P. 1
Educacao de Jovens e Adultos No Brasil Helvecio (1)

Educacao de Jovens e Adultos No Brasil Helvecio (1)

|Views: 28|Likes:
Publicado porMarina Reboucas

More info:

Published by: Marina Reboucas on Nov 12, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/28/2013

pdf

text

original

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NO BRASIL: HISTÓRIA E POLÍTICA

Raimundo Helvécio Almeida Aguiar

CRONOLOGIA Origem:
1549  Educação Jesuítica – Regimento de Dom João III: “conversão dos indígenas pela catequese e pela instrução”

1750  Expulsão dos Jesuítas – Instituição das aulas régias: profissionalização e qualificação de docentes 1808  Criação de Cursos Superiores na Bahia, Rio de Janeiro, Pernambuco e Minas Gerais

.. Oficiais de Lima e Espingardeiros em Minas Gerais 1824  Constituição Imperial: “.instrução primária e gratuita para todos os cidadãos” 1921  Conferência Interestadual no Rio de Janeiro cria escolas noturnas para adultos com duração de um ano .1812  Reabertura das fábricas fechadas na “era pombalina” (Alvará de 1785) – Criação da Escola de Serralheiros.

1925  Decreto 16782/A (Lei Rocha Vaz ou Reforma João Alves): Criação de Escolas Noturnas de Ensino Primário para adultos 1934  Constituição da República Nova 1936/1937  Plano Nacional de Educação obrigava a gratuidade do ensino primário integral (estendido aos adultos) .

1945  Decreto 19513: Institui dotação orçamentária de “25% de cada auxílio federal para Educação Primária de adolescentes e adultos analfabetos. criando o “curso primário supletivo” 1946 Constituição reconhece a educação como direito de todos e o ensino primário oficial gratuito para todos . observados os termos de um plano geral de ensino supletivo” 1946  Decreto-Lei 8529: Instituía a Lei Orgânica do Ensino Primário.

Movimentos Importantes 1950  Atividades pastorais da Igreja Católica. nos subúrbios e áreas rurais 1952  Campanha Nacional de Educação Rural (CNER) 1958  Campanha Nacional Erradicação do Analfabetismo (CNEA) de 1961  Movimento de Educação de Base (MEB) .

Natal 1964  Programa Alfabetização do MEC Nacional de .1962  Movimento de Cultura Popular do Recife/Paulo Freire (MCP) 1962  Centro Popular de Cultura da UNE (CPC) 1963  “De pé no chão também se aprende a ler”.

1964  Estagnação do processo sob alegação oficial de que os movimentos anteriores eram de cunho “ideológico” .

895.criação do Movimento Brasileiro de Alfabetização (MOBRAL) 1985  Decreto 91980. 20/12/66 .O pós-64 1966  Decreto Lei 57. 15/12/67 . 25/11/85 – substitui o MOBRAL e cria a Fundação EDUCAR .determina a utilização dos Fundos Nacionais de Ensino Primário e Médio na alfabetização de maiores de dez anos 1967  Lei 5379.

06/02/86 aprova o Estatuto da Fundação EDUCAR 1988  Constituição Federal – prevê a modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA) 1990  Medida Provisória 151.1986  Decreto 92374. 15/03/90 – extingue a Fundação EDUCAR .

1996  Lei 9394. 20/12/96 – regulamenta disposição constitucional e prevê a modalidade de EJA 1996  Projeto de Lei 1603/96 propõe o Sistema de Educação Profissional – 1997  Decreto 2208/97 – regulamenta disposições da Lei 9394/96 e institui o Sistema de Educação Profissional .

baseada bo Parecer 11/2000 de Carlos Jamil Cury 2001  Plano Nacional de Educação – sancionado pelo Presidente da República – mantém a modalidade de EJA – Veto aos recursos orçamentários para EJA . 1 do Conselho Nacional de Educação – estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos.1998  Projeto de Lei 4173/98 – propõe o Plano Nacional de Educação e inclui a modalidade de EJA 2000  Resolução n.

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL .

Projeto de Lei 1603/96  Normaliza a Educação Profissional estabelecendo “. nem assegura equivalência” (Kuenzer. 1997).  Prevê a separação entre a formação básica/ensino regular (de caráter científicotecnológico e sócio-histórico) e a formação profissional. em articulação com o ensino regular. Articulação não significa integração. uma rede própria para a educação profissional.. ..

Pretende um retorno à década de 40 . Supõe uma ruptura entre acadêmico por não ser prático e tecnológico  Parece desconhecer transdisciplinar da ciência o o o saber saber caráter  Reforça a idéia de duas redes paralelas: uma para “acadêmicos” e outra para trabalhadores.

 Fundamenta-se em determinados pelo Banco Mundial: .cursos curtos pressupostos . mantém os pressupostos do Banco Mundial.estímulo à participação de empresários na gestão da escola  Decreto 2208/97.financiamento por ex-alunos . regulamenta disposições fixadas pela LDB e institui o Sistema de Educação Profissional. .participação dos estudantes no custeio de ensino .

.  Em 2004 é editado o documento “Proposta de Políticas Públicas para a Educação Profissional e Tecnológica” e revogado o decreto 2208/97. 4 do Conselho Nacional de Educação institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional de Nível Técnico.Documentos Legais para a Educação Profissional  Em 1999 a Resolução n.

2006  Educação de Jovens e Adultos  SECAD (Secretaria de Educação Continuada.) . Alfabetização e Cidadania.Os dias atuais 2004  Decreto 5154 Extingue a vigência do Decreto 2208/97. criada em 2004.

 Departamento Institucional. de Educação para Diversidade e de Desenvolvimento e Articulação de Avaliação e Informações Programas:  Brasil Alfabetizado. .  Conexões de Saberes. de Educação de Jovens e Adultos.  Departamento Educacionais.  Quilombolas.SECAD:  Departamento  Departamento Cidadania.  Escola que protege.

Ações do MEC :  ampliação de vagas.disponibilizado pela COEJA  Legislação – dispositivos legais federais que respaldam a EJA .  recuperação e melhoria da escola pública.  valorização do professor Programa Fazendo Escola – programa de apoio à EJA Proposta Curricular – subsídios à elaboração de projetos e propostas curriculares para o 1° e 2° segmentos do Ensino Fundamental  Material didático .

os projetos: • Ações Educacionais Complementares * ações de apoio educacional * ações educativas complementares • Diversidade e Inclusão Educacional • Educação do Campo • Educação Escolar Indígena .SECAD mantêm. ainda.

2006 .Mapa da Alfabetização no Brasil Programa Brasil Alfabetizado Fonte: MEC/SECAD.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->