.
16) Em uma expansão adiabática passando pelo estado B, a pres-
são do gás é maior que P0 quando o volume é igual a 2V0 .
(UNIFENAS/MG-2018.2) - ALTERNATIVA OFICIAL: C
O motor de um avião, quando em funcionamento, atinge uma tem-
peratura de 227°C, enquanto que a temperatura externa, ou seja, da
fonte fria é de 27°C. Podendo ser considerado uma máquina térmi-
ca, obtenha o seu rendimento?

https://www.google.com.br/search
a) 10%. d) 50%.
b) 30%. e) 60%.
*c) 40%.

(UEPG/PR-2018.2) - RESPOSTA: SOMA = 22 (02+04+16)


Uma máquina térmica ideal opera de acordo com o ciclo de Carnot
realizando um ciclo a cada 2 segundos e possui uma eficiência de
20%. Ela recebe 1 000 cal de uma fonte de calor a uma temperatura
de 127 °C, realiza trabalho e rejeita calor para uma fonte fria. Em
relação ao enunciado, assinale o que for correto.
01) A eficiência da máquina térmica operando no ciclo de Carnot
é inversamente proporcional à diferença de temperatura entre as
fontes quente e fria.
02) A quantidade de calor rejeitada para a fonte fria é 800 cal.
04) A potência da máquina térmica é 400 W.
08) O trabalho realizado pela máquina térmica a cada ciclo é 400 J.
16) A temperatura da fonte fria é 47 °C.

(UEM/PR-2018.2) - RESPOSTA: SOMA = 27 (01+02+08+16)


Em relação às máquinas térmicas, assinale o que for correto.
01) É impossível realizar um processo cujo único resultado seja re-
mover uma certa quantidade de energia na forma de calor de uma
fonte quente e transformá-la em trabalho.
02) O rendimento de uma máquina térmica é sempre não negativo
e não maior do que 1.
04) O ciclo reversível de máximo rendimento operando entre duas
fontes térmicas (a temperaturas diferentes) deve necessariamente
ser formado por duas isotermas ligadas por duas transformações
isobáricas.
08) Em uma máquina de Carnot, os trechos do ciclo em que há va-
riação da temperatura do sistema devem ocorrer sem trocas de ca-
lor, ou seja, através de processos adiabáticos reversíveis.
16) O ciclo de Carnot é um ciclo reversível de máximo rendimento
operando entre duas fontes térmicas (a temperaturas diferentes).

(IFF/RJ-2018.2) - ALTERNATIVA: B
Uma das características da revolução industrial foi o aumento da
produção. Isso foi possível graças às máquinas térmicas, que usam
o fluxo natural de calor entre uma região quente e uma região mais
fria para realizar trabalho. O físico e engenheiro Nicolas Léonard
Sadi Carnot estabeleceu um limite para o rendimento de máquinas
térmicas que operem entre dois reservatórios de calor. Esse limite é
alcançado, no ciclo de Carnot, que é composto por
a) duas transformações adiabáticas e duas isobáricas.
*b) duas transformações adiabáticas e duas isotérmicas.
c) duas transformações isotérmicas e duas isobáricas.
d) uma transformação isotérmica, uma isobárica e uma adiabática.
e) duas transformações adiabáticas e uma isobárica.
japizzirani@gmail.com 48