Você está na página 1de 26

Psicologia da

Educação

Aula 1

Patrícia Rossi
Carraro
Plano de Ensino
Ementa: Origem e evolução da psicologia da
educação. O caráter aplicado da psicologia da
educação. A diferença entre a formação de hábitos
por condicionamentos e a aprendizagem significativa.
As teorias da aprendizagem, inatismo,
ambientalismo, sociointeracionismo. Aprendizagem
por identificação. Diferenças entre emoção e afeto.
A relevância da postura investigativa do professor,
consideração do contexto cultural dos alunos.
As dificuldades de aprendizagem. Fracasso escolar.

2
Plano de Ensino
Objetivo Geral: Conhecer a psicologia como ciência e suas
contribuições para o campo da educação possibilitando a
percepção de práticas de intervenções nos processos educativos
a partir das teorias da psicologia relacionadas à aprendizagem,
considerando os contextos familiar, social-cultural e histórico.

Objetivo Específico: compreender a tarefa de ensinar passando


pelos aspectos biológicos, afetivos, sociais e cognitivos,
contribuindo na construção da aprendizagem; discutir as
diferenças entre as teorias inatistas e ambientalistas; conhecer
a teoria sociointeracionista e o construtivismo; analisar situações
de ensino aprendizagem a partir de bases teóricas estudadas;
valorizar a mediação como forma de intervenção sistemática
e que deve passar por um processo de identificação construído
a partir de uma relação de troca.
3
Plano de Ensino
Conteúdo: A psicologia: do senso comum ao
conhecimento científico; a questão da exclusão no
campo educacional; concepções do desenvolvimento
humano: inatismo; ambientalismo; teorias da
psicologia contemporânea: behaviorismo, gestalt e a
psicanálise; aprendizagem: as diferentes visões
teóricas.

4
Plano de Ensino
Bibliografia Básica
PATTO, M. H. S. A produção do fracasso escolar: histórias de
submissão e rebeldia. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1999.
SALVADOR, C. C. Psicologia da Educação. Porto Alegre: Arte Médicas,
1999.
SALVADOR, C. C. Aprendizagem escolar e construção do
conhecimento. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.
GOULART, Í. B. Psicologia da Educação: fundamentos aplicados à
prática pedagógica. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 1990.

Bibliografia Complementar
CUNHA, M. V. Psicologia da Educação. RJ. DP&A. 2002.
OLIVEIRA, Z; Davis, C. Psicologia da Educação. São Paulo: Cortez,
1991.
MOREIRA, M. A. Teorias da Aprendizagem. São Paulo: EPU, 1999.
PATTO, M. H. S. Psicologia e Ideologia. São Paulo: TA Queiroz (s/d).
SOARES, M. Linguagem e Escola: uma perspectiva social. São Paulo:
Ática, 1994.
5
Psicologia e Senso comum

Evolução da Psicologia Científica

O conceito e o objeto de
Estudo de Psicologia

Psicologia e Educação

6
Psicologia e Senso Comum
• Qual seria a Psicologia usada pelas pessoas no
cotidiano?

• Essa psicologia não é a Psicologia dos Psicólogos.

• É denominada de Psicologia do Senso Comum.

7
Senso comum
• Conhecimento que vamos acumulando em nosso
cotidiano. Vai do hábito à tradição, e passa de
geração para geração.

www.thesecondinnings.com
• É intuitivo, espontâneo, de tentativas e erros.
A nossa vida diária seria muito complicada sem
esse conhecimento.

• Ex: Chá de boldo.

8
A História da Psicologia
• A história da Psicologia tem por volta dois milênios.

• Inicia-se com os gregos. Confunde-se com a


Filosofia até meados do século XIX. Sócrates,
Platão e Aristóteles iniciaram a instigante
investigação da alma humana.

• Encontra-se registros da Psicologia no Império


Romano, na Idade Média e no Renascimento.

9
A Psicologia como ciência
• A Psicologia como ciência não pode ser baseada
apenas nos conhecimentos cotidianos do senso
comum.

• A constituição da Psicologia como área do


conhecimento científico ocorreu muito
recentemente.

• A Psicologia como ciência tem pouco mais de cem


anos.

10
A Psicologia como ciência
• Em meados do século XIX, a psicologia que era
estudada pelos filósofos, passa a ser estudada pela
fisiologia e neurofisiologia.

http://dornsife.usc.edu
11
A Psicologia como ciência
• Realizavam-se formulações sobre o sistema
nervoso central, o pensamento, percepções e
sentimentos eram produtos desse sistema.

• Para conhecer o psiquismo tinha que se conhecer


o cérebro.

12
A psicologia científica nasceu nas Universidades
alemãs no século XIX e difundiu-se para todo o
mundo.

Wundt cria o primeiro laboratório de Psicologia –


experimentos na área da Psicofisiologia.

www.brynmawr.edu
Wundt no laboratório em Leipzig – considerado o pai da Psicologia Moderna
13
A psicologia ganha status de ciência na medida em
que se liberta da filosofia.

Define-se como objeto de estudo da Psicologia o

www.rug.nl
comportamento, a vida psíquica e a consciência.

Instrumentos de Psicologia Laboratório de Psicologia


14
Conceito de Psicologia
• Antigamente Psicologia (psique e logos) - psique
significa alma.

• A psique era defendida pelos gregos como a fonte


da vida, o que animava ou dava vida ao corpo.
Logos significa estudo.

• Etimologicamente: Psicologia significava o estudo


da alma.

15
Vídeo

Psicologia

16
Objeto de Estudo
• A Psicologia é uma área das Ciências Humanas.

• O objeto de estudo é o homem.

www.detskylekar-ostrava-zabreh.cz
17
Objeto de Estudo
• A Psicologia colabora com
o estudo da subjetividade
- forma particular, específica
de contribuição para a

www.yogatrail.com
compreensão da totalidade
da vida humana.
(BOCK, FURTADO e TEIXEIRA, 2008).

18
Psicologia
• Segundo Morris e Maisto
(2004), a Psicologia
é o estudo científico

https://ratiocinativa.files.wordpress.com
do comportamento e
dos processos mentais.
Está interessada em todos
os aspectos do inconsciente
e do comportamento
humano.

19
Psicologia
• No final do século XX, a psicologia cresceu
surpreendentemente. Surgiram novas tecnologias
de pesquisa, novos campos de investigação e novas
abordagens para o estudo do comportamento e dos
processos mentais.

• Esses avanços levaram a uma maior especialização


dentro da psicologia.

• A psicologia está constantemente redefinindo a


si mesma.

20
Psicologia e Educação
• Nosso interesse é pela educação, pelas questões
que envolvem os sujeitos em uma gama de
situações ou atividades educacionais, faz com que
coloquemos “a serviço da educação e do ensino o
conjunto dos conhecimentos psicológicos sobre as
bases do desenvolvimento e da aprendizagem.
Com eles, o professor estará em posição mais
favorável para planejar a sua ação”
(OLIVEIRA; DAVIS, 1994).

21
Referências
• BOCK, Ana Mercês Bahia; ODAIR, Furtado,
TEIXEIRA, Maria de Lourdes Trassi. Psicologias:
uma introdução ao estudo de psicologia. 13 ed. São
Paulo: Saraiva, 2008.

• MORRIS, Charles G.; MAISTO, Albert A. Introdução


à Psicologia. Tradução Ludmilla Lima, Marina
Sobreira Duarte Baptista. 6. ed. São Paulo: Prentice
Hall, 2004.

• OLIVEIRA, Zilma de M. R. de; DAVIS, Claudia.


Psicologia da Educação. São Paulo: Cortez, 1994.
22
Psicologia da
Educação

Atividade 1

Patrícia Rossi
Carraro
Vamos refletir?
• O que seria Subjetividade?

24
Comentários
• A subjetividade é a síntese singular e individual que
cada um de nós vai constituindo conforme vamos
nos desenvolvendo e vivenciando as experiências
da vida social e cultural.

• É uma síntese que de um lado nos identifica, por


ser única; e de outro lado nos iguala, na medida em
que os elementos que a constituem são
experienciados no campo comum da objetividade
social.

25
Comentários
• A subjetividade - é o mundo de ideias, significados
e emoções construído internamente pelo sujeito a
partir de suas relações sociais, de suas vivências e
de sua constituição biológica; é, também, fonte de
suas manifestações afetivas e comportamentais.

• É que constitui nosso modo de ser.

26