UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA Faculdade de Ciências da Saúde Medicina Dentária e Comunitária Ano Lectivo: 2011/2012

Diana Oliveira Nº 23946

 Revisão das estratégias preventivas em Odontologia.  . a importância do auto exame da boca e do diagnóstico precoce da doença. além de publicações on-line. Para seleccionar o artigo foram utilizadas as seguintes palavraschave: saúde oral. levantando questões referentes ao cancro da boca e os seus factores de risco. cancro oral e pré-cancro oral. Foi realizado um levantamento bibliográfico.

• • • • . os seus fatores de risco e contribuindo com informações de saúde. e agentes comunitários de saúde (ACS). técnicos de higiene dental (THDs). a realização de palestras educativas. para: a realização de exames preventivos e diagnósticos (autoexame e citologia esfoliativa da mucosa bucal). elaborar e reproduzir material educativo que foi utilizado como instrumento motivador para a realização do autoexame de boca. esclarecendo a doença. atendentes de consultório dentário (ACDs). implementar uma campanha educativa para valorização da saúde bucal e detecção precoce do cancro da boca para a população. Capacitou-se cirurgiões-dentistas (CDs).

afectando o epitélio da mucosa oral. associado a índices de mortalidade elevados. etc. conjunto de tumores malignos que afectam qualquer localização da cavidade oral. a sua localização mais comum é no pavimento da boca (mucosa abaixo da língua). sarcomas. que se deve em grande parte ao seu diagnóstico tardio    . Os restantes correspondem a formas mais raras de tumores e incluem os linfomas. dos lábios à garganta (incluindo as amígdalas e a faringe). mais de 90% destes cancros são designados por carcinomas. bordo lateral da língua e o palato mole. melanomas.

através do auto exame. diagnosticar e passar orientação com precisão e rapidez educar e orientar a população para. a fim de obter um diagnóstico precoce. reconhecer. Os programas de prevenção do cancro e précancro da boca podem e devem ser implantados devido ao baixo custo e por terem a capacidade de atingirem um grande número de pessoas.  responsabilidade do médico dentista: examinar. conseguir identificar alterações que podem ser os primeiros sinais de uma lesão oral.  .

áreas endurecidas. lesões que não cicatrizam. lesões brancas e vermelhas. dor. . linfadenopatia (gânglios linfáticos aumentados). áreas de crescimento tecidular. parestesia (perdas de sensibilidade).          úlceras persistentes. disfagia (dificuldade em deglutir). mobilidade dentária.

Carcinoma do bordo da língua Carcinoma rebordo alveolar Leucoplasia Ulceração no dorso da lígua .

THD). consequências e possibilidade de cura. negativas e mesmo desinformação sobre a doença a que esta população estava sujeita.    O curso obteve aceitação por parte do público alvo (ACS. principais fatores de risco. cujo progresso no que concerne ao conhecimento da doença e identificação de lesões e/ou fatores de risco para o desenvolvimento do cancro bucal foram visíveis de imediato É consenso que o cirurgião-dentista tem a responsabilidade de diagnosticar as lesões iniciais que podem ser tratadas e. Pôde-se constatar informações incorretas. curadas. CD. bem como pela possibilidade de prevenção e diagnóstico precoce para a mesma. . pelo esclarecimento sobre a doença. A população atendida expressou satisfação. cabendo ao mesmo orientar e esclarecer a população sobre esta doença. as suas causas. ACD. em muitos casos. sendo imprescindível o esclarecimento e fornecimento de informações corretas sobre o cancro oral. através de depoimentos escritos.

 Tabaco Álcool   Cirurgia Radioterapia  .

diminuição do consumo de álcool. visitas regulares ao Médico Dentista que permitam que tais lesões sejam diagnosticadas nas suas fases mais precoces.     adopção de um estilo de vida saudável. não fumar. . consumo regular de vegetais frescos e frutas como factor protector.

.

        Mudanças na aparência dos lábios e da porção interna da boca Endurecimentos Caroços Feridas Hemorrogias Inchaços Áreas dormentes Dentes amolecidos ou quebrados .

    o conhecimento por si só não é capaz de modificar hábitos é fundamental a utilização de meios correctos de higienização motivação tem um papel fulcral os programas de prevenção de cancro bucal devem e podem ser implementados noutros serviços de saúde. com vista o baixo custo e a alta capacidade diagnóstica frente à doença e os seus fatores de risco .

Cabral. Lopes.. John J. Internet:    Cancro Oral [em linha]. Regina Maria (2003) Prevenção e diagnóstico precoce do Câncer de boca: uma medida simples e eficaz. Silveira. Disponível em <http://www.ada.oralcancer. Aurora Karla de Lacerda.A Commitment to Action Vidal. Nunn.org/2607. Mcgraw-Hill Interamericana The Crete Declaration on Oral Cancer Prevention 2005 . Disponível em <http://medicosdeportugal.org/dental/pdf/canadian_study.aspx> [consultado em 18/11/2011] Oral Cancer Prevention [em linha].saude.pt/publico/cancro-oral> [consultado em 18/11/2011] <http://www..medicinenet.pdf> [consultado em 18/11/2011] Prevenção do Cancro Oral [em linha]. Soares. Steele.pt/utentes/prevencao/prevencao_do_cancro_oral> em 18/11/2011] [consultado ...omd. Disponível em <http://www. Elizabeth Azevedo. Arnaldo de França Caldas. Renata Cimões Jovino.sapo.. Murray. Disponível em Oral Cancer [em linha].com/script/main/art. 4ª Ed.    Higashida. Eliane Helena Alvim de. Souza. Disponível em <http://www. June H. Júnior. (2005) Doenças Orais: Medidas Preventivas. (2000) Odontologia Preventiva. Antônio Carlos. Bertha. Guanabara Koogan Ed.asp?articlekey=57325> [consultado em 18/11/2011]   Oral Cancer Prevention [em linha]. Recife. James G.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful