Você está na página 1de 23

ESTRATÉGIAS COMPETITIVAS

MICHAEL PORTER
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E EMPRESARIAL
AULA – 08

Prof. João Maurício G. Boaventura


ESTRATÉGIA COMPETITVA

É a busca de uma posição


competitiva favorável e
sustentável contra as forças que
determinam a concorrência na
indústria.
As 5 Forças Competitivas
ENTRANTES
POTENCIAIS

CONCORRENTES
NO RAMO

FORNECEDORES COMPRADORES

RIVALIDADE ENTRE
EMPRESAS

SUBSTITUTOS
VANTAGEM COMPETITIVA

A vantagem competitiva surge


fundamentalmente do valor que uma
empresa consegue criar para seus
compradores e que ultrapassa o custo
de fabricação da empresa.
CADEIA DE VALOR
Atividades de Apoio
Coordenação Administrativa e Serviços de Apoio
Administração de Recursos Humanos
Desenvolvimento Tecnológico
Obtenção de Recursos

Atendimento
Marketing
Logística Logística
Operações e ao
Interna Externa
Vendas
Cliente

Atividades Primárias
VANTAGEM COMPETITIVA

DOIS TIPOS BÁSICOS DE VANTAGEM COMPETITIVA

VANTAGEM DE CUSTO VANTAGEM DE DIFERENCIAÇÃO

SÃO DUAS FORMAS ALTERNATIVAS DE CRIAR


MAIS VALOR DO QUE OS CONCORRENTES
VANTAGEM DE CUSTO

Conseguir ofertar um determinado


produto ou serviço, com performance
comparável aos demais da indústria,
porém, detendo os menores custos
de produção e distribuição da
indústria.
VANTAGEM DE DIFERENCIAÇÃO

Atingir desempenho superior


(singular) em alguma área
importante de benefício ao cliente
(serviços, qualidade, tecnologia,
estilo), tendo custos similares aos
dos concorrentes.
ESTRATÉGIAS GENÉRICAS

Três Tipos de Estratégias Genéricas:


Liderança de Custo

Diferenciação

Enfoque
ESTRATÉGIAS GENÉRICAS
VANTAGEM ESTRATÉGICA
Exclusividade Percebida
Posição de Baixo Custo
ALVO ESTRATÉGICO

pelo Consumidor

No Âmbito de
Toda a Indústria LIDERANÇA NO
DIFERENCIAÇÃO
CUSTO TOTAL

Apenas em um FOCO
Segmento Particular
LIDERANÇA NO CUSTO TOTAL
•Conseguir os menores custos de produção
e distribuição na Indústria como um todo
para obter maior rentabilidade.

•Praticar preços equivalentes ou mais


baixos que os dos concorrentes e oferecer
produtos com qualidade aceitável.
LIDERANÇA NO CUSTO TOTAL

CAPACITAÇÕES REQUERIDAS

Investimento e acesso ao capital necessário


Boacapacidade de engenharia de processo
Supervisão intensa de mão-de-obra
Produtos projetados para facilitar a
fabricação
Sistema de distribuição com baixo custo
LIDERANÇA NO CUSTO TOTAL

RISCOS
Mudança tecnológica, anulando investimento
ou aprendizado anteriores.
Aprendizado de baixo custo por novas empresas
entrantes
ou por seguidores (imitação ou capacidade de investir
em instalações mais eficientes).
Incapacidade de ver a mudança necessária no produto
ou no seu marketing em virtude da atenção colocada no
custo (miopia).
Inflação de custos afetando o diferencial de preço.
DIFERENCIAÇÃO

Atingir desempenho superior (singular)


em alguma área importante de benefício
ao cliente (serviços, qualidade,
tecnologia, estilo), abordando todo o
mercado.

Obtenção de rentabilidade via preço-


prêmio, tendo custos similares aos dos
concorrentes.
DIFERENCIAÇÃO

CAPACITAÇÕES REQUERIDAS
Grande habilidade em marketing.
Boacapacidade em engenharia de produto.
Capacidade criativa elevada.
Grande capacidade em pesquisa básica.
Reputação da empresa como líder em qualidade
ou tecnologia.
DIFERENCIAÇÃO

RISCOS

O diferencial de custos entre os concorrentes


com produtos de baixo custo torna-se muito
grande, para que se consiga manter a
lealdade à marca
Necessidades ou desejos dos compradores
em relação ao fator de diferenciação diminui
Imitação reduzindo a diferenciação percebida
pelos consumidores
FOCO

•Abordar um ou poucos segmentos do


mercado, ao invés de abordar o
mercado todo, e procurar atender
melhor às necessidades desses
segmentos.

•Buscar liderança em custo ou


diferenciação, dentro do mercado-alvo,
usando um único marketing mix.
FOCO

CAPACITAÇÕES REQUERIDAS
Habilidades necessárias para obter
diferenciação ou vantagem de custo,
para atender o segmento-alvo
FOCO

RISCOS
O diferencial de custos em relação aos
concorrentes que atuam em todo o mercado se
amplia de tal modo, que elimina as vantagens de
custo de atender um alvo estreito ou anula a
diferenciação alcançadas pelo foco.
As diferenças nos produtos ou serviços
pretendidos entre o alvo estratégico e o mercado
como um todo se reduzem.
Concorrentes descobrem submercados dentro do
alvo estratégico, “desfocando” a empresa.
O PROBLEMA DO MEIO-TERMO
 A empresa que não tiver uma estratégia bem definida
terá o pior desempenho (indefinição estratégica)
 Empresas “em crise existencial” procuram ser superiores
em todas as dimensões estratégicas e acabam não sendo
boas em nenhuma dimensão específica

MOTIVOS:
As estratégias genéricas são alternativas que exigem
meios diferentes ou até incompatíveis de organização
Uma empresa indefinida é um conjunto conflitante de
arranjos organizacionais e sistemas internos de
motivação
ESTRATÉGIA DE CUSTO
Firma com vantagem de custo
Firma típica
Preço igual Preço menor
B0 Valor criado B1 B2
Excedente Excedente

Valor criado
do consumido r do consumido r Excedente

Valor criado
do consumidor
B 0 - P0 B 1 - P1
P0 Lucro P1 B 2 - P2
Lucro
do produtor P2
P0 - C 0 do produtor Lucro
C0 P1 - C 1
do produtor

Custo
C1 C 2 P2 - C 2
Custo Custo
C0
C1 C2
Margem maior Volume maior
Volume igual Margem igual
ESTRATÉGIA DE DIFERENCIAÇÃO
Firma com vantagem de diferenciação
Firma típica Preço maior Preço igual
B1 B2
B0

Valor criado

Valor criado
Excedente Excedente
do do
Excedente P consumidor
Valor criado

consumidor
P do
B 1 - P1 P2 B 2 - P2
consumidor 1
0 B 0 - P0 Lucro
Lucro
do produtor
C Lucro C do produtor C2 P2 - C 2
do produtor
0 P0 - C 0 1
P1 - C 1
Custo
Custo
C0 Custo C2
C1 maior
Margem Volume maior
Volume igual Margem igual
FIM