Você está na página 1de 1

Desafinação Vocal: entenda mais Entenda um pouco mais sobre o assunto

Já aconteceu de você estar cantando e alguém colocar a mão no ouvido? Ou fazer cara de:

"Hmm, não alcançou a nota e desafinou"? Já ouviu alguém falar: "Quem nasce desafinado, morre desafinado"? Ou: "Coitado daquele cantor, desafina até na pausa”?

Pelo fato de a desafinação ser tratada muitas vezes com ironia, não é assim tão simples compreendermos todos os aspectos ligados à afinação e, por conseqüência, à desafinação.

Se entre músicos já é difícil estabelecer o ponto exato em que o som passa a ser considerado desafinado, para quem não é profissional da área definir e entender isso é tarefa ainda mais complexa. Cantores amadores, com pouca experiência musical, podem considerar como desafinada qualquer sonoridade pouco familiar aos seus ouvidos. A música atonal (sem tonalidade definida), às vezes, corre o risco de ser erroneamente caracterizada como desafinada. Uma voz de timbre diferente, não reconhecido como padrão dentro de nossa cultura, também pode conduzir a equívocos de avaliação quanto à afinação ou desafinação. Temos exemplo disso o depoimento de Milton Nascimento ao programa “Fantástico”, da Rede Globo, em novembro de 1993. O cantor descreve que aos 10 anos de idade foi reprovado em uma prova de canto. Ao apresentar o boletim em outra escola, os professores estranharam o fato de suas outras notas serem altas. Pediram que cantasse. O resultado foi um canto tão belo e afinado que um dos professores começou a chorar. Prova de que, quanto menos usual for uma voz, tanto maior será o risco de ser definida como desafinada.

Há casos de desafinação devidos basicamente a problemas de ordem física, como pela perda

auditiva, surdez, disfonias (dificuldade na emissão da voz), alterações vocais ou problemas de ordem neurológica. Existe também a possibilidade de ser um traço genético.

A grande maioria dos desafinados possui problemas de afinação por falta de estimulação

musical (auditiva e vocal), por falta de treino e/ou de técnica, por convivência com modelo vocal inadequado na infância ou até na idade adulta ou por problemas psicológicos (timidez, medo, sentimento de inferioridade ou até bloqueios por terem sido rotulados como desafinados).

A afinação e a produção vocal estão relacionadas ao bom desenvolvimento e à performance

do cantor. Tendem a apresentar imperfeições na execução musical, principalmente na afinação, indivíduos que apresentam características como tensão muscular, extensão e tessitura vocal reduzida, inadequação à extensão vocal, falta de coordenação respiratória (apoio), uso inadequado de registro vocal ou imprecisão articulatória. É comum observarmos

cantores que cantam fora de sua extensão vocal e reclamam que desafinam ou semitonam. Existem também os que possuem ótima plasticidade ou flexibilidade vocal, mas desafinam nos agudos por má utilização do apoio respiratório. Até uma imprecisão articulatória pode levar o cantor a distorções e falta de afinação vocal.

O tempo para desenvolver a afinação depende basicamente do tipo de técnica a ser

empregada, da perseverança e do interesse do cantor, além da dificuldade própria de cada

um.

A

qualidade de sua afinação vocal pode ser aprimorada com exercícios específicos de técnica

e

por meio de estimulação, a qual ajuda o cantor a conhecer e a ampliar suas possibilidades

vocais, desenvolvendo a afinação e a maturação vocal e auditiva.

Fonte de alguns trechos: livro "Desafinação Vocal" de Silvia Sobreira - editora MUSIMED