Você está na página 1de 21

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII Capítulo 1- A Guerra Fria e o fim da URSS

Capítulo 1- A Guerra Fria e o fim da URSS

Kunihiko Bonkohara, 65 anos:

Picles. Kunihiko Bonkohara está vivo graças aos picles. Em agosto de 1945, vivia no sul de Hiroshima, a 2 quilômetros do centro. Sua casa ficava de frente para um depósito de tsukemono (legumes em conserva japoneses), prédio alto de tijolos resistentes. Às 8h15 da manhã daquele 6 de agosto, recorda-se estar sentado ao lado de seu pai, engenheiro civil, diante da escrivaninha que ficava junto à janela da sala. A mãe e a irmã de 14 anos haviam sido convocadas para os trabalhos de demolição no centro da cidade. Bonkohara tinha 5 anos de idade. “De repente, uma luz muito forte entrou pela janela. Em seguida, ouvimos um grande estrondo e uma rajada de vento levou o andar de cima da casa pelos ares. O vidro estourou e nós nos escondemos rapidamente embaixo da escrivaninha. Meu pai deitou-se em cima de mim. Lembro dele com as costas todas cobertas de sangue.” Dos males, o menor. No lado de fora, o bairro inteiro estava destruído. As tradicionais construções de madeira – e quem quer que estivesse dentro – haviam sido reduzidas a entulho. Apenas duas casas tinham ao menos o térreo de pé: a de Bonkohara e a do vizinho. Precisamente aquelas sobre as quais o grande armazém de picles fazia sua abençoada sombra. Agindo como uma espécie de barreira, aquele prédio os protegera das ondas de calor, das rajadas de vento, do fogo e da radiação. Ou seja, da exposição total à bomba atômica. Quando pai e filho ainda procuravam entender o que diabos havia sido aquilo, uma chuva escura e espessa começou a cair sobre a casa sem teto. “Parecia pixe”, lembra Bonkohara. Quem dera fosse: trazia, na verdade, uma combinação mortal de água e fuligem radioativa produzida pelas cinzas da cidade que queimava do lado de fora. A nuvem descomunal criada pela própria bomba ajudou a carregar a “chuva negra” para áreas de Hiroshima que não haviam sido diretamente atingidas. E quem acreditou ter escapado ganhou também sua cota de radiação. Fonte: Os caminhos da Terra, agosto de 2005, ano 13, nº 160, p. 51.

EXERCÍCIO

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII GEOGRAFIA – FASE VIII Página 2

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII GEOGRAFIA – FASE VIII Página 3

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII EXERCÍCIO:  Os EUA promovem ações militares em determinados países

EXERCÍCIO:

Os EUA promovem ações militares em determinados países para assegurar fornecimento de petróleo. No cartum fica evidenciada outra forma de interesse dos EUA no controle de áreas de influência no mundo. Qual é esse interesse?

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII EXERCÍCIO:  Os EUA promovem ações militares em determinados países

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII GEOGRAFIA – FASE VIII Página 5

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII GEOGRAFIA – FASE VIII Página 6

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII GEOGRAFIA – FASE VIII Página 7

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII GEOGRAFIA – FASE VIII Página 8

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII Capítulo 2 – Geopolítica atual EXERCÍCIO: Por que Mafalda faz

Capítulo 2 – Geopolítica atual

EXERCÍCIO: Por que Mafalda faz uma “advertência” à Terra em seu último
EXERCÍCIO:
Por que
Mafalda faz uma “advertência”
à
Terra
em
seu
último

quadrinho? A que ela se refere?

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII GEOGRAFIA – FASE VIII Página 10

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII GEOGRAFIA – FASE VIII Página 11
APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII GEOGRAFIA – FASE VIII Página 11
APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII GEOGRAFIA – FASE VIII Página 11

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII GEOGRAFIA – FASE VIII Página 12

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII GEOGRAFIA – FASE VIII Página 13

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII GEOGRAFIA – FASE VIII Página 14

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII GEOGRAFIA – FASE VIII Página 15

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII GEOGRAFIA – FASE VIII Página 16

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII GEOGRAFIA – FASE VIII Página 17

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII GEOGRAFIA – FASE VIII Página 18

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII GEOGRAFIA – FASE VIII Página 19
APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII GEOGRAFIA – FASE VIII Página 19

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII EXERCÍCIO: GEOGRAFIA – FASE VIII Página 20
APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII EXERCÍCIO: GEOGRAFIA – FASE VIII Página 20
APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII EXERCÍCIO: GEOGRAFIA – FASE VIII Página 20

EXERCÍCIO:

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII

APOSTILA DE GEOGRAFIA – FASE VIII GEOGRAFIA – FASE VIII Página 21

Interesses relacionados