Você está na página 1de 4

GERADOR

Gerador do espao um conjunto de vetores pelo qual pode-se gerar


todos os elementos do espao.
Suponha que v
1
, v
2
, ..., v
n
so vetores em um espao vetorial V. Diz-
se que esses vetores geram V se V consiste de todas as combinaes
lineares de v
1
, v
2
, ..., v
n
, isto , se todo vetor v em V pode ser expresso na
forma:
v = o
1
v
1
+ o
2
v
2
+ ... + o
n
v
n
, onde os o
is
so escalares.
Exemplo 1: Os vetores c
1
= (1,0) e c
2
= (0,1) geram o 9
2
desde que todo vetor b em 9
2

uma combinao linear de c
1
e c
2
: b = (b
1
,b
2
) = b
1
(1,0) + b
2
(0,1) = b
1
c
1
+ b
2
c
2
.
Exemplo 2: Quais os vetores geradores do espao soluo do sistema x
1
+ 2x
2
x
3
= 0
?
Soluo: x
1
= -2x
2
+ x
3
, para x
2
e x
3
quaisquer. O vetor soluo seria:
(x
1
, x
2
, x
3
) = x
2
(-2,1,0) + x
3
(1,0,1) ou seja:
(-2x
2
+x
3
, x
2
, x
3
) = (-2x
2
, x
2
, 0) + (x
3
, 0, x
3
) = x
2
(-2,1,0) + x
3
(1,0,1)
Ento os vetores (-2,1,0) e (1,0,1) so os geradores do espao de solues do sistema x
1

+ 2x
2
x
3
= 0. Observe que todo soluo pode ser expressa pela combinao linear
desses dois vetores.


DEPENDNCIA E INDEPENDNCIA LINEAR
Diz-se que um conjunto de vetores linearmente dependente
(L.D.) se possvel expressar um dos vetores, digamos v
i
, como uma
combinao linear dos outros.
v
i
= o
1
v
1
+ o
2
v
2
+ ... + o
i-1
v
i-1
+ o
i+1
v
i+1
+ ... + o
n
v
n
, onde o
is
so escalares.
O conjunto linearmente independente (L.I.) se ele no linearmente
dependente.
Exemplo 1: c
1
= (1,0) e c
2
= (0,1) so linearmente o qu?
Se c
1
e c
2
so L.D. ento existe o tal que c
1
= o.c
2
(1,0) = o.(0,1) (1,0)
= (0, o)
No existe o para o qual a igualdade possa ser verdadeira. Logo c
1
e c
2

so L.I.
Exemplo 2: v
1
= (1,2) e v
2
= (2,4)
Idem: v
1
= o.v
2
(1,2) = (2o,4o) 2o = 1 e 4o = 2 o = 1/2. Logo, v
1
e
v
2
so L.D.

(

=
2 3 1
1 2 1
A
(

0 1 1 0
0 1 0 1
0 1 1 0
0 1 2 1
0 2 3 1
0 1 2 1

SISTEMAS HOMOGNEOS
So sistemas lineares cujos termos independentes so todos nulos.
Um sistema homogneo sempre tem pelo menos uma soluo. A soluo onde
todas as variveis so nulas chamada de soluo trivial. Qualquer outra chamada
no-trivial. A soluo trivial sempre soluo de um sistema homogneo.
Podemos dizer ento que um conjunto de vetores L.I. se a soluo do sistema
formado pela combinao linear nula admite como nica soluo a soluo trivial.
ESPAO NULO DE UMA MATRIZ
Seja uma matriz m x n. Ento o subespao do 9
n
consistindo de todas as solues
do sistema linear homogneo Ax = 0 chamado o ESPAO NULO da matriz A, denotado por
N(A).
Exemplo 1: O espao nulo da matriz A = [1 2 1] consiste de todas as solues da
equao x
1
+ 2x
2
+ x
3
= 0. A soluo geral pode ser expressa assim:
x
1
= -2x
2
x
3

x = (-2x
2
x
3
, x
2
, x
3
) x = x
2
(-2,1,0) + x
3
(-1,0,1), com x
2
e x
3
arbitrrios.
Assim, o espao nulo de A consiste de todas as somas de mltiplos dos vetores (-2,1,0) e (-
1,0,1).

Exemplo 2: Dada a matriz
, determine N(A).

, ou seja, x
1
= x
3
e x
2
= -x
3

x = (x
3
, -x
3
, x
3
) = x
3
(1,-1,1), x
3
arbitrrio.