Você está na página 1de 10

23 de abril|2009

EQUITY INSIGHTS

23 de abril|2009

Equity Research

Equity Insights

23 de abrilde 2009

23 de abrilde 2009

“It'sonly w hen the tide goesoutthatyou discoverw ho'sbeen sw im m ing naked.” W arren Buffett

Trading

Ibovespa Intraday – 22/abr/2009 46.000 45.500 45.000 44.500 44.000 43.500 43.000 10:00 10:45 11:30 12:15
Ibovespa Intraday – 22/abr/2009
46.000
45.500
45.000
44.500
44.000
43.500
43.000
10:00
10:45
11:30
12:15
13:00
13:45
14:30
15:15
16:00
16:45

M aiores A ltas - Ibovespa

Cód.

Fechto.

V ar.

CSAN 3

12,81

11,39%

CYRE3

11,85

8,02%

VCPA4

14,50

7,65%

ARCZ6

2,00

6,38%

G

FSA3

15,00

6,01%

RSID 3

5,22

5,03%

CSN A3

40,20

4,42%

LAM E4

8,25

4,30%

M aiores Baixas - Ibovespa

Cód.

Fechto.

V ar.

TLPP4

46,91

-1,82%

ITAU 4

26,81

-1,72%

ITSA4

8,49

-1,51%

D

U RA4

16,64

-1,25%

PETR3

35,79

-1,13%

BBAS3

17,80

-1,11%

BBD C4

24,86

-0,96%

BRTO 4

13,05

-0,84%

M ercados Internacionais

Indice

Fechto.

V ar.

Ibovespa

44.888,00

+1,02%

D

ow Jones

7,886.57

-1.05%

N

asdaq

1,646.12

+0.14%

S&P 500

843.55

-0.77%

FTSE

4.030,57

+1,08%

D

AX

4.594,36

+2,06%

N

ikkei

8.846,86

+1,37%

A Bolsa de Valores de São Paulo encerrou o pregão desta quarta-feira

em alta, ao contrário das principais bolsas norte-americanas, influenciada porpapéisde construtoras,empresasde papele celulose e

siderúrgicas. O Ibovespa fechou com valorização de 1,02% .

O

volume financeiro totalizou R$ 4,07 bi.

N

o setor de construção,CYRE3 avançou 8,02% ,G FSA3 subiu 6,01% e

RSID 3 ganhou 5,30% ; ontem a Abramat (Associação Brasileira da Indústria de M ateriais de Contrução)divulgou as vendas de março,as quais subiram 16,9% em relação a fevereiro. N o setor siderúrgico, CSN A3 fechou em alta de 4,42% , G G BR4 ganhou 3,78% e U SIM 5 +1,48% . N a terça-feira,a W orld SteelAssociation informou a produção mundial referente a março. D entre as empresas de papele celulose, VCPA4 subiu 7,65% e ARCZ6 avançou 6,38% .

Já em W all Street, as bolsas fecharam em baixa, com exceção do

N asdaq (+0,14% ),com recuo de papéis de bancos. O D ow Jones caiu

1,05% e o S&P 500 fechou em baixa de 0,77% . As ações do M organ Stanley perderam 8,97% , após o banco divulgar prejuízo no 1T09. Também reagindo à divulgação de resultados,ospapéisdo W ellsFargo fecharam em baixa de 3,35% . Por outro lado, as ações da SanD isk subiram 13,3% depois que a empresa anunciou guidance de receita para o 2T09.

N a Europa,asbolsasfecharam em alta,beneficiadasporpapéisdo setor

financeiro. O FT-100 subiu 1,08% ,o D AX ganhou 2,06% e o CAC-40

fechou em alta de 1,72% . As ações do Barclays avançaram 9,6% e as do

H SBC subiram 4,3% . O s papéis da Electrolux ganharam 16,2% ,reagindo

a divulgação de resultados. As ações da Volksw agen avançaram 0,6% ,

apesar da empresa ter reportado queda de mais de 70% do lucro no

1T09. Já as ações da Roche caíram 10,4% ,após a companhia anunciar que o Avastin não é tão eficiente quanto imaginavam;o Avastin é da

G

enentech,recente aquisição da empresa porU S$ 47 bi. O s papéis da

G

laxoSmithKline caíram 3,0% ,apósa empresa divulgarresultado. N esta

manhã,as bolsas da Europa operam sem tendência definida:Londres +0,33% ,Frankfurt-0,39% e Paris+0,50% .

Influenciada por papéis de montadoras,a bolsa de Tóquio fechou em alta nesta quinta-feira. O N ikkei avançou 1,37% . As ações da Toyota

M otorsubiram 3,5% e as da H onda M otorganharam 1,7% . As ações da

Pioneerfecharam em alta de 23% ,após a H onda anunciarque poderá investirna empresa.

EQUITY INSIGHTS

23 de abril|2009

Top Picks

Em presa

Ticker

TargetPrice

Preço A tual

Upside Potential

D ia de Inclusão

V ariação

Perform ance*

dez/2009

D iária

AES

Tietê

G ETI4

R$

22,30

R$ 18,00

23,9%

30-set-08

-0,1%

21,5%

ALL Logística

ALLL11

R$ 16,00

R$ 10,79

48,3%

16-jan-09

2,5%

28,6%

AmBev

AM BV4

R$ 131,00

R$ 116,40

12,5%

18-fev-08

2,1%

-6,5%

G VT

G VTT3

R$

35,00

R$ 27,85

25,7%

20-abr-09

5,9%

6,9%

CCR Rodovias

CCRO 3

R$ 32,00

R$ 24,30

31,7%

18-fev-08

0,1%

-9,9%

Itaúsa

ITSA4

R$ 10,30

R$ 8,49

21,3%

18-fev-08

-1,5%

-0,4%

Perdigão

PRG A3

R$ 42,00

R$ 30,78

36,5%

6-jan-09

0,2%

-2,0%

Trans. Paulista

TRPL4

Em revisão

R$ 45,76

-

30-set-08

1,9%

3,7%

Bradespar

BRAP4

R$ 35,00

R$ 26,00

34,6%

2-fev-09

2,9%

11,1%

Copasa

CSM G 3

R$

28,00

R$ 22,77

23,0%

6-abr-09

2,5%

14,4%

* Performance desde o dia de inclusão Ajustado porproventos

Notícias A nalisadas

V isanetretom a planos de IPO Segundo notícias locais,a Visanet pretende retomar os planos de IPO ,que teve que seradiado no ano passado em meio ao agravamento da crise. O registro da oferta deve ser feito na CVM nos próximos dias. Segundo apurado a oferta será 100% secundária e de no mínimo R$ 5 bilhões,mas há indicações de que pode alcançar cerca de R$ 10 bilhões. O tamanho da oferta não está definido,assim como o valor da empresa e o percentualde ações a ser vendido pelos quatro sócios. O pinião: Em setembro de 2007 a empresa havia solicitado registro de oferta na CVM ,no entanto os planos foram paralisados dada a crise financeira global. Recentemente a Redecard fez uma oferta secundária bem sucedida,o que pode tercontribuído para a retomada do IPO de Visanet. A Visanettem uma fatia de mercado de cerca de 45% e é maiorque a Redecard. Considerando o múltiplo de Redecard (P/L 08 16,9x),a Visanetseria avaliada em R$ 24,8 bilhões (LL 08 R$ 1.469 milhões). O s principais acionistas da empresa,Bradesco (39% ),BB (31% )e Real/Santander (14% ), provavelmente todos deverão monetizar parte de suas participaçõesno IPO .

Chile libera im portação de carne bovina do Brasil,diz A biec

A exportação de carne bovina in natura e congelada do Brasilpara o Chile está

liberada. A autorização foi dada na terça-feira pelo governo chileno,conforme informações do diretor executivo da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec),O távio Cançado. Ele explicou que 18 unidades de frigoríficos pleiteavam a liberação das exportações,das quais 16 tiveram o pedido atendido. O pinião: Finalmente essa novela está chegando ao fim. D epois de 4 anossem comprarquase nada da nossa carne bovina,oschilenosreconheceram 7 Estados brasileiros como livres de aftosa no início desse ano. E só agora,passados

quase 4 meses,é que eles informarem os frigoríficos autorizados. M as demora à parte,a notícia vem em boa hora. As exportações de carne bovina vêm sendo as mais impactadas com essa crise. O volume embarcado no 1T09 foi19,0% inferior ao do 1T08 e o preço médio em dólares,17,9% menor. E o Chile representa um

mercado potencial de 100 mil toneladas por ano (quase 10% das exportações brasileiras). O utra boa notícia foia captação de U S$700 mm realizada pelo JBS (a empresa esperava venderU S$400 mm),que mostra que o mercado está voltando

a dar crédito para o setor. M as, apesar de tudo isso, ainda preferimos os

produtores de carne de frango. Porseruma carne mais barata,sua demanda deve sofrermenosdurante esse período de turbulência,oscompetidoresinternacionais passam pordificuldades operacionais e/ou financeiras (o que cria a oportunidade para asempresasbrasileiras aumentarem suasparticipaçõesde mercado)e o ciclo de produção maiscurto permite que sejam realizadosajustesna oferta com muito mais rapidez (o que evita novas quedas de preços). Por essas razões,mantemos

EQUITY INSIGHTS

23 de abril|2009

Fila para com prarcarro zero já chega à dois m eses

China:Im portação de celulose aum enta 45% em m arço

nossa recomendação de compra para PRG A3.

Apesar de algumas montadoras estarem recorrendo a horas extras e até a contratações,consumidores precisam esperaraté dois meses para receberalguns modelosde carrosnovos. “A falta não é generalizada,é pontual”,diz um porta-voz

da G eneralM otors. Versõesde Celta,Classic e M eriva têm fila de espera de 20 a 30

dias,admite a G M ,que reforçou a produção. O s modelos mais populares são os maisdemandados,fila de até doismesespara entrega de modelosFiatSiena,Palio

e U no,de 30 a 40 dias para G ole Voyage,da Volksw agen,e de até 30 dias para o

Ford Ka em várias lojas de São Paulo. N a fábrica da G M em G ravataí (RS), os operários cumprem 22 minutos extras de jornada diária neste mês,além de terem sido convocados para trabalho em dois sábados. N a unidade de São Caetano do Sul(SP),haverá trabalho extra neste sábado. O grupo Fiatanunciou neste mês a contratação de 732 trabalhadores em Betim (M G ). A produção diária deve ficar próxima de 3 milveículos,pouco abaixo do período pré-crise. Até segunda-feira, foram licenciados 136 mil veículos, cerca de 5% a menos em relação aos resultados de abrilde 2008. N o acumulado deste ano,já foram vendidos 778,5 mil veículos. A expectativa do setor é de encerrar o quadrimestre com resultados próximos às 866,2 milunidades vendidas em 2008. O pinião:Este está sendo o impacto real da redução do IPI para automóveis. Empresas que estavam demitindo,estão contratando,o mercado que não estava mais comprando voltou

a comprarfortemente. Para o setorautomobilístico o mercado interno está muito bem, pontos para o governo que se moveu rapidamente e conseguiu evitar demissões em massa no setor. Apesardo bom desempenho do mercado interno,

o setor automobilístico ainda não está totalmente tranqüilo por causa das

exportações,que estão sofrendo queda superior a 50% no comparativo anual. Com isso,vemos uma queda da indústria até que significante,mas um número que poderia serbem pior. O dado de licenciamentos de Abrilsurpreende. M esmo com os feriados,o ritmo de vendas é forte e pode superaros 200 milcomentados no mercado. A possívelantecipação das vendas dos possíveis compradores no mês de abrilpara março,porconta da dúvida sobre a prorrogação da redução do IPIparece não terafetado tanto asvendas,maisuma boa notícia para o setor. Se o setor automobilístico está bem, quem agradece é o siderúrgico, que vê a demanda poraço para o setortambém virforte,e cairpouco frente às demandas do ano passado. N ovamente,o setor não está tranqüilo e passou por um 1T09 muito difícil,porém,deste setor não há muito o que reclamar. O utra medida do governo que entrou em abrile parece estar dando resultado é a redução do IPI para linha branca, as vendas em abril já estão melhorando e o aumento do consumo de aço deve vir logo em seguida. Apesar das boas notícias, o setor siderúrgico é maisque essesdoissetores,e vemosque a alta recente dospapéisjá mais que precifica esses dois movimentos. Recomendamos ficar fora do setor como um todo.

As importações chinesas de celulose aumentaram 45% em março, para 1,09 milhão de toneladas,ante o mesmo período do ano passado,de acordo com a Administração G eralde Alfândega da China. O pinião:A China continua sendo a esperança de todo o mercado de commodities. E no caso do mercado de celulose

realmente vem fazendo a diferença,principalmente para asprodutoras brasileiras.

A China,tem uma indústria de papelnova,com isso,consegue utilizarmais fibra

curta que fibra longa,já realizou investimentos nessa direção,assim,grande parte

desse aumento de consumo é para celulose de fibra curta, em especial de

eucalipto. Por esse motivo, as vendas de celulose de eucalipto por parte da Suzano,Aracruz e VCP estão subindo e astrêscompanhiasestão comentando que

a

China é o principalpropulsordesse movimento,já que a Europa e a América do

N

orte estão em períodos mais complicados de demanda,e as vendas de celulose

estão caindo,como para qualqueroutro produto. Em relação aosdados,podemos ver que março continuou a mostrar grande crescimento na demanda, o que justifica o recente aumento nos preços da celulose na China,em abrilos preços

continuam subindo rapidamente,o que mostra um indício de que as importações também serão fortes. Com o preço da celulose porvolta dosU S$400,00 como está na China,sua produção de celulose fica ineficiente,sabendo disso,o governo

EQUITY INSIGHTS

23 de abril|2009

estaria fechando essas fábricas,por conta da ineficiência econômica e também ambiental e com isso a necessidade de matéria-prima sobe, puxando as importações,esse é o movimento que está acontecendo na China,as produtoras

N o momento mantemos nossa recomendação de ficar

fora do setorcomo um todo.

brasileiras agradecem

A nac elim ina piso para tarifa de voos internacionais

Congonhas e Sabesp assinam contrato de “D em anda Firm e”

A Agência N acionalde Aviação Civil(Anac) eliminou ontem a utilização de um

piso para astarifasde voosinternacionais. D e acordo com o voto da presidente da agência,Solange Vieira,durante reunião da diretoria da entidade realizada no Rio,

a medida tem por objetivo fomentar a concorrência de preços dentro do País,

beneficiando osconsumidores. O primeiro corte no piso será de 20% sobre a atual

tabela de referência. Em 23 de julho,as empresas nacionais deverão fazer um novo corte,que chegará a 50% do valor da tarifa. Em 23 de outubro,o corte tarifário deve chegar a 80% e,em 23 de abrilde 2010,o preço será totalmente livre. O pinião: A notícia é negativa principalmente para a TAM , pelo fato da empresa termaiorexposição ao mercado internacionalem comparação com sua principal concorrente, a G ol. Em 2008, o segmento internacional representou pouco mais de 25% do faturamento total da TAM e a tendência é que essa participação aumente nos próximos anos. A empresa inicialmente era contrária a eliminação das restriçõesde tarifa,devido principalmente a questão dosimpostos no Brasil(maiores em relação aos demais países) e aos custos em dólar que as companhias brasileiras tem e não são totalmente compensados por receitas em dólar. Até concordamos com tais argumentos,sendo que a questão dos impostos deve ser revista ao longo do tempo, mas por outro lado as companhias estrangeiras tem custos com pessoal maiores,tem frotas menos eficientes em relação às companhias brasileiras,o que compensa em parte as desigualdades. Além disso,a eliminação de tarifasmínimasiria ocorrermaiscedo ou maistarde,já que atualmente apenas o Brasil,a China e o Japão mantem essa política. Estamos revendo nossasrecomendaçõespara o setor.

H oje o aeroporto de Congonhas assinará um contrato para compra de água da Sabesp. O acordo prevê o fornecimento mensalde 12,5 milhões de litros de água. Até então,o terminalpaulistano utilizava recursos hídricos oriundos de poços. O novo contrato faz parte do programa "D emanda Firme"da companhia estatalde saneamento. Segundo a Sabesp, no ano passado foram fechados cerca de 50 contratos de D emanda Firme. A expectativa para este ano é de mais 60 negócios deste tipo. O pinião:D esde 2007,a Sabesp vem lançando produtospara aumentar suas receitas e o programa de “D emanda Firme” é um dos principais deles. Com esse programa é possívelatenderorganizações como o aeroporto de Congonhas, que antes se utilizava de poços para o abastecimento de água ou empresas que usam caminhões pipa,muitas vezes clandestinos,para talfim. Esse programa,em conjunto com os demais produtos do Sabesp Soluções Ambientais,é relevante para uma empresa de saneamento,que pela característica de seu negócio tem espaço limitado de crescimento. M antemos nossa recomendação de compra para

SBSP3.

EQUITY INSIGHTS

23 de abril|2009

Com entário de Resultado

GV T - 1T09

GV T (R$m m )

1T09

4T08

1T08

 

qoq

yoy

 

1T09E

A vs E

Receita Líquida

376

366

290

3%

30%

343,6

9%

 
 
 

EBITD A

141

145

107

-3%

32%

132,3

7%

M argem EBITD A

Lucro Líquido

M argem Líquida

37,5%

26

6,9%

39,6%

-37

-10,1%

36,9%

25

8,6%

-2,1 p.p.

n.d.

17,0 p.p.

0,6 p.p.

5%

-1,7 p.p.

38,5%

22,4

6,5%

-1,0 p.p.

-14%

0,4 p.p.

Capex

105

232

147

-55%

-28%

125

-16%

CAPEX /EBITD A

0,7

1,6

1,4

-53%

-46%

0,9

-21%

Totalde linhasem serviço

2.097.530

1.928.839

1.357.523

9%

55%

LIS AD SL

493.777

454.830

287.994

9%

71%

AssinantesVoIP

123.142

100.140

84.154

23%

46%

ARPU

135

135

135

0%

0%

Fonte:G VT/Link Investimentos

O resultado da G VT divulgado ontem superou as nossas expectativas e já

comprovam que 2009 será novamente um ano positivo para o setorde Telecom, cujo impacto da crise financeira mundialpouco pode sersentido,ao contrário da

maioria dosoutrossetores.

O faturamento da companhia no 1T09 teve crescimento de 30% ,mantendo o

ritmo acelerado dos demais trimestres com leve ganhos de rentabilidade (margem EBITD A 0,6 p.p superiorao 1T09). Ao contrário do 4T08, quando foi impactada negativamente com variações cambiais,o bottom line da G VT já retomou a trajetória positiva e a companhia reportou resultado líquido de R$26mm,acima dosR$22mm projetadospornós.

O resultado reforçou nosso callde ‘resiliencia’do setor e boa administração da

companhia,uma vez que o cenário foibem mais adverso no 1T09. Enquanto fala-

se por aíde crescimento nulo para 2009,a G VT cresceu mais de 3% apenas em

um trimestre (1T09 vs4T08).

A companhia teve um trimestre de fortes adições líquidas,49% mais assinantes

que no 4T07,sem que este crescimento impactasse o ARPU que foi mantido estável. Segundo a empresa, a G VT tem sido a principal beneficiada com a portabilidade numérica,o que contribuipara este aumento de base qualificada de clientes. Ainda,além de forte crescimento em novos mercados como Belo H orizonte e Salvador,a G VT entrou neste mêsem doisnovosmercados:Vila Velha e Vitória.

O Capex totalizou R$105 mm o período, pouco abaixo do esperado, o que

reduziu o patamarCAPEX/EBITD A para 0,7x,sinalizando,que,mesmo em estágio de maturação e inserida em um setor capex intensive,a companhia consegue destacar-se com boa geradora de caixa. G anhos de margem e redução de CAPEX anteciparam o fluxo de caixa positivo para a companhia esperado para o segundo semestre e,já no 1T09,a companhia reportou R$36 mm de fluxo de caixa positivo.

Apesar de a administração da G VT ter reduzido a meta de investimentos para 2009,achamos que a companhia conseguirá ‘contemplar’todo o crescimento prospectivo do mercado, sem grandes dificuldades. Além do CAPEX de manutenção e variável,a companhia planeja lançar serviços em novas cidades este ano e se diz "ansiosa" para estrear também na telefonia móvel, provavelmente atravésde uma M VN O ,o que equacionaria um gap importante no portfólio de serviçosda companhia. Em resumo,os númerosdo 1T09 para a G VT,única companhia do setorlistada no

EQUITY INSIGHTS

23 de abril|2009

N ovo M ercado,foram bastante fortes e reforçam o nosso outlook positivo para a companhia. A companhia está inserida em um setor defensivo,voltado para o mercado interno,que deverá apresentar crescimento superior ao da economia em 2009,em função das baixas alta de penetração em telefonia móvel,banda larga, TV por assinatura. M antemos o nosso call de compra para G VTT3 (TP:

R$35,00).

EQUITY INSIGHTS

23 de abril|2009

Notas

A Log-In - Logística Intermodal em complemento às informações divulgadas em em março,comunica que o pagamento de remuneração aos acionistas no proposto no valor de R$0,231 por ação em circulação será pago a partirde 06/05 com data base de 17/03.

Proventos

S/E

Tipo Provento

D ata A GE

D ata EX

Exercício

V alorem

R$

D ata Crédito

FIIM emorial

rendimento

31/3/2009

-

2009

0,99000000000 P/1

17/4/2009

Petropar

dividendo

6/4/2009

-

2008

0,09140000000 P/1

17/4/2009

Petropar

dividendo

6/4/2009

-

2008

0,09140000000 P/1

17/4/2009

FIICriança

rendimento

13/4/2009

-

2009

2,09796670000 P/1

20/4/2009

FIITorre N o

rendimento

13/4/2009

-

2009

1,06351962700 P/1

20/4/2009

FIIW

Plaza

rendimento

13/4/2009

-

2009

0,83333300000 P/1

20/4/2009

Paraná

jurossobr

31/3/2009

-

2009

0,06000000000 P/1

20/4/2009

Bematech

dividendo

30/3/2009

-

2008

0,12171861430 P/1

22/4/2009

FIIO urinves

rendimento

14/4/2009

-

2009

0,10715945000 P/1

22/4/2009

Fonte:CBLC

EQUITY INSIGHTS

23 de abril|2009

Stock Guide

 

Com panhia

Ticker

Recom endação 1

Ultim a

Preço A lvo(R$) 2

Ultim o

Upside

O scilação

Participação

M arket

08

P/L

09 4

08 FV /Ebitda 09 5

08

D iv Yld

09 6

P/V PA 7

Recom

Fecham ento

1 dia

1 m ês

IBO V

Cap (R$m m ) 3

 

Ibovespa

IBO V

44.888

1,0%

12,0%

n.a

n.a

n.a

n.a

n.a

n.a

n.a

A

çúcar& Etanol 8

 
 

Cosan São M artinho

CSAN 3 SM TO 3

S.R

-

-

12,81

-

11,4%

18,6%

0,5%

4.191

n.a

-

28,7x

-

1,1%

-

1,1x

S.R

-

-

12,90

-

-1,5%

26,5%

-

1.456

n.a

-

13,3x

-

0,8%

-

0,9x

G

uarani

ACG U 3

S.R

-

-

2,09

-

3,0%

4,5%

-

599

n.a

-

8,1x

-

6,6%

-

0,6x

 

Fertilizantes

 
 

Fosfértil

FFTL4

S.R

-

-

14,50

-

-0,6%

2,8%

-

6.126

6,1x

-

2,4x

-

5,3%

-

3,2x

H

eringer

FH ER3

S.R

-

-

3,98

-

0,0%

34,0%

-

193

n.a

-

6,4x

-

0,6%

-

0,8x

 

Financeiro

 
 

Banco do Brasil Bradesco Itaú U nibanco Itausa BM &F Bovespa 9 Porto Seguro Redecard SulAmérica

BBAS3

S.R

-

-

17,80

-

-1,1%

16,1%

2,6%

45.693

4,3x

-

n.a

n.a

6,3%

-

1,5x

BBD C4

N eutro

14/4/2009

30,20

24,86

21%

-1,0%

15,6%

3,5%

69.468

8,6x

9,7x

n.a

n.a

3,1%

3,6%

2,0x

ITAU 4

N eutro

14/4/2009

33,30

26,81

24%

-1,7%

9,9%

5,3%

100.653

12,5x

10,1x

n.a

n.a

2,3%

3,5%

2,3x

ITSA4

N eutro

14/4/2009

10,30

8,49

21%

-1,5%

9,6%

2,1%

37.144

13,3x

10,1x

n.a

n.a

8,3%

3,4%

2,2x

BVM F3

Compra

4/2/2009

9,10

8,80

3%

1,6%

32,1%

5,4%

17.697

13,5x

16,0x

11,5x

17,4x

1,6%

2,5%

0,9x

PSSA3

S.R

-

-

12,55

-

0,2%

15,9%

-

2.878

10,4x

-

n.a

n.a

3,9%

-

1,5x

RD CD 3 SU LA11

S.R

-

-

27,70

-

0,7%

9,3%

0,9%

18.641

14,5x

-

13,1x

-

4,2%

-

25,8x

S.R

-

-

20,50

-

0,0%

11,8%

-

1.920

3,6x

-

n.a

n.a

3,3%

-

0,8x

A

lim entos & Bebidas

 
 

JBS Friboi

JBSS3

S.R

-

-

6,09

-

2,4%

21,8%

0,7%

8.549

267,6x

-

9,2x

-

0,6%

-

1,4x

M

. D ias

M D IA3

S.R

-

-

20,16

-

0,8%

3,4%

-

2.287

10,5x

-

8,3x

-

1,3%

-

1,9x

M

arfrig

M RFG 3

S.R

-

-

11,00

-

2,1%

60,6%

-

2.940

n.a

-

6,0x

-

0,0%

-

1,1x

M

inerva

BEEF3

S.R

-

-

2,49

-

8,3%

50,9%

-

186

n.a

-

7,1x

-

0,0%

-

0,6x

Perdigão

PRG A3

Compra

9/4/2009

42,00

30,78

36%

0,2%

-0,6%

0,8%

6.357

113,7x

19,4x

8,7x

7,8x

1,4%

1,5%

1,5x

Sadia

SD IA4

N eutro

9/4/2009

4,10

3,29

25%

0,3%

18,8%

0,8%

2.557

n.a

12,8x

6,8x

8,0x

3,5%

0,0%

6,2x

Ambev

AM BV4

Compra

6/2/2009

131,00

116,40

13%

2,1%

10,7%

1,1%

64.596

18,5x

19,7x

7,1x

7,5x

4,4%

4,6%

3,7x

V

arejo

 
 

B2W

BTO W 3

S.R

12/9/2008

Em revisão

28,30

-

2,9%

20,0%

0,9%

3.119

34,1x

19,4x

9,3x

6,0x

0,3%

1,3%

14,0x

G

uararapes

G U AR3

S.R

12/9/2008

Em revisão

19,00

-

3,3%

21,8%

-

1.092

7,6x

6,1x

10,8x

2,1x

0,0%

4,1%

0,8x

H

ering

H G TX3 LAM E4 LREN 3

S.R

12/9/2008

Em revisão

8,24

-

1,2%

35,1%

-

444

11,3x

11,3x

4,5x

5,1x

1,1%

2,2%

1,8x

LojasAmericanas

S.R

12/9/2008

Em revisão

8,25

-

4,3%

22,1%

1,3%

5.546

36,8x

38,6x

7,5x

12,1x

0,6%

2,6%

17,3x

LojasRenner Pão de Açúcar

S.R

12/9/2008

Em revisão

17,70

-

1,7%

17,0%

0,8%

2.153

11,8x

8,0x

6,9x

4,6x

3,5%

6,1%

3,0x

PCAR4

S.R

12/9/2008

Em revisão

33,90

-

2,1%

11,8%

0,5%

7.836

28,1x

17,0x

7,0x

6,8x

0,6%

1,5%

1,4x

 

Consum o

 
 

Localiza

REN T3

Compra

20/1/2009

13,00

9,80

33%

8,2%

23,1%

-

1.935

10,4x

15,5x

3,8x

6,0x

1,9%

2,6%

3,6x

N

atura

N ATU 3 CRU Z3

S.R

-

-

24,12

-

3,5%

12,2%

0,7%

10.349

15,7x

-

9,8x

-

5,7%

-

14,8x

Souza Cruz

S.R

-

-

44,30

-

-0,3%

-7,9%

0,4%

13.542

10,8x

-

7,3x

-

7,2%

-

6,4x

 

Siderurgia

 
 

AçosVillares

AVIL3

S.R

-

-

0,57

-

0,0%

16,3%

-

1.877

4,2x

-

2,5x

-

4,0%

-

2,0x

CSN

CSN A3

N eutro

17/4/2009

48,00

40,20

19%

4,4%

26,0%

4,1%

30.499

3,9x

17,4x

3,5x

9,1x

5,7%

2,6%

4,6x

G

erdau

G G BR4

N eutro

20/3/2009

13,20

15,37

-14%

3,8%

33,0%

2,6%

20.223

5,0x

n.a

4,3x

7,5x

4,5%

4,0%

1,0x

M

etG erdau

G O AU 4

N eutro

20/3/2009

16,50

20,11

-18%

2,9%

32,7%

0,8%

7.842

4,4x

-

4,2x

-

11,7%

0,0%

0,8x

U

siminas

U SIM 3

N eutro

20/3/2009

30,00

30,58

-2%

1,9%

31,8%

0,6%

15.802

4,0x

10,8x

2,9x

6,8x

4,3%

2,4%

1,1x

U

siminas

U SIM 5

N eutro

20/3/2009

30,00

33,51

-10%

1,5%

30,1%

3,3%

15.802

4,0x

10,8x

2,9x

6,8x

4,3%

2,2%

1,1x

M

ineração

 
 

Bradespar

BRAP4

Compra

29/1/2009

35,00

26,00

35%

2,9%

16,6%

1,3%

8.863

5,9x

17,9x

4,0x

20,3x

3,2%

2,0%

1,8x

M

agnesita

M AG G 3

S.R

-

-

6,09

-

0,8%

16,9%

-

1.298

n.a

-

9,0x

-

0,0%

-

0,6x

M

M X

M M XM 3 PM AM 3

S.R

-

-

5,76

-

10,8%

84,0%

-

1.756

n.a

-

-34,0x

-

0,0%

-

-27,0x

Paranapanema

S.R

-

-

3,19

-

3,6%

44,3%

-

1.002

6,1x

-

1,5x

-

0,0%

-

0,8x

Vale

VALE3

Compra

29/1/2009

45,00

34,28

31%

1,2%

11,0%

3,4%

168.703

6,5x

26,7x

5,1x

14,2x

2,4%

1,4%

1,8x

Vale

VALE5

Compra

29/1/2009

39,00

29,35

33%

0,8%

10,2%

12,5%

168.703

6,5x

26,7x

5,1x

14,2x

2,8%

1,6%

1,8x

 

Saneam ento

 
 

Copasa

CSM G 3

Compra

4/2/2009

28,00

22,77

23%

2,5%

21,8%

-

2.614

5,3x

5,8x

3,7x

3,3x

3,2%

4,3%

0,7x

Sabesp

SBSP3

Compra

4/2/2009

34,00

26,92

26%

0,4%

9,3%

0,3%

6.133

6,3x

5,3x

4,6x

3,9x

9,0%

4,7%

0,6x

EQUITY INSIGHTS

23 de abril|2009

Ticker

Recom endação 1

Ultim a

Preço A lvo (R$) 2

Ultim o

Upside

O scilação

Participação

M arket

08

P/L

09 4

08 FV /Ebitda 09 5

08

D iv Yld

09 6

P/V PA 7

Recom

Fecham ento

1 dia

1 m ês

IBO V

Cap (R$m m ) 3

IBO V

44.888

1,0%

12,0%

n.a

n.a

n.a

n.a

n.a

n.a

n.a

G ETI4

Compra

29/1/2009

22,30

18,00

24%

-0,1%

2,9%

-

6.412

7,6x

9,5x

4,5x

5,6x

12,1%

10,0%

12,8x

CLSC6

S.R

-

-

31,75

-

1,4%

0,1%

0,1%

1.477

6,0x

-

2,7x

-

5,7%

-

0,9x

CM IG 4

S.R

-

-

34,40

-

1,3%

6,7%

1,5%

15.501

7,6x

-

4,8x

-

5,2%

-

1,7x

CESP6

Compra

29/1/2009

17,30

14,90

16%

1,3%

11,2%

1,0%

4.613

n.a

5,4x

-6,7x

4,3x

0,7%

4,3%

0,6x

CO CE5

S.R

-

-

24,07

-

0,0%

13,0%

-

1.888

4,6x

-

4,0x

-

16,3%

-

2,1x

CPLE6

S.R

-

-

26,65

-

1,7%

20,6%

0,6%

6.836

5,8x

-

3,5x

-

3,6%

-

0,8x

CPFE3

S.R

-

-

34,20

-

1,6%

14,0%

0,5%

16.413

11,3x

-

7,2x

-

8,5%

-

3,3x

ELET3

S.R

-

-

28,00

-

0,4%

14,6%

0,9%

31.525

4,7x

-

5,5x

-

5,8%

-

0,4x

ELET6

S.R

-

-

27,20

-

1,7%

16,0%

0,9%

31.525

4,7x

-

5,5x

-

6,3%

-

0,4x

ELPL6

S.R

-

-

32,03

-

2,7%

5,0%

0,7%

5.293

3,9x

-

2,7x

-

11,6%

-

1,6x

EN BR3

S.R

-

-

26,50

-

5,9%

22,2%

-

3.790

9,2x

-

5,7x

-

5,5%

-

1,1x

EQ TL3

S.R

-

-

12,35

-

0,8%

2,2%

-

1.307

3,5x

-

3,3x

-

15,9%

-

1,2x

LIG T3

S.R

-

-

22,92

-

2,3%

1,4%

0,2%

4.674

4,6x

-

4,0x

-

13,8%

-

1,7x

M PXE3

S.R

-

-

224,00

-

1,1%

14,3%

-

1.530

4,7x

-

-0,5x

-

0,0%

-

0,7x

TBLE3

Compra

29/1/2009

29,10

17,20

69%

-1,4%

-2,0%

-

11.227

10,9x

11,1x

6,7x

6,4x

8,5%

1,1%

3,5x

TRN A 11

S.R

-

-

29,99

-

7,9%

36,4%

-

2.634

10,3x

-

6,3x

-

2,2%

-

1,8x

TRPL4

S.R

-

Em revisão

45,76

-

1,9%

3,0%

0,4%

7.150

7,8x

-

5,4x

-

11,8%

-

1,7x

O G XP3

S.R N EU TRO N EU TRO

-

-

847,00

-

-1,4%

27,4%

-

27.375

47,2x

-

-48,0x

-

0,0%

-

3,0x

PETR3

20/2/2009

38,30

35,79

7%

-1,1%

-0,6%

3,4%

287.453

6,8x

15,6x

4,4x

8,1x

1,7%

2,9%

2,1x

PETR4

20/2/2009

31,60

28,61

10%

-0,7%

-0,6%

18,0%

287.453

6,8x

15,6x

4,4x

8,1x

2,1%

3,7%

2,1x

BRKM 5 U G PA 4

S.R

-

-

5,68

-

1,8%

18,6%

0,5%

2.913

n.a

-

4,8x

-

0,0%

-

0,8x

S.R

-

-

57,10

-

1,2%

2,5%

0,4%

7.645

17,4x

-

7,7x

-

5,4%

-

1,6x

ARCZ6

S.R

-

Em revisão

2,00

-

6,4%

31,6%

0,5%

7.954

n.a

-

10,3x

-

4,5%

-

8,3x

KLBN 4

S.R

-

-

3,05

-

-0,7%

8,9%

0,3%

3.175

n.a

-

10,0x

-

5,1%

-

1,4x

SU ZB5

S.R

-

Em revisão

13,10

-

-1,1%

26,6%

-

4.015

n.a

-

6,2x

-

0,9%

-

1,1x

VCPA 4

S.R

-

Em revisão

14,50

-

7,7%

37,2%

0,4%

6.166

n.a

-

9,0x

-

3,7%

-

1,5x

BEM A3

S.R

-

-

5,97

-

-1,2%

-0,9%

-

314

6,0x

-

3,1x

-

2,5%

-

0,8x

PO SI3

S.R

-

-

8,76

-

-0,5%

11,6%

-

753

4,4x

-

3,6x

-

4,5%