Você está na página 1de 35

ALCOHOL

ADDICTIONS

Darlene H. Moak
Raymond F. Anton

Janaína Monje
OBJETIVOS

• Principais Ações Farmacológicas


• Aspectos Clínicos
• Efeitos Patológicos
ÁLCOOL

• É uma substância de abuso, com uma estrutura


simples:
• 2 átomos de carbono;6 de hidrogênio; 1 de
oxigênio
• Droga Legal ou Substância lícita
• Considerada como fraca, comparada com as
demais
• Uso abusivo desta substância ocorre transtorno
psicológico, biológico e social
PRINCIPAIS AÇÕES
FARMACOLÓGICAS
• Metabolismo é o processo através do qual o
corpo humano converte uma substância ingerida
em outras substância, mais ou menos tóxicas do
que a original
• 1ª fase – metabolização – oxidação
• Oxidação – é conhecida desde década de 40 e
ocorre pela ação da enzima álcool desidrogenase,
que converte o álcool em acetaldeído que é
convertido em aldeído pela ação da enzima
acetaldeído desidrogenase
• Álcool desidrogenase – fígado - estômago
PRINCIPAIS AÇÕES
FARMACOLÓGICAS
• Mulheres parecem ter menos álcool
desidrogenase no estômago do que os
homens
• Deste modo, mulheres podem ter prejuízos
no fígado após uma carreira de bebida
menor que de homens, pela exposição do
fígado a altas concentrações de álcool
• Dissulfiram (antietanol) exerce sua função
sobre o metabolismo do álcool inibindo a
ação do aldeído desidrogenase
PRINCIPAIS AÇÕES
FARMACOLÓGICAS

• Este inibidor causa um acumulo do


metabólito tóxico. Aldeído é encontrado
apenas em pequenas quantidades nos
consumidores de álcool.
• Quando ocorre este acumulo é causado uma
angustiante síndrome clínica caracterizada
por: ruborização, náuseas e redução de
pressão
PRINCIPAIS AÇÕES
FARMACOLÓGICAS

• O álcool também é metabolizado por um caminho


alternativo envolvendo a enzima citocrono
P45011E1 ( CYP2E1). Exibe uma atividade
aumentada em indivíduos que bebem
cronicamente.
• Acetaminofen (Tylenol) também é metabolizado
pela CYP2E1, em bebedores pesados que há
evidências de que o uso de Acetaminofen resulta
em prejuízos ao fígado devido ao acumulo de
metabólitos tóxicos
AÇÕES NO SNC
• Álcool afeta vários sistemas
neurotransmissores
• Em pesquisas recentes realizadas por De
Witte (1996) com animais foi visto que:
O consumo agudo de álcool liberação
de serotonina
O consumo crônico liberação de
serotonina e a concentração de peptídeos,
opióides, endógenos e locais dependentes
do glutamato
MECANISMOS DE TOLERÂNCIA E
DEPENDÊNCIA

• Tolerância - é uma redução de tempo de efeitos


do comportamento após a ingestão da mesma dose
de álcool, após algum tempo de consumo.
• Tolerância metabólica – aumento da atividade de
enzimas responsáveis pelo metabolismo do álcool
• Tolerância comportamental – habilidade do
organismo para funcionar apesar da presença do
álcool.
• Tolerância neuronal – é a adaptação das células do
SNC aos efeitos do álcool
DEPENDÊNCIA

• Dependência ao álcool ocorre quando as


células do SNC solicitam a presença do
álcool para funcionar normalmente
• Não ocorrendo ingestão do álcool, há sinais
evidentes de S.A
• S.A . pode ser vista após pequenas doses de
álcool. Mas uma S.A . mais severa é vista
após um prolongado uso crônico do álcool
DEPENDÊNCIA
• Há evidências que diferem o papel de vários
mecanismos do SNC.
 Mudanças nas membranas neuronais ( 1985)
 Mudanças nas excitabilidade e função das células
nervosas, mediada pelo transporte de átomos
encarregados especialmente do cálcio(1986) e o
canal clorido receptor GABA ( 1987)
 Mudanças na atividade excitatória do sistema
neurotransmissor como o sistema glutamato ( 1995);
e mudanças nos sistemas mensageiros secundários.
ASPECTOS CLÍNICOS

• Álcool consumido é absorvido pela parede no


estômago e depende da concentração.
• Absorção no estomago é mais lenta que no
intestino delgado e pode ser lentificada se houver
alimentos. Com retorno do conteúdo gástrico a ser
esvaziado para o intestino delgado
• Na mulher a mesma dose de álcool resultará em
mais alta CAS do que para os homens, pois é
menor quantidade de líquido corporal e leva um
número menor de distribuição
INTERAÇÕES DE DROGAS

• Exposição crônica do álcool resulta em


atividade aumentada ou indução deste sistema
de enzimas, resultando em níveis diminuídos
de algumas medicações
• Medicação Cemitidina e Ranitidina parecem
ser capaz de aumentar concentração de álcool
através da inibição da enzima gástrica álcool
desidrogenase
• Combinação cocaína e álcool
INTERAÇÃO DE DROGAS

• Metabólito ativo Cocaitilene é eliminado mais


lentamente que a cocaína. Há informações que
o uso concorrente foi associado com o
decréscimo de sintomas de Abstinência e
diminuição do risco de convulsões.
• Pacientes que abusaram de ambas as drogas
mostram mais depressão do que pacientes
apenas de cocaína.
NICOTINA

• Alcoolistas tendem a fumar mais pesadamente que


fumantes sem dependência
• Os que abusam de álcool possuem maior facilidade
de morrer de doenças relacionadas com a nicotina que
pelos efeitos diretos do álcool.
• Nicotina mostrou causar tolerância a vários efeitos do
álcool, como hipotermia e tempo de sono.
• Já a maconha é também utilizada com o álcool e seus
efeitos não foram estudados extensivamente
SINTOMAS FISICOS DE USO,
ABUSO E DEPENDÊNCIA

• Bebedores com uso agudo do álcool resulta em efeitos


característicos para níveis de CAS diferente:
 Leve euforia – níveis de 30mg/dl
 Leve incoordenação – níveis de 50mg/dl
 Ataxia ou dificuldade de andar- 100mg/dl
 Confusão e um nível reduzido de atividade mental-
20mg/dl
 Estupor – 300mg/dl
 Anestesia – 400mg/dl
SINTOMAS FISICOS DE USO,
ABUSO E DEPENDÊNCIA

• Pode ocorrer o blecaute, que alguns


indivíduos intoxicados exibem uma
inabilidade para recordar eventos que
ocorreram durante a intoxicação
SNC
• Exposição crônica do álcool pode dar
surgimento a um número de mais síndromes
neurológicas difusas;
Encefalopatia de Wernike
Demência alcoólica
Neuropatia ( desordens nos nervos)
Miopatia ( músculos)
SNC
• Encefalopatia de Wernike é caracterizada pela tríade
: ataxia ( dificuldade com a marcha); anormalidades
oculomotora (dificuldade com os olhos); confusão
global
• Ocorre uma combinação coma psicose de
Korsakoff, que consiste de uma inabilidade
completa para aprender nova informação.
• A psicose de Korsakoff é permanente em cerca de
25% que a desenvolve. Essas duas síndromes
severas pode ser prevenida com a administração
direta de tiamina. Ocorre em pacientes entrando em
síndrome de abstinência
SNC

• Polineuropatia é a complicação neurológica


comum no alcoolismo. Indivíduos afetados
queixam – se de adormecimento, dor e
fraqueza, especialmente nas pernas.
• Miopatia life – threatining e aguda pode
ocorrer após uma bebedeira episódica, com
inchações muscular, fraqueza e dor, níveis de
creatinina elevados no sangue e mioglobinúria,
que pode resultar em prejuízo renal.
SISTEMA GASTRINTESTINAL E
FÍGADO
• Danos no fígado manifesta – se primeiro por esteatose
( gordura no fígado) que é reversível e clinicamente
silenciosa.
• Ocorre o desenvolvimento de hepatite alcoólica
• Cirrose ou prejuízo irreversível do fígado . È a mais
severa
• Cirrose parece se desenvolver ais rapidamente em
mulheres do que em homens
• Cirrose fluxo de sangue aumento de pressão
SGF

• Na circulação proximal do fígado ( hipertensão portal)


as veias do esôfago tornam – se aumentadas e formam
varizes. Estas podem sangrar espontaneamente,
levando a hemorragia gastrointestinal fatal.
• Síndrome hepato – renal na qual o fluxo do sangue nos
rins está diminuído e se manifesta com má produção de
urina diminuída e retenção de sódio e fluido
• Ocorre também inflamações no pâncreas ( pancreatite)
e doenças do estômago ou gastrite
SISTEMA CARDIOVASCULAR

• Uso crônico o álcool resulta em uma condição de


enfraquecimento do músculo cardíaco como “
cardiomiopatia”.
• Cardiomiopatia – pode levar a ritmos irregulares que
algumas vezes resuta em morte repentina ( 1978)
• Hipertensão ou pressão sanguínea elevada e mais
comum entre abusadores de álcool e indivíduos
dependentes.
• Infarte do miocárdio ou ataque do coração e dano
SISTEMA CARDIOVASCULAR
• Estudos sustentam um efeito benéfico do uso
moderado de álcool sobre os perfis gordurosos através
do aumento HDL(colesterol benéfico), fator
cardiovascular protetor.
• Importante lembrar que este estudo foi realizado com
bebedores moderados (- 3 doses diárias) e isto é
descartado quando ocorre o uso abusivo.
• Álcool atinge também a função plaquetária (1996),
este inibi a agregação plaquetária. Isto pode ser uma
causa para incidência de hemorragias cerebrais
observados em alcoólicos
SISTEMA ENDÓCRINO

• Álcool pode afetar o metabolismo da glucose e


cálcio e a função do sistema reprodutor
• Uso agudo do álcool resulta em baixo açucar
no sangue (hipoglicemia).
• Bebedores pesados crônicos podem ter
elevação de glucose (hiperglicemia)
• Uso agudo pode levar a uma insuficiência
transitória da importante glândula reguladora
do cálcio, a paratireóide(1991)
SISTEMA ENDÓCRINO

• Uso crônico do álcool leva a insuficiência da dieta do


cálcio e vitaminas D que pode levar a fragilização dos
ossos (osteoporose)
SISTEMA REPRODUTOR
• Amenorréia ou ausência de ciclos menstruais foram
observados em mulheres que bebem abusivamente
• A função testicular também profundamente afetada
com achados de níveis de testosterona diminuídos e o
aparecimento de caract. Sexuais femininas, tais como
o aumento dos seios
SINDROME DE ÁLCOOL FETAL

• A manifestação completa da SAF é


caracterizada pela tríade de malformação
facial característica, deficiência de
crescimento pré – pós natal e disfunção do
SNC. Estas incluem:
Fissuras pálpebras pequenas(olhos abertos),
parte média da face alongada, área entre a
boca e o nariz flácido, bochechas flácidas e
flacidez da ponta nasal
SAF
• Padrões foram sugeridos por Pratt em 1984.
• No inicio da gravidez o álcool age como a teratogena,
causando tanto morte celular como aberrações
cromossômicas.
• Desenvolvimento, o álcool pode agir como uma
toxina para as células. 8 a 10 semanas em diante
causa a desorganização e retarda a migração celular e
desenvolvimento
• Interfere com a produção de importantes
transmissores cerebrais e conduz a problemas
comportamentais.
EFEITOS COGNITIVOS

• Negativos os efeitos do álcool sobre o


funcionamento cognitivo. Sobre o efeito do
álcool desempenham pobremente em testes
cognitivos(1998)
• População de abuso e dependentes são
observados déficits em habilidades
perceptuais- motoras, desempenho espaço
visual, abstração e solução de problemas e
aprendizagem e processos de memória
(1993)
EFEITOS DE ESTADOS DE
ANSIEDADE E AFETIVOS
• Bebedores sociais mais pesados usam álcool
como um meio para melhorar inconfortáveis
estados de ansiedade e afetivos(1989)
• Sintomas depressivos é comum em indivíduos
com desordem pelo uso do álcool, sendo que
isso poderá continuar com um certo período de
abstinência.
• Suicídio é uma conseqüência tanto pelo uso do
álcool quanto de depressão . Atitude impulsiva
entre alcoolistas.
IMPULSIVIDADE E PERDA DE
REPRESSÃO SOCIAL

• Tanto homens como mulheres alcoolistas foram


considerados como tendo déficits em resolver
problemas interpessoais.
• Julgamento social e comportamento ou adaptação
são mediados, é possível que o comportamento social
prejudicado, julgamento, impulsividade e falta de
insight manifestado por alcoolistas ativos são
atribuíveis ao efeito tóxico direto sobre o cérebro.
FUNÇÃO FAMILIAR E
VIOLÊNCIA DOMÉSTICA
• Uso do álcool e outras drogas foi encontrado
como contribuindo para o abuso sexual e
físico contra crianças, embora seja difícil
estimar a extensão de risco aumentado
devido a limitação metodológica dos estudos
que foram feitos e há também evidencia para
sustentar uma ligação entre a experiência de
violência infantil e posterior abuso de álcool
e outra droga.
VEÍCULOS MOTORES E OUTROS
TRAUMAS

• O uso do álcool é freqüente em acidentes de


veículos motores, prejuízos com fogo e outros
traumas. Intoxicação alcoólica, definida com
uma concentração de álcool no sangue de
100mg %; é associada com 40-50% de
fatalidade no tráfego; 25-35% de prejuízos
com veículos motores não fatais, e mais de
64% de incêndios e queimaduras ( NIAAA –
1989)
DESEMPENHO OCUPACIONAL

• Bebedores sociais mostraram ser os mais prováveis


de sofrer prejuízos ocupacionais e ter mais faltas
devidos a esses prejuízos (1987)
• Um estudo da interação da etnicidade e estatus sócio
– econômico sobre as conseqüências sociais de beber
encontraram que homens negros pobres tinham mais
problemas ligados à bebida que homens pobres
brancos. Enquanto negros ricos relataram menos
problemas ligados à bebida que brancos ricos (1995)
CONSEQUÊNCIAS LEGAIS

• O álcool é importante no correlato de comportamento


criminal violento.
• Estimativas são de aproximadamente de 50% do crime
violento nos E.U.A . Com uso de álcool.
• Delinqüentes violentos mostraram ter bebido antes
algum incidente.
• Reabilitação de presos que inclui atenção para o
tratamento de desordens pelo uso de substância
poderiam ser apropriados, mas a efetividade de tais
programas de tratamento estão faltando até o presente
momento ( 1995)