P. 1
Física - termofísica questões de vestibular 2009

Física - termofísica questões de vestibular 2009

5.0

|Views: 79.337|Likes:
Publicado porjapizzirani4064
Questões com resposta de física, Termofísica, de vestibulares de todas regiões do Brasil do ano de 2009 - termometria, calorimetria, transmissão de calor, transformações gasosas, leis da termodinâmica
Questões com resposta de física, Termofísica, de vestibulares de todas regiões do Brasil do ano de 2009 - termometria, calorimetria, transmissão de calor, transformações gasosas, leis da termodinâmica

More info:

Categories:Types, Research, Science
Published by: japizzirani4064 on Mar 26, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/01/2015

pdf

text

original

física

termofísica
QUESTÕES DE VESTIBULARES 2009.1 (1o semestre) 2009.2 (2o semestre)

sumário
termômetros e escalas termométricas
VESTIBULARES 2009.1 ....................................................................................................................... 2 VESTIBULARES 2009.2 ....................................................................................................................... 4

calor sensível
VESTIBULARES 2009.1 ....................................................................................................................... 5 VESTIBULARES 2009.2 ....................................................................................................................... 9

calor latente
VESTIBULARES 2009.1 ...................................................................................................................... 11 VESTIBULARES 2009.2 ..................................................................................................................... 15

sistema termicamente isolado
VESTIBULARES 2009.1 ..................................................................................................................... 16 VESTIBULARES 2009.2 ..................................................................................................................... 18

transmissão de calor
VESTIBULARES 2009.1 ..................................................................................................................... 20 VESTIBULARES 2009.2 ..................................................................................................................... 24

dilatação térmica
VESTIBULARES 2009.1 ..................................................................................................................... 25 VESTIBULARES 2009.2 ..................................................................................................................... 28

transformações gasosas
VESTIBULARES 2009.1 ..................................................................................................................... 30 VESTIBULARES 2009.2 ..................................................................................................................... 34

trabalho da força de pressão
VESTIBULARES 2009.1 ..................................................................................................................... 36 VESTIBULARES 2009.2 ..................................................................................................................... 37

leis da termodinâmica
VESTIBULARES 2009.1 ..................................................................................................................... 38 VESTIBULARES 2009.2 ..................................................................................................................... 47 japizzirani@gmail.com

tópico 1: termômetros e escalas termométricas
VESTIBULARES 2009.1
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 4 (UNISA/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: D Em um laboratório há termômetros graduados nas escalas Celsius e Fahrenheit. Um grupo de alunos deve realizar uma experiência que exige o aquecimento de uma substância até a temperatura de 353 K. Os alunos deverão parar o aquecimento quando as escalas Celsius e Fahrenheit indicarem, respectivamente, as temperaturas: a) 80 oC e 144 oF b) 626 oC e 1158,8 oF c) – 80 oC e – 112 oF *d) 80 oC e 176 oF e) – 80 oC e – 144 oF (FATEC/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: B Durante a aula de termometria, o professor apresenta aos alunos um termômetro de mercúrio, graduado na escala Kelvin que, sob pressão constante, registra as temperaturas de um corpo em função do seu volume V conforme relação TK = mV + 80. Sabendo que m é uma constante e que à temperatura de 100 K o volume do corpo é 5 cm3, os alunos podem afirmar que, ao volume V = 10 cm3 a temperatura do corpo será, em kelvin, igual a a) 200. d) 80. *b) 120. e) 50. c) 100. (MACKENZIE/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: C A região da cidade de New York, nos Estados Unidos da América do Norte, é destacada entre os meteorologistas por ficar com temperaturas muito baixas no inverno (até – 40OC) e elevadas no verão (entre 35OC e 40OC). Nessas condições, dois fios metálicos possuem, em um dia de rigoroso inverno, os mesmos comprimentos L01 = L02 = 10,000 m. Os coeficientes de dilatação linear médios dos materiais desses fios são, respectivamente, 1 = 1,0 × 10–5 OC–1 e 2 = 2,6 × 10–5 OC–1. A variação de temperatura que esses fios devem sofrer juntos, para que a diferença entre seus comprimentos seja 8,0 . 10–3 m, é a) 150 OC d) 25 OC e) 12,5 OC b) 100 OC *c) 50 OC (CEFET/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: A Suponha que num reservatório subterrâneo, a água esteja a uma temperatura de 147 °C. Essa temperatura, expressa com unidades do Sistema Internacional, é lida como *a) 420 K. d) 147 K. b) 297 °F. e) 126 °F. c) 147 °C. (CEFET/PI-2009.1) - ALTERNATIVA: A Duas escalas termométricas A e B relacionam-se conforme o gráfico a seguir. O valor que os termômetros A e B fornecem a mesma leitura é: *a) 40 b) 45 c) 50 d) – 40 e) – 50

(CEFET/GO-2009.1) - ALTERNATIVA: B Um medidor de temperatura importado dos Estados Unidos da América, utilizado para registrar a temperatura da água em alguns motores próprios para aviões, possui uma escala de temperatura em graus Fahrenheit (ver figura). Nesta escala, a temperatura do gelo fundente é considerada igual a 32ºF e a temperatura da água em ebulição igual a 212ºF. Se uma outra escala em graus Celsius fosse adicionada ao instrumento, quais seriam as novas marcações, com precisão inteira, em ordem crescente, correspondentes às marcações numeradas da escala original? a) 50ºC/82ºC/105ºC/127ºC/149ºC *b) 60ºC/82ºC/104ºC/127ºC/149ºC c) 50ºC/82ºC/104ºC/127ºC/149ºC d) 60ºC/80ºC/100ºC/130ºC/150ºC e) 60ºC/83ºC/105ºC/126ºC/148ºC

(UFLA/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: D A relação entre a temperatura indicada por um termômetro graduado na escala X e a temperatura indicada por um termômetro graduado na escla Celsius (oC) é mostrada na figura abaixo. A temperatura indicada pelo termômetro na escala X, quando colocado em um ambiente em equilíbrio com vapor d’água em ebulição à pressão de 1 atmosfera, é a) 160 oX. b) 175 oX. c) 216 oX. *d) 190 oX.

(UFT/TO-2009.1) - ALTERNATIVA: D Um estudante mediu a temperatura de um colega que estava com febre. Para tanto ele usou um termômetro de mercúrio cuja escala estava ilegível. Então, para determinar a temperatura ele fez o seguinte procedimento: colocou o termômetro em um recipiente onde continha água e gelo e, após o equilíbrio, marcou a altura da coluna de mercúrio a partir do bulbo (5cm). Em seguida colocou o termômetro em um recipiente com água em ebulição e, após o equilíbrio, marcou a altura da coluna da mesma forma (15cm). Por fim, colocou o termômetro em contato com a pele do colega e, após o equilíbrio, marcou a altura (8,8cm). Qual a temperatura do colega? Considere que a água em ambos os casos era destilada e o experimento foi feito ao nível do mar.

a) 40 oC b) 39 oC c) 41 oC *d) 38 oC

japizzirani@gmail.com

2

(CESGRANRIO/RJ-2009.1) - ALTERNATIVA: D Duas escalas termométricas E1 e E2 foram criadas. Na escala E1, o ponto de fusão do gelo sob pressão de 1 atm (ponto de gelo) corresponde a – 50, e o ponto de ebulição da água sob pressão de 1 atm (ponto de vapor) corresponde a + 50. Na escala E2, os pontos de gelo e vapor são, respectivamente, 0 e 80. A função que associa a medida (T1) de uma temperatura qualquer na escala E1 com a sua medida (T2) correspondente na escala E2 é T2 = A.T1 + B Dessa forma, A + B vale a) – 50,00 b) – 49,20 c) – 48,75 *d) + 40,80 e) + 50,80 (UFOP/MG-2009.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO Utilizando algum princípio da termodinâmica, explique por que algumas pessoas escaldam, ou seja, esquentam as xícaras de café e de chá antes de usá-las. RESPOSTA UFOP/MG-2009.1: Para que o equilíbrio térmico entre o líquido a ser ingerido e a xícara se dê em uma temperatura mais elevada. (UFABC/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: D Na imprensa americana, certamente a informação de que a temperatura na cidade de São Paulo aumentou em 2 ºC teria a seguinte citação, em graus Fahrenheit: a) 0,9. b) 1,8. c) 2,4. *d) 3,6. e) 4,5. (VUNESP/FAMECA-2009.1) - ALTERNATIVA: B Um bloco metálico, sólido, encontra-se a uma temperatura ambiente de 22 oC, quando é levado para o interior de um forno a 250 o C. Após entrar em equilíbrio térmico com o forno, o bloco terá sofrido uma variação de temperatura que, expressa na escala Kelvin, vale a) 238. *b) 228. c) 138. d) 128. e) 73 (FURG/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: E Colocam-se, em um mesmo recipiente com água, três termômetros com escalas diferentes: um com escala em graus Celsius, um com escala em graus Farenheit e outro com escala em Kelvin. Aquece-se a água até que a variação da leitura fornecida pelo termômetro com escala em graus Celsius seja de 35 ºC. Quais as variações de leitura obtida pelos outros termômetros? a) 63 K e 35 ºF b) 35 K e 35 ºF c) 61 K e 63 ºF d) 308 K e 63 ºF *e) 35 K e 63 ºF (UESPI-2009.1) - ALTERNATIVA: C Aquecer um determinado corpo de 45 K a 180 K (temperaturas medidas na escala Kelvin) equivale, na escala Celsius, a provocar nesse corpo uma variação de temperatura igual a a) 273 oC. b) 228 oC. *c) 135 oC. d) 93 oC. e) 75 oC.

(VUNESP/UNICISAL-2009.1) - ALTERNATIVA: D Em um certo dia, a temperatura ambiente em Porto Alegre, RS, era de 10 ºC. No mesmo instante, em Maceió, AL, os termômetros registravam 30 ºC. Essa variação de temperatura, se registrada em termômetros graduados na escala Fahrenheit, seria de a) 18 ºF. b) 24 ºF. c) 32 ºF. *d) 36 ºF. e) 42 ºF.

japizzirani@gmail.com

3

VESTIBULARES 2009.2
(MACKENZIE/SP-2009.2) - ALTERNATIVA: A Um turista, ao descer no aeroporto de Londres, observa que o valor da temperatura indicada por um termômetro graduado na escala Fahrenheit supera em 40 o valor da indicação de outro termômetro graduado na escala Celsius. A temperatura em Londres era de *a) 10 ºC d) 24 ºC b) 14 ºC e) 28 ºC c) 20 ºC (UFPR-2009.2) - ALTERNATIVA: D Durante certo experimento em águas profundas na Antártida, uma medição de temperatura foi realizada utilizando-se dois termômetros com escalas termométricas diferentes (°C e °F). Para espanto geral, os dois termômetros indicaram o mesmo valor numérico. O valor encontrado corresponde a: a) – 20°C ou – 20°F. *d) – 40°C ou – 40°F. b) – 30°C ou – 30°F. e) – 35°C ou – 35°F. c) – 10°C ou – 10°F. (VUNESP/UNICID-2009.2) - ALTERNATIVA: C Os termostatos são dispositivos usados para controlar a temperatura de aparelhos, para que eles não superaqueçam. Um termostato foi acionado, quando uma turbina a vapor atingiu 950 K, o que, em graus Celsius, corresponde a a) 190. d) 1 223. b) 222. e) 1 900. *c) 677. (VUNESP/UFTM-2009.2) - ALTERNATIVA: D Além de painéis solares industrializados (para aquecedor solar de água), é muito simples construir um painel utilizando para isso materiais de baixo custo. A dificuldade, na realidade, consiste em armazenar a água aquecida por maior tempo possível. Em uma proposta alternativa, um pesquisador introduziu sensores térmicos, daqueles utilizados em carros para saber a temperatura do motor, e associou a cada sensor um ohmímetro sem, no entanto, preocupar-se com a unidade Física por ele lida. Assim, observou que: Temperatura ºC 20 46 Leitura da Escala do Ohmímetro 34 graduações 73 graduações

(VUNESP/FTT-2009.2) - ALATERNATIVA: C A alteração da temperatura corpórea para valores fora dos níveis considerados normais é um indicativo de que possíveis problemas podem estar afetando o organismo e deve ser vista como um alerta e, portanto, acompanhada com atenção. Para seres humanos adultos, consideram-se normais temperaturas entre 35,5 °C e 37 °C. Esse intervalo de temperatura, se fosse indicado na escala Fahrenheit, corresponderia a a) 1,5. b) 1,8. *c) 2,7. d) 5,4. e) 3,6. (PUC/SP-2009.2) - ALTERNATIVA: A O K2, segunda maior montanha do mundo, pico de 8611 m, localizada na fronteira entre o Paquistão e a China, é considerada por muitos alpinistas a montanha mais difícil e a mais perigosa do mundo. Considere que, no pico, a temperatura pode variar de – 30°C durante o dia para – 40°C durante a noite. Essa variação de temperatura na escala Fahrenheit é igual a: *a) – 18 b) 14 c) 18 d) –94 e) –14

De acordo com a tabela, uma temperatura ideal para um banho quente equivalente a 35 ºC corresponderá, no medidor improvisado, a um número de graduações aproximadamente igual a a) 45. *d) 57. b) 49. e) 61. c) 53. (UNIMONTES/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: A A indicação de uma temperatura na escala Fahrenheit excede em 2 unidades o dobro da correspondente na escala Celsius. Essa temperatura vale *a) 170 oC. b) 300 oC. c) 150 oC. d) 100 oC. (CEFET/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: B O conceito de temperatura foi aprimorado nos últimos séculos. Nos dias atuais está relacionado à(ao) a) ponto tríplice da água. *b) grau de agitação térmica. c) equilíbrio térmico do meio. d) mudança de estado físico. e) sensação de quente e frio.

japizzirani@gmail.com

4

tópico 2: calor sensível
VESTIBULARES 2009.1
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 9 (UERJ-2009.1) - ALTERNATIVA: C Um adulto, ao respirar durante um minuto, inspira, em média, 8,0 litros de ar a 20 ºC, expelindo-os a 37 ºC. Admita que o calor específico e a densidade do ar sejam, respectivamente, iguais a 0,24 cal . g –1. ºC–1 e 1,2 g . L–1. Nessas condições, a energia mínima, em quilocalorias, gasta pelo organismo apenas no aquecimento do ar, durante 24 horas, é aproximadamente igual a: a) 15,4 b) 35,6 *c) 56,4 d) 75,5 (PUC/RJ-2009.1) - ALTERNATIVA: E Quanta energia deve ser dada a uma panela de ferro de 300 g para que sua temperatura seja elevada em 100 OC? Considere o calor específico da panela como c = 450 J/(kg.OC). a) 300 J b) 450 J c) 750 J d) 1750 J *e) 13500 J (VUNESP/UNISA-2009.1) - ALTERNATIVA: B A figura ilustra o aparato utilizado por James P. Joule (1818-1889) na determinacao do equivalente mecanico do calor (1 cal 4 J).

(PASUSP-2009.1) - ALTERNATIVA: 32 D, 33 E, 34 C Texto para as questões de 32 a 34 Com a finalidade de estudar o comportamento térmico de substâncias, foram aquecidas diferentes quantidades de água e óleo. Elas foram colocadas sob a ação de uma chama, com fluxo de calor constante, e nas mesmas condições ambientais. A tabela abaixo contém os dados obtidos no experimento.

32 Tendo como base os dados apresentados na tabela, assinale a alternativa INCORRETA: a) Nas mesmas condições de aquecimento e para a mesma massa, a temperatura do óleo aumenta mais rapidamente do que a da água. b) Para uma dada massa de água, a temperatura varia proporcionalmente ao tempo de aquecimento. c) Para uma dada massa de água, a temperatura varia de modo proporcional ao calor recebido da chama. *d) Para a mesma quantidade de calor recebido, quanto maior a massa da substância aquecida, maior é a variação de temperatura por ela sofrida. e) O tipo de substância e a massa são fatores que influem na variação da temperatura durante o aquecimento. 33 Dentre os 5 gráficos abaixo, assinale aquele que melhor representa o aquecimento de massas iguais de água e óleo, para o experimento realizado:

a)

d)

b)

*e)

c)

Os corpos suspensos têm massa 1 kg cada e podem realizar uma queda vertical de 1 metro, em um local em que g = 10 m/s2. Admita que toda a energia potencial correspondente ao movimento de queda dos dois corpos seja utilizada para aquecer 10 gramas de água. Sendo o calor específico da água 1 cal/(g.ºC), a variação de temperatura (em ºC) da água foi de a) 0,25. *b) 0,50. c) 0,75. d) 1,00. e) 5,00.

34 Se o aquecimento fosse prolongado até 6 min, mantidas as mesmas tendências de variação, as temperaturas aproximadas para 200g de água e 200g de óleo seriam, respectivamente, a) 54°C e 126°C b) 72°C e 126°C *c) 72°C e 144°C d) 54°C e 144°C e) 72°C e 162°C

japizzirani@gmail.com

5

(UNICENTRO/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: C Duas fontes de calor idênticas fornecem calor a dois blocos, A e B, de massas iguais. Observa-se que a temperatura do bloco A aumenta mais rapidamente que a temperatura do bloco B. Considerando que os blocos absorvem a mesma quantidade de calor por unidade de tempo, é CORRETO afirmar que a) o calor específico do bloco A é maior que o do bloco B. b) o bloco A absorve mais calor que o bloco B num mesmo intervalo de tempo. *c) o calor específico do bloco A é menor que o do bloco B. d) os dois blocos têm capacidades térmicas iguais. e) a capacidade térmica do bloco A é maior que a do bloco B. (UTFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: C Uma certa massa de chumbo de 300g aumentou sua temperatura de 20ºC para 40ºC quando recebeu calor. Considerando o calor específico do chumbo 0,03 cal/(gºC), a quantidade de calor recebida, em cal, é igual a: a) 90. b) 120. *c) 180. d) 200. e) 220. (UFPB-2009.1) - ALTERNATIVA: B Em uma experiência envolvendo gases, quatro mols de um gás diatômico são aquecidos à pressão constante, a partir de uma temperatura T , fazendo com que o seu volume quadruplique. Sabendo-se que o calor molar à pressão constante do gás é (7R)/2, é correto afirmar que a energia transmitida para esse gás, em forma de calor, é: a) 14RT *b) 42RT c) 56RT d) 64RT e) 70RT (UNIOESTE/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: C Um experimento simples para estimar a potência de um forno de microondas é medir a elevação da temperatura de uma certa quantidade de água colocada em seu interior, de forma a permitir o cálculo do calor absorvido durante um certo intervalo de tempo. Suponha que 500 g de água, a temperatura inicial de 20ºC, foram colocadas no forno e este mantido em funcionamento durante um minuto. Verifica-se que a água atingiu a temperatura de 40ºC. Pode-se afirmar que neste processo a taxa com que a água absorveu energia foi de (Dados: calor específico da água: c = 1 cal.g–1.ºC–1 e 1cal = 4,2J) a) 167 W b) 540 W *c) 700 W d) 1000 W e) 1200 W (UEPB-2009.1) - ALTERNATIVA: D Por ter acabado o gás de cozinha, uma dona de casa utilizou um aquecedor de 200W de potência para aquecer a água do café. Dispondo de 1 litro (1000 g) de água que se encontrava a 22°C, e supondo que apenas 80% dessa potência foi usada no aquecimento da água, qual a temperatura atingida pela água após um instante de 30 mim? (Adote 1cal = 4,0 J e calor especifico da água c = 1 cal/g°C) a) 60°C b) 313°C c) 30°C *d) 94°C e) 72°C

(PUC/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: B Considere: Densidade da água = 1g/cm3 Calor específico da água = 1,0 cal/g°C Calor específico do alumínio = 0,2 cal/g°C Capacidade total do botijão de gás = 13kg ou 31 litros Calor de combustão do gás natural = 12000 kcal/kg Ana, em sua casa de praia, deseja ferver 2 litros de água numa chaleira de alumínio de 500g, ambos na temperatura ambiente de 25°C. No entanto, seu botijão de gás natural possui apenas 1% da sua capacidade total. Considerando a perda de calor para o meio ambiente de 35%, a quantidade de gás disponível é a) suficiente, afinal ela necessita de aproximadamente 10 gramas. *b) suficiente, afinal ela necessita de aproximadamente 20 gramas. c) suficiente, afinal ela necessita de aproximadamente 30 gramas. d) insuficiente, já que ela precisa de 200 gramas. e) insuficiente, já que ela precisa de 300 gramas. COMENTÁRIO: A quantidade de gás necessaria é 20,19 g. (UEM/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 23 (01+02+04+16) O gráfico abaixo ilustra a variação da quantidade de calor em função da variação da temperatura para duas substâncias diferentes. Analise o gráfico e assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

01) Se A e B tiverem massas idênticas, a capacidade térmica de A é maior que a capacidade térmica de B. 02) A capacidade térmica das substâncias depende da massa das mesmas. 04) A capacidade térmica de B é 3,0 cal/ºC. 08) Se os calores específicos das substâncias forem os mesmos, a massa de B é maior que a de A. 16) Para aquecer a substância A de 10,0 ºC para 20,0 ºC em 10 minutos, a fonte de calor fornece potência a uma taxa constante de 10,0 cal/min. (CESGRANRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: C A tabela abaixo apresenta informações sobre dois blocos compostos do mesmo material. Pode-se concluir que Q é igual a

a) 820,8 b) 1003,2 *c) 2280,0 d) 2520,3 e) 2736,0

japizzirani@gmail.com

6

(UNESP-2009.1) - ALTERNATIVA: A Desde 1960, o Sistema Internacional de Unidades (SI) adota uma única unidade para quantidade de calor, trabalho e energia, e recomenda o abandono da antiga unidade ainda em uso. Assinale a alternativa que indica na coluna I a unidade adotada pelo SI e na coluna II a unidade a ser abandonada. I joule (J) caloria (cal) watt (W) quilocaloria (kcal) pascal (Pa) II caloria (cal) joule (J) quilocaloria (kcal) watt (W) quilocaloria (kcal)

*a) b) c) d) e)

(UNESP-2009.1) - ALTERNATIVA: E Segundo a Biblioteca Virtual Leite Lopes, O calor de combustão de um combustível é a quantidade de calor que 1 grama da substância produz, ao ser completamente queimada.
(www.prossiga.br/leitelopes/)

(CEFET/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: C A geração de energia elétrica em usinas nucleares pode se justificar, de alguma forma, pelo fato de não gerar gases estufa e de não contribuir com o aquecimento global. Por outro lado, gera outras preocupações ambientais, como que destino dar aos rejeitos radiativos e ao calor dissipado por essa forma de geração de energia. Considere uma usina nuclear que, apresentando rendimento de 30%, gere uma potência útil de 1,2.109 W, e que a energia não utilizada seja dissipada em forma de calor apenas para uma massa de água que circula com uma vazão de 70 m3/s. Sabendo que o calor específico e a densidade da água valem, respectivamente, 4.103 J/(kg.°C) e 103 kg/m3, ao passar pela usina essa massa de água sofrerá uma elevação em sua temperatura, em °C, de a) 1. b) 6. *c) 10. d) 20. e) 30.

O calor de combustão do carvão vegetal pode ter valores muito variáveis, mas um valor médio bem aceito é 3,0·107 J/kg. Nesse caso, sabendo-se que o calor específico da água é 4,2·10 3 J/(kg·ºC), e supondo que não haja perdas, a massa de carvão que, completamente queimada, fornece a quantidade de calor necessária para elevar a temperatura de 1,0 kg de água de 28 ºC à fervura (100 ºC), em gramas, é aproximadamente de a) 600. d) 50. b) 300. *e) 10. c) 150. (UFV/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C Dois objetos A e B com mesma massa e mesma temperatura inicial recebem quantidades iguais de calor. Como conseqüência, percebe-se que o objeto A sofre uma menor variação da temperatura em relação ao objeto B. Considerando este fato, é CORRETO afirmar que o objeto A possui: a) densidade maior que o objeto B. b) densidade menor que o objeto B. *c) calor específico maior que o objeto B. d) calor específico menor que o objeto B. (CEFET/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: A O morador da cidade de São Paulo, relativamente àquele que mora no litoral, pode economizar gás de cozinha toda manhã, ao ferver a água para o café. De fato, em São Paulo, a água ferve a cerca de 98 ºC, diferente do litoral, onde ela ferve a 100 ºC. Se a água que sai da torneira, em ambos os lugares, estiver inicialmente a 20 ºC, a energia economizada pelo paulistano para que 800 mL de água atinjam a temperatura de ebulição é, em cal, relativamente ao santista, Dados: densidade da água = 1 g/mL calor específico da água = 1 cal/(g.ºC) *a) 1 600. d) 3 400. b) 1 800. e) 7 850. c) 2 400.. (FURG/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: B Um resistor é utilizado para aquecer um litro de água, sendo fornecida uma corrente contínua de 1 ampère. Sabendo que o tempo necessário para elevar a temperatura da água de 25oC para 80oC é de 7 minutos nesse aparelho, e considerando que toda potência dissipada por R é utilizada para aquecer a água, o resistor possui resistência de: (Dados: cág = 4,2 J/(g.oC) e dág = 1,0 g/mL) a) 420 ohms d) 55 ohms *b) 550 ohms e) 720 ohms c) 70 ohms

(CEFET/RJ-2009.1) - RESPOSTA: a) 12,5 cm b) 66,7 s Em um forno de microondas as moléculas de água contidas nos alimentos interagem com a radiação emitida pelo forno que as fazem oscilar com uma freqüência de 2,40 GHz (1 GHz = 109 Hz). Ao oscilar, as moléculas colidem inelasticamente entre si transformando energia eletromagnética em calor. Considere um forno de microondas de 1200 W que transforma 50% da energia eletromagnética em calor. a) Determine o comprimento de onda da radiação de microondas. Dado: velocidade da luz c = 3×108 m/s. b) Calcule o tempo necessário para aquecer meio litro de água de 20 oC para 40 oC. O calor específico da água é 4000 J/(kgoC).

(CEFET/CE-2009.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO Considere as duas situações seguintes. I. Dois blocos, A e B, feitos de uma mesma substância, têm a mesma temperatura, e a massa do bloco A é maior que a massa do bloco B. II. Dois blocos, C e D, feitos de uma mesma substância, possuem a mesma massa, e a temperatura do bloco C é maior que a temperatura do bloco D. Em alguma das situações acima, é correto afirmar-se que um dos blocos possui maior quantidade de calor que o outro? Justifique a resposta. RESPOSTA OFICIAL - CEFET/CE-2009.1: Em nenhuma das situações acima é correto afirmar que um dos corpos possui maior quantidade de calor que o outro. A razão é que corpo nenhum da natureza possui calor. Os corpos possuem energia interna. Calor, assim como trabalho, é somente uma forma de transferir energia entre dois corpos. Como diria Wolfgang Pauli, toda frase que compare os calores possuídos por dois corpos “nem mesmo errada é”.

(CEFET/PI-2009.1) - ALTERNATIVA: B Uma pessoa bebe 300 g de água a 20oC. Sabendo-se que o calor específico da água é igual 1 cal / (g .oC) e que a temperatura de seu corpo é praticamente constante e vale 36,5oC, a quantidade de calor absorvida pela água é igual a: a) 18,75 kcal *b) 4,95 kcal c) 8,2 kcal d) 15 kcal e) 6 kcal

japizzirani@gmail.com

7

(CEFET/PI-2009.1) - ALTERNATIVA: C A British Thermal Unit (BTU) é uma unidade de energia bastante utilizada em manuais técnicos para exprimir as características de equipamentos e máquinas térmicas, como o aparelho de ar condicionado, fornos industriais etc., é equivalente aproximadamente a 252,4 calorias. Sabendo-se que 1 cal = 4,18 J, 1 BTU equivale, aproximadamente a: a) 100 J b) 60,4 J *c) 1 055 J d) 150 J e) 200 J (UFRGS/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: E Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do enunciado abaixo, na ordem em que aparecem. Em um forno de microondas, são colocados 250 mL de água à temperatura de 20 oC. Após 2 minutos, a água atinge a temperatura de 100 oC. A energia necessária para essa elevação de temperatura da água é ............ . Considerando-se que a potência de energia elétrica consumida pelo forno é de 1400 W, a eficiência atingida no processo de aquecimento da água é de ........ . (Dados: o calor específico da água é 4,2 kJ/(kg.oC), e a densidade da água é 1,0 kg/L.) a) 3,36 kJ – 10% b) 3,36 kJ – 12% c) 8,4 kJ – 5% d) 84,0 kJ – 3% *e) 84,0 kJ – 50% (UFLA/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C O diagrama abaixo mostra a variação da capacidade térmica C (cal/oC) de uma substância que varia em função da temperatura (oC). O calor trocado com essa substância no intervalo de 0 oC a 100 oC é: a) 1000 cal. b) 2000 cal *c) 3000 cal. d) 6000 cal

(UCS/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: E Um grão de milho de massa igual a 2 gramas, calor específico de 0,6 cal/g °C e temperatura inicial de 20 °C é colocado dentro de uma panela com óleo fervente. Suponha que, no instante em que atingiu 100 °C, o grão de milho tenha estourado e virado uma pipoca. Que quantidade de calor ele recebeu dentro da panela para isso acontecer? a) 126 calorias b) 82 calorias c) 72 calorias d) 120 calorias *e) 96 calorias (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 06 (02+04) Sobre calorimetria, assinale o que for correto. 01) Corpos de massas iguais submetidos a uma mesma quantidade de calor apresentam a mesma variação de temperatura. 02) A temperatura de mudança do estado físico de uma substância cristalina depende da própria substância e da pressão a que ela está submetida. 04) A variação de temperatura que um corpo sofre ao receber uma quantidade de calor depende de sua capacidade térmica. 08) O calor específico de uma determinada substância é sempre constante e independe de seu estado físico. (UFG/GO-2009.1) - ALTERNATIVA: D Com o objetivo de economizar energia, um morador instalou no telhado de sua residência um coletor solar com capacidade de 1,2×108 cal/dia. Toda essa energia foi utilizada para aquecer 2,0×103 L de água armazenada em um reservatório termicamente isolado. De acordo com estes dados, a variação da temperatura da água (em graus Celsius) ao final de um dia é de: a) 1,2. Dados: b) 6,0 Calor específica da água ca = 1,0 cal/(goC) c) 12,0. Dendidade da água da = 1,0 g/cm3 *d) 60,0. e) 120,0. (VUNESP/UFTM-2009.1) - RESPOSTA: a) 600 J b) 2,8 min Uma lâmpada incandescente que dissipa 50 W de potência foi totalmente imersa acesa num calorímetro transparente e de capacidade térmica desprezível, que continha 600 cm3 de água. Decorridos 3 minutos, verificou-se que a temperatura da água aumentou em 3,5 °C. Considere as seguintes informações: – calor específico da água = 1 cal/(g°C); – densidade da água = 1 g/cm3; – equivalente mecânico do calor : 1 cal = 4 J. a) Determine a energia dissipada pela lâmpada, em joule, que foi transmitida pelo calorímetro ao exterior, nesses 3 minutos. b) Se toda a energia dissipada por essa lâmpada fosse integralmente absorvida por essa mesma quantidade de água, quanto tempo, em minutos, seria necessário para que ela sofresse a mesma variação de temperatura de 3,5 °C?

(ACAFE/SC-2009.1) - ALTERNATIVA: C (RESOLUÇÃO NO FINAL DA QUESTÃO) O volume de água de uma piscina olímpica é de aproximadamente 1800 m3 de água. A piscina é dividida em oito raias com 2,5 metros de largura cada, e sua temperatura permanece em 25 o C. Dados: cág = 1 cal/(g.oC); dág = 1 g/cm3 e 1 cal = 4 J. Admitindo que a massa de água encontra-se inicialmente a 15 o C; no seu aquecimento a água passe de 15 oC a 25 oC, o que ocorre em 24 h, assinale a alternativa correta: a) A energia transferida do aquecedor à água é de 7,2. 106 J. b) A potência média do aquecedor é 100 W. *c) A potência elétrica do aquecedor é capaz de energizar 100 lâmpadas, sendo cada uma delas de 100 W. d) A massa de água da piscina, a 25 oC, localizada em um ginásio fechado, tende a provocar oscilações na temperatura do ambiente interno. RESOLUÇÃO ACAFE/SC-2009.1: a) FALSA. Q = 7,2×1010 J. b) FALSA. P = 8,3×105 W c) CORRETA. Plâmp = 104 W < P. d) FALSA. Massas de água em um recinto, devido o alto valor do calor específico da água, tende a manter a temperatura do ambiente constante.

japizzirani@gmail.com

8

VESTIBULARES 2009.2
(UNIFOR/CE-2009.2) - ALTERNATIVA: D Um aquecedor elétrico que fornece 840 W é utilizado para aquecer 600 g de água, inicialmente à temperatura de 30 °C. Supondo que todo o calor fornecido aqueça a água, a temperatura por ela atingida após 1,0 minuto é, em °C, a) 35 b) 40 Dado: c) 45 cágua = 1,0 cal/(g.°C) = 4,2 J/(g.°C) *d) 50 e) 55 (UFG/GO-2009.2) - ALTERNATIVA: D Os produtores de chá verde, em geral, recomendam a infusão em água a 90 oC. Para isso, uma xícara de chá contendo 200 ml de água a uma temperatura de 22 oC foi aquecida em um forno de micro-ondas por 40 s. Nesse caso a potência absorvida pela água em cal/s é a) 110. b) 170. Dado: c) 290. Calor específico da água: 1 cal/(g.oC) *d) 340. e) 450. (UFOP/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: A Um cano de cobre e um cano de alumínio, de mesma massa, recebem a mesma quantidade de calor. O aumento de temperatura no cano de cobre é maior do que o observado no cano de alumínio. Isso acontece porque o alumínio tem: *a) calor específico maior que o cobre. b) calor específico menor que o cobre. c) condutividade térmica maior que o cobre. d) condutividade térmica menor que o cobre. (PUC/PR-2009.2) - ALTERNATIVA: A James Prescott Joule (1818-1889), cientista britânico, realizou experimentos que determinaram a equivalência entre energia mecânica e energia térmica. Joule iniciou estudos sobre o calor gerado por correntes elétricas quando tinha 18 anos e, aos 22, deduziu a relação entre o calor gerado por uma corrente elétrica e a resistência elétrica (o que hoje conhecemos como “efeito Joule”). Nessa mesma época, ele determinou a relação entre a quantidade de trabalho mecânico e o calor produzido na água pela rotação de pequenas pás. É um dos maiores responsáveis pela construção do “princípio de conservação da energia”.
Fonte: F. Cabral e A. Lago, Física, v.2, Ed. Harbra, 2004.

(UEG/GO-2009.2) - ALTERNATIVA: A A cada ciclo respiratório que executamos, um certo volume de ar entra (a 20 ºC) e sai (a 37 ºC) de nossas vias respiratórias durante uma inspiração e uma expiração, respectivamente. Em uma situação de repouso, em um adulto saudável, aproximadamente 500 ml de ar entram e saem a cada ciclo, e a frequência respiratória (número de ciclos respiratórios a cada minuto) vale, aproximadamente, 12 ciclos/minuto. Nessas condições, a energia mínima, gasta pelo organismo apenas no aquecimento do ar, durante uma semana, seria suficiente para manter uma lâmpada de 100 W acesa por, aproximadamente: *a) 3,5 horas Dados: b) 5,6 horas – calor específico do ar = 0,24 cal/(g°C) c) 6,4 horas – densidade do ar = 1,2 g/L d) 7,5 horas – conversão de caloria para Joule: 1 cal = 4,2 Joule (UERJ-2009.2) - ALTERNATIVA: D A tabela abaixo mostra apenas alguns valores, omitindo outros, para três grandezas associadas a cinco diferentes objetos sólidos: – massa; – calor específico; – energia recebida ao sofrer um aumento de temperatura de 10oC.

A alternativa que indica, respectivamente, o objeto de maior massa, o de maior calor específico e o que recebeu maior quantidade de calor é: a) I, III e IV b) I, II e IV c) II, IV e V *d) II, V e IV (ACAFE/SC-2009.2) - ALTERNATIVA: C Em regiões em que estão presentes grandes massas de água, como lagos e lagoas, existe a tendência de menor amplitude térmica diária, diferentemente do que ocorre em regiões desérticas. Este fenômeno pode ser melhor explicado com base no (a): a) transparência da água. b) densidade da água. *c) calor específico da água. d) resistividade da água. (VUNESP/UFTM-2009.2) - ALTERNATIVA: C Após percorrer o circuito de um painel solar, a água aquecida dirige-se para o interior de um reservatório térmico, onde permanece até o momento em que será utilizada. Nas primeiras horas da manhã, os 230 litros de um reservatório encontravam-se à temperatura de 18 ºC. Ao fim de uma tarde não muito quente, a água contida no reservatório atingiu sua temperatura máxima de 35 ºC. Admitindo-se que 40% da energia solar incidente durante esse processo de aquecimento seja perdida, a energia total com que o Sol banhou o painel de aquecimento é, aproximadamente, em MJ, Dados: calor específico da água, c = 1 cal/(g.ºC) densidade da água, d = 1.103 kg/m3 1 cal = 4,2 J a) 16. b) 19. *c) 27. d) 51. e) 66.

Na figura abaixo, é mostrado um esboço do aparelho usado por Joule para determinar o “equivalente mecânico do calor” (1 cal 4J ):

Admita que o aparelho de Joule mostrado contenha 200 gramas de água ( c = 1,0 cal/(g°C)) em seu interior e que possui isolamento térmico perfeito. As massas suspensas (m = 2,0 kg ) caem 10 m , e toda a energia mecânica é convertida em calor na água. Usando esses dados, calcule o aumento na temperatura da água e marque a alternativa que apresenta o valor CORRETO (considere g = 10 m/s2). *a) 0,50 °C b) 0,20 °C c) 1,0 °C d) 1,5 °C e) 2,0 °C

japizzirani@gmail.com

9

(UFU/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: C Um resistor de resistência R = 121 , ligado a um gerador ideal de força eletromotriz = 110 V, aquece 200 g de um líquido contido em um recipiente, como mostrado na figura a seguir. O líquido possui calor específico igual a 0,5 cal/(goC). Considerando 1 cal = 4 J e que todo o calor produzido pelo resistor seja utilizado pelo líquido para aumentar sua temperatura, assinale a alternativa que apresenta o intervalo de tempo necessário para elevar a temperatura do líquido em 50 oC. a) 5,0 s b) 0,2 s *c) 200,0 s d) 25,0 s

(UTFPR-2009.2) - ALTERNATIVA: E Uma pessoa deseja perder 5,0 kg de gordura fazendo ginástica. Estime o tempo que ela precisa se dedicar à atividade física, supondo que aja um gasto de 10 kcal/min e que este consumo energético seja exclusivamente para esta quantidade de gordura. Considere que as gorduras liberem 10 kcal/g nas reações internas do corpo humano. a) 30 minutos. b) 1 hora. c) 2,5 horas. d) 3h30min. *e) 5000 minutos.

(FATEC/SP-2009.2) - ALTERNATIVA: D Na segunda metade do século XVIII, Joseph Black apresentou, com seus estudos, a distinção entre os conceitos de calor e temperatura. Verificou que quando se mistura água quente com água fria não é a temperatura que passa da água quente para a fria, é sim o calor. Sobre esses conceitos é correto afirmar que a) calor é uma forma de energia que se atribui somente aos corpos quentes. b) temperatura é energia térmica trocada entre corpos em equilíbrio térmico. c) dois corpos com massas iguais apresentam quantidades de calor iguais. *d) dois corpos em equilíbrio térmico apresentam a mesma temperatura. e) calor é uma forma de energia que não se apresenta em corpos frios. (UEM/PR-2009.2) - RESPOSTA: SOMA = 29 (01+04+08+16) São fornecidas as mesmas quantidades de calor para três massas m1, m2 e m3. A temperatura da massa m1 aumenta de uma quantidade T ºC, a temperatura da massa m2 aumenta de uma quantidade (T + 1) ºC e a temperatura da massa m3 aumenta de uma quantidade (T – 1) ºC. Com base nessas informações, assinale o que for correto. 01) Se m1 = m2, o calor específico da massa m1 é maior que o calor específico da massa m2. 02) Se m2 = m3, o calor específico da massa m2 é maior que o calor específico da massa m3. 04) Se a razão entre as capacidades térmicas das massas m1 e m2 for igual a 2, então o aumento da temperatura de m2 é de 2 ºC. 08) Se a razão entre as capacidades térmicas das massas m1 e m3 for igual a 1/2, então o aumento da temperatura de m1 é de 2 ºC. 16) Se a razão entre as capacidades térmicas das massas m2 e m3 for igual a 1/2, então o aumento da temperatura de m3 é de 2 ºC. (IF/SP-2009.2) - ALTERNATIVA: B Com frequência são utilizados ebulidores para aquecimento de líquidos, principalmente água. Eles consistem simplesmente de um resistor em um invólucro, que é alimentado por energia elétrica, havendo transformação desta em calor, o popular efeito Joule. Suponha que um destes ebulidores, de resistência elétrica 120 e alimentado por uma tensão elétrica de 120 V seja utilizado por 10 min para aquecer 1000 ml de água, cuja temperatura inicial é de 20ºC. Utilizando cágua = 4,2 kJ / kg.K, qual será a temperatura aproximada da água? a) 28ºC. *b) 37ºC. c) 48ºC. d) 42ºC. e) 53ºC.

(UFU/MG-2009.2) - RESPOSTA: a) 78 m b) 80 m Um grupo de estudantes de uma escola queria estimar a altura do prédio mais alto da cidade em que mora. Para isso, eles dispunham de 100 pequenas esferas de chumbo de massa 50 g cada, de um calorímetro, um termômetro, uma régua e uma máquina fotográfica. Realizaram, então, dois procedimentos: Procedimento 1: alguns estudantes colocaram todas as bolinhas de chumbo dentro de um saco plástico bem resistente e largaram o saco plástico, do repouso, do último andar do prédio. Ao tocar o solo, o saco plástico contendo as esferas de chumbo foi rapidamente colocado em um calorímetro, evitando-se assim perdas de calor para o meio externo. Um termômetro, acoplado ao calorímetro, indicou um aumento da temperatura média das esferas de chumbo em 6oC e, utilizando todos os dados, os estudantes estimaram a altura do prédio. Procedimento 2: outro grupo de estudantes posicionou-se na esquina e fotografou o abandono do saco plástico contendo as bolinhas de chumbo, disparando a máquina fotográfica a cada segundo após o abandono do saco plástico. Utilizando a primeira foto que tiraram (t = 1s), mediram, com a régua, a posição do saco plástico em relação ao topo do prédio e a altura do prédio. A partir desses dados, os estudantes determinaram a altura do prédio. Sabendo que o calor específico do chumbo é 130 J/(kg oC) e que a aceleração da gravidade local é 10 m/s2, responda: a) Qual a altura do prédio obtida pelos estudantes ao realizarem o procedimento 1, desprezando-se as trocas de calor entre as esferas de chumbo e as paredes internas do calorímetro? b) Qual a altura do prédio obtida pelos estudantes ao realizarem o procedimento 2 e obterem 1,5 cm para a posição do saco plástico em relação ao topo do prédio e 24 cm para a altura do prédio na primeira foto tirada?

japizzirani@gmail.com

10

tópico 3: calor latente
VESTIBULARES 2009.1
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 15 (UFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: D A água pode ser encontrada na natureza nos estados sólido, líquido ou gasoso. Conforme as condições, a água pode passar de um estado para outro através de processos que recebem nomes específicos. Um desses casos é quando ela muda do estado gasoso para o líquido. Assinale a alternativa que apresenta o nome correto dessa transformação. a) Sublimação. *d) Condensação. b) Vaporização. e) Fusão. c) Solidificação. (UFERJ/UNIRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: B A partir do 5O quadrinho, Calvin começa a se tornar líquido por um porcesso de

(CEFET/MG-2009.1) - ALTERNATIVA:D O seguinte procedimento experimental foi apresentado a três estudantes: “Aqueceu-se água num recipiente, mas sem deixá-la ferver. Retirou-se um pouco dessa água com o auxílio de uma seringa comum de injeção, conforme FIG. 1. A seguir, retirou-se a seringa e, com um dedo, vedou-se o orifício de seu bico, conforme FIG. 2. Puxou-se o êmbolo e observou-se que a água no interior da seringa entrou em ebulição.”

FIG. 1

FIG. 2

deposito do Calvin.blogspot.com

Cada estudante forneceu sua explicação para o fenômeno observado. Estudante (1): O trabalho realizado transformou-se em calor e fez a água ferver, porque o êmbolo foi movimentado rapidamente para fora da seringa. Estudante (2): A pressão sobre a água diminuiu, reduzindo sua temperatura de ebulição, quando o êmbolo foi puxado para fora da seringa. Estudante (3): Na água, há sempre oxigênio dissolvido que, no processo de ebulição, foi transformado em vapor. Analisando essas explicações, pode-se afirmar que está(ão) INCORRETA(S) apenas a(s) do(s) estudante(s) a) 1. b) 2. c) 3. *d) 1 e 3. e) 2 e 3. (UNEMAT/MT-2009.1) - ALTERNATIVA: D Numa mina subterrânea a 480m de profundidade, os trabalhadores colocaram uma determinada porção de água para ferver em um recipiente aberto. Nessa condição, espera-se que a água entre em ebulição quando atingir: a) a temperatura de 300K b) a temperatura de 100ºC c) uma temperatura inferior a 100ºC *d) uma temperatura superior a 212ºF e) a temperatura de 273K (UNESP-2009.1) - RESPOSTA: P = 5,6×102 W e V 3,5×10–1 L Em um acampamento, um grupo de estudantes coloca 0,50 L de água, à temperatura ambiente de 20 ºC, para ferver, em um lugar onde a pressão atmosférica é normal. Depois de 5,0 min, observam que a água começa a ferver, mas distraem-se, e só tiram a panela do fogão depois de mais 10 min, durante os quais a água continuou fervendo. Qual a potência calorífica do fogão e o volume de água contido na panela ao final desses 15 min de aquecimento? Despreze o calor perdido para o ambiente e o calor absorvido pelo material de que é feita a panela; suponha que o fogão forneça calor com potência constante durante todo tempo. Adote para a densidade da água: água = 1,0·kg/L. São dados: calor específico da água: cágua = 4,2·103 J/(kg·ºC); calor latente de vaporização da água: Lágua = 2,3·106 J/kg. Dê a resposta com dois algarismos significativos.

a) condensação. *b) fusão. c) sublimação. d) evaporação. e) solidificação. (IMT/MAUÁ-2009.1) - RESPOSTA: a) est. sólido fusão est. líquido b) cS = 2,00 kJ/(kg.K), cL = 4,00 kJ/(kgK) e L= 300 kJ/kg O gráfico mostra a variação da temperatura de 0,200 kg de uma substância que se encontra inicialmente na fase sólida, em função do calor recebido.

a) Descreva detalhadamente o que ocorre com essa substância durante o processo. b) Determine os calores específicos e o calor latente da substância.

japizzirani@gmail.com

11

(UFMG-2009.1) - ALTERNATIVA: C Num Laboratório de Física, faz-se uma experiência com dois objetos de materiais diferentes R e S, mas de mesma massa, ambos, inicialmente, no estado sólido e à temperatura ambiente. Em seguida, os dois objetos são aquecidos e, então, mede-se a temperatura de cada um deles em função da quantidade de calor que lhes é fornecida. Os resultados obtidos nessa medição estão representados neste gráfico:

(UNIFESP-2009.1) - ALTERNATIVA: D A sonda Phoenix, lançada pela NASA, detectou em 2008 uma camada de gelo no fundo de uma cratera na superfície de Marte. Nesse planeta, o gelo desaparece nas estações quentes e reaparece nas estações frias, mas a água nunca foi observada na fase líquida. Com auxílio do diagrama de fase da água, analise as três afirmações seguintes.

Sejam LR e LS o calor latente de fusão dos materiais R e S, respectivamente, e cR e cS o calor específico dos materiais, no estado sólido, também respectivamente. Considerando-se essas informações, é CORRETO afirmar que a) cR < cS e LR < LS . b) cR < cS e LR > LS . *c) cR > cS e LR < LS . d) cR > cS e LR > LS . (PUC/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: D O diagrama relaciona o comportamento das temperaturas celsius T e as quantidades de calor Q recebidas por três substâncias diferentes, de massas iguais, A, B e C, todas sujeitas à mesma pressão atmosférica.

I. O desaparecimento e o reaparecimento do gelo, sem a presença da fase líquida, sugerem a ocorrência de sublimação. II. Se o gelo sofre sublimação, a pressão atmosférica local deve ser muito pequena, inferior à pressão do ponto triplo da água. III. O gelo não sofre fusão porque a temperatura no interior da cratera não ultrapassa a temperatura do ponto triplo da água. De acordo com o texto e com o diagrama de fases, pode-se afirmar que está correto o contido em a) I, II e III. b) II e III, apenas. c) I e III, apenas. *d) I e II, apenas. e) I, apenas. (UNIFESP-2009.1) - RESPOSTA: a) | L | = 3,0×105 J/kg b) c = 2,0×103 J/(kgoC) 0,50 kg de uma substância a temperatura T0 = 40 ºC, na fase líquida, é colocado no interior de um refrigerador, até que a sua temperatura atinja T1 = –10 ºC. A quantidade de calor transferida em função da temperatura é apresentada no gráfico da figura.

Com base na figura, podemos afirmar que a) a substância B possui uma temperatura de fusão mais elevada do que a substância A. b) a substância B é necessariamente água pura. c) a substância B possui uma temperatura de solidificação mais elevada do que a substância A. *d) o calor de vaporização da substância B é maior do que o da substância C. e) a fase final da substância A é sólida. (UNIOESTE/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: D Analise as alternativas seguintes e assinale a correta. a) A temperatura de ebulição de um líquido é diretamente proporcional à quantidade de calor fornecida para o líquido. b) O ponto de fusão e o ponto de ebulição da água aumentam com o aumento de pressão. c) Qualquer substância libera energia ao sofrer o processo de fusão. *d) A evaporação é um processo que pode ocorrer em qualquer temperatura. e) Quando o vapor se encontra a uma temperatura maior que a sua temperatura crítica a condensação ocorre instantaneamente.

A parte do gráfico correspondente ao intervalo de -10 ºC a 2,0 ºC foi ampliada e inserida na figura, à direita do gráfico completo. Calcule: a) o calor latente específico de solidificação. b) o calor específico na fase sólida. (UNIFEI/MG-2009.1) - RESPOSTA: 320 min Muito comum em algumas regiões do país, o ebulidor é um dispositivo composto por um resistor que, quando ligado a uma tomada, funciona como um aquecedor, principalmente de água. Supondo que o ebulidor demore 4,0 minutos para aquecer de 2,0° C uma massa de 250g de água, determine por quantos minutos este dispositivo deve ficar ligado para que ele consiga mudar para a fase líquida, sem promover qualquer variação de temperatura, 0,500 kg de gelo que se encontra inicialmente na fase sólida e a 0,0° C. Dados: Calor latente de fusão do gelo: L = 80,0 cal/g; Calor específico da água: c = 1,00 cal/(g.°C).

japizzirani@gmail.com

12

(EAFI/MG-2009.1) - ALTERNATIVA OFICAL: A Basicamente, os três estados físicos da matéria são: sólido, líquido e gasoso. Acerca desses estados e da mudança de fase das substâncias, podemos afirmar: *a) para uma substância passar do estado sólido para líquido, é necessário fornecer calor a ela; esse processo se chama fusão. b) ao vaporizar uma substância, ou seja, passá-la de líquido para o estado gasoso, as ligações entre as partículas estarão, no estado gasoso, mais fortes. c) toda substância que estiver passando do seu estado líquido para o sólido, em qualquer faixa de temperatura, estará reduzindo o seu volume. d) sublimação de uma substância é a passagem do estado gasoso para o líquido. e) uma substância no estado líquido possui forma e volume definido. (OBS.: Pode-se mudar o estado físico de uma substância variando a pressão, sem fornecer calor) (UFV/MG-2009.1) - RESPOSTA: a) 2000 cal b) 40 min c) gráfico Dentro de um recipiente fechado e isolado termicamente do meio externo, encontram-se um aquecedor elétrico e um sistema constituído inicialmente de 10 g de gelo e 90 g de água coexistindo a 0 oC. O aquecedor, conectado a um circuito elétrico externo, está inicialmente desligado. Imediatamente após o aquecedor ser ligado, o referido sistema passa a absorver calor, a uma taxa constante de 50 cal/min. Sabendo-se que o calor latente do gelo é 80 cal/g e o calor específico da água líquida é 1,0 cal/g oC, e desprezando-se a capacidade térmica do recipiente, faça o que se pede: a) Determine a quantidade de calor que deverá ser absorvida do aquecedor para que o sistema atinja a temperatura de 12 oC. b) Determine o tempo necessário para que o sistema atinja essa temperatura de 12 oC. c) Esboce abaixo o gráfico correspondente à variação da temperatura da água líquida.

(VUNESP/FTT-2009.1) - ALTERNATIVA: B Um aluno obteve o seguinte gráfico ao medir as temperaturas da água destilada durante seu aquecimento.

A fase representada pelo número 3 indica que a água encontrase a) mudando de estado. *b) no estado líquido. c) em ebulição. d) em estado de fusão.

(UFPel/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: B A panela de pressão é um recipiente que tem a finalidade de cozinhar os alimentos em menos tempo. A quantidade de vapor contido dentro dela faz com que a) aumente a pressão sobre a água, fazendo com que a sua temperatura de ebulição diminua. *b) aumente a pressão sobre a água, fazendo com que a sua temperatura de ebulição aumente. c) diminua a pressão sobre a água, fazendo com que a sua temperatura de ebulição aumente. d) aumente a pressão sobre a água, fazendo com que a sua temperatura de ebulição se mantenha constante e igual a 100°C. e) diminua a pressão sobre a água, fazendo com que a sua temperatura de ebulição permaneça constante e igual a 100 °C.

(VUNESP/FMJ-2009.1) - ALTERNATIVA: A Numa aula prática de calorimetria, um professor faz a seguinte demonstração a seus alunos: apóia três esferas metálicas A, B e C de mesma massa, mas de substâncias diferentes, aquecidas a 100 ºC, sobre um bloco de gelo fundente. Verifica que para atingir o equilíbrio térmico com o gelo, a esfera C é a que derrete a maior quantidade de gelo, afundando mais, enquanto que a esfera A é a que derrete a menor quantidade de gelo.

(www4.prossiga.br/Lopes/prodcien/fisicanaescola)

A partir desse resultado, pode-se concluir que *a) a esfera C apresenta o maior calor específico das três. b) a esfera A apresenta calor específico maior que o da esfera B. c) as três esferas apresentam o mesmo calor específico. d) as esferas apresentam calor específico igual ao do gelo. e) as esferas apresentam calor específico maior que o do gelo.

(UFRN-2009.1) - RESPOSTA: a) 6,3×104J b) 3,3×105J c) 3,144×1019J Segundo pesquisadores, o aquecimento global deve-se a fatores tais como o processo de decomposição natural de florestas, o aumento da atividade solar, as erupções vulcânicas, além das atividades humanas, os quais contribuem para as alterações climáticas, com conseqüente derretimento das calotas polares e aumento do nível médio dos oceanos. Tentando simular o processo de derretimento das calotas polares em escala de laboratório, um estudante utilizou um calorímetro contendo um bloco de 1,0 kg de gelo a –30 ºC, ao qual foi adicionada certa quantidade de calor. Dados: • Quantidade de calor sensível recebido ou cedido por uma substância: Q = mc T • Quantidade de calor latente recebido ou cedido por uma substância durante uma mudança de estado físico: Q = mL • Calor específico do gelo: cg = 2,1×103 J/(kg.ºC) • Calor latente de fusão do gelo: Lfg = 3,3×105 J/kg A partir dessas informações, a) determine a quantidade de calor que deve ser adicionada ao calorímetro para elevar a temperatura do gelo de –30 ºC para 0 ºC; b) determine a quantidade de calor que deve ser adicionada ao calorímetro para transformar o gelo a 0 ºC em líquido a 0 ºC; c) considerando que, no norte da Groenlândia, a temperatura média do gelo é cerca de –30 ºC e que a massa média de gelo derretida (entre 2003 e 2007) foi de 8,0×1013 kg/ano, determine a quantidade de calor necessária para realizar, anualmente, o processo de transformação dessa quantidade de gelo em água.

japizzirani@gmail.com

13

(UDESC-2009.1) - ALTERNATIVA: A O gráfico abaixo representa a variação da temperatura de 200,0 g de água, em função do tempo, ao ser aquecida por uma fonte que libera energia a uma potência constante. Considere: cágua = 1,0 cal/(g.OC) e Lfusão gelo = 80 cal/g.

A temperatura da água no instante 135 s e o tempo que essa fonte levaria para derreter a mesma quantidade de gelo a 0OC são respectivamente: *a) 64 OC, 200 s. b) 64 OC, 100 s. c) 74 OC, 80 s. d) 74 OC, 200 s. e) 74 OC, 250 s. (UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: E Uma amostra de uma substância é aquecida com um aquecedor que gera calor com potência constante. A amostra da substância, inicialmente sólida, funde-se e depois é vaporizada. A variação da temperatura das fases sólida (s), líquida ( ) e gasosa (g) da amostra em função do tempo é colocada na forma do gráfico de temperatura T versus tempo t da figura ao lado. Examinando o gráfico, podemos afirmar a respeito dos calores específicos da substância nas fases sólida (cs), líquida (c ) e gasosa (cg): a) cs > cg > c b) cs < cg = c c) cs = c = cg d) cs < c < cg *e) c > cs > cg

(UECE-2009.1) - ALTERNATIVA: B Observando o diagrama de fase P × T mostrado a seguir. Pode-se concluir, corretamente, que uma substância que passou pelo processo de sublimação segue a trajetória a) X ou Y. P *b) Y ou U. c) U ou V. líquido sólido d) V ou X.

vapor

T

(UFJF/MG-2009.1) - RESPOSTA: a) Q = 1,2×103 J (1157,12 J) b) h = 0,90 cm (0,87 cm) Um cubo de chumbo, de aresta a = 2,0 cm, inicialmente à temperatura T = 100°C, é colocado sobre uma barra muito grande de gelo, a 0°C. Admitindo que o calor transferido do cubo de chumbo seja todo absorvido pelo gelo e que a temperatura de equilíbrio térmico seja 0°C, calcule: Dados: chumbo= 11,3 × 103 kg/m3; cchumbo= 128 J/kg°C; Lgelo= 333,5 kJ/kg; água= 1,000 × 103 kg/m3 a) a quantidade de calor cedida pelo cubo de chumbo ao gelo. b) a profundidade h que o cubo afunda no gelo.

japizzirani@gmail.com

14

VESTIBULARES 2009.2
(PUC/DF-2009.2) - RESPOSTA: 1,0 kW O ser humano é um animal homeotérmico, possuindo a capacidade de manter a temperatura corporal em torno de 36,5oC. A perda de calor para o ambiente ocorre por meio de três mecanismos básicos: condução, irradiação e transpiração. O mecanismo de transpiração é ativado quando a temperatura da pele atinge 37oC. Principal via de perda de calor, a transpiração aproveita-se do alto valor do calor de vaporização da água de 2.400 kJ/ kg a 37oC para transferir grandes quantidades de calor para o ambiente. Quando não se está realizando atividade física, a perda de água por meio da transpiração corresponde a algumas centenas de gramas por dia. Em casos extremos, a perda pode ser de até 1,5L de água por hora. Nessa situação, determine a taxa média de perda de calor por meio da transpiração em kW (quilowatts) para uma pessoa com massa de 85 kg. Dado que a massa específica da água = 1000 kg/m3. (VUNESP/UNICID-2009.2) - ALTERNATIVA: C Um processo térmico disponibiliza para o interior de um calorímetro 20 kcal de energia. No calorímetro, encontra-se um bloco de gelo de massa 400 g, inicialmente à temperatura de –10 ºC. Dados: Lfusão do gelo = 80 cal/ºC cgelo = 0,5 cal/(g.ºC) cágua = 1 cal/(g.ºC) dágua = 1 g/mL Quando atingir o equilíbrio térmico, supondo-se a capacidade térmica do calorímetro desprezível, pode-se esperar que em seu interior se encontre a) gelo, à temperatura abaixo de 0 ºC. b) apenas gelo, à temperatura de 0 ºC. *c) gelo e água, à temperatura de 0 ºC. d) apenas água, à temperatura de 0 ºC. e) água, à temperatura acima de 0 ºC. (UNIMONTES/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: C Mesmo em um dia quente e com a água aquecida (30 ºC, por exemplo), sentimos um pouco de frio ao sairmos de uma piscina. A sensação de frio também ocorre quando molhamos o corpo no chuveiro frio, antes de entrarmos na piscina. Entre as alternativas abaixo, assinale a única afirmativa que poderia explicar CORRETAMENTE os fatos citados a respeito da nossa sensação térmica quando em contato com a água. a) A água sempre está a uma temperatura mais baixa que a do meio ambiente. b) O calor específico da água é muito pequeno. *c) A água evapora-se da pele, removendo o calor do corpo. d) A capacidade térmica da água é muito pequena. (CEFET/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: B Um resistor de 10 é submetido a uma diferença de potencial elétrico de 100 V. Se ele for imerso em um recipiente isolado termicamente, contendo 100 gramas de água a uma temperatura inicial de 20 oC, então, o tempo aproximado para que a água evapore completamente será igual a a) 2 min 16 s. Dados: *b) 4 min 8 s. 1,0 cal = 4,0 J c) 8 min 4 s. calor específico da água = 1,0 cal/(g.°C) d) 16 min 2 s. calor latente de vaporização = 5,4 x 102 cal/g e) 32 min 0 s. (CEFET/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: B A grandeza física, que classifica os materiais quanto à sua variação de temperatura em função do calor absorvido ou cedido, é a(o) a) calor latente. d) absorção térmica. *b) calor específico. e) transmissão térmica. c) emissão térmica.

(UFOP/MG-2009.2) - RESPOSTA: a) 7,0 kcal b) 27,4 kcal c) gráfico Tem-se 200 g de determinada substância que se quer aquecer até 100 °C. Considerando-se que a substância encontra-se inicialmente a uma temperatura de –1°C e possui as características transcritas abaixo, resolva as questões propostas. Ponto de fusão = 5 °C Ponto de ebulição = 80 °C Calor específico da fase sólida = 2 cal/(g°C) Calor específico da fase líquida = 0,8 cal/(g°C) Calor específico da fase gasosa = 1,5 cal/(g°C) Calor latente de fusão = 10 cal/g Calor latente de vaporização = 25 cal/g a) Determine a quantidade total de calor latente (de fusão e de vaporização) fornecida à substância durante todo o processo de aquecimento até 100 °C. b) Encontre a quantidade de calor total que se deve fornecer à substância para atingir a temperatura desejada. c) Esboce a curva de aquecimento da substância. (UFOP/MG-2009.2) - RESPOSTA: a) (sólido + líquido) e (líquido) b) 2,5 kcal c) 5,0 kcal O gráfico mostrado a seguir representa a variação de temperatura em função do tempo de um sistema constituído inicialmente por um pedaço de gelo de 500 g a –10 ºC.

Baseando-se nesse gráfico, faça o que se pede. a) Descreva o estado físico do sistema entre os instantes 5 s e 40 s e entre os instantes 40 s e 45 s. b) Se o calor específico do gelo é de 0,5 cal/(g°C), calcule a quantidade de calor absorvida pelo gelo entre os instantes 0 s e 5 s. c) Se o calor específico da água é de 1,0 cal/(g°C), calcule a quantidade de calor absorvida pela água entre os instantes 40 s e 45 s. (UEM/PR-2009.2) - RESPOSTA: SOMA = 11 (01+02+08) Analise as seguintes afirmativas: I. Em uma panela de pressão, a água pode atingir uma temperatura superior a 100 ºC, sem entrar em ebulição. II. Uma garrafa cheia de cerveja pode estourar quando colocada em um congelador, pois a água da cerveja aumenta de volume ao se solidificar. III. Em uma panela comum, a água pode entrar em ebulição a uma temperatura menor que 100 ºC, desde que o experimento seja feito em um local onde a pressão atmosférica seja menor que 1 atm. IV. O aumento na pressão provoca uma diminuição na temperatura de fusão das substâncias. Dessas afirmativas, estão corretas 01) I e II. 02) II e III. 04) III e IV. 08) I e III. 16) II e IV.

japizzirani@gmail.com

15

tópico 4: sistema termicamente isolado
VESTIBULARES 2009.1
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 18 (VUNESP/UNINOVE-2009.1) - ALTERNATIVA: C Na cavidade de um grande bloco de gelo fundente a 0 ºC é depositado um pedaço de 200 g de certo metal a 80 ºC. Observa-se a formação de 25 g de água ao ser atingido o equilíbrio térmico. O calor latente de fusão do gelo é de 80 cal/g. O calor específico do metal vale, em cal/(g.ºC), a) 0,025. b) 0,05. *c) 0,125. d) 0,25. e) 0,50. (FUVEST/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: C Um trocador de calor consiste em uma serpentina, pela qual circulam 18 litros de água por minuto. A água entra na serpentina à temperatura ambiente (20ºC) e sai mais quente. Com isso, resfria-se o líquido que passa por uma tubulação principal, na qual a serpentina está enrolada. Em uma fábrica, o líquido a ser resfriado na tubulação principal é também água, a 85 ºC, mantida a uma vazão de 12 litros por minuto. Quando a temperatura de saída da água da serpentina for 40 ºC, será possível estimar que a água da tubulação principal esteja saindo a uma temperatura T de, aproximadamente, a) 75 ºC b) 65 ºC *c) 55 ºC d) 45 ºC e) 35 ºC

(FGV/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: A Como não ia tomar banho naquele momento, um senhor decidiu adiantar o processo de enchimento de seu ofurô (espécie de banheira oriental), deixando-o parcialmente cheio. Abriu o registro de água fria que verte 8 litros de água por minuto e deixou-o derramar água à temperatura de 20 ºC, durante 10 minutos. No momento em que for tomar seu banho, esse senhor abrirá a outra torneira que fornece água quente a 70 ºC e que é semelhante à primeira, despejando água na mesma proporção de 8 litros por minuto sobre a água já existente no ofurô, ainda à temperatura de 20 ºC. Para que a temperatura da água do banho seja de 30 ºC, desconsiderando perdas de calor para o ambiente e o ofurô, pode-se estimar que o tempo que deve ser mantida aberta a torneira de água quente deve ser, em minutos, *a) 2,5. b) 3,0. c) 3,5. d) 4,0. e) 4,5. (UNIFESP-2009.1) - ALTERNATIVA: E O gráfico mostra as curvas de quantidade de calor absorvido em função da temperatura para dois corpos distintos: um bloco de metal e certa quantidade de líquido.

O bloco de metal, a 115 ºC, foi colocado em contato com o líquido, a 10 ºC, em um recipiente ideal e isolado termicamente. Considerando que ocorreu troca de calor somente entre o bloco e o líquido, e que este não se evaporou, o equilíbrio térmico ocorrerá a a) 70 ºC. b) 60 ºC. c) 55 ºC. d) 50 ºC. *e) 40 ºC. (UTFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: E Em um recipiente isolado termicamente são misturados 500 g de água fervente (100OC) com 500 g de gelo (0OC). A temperatura de equilíbrio térmico, em OC, é: Dados: cágua = 1 cal/(gOC) e Lfusão = 80 cal/g. a) 35 b) 50 c) 60 d) 20 *e) 10 (UFSCar/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: D Encerrado o trabalho, o cinegrafista pensou num banho... Desconsiderando perdas de calor para o corpo da banheira e para o ar, a mistura de 60 litros de água, inicialmente a 80 ºC, com certa quantidade de água a 20 ºC, resultaria em uma temperatura de 40 ºC. Conhecidos o calor específico da água, 1 cal/ (g.ºC), a densidade da água, 1 kg/L, a quantidade de água a 20 ºC a ser despejada, em litros, seria a) 80. b) 90. c) 100. *d) 120. e) 140. (FEI/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: D Um tanque de resfriamento de água possui 1 000 kg de água a 60 °C. Deseja-se resfriar rapidamente esta água até 20 °C acrescentando-se gelo a 0 °C. Qual é a massa de gelo que deve ser colocada no tanque? Dados: calor latente de fusão do gelo L = 80 cal/g calor específico da água c = 1,00 cal/(g°C) a) 80 kg b) 100 kg c) 200 kg *d) 400 kg e) 600 kg (UNIOESTE/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: A Deseja-se resfriar 20 litros de chá, inicialmente a 90ºC, até atingir a temperatura de 20ºC. Para atingir este objetivo é colocado gelo, a 0ºC, juntamente com o chá num recipiente termicamente isolado. Considerando para o chá a mesma densidade e o mesmo calor específico da água, a quantidade de gelo que deve ser misturada é Dados: *a) 14 kg Densidade da água: 1,00 x 103 kg m–3 b) 15,4 kg c) 17,5 kg Calor específico da água: c = 1 cal g–1 ºC–1 d) 140 g Calor latente de fusão do gelo: 80 cal g–1 e) 17,5 g

japizzirani@gmail.com

16

(VUNESP/FMJ-2009.1) - RESPOSTA: c = 0,80 cal/(g.oC) Num calorímetro ideal, são misturados 300 g de um líquido a 80 ºC com 700 g do mesmo líquido a 20 ºC e, após alguns minutos, eles entram em equilíbrio térmico a uma temperatura . Em seguida, o calorímetro é aberto, e o sistema passa a perder calor para o ambiente, que está a uma temperatura constante de 15 ºC, até entrar em equilíbrio térmico com ele.

(UFT/TO-2009.1) - ALTERNATIVA: D Um cubo de certo material metálico com 5cm de lado, e temperatura de 100 oC é imerso em um recipiente cilíndrico de diâmetro 10cm com água a 25 oC. O nível inicial da água no recipiente antes da imersão do cubo é 20cm. O recipiente não perde calor para o ambiente. Desprezando a variação de volume da água e do material com a variação de temperatura, a temperatura final após o equilíbrio térmico é, aproximadamente: Dados: densidade do material = 1600 [kg/m3], densidade da água = 1000 [kg/m3], calor específico do material = 418 [J/(kg.K)] e calor específico da água = 4,18 [kJ/(kg.K)].

Sabendo que desde a abertura do calorímetro até ser atingido o equilíbrio térmico com o ambiente o sistema perdeu 18 400 cal, determine o calor específico do líquido, em cal/(g.ºC). (UFC/CE-2009.1) - ALTERNATIVA: B Três recipientes A, B e C contêm, respectivamente, massas m, m 2 e m 4 de um mesmo líquido. No recipiente A, o líquido encontra-se a uma temperatura T; no recipiente B, a uma temperatura T 2; no recipiente C, a uma temperatura T 4. Os três líquidos são misturados, sem que haja perda de calor, atingindo uma temperatura final de equilíbrio Tf . Assinale a alternativa que contém o valor correto de Tf . a) T 2. *b) 3T 4. c) 3T 8. d) 5T 16. e) 2T 3. (VUNESP/UNICISAL-2009.1) - ALTERNATIVA: C Um calorímetro contém 200 g de água a 25 ºC. É depositado, em seu interior, um bloco metálico de 100 g de massa a 95 ºC, observando-se o equilíbrio térmico a 30 ºC. Considerando o sistema isolado do meio externo, 1,0 cal/(g.ºC) o calor específico da água e 0,20 cal/(g.ºC) o calor específico do metal, a capacidade térmica do calorímetro vale, em cal/ºC, a) zero. b) 8,0. *c) 60. d) 140. e) 280. (UFAL/AL-2009.1) - ALTERNATIVA: A Um recipiente contém 1 kg de um líquido em equilíbrio térmico a uma temperatura de 30 oC. Despejam-se nesse recipiente 2 kg desse mesmo líquido, a uma temperatura de 50 oC. Quando o novo equilíbrio térmico é atingido, a temperatura final do sistema líquido + recipiente é de 40 oC. Sabendo que o calor específico do líquido vale 4000 J/(kg.oC), pode-se concluir que a capacidade térmica do recipiente vale: *a) 4000 J/oC d) 4800 J/oC b) 4190 J/oC e) 4890 J/oC c) 4200 J/oC

a) 50 oC. b) 52 oC. c) 37 oC. *d) 26 oC. (UFJF/MG-2009.1) - RESPOSTA: a) (C+100)(Te-10) = 100(30-Te) b) C = 50 cal/oC Um recipiente metálico, isolado termicamente, pode ser usado como calorímetro. Com esse objetivo, é preciso determinar primeiramente a capacidade térmica C do calorímetro, o que pode ser feito com o seguinte procedimento: I - colocam-se 100 g de água fria no interior do recipiente. Medese a temperatura de equilíbrio térmico de 10ºC. II - adicionam-se mais 100 g de água, à temperatura de 30ºC, no interior do recipiente. A nova temperatura de equilíbrio é de Te. Dados: cH O = 1 cal/(g°C) 2 a) Admitindo que seja desprezível o fluxo de calor do calorímetro para o ambiente, escreva uma equação para o equilíbrio térmico do tipo Qcedido = Qrecebido, onde apareçam a temperatura de equilíbrio Te e a capacidade térmica C do calorímetro. b) Calcule, utilizando a equação que você escreveu no item a), a capacidade térmica do calorímetro, considerando Te = 18 ºC. (UFBA-2009.1) - RESOLUÇÃO NO FINAL DA QUESTÃO Para determinar o calor latente de fusão do gelo, um grupo de estudantes realiza um experimento que consiste em resfriar um volume de água usando-se cubos de gelo. Em um recipiente, colocam-se 10 litros de água, à temperatura de 60oC, e, depois, adicionam-se cubos de gelo, cada um de massa igual a 100g, à temperatura de 0oC. Após serem colocados 40 cubos, a temperatura de equilíbrio atinge 20oC. Supondo que não há perdas de calor e considerando a densidade absoluta da água igual a 1kg/litro, e o calor específico, 1cal/ (goC), escreva — identificando todos os termos — a expressão referente às trocas de calor e calcule o valor do calor latente de fusão do gelo. RESOLUÇÃO UFBA-2009.1: Sistema isolado: QA + QG = 0 (QA é o calor cedido pela água quente e QG o calor recebido para fundir o gelo e aquecer a água resultante) [QA = mAcA(T - TA) e QG = mGLG + mGcA(T - TG)] mA = 10 kg, mG = 4 kg, T = 20oC, TA = 60oC e TG = 0oC LG = 80 kcal/kg

japizzirani@gmail.com

17

(UESPI-2009.1) - ALTERNATIVA: D Três esferas maciças idênticas, feitas de ferro, são colocadas no interior de um calorímetro ideal. Inicialmente, as temperaturas das esferas são respectivamente iguais a 30 oC, 50 oC e 70 oC. Qual será a temperatura das esferas quando o sistema atingir o equilíbrio térmico? a) 20 oC *d) 50 oC b) 30 oC e) 60 oC o c) 40 C (UFES-2009.1) - ALTERNATIVA: B Um vasilhame isolado termicamente contém 996,8g de água a 20,00 oC. Uma amostra metálica de 100,0g de ouro, a 100,0 oC, é inserida no vasilhame. Sabendo que o calor específico do ouro é 0,03200 cal/(gºC), calcule a temperatura de equilíbrio no interior do vasilhame. A resposta CORRETA é a) 10,26 ºC. d) 40,26 ºC. *b) 20,26 ºC. e) 50,26 ºC. c) 30,26 ºC. (UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: D Dentro de uma garrafa térmica há meio litro de água a uma temperatura de 20 oC. Se adicionarmos 200 ml de água a 50 oC dentro dessa garrafa, a temperatura final da água será aproximadamente: (dados: 1 g de água equivale a 1 ml de água; cágua= 1 cal/(goC)): a) 35,0 oC. *d) 28,5 oC. b) 30,0 oC. e) 43,6 oC c) 35,8 oC.

VESTIBULARES 2009.2
(UNIFOR/CE-2009.2) - ALTERNATIVA: B Um calorímetro de capacidade térmica 50 cal/°C contém 200 g de água, estando inicialmente a 60 °C. Derramam-se no seu interior 300 g de um certo líquido a 85 °C juntamente com 80 g de gelo a –20 °C. Com o experimento realizado ao nível do mar, obteve-se, no equilíbrio térmico, a temperatura final de 35 °C. Nestas condições, o calor específico do líquido, em cal/(g.°C), vale Dados: a) 0,20. Calor específico da água = 1,0 cal/(g.°C) *b) 0,25. Calor específico do gelo = 0,50 cal/(g.°C) c) 0,30. Calor latente de fusão do gelo = 80 cal/g d) 0,35. e) 0,40.

sistema termicamente não isolado
(MACKENZIE/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: A Um calorímetro de capacidade térmica 6 cal/OC contém 80 g de água (calor específico = 1cal/g.OC) a 20OC. Ao se colocar um bloco metálico de capacidade térmica 60 cal/OC, a 100OC, no interior desse calorímetro, verificou-se que a temperatura final de equilíbrio térmico é 50OC. A quantidade de calor perdida para o ambiente, nesse processo, foi de *a) 420 cal d) 270 cal b) 370 cal e) 220 cal c) 320 cal (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA OFICIAL: SOMA = 05 (01+04) Dois corpos com temperaturas diferentes são colocados em contato, de tal forma que ocorre uma transferência de calor de um para outro. Sobre este evento, assinale o que for correto. 01) No contato entre os dois corpos ocorre calor por condução. 02) A superfície do corpo mais frio recebe calor e se aquece, e o calor é transferido para seu interior por convecção. 04) No instante em que os corpos têm suas temperaturas equilibradas, cessa o calor. 08) Na irradiação de calor do corpo mais aquecido para o menos aquecido ocorre transferência de matéria entre eles. 16) Só ocorrerá equilíbrio da temperatura entre os dois corpos quando as quantidades de calor deles forem iguais. (UFOP/MG-2009.1) - RESPOSTA: a) 22,14oC b) 21,95oC Para resolver os itens abaixo, considere os seguintes dados: calor específico do ferro 0,12cal/g.oC, calor específico da água 1,0cal/ g.oC e temperatura ambiente 20,0oC. a) 100,0g de água, à temperatura de 20,0oC, são colocados em um calorímetro ideal. Em seguida, 100,0g de agulhas de ferro a 40oC são colocados também no calorímetro. Determine a temperatura final de equilíbrio no interior do calorímetro. b) Se o calorímetro não fosse ideal e perdesse 10% da energia em seu interior para a vizinhança, qual seria a nova temperatura final?

(UNEMAT/MT-2009.2) - ALTERNATIVA: E Um calorímetro de capacidade térmica desprezível contém em seu interior 400 gramas de água a 25ºC. Foi introduzido no interior desse calorímetro um corpo sólido de massa igual a 100 g e à temperatura de 100ºC. A temperatura de equilíbrio do sistema é de 30ºC. Logo, com os dados acima, pode-se dizer que o calor específico da substância que constitui o sólido é: (dado cÁgua= 1,0 cal/(gºC)) a) 0,189 cal/(gºC) b) 0,201 cal/(gºC) c) 0,198 cal/(gºC) d) 0,209 cal/(gºC) *e) 0,285 cal/(gºC) (UFG/GO-2009.2) - RESPOSTA: 81,5 g A temperatura típica de uma tarde quente em Aruanã, cidade do estado de Goiás, situada às margens do rio Araguaia, é de 37 oC. Os banhistas, nas areias do rio Araguaia, usam cubos de gelo para resfriar um refrigerante que se encontra à temperatura ambiente. Em um recipiente de isopor (isolante térmico de capacidade térmica desprezível) são adicionados 300 ml do refrigerante. Calcule qual deve ser a mínima quantidade de gelo a ser adicionada ao refrigerante para reduzir sua temperatura a 12 oC. Considere que o calor específico e a densidade de massa do refrigerante sejam iguais aos da água. Dados: cágua = 1 cal/(g.oC) e Lgelo = 80 cal/g. (UNIMONTES/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: B Um calorímetro de capacidade térmica desprezível contém uma substância de massa 200g e calor específico 0,200 cal/(goC), na temperatura de 60,0 oC. Adiciona-se nesse calorímetro uma massa de 100g e calor específico de 0,120 cal/(goC), à temperatura de 30,0 oC. A temperatura de equilíbrio será de, aproximadamente, a) 25,1 oC. *b) 53,1 oC. c) 45,7 oC. d) 70,9 oC. (MACKENZIE-2009.2) - ALTERNATIVA: C A massa total da mistura de gelo em fusão e água no estado líquido, à temperatura de 0 oC, contida no interior de um calorímetro ideal de capacidade térmica desprezível, é de 200 g. Ao colocarmos, no interior desse calorímetro, 400 g de água liquida à temperatura de 100 oC, o equilíbrio térmico se estabelece em 30 oC. A massa de gelo, na mistura inicial, era de a) 135 g b) 225 g Dados: Calor específico da água líquida = 1 cal/(g.ºC) *c) 275 g Calor latente de fusão da água = 80 cal/g d) 295 g e) 315 g

japizzirani@gmail.com

18

(UDESC-2009.2) - RESPOSTA: a) 4,0 oC b) 200 s c) 125 g Sabendo que, para a água, o calor específico é 1,0 cal/(goC) em seu estado líquido e é 0,5 cal/(goC) em seu estado sólido, e o calor latente de fusão é 80 cal/g, considere os seguintes processos: Processo I Dentro de uma garrafa térmica com 400 g de água à temperatura de 25 oC, colocam-se 100 g de gelo à temperatura de 0 oC, e aguarda-se até que o sistema entre em equilíbrio. Processo II Dentro de uma garrafa térmica com 500 g de água à temperatura de 20 oC, coloca-se dentro da água um ebulidor elétrico que fornece 200 calorias por segundo, liga-se este e aguarda-se até que a água entre em ebulição. Processo III Dentro de uma garrafa térmica com 500 g de água líquida à temperatura de 20 oC, colocam-se 200 g de gelo à temperatura de 0 o C. O sistema atinge a temperatura de equilíbrio quando há uma mistura de água líquida e gelo. Calcule: a) a temperatura de equilíbrio no processo I; b) o tempo gasto no processo II; c) a quantidade de gelo que é transformada em água, no processo III. (UDESC-2009.2) - RESPOSTA: 0,8 kg O aquecimento global está provocando mudanças significativas no planeta. Só para se ter uma idéia, no estado norte-americano do Alasca, vilarejos estão afundando, devido ao derretimento da camada congelada do subsolo. Isso provoca desequilíbrio ecológico, contribui para o aumento da quantidade de insetos, do número de incêndios florestais e gera a escassez do gelo – esses são alguns dos sinais mais óbvios e assustadores de que o Alasca está ficando mais quente. Para simular esta situação imagine um recipiente isolado contendo um bloco de 2 Kg de gelo em equilíbrio térmico (T = 0°C) com 1 Kg de água em estado líquido; nesse mesmo recipiente, você adiciona 100 g de vapor de água a uma temperatura de 100°C. Após adicionado o vapor, o sistema atinge novamente o equilíbrio permanecendo gelo mais água em estado líquido (sem trocas de calor com o meio externo). Dados: Calor específico da água = 4200 J/Kg.K; Calor de fusão da água = 333 × 103 J/Kg; Calor de vaporização da água = 2256 × 103 J/Kg. Determine a quantidade de gelo derretida. (UEM/PR-2009.2) - RESPOSTA: SOMA = 03 (01+02) Considere dois blocos A e B, com temperaturas iniciais de 200 °C e 20 °C respectivamente, fechados em um sistema isolado e que só trocam calor entre si. (Dados: cchumbo= 130 J/(kg .°C) e cvidro = 840 J/(kg .°C)) Assinale a(s) alternativa(s) correta(s). 01) Haverá troca de calor entre os corpos, mas a energia do sistema permanecerá constante. 02) A temperatura final de equilíbrio dependerá das massas dos corpos. 04) Em dois experimentos diferentes, em que, no primeiro, os corpos A e B são placas de chumbo de massas iguais a 10 g cada e, no segundo, os corpos A e B são placas de vidro de massas iguais a 20 g cada, a temperatura final de equilíbrio será diferente nos dois experimentos. 08) O processo de troca de calor entre os dois corpos é um processo reversível. 16) Em dois experimentos diferentes, em que, no primeiro, os corpos A e B são placas de chumbo e vidro, respectivamente, com massas iguais a 10 g cada e, no segundo, os corpos A e B são placas de vidro e chumbo, respectivamente, com massas iguais a 10 g cada, a temperatura final de equilíbrio será igual nos dois experimentos.

(UNESP-2009.2) - ALTERNATIVA: D Uma cozinheira, moradora de uma cidade praiana, não dispunha de um termômetro e necessitava obter água a uma temperatura de 60 ºC. Resolveu, então, misturar água fervendo com água proveniente de um pedaço de gelo que estava derretendo. Considere o sistema isolado, ou seja, que a troca de calor só se estabeleceu entre as quantidades de água misturadas e, ainda, que a cozinheira usou a mesma xícara nas suas medições. A cozinheira só chegaria ao seu objetivo se tivesse misturado uma xícara da água a 0 ºC com a) três xícaras de água fervendo. b) duas xícaras e meia de água fervendo. c) duas xícaras de água fervendo. *d) uma xícara e meia de água fervendo. e) meia xícara de água fervendo.

japizzirani@gmail.com

19

tópico 5: transmissão de calor
VESTIBULARES 2009.1
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 24

(PUC/PR-2009.1) - ALTERNAITVA: E O granizo é a precipitação sólida de grânulos de gelo, transparentes ou translúcidos, de forma esférica ou irregular, raramente cônica, de diâmetro igual ou superior a 5 mm. O granizo é formado nas nuvens do tipo “cumulonimbus”, as quais se desenvolvem verticalmente, podendo atingir alturas de até 1.600 m. Em seu interior ocorrem intensas correntes ascendentes e descendentes. As gotas de chuva provenientes do vapor condensado no interior dessas nuvens, ao ascenderem sob o efeito das correntes verticais, congelam-se assim que atingem as regiões mais elevadas. O granizo causa grandes prejuízos à agricultura. No Brasil, as culturas de frutas de clima temperado, como uva, maçã, pêra, pêssego, kiwi, são as mais vulneráveis ao granizo, quando ocorre o desfolhamento total das plantas com ferimentos severos nos frutos. Dentre os danos materiais provocados pela chuva de granizo está a destruição de telhados, especialmente quando construídos com telhas de amianto. As cooperativas de fruticultores podem realizar parcerias com as instituições de meteorologia e adquirir foguetes para bombardearem as nuvens de granizo com substâncias higroscópicas (iodeto de prata), com o objetivo de provocar a precipitação da chuva e evitar a formação de granizo. Com base no texto, assinale a alternativa CORRETA. a) A formação de nuvens cumulonimbus ocorre como consequência da corrente de convecção, quando a ascensão de ar frio determina o seu resfriamento e as conseqüentes condensações e precipitações. b) O granizo, em seu processo de formação, envolve a sublimação, pelo resfriamento, do excesso de H2O em estado líquido. c) O granizo é um tipo de precipitação atmosférica na qual as gotas de água evaporam, quando levadas para camadas mais frias e mais altas, e crescem gradativamente até atingir tamanho e peso capazes de romper a força de empuxo. Essa ação pode causar grandes danos econômicos e sociais. d) O iodeto de prata é uma substância higroscópica (absorve umidade) que acaba provocando no granizo vaporização. *e) Ocorre um instante em que a resultante das forças no granizo é diferente de zero e em direção e sentido à terra, iniciando o movimento de queda.

(UFCG/PB-2009.1) - ALTERNATIVA: A O El Niño é um fenômeno ambiental da atmosfera do planeta de grandes proporções. As condições de pressão e temperatura são essenciais para a sua ocorrência. O desenho seguinte é um esquema da circulação atmosférica sobre o Oceano Pacífico entre o Continente Australiano e a região próxima à costa do Peru. O fluxo de superfície mostrado no desenho representa o movimento das massas de ar sobre a superfície do Pacífico.

(UFTM/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: D Analise as afirmações relativas a trocas de calor: I. Quando você observa que uma peça feita em alumínio teve sua temperatura aumentada, é certo concluir que essa peça absorveu calor. II. Nos meios fluidos, líquidos ou gasosos, a única forma possível de realizarem-se trocas de calor é por convecção. III. A única forma de se obter calor por irradiação é por meio de ondas eletromagnéticas que, devido a sua natureza, não necessitam de meio material para se propagar. IV. Ao tocar a maçaneta de metal e a madeira da porta, você tem sensações térmicas diferentes ainda que ambas estejam à mesma temperatura, devido às diferentes propriedades de condução térmica desses materiais. É certo apenas o que consta em a) I e II. b) I e III. c) II e IV. *d) I, III e IV. e) II, III e IV.

Em relação às condições climáticas dessa região, presentes na promoção do El Niño, pode-se afirmar que *a) a subida de grandes massas de ar nas proximidades do oceano, na costa do Peru, revela uma zona de alta temperatura. b) nas proximidades do oceano, no Continente Australiano, a pressão atmosférica deve ser muito baixa o que justifica a direção do fluxo de superfície. c) nas proximidades da superfície do oceano, na costa do Peru, a pressão atmosférica deve ser muito alta o que justifica a direção do fluxo de superfície. d) o ar nas proximidades do oceano, na costa do Peru, deve ter temperaturas muito baixas. e) o fluxo de superfície dá-se de uma região de temperaturas muito altas para regiões de temperaturas muito baixas.

japizzirani@gmail.com

20

(UFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: E A equação que descreve o espectro de radiação emitido por um corpo negro foi descoberta por Max Planck em 1900, sendo posteriormente chamada de Lei da Radiação de Planck. Ao deduzir essa equação, Planck teve que fazer a suposição de que a energia não poderia ter um valor qualquer, mas que deveria ser um múltiplo inteiro de um valor mínimo. O gráfico abaixo mostra a intensidade relativa da radiação emitida por um corpo negro em função do comprimento de onda para três diferentes temperaturas. A região visível do espectro compreende os comprimentos de onda entre 390 nm e 780 nm, aproximadamente, que correspondem às cores entre o violeta e o vermelho.

(UTFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: E Um dos pontos turísticos mais visitados de Curitiba é o Jardim Botânico. O Portal de entrada, formado por arcos metálicos, emoldura a vista dos jardins geométricos. Ao fundo fica a estufa, uma estrutura feita de vidro e metal que guarda os traços arquitetônicos do antigo Palácio de Cristal de Londres. Nesta estufa, a ______ atravessa as paredes de vidro e é _____ por diversos corpos. Posteriormente, essa energia é emitida na forma de _____ que não atravessa(m) o vidro. Dessa maneira, o ambiente interno mantém-se aquecido, simulando as condições da mata atlântica.

Indique a alternativa que, ordenadamente, preenche de forma corretaas lacunas do texto acima. a) luz solar, refletida, radiação ultravioleta b) radiação ultravioleta, transmitida, energia térmica c) luz solar, transmitida, radiação ultravioleta d) radiação infravermelha, refletida, radiação eletromagnética *e) energia radiante, absorvida, raios infravermelhos

Com base nessas informações e no gráfico acima, considere as seguintes afirmativas: 1. A Lei da Radiação de Planck depende da temperatura do corpo negro e do comprimento de onda da radiação emitida. 2. O princípio de funcionamento de uma lâmpada incandescente pode ser explicado pela radiação de corpo negro. 3. Para a temperatura de 3000 K, a maior parte da radiação emitida por um corpo aquecido está na faixa do infravermelho. Assinale a alternativa correta. a) Somente a afirmativa 1 é verdadeira. b) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras. c) Somente as afirmativas 1 e 3 são verdadeiras. d) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras. *e) As afirmativas 1, 2 e 3 são verdadeiras.

(UNEMAT/MT-2009.1) - ALTERNATIVA: E Considere uma chapa metálica de cobre de 4 cm de espessura e 1 m2 de área de secção, cujas faces são mantidas a 120 ºC e 20 ºC. Determine a quantidade de calor que atravessa a referida chapa durante 1 hora. Dado: Coeficiente de condutibilidade térmica do cobre é de 320 Kcal/(h.m.ºC) a) 80 x 108 Kcal b) 0,9 x 108 Kcal c) 8 x 109 Kcal d) 90 x 108 Kcal *e) 8 x 105 Kcal

(UTFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: C Numa manhã de verão, uma cozinheira inexperiente retira do congelador doméstico dois pacotes de um mesmo produto, a fim de preparar um deles para o almoço e o outro para o jantar. Com a intenção de apressar o processo de degelo do primeiro pacote, envolve-o completamente com um grosso cobertor de lã retirado do armário. Duas horas depois, a cozinheira se surpreende ao perceber que o estado de degelo do segundo pacote, que ficou simplesmente exposto ao ar ambiente, está mais adiantado que o do primeiro. Analise os argumentos listados e selecione aquele que justifica o resultado verificado pela cozinheira. a) O coeficiente de calor específico da lã é menor que o coeficiente de condutividade térmica do gelo. b) O coeficiente de calor específico da lã é menor que o do gelo. *c) O coeficiente de condutividade térmica da lã é menor que o do ar. d) O coeficiente de condutividade térmica da lã é menor que o calor específico do gelo. e) O coeficiente de calor específico da lã é menor que o calor de fusão do gelo.

(UEM/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 11 (01+02+08) Considere um fio cilíndrico de cobre, reto e homogêneo, de 2,0 mm de raio e 0,1 m de comprimento e de condutividade térmica igual a 400 W/m.K. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s). 01) Considerando desprezíveis as possíveis variações nas dimensões do fio, quando há fluxo de calor atravessando o fio, esse depende linearmente da diferença de temperatura entre as extremidades do mesmo. 02) Fixada a diferença de temperatura entre as extremidades do fio, se o raio do fio for duplicado, o fluxo de calor será quadruplicado. 04) O fluxo de calor que passa através do fio é 20 W, quando a diferença de temperatura entre as suas extremidades for 30 ºC. 08) Fixada a diferença de temperatura entre as extremidades do fio, ao dobrar o comprimento do fio, o fluxo de calor cai pela metade. 16) Fixada a diferença de temperatura entre as extremidades do fio, a transferência de calor no fio é feita pelo processo de convecção. OBS.: Faltou especificar, no enunciado, que o fio está termicamente isolado na face lateral.

japizzirani@gmail.com

21

(UFPB-2009.1) - ALTERNATIVA: E Ao trabalhar com alguns utensílios quando preparava uma comida, a dona da casa questionou: “Estranho isso! Quando coloco minha mão direita nesta travessa de alumínio e a mão esquerda sobre estes panos secos, tenho sensações diferentes: a travessa está mais fria. Por que isso acontece, se tanto um como o outro estão sobre este balcão numa mesma temperatura?” A explicação para a curiosidade desta dona de casa é: a) A dona de casa jamais poderia estar espantada com esta situação, pois esta sensação só seria possivel se a travessa de alumínio estivesse em temperatura inferior à dos panos secos. b) A travessa de alumínio e os panos secos estão numa mesma temperatura, mas os últimos são melhores condutores de calor. c) A travessa de alumínio e os panos secos estão numa mesma temperatura, mas a dona de casa estava em temperatura diferente de ambos. d) A travessa de alumínio e os panos secos estão numa mesma temperatura, porém a travessa, por ser um bom isolante térmico, impede que o calor seja transmitido para o balcão. *e) A travessa de alumínio e os panos secos estão numa mesma temperatura, mas a travessa é melhor condutora de calor. (UEPB-2009.1) - ALTERNATIVA: B Num dia de sol intenso, com o intuito de diminuir a intensidade da radiação solar que penetra em sua cozinha, através de uma porta de vidro transparente, a dona de casa decidiu abri-la. Com base nesta atitude, analise as seguintes proposições: I - Ela foi feliz com tal procedimento, porque a intensidade da radiação solar na cozinha diminuiu, já que os raios solares são concentrados na cozinha pela porta de vidro. II - Ela foi feliz com tal procedimento, porque a intensidade da radiação solar diminuiu devido à convecção solar provocada pela radiação. III - Ela não teve sucesso com este procedimento, pois ao abrir a porta de vidro, parte da luz solar que antes era refletida, agora não é mais, assim a intensidade da radiação solar no interior da cozinha aumentou. IV - Ela não teve sucesso, uma vez que a intensidade da radiação solar no interior de sua cozinha permanece constante. Das proposições acima apresentadas, está(ão) correta(s): a) Somente I *b) Somente III c) Somente II d) Somente IV e) Somente I e II (UFPR-2009.1) - RESPOSTA: Q = 8,82 kJ Em um laboratório, a porta de um pequeno freezer teve de ser removida para conserto e no lugar dela, como improviso, colocou-se uma tampa de isopor de 5,0 cm de espessura e área de 0,35 m2, que fechou completamente o freezer. A temperatura no interior do freezer era de –10 °C e a temperatura do laboratório era de 25 °C. Considere a condutividade térmica do isopor igual a 0,020 W/(m.°C). Determine a quantidade de calor transferido pela tampa de isopor durante 30 min, que foi o tempo para consertar a porta. (PUC/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: C Para melhorar o desempenho térmico de seu refrigerador (convencional) doméstico, um indivíduo tomou três medidas: I. Distribuiu os alimentos nas prateleiras, cuidando para que sobrassem espaços vazios entre eles, com a conseqüente circulação de ar frio para baixo e de ar quente para cima. II. Diminuiu o intervalo de tempo em que a porta do refrigerador era mantida aberta. III. Manteve a camada de gelo nas paredes do congelador bem espessa para fortalecer as trocas de calor internas. Considerando teorias da Física, a(s) ação/ações correta(s) é/são a) a I, apenas. b) a II, apenas. *c) a I e a II, apenas. d) a II e a III, apenas. e) a I, a II e a III.

(UFSC-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 07 (01+02+04) O uso racional das fontes de energia é uma preocupação bastante atual. Uma alternativa para o aquecimento da água em casas ou condomínios é a utilização de aquecedores solares. Um sistema básico de aquecimento de água por energia solar é composto de coletores solares (placas) e reservatório térmico (boiler), como esquematizado na figura abaixo.

Em relação ao sistema ilustrado da figura acima, assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S). 01. A água circula entre os coletores e o reservatório térmico através de um sistema natural, por convecção. A água dos coletores fica mais quente e, portanto, menos densa que a água no reservatório. Assim a água fria “empurra” a água quente gerando a circulação. 02. Os canos e as placas dentro do coletor devem ser pintados de preto para uma maior absorção de calor por irradiação térmica. 04. As placas coletoras são envoltas em vidro transparente que funciona como estufa, permitindo a passagem de praticamente toda a radiação solar. Esta radiação aquece as placas que, por sua vez, aquecem o ar no interior da estufa, formando correntes de convecção, sendo que este ar é impedido de se propagar para o ambiente externo. 08. Em todo o processo de aquecimento desse sistema, não há transferência de calor por condução. 16. Como a placa coletora está situada abaixo do reservatório térmico, o sistema acima descrito só funcionará se existir uma bomba hidráulica que faça a água circular entre os dois. 32. A condução de calor só ocorre nas placas, pois são metálicas, mas não na água. (UNESP-2009.1) - RESPOSTA: t = 3,0 s As constantes termodinâmicas da madeira são muito variáveis e dependem de inúmeros fatores. No caso da condutividade térmica (km), um valor aceitável é km = 0,15 W/(m·ºC), para madeiras com cerca de 12% de umidade. Uma porta dessa madeira, de espessura d = 3,0·10–2 m e área S = 2,0 m2, separa dois ambientes a temperaturas de 20 ºC e 30 ºC. Qual o intervalo de tempo necessário para que 300 J de calor atravessem essa porta, de um ambiente para outro, supondo que, durante a transferência de calor, as temperaturas dos ambientes não se alterem? Expressão do fluxo de calor, em unidades do SI: Q onde t é o tempo e t = k.S. T d, T e a variação de temperatura.

(UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 06 (02+04) Calor é energia térmica em trânsito, que se transfere sempre da temperatura mais alta para a mais baixa. Sobre este assunto, assinale o que for correto. 01) O isolamento térmico impede que o calor se propague por condução. 02) O calor por irradiação se processa por meio de ondas eletromagnéticas, com predominância de raios infravermelhos. 04) O calor por convecção se processa por meio da transferência de energia térmica através dos movimentos de fluidos. 08) O ar é um bom condutor de calor.

japizzirani@gmail.com

22

(UFV/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C É comum termos sensações diferentes, de quente e frio, quando tocamos com a mão objetos em equilíbrio térmico entre si, dentro de uma sala. Em relação à afirmativa acima, é CORRETO dizer que: a) é falsa, pois a quantidade de calor trocada entre cada um dos objetos e a mão é diferente já que, neste caso, os objetos se encontram a temperaturas diferentes. b) é falsa, pois se um objeto parece mais quente em relação ao outro, então eles não estão em equilíbrio térmico. *c) é verdadeira, pois a quantidade de calor trocada entre cada um dos objetos e a mão pode ser diferente se os dois objetos tiverem condutividades térmicas diferentes. d) é verdadeira, pois a quantidade de calor trocada entre cada um dos objetos e a mão é sempre igual se eles estiverem em equilíbrio térmico. = KA(T1 – T2) L b) T = (2T1 + T2) 3 Uma barra cilíndrica reta metálica, homogênea, de comprimento L , com seção transversal A , isolada lateralmente a fim de evitar perda de calor para o ambiente, tem suas duas extremidades mantidas a temperaturas T1 e T2, T1 >T2. Considere que o regime estacionário tenha sido atingido. a) Escreva a expressão do fluxo de calor por condução, sabendo-se que esse fluxo é proporcional à área da seção transversal e à diferença de temperatura entre os extremos da região de interesse ao longo da direção do fluxo e inversamente proporcional à distância entre tais extremos. b) Determine a temperatura de um ponto da barra localizado a uma distância L/3 da extremidade de maior temperatura em função de T1 e T2. (CEFET/PI-2009.1) - ALTERNATIVA: D O efeito estufa, que acontece na atmosfera terrestre, é explicado pela presença de vapor de água e gás carbônico na atmosfera fazendo com que esta retenha grande parte das ondas emitidas pelos objetos da superfície terrestre, impedindo que sejam enviados para o espaço. Este efeito está relacionado com a: a) radiação térmica ou convecção térmica b) condução térmica c) convecção térmica *d) radiação térmica e) radiação térmica ou condução térmica (UNIFEI/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B (RESOLUÇÃO NO FINAL DA QUESTÃO) A estrela mais próxima da Terra, o Sol, apresenta coloração alaranjada quando observada da superfície terrestre. O que aconteceria com o Sol caso sua temperatura aumentasse? a) Sua cor tenderia a ficar mais avermelhada. *b) Sua cor tenderia a ficar mais esverdeada. c) Não seria mais visto pelos olhos humanos já que emitiria somente na freqüência do infravermelho. d) Sua cor não mudaria. RESOLUÇÃO UNIFEI/ MG-2009.1: Aumentando-se a temperatura de um corpo o pico da energia radiada por ele torna-se com um comprimento de onda menor, portanto, com freqüência maior, veja a figura ao lado. (UFC/CE-2009.1) - RESPOSTA: a)

(UNIMONTES/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B Imagine uma sala onde a temperatura ambiente seja 15 oC. Todos os objetos que estão em seu interior apresentam a mesma temperatura, ou seja, estão em equilíbrio térmico a 15 oC. O corpo humano, por sua vez, independentemente da temperatura do ambiente, apresenta sempre a mesma temperatura de 36,5 oC. Se alguém toca dois objetos dessa sala, um de madeira e outro de metal, por exemplo, o objeto de metal parecerá estar mais frio que o de madeira. Agora imagine que esses mesmos objetos fiquem expostos ao Sol por um tempo suficiente para atingirem uma temperatura superior à do nosso corpo. Ao toque humano, parecerá então que o metal está mais quente que a madeira. Essa diferença de percepção ocorre porque a) objetos de madeira e metal nunca têm a mesma capacidade térmica. *b) objetos de madeira e metal possuem condutividades térmicas diferentes. c) objetos de madeira e metal possuem o mesmo calor específico. d) objetos de madeira e metal possuem a mesma condutividade térmica.

japizzirani@gmail.com

23

VESTIBULARES 2009.2
(UFMS-2009.2) - RESPOSTA: SOMA = 021 (001+004+016) Um cozinheiro deseja aquecer um litro de água que está na temperatura ambiente, até uma temperatura inferior à temperatura de ebulição. Para isso, utiliza como fonte de calor uma grande chapa de ferro de um fogão, que é mantida sempre numa temperatura constante e superior à temperatura em que deseja aquecer a água. O cozinheiro resolve aplicar dois métodos diferentes, usando duas panelas idênticas, A e B. Na panela A, coloca um litro de água na temperatura ambiente To, enquanto que, na outra panela, coloca apenas meio litro de água também na temperatura ambiente To . Em seguida, as coloca simultaneamente sobre a chapa quente para serem aquecidas. Após um certo tempo, retira-as simultaneamente da chapa, e o litro de água da panela A está a uma temperatura TA, e o ½ litro de água da panela B está a uma temperatura TB. Em seguida, completa-se na panela B, mais ½ litro de água na temperatura ambiente, e a mistura homogênea atinge o equilíbrio térmico na temperatura TC, veja a figura. Considere as duas panelas com as mesmas características térmicas, e que, durante o aquecimento, o calor foi transferido apenas por condução da chapa para as panelas, e que em todos os processos não houve perdas de calor para outras vizinhanças. Com fundamentos nos processos de convecção e condução de calor, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

(IF/SP-2009.2) - ALTERNATIVA OFICIAL: C Analise com atenção as afirmativas a seguir. I. Quando um corpo A está em equilíbrio térmico com um corpo B e B está em equilíbrio com outro corpo C, então os corpos A e C estarão também em equilíbrio térmico. II. O efeito do calor fornecido às substâncias é produzir aumento de temperatura. III. Nos fluidos o calor se propaga por convecção. Das afirmativas anteriores, estão corretas e completas a) apenas a I e a II. b) a I, a II e a III. *c) apenas a I e a III. d) somente a I. e) somente a II.

(001) A taxa de calor, que é transferida da panela A para a água, é maior que a taxa de calor que étransferida da panela B para a água. (002) Como a panela A possui o dobro do volume de água da panela B, ao retirar as duas simultaneamente da chapa, a temperatura TA da água (1 litro), que está na panela A, é a metade da temperatura da água (0,5 litro) que está na panela B. (004) Após complementar a panela B com mais 0,5 litro de água, na temperatura ambiente, a temperatura de equilíbrio TC será menor que a temperatura TA. (008) A taxa de calor que é transferida da panela A para a água, isto é, Q t, é sempre constante enquanto a água está sendo aquecida, porque a temperatura da chapa é constante. (016) Se um misturador mantivesse a distribuição de temperatura, na água, homogênea, e sem acontecer perdas de calor para as vizinhanças durante o aquecimento, mais calor seria transferido para a água no mesmo intervalo de tempo se não houvesse misturador. (UEM/PR-2009.2) - RESPOSTA: SOMA = 22 (02+04+16) Analise as afirmativas abaixo: I. Não existe transferência de calor no vácuo. II. A energia térmica se propaga nos sólidos, principalmente, por condução. III. Quanto maior a temperatura de um corpo, maior a quantidade de radiação emitida por ele. IV. Corpos escuros são melhores absorvedores e melhores emissores que os corpos claros. Dessas afirmativas, estão corretas 01) I e II. 02) II e III. 04) III e IV. 08) III e I. 16) II e IV.

japizzirani@gmail.com

24

tópico 6: dilatação térmica (sólidos, líquidos, corpo oco e água)
VESTIBULARES 2009.1
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 28

(UFU/MG-2009.1) - RESPOSTA: 1V; 2F; 3V; 4V Considere duas barras metálicas, A e B, de comprimentos LoA e LoB a uma dada temperatura o, com coeficientes de dilatação linear A e B, respectivamente. Nessa condição, o comprimento da barra A é 0,01 % maior do que o comprimento da barra B, conforme figura abaixo.

DILATAÇÃO DOS SÓLIDOS
(VUNESP/UNICID-2009.1) - ALTERNATIVA: B Um espelho esférico de 10 cm de foco é colocado a 30 cm de um anteparo, no qual é fixado um arame de 14 cm (m = 10 g, c = 0,14 J/g°C e = 10–5°C–1) com uma lâmpada de 50 W na extremidade, como mostra a figura. O espelho e o anteparo são fixos. Com base nessas informações, marque para as alternativas abaixo (V) Verdadeira ou (F) Falsa. 1 ( ) Para que as duas barras tenham o mesmo comprimento ao serem aquecidas, é necessário que B seja maior do que A. 2 ( ) Conhecendo-se os valores de A, B, LoA, LoB e o, a temperatura na qual as duas barras terão o mesmo comprimento é dada por LoB - LoA = o+ LoA B - LoB A 3 ( ) Se o coeficiente de dilatação linear da barra A for igual a 5 x 10–6 oC–1, ao se aumentar a temperatura da barra em 100 oC, o seu comprimento irá aumentar 0,05%. 4 ( ) Se A for maior do que B, é possível que as duas barras tenham o mesmo comprimento ao serem esfriadas ( < o). (FEI/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: B Em uma estrutura metálica, foi verificado que duas vigas de aço de 12 m cada estavam dispostas na mesma linha horizontal, muito próximas uma da outra. As duas vigas estavam com as extremidades opostas engastadas (presas) e o engenheiro verificou que, caso a temperatura aumentasse, poderia haver empenamento da estrutura. De acordo com a norma, a estrutura deverá resistir a temperaturas de até 70 °C. Se o coeficiente de dilatação linear da viga é = 12 . 10–6 °C–1, qual deve ser a mínima distância entre as vigas para que não ocorra o empenamento, sabendo-se que a temperatura do local durante a montagem da estrutura é de 20 °C? a) 2,88 mm *b) 14,4 mm c) 7,20 mm d) 2,40 mm e) 12,0 mm (UFV/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A Duas barras, 1 e 2, possuem coeficientes de dilatação linear 1 e , respectivamente, sendo 1 > 2. A uma certa temperatura To 2 os comprimentos das duas barras são iguais a Lo. O gráfico que melhor representa o comprimento das barras em função da temperatura é:

Supondo que todo calor dissipado pela lâmpada seja absorvido pelo arame, a sua imagem ficará nítida no anteparo após a) 100 s. d) 400 s. *b) 200 s. e) 500 s. c) 300 s. (CEFET/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: E Uma barra de zinco e outra de alumínio de mesmo comprimento, L0 = 100,00 cm, à temperatura de 20 °C, estão soldadas como mostra a figura. Coeficientes de dilatação linear = 26 x 10-6 OC–1 Zn = 22 x 10-6 OC–1 Al A barra formada por esses materiais, ao ser aquecida até 220°C, apresentará um comprimento final, Lf , em metros, igual a a) 2,0044. b) 2,0048. c) 2,0052. d) 2,0069. *e) 2,0096. (UEM/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 08 (08) Em relação à condução de calor em sólidos e em líquidos, assinale a(s) alternativa(s) correta(s). 01) Devido às diferenças dos coeficientes de dilatação dos metais, o termostato é formado por duas lâminas do mesmo metal. 02) O termômetro de mercúrio funciona adequadamente bem devido ao fato de o coeficiente de dilatação do mercúrio ser muito menor que o coeficiente de dilatação do vidro. 04) A dilatação volumétrica ( V) de um sólido depende somente do coeficiente de dilatação volumétrico do sólido. 08) Uma lâmina quadrada de alumínio, com coeficiente de dilatação superficial igual a 4,8 × 10–5 oC–1 e de 10,0 cm de lado, quando aquecida de 0,0 oC a 20,0 oC, sofre uma dilatação superficial de 0,096 cm2. 16) A densidade de uma esfera metálica aumenta quando a esfera é aquecida. (UNIFEI/MG-2009.1) - RESPOSTA: 50 oC A 0,0 °C o comprimento de uma barra de cobre é 1,0041 m e o de uma barra de alumínio é 1,0038 m. São conhecidos os coeficientes de dilação linear do alumínio e do cobre: 2,4 × 10––5 °C–1 e 1,8 × 10–5 °C–1, respectivamente. A que temperatura os comprimentos das duas barras serão iguais?

*a)

b)

c)

d)

japizzirani@gmail.com

25

(UFRGS/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: A De maneira geral, pode-se afirmar que os corpos sólidos dilatam-e ao serem aquecidos. Para fins práticos, e dependendo da forma do corpo, muitas vezes o estudo da dilatação pode restringir-se à avaliação da dilatação linear do corpo. Assim, uma barra de determinado metal, com comprimento L0 à temperatura ambiente, sofre uma variação L no seu comprimento quando submetida a uma variação de temperatura T. O gráfico abaixo mostra o comportamento da razão L / L0 para essa barra, em função da variação da temperatura T.

(UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A (Veja observação no final) Uma barra de metal foi submetida a uma variação de temperatura, e o comprimento da barra em função da temperatura foi colocado no gráfico ao lado. Determine o coeficiente de dilatação do metal. *a) 1,70 x 10–5 °C–1 b) 3,40 x 10–5 °C–1 c) 8,50 x 10–6 °C–1 d) 1,70 x 10–3 °C–1 e) 3,40 x 10–3 °C–1 OBS.: Como o enunciado não fez referência se é , ou , a alternativa B também é correta.

DILATAÇÃO DOS LÍQUIDOS

Quando um disco do mesmo metal, de área A0 à temperatura ambiente, é submetido à uma variação de temperatura T, sua área sofre uma variação A. * Assinale o gráfico que melhor representa o comportamento da razão A / A0 desse disco, em função da variação da temperatura T.

*

(UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 11 (01+02+08) Num balão de vidro graduado como o que mostra a figura abaixo é colocado um líquido até uma determinada graduação, a uma temperatura 0, e o sistema é submetido a variações de temperatura. Sobre este evento, assinale o que for correto. 01) Se o sistema for aquecido, o volume de líquido será acrescido de uma variação de volume aparente, ou seja, que não é real. 02) Se o sistema for aquecido, o coeficiente de dilatação real do líquido será a soma do coeficiente de dilatação aparente do líquido com o coeficiente de dilatação do balão de vidro. 04) Se o sistema for resfriado, o volume do balão de vidro diminuirá mais que o volume do líquido, fazendo com que a nova graduação seja menor que a inicial. 08) Sendo o coeficiente de dilatação do líquido igual ao coeficiente de dilatação do balão de vidro, se o sistema for aquecido, o nível do volume inicial do líquido não sofrerá alteração. 16) Se o sistema for aquecido a ponto de o líquido extravasar, o volume extravasado será real. (UFG/GO-2009.1) - RESPOSTA: TS = 17 oC Por medida de economia e conservação da qualidade de alguns alimentos, um supermercado instalou um sistema de refrigeração que funciona da seguinte forma: ao atingir uma temperatura superior TS, ele é ligado, ao ser reduzida para uma temperatura inferior T , é desligado. Esse sistema, composto por um tubo cii líndrico fechado de área AO acoplado a um bulbo em sua parte inferior, é preenchido com mercúrio e tem dois contatos metálicos separados por uma distância h, conforme a figura. Desprezando a dilatação térmica do recipiente, calcule a temperatura TS quando o sistema é ligado.

Dados: AO = 1,0×10–7 m2 VO = 1,0×10–5 m3 Ti = 12 oC h = 6,0 cm
Hg

= 120×10–6 oC–1

VO japizzirani@gmail.com 26

(UFU/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A A tabela abaixo apresenta o coeficiente de dilatação volumétrica ( ) de algumas substâncias. Já, as quatro retas (A, B, C e D) do gráfico representam o volume (V) de uma determinada substância (não necessariamente as substâncias da tabela) em função de sua temperatura (T). As retas B e C são paralelas.

DILATAÇÃO DO CORPO OCO E DA ÁGUA
(UFABC/SP-2009.1) - RESPOSTA: D = 20,08 cm Uma placa metálica de espessura desprezível tem um orifício circular e está encaixada horizontalmente num cone de madeira, como mostra a figura. À temperatura de 20 °C, a distância do plano que contém a placa ao vértice do cone é 20 cm.

Cruzando as informações fornecidas pela tabela e pelo gráfico, marque a alternativa correta. *a) Se a reta D representar a glicerina, então a reta C pode representar o álcool etílico ou o petróleo. b) Se a reta B representar o álcool etílico, então a reta C pode representar o mercúrio ou a glicerina. c) As retas C e D representam uma única substância. d) A reta A pode representar qualquer uma das substâncias da tabela.

A placa é, então, aquecida a 100 °C e, devido à dilatação térmica, ela escorrega até uma nova posição, onde ainda continua horizontal. Sendo o coeficiente de dilatação linear do material da placa igual a 5 x 10–5 °C–1 e desconsiderando a dilatação do cone, determine, em cm, a nova distância D do plano que contém a placa, ao vértice do cone, a 100 °C.

(UDESC-2009.1) - RESPOSTA: a) 1,65 cm b) 480 L c) 0,6 mm A tabela abaixo apresenta os valores dos coeficientes de dilatação de alguns materiais. Material Alumínio Cobre Aço Concreto Material Álcool etílico Gasolina Glicerina Mercúrio Coeficiente de dilatação linear (°C–1) 24 x 10–6 17 x 10–6 11 x 10–6 12 x 10-6 Coeficiente de dilatação Volumar(°C-1) 1,12 x 10–4 9,60 x 10–4 4,85 x 10–4 1,82 x 10–4

Com base nessa tabela, resolva as questões abaixo: a) Em uma região, onde é normal ocorrerem grandes variações de temperatura, foi construída uma passarela de aço. À temperatura de 15 °C o comprimento da passarela é igual a 50 m. Qual a variação de comprimento dela, num dia em que a temperatura passa de 15 °C para 45 °C? b) Uma carreta que transporta combustível foi carregada com 20 mil litros de gasolina em uma cidade do Sudeste do Brasil, num dia em que a temperatura era igual a 35 °C (mesma temperatura da gasolina). Qual a perda de volume, por efeito de contração térmica, que essa carga apresenta quando descarregada no Sul do Brasil, a uma temperatura de 10 °C? c) Placas quadradas de concreto, com largura igual a 1,0 m, são utilizadas na construção de uma calçada para pedestres. Sabendo-se que essas chapas ficarão sujeitas a variações de temperatura que podem chegar a 50 °C, calcule a dimensão mínima das juntas de dilatação que devem ser deixadas entre uma placa de concreto e outra.

(UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA OFICIAL: SOMA = 09 (01+08) A uma certa temperatura, um pino metálico se ajusta perfeitamente num orifício de uma placa metálica. A respeito deste evento, assinale o que for correto. 01) Sendo o coeficiente de dilatação do pino maior que o da placa, se ocorrer o resfriamento apenas do pino, ele passará com folga pelo orifício. 02) Sendo iguais os coeficientes de dilatação da placa e do pino, se ocorrer o resfriamento apenas da placa, o pino passará com folga pelo orifício. 04) Sendo o coeficiente de dilatação do pino menor que o da placa, se os dois forem resfriados, o pino não passará pela placa. 08) Sendo o coeficiente de dilatação da placa menor que o do pino, se ocorrer o aquecimento apenas da placa, o pino passará com folga pelo orifício.

japizzirani@gmail.com

27

(UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 25 (01+08+16) Sobre a fenomenologia do calor, assinale o que for correto. 01) A temperatura em que a água apresenta densidade máxima é 4 oC. 02) A quantidade de calor necessária para alterar a temperatura de uma unidade de massa de qualquer substância é sempre a mesma. 04) Para qualquer temperatura, o volume do estado sólido de uma determinada substância é maior que o volume dessa substância no estado líquido. 08) Mantendo-se constante a temperatura do gelo, é possível torná-lo líquido sem a doação de calor. 16) O ponto tríplice constitui a única condição de temperatura e pressão em que as fases sólida, líquida e de vapor coexistem em equilíbrio. (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 14 (02+04+08) Com poucas exceções, todas as substâncias se dilatam ou se contraem quando recebem ou doam calor. A respeito deste fenômeno, assinale o que for correto. 01) A dilatação de substâncias só depende da variação da temperatura. 02) Com exceção dos gases, todas as substâncias que são submetidas a uma mesma quantidade de calor se dilatam com valores diferentes. 04) Para os sólidos, o coeficiente de dilatação volumétrico é três vezes maior do que o coeficiente de dilatação linear. 08) Ao receber calor, a água a 0 oC (gelada) primeiramente se contrai para depois se dilatar.

VESTIBULARES 2009.2 DILATAÇÃO DOS SÓLIDOS
(UNEMAT/MT-2009.2) - ALTERNATIVA: C Uma esfera metálica de 12 cm de raio e = 1,8.10–5 ºC–1 é aquecida de – 30ºC a uma temperatura t, e seu raio se dilata 0,6 mm. Com os dados acima, pode-se dizer que após a variação de temperatura, o valor de t será aproximadamente de: a) 200,50ºC b) 280,57ºC *c) 247,77ºC d) 268,27ºC e) 289,28ºC (IF/CE-2009.2) - ALTERNATIVA: E Uma barra de aço de comprimento L0 = 0,700 m é encaixada praticamente sem folga em uma cavidade lubrificada, como mostra a figura. A temperatura inicial da barra é de 20,0 ºC e seu coeficiente de dilatação linear é = 12,0 x 10–6 ºC–1. Quando uma das extremidades da barra é mantida fixa e a outra é puxada por uma força T, seu comprimento se altera de acordo com a equação L = L0 1 +

ÿ

, com f = 6,00 × 107 N (f < 0 se T

comprime a barra). Supondo-se que a cavidade não se deforma, a força horizontal que a barra exerce sobre a parede da cavidade à direita, para uma temperatura de 22,0 ºC, é igual a a) 1220 N b) 1420 N T c) 1620 N d) 1520 N *e) 1440 N (UNIMONTES/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: A Uma barra metálica possui comprimento igual a 40,125 cm, a 20 ºC, e 40,148 cm, a 45,0 ºC. O valor do seu coeficiente de dilatação linear médio para esse intervalo de temperatura é, aproximadamente, *a) 2,3 × 10–5 ºC–1. b) 3,2 × 10–5 ºC–1. c) 1,3 × 10–5 ºC–1. d) 3,1 × 10–5 ºC–1. (PUC/PR-2009.2) - ALTERNATIVA: E Em uma régua feita em alumínio, a distância de separação entre as marcações da escala milimetrada é de 1,0 mm, à temperatura de 20 oC. Se a régua for utilizada em um ambiente cuja temperatura é de 40 oC, qual o acréscimo que o milímetro da escala da régua (distância de separação) sofrerá se ela estiver em equilíbrio térmico com o ambiente? O coeficiente de dilatação térmica linear do alumínio é de 24 × 10–6 oC–1. a) 2,8 × 10–5 mm b) 1,5 × 10–3 mm –2 c) 2,4 × 10 mm d) 9,6 × 10–4 mm –4 *e) 4,8 × 10 mm (UFV/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: A Uma linha de trem feita com trilhos de uma liga de aço está sendo construída em uma região de variações extremas de temperatura. O comprimento dos trilhos é de 3 m quando medido a uma temperatura de – 20 °C. Sabendo-se que a linha de trem deve funcionar em temperaturas entre – 20 °C e 40 °C e que o coeficiente de dilatação térmica do aço é = 10 × 10–6 °C–1, a alternativa que representa CORRETAMENTE a menor distância de separação entre os trilhos é: *a) 2,0 mm b) 1,5 mm c) 1,0 mm d) 0,5 mm

japizzirani@gmail.com

28

(VUNESP/UFTM-2009.2) - RESPOSTA: a) 1 < 2 b) 40 × 10–6 m = 0,04 mm O par bi-metálico é amplamente usado como controlador de temperatura.

DILATAÇÃO DOS LÍQUIDOS
(UFG/GO-2009.2) - RESPOSTA: V = 1,0 L No verão, na cidade de Goiânia, há uma variação de temperatura entre o dia e a noite de aproximadamente 20 oC. Um morador da cidade aproveita a baixa temperatura da noite para abastecer seu automóvel, e o faz até completar o tanque de 50 litros. Esse automóvel permanece desligado até às 12 horas do outro dia quando a temperatura está alta. Sabe-se que a gasolina possui coeficiente de dilatação volumétrica de 1,0 × 10–3 oC–1. Desprezando a dilatação do tanque de combustível e considerando as condições expostas, calcule o volume de gasolina que transbordará pelo suspiro do tanque do carro desse morador.

Em determinado par bi-metálico, duas lâminas metálicas estreitas, feitas de materiais distintos e de comprimentos iniciais iguais a 0,1 m, são presas por parafusos atarraxados em ambas extremidades. A extremidade da esquerda é rigidamente afixada a um suporte horizontal, enquanto a outra, na temperatura em que foi constituído o par, fecha um circuito elétrico. a) Desejando-se que, ao ser aumentada a temperatura, o par bimetálico empene para cima, escreva a relação mantida entre os coeficientes de dilatação do material da lâmina 1, 1, e da lâmina 2, 2. Justifique sua resposta. b) Suponha que o material da lâmina 1 fosse o alumínio, cujo coeficiente de dilatação linear vale Al = 22.10–6 ºC–1, e que o material da lâmina 2 fosse o zinco, cujo coeficiente de dilatação linear é Zn = 26.10–6 ºC–1. Considerando que o conjunto sofra uma variação de temperatura de 100 ºC, determine quanto seria, em módulo, a diferença entre as variações de comprimento das lâminas 1 e 2.

DILATAÇÃO DO CORPO OCO E DA ÁGUA
(PUC/RS-2009.2) - ALTERNATIVA: D A água apresenta um comportamento incomum entre 0 e 4 oC: nesse intervalo de temperatura, enquanto a temperatura diminui, a água se expande, ao contrário do que acontece, em geral, com outras substâncias. Esse comportamento permite a sobrevivência da fauna e flora aquáticas durante o inverno. No gráfico que segue, o volume da substância água é relacionado com a sua temperatura em graus celsius (oC).

A propósito das informações anteriores, afirma-se: I. Em temperatura ambiente acima de 4 oC, a água no fundo do lago apresentará temperatura mais baixa do que a da superfície. II. Em temperatura ambiente inferior a 0 oC, a água ficará congelada na superfície e líquida em profundidades maiores, pois o gelo da superfície isola termicamente as águas mais profundas. III. Em qualquer temperatura ambiente, a temperatura da água será a mesma em todas as profundidades. A(s) afirmativa(s) correta(s) é/são, apenas, a) I. b) II. c) III. *d) I e II. e) II e III. (CEFET/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: A Uma placa de material metálico apresenta um orifício de pequenas dimensões. Ao ser aquecida, sua superfície ____________ e o orifício _______________. Os termos da opção que preenchem, corretamente, as lacunas são: *a) dilata, dilata. b) dilata, contrai. c) contrai, contrai. d) não se altera, dilata. e) contrai, não se altera.

japizzirani@gmail.com

29

tópico 7: transformações gasosas
VESTIBULARES 2009.1
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 34 (PUC/RJ-2009.1) - RESOLUÇÃO NO FINAL DA QUESTÃO Uma máquina térmica que pode ter uma eficiência extremamente alta é a Máquina de Stirling. Este tipo de máquina é fácil de construir, de modo que alguns modelos simples podem ser feitos até com latas vazias de alimentos. Nessas máquinas, o gás (que pode ser aproximado como um gás ideal) passa por um ciclo (desenhado no gráfico pressão versus volume abaixo). Esse ciclo consiste de dois processos isotérmicos e dois processos a volume constante (isocóricos).

(UFF/RJ-2009.1) - ALTERNATIVA: B Uma amostra de um gás ideal sofre a seqüência de processos descrita pelo gráfico pressão versus temperatura mostrado.

a) diminui no trecho AB, permanece constante no trecho BC, aumenta no trecho CD; *b) aumenta no trecho AB, permanece constante no trecho BC, diminui no trecho CD; c) aumenta no trecho AB, diminui no trecho BC, permanece constante no trecho CD; d) permanece constante no trecho AB, aumenta no trecho BC, diminui no trecho CD; e) permanece constante no trecho AB, aumenta no trecho BC, permanece constante no trecho CD. (UFERJ/UNIRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: D

Exploração e Produção do Pré-sal.
a) Dados os processos AB, BC, CD e DA, indique quais são isotérmicos e quais são isocóricos. b) Calcule as pressões em B e em C, como função da pressão atmosférica patm. c) Calcule a razão entre as temperaturas TA / TC. RESOLUÇÃO OFICIAL PUC/RJ-2099.1: a) Os processos isocóricos são BC e DA. Os processos isotérmicos são, portanto, AB e CD. b) Como TB = TA e TC = TD, temos que pB VB = pA VA pB 2V0 = 3patm V0 pB = 3patm 2, e pC VC = pD VD pC 2V0 = patm V0 pC = patm 2. c) Temos TA TC = TA TD = pA VA pD VD = 3patm V0 patm V0 = 3. (PUC/RJ-2009.1) - ALTERNATIVA: D 0,5 moles de um gás ocupam um volume V de 0,1 m3 quando a uma temperatura de 300 K. Qual é a pressão do gás a 300 K? Considere R = 8,3 J/mol.K. a) 830 Pa b) 1245 Pa c) 1830 Pa *d) 12450 Pa e) 18300 Pa (UNICENTRO/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: B Uma pessoa mergulhada em uma piscina solta uma bolha de ar quando ela está a 2,0m de profundidade, e a bolha sobe até a superfície da água. Considere que a temperatura do ar que forma a bolha se mantém constante durante a subida. Qual das opções seguintes melhor representa o gráfico da pressão do ar da bolha em função de seu volume à medida que a bolha sobe? a) *b) c) d) e) “As reservas de gás do campo de Tupi podem chegar a 1,6 bilhão de barris, de acordo com a Petrobras.”
Gazeta Mercantil

Embora a notícia acima seja alvissarira, ela não é clara do ponto de vista termodinâmico. Isto porque não são fornecidos os valores da pressão e da temperatura, para os quais é calculado o volume do gás. Admita que um volume desse gás é coletado no pré-sal a uma temperatura de 57OC e a uma pressão de 275 atm e que esta quantidade de gás é liberada ao nível do mar a uma temmperatura de 27OC. Pode-se afirmar que, para calcular o volume do gás liberado ao nível do mar, deve-se multiplicar o volume inicial de gás coletado, pelo fator a) 625. b) 500. c) 375. *d) 250. e) 125. (UFOP/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A Experimento - Medida da pressão, P, em N/m2, exercida por um gás ideal, mantido a volume constante, V, em função da temperatura absoluta, T.

O volume, V, do gás, mantido constante, durante o experimento equivale a: *a) 8,3 litros b) 8,3 mililitros c) 8,3 metros cúbicos d) 8,3 milímetros cúbicos

japizzirani@gmail.com

30

(FUVEST/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: D Em um “freezer”, muitas vezes, é difícil repetir a abertura da porta, pouco tempo após ter sido fechado, devido à diminuição da pressão interna. Essa diminuição ocorre porque o ar que entra, à temperatura ambiente, é rapidamente resfriado até a temperatura de operação, em torno de – 18 OC . Considerando um “freezer” doméstico, de 280 L, bem vedado, em um ambiente a 27 OC e pressão atmosférica P0, a pressão interna poderia atingir o valor mínimo de a) 35 % de P0 Considere que todo o ar no interior b) 50 % de P0 do “freezer”, no instante em que a porta é fechada, está à temperatuc) 67 % de P0 ra do ambiente. *d) 85 % de P
0

(FGV/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: C Para garantir a dosagem precisa, um medicamento pediátrico é acompanhado de uma seringa. Depois de destampado o frasco de vidro que contém o remédio, a seringa é nele encaixada com seu êmbolo completamente recolhido. Em seguida, o frasco é posicionado de cabeça para baixo e o remédio é então sugado para o interior da seringa, enquanto o êmbolo é puxado para baixo. Como conseqüência da retirada do líquido, o ar que já se encontrava dentro do frasco, expande-se isotermicamente, preenchendo o volume antes ocupado pelo remédio.

e) 95 % de P0 (UFPB-2009.1) - ALTERNATIVA: A Ao chegar a um posto de gasolina, um motorista vai ao calibrador e infla os pneus do seu carro, colocando uma pressão de 30 bars (considere 1 bar igual a 105 N/m2). Nesse momento, o motorista verifica que a temperatura dos pneus é de 27OC. Depois de dirigir por algum tempo, a temperatura dos pneus sobe para 81OC. Desprezando-se o pequeno aumento no volume dos pneus e tratando o ar no seu interior como um gás ideal, é correto afirmar que, em bar, a pressão nos pneus passará a ser: *a) 35,4 c) 45,5 e) 54,5 b) 90,0 d) 70,0 (UFPB-2009.1) - ALTERNATIVA: B Em uma experiência envolvendo gases, quatro mols de um gás diatômico são aquecidos à pressão constante, a partir de uma temperatura T , fazendo com que o seu volume quadruplique. Sabendo-se que o calor molar à pressão constante do gás é (7R)/2, é correto afirmar que a energia transmitida para esse gás, em forma de calor, é: a) 14RT c) 56RT e) 70RT *b) 42RT d) 64RT (UTFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: D Um recipiente de volume 2,5 litros contém 10 mols de nitrogênio à temperatura de 23ºC negativos. Dada a constante universal dos gases como R = 8,3 J/K.mol, a pressão em Pa, exercida pelo gás nas paredes do recipiente é aproximadamente igual a: a) 8,30.105 b) 4,15.105 c) 4,15.106 *d) 8,30.106 e) 4,15.104 (PUC/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C Um balão de aniversário, cheio de gás Hélio, solta-se da mão de uma criança, subindo até grandes altitudes. Durante a subida, é CORRETO afirmar: a) O volume do balão diminui. b) A pressão do gás no interior do balão aumenta. *c) O volume do balão aumenta. d) O volume do balão permanece constante. (UFU/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B Um tanque de 0,1 m3 de volume está cheio com gás hélio a 120 atm e à temperatura ambiente. O gás é usado para encher balões de borracha, cada um, com um volume de 1 litro (1 litro = 1.000 cm3), a uma pressão de 1,2atm e à temperatura ambiente. Se todo esse gás do tanque for utilizado para encher os balões, a quantidade de balões que será preenchida é a) 1.200 balões. *b) 10.000 balões. c) 12.000 balões. d) 100.000 balões. Ao retirar-se uma dose de 40 mL de líquido do frasco, que continha um volume ocupado pelo ar de 100 mL, o êmbolo encontra certa resistência, devido ao fato de a pressão no interior do frasco ter se tornado, aproximadamente, em Pa, Dados: Pressão atmosférica = 1.105 Pa. Suponha que o ar dentro do frasco se comporte como um gás ideal. Considere desprezível o atrito entre o êmbolo e a parede interna da seringa. a) 57 000. b) 68 000. *c) 71 000. d) 83 000. e) 94 000. (CEFET/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: E A figura representa um gás ideal confinado em um cilindro provido de um êmbolo móvel que pode deslizar sem atrito.

Inicialmente, o gás encontra-se a uma temperatura de 27 °C e o êmbolo está a uma altura h = 20 cm em relação à base do cilindro. Através de uma fonte de calor, é fornecida ao sistema, uma determinada quantidade de energia, e sua temperatura passa a 177 °C. Considerando esse estado final, a variação da altura h do êmbolo será igual a a) 1% b) 5% c) 10% d) 20% *e) 50%

japizzirani@gmail.com

31

(MACKENZIE/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: D Uma massa de certo gás ideal está confinada em um reservatório, cuja dilatação térmica é desprezível no intervalo de temperatura considerado. Esse reservatório possui, na parte superior, um êmbolo que pode se deslocar livremente, conforme ilustra a figura.

Observando-se o gráfico acima, destaca-se que, no estado A, o volume ocupado pelo gás é V e a sua pressão é P. Em seguida, esse gás passa por duas transformações sucessivas e “chega” ao estado C, com temperatura e pressão, respectivamente iguais a a) 450 K e 3P/2 b) 450 K e 4P/3 c) 600 K e 3P/2 *d) 600 K e 4P/3 e) 600 K e 5P/3 (FUVEST/SP-2009.1) - RESPOSTA: a) 1,1 × 105 Pa b) 450 K c) 3% Um grande cilindro, com ar inicialmente à pressão P1 e temperatura ambiente (T1 = 300 K), quando aquecido, pode provocar a elevação de uma plataforma A, que funciona como um pistão, até uma posição mais alta. Tal processo exemplifica a transformação de calor em trabalho, que ocorre nas máquinas térmicas, à pressão constante.

(UNESP-2009.1) - ALTERNATIVA: C Por meio de uma bomba de ar comprimido, um tratorista completa a pressão de um dos pneus do seu trator florestal, elevando-a de 1,1·105 Pa (16 lbf/pol2) para 1,3·105 Pa (19 lbf/pol2), valor recomendado pelo fabricante. Se durante esse processo a variação do volume do pneu é desprezível, o aumento da pressão no pneu se explica apenas por causa do aumento a) da temperatura do ar, que se eleva em 18% ao entrar no pneu, pois o acréscimo do número de mols de ar pode ser considerado desprezível. b) da temperatura do ar, que se eleva em 36% ao entrar no pneu, pois o acréscimo do número de mols de ar pode ser considerado desprezível. *c) do número de mols de ar introduzidos no pneu, que aumenta em 18%, pois o acréscimo de temperatura do ar pode ser considerado desprezível. d) do número de mols de ar introduzidos no pneu, que aumenta em 28%, pois o acréscimo de temperatura do ar pode ser considerado desprezível. e) do número de mols de ar introduzidos no pneu, que aumenta em 36%, pois o acréscimo de temperatura do ar pode ser considerado desprezível. (VUNESP/FAMECA-2009.1) - RESPOSTA: a) P = 1660 N b) diagrama p×V de uma contração isotérmica Uma massa de 6,4 g de oxigênio (O2) a 27 ºC encontra-se no interior de um cilindro dotado de êmbolo móvel bem leve como ilustra a figura. Considere a massa molecular de O2 igual a 32 g, a constante universal dos gases perfeitos R = 8,3 J/(mol.K) e despreze a pressão atmosférica.

NOTE E ADOTE: PV = nRT; Patmosférica = P0 = 1,00 x 105 Pa; 1 Pa = 1 N/m2 Calor específico do ar a pressão constante Cp Densidade do ar a 300 K 1,1 kg/m Aceleração da gravidade na Terra, g = 10 m/s2
3

1,0 x 103 J/(kg×K)

a) Determine o peso do corpo colocado sobre o êmbolo que garante a altura de 30 cm do êmbolo em relação à base do cilindro. b) Ao peso do corpo acima mencionado é acrescido outro, o que faz o gás ficar comprimido num volume menor, mantida constante a sua temperatura inicial. Represente, qualitativamente, essa transformação sofrida pelo gás num diagrama da pressão em função do volume.

Em uma dessas situações, o ar contido em um cilindro, cuja área da base S é igual a 0,16 m2, sustenta uma plataforma de massa MA =160 kg a uma altura H1 = 4,0 m do chão (situação I). Ao ser aquecido, a partir da queima de um combustível, o ar passa a uma temperatura T2, expandindo-se e empurrando a plataforma até uma nova altura H2 = 6,0 m (situação II). Para verificar em que medida esse é um processo eficiente, estime: a) A pressão P1 do ar dentro do cilindro, em pascals, durante a operação. b) A temperatura T2 do ar no cilindro, em kelvins, na situação II. c) A eficiência do processo, indicada pela razão R = Ep Q, onde Ep é a variação da energia potencial da plataforma, quando ela se desloca da altura H1 para a altura H2, e Q, a quantidade de calor recebida pelo ar do cilindro durante o aquecimento. (CEFET/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: C Considere que certa massa de água esteja sob a forma de vapor a 147 °C e a uma pressão de 3 atm. Ao ser transferida de um recipiente para outro com 60% a mais de volume, por descuido do operador, perdeu-se 20% dessa massa para a atmosfera e a nova pressão reduziu-se a 1,5 atm. Considerando que os recipientes tenham paredes isolantes e que o vapor de água se comporte como um gás ideal, a temperatura da massa que restou dentro do novo recipiente vale, em graus Celsius, a) 323. . b) 257. *c) 147. d) 63. e) –147

japizzirani@gmail.com

32

(UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA OFICIAL : SOMA = 27 (01+02+08+16) Considere um certo volume de gás que permanece constante enquanto sua temperatura varia. A respeito desse fenômeno, e com base no gráfico abaixo, que mostra a evolução da temperatura e da pressão desse gás, assinale o que for correto.

(UFRGS/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: A Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do texto abaixo, na ordem em que aparecem. Uma amostra de gás ideal é submetida transformações termodinâmicas representadas nas figuras I e II abaixo, onde T, V e P designam, respectivamente, as variáveis de estado temperatura, volume e pressão da amostra.

01) O coeficiente de variação de pressão dos gases perfeitos independe do volume. 02) O coeficiente angular da reta obtida é igual a nR /V, onde n é a quantidade de matéria, R é a constante universal dos gases, e V é o volume do gás que permaneceu constante. 04) A evolução em questão caracteriza a lei de Boyle-Mariotte. 08) O ponto onde a reta intercepta o eixo das temperaturas tem valor igual ao da temperatura termodinâmica. 16) O coeficiente linear da reta é igual ao valor da pressão a 0 oC.

– Pode-se afirmar que o segmento orientado if no diagrama T×V (figura I) corresponde a uma transformção ................ e que o – segmento orintado if no diagrama T×P (figura II) corresponde a uma transformação ................ . *a) isocórica – isotérmica b) isocórica – isobárica c) isotérmica – isobárica d) isotérmica – isocórica e) isobárica – isotérmica

(CEFET/GO-2009.1) - ALTERNATIVA: E Os cinco pneus de um carro, quatro rodantes e um de reserva (estepe), são calibrados com uma pressão de 30 libras/polegada2 (psi), no interior de uma fazenda, numa madrugada fria, a uma temperatura de 15ºC. Ao chegar à cidade de destino, por volta das 12:00 horas, num dia bastante ensolarado, o motorista verifica novamente os pneus e constata que a pressão de cada um dos pneus rodantes aumentou para 32,5 libras/polegada2 enquanto a pressão do pneu de reserva aumentou para 31,5 libras/ polegada2. Desprezando a dilatação dos pneus, qual é a diferença de temperatura, em graus Celsius, existente entre as temperaturas internas dos pneus rodantes e do pneu de reserva? a) 0,55ºC b) 11ºC c) 2,5ºC d) 1,5ºC *e) 9,6ºC (UFRGS/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: D No momento em que um automóvel entra em uma rodovia, a temperatura do ar nos pneus é Ti = 20 oC. Após percorrer alguns quilômetros de estrada, a temperatura do ar nos pneus atinge Tf = 40 oC. Considerando-se que o ar dos pneus se comporta como um gás ideal e que o volume de cada pneu permanece inalterado, o valor que melhor se aproxima da razão, Pf Pi , entre a pressão de ar final e a pressão de ar inicial em cada pneu é a) 0,50. b) 0,94. c) 1,00. *d) 1,07. e) 2,00.

(UFLA/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A Um mol de um gás ideal monoatômico efetua um transformação isobárica AB, sendo no estado A, a temperatura de 300 K. Considerando a constante geral dos gases R = 0,082 atm. (mol.K), o volume em A (VA) e a temperatura em B (TB) valem, respectivamente: *a) 8,2 e 900 K. b) 8,2 e 450 K. c) 16,4 e 1800 K. d) 4,1 e 900 K.

(CESGRANRIO/RJ-2009.1) - ALTERNATIVA: A O gráfico abaixo mostra a quantidade de calor fornecida por uma fonte F com o passar do tempo.

t(min)

Um recipiente totalmente fechado tem a forma de um tronco de cone, como ilustrado acima. Esse recipiente contém 1 mol de um gás ideal e é aquecido pela fonte F durante 3 minutos. Considere: Constante para gases = 0,08 atm.L/(mol.K) Capacidade térmica do gás = 20 cal/K =3 Assim, a variação de pressão no interior do recipiente, em atm, devido ao calor fornecido pela fonte F, é *a) 0,48 b) 0,50 c) 0,52 d) 0,55 e) 0,58

japizzirani@gmail.com

33

VESTIBULARES 2009.2
(UFPR-2009.2) - ALTERNATIVA: D Num recipiente de 20 litros são misturados 3 litros de oxigênio a 37°C sob pressão de 4 atm e 5 litros de nitrogênio a 77°C sob pressão de 2 atm. A pressão total da mistura a 27°C será de: a) 1,56 atm. b) 1,76 atm. c) 1,26 atm. *d) 1,01 atm. e) 1,36 atm. (UFOP/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: B Considere o gráfico a seguir, que descreve o comportamento da pressão e do volume de certa massa de gás ideal.

(UFV/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: C O gráfico abaixo ilustra a pressão de um gás ideal em função do seu volume durante uma expansão isotérmica de um estado inicial A até um estado final B. Das alternativas abaixo, a que CORRETAMENTE representa o volume final VB é: a) 600 litros b) 1200 litros *c) 800 litros d) 1800 litros

Com relação às transformações mostradas acima, podemos afirmar que: a) a transformação BC é isobárica. *b) a transformação AB é isotérmica. c) há uma mudança drástica do volume na transformação BC. d) a temperatura no ponto A é maior que no ponto C. (UNIMONTES/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: C Um balão de volume igual a 750 m3 deve ser preenchido com hidrogênio e ficar à pressão atmosférica (Pa = 1,03 × 105 N/m2) quando estiver totalmente cheio. O hidrogênio está armazenado em cilindros sob pressão manométrica de 1,545 × 106 N/m2 e volume de 2,0 m3. O número de cilindros necessários para encher o balão é a) 30. b) 22. *c) 25. d) 20. (UFOP/MG-2009.2) - RESPOSTA: a) isométrica b) 2,26 atm c) diagrama P × T de uma transformação isométrica. Um gás ideal, contido em um recipitente indeformável de 10 L e hermeticamente fechado, está a 40 °C, suportando uma pressão de 2 atm. A temperatura do gás é elevada até atingir 80 °C. a) Qual o tipo de transformação sofrido pelo gás no processo descrito acima? b) Calcule a pressão final do gás. c) Esboce o gráfico da pressão versus temperatura da transformação descrita. (CEFET/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: E Pela Teoria Cinética dos Gases, a pressão de um gás está relacionada à sua temperatura T, ao volume V por ele ocupado, à 2 massa m, ao número N e à velocidade quadrática média vM de suas moléculas. Um gás terá sua pressão aumentada se a) N diminuir e m diminuir. b) T diminuir e V aumentar. c) V aumentar e N diminuir. 2 d) vM diminuir e T aumentar. 2 *e) m aumentar e vM aumentar.

(VUNESP/FTT-2009.2) - ALTERNATIVA: A No setor de enfermagem de um hospital, uma enfermeira, preparando o medicamento a ser administrado a um paciente, introduz a agulha de uma seringa num frasco de volume 50 mL que contém, inicialmente, 30 mL do medicamento. Coleta 5 mL do medicamento e, em seguida, retira a agulha, sem que tenha entrado ou saído ar de dentro do frasco. Considerando que o ar dentro do frasco se comporte como um gás ideal e que sua temperatura tenha permanecido constante durante o processo, pode-se afirmar que a pressão dentro do frasco, devido à retirada do medicamento, *a) diminuiu 20%. b) diminuiu 25%. c) diminuiu 80%. d) aumentou 20%. e) aumentou 80%. (IF/MG-EAFI-2009.2) - ALTERNATIVA: A Amedeo Avogadro (1776-1856), Físico Italiano, conseguiu concluir que os gases hidrogênio, nitrogênio e oxigênio se encontram na forma diatômica, ou seja, H2 , N2 e O2 . Considere três amostras desses gases em recipientes distintos de 3,0 litros cada onde cada gás está a 27oC (300K), exercendo uma pressão interna de 8,2 atm, ou seja, todos gases estão na mesma temperatura e pressão, ocupando o mesmo volume. Seja NH2, NN2 e NO2 o número de moléculas existente em cada recipiente. Podemos prever, segundo Avogadro que: *a) NH2 = NN2 = NO2 b) NH2 > NN2 > NO2 c) NH2 < NN2 < NO2 d) NH2 = NN2 > NO2 e) NH2 > NN2 = NO2 (VUNESP/UFTM-2009.2) - RESPOSTA: a) – 23 °C b) 0,6 °X Um gás ideal está confinado em um recipiente de paredes rígidas e sua pressão sofre um aumento de 0,4 % quando aquecido de 1 °C. Responda: a) qual a temperatura do gás, em °C, antes do aquecimento? b) considerando-se uma escala termométrica arbitrária X que indique 20 °X para o gelo fundente e 80 °X para a água em ebulição no nível do mar, a variação de temperatura de 1 °C sofrida por esse gás terá que indicação na escala X? (UFES-2009.2) - ALTERNATIVA: A Um mol de gás ideal sofre uma expansão quase-estática e isotérmica de um estado A para um estado B. No estado A, o gás apresenta uma pressão P0 e um volume V0. Sabendo que, no estado B, o gás apresenta um volume 4V0, indique qual das alternativas abaixo apresenta a pressão correta no estado B. *a) P0 4 b) P0 c) 2P0 d) 4P0 e) 6P0

japizzirani@gmail.com

34

(IF/SP-2009.2) - ALTERNATIVA: E Em 1738, o físico matemático Daniel Bernoulli, publicou Hidrodinâmica, a base para a teoria cinética dos gases. Nesse trabalho, Bernoulli posicionou seu argumento, ainda sólido até a atualidade, que os gases consistem em um grande número de moléculas se movendo em todas as direções, onde elas colidem entre si e esse impacto causa uma pressão na superfície de contato que podemos sentir, assim como o que nós sentimos como calor é simplesmente a energia cinética do seu movimento. A teoria não foi imediatamente aceita, em parte por causa da conservação de energia que não estava bem estabelecida, e ainda, não era óbvio aos físicos que as colisões entre as moléculas eram perfeitamente elásticas. Empiricamente, observam-se uma série de relações entre a temperatura, a pressão e o volume que dão lugar à lei dos gases ideais, deduzida pela primeira vez por Émile Clapeyron, em 1834. Utilizando essa equação, determine a pressão no interior de um recipiente cúbico de aresta interna 20 cm, preenchido com 64 g de oxigênio, à temperatura de 327 ºC. Utilize R = 0,082 atm. / mol.K, 1 atm = 1,013 × 105 Pa, e 16 para a massa atômica do oxigênio. a) 1,357 × 106 Pa. b) 6,78 × 105 Pa. c) 2,492 × 106 Pa. d) 6,23 × 105 Pa. *e) 1,246 × 106 Pa.

japizzirani@gmail.com

35

tópico 8: trabalho da força de pressão
VESTIBULARES 2009.1
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 37 (VUNESP/UNICID-2009.1) - ALTERNATIVA: A A temperatura absoluta de um gás monoatômico e ideal, no interior de um balão de gás, é dobrada. Considerando que a pressão P permaneça constante, que n seja o número de mols de um gás, R a constante universal dos gases perfeitos e T a temperatura inicial, é correto afirmar que o trabalho realizado pelo gás vale *a) nRT. d) 2nRT/P. b) 2nRT. e) 3nRT/2. c) nRT/2P. (PUC/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: C Um automóvel com motor 1.0 (volume de 1,0 litro), conhecido pelo seu menor consumo de combustível, opera com pressão média de 8 atm e 3300 rpm (rotações por minuto), quando movido a gasolina. O rendimento desse motor, que consome, nestas condições, 4,0 g/s (gramas por segundo) de combustível, é de aproximadamente Considere: Calor de combustão da gasolina = 11.100 cal/g 1 atm = 105 N/m2 1 cal = 4 J 1 L =10–3 m3 1 rotação corresponde a 1 ciclo a) 18% b) 21% *c) 25% d) 27% e) 30% (FEI/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: A Em uma transformação isobárica, um gás está a uma pressão inicial de 2 atm com um volume de 1 litro. Qual é o trabalho, em joules, que deve ser realizado pelo gás para que seu volume final seja 5 litros? Dado: 1 atm = 105 N/m2 *a) 800 J b) 1 000 J c) 800 000 J d) 1 000 000 J e) 1 200 000 J (UNIFOR/CE-2009.1) - ALTENATIVA: C Uma máquina térmica realiza o ciclo da figura com freqüência de 10 hertz. A potência da máquina, em kW, é a) 0,8 b) 0,6 *c) 0,4 d) 0,2 e) 0,1

(VUNESP/FTT-2009.1) - ALTERNATIVA: E Um balão contém um gás perfeito ocupando um volume V1, a uma temperatura T1, sob pressão P1. O gás é aquecido até uma temperatura T2, quando seu volume aumenta para V2 e a pressão passa a ser P2. O gráfico pressão versus volume ilustra a transformação sofrida pelo gás. O trabalho realizado pelo gás nessa transformação é expresso por a) (P2 – P1).(V2 – V1). b) (P2 – P1).(V2 – V1) 2. c) (P2 – P1).(V2 + V1) 2. d) (P2 + P1).(V2 – V1). *e) (P2 + P1).(V2 – V1) 2.

(UNICAMP/SP-2009.1) - RESPOSTA: a) 5,0×102 K b) 7,5×102 J O aperfeiçoamento da máquina a vapor ao longo do século XVIII, que atingiu o ápice com o trabalho de James Watt, permitiu a mecanização do modo de produção, desempenhando papel decisivo na revolução industrial. A figura abaixo mostra o diagrama de pressão P versus volume V do cilindro de uma máquina a vapor contendo 1,0 mol de água. P (105 Pa)

5,0

(VUNESP/FMJ-2009.1) - ALTERNATIVA: A Um gás ideal é levado de um estado A a um estado B pelos processos ACB e ADB mostrados no diagrama PxV. A respeito do trabalho realizado pelas forças de pressão desse gás nessas transformações, é correto o indicado na alternativa *a) ACB > ADB. b) ACB = ADB. c) AD > 0 e DB < 0. d) AC > 0 e CB < 0. e) AD = CB.

Os diferentes trechos do gráfico referem-se a: 1 2: água líquida é bombeada até a pressão P2 ; 2 3: a temperatura da água é aumentada pela caldeira a pressão constante ; 3 4: a água é vaporizada a pressão e temperatura constantes (T3 = 400K) ; 4 5: o vapor é aquecido a pressão constante, expandindo de V4 a V5 ; 5 6: o vapor sofre expansão sem troca de calor, fazendo com que a temperatura e a pressão sejam reduzidas ; 6 1: o vapor é condensado com a retirada de calor do cilindro a pressão constante. a) No ponto 5 o vapor d’água se comporta como um gás ideal. Encontre a temperatura do vapor neste ponto. A constante universal dos gases é R = 8,3 J/mol K . b) Calcule o trabalho realizado pelo vapor d’água no trecho de 4 5. (UCG/GO-2009.1) - RESPOSTA: – 450J 3,5 Na figura observa-se no gráfico, da pressão versus volume, uma transformação cíclica ABCA sofrida por um gás ideal. Determinar o trabalho rea- 0,5 lizado no ciclo.
P (105 Pa)

V(10–3m3)

japizzirani@gmail.com

36

(UFG/GO-2009.1) - RESPOSTA: a) 1,5×104 mols b) 373,5×105 J A dissolução do alumínio metálico em ácido clorídrico produz hidrogênio gasoso, conforme a reação química abaixo. Al(s) + 3HCl(aq) AlCl3(aq) + 3/2H2(g)

VESTIBULARES 2009.2
(UFPR-2009.2) - ALTERNATIVA: A Uma amostra de um gás considerado perfeito é levada do estado A ao estado C, segundo a transformação ABC indicada na figura abaixo:

Um aparato foi construido para que todo gás produzido nessa reação química seja utilizado para mover um pistão em um cilindro contra uma pressão externa constante, conforme esboçado na figura ao lado. Dados: Constante universal dos gases R = 8,3 J/Kmol Massa molar do Al é 27 g/mol

a) Calcule o número de mols de H2 que serão produzidos pela dissolução completa de 270 kg de alumínio no ácido a 300K. b) Calcule o trabalho mecânico (em joules) realizado pelo gás a 300K. Considere o hidrogênio um gás ideal.

Sabendo-se que 1 cal = 4,18 J, o trabalho realizado pelo gás durante a transformação será aproximadamente de: *a) 86,1 kcal. b) 8,61 kcal. c) 0,861 kcal. d) 0,861 cal. e) 0,00861 cal. (CEFET/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: A Em um diagrama pressão versus volume, um ciclo térmico delimita uma área que representa uma seqüência de transformações sofridas por um gás. A área interna desse ciclo é igual à (ao) *a) trabalho efetivo. b) calor da fonte fria. c) eficiência térmica. d) rendimento térmico. e) calor da fonte quente. (UNESP-2009.2) - RESPOSTA: = (3 2)P1V1 e TB = 4T1 O gráfico da pressão (P) em função do volume (V) representa a transformação gasosa AB sofrida por uma determinada amostra de gás ideal. Sabe-se que V2 = 2 V1, P2 = 2 P1 e que, em A, a temperatura absoluta do gás é T1.

Determine o trabalho realizado pelo gás, em função de P 1 e V1, e sua temperatura em B, em função de T1.

japizzirani@gmail.com

37

tópico 9: leis da termodinâmica
VESTIBULARES 2009.1
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 47

(UFRJ-2009.1) - RESPOSTA: | QAB | = 4p0V0 3 Um gás ideal se encontra em um estado de equilíbrio termodinâmico A no qual tem volume V 0 e pressão p0 conhecidos. O gás é então comprimido lentamente até atingir um estado de equilíbrio termodinâmico B no qual seu volume é V0 3.

1a LEI DA TERMODINÂICA
(VUNESP/UNINOVE-2009.1) - ALTERNATIVA: C Certa massa de gás ocupa, inicialmente, 0,5 litro de um recipiente, sob pressão de 1,0 atm. O gás recebe certa quantidade de calor e aumenta sua energia interna em 12,5 cal, passando a ocupar um volume de 1,2 litro, sob pressão de 1,8 atm, como mostra o gráfico da pressão (p) em função do volume (V).

Sabendo que o processo que leva o gás do estado A ao estado B é o indicado pelo segmento de reta do diagrama, e que os estados A e B estão em uma mesma isoterma, calcule o calor total QAB cedido pelo gás nesse processo.

Considerando-se 1 atm = 105 Pa e 1 cal = 4 J, a quantidade de calor que o gás absorve nessa transformação é, em cal, de a) 98. b) 48. *c) 37. d) 24,5. e) 12,5. (UDESC-2009.1) - ALTERNATIVA: C O gráfico abaixo apresenta dois processos termodinâmicos distintos, utilizados para levar uma massa gasosa de gás ideal de uma temperatura inicial T0 até uma temperatura TX. O primeiro (A) é um processo isobárico e o segundo (B) é um processo isocórico.

(UTFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: D Certa massa de um gás sofre uma transformação termodinâmica adiabática e realiza um trabalho. Considere as seguintes afirmações sobre o estado da massa do gás, depois da transformação ter se efetivado: I) A massa do gás apresenta um aumento de energia interna. II) A quantidade de calor recebida pelo gás foi nula. III) A perda de energia interna do gás é igual a quantidade de calor cedida para o meio externo. IV) O trabalho realizado pelo gás é igual à perda de sua energia interna. É correto apenas o que se afirma em: a) I. b) II e III. c) I e II. *d) II e IV. e) III.

Analise as afirmativas abaixo, relacionadas aos processos termodinâmicos descritos no gráfico: I. A variação de energia interna do gás foi a mesma nos dois processos. II. A quantidade de calor fornecida ao gás foi a mesma nos dois processos. III. A temperatura TX é maior do que a temperatura T0. Assinale a alternativa correta. a) Somente a afirmativa III é verdadeira. b) Somente as afirmativas I e II são verdadeiras. *c) Somente as afirmativas I e III são verdadeiras. d) Somente a afirmativa II é verdadeira. e) Todas as afirmativas são verdadeiras.

(FGV/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: C Dentre as transformações realizadas por um gás ideal, é certo que a) não há variação da energia interna nas transformações isobáricas. b) a temperatura se mantém constante, tanto nas transformações isotérmicas quanto nas isométricas. *c) nas transformações adiabáticas não há troca de calor entre o gás e o recipiente que o contém. d) não há realização de trabalho nas transformações isotérmicas, uma vez que nelas o volume não varia. e) tanto a pressão quanto o volume do gás se mantêm constantes nas transformações isométricas. (CEFET/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: E Um gás perfeito, durante uma transformação isométrica, absorve uma quantidade de calor Q. Sendo U a variação da energia interna e T o trabalho por ele realizado, é correto afirmar que a) U = 0 e T = Q. b) U = 0 e T = 0. c) U = T e Q = 0. d) U = Q e T = Q. *e) U = Q e T = 0.

japizzirani@gmail.com

38

(UFU/MG-2009.1) - RESPOSTA: 1V; 2F; 3F; 4F Uma certa quantidade de um gás ideal monoatômico realiza um ciclo A B C A, conforme o diagrama de pressão (P) x volume (V), abaixo.

(UDESC-2009.1) - RESPOSTA: a) 1500 J b) nulo c) 2.105 N/m2 O gráfico abaixo mostra a variação do volume de um gás perfeito, em função da temperatura. A transformação entre os estados A e B ocorre à pressão constante de 105 N/m2, e a energia interna do gás aumenta em 1000 J. Durante a transformação entre os estados B e C, o gás recebe calor.

Com base nessas informações, marque para as alternativas abaixo (V) Verdadeira ou (F) Falsa. 1 ( ) A temperatura do gás em C é vinte vezes maior do que a temperatura em A. 2 ( ) A pressão do gás em A é quatro vezes menor do que a pressão do gás em B. 3 ( ) A temperatura do gás em B é maior do que a temperatura do gás em C. 4 ( ) Na transformação isobárica, A B, todo o calor fornecido ao gás é convertido em trabalho, que é igual a 3PV. (UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: D Aumenta-se a pressão de certa quantidade de gás ideal, inicialmente à pressão P1, volume V1 e temperatura T1, através de dois processos diferentes. No primeiro processo, o gás é aquecido com o volume do gás mantido constante até a pressão dobrar de valor. No segundo processo, o gás, partindo das mesmas condições iniciais (P1, V1, T1) é resfriado à pressão constante até o volume ser reduzido à metade e depois, mantendo constante o volume reduzido, é aquecido até que a pressão dobre de valor. Sobre esses dois processos, podemos afirmar que: a) a temperatura final atingida em ambos os processos é a mesma. b) a variação da energia interna do gás em ambos os processos é a mesma. c) o trabalho realizado sobre o gás em ambos os processos é o mesmo. *d) a temperatura final atingida no primeiro processo é maior que a temperatura final atingida no segundo processo. e) o trabalho realizado sobre o gás, no primeiro processo, é diferente de zero. (ITA/SP-2009.1) - RESPOSTA: QAB = 70 J Três processos compõem o ciclo termodinâmico ABCA mostrado no diagrama P x V da figura. O processo AB ocorre a temperatura constante. O processo BC ocorre a volume constante com decréscimo de 40 J de energia interna e, no processo CA, adiabático, um trabalho de 40 J é efetuado sobre o sistema. Sabendo-se também que em um ciclo completo o trabalho total realizado pelo sistema é de 30 J, calcule a quantidade de calor trocado durante o processo AB.

Calcule: a) a quantidade de calor recebida pelo gás entre os estados A e B; b) o trabalho realizado sobre o gás entre os estados B e C; c) o valor da pressão do gás no estado C. (UDESC-2009.1) - RESPOSTA: a) Em = 6,21×10–21J b) = 63oC c) p = 1,67×105 Pa Um motorista, antes de iniciar sua viagem, calibrou os pneus de seu carro, deixando-os a uma pressão manométrica de 150×103 Pa. No momento da calibração a temperatura ambiente e dos pneus era de 27,0 °C. Quando chegou ao destino de sua viagem, o motorista percebeu que a pressão manométrica do ar (gás) nos pneus aumentara para 160×103 Pa. Considere o ar dentro dos pneus como sendo um gás ideal. Dado: constante de Boltzmann k = 1,38×10–23 J/K. a) Calcule a energia cinética média das moléculas do gás no interior dos pneus, no início da viagem. b) Ao chegar ao destino, qual a temperatura do gás nos pneus, sabendo que eles expandiram, aumentando seu volume interno em 5%. c) Considerando as condições iniciais da viagem e que os pneus suportem, no máximo, uma variação de volume de 8%, calcule a pressão do gás no interior dos pneus nessa condição limite. Sabese ainda que a temperatura do gás dentro dos pneus, na condição limite, atinge aproximadamente 360 K. (UFV/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A (RESOLUÇÃO NO FINAL) Considere um recipiente de volume V contendo N moléculas de um gás ideal, cada uma de massa m. Sendo v2med a média dos quadrados das velocidades, segundo o modelo cinético de um gás, é CORRETO afirmar que a pressão que ele exerce sobre as paredes do recipiente que o contém é: *a) 1 3 N V mv2med

b)

1 (NV) mv2med 3 1 3 N V V N m v2med v2med m

c)

d) 1 3

RESOLUÇÃO: UFV/MG-2009.1: U = NEc = (3/2)nRT = (3/2)pV N(1/2)mv2med = (3/2)pV 2 p = 1/3(N/V)mv med OBS.: Por ser um teste é possível se resolver por exclusão usando análise dimensional, pois, a única alternativa que tem dimensões de pressão é a alternativa A.

japizzirani@gmail.com

39

(UFMS-2009.1) - ALTERNATIVA: E A autoclave é um equipamento geralmente utilizado para descontaminação de fungos e microorganismos não desejáveis em soluções que serão utilizadas em conservas de alimentos. Seu princípio de funcionamento é semelhante ao de uma grande panela de pressão, mas, além da válvula para controle de pressão interna, a autoclave possui dois instrumentos de medidas, o termômetro e o manômetro para controle da temperatura T e da pressão P do seu interior. Para aquecimento, existe uma resistência elétrica R imersa em água contida em seu interior. Acima do nível dessa água, existe uma tela plana que serve de apoio para recipientes com as soluções para a descontaminação. Considere que foi colocada água, no interior do recipiente, para ser descontaminada, e que, em seguida, o recipiente e a autoclave, foram vedados na temperatura T0 e na pressão P0 do ambiente, veja a figura. Depois a resistência elétrica da autoclave é ligada e todo o sistema começa a ser aquecido lentamente até que todo o interior da autoclave e o interior do recipiente atingem o equilíbrio térmico numa temperatura T maior que T0, mas menor que a temperatura de ebulição da água. Considere o ar contido no interior da autoclave e no interior do recipiente como sistemas termodinâmicos S1 e S2, respectivamente, e que, durante o aquecimento, o ar desses dois sistemas tem um número invariável de moléculas e se comporta como gás ideal. Com fundamentos na termodinâmica, assinale a alternativa correta.

(UFMS-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 005 (001+004) Uma nutricionista deseja embalar, em baixa pressão, um alimento sólido que está no interior de um saco plástico. Para isso, utiliza uma bomba para baixa pressão que possui um tubo em sua extremidade e um êmbolo que, quando se encontra na posição inicial, deixa o volume de ar no cilindro equivalente a zero; e, quando está na expansão máxima, deixa o volume de ar na cavidade cilíndrica equivalente a Vf . A nutricionista mantém o êmbolo da bomba inicialmente fechado, coloca o tubo no interior do saco plástico e amarra fortemente o saco plástico em torno do tubo para não ocorrer vazamento de ar. No interior do saco plástico, já existe um volume V0 de ar envolvendo o alimento, veja a figura A. Então a nutricionista executa rapidamente uma expansão máxima do êmbolo, de maneira que não haja troca de calor nesse processo, e permanece com o êmbolo nessa posição até o sistema entrar novamente em equilíbrio térmico com a vizinhança, veja a figura B. Considere como sistema termodinâmico apenas o ar contido no interior do saco, e que, no início da operação todo o sistema está em equilíbrio termodinâmico com a vizinhança; e, no final da operação, todo o ar que estava no interior do saco foi retirado e agora ocupa o volume Vf no interior da cavidade cilíndrica da bomba, e que Vf >V0, veja a figura B. As linhas contínuas, nas figuras I, II e III, mostram possíveis transformações termodinâmicas que o sistema sofreu, representadas no diagrama Pressão (P) versus Volume (V), e as linhas curvas pontilhadas representam a isotérmica da temperatura ambiente. Com fundamentos na termodinâmica, assinale a(s) proposição(ões) correta(s).

a) Se ambos os sistemas, S1 e S2, estão sendo aquecidos lentamente, estão sofrendo um processo termodinâmico isotérmico. b) Se ambos os sistemas, S1 e S2, estão sendo aquecidos lentamente, não está havendo transferência de calor entre o recipiente e o sistema S1. c) Enquanto os sistemas S1 e S2 estão sendo aquecidos, suas energias internas aumentam devido à realização de trabalhos sobre eles. d) Como o recipiente é mantido sempre fechado, a pressão do sistema S2 não varia durante o aquecimento. *e) Enquanto os sistemas S1 e S2 estão sendo aquecidos, suas energias internas aumentam e a pressão aumenta linearmente com a temperatura

(UFV/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: D Em um certo processo termodinâmico, o sistema não troca calor com a sua vizinhança. É CORRETO inferir que, nesse processo, necessariamente: a) a pressão no sistema aumenta. b) a temperatura do sistema é constante. c) o trabalho realizado pelo sistema é igual ao produto da sua pressão inicial pela variação de volume. *d) o módulo da variação da energia interna do sistema é igual ao módulo do trabalho realizado por ele.

(001) A figura II é a que melhor representa as transformações termodinâmicas sofridas pelo sistema desde o início da expansão até atingir o equilíbrio térmico com a vizinhança. (002) O sistema não trocou calor com a vizinhança em todas as transformações termodinâmicas ocorridas. (004) Durante a expansão rápida, a energia interna do sistema diminuiu. (008) Enquanto a nutricionista segura o êmbolo em Vf , após expandi-lo rapidamente, o sistema realiza trabalho. (016) Durante a expansão, o sistema não trocou calor, portanto sua temperatura permaneceu constante.

japizzirani@gmail.com

40

(UFMS-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 024 (008+016) Uma dona de casa, após enxaguar um prato e um copo sob água corrente de uma torneira da pia, coloca o prato com a concavidade para cima sobre a pia e o copo com a boca aberta para baixo sobre o prato que ainda contém um pouco de água no seu fundo; nesse momento, a pressão do ar, contido no interior do copo, é igual à pressão atmosférica P0 das vizinhanças, veja a figura A. Após deixar esse sistema entrar em equilíbrio térmico com as vizinhanças, sem vazamento de ar no interior do copo, verificase que parte da água, que estava no fundo do prato, entrou no interior do copo, permanecendo em um nível superior ao nível da água remanescente no prato, veja a figura B. Considere o ar, contido no interior do copo, como sistema físico termodinâmico, e a temperatura e a pressão atmosférica das vizinhanças, invariáveis. Com fundamentos na termodinâmica, é correto afirmar:

(UNIFOR/CE-2009.1) - ALTERNATIVA: C Uma dada massa de gás sofre a transformação cíclica ABCA representada abaixo no gráfico da pressão (p) em função do volume ocupado (V).

Sobre essa situação, é correto afirmar que na transformação do estado a) A para o estado B a energia interna do gás diminuiu. b) B para o estado C o gás realizou trabalho sobre o meio. *c) C para o estado A a energia interna do gás não variou. d) B para o estado C a energia interna do gás aumentou. e) C para o estado A o gás recebeu calor do meio. (UNIFAL/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A O diagrama a seguir da pressão (P) em função do volume (V) mostra as transformações termodinâmicas sofridas por um gás ideal em um ciclo termodinâmico fechado.

(001) O ar, contido no interior do copo, sofreu uma transformação termodinâmica isotérmica. (002) A pressão P0 e a densidade do ar contido no interior do copo, figura A, são maiores que a pressão P e a densidade do ar contido no interior do copo na figura B. (004) O produto da pressão (P) pelo volume (V) do ar contido no interior do copo permaneceu constante. (008) O ar, contido no interior do copo, trocou calor com as vizinhanças, diminuindo sua energia interna. (016) A dona de casa enxaguou o copo em água com temperatura maior que a da vizinhança.

(UFV/MG-2009.1) - RESPOSTA: a) Po 2 b) nula c) – 0,14RTo d) – 0,533RTo e) 1,48RTo Um mol de um gás ideal sofre os processos mostrados no diagrama pressão versus volume da figura ao lado. O processo ab é isotérmico e o processo bc é adiabático. No processo bc o gás realiza trabalho W = 0,14RTo , sendo R a constante dos gases e To a temperatura no ponto a. No processo cd a variação de energia interna do gás é U = – 1,34RTo. Em função de (no máximo) R, To e Po, calcule:

Analise as assertivas e assinale a alternativa correta. I. O gás sofre uma transformação isocórica para ir de A até B. II. A variação da energia interna do gás só depende da variação da temperatura. III. O trabalho realizado pelo gás é obtido calculando a área do retângulo ABCD. IV. A energia interna do gás não varia quando o gás passa do estado A para o estado D. V. A temperatura em TD é igual a (P1 / P2)TA. *a) Apenas II, III e V são verdadeiras. b) Apenas I é verdadeira. c) Apenas III é verdadeira. d) Apenas I, III e IV são verdadeiras. e) Apenas II, III e IV são verdadeiras. (CEFET/RJ-2009.1) - ALTERNATIVA: B Uma amostra de um gás ideal é comprimida lenta e linearmente a partir do volume inicial 2V0 e pressão P0 até o volume final V0, conforme ilustrado no gráfico. Sabendo que a temperatura final do gás é igual à temperatura inicial, a pressão final e o calor trocado pelo gás durante o processo, valem respectivamente, a) (2/3)P0 e 3P0V0. *b) 2P0 e (3/2)P0V0. c) 2P0 e (2/3)P0V0. d) (3/2)P0V0 e 2P0V0.

a) a pressão P1. b) a variação de energia interna no processo ab. c) a variação de energia interna no processo bc. d) o trabalho no processo cd. e) a variação de energia interna no processo da. (UFPE-2009.1) - RESPOSTA: Q = 75 J Um mol de um gás ideal mono-atômico, com calor específico molar a volume constante cV = 3R/2, ocupa inicialmente um volume de 1,5 L à pressão de 1,0 atm. A partir deste estado, o gás é aquecido a pressão constante até atingir um volume de 1,8 L. Determine o calor cedido ao gás durante este processo, em joules. Considere 1,0 atm.L = 100 J.

japizzirani@gmail.com

41

(CEFET/RJ-2009.1) - RESPOSTA: a) 2 b) 9P0V0 2 c) –10P0V0 Um cilindro com um pistão móvel contendo um mol de um gás ideal monoatômico, em equilíbrio termodinâmico ocupa um volume V0 à pressão P0 (ponto A no diagrama P×V abaixo). O gás sofre inicialmente uma variação linear da pressão com o volume, até dobrar a pressão e quadruplicar o volume, atingindo o estado de equilíbrio termodinâmico B. Em seguida, sofre um novo processo, terminando de alcançar o estado de equilíbrio termodinâmico C, onde o seu volume passa a ser 2V0. Dê as suas respostas em função, apenas de V0 e P0.

(UFLA/MG-2009.1) - RESPOSTA: a) U = –7500 cal, Q = –7500 cal e W=0 b) U=+7500 cal, Q =+12500 cal e W =+5000 cal Um sistema constituído por n = 6,25 mols de um gás monoatômico ideal é submetido às transformações AB e BC entre as isotermas T1 = 400 K e T2 = 800 K, conforme o diagrama P×V abaixo.

a) Determine a razão TB TC, onde TB é a temperatura do gás no estado B e TC é a temperatura do gás no estado C. b) Calcule o trabalho realizado pelo gás no processo de A para B. c) Calcule o calor trocado pelo gás no processo de B para C, dizendo se o mesmo é cedido ou recebido pelo gás. (VUNESP/UNICISAL-2009.1) - ALTERNATIVA: B Certa massa de gás ideal é aquecida e passa pela transformação ilustrada no gráfico da pressão (p), em função do volume (V) da figura. Durante o processo, sua energia interna sofre um acréscimo de 110 J. Sabendo que 1 atm = 1,0 × 105 Pa e que 1 m3 = 103 L, o trabalho realizado pelo gás e o calor por ele recebido nessa transformação serão, respectivamente, em joules, de a) 19 e 129. d) 1 900 e 2 010. *b) 190 e 300. e) 2 200 e 2 310. c) 300 e 410. (CEFET/CE-2009.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: B Um gás real (moléculas de tamanho não-nulo que se atraem, quando se afastam além de uma certa distância) se expande livremente dentro de um recipiente de paredes adiabáticas (paredes que não permitem trocas de energia com o ambiente fixas e na forma de calor). Sobre o trabalho W realizado pelo gás, a variação de sua temperatura T e a variação de sua energia interna U, é correto afirmar que: a) W = 0, T = 0, U = 0 *b) W = 0, T < 0, U = 0 c) W > 0, T > 0, U > 0 d) W < 0, T = 0, U < 0 e) W > 0, T > 0, U < 0 (UFLA/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A Um sistema constituido por n = 2 mols de um gás diatômico ideal sofre a transformação adiabática AB entre duas temperaturas T1 = 400 K e T2 = 800 K, conforme mostra o diagra P×V. Considerando R = 2 cal/mol.K, calor específico a pressão constante cp = 7 cal/mol.K e 1 cal = 4,2 J, o travalho envolvido na transformação AB é *a) 16800 J. b) 23520 J. c) 40320 J. d) 4000 J.

Para efeito de cálculo, considere o calor específico molar a volume constante cV = 3 cal/(mol.K) e a constante dos gases perfeitos R = 2 cal/(mol.K). a) Com relação à transformação AB, calcule a variação da energia interna UAB, o calor envolvido QAB e o trabalho realizado WAB. b) Com relação à transformação BC, calcule a variação da energia interna UBC, o calor envolvido QBC e o trabalho realizado WBC.

(UNICENTRO/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: C Este gráfico, pressão (P) x volume (V), representa o comportamento de um gás ideal, que passou do estado 1 para o estado 2, através de dois processos distintos, A e B:

Sobre essas mudanças ocorridas com o gás, foram feitas as seguintes afirmativas: I - no processo A o gás sofreu uma expansão isotérmica; II - os trabalhos realizados pelo gás, em ambos os processos, foram iguais; III - no processo B a quantidade de calor recebida pelo gás foi maior que o trabalho realizado por ele; IV - as variações da energia interna do gás, em ambos os processos, foram iguais; V - o aumento de volume do gás no processo A foi maior que o aumento de volume no processo B. São CORRETAS a) apenas I e II. b) apenas I e V. *c) apenas III e IV. d) apenas II, III, IV e V. e) I, II, III, IV e V.

japizzirani@gmail.com

42

(UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A Um gás ideal é submetido a um processo em que o volume e a pressão variam simultaneamente de (P1,V1) até (P2,V2), como mostra o gráfico P × V da figura abaixo. A respeito desse processo podemos afirmar que:

(UESPI-2009.1) - ALTERNATIVA: A Um sistema sofre uma transformação termodinâmica do estado A para o estado B. Denotando por Q o calor cedido pelo sistema nessa transformação, por W o trabalho realizado pelo sistema, e por E = EB – EA a variação da energia interna do sistema, a primeira lei da Termodinâmica para esta transformação pode ser expressa como *a) E = – Q – W. d) E = Q + W. b) c) E = – Q + W. E = Q – W. e) E = (– Q + W) (Q – W).

(UEMG-2009.1) - ALTERNATIVA: A Um gás é aquecido no interior de um recipiente dotado de êmbolo móvel, de tal maneira que o trabalho realizado pelo gás é igual ao calor que ele recebe, conforme ilustração a seguir:

*a) a energia interna do gás aumenta, calor é fornecido ao gás e o gás realiza trabalho. b) a energia interna do gás aumenta, calor é retirado do gás e o gás realiza trabalho. c) a energia interna do gás aumenta, calor é retirado do gás e trabalho é realizado sobre o gás. d) a energia interna do gás diminui, calor é fornecido ao gás e o gás realiza trabalho. e) a energia interna do gás diminui, calor é retirado do gás e o gás realiza trabalho. (UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: D Um mol de um gás ideal monoatômico, encerrado em um cilindro provido de um êmbolo capaz de deslizar sem atrito, é aquecido da temperatura T1 até a temperatura T2, dilatando do volume inicial V1 até o volume final V2. Durante o processo de expansão, o gás permanece à pressão constante P0. Nesse processo, o trabalho realizado pelo gás, o calor fornecido ao gás e a variação da energia interna do gás são, respectivamente: a) RT1; (3/2)R(T2 – T1); P0(V2 – V1). b) P0(V2 – V1); (3/2)R(T2 – T1); RT1. c) (3/2)R(T2 – T1); P0(V2 – V1); RT1. *d) P0(V2 – V1); (5/2)R(T2 – T1); (3/2)R(T2 – T1). e) (3/2)R(T2 – T1); P0(V2 – V1); (5/2)R(T2 – T1). (UFAL-2009.1) - ALTERNATIVA: C (RESOLUÇÃO NO FINAL) Uma dada quantidade de um gás pode passar do estado termodinâmico A para o C através dos percursos ABC ou AC (sem passar por B), mostrados no diagrama pressão vs. volume a seguir. Denotando por E a variação da energia interna do gás, por W o trabalho realizado pelo gás e por Q o calor absorvido pelo gás numa transformação termodinâmica, assinale a alternativa correta. a) WABC > WAC b) WABC < 0 e WAC > 0 *c) QABC < QAC d) EABC > EAC e) EABC < EAC

Assinale a alternativa que mostra CORRETAMENTE o que aconteceu, durante o processo, nas condições descritas acima: *a) A temperatura do gás permaneceu constante. b) A pressão do gás permaneceu constante. c) A temperatura do gás aumentou, pois ele é aquecido. d) A pressão e a temperatura do gás permaneceram constantes. (UFES-2009.1) - RESPOSTA: a) Sim b) 1,25.hatm [cm de Hg] c) (0,25.hatm + 2.h).A [cm3] d) 0,5.h.A.ln(0,8) [joules] Uma certa quantidade de mercúrio encontra-se em equilíbrio no interior de um tubo em U. As extremidades do tubo, inicialmente abertas, encontram-se a uma altura de h0 = 5h cm da superfície do mercúrio (Figura 1), onde h é uma constante. A extremidade esquerda do tubo é, então, lacrada (fechada) e mais mercúrio é introduzido muito, muito lentamente pela extremidade direita do tubo, até que a coluna de mercúrio do lado esquerdo (fechado) suba h1 = h cm (Figura 2). A área da secção transversal do tubo é A cm2 e a pressão atmosférica local é hatm cm de mercúrio (Hg). Considere o ar preso no lado esquerdo do tubo (Figura 2) um gás Ideal.

RESOLUÇÃO UFAL-2009.1: WABC < 0, WAC < 0 e | WABC | > | WAC | WABC < WAC EABC = EAC QABC - WABC = QAC - WAC QABC - QAC = WABC - WAC < 0 QABC < QAC OBS.: QABC < 0, QAC < 0 e | QABC | > | QAC |

a) Você espera que a transformação sofrida pelo ar preso no lado esquerdo do tubo seja isotérmica? Justifique sua resposta. b) Calcule, em cm de Hg, a pressão final do ar preso no lado esquerdo do tubo. c) Calcule, em cm3, a quantidade de mercúrio derramada no interior do tubo. d) Calcule, em joules, a quantidade de calor trocada pelo ar preso no lado esquerdo do tubo, sabendo que em uma transformação isotérmica o trabalho realizado por um gás ideal é dado por Wisoter = nRT ln Vfinal . Vinicial

Considere hatm cm de Hg igual a 105 Pa.

japizzirani@gmail.com

43

(UFMG-2009.1) - RESPOSTA: a) p0/dg b) menor (expansão adiabática) Para estudar o comportamento de um gás, um professor montou o sistema representado nesta figura:

2a LEI DA TERMODINÂICA
(UEL/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: D A conservação de alimentos pelo frio é uma das técnicas mais utilizadas no dia-a-dia, podendo ocorrer pelos processos de refrigeração ou de congelamento, conforme o tipo de alimento e o tempo de conservação desejado. Sobre os refrigeradores, considere as afirmativas. I. O refrigerador é uma máquina que transfere calor. II. O funcionamento do refrigerador envolve os ciclos de evaporação e de condensação do gás refrigerante. III. O gás refrigerante é uma substância com baixo calor latente de vaporização. IV. O processo de refrigeração realiza trabalho ao retirar calor da fonte fria e transferi-lo para a fonte quente. Assinale a alternativa correta. a) Somente as afirmativas I e II são corretas. b) Somente as afirmativas I e III são corretas. c) Somente as afirmativas III e IV são corretas. *d) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas. e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas. (UEL/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: E O rendimento ou eficiência de uma máquina térmica ideal é calculado por meio da equação

Nesse sistema, um recipiente de volume V, dotado de um êmbolo e de um registro R, contém um gás que se comporta como um gás ideal. Um manômetro, que consiste em um tubo de vidro, em forma de U, que contém mercúrio, tem uma de suas extremidades conectada ao recipiente, por intermédio do registro R, e a outra extremidade aberta. Inicialmente, o registro está aberto e o gás está à pressão atmosférica p0 e à temperatura ambiente T0. Sejam d a densidade do mercúrio e he e hd a altura das colunas de mercúrio, nos ramos da esquerda e da direita do tubo, respectivamente.. a) A partir de certo instante, o professor comprime o êmbolo, lentamente, para que o gás se mantenha à temperatura ambiente, até reduzir à metade o volume ocupado, no recipiente, pelo gás. Considerando essa situação, DETERMINE a diferença de altura (he – hd) entre as duas colunas de mercúrio no tubo de vidro, em termos de p0, d e g. b) Em seguida, o professor fecha o registro R e puxa o êmbolo, rapidamente, até este retornar à posição inicial. Isso feito, ele abre o registro R e, ao mesmo tempo, observa o nível de cada uma das colunas de mercúrio no tubo de vidro. Considerando essa nova situação, RESPONDA: A altura he é menor, igual ou maior que a altura hd? JUSTIFIQUE sua resposta. (UFOP/MG-2009.1) - RESPOSTA: a) 10 moles b) 24,9 kJ c) 37,35 kJ Observe, abaixo, o gráfico do volume em função da temperatura. Considere o processo isobárico de um gás monoatômico ideal representado no mesmo. Sendo P = 106 N/m2 e R 8,3 J/mol.K, calcule: V( )

=

Tquente - Tfria Tquente

onde Tquente e Tfria representam as temperaturas mais alta (combustão) e mais baixa (próxima à temperatura ambiente) de um motor térmico em um ciclo fechado e são expressas em unidades Kelvin. Em relação a um motor preparado para usar tanto o óleo diesel convencional quanto o óleo diesel feito com gordura de frango (biodiesel), considere as afirmativas. I. A temperatura mais alta a que estará submetido o motor será igual à da fervura da gordura de frango, que é muito menor do que a temperatura do óleo diesel convencional e, portanto, com um rendimento maior. II. A equação apresentada descreve o rendimento de uma máquina ideal, podendo ser utilizada para analisar o rendimento de máquinas reais. III. O rendimento de um motor independe do tipo de combustível usado; depende apenas das temperaturas mais alta e mais baixa a que está submetido. IV. O rendimento de qualquer máquina térmica, que pode ser calculado pela equação apresentada no enunciado, é inferior a 100%. Assinale a alternativa correta. a) Somente as afirmativas I e III são corretas. b) Somente as afirmativas I e IV são corretas. c) Somente as afirmativas II e IV são corretas. d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas. *e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas. (UFV/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B Uma máquina térmica, operando entre duas fontes quente e fria, às temperaturas de 327 oC e 27 oC, respectivamente, realiza um trabalho de 200 J, ao absorver 1.000 J da fonte quente. Caso essa máquina passasse a operar segundo o ciclo de Carnot, entre as mesmas fontes, seu rendimento seria: a) 100% *b) 50% c) 20% d) 0%

a) O número de moles do gás. b) O trabalho realizado pelo gás no processo AB. c) A variação de energia interna do gás no processo AB.

japizzirani@gmail.com

44

(UEM/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 28 (04+08+16) O diagrama pressão × volume abaixo ilustra a transformação cíclica que 1,0 mol de gás ideal sofre. Analisando o gráfico, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

(UFPE-2009.1) - ALTERNATIVA: C Um recipiente rígido e termicamente isolante, de volume V, é dividido em dois compartimentos, que são separados por uma válvula inicialmente fechada. O compartimento da esquerda contém um gás ideal, e o da direita está completamente vazio (ver a figura). Abre-se então a válvula, e o gás se expande livremente até ocupar todo o volume disponível nos dois compartimentos. Nesse contexto, qual das afirmativas abaixo está correta?

01) O gás sofre as transformações termodinâmicas, seguindo o ciclo de Carnot. 02) A variação da energia interna do gás quando passa do estado A para o estado C seguindo o caminho ABC é maior do que quando segue o caminho ADC, em um processo inverso. 04) A pressão em B é 6 × 105 Pa. 08) O trabalho realizado no ciclo fechado é 8 × 105 J. 16) A variação da energia interna para ir de D para A se deve à variação da quantidade de calor. (PUC/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C A palavra ciclo tem vários significados na linguagem cotidiana. Existem ciclos na economia, na literatura, na história e, em geral, com significados amplos, pois se referem a tendências, épocas, etc. Em termodinâmica, a palavra ciclo tem um significado preciso: é uma série de transformações sucessivas que recolocam o sistema de volta ao seu estado inicial com realização de trabalho positivo ou negativo e a troca de calor com a vizinhança. Assim, por exemplo, os motores automotivos foram bem compreendidos a partir das descrições de seus ciclos termodinâmicos. Considere o quadro a seguir onde são apresentadas três máquinas térmicas operando em ciclos entre fontes de calor nas temperaturas 300K e 500K. Q e W são, respectivamente, o calor trocado e o trabalho realizado em cada ciclo. Máquina A B C Q(Joule) 10.000 12.000 8000 W(Joule) 10.000 6000 3000

a) A entropia do gás e a sua energia interna permanecem constantes. b) A entropia do gás permanece constante, e a sua energia interna diminui. *c) A entropia do gás aumenta, e a sua energia interna permanece constante. d) A entropia do gás e a sua energia interna diminuem. e) A entropia do gás e a sua energia interna aumentam. (CEFET/CE-2009.1) - ALTERNATIVA: B Uma máquina de CARNOT, reversível, é projetada para operar entre duas fontes térmicas, seguindo o ciclo representado a seguir. O rendimento da referida máquina é p (Pa) a) 10% *b) 20% c) 25% 227 oC d) 50% e) 80% o
127 C V (m3)

(UFRN-2009.1) - ALTERNATIVA: B Até o século XVIII, pensava-se que uma máquina térmica, operando numa condição mínima de atrito, poderia converter em trabalho útil praticamente toda a energia térmica a ela fornecida. Porém, Sadi Carnot (1796-1832) mostrou que, em se tratando da energia fornecida a uma máquina térmica, a fração máxima que pode ser convertida em trabalho útil depende da diferença de temperatura entre a fonte quente e a fonte fria e é dada por: T – T1 , e= 2 T2 onde T1 é a temperatura da fonte fria, e T2 é a temperatura da fonte quente. Dessas afirmações, pode-se concluir que uma máquina térmica a) pode converter em trabalho útil toda a energia térmica a ela fornecida, mesmo que funcione em condições mínimas de atrito. *b) não pode converter em trabalho útil toda a energia térmica a ela fornecida, mesmo que funcione em condições mínimas de atrito. c) pode converter em trabalho útil toda a energia térmica a ela fornecida, desde que a temperatura da fonte fria seja 0 oC. d) não pode converter em trabalho útil toda a energia térmica a ela fornecida, a menos que a temperatura da fonte fria seja diferente de 0 oC . (UECE-2009.1) - ALTERNATIVA: C Imagine um sistema termicamente isolado, composto por cilindros conectados por uma válvula, inicialmente fechada. Um dos cilindros contêm um gás perfeito, mantido à pressão de 1 atm, e no outro, tem-se vácuo. Abrindo-se a válvula a) o gás se expande e, assim, sua temperatura diminui. b) a entropia do sistema se mantém constante, pois não há troca de calor. *c) a entropia do sistema aumenta, porque o processo é irreversível. d) a energia interna do gás diminui, porque sua pressão diminui.

De acordo com a termodinâmica, é possivel construir: a) as máquinas A, B e C. b) a máquina B apenas. *c) a máquina C apenas. d) a máquina A apenas. (UNIOESTE/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: D A termodinâmica sistematiza as leis empíricas sobre o comportamento térmico dos corpos macroscópicos e obtém seus conceitos diretamente dos experimentos. Tendo como base as leis da termodinâmica, analise as seguintes proposições: I – Uma transformação adiabática é aquela em que o sistema não troca calor com a vizinhança. Então o trabalho realizado pelo sistema é feito à custa da diminuição da energia interna do sistema. II – Em uma máquina térmica a energia térmica é integralmente transformada em trabalho. III – É impossível a energia térmica fluir espontaneamente de um sistema mais frio para um sistema mais quente. IV– O ciclo de Carnot é um ciclo reversível ideal com o qual seria possível obter o máximo rendimento. Estão corretas a) I e II b) I e IV c) III e IV *d) I, III e IV e) Todas

japizzirani@gmail.com

45

(UFCG/PB-2009.1) - ALTERNATIVA: B Pretende-se utilizar em sondas espaciais uma máquina térmica inventada no século XIX por Stirling e que, nas condições de trabalho, é a que maior aproximação tem com o rendimento da máquina de Carnot. O desenho mostra os diagramas PV e TS (Temperatura x Entropia) para um ciclo do seu funcionamento ideal. Suponha que um gás ideal seja a substância de trabalho do sistema.

(UFLA/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B No diagrama p×V abaixo está representado um ciclo termodinâmico ABCA percorrido por um gás ideal. As quantidades de calor envolvidas nas transformações AB e CA, em módulo, são: | QAB | = 60.000 cal e | QCA | = 28.000 cal. Considerando 1cal = 4 J, o rendimento no ciclo é a) 31%. *b) 5%. c) 47%. d) 1%.

Em relação a essa maquina térmica, pode-se afirmar, EXCETO, que a) na transformação 2 3 ha transferência de energia, por calor, da vizinhança para o sistema. *b) a diminuição da entropia (S) do sistema durante a transformação 4 1 significa que ha transferência de energia, por calor, da vizinhança para o sistema. c) pode-se afirmar com segurança que, no diagrama PV, a transformacao 3 4 e isotérmica. d) a energia interna do sistema aumenta na transformação 2 3. e) as quantidades de energia trocadas, por calor, nas transformações 2 3 e 4 1 são iguais. (UECE-2009.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: D Um aluno, estudando física térmica, fez as seguintes afirmações: ( ) A variação da energia interna de um sistema em um processo termodinâmico é a diferença entre o trabalho realizado e o calor trocado com o meio. ( ) O rendimento máximo de uma máquina térmica é 1. ( ) A energia do universo sempre se mantém constante. ( ) O calor sempre flui espontaneamente de um corpo quente para um corpo frio. Classifique as afirmações anteriores como verdadeiras (V) ou falsas (F), baseando-se, somente, no enunciado da Segunda Lei da Termodinâmica, e assinale a opção que contem a seqüência correta, de cima para baixo. a) V, F, V, F b) V, F, V, V c) F, V, V, F *d) F, F, F, V

(UESPI-2009.1) - ALTERNATIVA: C A afirmação “é impossível transformar completamente calor em trabalho, com nenhuma outra mudança ocorrendo no ambiente” diz respeito à a) lei zero da Termodinâmica. b) primeira lei da Termodinâmica. *c) segunda lei da Termodinâmica. d) terceira lei da Termodinâmica. e) quarta lei da Termodinâmica.

(UFV/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C A figura abaixo representa um ciclo de operação de uma máquina térmica reversível com rendimento R. Suponha que o funcionamento da máquina seja invertido, de modo que ela seja transformada em um refrigerador. Sabendo que a eficiência de um refrigerador é | Q2 | | W |, em função de R, essa eficiência será: a) (R - 1) R b) 1 R *c) (1 - R) R d) (1 + R) R

japizzirani@gmail.com

46

VESTIBULARES 2009.2 1a LEI DA TERMODINÂICA
(IF/CE-2009.2) - RESPOSTA: a) zero b) +200 J Em uma transformação isotérmica, um gás ideal realiza um trabalho de 200 J. Calcule a) a variação da energia interna do gás; b) a energia recebida pelo gás na forma de calor. (PUC/PR-2009.2) - ALTERNATIVA: C Na figura é mostrado esquematicamente um ciclo completo de um motor a combustão interna de “quatro tempos”: (a) uma mistura de ar e combustível vinda do carburador enche o cilindro enquanto o pistão se movimenta para baixo; (b) o pistão se move para cima e comprime a mistura adiabaticamente, pois não ocorre transferência alguma de calor, nem para fora nem para dentro da mistura; (c) uma centelha inicia a ignição e leva a mistura a uma alta temperatura; (d) a expansão adiabática empurra o pistão para baixo, num golpe potente; e (e) os gases da queima são expulsos pelo tubo de descarga. Então a válvula de admissão se abre, e o ciclo recomeça. Cada tempo do motor constitui um processo termodinâmico sobre o conteúdo do cilindro. Os quatro tempos, também chamados “estágios”, são: (a-b) admissão, (bc) compressão, (c-d) explosão e (d-e) exaustão. Analise as afirmações a seguir usando os princípios e conceitos da termodinâmica.

(PUC/RS-2009.2) - ALTERNATIVA: C O êmbolo de um cilindro que contém um gás ideal é empurrado para baixo conforme mostra a figura a seguir. Sabe-se que tanto as paredes do cilindro como o próprio êmbolo constituem-se de materiais que são isolantes térmicos.

Com relação a esse processo, é correto afirmar que a) não houve trocas de energia entre o gás e a vizinhança, e a pressão do gás aumentou, enquanto sua temperatura permaneceu constante. b) não houve trocas de energia entre o gás e a vizinhança, e a pressão e a temperatura do gás permaneceram constantes. *c) o gás recebeu energia da vizinhança, e sua pressão e temperatura aumentaram. d) o gás recebeu energia da vizinhança, sua pressão aumentou e a sua temperatura diminuiu. e) o gás perdeu energia para a vizinhança, sua pressão diminuiu e sua temperatura permaneceu constante. (UFU/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: C O recipiente abaixo contém um certo volume V de gás ideal a uma temperatura T e Pressão P.

I. No estágio (b-c), a energia interna da mistura aumenta. II. No estágio (c-d), a energia interna da mistura diminui. III. No estágio (d-e), mesmo antes de a mistura trocar calor com o ambiente, a energia interna dessa mistura diminui, pois ela realiza trabalho ao expandir contra a atmosfera exterior. Marque a alternativa CORRETA: a) Nenhuma afirmação é verdadeira. b) Apenas as afirmações I e II são verdadeiras. *c) As afirmações I, II e III são verdadeiras. d) Apenas a afirmação I é verdadeira. e) Apenas a afirmação III é verdadeira.

As paredes do cilindro são adiabáticas e o fundo fixo do cilindro é feito de material diatérmico (isto é, permite trocas de calor com o meio externo). Na parte superior do cilindro, há um êmbolo móvel, cujo atrito com a parede do cilindro deve ser desprezado. Em um dado instante, é fornecida uma quantidade de calor Q no cilindro, aquecendo-se o gás ideal. Ao mesmo tempo, pequenas esferas de massa m são colocadas lentamente no êmbolo superior, como mostrado na figura acima. Sabendo-se que o gás sofre uma expansão e, com base no processo acima, assinale a alternativa que melhor representa o caminho no diagrama de pressão em função do volume do gás.

a)

b)

(UCS/RS-2009.2) - ALTERNATIVA: A Numa festa ao ar livre, uma criança, em meio às brincadeiras, perde seu balão cheio de um gás ideal, que cai em um lugar exposto ao sol. A mesma criança que o perdeu encontra-o e percebe que ele está mais cheio. Isso aconteceu porque, com o calor do sol, *a) as moléculas do gás ficaram mais agitadas, aumentando a pressão. b) a massa das moléculas aumentou, aumentando a pressão. c) a energia cinética das moléculas diminuiu, aumentando a pressão. d) o aumento de pressão ocorreu por um processo adiabático; portanto, manteve a temperatura constante e variou o volume. e) o aumento de pressão ocorreu por um processo isotérmico; portanto, a temperatura e o volume também variaram.

*c)

d)

japizzirani@gmail.com

47

(UECE-2009.2) - ALTERNATIVA: C Sobre um sistema que sofre um ciclo termodinâmico completo, conforme ilustrado na figura a seguir, é correto afirmar que

(UECE-2009.2) - ALTERNATIVA: B A figura mostra três etapas de um processo termodinâmico isotérmico à temperatura T, no qual V1 = V2 = V3. Considere que W e U são o trabalho realizado pelo sistema e a variação de energia interna em cada etapa, respectivamente.

a) o trabalho realizado pelo sistema é nulo. b) a quantidade de calor trocado com a vizinhança no ciclo é nula. *c) o trabalho realizado pelo sistema é igual ao calor trocado no ciclo. d) o módulo do trabalho realizado pelo sistema é menor que o calor trocado no ciclo. (UDESC-2009.2) - RESPOSTA: a) TB = TC = 520 K b) –264 J (sobre o gás) c) nula em ambos Um sistema contendo um gás ideal monoatômico realiza um ciclo composto por três processos termodinâmicos, conforme mostra o gráfico abaixo.

Observando as três etapas, pode-se afirmar corretamente que a) W1 < W2 e U1 > U2 . *b) W2 > W3 e U2 = U3 . c) W2 < W3 e U2 > U3 . d) W3 > W2 e U1 = U2 . (UEM/PR-2009.2) - RESPOSTA: SOMA = 07 (01+02+04) Um gás ideal pode ser levado desde um estado inicial i até um estado final f, seguindo dois caminhos distintos, if e iAf, conforme o diagrama PV ilustrado abaixo. Assinale o que for correto.

I - O gás é aquecido a volume constante (processo AB). II - O gás realiza uma expansão isotérmica (processo BC). III - O gás sofre uma compreensão isobárica (processo CA). a) Sabendo que a temperatura no ponto A é de 260 K, determine as temperaturas correspondentes aos pontos B e C. b) Determine o trabalho realizado no processo III (CA). Este trabalho é realizado pelo gás ou sobre o gás? c) Qual a variação da energia interna no processo II (BC) e no ciclo completo? (UECE-2009.2) - ALTERNATIVA: A A figura a seguir mostra o estado inicial I de um gás ideal e uma isoterma à temperatura T. Considere que o sistema pode mudar de estado por quatro diferentes processos, aqui representados por quatro trajetórias, conforme a figura a seguir. O processo que resulta em aumento da energia interna é 1. *a) I b) I 2. c) I 3. d) I 4.

01) Quando o gás é levado do estado i para o estado A, sua energia interna aumenta. 02) Quando o gás é levado do estado A para o estado f, calor é transferido para o mesmo. 04) Quando o gás é levado diretamente do estado i para o estado f (caminho if), sua temperatura aumenta. 08) O trabalho realizado pelo gás é o mesmo, não importando qual o caminho escolhido para a realização do processo termodinâmico (caminhos if ou iAf). 16) A área do triângulo iAfi corresponde ao trabalho realizado pelo gás quando o caminho iAf for o escolhido para a transformação termodinâmica. (UEM/PR-2009.2) - RESPOSTA: SOMA = 14 (02+04+08) Nas mesmas condições iniciais, quantidades iguais de um gás ideal são colocadas em dois cilindros A e B, dotados de um êmbolo móvel sem atrito. O gás do cilindro A recebe Q calorias e sofre uma transformação isobárica quase estática. O gás do cilindro B recebe a mesma quantidade de calor e sofre uma transformação isotérmica quase estática. Ao final das transformações termodinâmicas, é correto afirmar que 01) o trabalho realizado pelo gás do cilindro A é maior que o trabalho realizado pelo gás do cilindro B. 02) o aumento na energia interna do gás no cilindro A é maior que o aumento da energia interna do gás no cilindro B. 04) a temperatura atingida pelo gás no cilindro A é maior que a temperatura atingida pelo gás no cilindro B. 08) a pressão atingida pelo gás no cilindro A é maior que a pressão atingida pelo gás no cilindro B. 16) o volume final do gás no cilindro A é maior que o volume final do gás no cilindro B.

japizzirani@gmail.com

48

(UFPel/RS-2009.2) - ALTERNATIVA: A De acordo a Termodinâmica considere as seguintes afirmações. I) A equação de estado de um gás ideal, pV = nRT, determina que a pressão, o volume, a massa e a temperatura podem assumir, simultaneamente, quaisquer valores arbitrários. II) A pressão que um gás exerce sobre as paredes do recipiente que o contém pode ser descrita pelas colisões contínuas das moléculas desse gás contra as paredes do recipiente. III) A energia cinética média das moléculas de um gás depende do quadrado da temperatura absoluta. IV) As unidades da constante universal dos gases, R, no Sistema Internacional de Unidades (S.I.) é dada em J/(mol K). São falsas apenas as afirmações *a) I e III. d) I, III e IV. b) I, II e IV. e) II e IV. c) II e III. (UFLA/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: A Um ciclo hipotético percorrido por um gás ideal é representado no diagrama PV abaixo. O processo AB é adiabático e a transformação CD é um processo isotérmico. Assinale a alternativa CORRETA.

(UFOP/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: D Suponhamos que seja filmado um jogo de bilhar em que as bolas estejam inicialmente colocadas na forma de um triângulo simétrico e concentradas no centro da mesa. Um jogador lança a bola branca, espalhando as demais bolas. Se passarmos o filme “ao contrário” para alguém, essa pessoa verá as bolas espalhadas se “juntarem” em uma forma simétrica novamente, enquanto a bola branca “recua”. De imediato, concluirá que o filme foi passado em reverso. O observador pode deduzir isso porque, no filme reverso, ocorreu a violação da seguinte lei da Física: a) 1ª Lei da Termodinâmica – ( Q = u + w) b) Conservação de Momento c) 2ª Lei de Newton – (F = ma) *d) 2ª Lei da Termodinâmica - (Lei da Variação da Entropia) (UFV/MG-2009.2) - RESPOSTA: a) 1 = 0,5 e 2 = 0,2 b) 480 J c) = 0,6 Duas máquinas térmicas estão ligadas de modo que a fonte fria de uma funciona como a fonte quente da outra, formando uma máquina térmica composta, conforme ilustrado na figura abaixo.

*a) No processo AB, o calor Q envolvido é igual a ZERO e a variação de temperatura T é positiva. b) No processo BC, o trabalho realizado é positivo e a variação de temperatura é T negativa. c) No processo CD, o trabalho realizado é nulo e a variação de temperatura T é positiva. d) No processo DA, o trabalho realizado é positivo e a variação de temperatura T é positiva.

Setas entrando e saindo representam as transferências de calor nas fontes quentes e frias, respectivamente. Sabendo que as quantidades de calor indicadas na figura são |Q1| = 800 J, |Q2| = 400 J e |Q3| = 320 J, calcule: a) O rendimento de cada uma das máquinas térmicas 1 e 2. b) O trabalho total realizado pela máquina térmica composta. c) O rendimento da máquina térmica composta. (UTFPR-2009.2) - ALTERNATIVA: A O diagrama a seguir representa a transformação cíclica termodinâmica sofrida por uma massa gasosa:

2a LEI DA TERMODINÂICA
(UEM/PR-2009.2) - RESPOSTA: SOMA = 02 (02) Analise as seguintes afirmativas: I. Uma das três leis de Newton estabelece que uma força sempre provoca variação na velocidade de um corpo. II. Uma das três leis de Newton estabelece que as forças sempre aparecem aos pares. III. Uma das três leis da termodinâmica estabelece que, em uma mudança de estado de um gás ideal, calor pode ser integralmente convertido em trabalho. IV. Uma das três leis da termodinâmica estabelece que uma máquina de Carnot pode ter rendimento de 100%. Dessas afirmativas, estão corretas 01) I e II. 02) II e III. 04) III e IV. 08) IV e I. 16) II e IV. (UFLA/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: C O esquema simplificado abaixo representa um motor térmico. Considere o calor absorvido do reservatório quente Q1 = 4×104 joules a cada segundo e o rendimento desse motor igual a 40% do rendimento de um motor de CARNOT, operando entre os mesmos reservatórios T1 e T2. Pode-se afirmar que a potência do referido motor é: a) 30 kW b) 18 kW *c) 12 kW d) 16 kW

De acordo com o digrama é correto afirmar que: *a) se o ciclo for percorrido em sentido horário, há conversão de calor em trabalho. b) ao passar de D para A, o trabalho realizado pelo gás é positivo. c) ao passar de B para C, o trabalho realizado pelo gás é positivo. d) a quantidade de calor recebida pelo gás é numericamente igual à área do quadrilátero ABCD. e) se o ciclo for percorrido em sentido horário, o sistema realiza trabalho sobre o gás.

(UDESC-2009.2) - RESPOSTA: a) Carnot = 1 – T2/T1 b) – 0,5 J/K c) +0,5 J/K Em cada ciclo, uma máquina remove 200 J de energia de um reservatório a 127 oC efetua trabalho e descarrega calor para um reservatório a 27 oC com rendimento de 25%. a) Prove que esta é uma máquina de Carnot. b) Determine a variação de entropia no reservatório quente. c) Determine a variação de entropia no reservatório frio.

japizzirani@gmail.com

49

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->