Você está na página 1de 12

ANÁLISE BIOMECÂNICA DO

CHUTE NO FUTEBOL.
PROF . DR . GILSON OLIVEIRA FILHO
• Segundo Moreira et al (2004), ocorre na articulação do joelho uma
extensão brusca e rápida do joelho realizada pelo músculo
quadríceps (reto femoral, vasto medial, vasto lateral e vasto
intermédio) seguido de uma flexão de quadril (realizado pelos
músculos reto femoral, iliopsoas e tensor da fáscia lata)
acompanhada de contração dos músculos abdominais.
• O membro apoiado está com o quadril (músculo glúteo máximo e
isquiotibiais) e o joelho (músculo quadríceps) em extensão. A articulação do
joelho é a de maior contribuição na velocidade final do chute, quando esta
realiza a extensão plena.
•     A abordagem cinesiológica descrita baseia-se na compreensão das ações
musculares identificadas pelos seguintes autores: Kendal et al, Marques,
Moore e Dalley, Netter, Smith et al, Weineck e Wirdhed (3,6,7,9,11,14 e 15)
apud Moreira et al (2004).
•     Na articulação do quadril do membro anterior é realizada uma semiflexão
do quadril pelos músculos reto femoral, tensor da fáscia lata, pectíneo e
sartório, adutor curto, adutor longo e porção adutora do músculo adutor
magno.
•     O joelho do membro anterior está encaminhando para extensão. O
músculo agonista deste movimento é o quadríceps femoral.
•     No membro posicionado posteriormente o joelho está em semiflexão, os
músculos trabalhados são os isquiotibiais (semitendíneo, semimembranáceo,
e bíceps femoral), grácil e poplíteo.
• Os antagonistas responsáveis por sustentar o movimento estudado são os
isquiotibiais (semitendíneo, semimembranáceo e bíceps femoral) e glúteo
máximo.
•     Na articulação do tornozelo, o tornozelo do membro anterior realiza a fase de
apoio do ciclo da marcha. Está em posição neutra (toque de calcanhar), tendendo
a dorsiflexão (aplanamento do pé), movimentos realizado pelos músculos
gastrocnêmios, sóleo, fibular longo, fibular curto, plantar, tibial posterior, flexor
longo do hálux e flexor longo dos dedos).
•     Na fase de execução, o centro de gravidade do jogador é alterado para a
manutenção do equilíbrio.
•     A abordagem cinesiológica do quadril no membro dominante nesta fase foi
descrita como flexão do quadril (retorno da extensão), adução (movimento
realizado pelos músculos adutor magno, adutor curto, adutor longo e pectíneo) e
rotação interna (realizada pelos músculos glúteo médio, glúteo mínimo, tensor da
fáscia lata). O membro apoiado está em semiflexão, em cadeia cinética fechada.
• O joelho do membro dominante sofre uma extensão, ainda que incompleta. O
membro apoiado continua em semiflexão.
•     A articulação do tornozelo no membro dominante se mantém em flexão plantar
até que o pé toque a bola. O membro de apoio mantém a sua posição neutra.
•     Por inércia, um corpo em movimento tende a permanecer em movimento, até
que uma outra força o faça voltar ao seu estado de repouso. O sistema
neuromuscular consegue tirar vantagem de movimentos passivos.
•     Observando o movimento da análise, ligamentos, tendões, músculos, cápsula
articular e ossos tem a função de limitar a execução do movimento protegendo
a articulação de não realizar um movimento fora de suas características. Sendo
assim, quando se executa o chute no futebol o corpo realiza uma flexão de
quadril, essa flexão acontece na própria articulação do quadril, os responsáveis
por limitar o movimento do quadril para que o mesmo não execute um
movimento além de suas características são: cápsula articular posterior,
ligamento isquiofemoral, ligamento da cabeça do fêmur.
• Para que esse mesmo joelho não realize movimento fora de suas
características, os limitadores irão trabalhar para proteger essa articulação. O
limitador da articulação do joelho é o ligamento cruzado anterior. O
tornozelo é limitado pela cápsula articular, ligamento tibiofibular anterior e
posterior. (SCHMIDT, 2013)
•FIM
• www.gilsonoliveirafilho.com.br

• (Facebook) gilson ramos oliveira

• (E-mail) : gilsonolivfil@gmail.com