Você está na página 1de 31

|   |


    
           

   


 ! 

Profa. Andrea Ferreira


andreaferreira@ifba.edu.br
10/04/2011 1
|   | 
    
           

 "|#  #


‡ Do ponto de vista do destinatário
± Todos os sinais de comunicação são aleatórios e
imprevisíveis
± O receptor conhece
‡ Características gerais dos sinais usados:
largura de banda, densidade espectral de
potência, código e técnica de modulação

10/04/2011 2
|   | 
    
           

 "|#  #


‡ Impossibilidade de descrição matemática determinísticas
para sinais de informação
± Lida-se com descrições probabilísticas em que os
sinais são modelados por processos aleatórios;
‡ Em qualquer sistema de transmissão estão presentes
outros sinais indesejáveis designados por ruído, que não
é possível eliminar totalmente;
‡ Sinais aleatórios são a manifestação de processos
aleatórios ou estocásticos que têm lugar ao longo do
tempo.
10/04/2011 3
|   | 
    
           

 "|#  #


Considere um conjunto de formas de onda correspondentes à emissão
de diferentes mensagens por uma fonte de informação.
A mensagem concreta que é emitida a cada instante é desconhecida à
priori, sendo portanto imprevisível a forma de onda que irá ser
produzida.

10/04/2011 4
|   | 
    
           

 "|#  #

‡ Os sinais podem ser de valor real ou complexo


mas o tempo (variável independente) é sempre
real.
‡ Pode-se classificar os sinais:
± Sinais de tempo contínuo e tempo discreto
± Sinais pares e ímpares
± Sinais periódicos e não-periódicos
± Sinais determinísticos e sinais aleatórios

10/04/2011 5
|   | 
    
           

#   "    



 $ %   
 
Um sinal x(t) é um sinal de tempo contínuo se ele for
definido para todo tempo t

10/04/2011 6
|   | 
    
           

#   "    



 $ %   
 
‡ Um sinal de tempo discreto x[n] é definido somente
em instantes isolados de tempo e pode ser derivado
de um sinal de tempo contínuo x(t) fazendo
amostragem a uma taxa uniforme â , tal que  > â ,
de modo que

10/04/2011 7
|   | 
    
           

#   "    


$

‡ Um sinal é dito ser p  se ele satisfaz a condição
x(-t)=x(t),
Isto é, simétrico ao eixo vertical.

10/04/2011 8
|   | 
    
           

#   "    


$

‡ Um sinal é dito ser ±  se ele satisfaz a condição
x(-t)=-x(t),
Isto é, antissimétrico ao eixo do tempo.

10/04/2011 9
|   | 
    
           

#   "    


$

‡ Para sinal de valor complexo, diz-se que ele
tem conjugado simétrico se

Onde:

10/04/2011 10
|   | 
    
           

#   "    


$


‡ Ou seja, um sinal complexo é conjugado


simétrico se sua parte real for par e a parte
imaginária for ímpar
‡ Uma observação similar se aplica a um sinal de
tempo discreto

10/04/2011 11
|   | 
    
           

&
 "     $


10/04/2011 12
|   | 
    
           

#   "   '   


 '  
‡ Um sinal periódico satisfaz a condição x(t)=x(t+T), em
que T é uma constante positiva
‡ Se esta condição valer para T=T0, então vale para
T=2T0, 3T0, ..., onde T0 é o período fundamental de
x(t), cuja frequência fundamental é f=1/T e a
frequência angular é dada por Ȧ=2ö/T
‡ Já o sinal aperiódico ou não-periódico não satisfaz a
condição acima.
10/04/2011 13
|   | 
    
           

#   "   '   


 '  
Sinal Periódico, com amplitude A=1 e período T Sinal Aperiódico

10/04/2011 14
|   | 
    
           

#   "   '   


 '  

‡ Sinais discretos são periódicos se x[n]=x[n+N], para


todos os números inteiros de n, sendo N um número
inteiro positivo
‡ O menor valor inteiro de N para o qual a equação
acima é satisfeita é chamado de período
fundamental, cuja frequência angular é dada por

10/04/2011 15
|   | 
    
           

#   "   '   


 '  
Sinal Periódico Discreto

10/04/2011 16
|   | 
    
           

#   "   '   


 '  

Sinal Aperiódico Discreto

10/04/2011 17
|   | 
    
           

#   "    


 $  
    ' 
‡ Um sinal determinístico é um sinal sobre o qual não existe
nenhuma incerteza com respeito a seu valor em qualquer instante.
Podem ser modelados por uma função.

10/04/2011 18
|   | 
    
           

#   "    


 $  
    ' 

‡ Um sinal aleatório é um sinal sobre o qual há incerteza


antes de sua ocorrência real
‡ Um sinal aleatório pertence a um grupo de sinais onde
cada sinal é diferente do outro e tem sua probabilidade
de ocorrência
‡ O conjunto de sinais aleatórios é chamado de
   ' (

10/04/2011 19
|   | 
    
           

   ' 

‡ Um processo aleatório s(t)=s(t,a) não é mais que uma família de


variáveis aleatórias s(t1), s(t2), s(t3),....s(ti)
± cujas funções densidade de probabilidade (fdp) descrevem o
processo aleatório nos respectivos instantes de tempo

     
  u 

10/04/2011 20
|   | 
    
           

    )  ' 


‡ Para efeitos de análise de sistema de informação
± A função densidade de probabilidade p(s) de um sinal
aleatório ergódico substitui a sua descrição temporal
‡ Os sinais de comunicação são razoavelmente bem modelados
por processos estocásticos ergódicos.

10/04/2011 21
|   | 
    
           

%$ *   %

Caracterizam-se por:
‡ Uma fdp gaussiana;
‡ Um densidade espectral constante ao longo de quase
todo o espectro.
‡ Chamado h    por analogia com a luz branca
± Nas comunicações o ruído branco e gaussiano é
um modelo aceitável para o ruído total presente.

10/04/2011 22
|   | 
    
           

 $  %$ *   %

 
4 > 
 

   
 
  
   ÷ 

10/04/2011 23
|   | 
    
           

 )   
  

 
  " Podem ser analisados pela Teoria de Processos
Estocásticos ± fornecem soluções mais genéricas.

  Ú Ã  
 

Sistema linear com sinal aleatório de entrada

10/04/2011 24
|   | 
    
           

 )   
  

A transformada de Fourier da resposta do impulso !  é:

 Ã >    


u

A resposta Y(t) é obtida pela convolução do sinal de entrada com a


função de transferência temporal:

  >        >      u >      u

10/04/2011 25
|   | 
    
           

+      $ 


O valor médio do sinal aleatório de saída do sistema linear pode ser
calculado por:

   >       u  >       u


Considerando X(t) estacionário no sentido estrito, E[X(t±Y) = E[X(t)] =
X, portanto:

   > ;    u  > ;   


Assim, o valor médio do sinal de saída depende apenas da média do
sinal de entrada e do valor da função de transferência na origem.
10/04/2011 26
|   | 
    
           

     
     
 ' 
O cálculo da auto-correlação do sinal de saída, dada a auto-
correlação do sinal de entrada, obedece o seguinte procedimento:

  Ú Ã  
  î Ã Ã Ã
    

Sistema linear e suas relações entre as medidas

10/04/2011 27
|   | 
    
           

     
     
 ' 
A relação entre a    e a $  e dada por:

  >    l  l ul >    l  l ul >   

A função auto-correlação é calculada a partir da definição:


 

  >       >     l  l ul        u >

  
 
>        l      ul
 
ou seja:

          uu
10/04/2011 28
|   | 
    
           

     
     
 ' 
A correlação entre a entrada e a saída é dada por:


  >        
A correlação entre a saída e a entrada é dada por:

        

10/04/2011 29
|   | 
    
           

     
     
 ' 
Para um sistema linear, a correlação entre a saída e a entrada é:


  >     l  l ul      
Pela linearidade das operações:

  >     l      l ul > 


   l  l ul
Da mesma maneira:


  > 
  l  l ul

10/04/2011 30
|   | 
    
           

     
     
 ' 
Ou seja:
     

     
As DEP cruzadas entre a entrada e a saída e entre a saída e a
entrada são:

    Ã Ú Ã


    Ã Ú Ã
10/04/2011 31